SlideShare uma empresa Scribd logo
Ficha de avaliação 1 – Pessoa ortónimo
Grupo I
A
Lê atentamente o seguinte poema de Fernando Pessoa.
Tenho tanto sentimento
Que é frequente persuadir-me
De que sou sentimental.
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.
Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.
Qual porém é verdadeira
E qual errada, ninguém
Não saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.
18/09/1933
Fernando Pessoa, Poesias. (Nota explicativa de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor.) Lisboa:
Ática, 1942 (15ª ed. 1995).
1. Caracteriza formalmente este poema.
2. Identifica a imagem que o sujeito poético tem de si próprio.
3. De acordo com a análise que o sujeito poético faz, indica o que há de comum entre ele e os
outros seres humanos.
4. Indica a dúvida que persiste no sujeito poético.
4.1. Transcreve os versos no qual o sujeito poético acaba por fazer a sua opção.
5. No poema verifica-se a recorrência de um nome e de um verbo ligado lexicalmente a esse
nome.
5.1. Identifica e explica a insistência no uso dessas palavras.
B
Tendo em consideração as afirmações feitas no poema analisado acima, faz a comparação
entre Pessoa ortónimo e Alberto Caeiro. Apresenta exemplos de poemas estudados de um e de
outro.
O texto deverá ter entre oitenta a cem palavras.
1
GRUPO II
Lê o texto seguinte.
A dopamina é um importante neurotransmissor do cérebro que produz a sensação de
prazer e satisfação, tendo uma função estimulante do sistema nervoso central. É uma
substância química produzida em várias zonas do cérebro e anomalias do seu
funcionamento provocam doenças no sistema nervoso, como a esquizofrenia ou a doença
de Parkinson.
Uma equipa de cientistas liderada por Nuno Sousa, do Instituto de Investigação de
Ciências da Vida e da Saúde (ICVS) da Universidade do Minho, tem vindo a estudar o
impacto do stress no sistema nervoso central – onde influencia a ansiedade, o humor e a
cognição – e, depois de sete anos de investigação, concluiu que a exposição ao stress
durante a gravidez aumenta a vulnerabilidade a comportamentos aditivos e de
toxicodependência nos filhos durante a idade adulta. Os níveis de dopamina têm em todo
este processo um papel decisivo.
A investigação, que acaba de ser distinguida com um prémio, foi feita, para já, com
ratos brancos. “O próximo passo será realizarmos este estudo nos seres humanos e
percebermos se o stress induzido nas mulheres grávidas tem o mesmo efeito a longo prazo
nas crianças”, explica Nuno Sousa. Os resultados vão ser em breve publicados na revista
científica “Molecular Psychiatry”, considerada a de maior prestígio internacional na área
das neurociências.
Os investigadores analisaram dezenas de animais expostos, durante a gravidez, a um
glucocorticoide sintético – uma hormona libertada em resposta ao stress chamada
dexometazona. Em dois dias específicos da gravidez os ratos foram injetados com essa
hormona. A exposição provocou alterações neuroendócrinas e neurobiológicas
permanentes nos fetos, que aumentaram a probabilidade de desenvolverem doenças
metabólicas, neurológicas e psiquiátricas na idade adulta.
Mas os ratos apresentavam também uma redução significativa dos níveis de dopamina
e alterações na expressão do respetivo recetor, que se encontrava aumentada como se os
ratos estivessem sedentos dessa substância. “Esta observação sugeriu que o stress pré-
natal e as hormonas do stress são capazes de programar circuitos neuronais e conferir
suscetibilidade à adição a drogas de abuso ao longo da vida”, conta Nuno Sousa. (…)
Expresso, 10/03/2012.
1. Seleciona, em cada um dos itens de 1 a 7, a única alternativa que permite obter uma
afirmação adequada ao sentido do texto.
1. A revista “Molecular Psychiatry” vai publicar um artigo sobre:
A. os efeitos da dopamina nas mulheres grávidas.
B. os efeitos da dopamina nos ratos.
C. os efeitos da redução dos níveis de dopamina nos ratos.
D. o efeito do stress nos seres humanos.
2. Os cientistas da Universidade do Minho querem investigar a possibilidade de:
A. os filhos de uma mulher grávida com stress poderem vir a ser toxicodependentes.
B. os filhos de uma mulher grávida poderem vir a sofrer de stress.
C. conseguirem acalmar uma mulher grávida com stress.
D. conseguirem medicamentos que erradiquem o stress.
2
3. “um importante neurotransmissor do cérebro” tem a função sintática de:
A. complemento direto.
B. predicativo do sujeito.
C. predicativo do complemento direto.
D. complemento oblíquo.
4. A oração “que produz a sensação de prazer e de satisfação” classifica-se como:
A. oração subordinada substantiva completiva.
B. oração subordinada adjetiva relativa restritiva.
C. oração subordinada adjetiva relativa explicativa.
D. oração subordinada adverbial causal.
5. As palavras “neurotransmissor”, “glucocorticoide”, “dexometazona” e “psiquiátricas” são:
A. derivadas por prefixação.
B. derivadas por sufixação.
C. compostas.
D. parassintéticas.
6. Os adjetivos modificadores do nome “sistema” na expressão “sistema nervoso central” são:
A. ambos qualificativos.
B. ambos relacionais.
C. “nervoso” é qualificativo e “central” é relacional.
D. “nervoso” é relacional e “central” é qualificativo.
7. Na frase “A investigação, que acaba de ser distinguida com um prémio, foi feita, para já, com
ratos brancos.”, a localização temporal das situações descritas é:
A. a situação da oração subordinada é anterior à situação com a qual ocorre.
B. a situação da oração subordinada é posterior à situação com a qual ocorre.
C. as duas situações são simultâneas.
D. as duas situações são simultâneas com o momento de enunciação.
2. Considera a frase “Os resultados vão ser em breve publicados…”
2.1. Indica em que voz se encontra a frase.
2.2. Classifica o verbo “ir” no complexo verbal “vão ser”, indicando o seu valor.
GRUPO III
A Ciência tem dado passos gigantescos no conhecimento do ser humano. Os portugueses têm
contribuído para isso com ideias e experiências inovadoras.
Num texto bem estruturado, com um mínimo de duzentas e um máximo de trezentas
palavras, escreve sobre o contributo que alguns portugueses terão dado na investigação.
Fundamenta o teu ponto de vista recorrendo a dois argumentos e ilustra cada um deles com,
pelo menos, um exemplo significativo.
3
PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DA FICHA DE AVALIAÇÃO PESSOA ORTÓNIMO
Grupo I
A
1. Este poema é formado por três estrofes de seis versos cada uma (sextilhas). A métrica é regular, com versos de sete
sílabas (redondilha maior). Relativamente à rima, já que o esquema rimático pode ser representado por ABCBAC –
DEFDEF – GHIGHI - verifica-se alguma regularidade.
2. A exemplo de outros poemas de Fernando Pessoa, também neste o sujeito poético reconhece que é sentimental,
mas acaba por afirmar que esse sentimento não é nada mais do que pensamento, que é racionalizado.
3. O sujeito poético afirma que em todos os outros, tal como nele, há uma dualidade: uma vida vivida (o sentimento)
e uma vida pensada (a razão). Uma é verdadeira, a outra é errada.
4. O sujeito poético exprime a sua dúvida sobre qual é a vida verdadeira e qual é a vida errada.
4.1. Os versos nos quais o sujeito poético indica a sua opção são os dois últimos do poema.
5.1. O nome repetido é “vida” e o verbo é “viver”. É natural que estas palavras ocorram com mais frequência porque
a reflexão do sujeito poético é precisamente sobre o tema a vida e a forma como todos a vivem.
B
Tópicos de abordagem
- a racionalização das emoções em Fernando Pessoa ortónimo;
- todos os pensamentos são sensações em Alberto Caeiro.
Grupo II
1.
1. D
2. B
3. B
4. B
5. C
6. B
7. B
2.1. A frase encontra-se na voz passiva.
2.2. O verbo “ir” é um auxiliar com valor temporal.
4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Alberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhos
Alberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhosAlberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhos
Alberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhos
Bruno Meirim
 
F.pessoa heterónimo teste aval. sumativa
F.pessoa heterónimo   teste aval. sumativaF.pessoa heterónimo   teste aval. sumativa
F.pessoa heterónimo teste aval. sumativa
Paulinho Gonçalves
 
Mensagem - Antemanhã
Mensagem - AntemanhãMensagem - Antemanhã
Mensagem - Antemanhã
Sofia_Afonso
 
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimocaracterísticas temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
Dina Baptista
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-Sistematização
Dina Baptista
 
Fernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimoFernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimo
André Andros
 
"As Ilhas Afortunadas" - análise
"As Ilhas Afortunadas" - análise"As Ilhas Afortunadas" - análise
"As Ilhas Afortunadas" - análise
Maria João Oliveira
 
Autopsicografia e Isto
Autopsicografia e IstoAutopsicografia e Isto
Autopsicografia e Isto
Paula Oliveira Cruz
 
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Samuel Neves
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
António Fernandes
 
Resumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Resumos de Português: Fernando Pessoa OrtónimoResumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Resumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Raffaella Ergün
 
Capítulo i
Capítulo iCapítulo i
Capítulo i
Helena Coutinho
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"
MiguelavRodrigues
 
Os Maias - análise
Os Maias - análiseOs Maias - análise
Os Maias - análise
António Fernandes
 
O heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto CaeiroO heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto Caeiro
guest155834
 
Nevoeiro
Nevoeiro   Nevoeiro
Nevoeiro
aramalho340
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
Ualas Magalhães
 
Mensagem: Análise "O Bandarra"
Mensagem: Análise "O Bandarra"Mensagem: Análise "O Bandarra"
Mensagem: Análise "O Bandarra"
InsdeCastro7
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Dina Baptista
 
Sebastianismo - Frei Luís de Sousa
Sebastianismo - Frei Luís de SousaSebastianismo - Frei Luís de Sousa
Sebastianismo - Frei Luís de Sousa
António Aragão
 

Mais procurados (20)

Alberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhos
Alberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhosAlberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhos
Alberto Caeiro - poema I do guardador de rebanhos
 
F.pessoa heterónimo teste aval. sumativa
F.pessoa heterónimo   teste aval. sumativaF.pessoa heterónimo   teste aval. sumativa
F.pessoa heterónimo teste aval. sumativa
 
Mensagem - Antemanhã
Mensagem - AntemanhãMensagem - Antemanhã
Mensagem - Antemanhã
 
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimocaracterísticas temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
características temáticas de Fernando Pessoa - ortónimo
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-Sistematização
 
Fernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimoFernando pessoa ortónimo
Fernando pessoa ortónimo
 
"As Ilhas Afortunadas" - análise
"As Ilhas Afortunadas" - análise"As Ilhas Afortunadas" - análise
"As Ilhas Afortunadas" - análise
 
Autopsicografia e Isto
Autopsicografia e IstoAutopsicografia e Isto
Autopsicografia e Isto
 
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da InfânciaFernando Pessoa Nostalgia da Infância
Fernando Pessoa Nostalgia da Infância
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
 
Resumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Resumos de Português: Fernando Pessoa OrtónimoResumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
Resumos de Português: Fernando Pessoa Ortónimo
 
Capítulo i
Capítulo iCapítulo i
Capítulo i
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"
 
Os Maias - análise
Os Maias - análiseOs Maias - análise
Os Maias - análise
 
O heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto CaeiroO heteronimo Alberto Caeiro
O heteronimo Alberto Caeiro
 
Nevoeiro
Nevoeiro   Nevoeiro
Nevoeiro
 
áLvaro de campos
áLvaro de camposáLvaro de campos
áLvaro de campos
 
Mensagem: Análise "O Bandarra"
Mensagem: Análise "O Bandarra"Mensagem: Análise "O Bandarra"
Mensagem: Análise "O Bandarra"
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
 
Sebastianismo - Frei Luís de Sousa
Sebastianismo - Frei Luís de SousaSebastianismo - Frei Luís de Sousa
Sebastianismo - Frei Luís de Sousa
 

Semelhante a Areal ficha de_avaliação_1_pessoa_ortónimo_e_correcção

Drogas e sistema_nervoso
Drogas e sistema_nervosoDrogas e sistema_nervoso
Drogas e sistema_nervoso
Dani Rodrigues
 
A loucura sob novo prisma bezerra de menezes
A loucura sob novo prisma bezerra de menezesA loucura sob novo prisma bezerra de menezes
A loucura sob novo prisma bezerra de menezes
Gustavo Assis de Azevedo
 
A Cura da Esquizofrenia 1ed - eric campos bastos guedes
A Cura da Esquizofrenia 1ed - eric campos bastos guedesA Cura da Esquizofrenia 1ed - eric campos bastos guedes
A Cura da Esquizofrenia 1ed - eric campos bastos guedes
ericbaymarketconectrio
 
Bezerra de menezes a loucura sob novo prisma
Bezerra de menezes   a loucura sob novo prismaBezerra de menezes   a loucura sob novo prisma
Bezerra de menezes a loucura sob novo prisma
Ubaldo Rizzaldo Jr
 
A cura da esquizofrenia 1ed - Eric Campos Bastos Guedes
A cura da esquizofrenia 1ed - Eric Campos Bastos GuedesA cura da esquizofrenia 1ed - Eric Campos Bastos Guedes
A cura da esquizofrenia 1ed - Eric Campos Bastos Guedes
ericnalanhouse2
 
A cura da esquizofrenia 1ed
A cura da esquizofrenia 1edA cura da esquizofrenia 1ed
A cura da esquizofrenia 1ed
ericmathfighter
 
O estilo emocional do cerebro - richard j. davidson[1]
O estilo emocional do cerebro   - richard j. davidson[1]O estilo emocional do cerebro   - richard j. davidson[1]
O estilo emocional do cerebro - richard j. davidson[1]
Sueli Oliveira
 
Revista17 apoa neurose obsessiva
Revista17 apoa neurose obsessivaRevista17 apoa neurose obsessiva
Revista17 apoa neurose obsessiva
Jose Queiroz
 
ensaio - sinestesia (Carlos)
ensaio - sinestesia (Carlos)ensaio - sinestesia (Carlos)
ensaio - sinestesia (Carlos)
Universidade Católica Portuguesa
 
A estrutura da matéria segundo os espiritos 02
A estrutura da matéria segundo os espiritos   02A estrutura da matéria segundo os espiritos   02
A estrutura da matéria segundo os espiritos 02
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Logoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdfLogoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdf
ANTÔNIO CARLOS G. BENTES
 
Qu mica do-corpo1-2
Qu mica do-corpo1-2Qu mica do-corpo1-2
Qu mica do-corpo1-2
Quimica2016
 
AULA 02- 03 DE JUNHO DE 2023 -ADEPSI.pptx
AULA 02-      03 DE JUNHO DE 2023 -ADEPSI.pptxAULA 02-      03 DE JUNHO DE 2023 -ADEPSI.pptx
AULA 02- 03 DE JUNHO DE 2023 -ADEPSI.pptx
coordenadepsi
 
Neuroplasticidade e neurorreligação: especulações e considerações
Neuroplasticidade e neurorreligação: especulações e consideraçõesNeuroplasticidade e neurorreligação: especulações e considerações
Neuroplasticidade e neurorreligação: especulações e considerações
Argos Arruda Pinto
 
Aula 01 inss interpretação de textos
Aula 01 inss interpretação de textosAula 01 inss interpretação de textos
Aula 01 inss interpretação de textos
ANDERSON RIBEIRO
 
Aula 01 inss interpretação de textos
Aula 01 inss interpretação de textosAula 01 inss interpretação de textos
Aula 01 inss interpretação de textos
ANDERSON RIBEIRO
 
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos AparentadosAfetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Jorge Barbosa
 
Jill bolte taylor a cientista que curou o próprio cérebro
Jill bolte taylor   a cientista que curou o próprio cérebroJill bolte taylor   a cientista que curou o próprio cérebro
Jill bolte taylor a cientista que curou o próprio cérebro
Lucineia Leite
 
A epífise e os centros de energia vital (sef)
A epífise e os centros de energia vital (sef)A epífise e os centros de energia vital (sef)
A epífise e os centros de energia vital (sef)
Ricardo Akerman
 
A epífise e os centros de energia vital (sef)
A epífise e os centros de energia vital (sef)A epífise e os centros de energia vital (sef)
A epífise e os centros de energia vital (sef)
Webber Stelling
 

Semelhante a Areal ficha de_avaliação_1_pessoa_ortónimo_e_correcção (20)

Drogas e sistema_nervoso
Drogas e sistema_nervosoDrogas e sistema_nervoso
Drogas e sistema_nervoso
 
A loucura sob novo prisma bezerra de menezes
A loucura sob novo prisma bezerra de menezesA loucura sob novo prisma bezerra de menezes
A loucura sob novo prisma bezerra de menezes
 
A Cura da Esquizofrenia 1ed - eric campos bastos guedes
A Cura da Esquizofrenia 1ed - eric campos bastos guedesA Cura da Esquizofrenia 1ed - eric campos bastos guedes
A Cura da Esquizofrenia 1ed - eric campos bastos guedes
 
Bezerra de menezes a loucura sob novo prisma
Bezerra de menezes   a loucura sob novo prismaBezerra de menezes   a loucura sob novo prisma
Bezerra de menezes a loucura sob novo prisma
 
A cura da esquizofrenia 1ed - Eric Campos Bastos Guedes
A cura da esquizofrenia 1ed - Eric Campos Bastos GuedesA cura da esquizofrenia 1ed - Eric Campos Bastos Guedes
A cura da esquizofrenia 1ed - Eric Campos Bastos Guedes
 
A cura da esquizofrenia 1ed
A cura da esquizofrenia 1edA cura da esquizofrenia 1ed
A cura da esquizofrenia 1ed
 
O estilo emocional do cerebro - richard j. davidson[1]
O estilo emocional do cerebro   - richard j. davidson[1]O estilo emocional do cerebro   - richard j. davidson[1]
O estilo emocional do cerebro - richard j. davidson[1]
 
Revista17 apoa neurose obsessiva
Revista17 apoa neurose obsessivaRevista17 apoa neurose obsessiva
Revista17 apoa neurose obsessiva
 
ensaio - sinestesia (Carlos)
ensaio - sinestesia (Carlos)ensaio - sinestesia (Carlos)
ensaio - sinestesia (Carlos)
 
A estrutura da matéria segundo os espiritos 02
A estrutura da matéria segundo os espiritos   02A estrutura da matéria segundo os espiritos   02
A estrutura da matéria segundo os espiritos 02
 
Logoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdfLogoterapia bentes pdf
Logoterapia bentes pdf
 
Qu mica do-corpo1-2
Qu mica do-corpo1-2Qu mica do-corpo1-2
Qu mica do-corpo1-2
 
AULA 02- 03 DE JUNHO DE 2023 -ADEPSI.pptx
AULA 02-      03 DE JUNHO DE 2023 -ADEPSI.pptxAULA 02-      03 DE JUNHO DE 2023 -ADEPSI.pptx
AULA 02- 03 DE JUNHO DE 2023 -ADEPSI.pptx
 
Neuroplasticidade e neurorreligação: especulações e considerações
Neuroplasticidade e neurorreligação: especulações e consideraçõesNeuroplasticidade e neurorreligação: especulações e considerações
Neuroplasticidade e neurorreligação: especulações e considerações
 
Aula 01 inss interpretação de textos
Aula 01 inss interpretação de textosAula 01 inss interpretação de textos
Aula 01 inss interpretação de textos
 
Aula 01 inss interpretação de textos
Aula 01 inss interpretação de textosAula 01 inss interpretação de textos
Aula 01 inss interpretação de textos
 
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos AparentadosAfetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
 
Jill bolte taylor a cientista que curou o próprio cérebro
Jill bolte taylor   a cientista que curou o próprio cérebroJill bolte taylor   a cientista que curou o próprio cérebro
Jill bolte taylor a cientista que curou o próprio cérebro
 
A epífise e os centros de energia vital (sef)
A epífise e os centros de energia vital (sef)A epífise e os centros de energia vital (sef)
A epífise e os centros de energia vital (sef)
 
A epífise e os centros de energia vital (sef)
A epífise e os centros de energia vital (sef)A epífise e os centros de energia vital (sef)
A epífise e os centros de energia vital (sef)
 

Mais de Carla Ribeiro

Written tests
Written testsWritten tests
Written tests
Carla Ribeiro
 
0 poesia medieval-noções_gerais
0   poesia medieval-noções_gerais0   poesia medieval-noções_gerais
0 poesia medieval-noções_gerais
Carla Ribeiro
 
Contextos teste mensagem_e_lusíadas
Contextos teste mensagem_e_lusíadasContextos teste mensagem_e_lusíadas
Contextos teste mensagem_e_lusíadas
Carla Ribeiro
 
Lusíadas_Português_12º_ano
Lusíadas_Português_12º_anoLusíadas_Português_12º_ano
Lusíadas_Português_12º_ano
Carla Ribeiro
 
Narrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Narrativa épica texto_de_apoio_LusíadasNarrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Narrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Carla Ribeiro
 
Entre palavras teste_fernão_lopes_2
Entre palavras teste_fernão_lopes_2Entre palavras teste_fernão_lopes_2
Entre palavras teste_fernão_lopes_2
Carla Ribeiro
 
Entre palavras teste_fernão_lopes
Entre palavras teste_fernão_lopesEntre palavras teste_fernão_lopes
Entre palavras teste_fernão_lopes
Carla Ribeiro
 
Entre palavras teste_fernão_lopes_1_e_2_correcção
Entre palavras teste_fernão_lopes_1_e_2_correcçãoEntre palavras teste_fernão_lopes_1_e_2_correcção
Entre palavras teste_fernão_lopes_1_e_2_correcção
Carla Ribeiro
 
8 teste poesia-trovadoresca_asa_porto_editora
8   teste poesia-trovadoresca_asa_porto_editora8   teste poesia-trovadoresca_asa_porto_editora
8 teste poesia-trovadoresca_asa_porto_editora
Carla Ribeiro
 
1 making cyberfriends
1   making cyberfriends1   making cyberfriends
1 making cyberfriends
Carla Ribeiro
 
0 reported speech
0   reported speech0   reported speech
0 reported speech
Carla Ribeiro
 
0 relative clauses-definition_&_exercises
0   relative clauses-definition_&_exercises0   relative clauses-definition_&_exercises
0 relative clauses-definition_&_exercises
Carla Ribeiro
 
0 passive voice-definition
0   passive voice-definition0   passive voice-definition
0 passive voice-definition
Carla Ribeiro
 
0 conditionals definition-&_exercises
0   conditionals definition-&_exercises0   conditionals definition-&_exercises
0 conditionals definition-&_exercises
Carla Ribeiro
 
1 modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica
1   modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica1   modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica
1 modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica
Carla Ribeiro
 
1 the sinking-of_the_prestige
1   the sinking-of_the_prestige1   the sinking-of_the_prestige
1 the sinking-of_the_prestige
Carla Ribeiro
 

Mais de Carla Ribeiro (16)

Written tests
Written testsWritten tests
Written tests
 
0 poesia medieval-noções_gerais
0   poesia medieval-noções_gerais0   poesia medieval-noções_gerais
0 poesia medieval-noções_gerais
 
Contextos teste mensagem_e_lusíadas
Contextos teste mensagem_e_lusíadasContextos teste mensagem_e_lusíadas
Contextos teste mensagem_e_lusíadas
 
Lusíadas_Português_12º_ano
Lusíadas_Português_12º_anoLusíadas_Português_12º_ano
Lusíadas_Português_12º_ano
 
Narrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Narrativa épica texto_de_apoio_LusíadasNarrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
Narrativa épica texto_de_apoio_Lusíadas
 
Entre palavras teste_fernão_lopes_2
Entre palavras teste_fernão_lopes_2Entre palavras teste_fernão_lopes_2
Entre palavras teste_fernão_lopes_2
 
Entre palavras teste_fernão_lopes
Entre palavras teste_fernão_lopesEntre palavras teste_fernão_lopes
Entre palavras teste_fernão_lopes
 
Entre palavras teste_fernão_lopes_1_e_2_correcção
Entre palavras teste_fernão_lopes_1_e_2_correcçãoEntre palavras teste_fernão_lopes_1_e_2_correcção
Entre palavras teste_fernão_lopes_1_e_2_correcção
 
8 teste poesia-trovadoresca_asa_porto_editora
8   teste poesia-trovadoresca_asa_porto_editora8   teste poesia-trovadoresca_asa_porto_editora
8 teste poesia-trovadoresca_asa_porto_editora
 
1 making cyberfriends
1   making cyberfriends1   making cyberfriends
1 making cyberfriends
 
0 reported speech
0   reported speech0   reported speech
0 reported speech
 
0 relative clauses-definition_&_exercises
0   relative clauses-definition_&_exercises0   relative clauses-definition_&_exercises
0 relative clauses-definition_&_exercises
 
0 passive voice-definition
0   passive voice-definition0   passive voice-definition
0 passive voice-definition
 
0 conditionals definition-&_exercises
0   conditionals definition-&_exercises0   conditionals definition-&_exercises
0 conditionals definition-&_exercises
 
1 modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica
1   modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica1   modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica
1 modernismo e-a_geração_do_orpheu_breve_nota_biográfica
 
1 the sinking-of_the_prestige
1   the sinking-of_the_prestige1   the sinking-of_the_prestige
1 the sinking-of_the_prestige
 

Último

-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 

Último (20)

-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 

Areal ficha de_avaliação_1_pessoa_ortónimo_e_correcção

  • 1. Ficha de avaliação 1 – Pessoa ortónimo Grupo I A Lê atentamente o seguinte poema de Fernando Pessoa. Tenho tanto sentimento Que é frequente persuadir-me De que sou sentimental. Mas reconheço, ao medir-me, Que tudo isso é pensamento, Que não senti afinal. Temos, todos que vivemos, Uma vida que é vivida E outra vida que é pensada, E a única vida que temos É essa que é dividida Entre a verdadeira e a errada. Qual porém é verdadeira E qual errada, ninguém Não saberá explicar; E vivemos de maneira Que a vida que a gente tem É a que tem que pensar. 18/09/1933 Fernando Pessoa, Poesias. (Nota explicativa de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor.) Lisboa: Ática, 1942 (15ª ed. 1995). 1. Caracteriza formalmente este poema. 2. Identifica a imagem que o sujeito poético tem de si próprio. 3. De acordo com a análise que o sujeito poético faz, indica o que há de comum entre ele e os outros seres humanos. 4. Indica a dúvida que persiste no sujeito poético. 4.1. Transcreve os versos no qual o sujeito poético acaba por fazer a sua opção. 5. No poema verifica-se a recorrência de um nome e de um verbo ligado lexicalmente a esse nome. 5.1. Identifica e explica a insistência no uso dessas palavras. B Tendo em consideração as afirmações feitas no poema analisado acima, faz a comparação entre Pessoa ortónimo e Alberto Caeiro. Apresenta exemplos de poemas estudados de um e de outro. O texto deverá ter entre oitenta a cem palavras. 1
  • 2. GRUPO II Lê o texto seguinte. A dopamina é um importante neurotransmissor do cérebro que produz a sensação de prazer e satisfação, tendo uma função estimulante do sistema nervoso central. É uma substância química produzida em várias zonas do cérebro e anomalias do seu funcionamento provocam doenças no sistema nervoso, como a esquizofrenia ou a doença de Parkinson. Uma equipa de cientistas liderada por Nuno Sousa, do Instituto de Investigação de Ciências da Vida e da Saúde (ICVS) da Universidade do Minho, tem vindo a estudar o impacto do stress no sistema nervoso central – onde influencia a ansiedade, o humor e a cognição – e, depois de sete anos de investigação, concluiu que a exposição ao stress durante a gravidez aumenta a vulnerabilidade a comportamentos aditivos e de toxicodependência nos filhos durante a idade adulta. Os níveis de dopamina têm em todo este processo um papel decisivo. A investigação, que acaba de ser distinguida com um prémio, foi feita, para já, com ratos brancos. “O próximo passo será realizarmos este estudo nos seres humanos e percebermos se o stress induzido nas mulheres grávidas tem o mesmo efeito a longo prazo nas crianças”, explica Nuno Sousa. Os resultados vão ser em breve publicados na revista científica “Molecular Psychiatry”, considerada a de maior prestígio internacional na área das neurociências. Os investigadores analisaram dezenas de animais expostos, durante a gravidez, a um glucocorticoide sintético – uma hormona libertada em resposta ao stress chamada dexometazona. Em dois dias específicos da gravidez os ratos foram injetados com essa hormona. A exposição provocou alterações neuroendócrinas e neurobiológicas permanentes nos fetos, que aumentaram a probabilidade de desenvolverem doenças metabólicas, neurológicas e psiquiátricas na idade adulta. Mas os ratos apresentavam também uma redução significativa dos níveis de dopamina e alterações na expressão do respetivo recetor, que se encontrava aumentada como se os ratos estivessem sedentos dessa substância. “Esta observação sugeriu que o stress pré- natal e as hormonas do stress são capazes de programar circuitos neuronais e conferir suscetibilidade à adição a drogas de abuso ao longo da vida”, conta Nuno Sousa. (…) Expresso, 10/03/2012. 1. Seleciona, em cada um dos itens de 1 a 7, a única alternativa que permite obter uma afirmação adequada ao sentido do texto. 1. A revista “Molecular Psychiatry” vai publicar um artigo sobre: A. os efeitos da dopamina nas mulheres grávidas. B. os efeitos da dopamina nos ratos. C. os efeitos da redução dos níveis de dopamina nos ratos. D. o efeito do stress nos seres humanos. 2. Os cientistas da Universidade do Minho querem investigar a possibilidade de: A. os filhos de uma mulher grávida com stress poderem vir a ser toxicodependentes. B. os filhos de uma mulher grávida poderem vir a sofrer de stress. C. conseguirem acalmar uma mulher grávida com stress. D. conseguirem medicamentos que erradiquem o stress. 2
  • 3. 3. “um importante neurotransmissor do cérebro” tem a função sintática de: A. complemento direto. B. predicativo do sujeito. C. predicativo do complemento direto. D. complemento oblíquo. 4. A oração “que produz a sensação de prazer e de satisfação” classifica-se como: A. oração subordinada substantiva completiva. B. oração subordinada adjetiva relativa restritiva. C. oração subordinada adjetiva relativa explicativa. D. oração subordinada adverbial causal. 5. As palavras “neurotransmissor”, “glucocorticoide”, “dexometazona” e “psiquiátricas” são: A. derivadas por prefixação. B. derivadas por sufixação. C. compostas. D. parassintéticas. 6. Os adjetivos modificadores do nome “sistema” na expressão “sistema nervoso central” são: A. ambos qualificativos. B. ambos relacionais. C. “nervoso” é qualificativo e “central” é relacional. D. “nervoso” é relacional e “central” é qualificativo. 7. Na frase “A investigação, que acaba de ser distinguida com um prémio, foi feita, para já, com ratos brancos.”, a localização temporal das situações descritas é: A. a situação da oração subordinada é anterior à situação com a qual ocorre. B. a situação da oração subordinada é posterior à situação com a qual ocorre. C. as duas situações são simultâneas. D. as duas situações são simultâneas com o momento de enunciação. 2. Considera a frase “Os resultados vão ser em breve publicados…” 2.1. Indica em que voz se encontra a frase. 2.2. Classifica o verbo “ir” no complexo verbal “vão ser”, indicando o seu valor. GRUPO III A Ciência tem dado passos gigantescos no conhecimento do ser humano. Os portugueses têm contribuído para isso com ideias e experiências inovadoras. Num texto bem estruturado, com um mínimo de duzentas e um máximo de trezentas palavras, escreve sobre o contributo que alguns portugueses terão dado na investigação. Fundamenta o teu ponto de vista recorrendo a dois argumentos e ilustra cada um deles com, pelo menos, um exemplo significativo. 3
  • 4. PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DA FICHA DE AVALIAÇÃO PESSOA ORTÓNIMO Grupo I A 1. Este poema é formado por três estrofes de seis versos cada uma (sextilhas). A métrica é regular, com versos de sete sílabas (redondilha maior). Relativamente à rima, já que o esquema rimático pode ser representado por ABCBAC – DEFDEF – GHIGHI - verifica-se alguma regularidade. 2. A exemplo de outros poemas de Fernando Pessoa, também neste o sujeito poético reconhece que é sentimental, mas acaba por afirmar que esse sentimento não é nada mais do que pensamento, que é racionalizado. 3. O sujeito poético afirma que em todos os outros, tal como nele, há uma dualidade: uma vida vivida (o sentimento) e uma vida pensada (a razão). Uma é verdadeira, a outra é errada. 4. O sujeito poético exprime a sua dúvida sobre qual é a vida verdadeira e qual é a vida errada. 4.1. Os versos nos quais o sujeito poético indica a sua opção são os dois últimos do poema. 5.1. O nome repetido é “vida” e o verbo é “viver”. É natural que estas palavras ocorram com mais frequência porque a reflexão do sujeito poético é precisamente sobre o tema a vida e a forma como todos a vivem. B Tópicos de abordagem - a racionalização das emoções em Fernando Pessoa ortónimo; - todos os pensamentos são sensações em Alberto Caeiro. Grupo II 1. 1. D 2. B 3. B 4. B 5. C 6. B 7. B 2.1. A frase encontra-se na voz passiva. 2.2. O verbo “ir” é um auxiliar com valor temporal. 4