SlideShare uma empresa Scribd logo
.
ABORTO: ASPECTOS ÉTICOS E LEGAIS
Ética e moral não se confundem. A
ética engloba a moral, e a moral é
apenas um aspecto da ética.
Ética vem do grego Ethos, o modo de
ser no mundo, a individualidade do
ser humano. A moral, do latim mores,
usos e costumes, modos de agir
conforme o tempo e a cultura, a
moral estabelecida em função do
contexto histórico e da sociedade.
Para que uma atitude seja
considerada ética é
necessário que seja aceita
como valor assumido de
uma sociedade e ao mesmo
tempo respeite a
individualidade do
sujeito, objeto de uma ação.
Seria ético o direito da mulher
de decidir sobre seu próprio
corpo?
O que seria “moral” em termos
de aborto para a nossa
sociedade?
Um aborto pode ser
legal e até moral,
mas nunca será ético.
Segundo a Organização Mundial
da Saúde (OMS) o aborto é
classificado como a morte
embrionária ou fetal, seja ele
induzido ou espontâneo, antes
de completar 20 semanas ou
com peso fetal inferior a 500 kg.
Classificação jurídica do aborto
legal
• Caracteriza-se como aborto eugênico aquele
praticado em função de malformação ou
comprometimento fetal incompatível com a vida.
• Aborto sentimental ou moral é aquele que
ocorre quando a gravidez é resultado de um
estupro.
• Aborto terapêutico é quando a mulher corre
risco de vida.
No Brasil, segundo o artigo
124 do Código Penal
Brasileiro, é crime a prática de
aborto em si mesma, ou
consentir que outrem lhe
provoque, levando a pena de
detenção de um a três anos.
Não constitui crime a prática do aborto
quando:
- Não há outro meio de salvar a vida ou
preservar a saúde da gestante.
- Se a gravidez resulta de violação da
liberdade sexual, ou do emprego, não
consentido de técnica de reprodução
assistida.
- Fundada probabilidade, atestada por dois
outros médicos, de o nascituro apresentar
graves e irreversíveis anomalias físicas ou
mentais.
Aborto provocado é aquele
que leva a expulsão do
concepto de maneira
intencional, seja por ingestão
de medicamentos ou até
mesmo pela introdução de
objetos que facilitem a
dilatação e esvaziamento da
cavidade uterina.
Números do Aborto no Brasil
- Uma em cada sete brasileiras entre 18 e 39
anos já abortou.
- Cerca de 80% delas têm religião, 64% são
casadas e 81% são mães.
- O aborto ocorre em todas as classes sociais -
aproximadamente 35% dos casos - a mulher
recebe entre dois e cinco salários mínimos.
- Faixa etária em que há mais abortos: de 20 a
24 anos.
Dado alarmante: 55% das
mulheres são internadas logo
após o aborto.
Significa que essas mulheres
não apenas precisaram ir a um
hospital, mas que tiveram
complicações de saúde
O código de ética dos
profissionais de enfermagem
garante ao profissional, o direito
de recusar sua participação no
aborto legal. (Art. 45 parágrafo
único)
Situações nas quais o aborto
é permitido no Brasil.
• Gestações resultantes de estupro.
• Risco de morte para a mulher.
• Fetos anencéfalos.
A antecipação do parto em
casos de anencefalia passou a
ser voluntária e pode ser
executada pelo SUS, sem a
necessidade de autorização
judicial.
(Decisão do STF de12 de Abril de
2012)
No Congresso, deve ser votado o
Estatuto do Nascituro (PL
478/2007), lei que garante proteção
jurídica aos embriões, o que
eliminaria a possibilidade de
aborto legal em qualquer
caso, inclusive no de estupro.
Objetivos
Abordar as principais implicações éticas e
legais envolvidas na problemática do aborto
no contexto da saúde. Dados referentes ao
aborto em outras nações também serão
apresentados.
Material e Métodos
Trata-se de um trabalho baseado em revisão bibliográfica
sobre questões éticas e legais envolvendo o aborto legal
e provocado, proposto como atividade complementar a
ser apresentada a alunos do curso de graduação em
enfermagem*. Foram utilizados periódicos, publicações
científicas e notícias recentes relacionadas ao tema.
Dados e questões pontuais sobre as reações da equipe
de enfermagem frente a participação em casos de aborto
legal também foram utilizados.
Resultados
Através das evidências apresentadas neste trabalho foi
possível chegar aos seguintes resultados:
● A criminalização do aborto não impede sua prática,
apenas o torna elemento de forte segregação social,
uma vez que os casos de mortes em decorrência de
abortos praticados de forma insegura atingem,
sobretudo, mulheres de baixa renda.
● Apesar de o aborto ser legal em casos de estupro,
risco de morte para a mãe e anencefalia, ainda há
poucos centros especializados para atendimento de
mulheres que buscam o aborto amparado pela lei
disponíveis no SUS.
● A mulher que busca atendimento após um
abortamento incompleto é, muitas vezes, vítima de
maus-tratos e negligência por parte da equipe de
saúde .
● O conflito é um elemento presente nos profissionais
de enfermagem que se deparam entre atuar nos
programas de atenção às mulheres, o compromisso
com a assistência, a pressão externa e o peso das
influências religiosa e moral.
O aborto no mundo
Conclusão
A maioria das mulheres necessita de hospitalização para
o tratamento das complicações resultantes de aborto
provocado de forma insegura. As equipes de saúde,
sobretudo as que atuam nos setores públicos, não estão
capacitadas para gerenciar situações que envolvem tanto
complicações decorrentes de abortamento quanto as
relacionadas com o aborto legal.
A grande maioria dos abortos inseguros acontecem em
países onde as leis sobre interrupção da gravidez são
muito restritivas. São países em desenvolvimento ou
subdesenvolvidos onde políticas de planejamento familar
são precárias e pautadas na simples distribuição de
contraceptivos.
A questão do aborto ainda é um tabu em
nossa sociedade que necessita de uma
reflexão mais profunda e livre de
moralismos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Seminário aborto 8 ano
Seminário aborto 8 anoSeminário aborto 8 ano
Seminário aborto 8 ano
NTE RJ14/SEEDUC RJ
 
Aborto
   Aborto   Aborto
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
TesisMaster
 
Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Apresentacao legislacao em enfermagem 1Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Rosimeire Areias
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
Nokas Silva
 
Legalização do aborto observatório (1)
Legalização do aborto   observatório (1)Legalização do aborto   observatório (1)
Legalização do aborto observatório (1)
jadertheophilo
 
aborto
 aborto aborto
Aborto no brasil
Aborto no brasilAborto no brasil
Aborto no brasil
-
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
Ana Santos
 
PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER
PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER
PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER
Karen Lira
 
Saúde da mulher
Saúde da mulherSaúde da mulher
Saúde da mulher
Michelle Santos
 
Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
Stefanny Corrêa
 
Aborto slides
Aborto slidesAborto slides
Abortamento
AbortamentoAbortamento
Abortamento
Maycon Silva
 
Saúde da mulher morte materna e aborto
Saúde da mulher morte materna e abortoSaúde da mulher morte materna e aborto
Saúde da mulher morte materna e aborto
Alinebrauna Brauna
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Eduardo Gomes da Silva
 
Aborto
AbortoAborto
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEMSAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
Centro Universitário Ages
 
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PECartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
chirlei ferreira
 

Mais procurados (20)

Seminário aborto 8 ano
Seminário aborto 8 anoSeminário aborto 8 ano
Seminário aborto 8 ano
 
Aborto
   Aborto   Aborto
Aborto
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
 
Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Apresentacao legislacao em enfermagem 1Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Apresentacao legislacao em enfermagem 1
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Legalização do aborto observatório (1)
Legalização do aborto   observatório (1)Legalização do aborto   observatório (1)
Legalização do aborto observatório (1)
 
aborto
 aborto aborto
aborto
 
Aborto no brasil
Aborto no brasilAborto no brasil
Aborto no brasil
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER
PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER
PAISM - PROGRAMA DE ATENÇÃO INTEGRAL A SAÚDE DA MULHER
 
Saúde da mulher
Saúde da mulherSaúde da mulher
Saúde da mulher
 
Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
 
Aborto slides
Aborto slidesAborto slides
Aborto slides
 
Abortamento
AbortamentoAbortamento
Abortamento
 
Saúde da mulher morte materna e aborto
Saúde da mulher morte materna e abortoSaúde da mulher morte materna e aborto
Saúde da mulher morte materna e aborto
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEMSAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
 
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PECartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
Cartilha HUMANIZAÇÃO do PARTO: NASCE o RESPEITO - MP PE
 
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
 

Semelhante a Aborto: questões éticas e legais

Bioética
BioéticaBioética
Bioética
rbgalvao
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
michael-ll
 
Aborto - Sociologia
Aborto - SociologiaAborto - Sociologia
Aborto - Sociologia
Larissa Azevedo Milward
 
Aborto
AbortoAborto
A favor do aborto
A favor do abortoA favor do aborto
A favor do aborto
Ká Paganini
 
Seminário aborto
Seminário abortoSeminário aborto
Seminário aborto
Sônia Régis
 
Aborto
Aborto Aborto
Aborto
SonynhaRegis
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
CriseGreg
 
Aborto ronaldo
Aborto ronaldoAborto ronaldo
Aborto ronaldo
Tatyana Rodrigues
 
Aborto ronaldo
Aborto ronaldoAborto ronaldo
Aborto ronaldo
Yaneh Viana
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
renata viana
 
Aborto no biodireito
Aborto no biodireitoAborto no biodireito
Aborto no biodireito
TonyRodrigues19
 
Aula etica neo 2
Aula etica neo 2Aula etica neo 2
Aula etica neo 2
MichelleSoeiro
 
Respeitemos a vida. aborto não!
Respeitemos a vida. aborto não!Respeitemos a vida. aborto não!
Respeitemos a vida. aborto não!
Helio Cruz
 
Técnicas de Reprodução Assistida 12 ano
Técnicas de Reprodução Assistida 12 anoTécnicas de Reprodução Assistida 12 ano
Técnicas de Reprodução Assistida 12 ano
Diana Carvalho
 
Aborto legal e seguro 28 de setembro 2004
Aborto legal e seguro   28 de setembro 2004Aborto legal e seguro   28 de setembro 2004
Aborto legal e seguro 28 de setembro 2004
Luana Jacob
 
Factos sobre a questão do Aborto
Factos sobre a questão do AbortoFactos sobre a questão do Aborto
Factos sobre a questão do Aborto
lourencoalmeida
 
Trabalho sobre aborto.
Trabalho sobre aborto.Trabalho sobre aborto.
Trabalho sobre aborto.
Eloiza Delfes
 
Trabalho sobre aborto.
Trabalho sobre aborto.Trabalho sobre aborto.
Trabalho sobre aborto.
Eloiza Delfes
 
Ng7-Aborto
Ng7-AbortoNg7-Aborto
Ng7-Aborto
AT
 

Semelhante a Aborto: questões éticas e legais (20)

Bioética
BioéticaBioética
Bioética
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto - Sociologia
Aborto - SociologiaAborto - Sociologia
Aborto - Sociologia
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
A favor do aborto
A favor do abortoA favor do aborto
A favor do aborto
 
Seminário aborto
Seminário abortoSeminário aborto
Seminário aborto
 
Aborto
Aborto Aborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto ronaldo
Aborto ronaldoAborto ronaldo
Aborto ronaldo
 
Aborto ronaldo
Aborto ronaldoAborto ronaldo
Aborto ronaldo
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 
Aborto no biodireito
Aborto no biodireitoAborto no biodireito
Aborto no biodireito
 
Aula etica neo 2
Aula etica neo 2Aula etica neo 2
Aula etica neo 2
 
Respeitemos a vida. aborto não!
Respeitemos a vida. aborto não!Respeitemos a vida. aborto não!
Respeitemos a vida. aborto não!
 
Técnicas de Reprodução Assistida 12 ano
Técnicas de Reprodução Assistida 12 anoTécnicas de Reprodução Assistida 12 ano
Técnicas de Reprodução Assistida 12 ano
 
Aborto legal e seguro 28 de setembro 2004
Aborto legal e seguro   28 de setembro 2004Aborto legal e seguro   28 de setembro 2004
Aborto legal e seguro 28 de setembro 2004
 
Factos sobre a questão do Aborto
Factos sobre a questão do AbortoFactos sobre a questão do Aborto
Factos sobre a questão do Aborto
 
Trabalho sobre aborto.
Trabalho sobre aborto.Trabalho sobre aborto.
Trabalho sobre aborto.
 
Trabalho sobre aborto.
Trabalho sobre aborto.Trabalho sobre aborto.
Trabalho sobre aborto.
 
Ng7-Aborto
Ng7-AbortoNg7-Aborto
Ng7-Aborto
 

Aborto: questões éticas e legais

  • 2. Ética e moral não se confundem. A ética engloba a moral, e a moral é apenas um aspecto da ética. Ética vem do grego Ethos, o modo de ser no mundo, a individualidade do ser humano. A moral, do latim mores, usos e costumes, modos de agir conforme o tempo e a cultura, a moral estabelecida em função do contexto histórico e da sociedade.
  • 3. Para que uma atitude seja considerada ética é necessário que seja aceita como valor assumido de uma sociedade e ao mesmo tempo respeite a individualidade do sujeito, objeto de uma ação.
  • 4. Seria ético o direito da mulher de decidir sobre seu próprio corpo?
  • 5. O que seria “moral” em termos de aborto para a nossa sociedade?
  • 6. Um aborto pode ser legal e até moral, mas nunca será ético.
  • 7. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o aborto é classificado como a morte embrionária ou fetal, seja ele induzido ou espontâneo, antes de completar 20 semanas ou com peso fetal inferior a 500 kg.
  • 8. Classificação jurídica do aborto legal • Caracteriza-se como aborto eugênico aquele praticado em função de malformação ou comprometimento fetal incompatível com a vida. • Aborto sentimental ou moral é aquele que ocorre quando a gravidez é resultado de um estupro. • Aborto terapêutico é quando a mulher corre risco de vida.
  • 9. No Brasil, segundo o artigo 124 do Código Penal Brasileiro, é crime a prática de aborto em si mesma, ou consentir que outrem lhe provoque, levando a pena de detenção de um a três anos.
  • 10. Não constitui crime a prática do aborto quando: - Não há outro meio de salvar a vida ou preservar a saúde da gestante. - Se a gravidez resulta de violação da liberdade sexual, ou do emprego, não consentido de técnica de reprodução assistida. - Fundada probabilidade, atestada por dois outros médicos, de o nascituro apresentar graves e irreversíveis anomalias físicas ou mentais.
  • 11. Aborto provocado é aquele que leva a expulsão do concepto de maneira intencional, seja por ingestão de medicamentos ou até mesmo pela introdução de objetos que facilitem a dilatação e esvaziamento da cavidade uterina.
  • 12. Números do Aborto no Brasil - Uma em cada sete brasileiras entre 18 e 39 anos já abortou. - Cerca de 80% delas têm religião, 64% são casadas e 81% são mães. - O aborto ocorre em todas as classes sociais - aproximadamente 35% dos casos - a mulher recebe entre dois e cinco salários mínimos. - Faixa etária em que há mais abortos: de 20 a 24 anos.
  • 13. Dado alarmante: 55% das mulheres são internadas logo após o aborto. Significa que essas mulheres não apenas precisaram ir a um hospital, mas que tiveram complicações de saúde
  • 14. O código de ética dos profissionais de enfermagem garante ao profissional, o direito de recusar sua participação no aborto legal. (Art. 45 parágrafo único)
  • 15. Situações nas quais o aborto é permitido no Brasil. • Gestações resultantes de estupro. • Risco de morte para a mulher. • Fetos anencéfalos.
  • 16. A antecipação do parto em casos de anencefalia passou a ser voluntária e pode ser executada pelo SUS, sem a necessidade de autorização judicial. (Decisão do STF de12 de Abril de 2012)
  • 17. No Congresso, deve ser votado o Estatuto do Nascituro (PL 478/2007), lei que garante proteção jurídica aos embriões, o que eliminaria a possibilidade de aborto legal em qualquer caso, inclusive no de estupro.
  • 18. Objetivos Abordar as principais implicações éticas e legais envolvidas na problemática do aborto no contexto da saúde. Dados referentes ao aborto em outras nações também serão apresentados.
  • 19. Material e Métodos Trata-se de um trabalho baseado em revisão bibliográfica sobre questões éticas e legais envolvendo o aborto legal e provocado, proposto como atividade complementar a ser apresentada a alunos do curso de graduação em enfermagem*. Foram utilizados periódicos, publicações científicas e notícias recentes relacionadas ao tema. Dados e questões pontuais sobre as reações da equipe de enfermagem frente a participação em casos de aborto legal também foram utilizados.
  • 20. Resultados Através das evidências apresentadas neste trabalho foi possível chegar aos seguintes resultados: ● A criminalização do aborto não impede sua prática, apenas o torna elemento de forte segregação social, uma vez que os casos de mortes em decorrência de abortos praticados de forma insegura atingem, sobretudo, mulheres de baixa renda. ● Apesar de o aborto ser legal em casos de estupro, risco de morte para a mãe e anencefalia, ainda há poucos centros especializados para atendimento de mulheres que buscam o aborto amparado pela lei disponíveis no SUS.
  • 21. ● A mulher que busca atendimento após um abortamento incompleto é, muitas vezes, vítima de maus-tratos e negligência por parte da equipe de saúde . ● O conflito é um elemento presente nos profissionais de enfermagem que se deparam entre atuar nos programas de atenção às mulheres, o compromisso com a assistência, a pressão externa e o peso das influências religiosa e moral.
  • 22. O aborto no mundo
  • 23. Conclusão A maioria das mulheres necessita de hospitalização para o tratamento das complicações resultantes de aborto provocado de forma insegura. As equipes de saúde, sobretudo as que atuam nos setores públicos, não estão capacitadas para gerenciar situações que envolvem tanto complicações decorrentes de abortamento quanto as relacionadas com o aborto legal. A grande maioria dos abortos inseguros acontecem em países onde as leis sobre interrupção da gravidez são muito restritivas. São países em desenvolvimento ou subdesenvolvidos onde políticas de planejamento familar são precárias e pautadas na simples distribuição de contraceptivos.
  • 24. A questão do aborto ainda é um tabu em nossa sociedade que necessita de uma reflexão mais profunda e livre de moralismos.