SlideShare uma empresa Scribd logo
ABORTO
A palavra aborto tem sua
origem etimológica no
latim abortus, derivado
de aboriri ("perecer"),
composto de ab
("distanciamento", "a
partir de") e oriri
("nascer").
Um aborto ou interrupção da gravidez
é a remoção ou expulsão prematura de
um embrião ou feto do útero,
resultando na sua morte.
TIPOS DE
ABORTO
Aborto espontâneo


O aborto espontâneo ocorre involuntariamente, por
acidente ou
anormalidades no organismo da mulher, ocorrem
normalmente nos 1° dias ou semanas de
gravidez com um sangramento quase igual ao fluxo
menstrual podendo muitas vezes confundir a
mulher do que realmente esta acontecendo.
Aborto Provocado


O aborto provocado pode ser descrito como
a morte
prematura medicamente induzida de um
embrião ou um
feto no útero materno.
METODOS DE ABORTO PROVOCADO
Abortos por Dilatação
 e Curetagem
Os abortos prematuros (os
do primeiro trimestre) são
feitos geralmente por
dilatação e curetagem
(D&C).
Uma faca cirúrgica, em forma
de foice, dilacera o corpinho
do bebê, que é retirado em
pedaços. O médico
simplesmente divide o bebê
em partes dentro da mãe.
Abortos por Sucção
ou Aspiração
No aborto por sucção, um
poderoso aspirador é usado
para sugar, desmembrado,
 o bebê em
desenvolvimento, junto com
sua placenta.
O abortista ou seu
assistente junta ou checa as
partes do corpo do bebê
para se certificar de que o
aborto foi completo.
Aborto por Solução
Salina

Utilizado por aborteiros para matar
bebês nascituros no segundo e no
terceiro trimestre.
No aborto salino, uma solução
concentrada de sal é injetada no
útero da mãe.
O bebê aspira e engole esse veneno.
O sal não só causa extrema dor como
queima a pele do bebê. O bebê sofre
mais de uma hora e morre
cauterizado lentamente.
Aborto por Dilatação            Aborto por injeção de
e Evacuação                     Prostaglandina
                            Utilizado no mesmo período de
Utilizado também para       gravidez do método anterior.
matar bebês nascituros no
segundo e no terceiro       A Prostaglandina é um hormônio
trimestre.                  que atua relaxando o
No aborto por dilatação e   colo do útero, promovendo o
evacuação ( D&E ), o        descolamento do conteúdo uterino.
abortista utiliza um
grande
fórceps para esmagar o
bebê dentro do útero da
mãe e removê-lo aos
pedaços
Aborto por Histerotomia
( Cesariana )

Utilizado por
aborteiros para
matar bebês com
6 e 7 meses.
O bebê é
retirado vivo.
 Recebe uma
injeção para
morrer.
Aborto Fitoterápico
                                     Algumas Plantas Abortivas
                               •Aloe vera; Babosa; não usar na
São aqueles provocados         Gestação; provoca Hemorragia e aborto…
                               •Erva de Stª Maria; provoca Contracções
pelo uso de ervas abortivas.   e aborto, Vómitos e torpor…
É um método que pode           • Cinnamomum cassia; Canela; provoca
                               PIG…
provocar,                      •Mentha piperita; Hortelã; provoca
na mãe, intensas e             Teratogenia
                               •Mikania glomerata; Guaco; provoca
descontroladas hemorragias     Hemorragia…
levando-a à morte.             • Myristica fragans; Noz moscada; não
                               usar na Gestação; provoca Aborto…
                               •Punica granatum; Romã; provoca
                               Contracções e aborto…
Aborto por Dilatação e
 Extração ( D&X)
É o mais perverso dos métodos.
É feito com cerca de vinte semanas
de gravidez e, não é tão simples,
devido à rigidez dos tecidos fetais
nesse estágio de desenvolvimento. O
abortista usa um fórceps para girar
uma das pernas do bebê e puxar
através do canal de nascimento.
Depois, perfura a parte posterior da
cabeça com uma
 tesoura bem afiada e abre as
lâminas, rasgando o tecido e fazendo
um grande buraco na parte mole do
pescoço do bebê. Finalmente, aspira
o cérebro do bebê e completa o
“parto” em poucos segundos.
Conseqüências psíquicas
              e
     físicas do aborto
Para as MÃES
As mulheres que abortaram tinham um agrupamento
de sintomas psicológicos que ocorrem com muito mais
frequência do que entre as mulheres que não abortam.
Esses sintomas incluem perturbações
mentais ou flashback (63%), tentativas de suicídio
(28%), crises histéricas (51%), perda de autoconfiança e
de auto-estima (82%), irregularidades nos hábitos de
comer, tais como anorexia ou
 bulimia (39%), uso ilegal de drogas (41%) e perda do
prazer durante a relação sexual (59%). Muitas sentem a
sensação de um vazio interior, mesclado de sentimento
de culpa consciente e inconsciente.
Muitas mães perdem a vida durante a operação ou
depois, devido a intensas hemorragias e infecções (nem
sempre as clínicas e os equipamentos são esterilizados e
limpos). Algumas ficam estéreis, outras são vítimas de
câncer. Existem aquelas que perdem o útero, não
podendo engravidar mais.
Para a criança

  1 - Sobre a criança abortada:




-dores intensas (o feto é
sensível à dor);

-morte violenta;

- aborto de crianças vivas que
se deixam morrer.
2 - Sobre as crianças que nascem depois
Perigos e complicações:
- abortos de repetição no primeiro e no segundo trimestre de gravidez;
- partos prematuros;
- nascimento prematuro, através de cesariana, para salvar a vida da
mãe e da criança. Trinta e três por cento de abortos são abortos em
que as crianças nascem em posição invertida (de nádegas).
- parto difícil, contrações prolongadas;
- Gravidez ectópica (fora do lugar) nas trompas, podendo ser fatal para
a mãe - para o feto o é sempre - (a gravidez ectópica, nas trompas, é
oito vezes mais freqüente depois de aborto provocado);
- malformações congênitas provocadas por uma placenta imperfeita;
- morte Pré natal por prematuridade extra-uterina (50% morrem no
primeiro mês de gravidez);
- os prematuros que sobrevivem com freqüência são excepcionais
(paralisia cerebral, disfunções neurológicas etc.).
PAISES ONDE O ABORTO É PROIBIDO
 aborto
ESTATISTICA BÁSICA
• O Brasil é um dos países campeões
em abortos ( 1 milhão por ano ).

• Calcula-se que 50 milhões de abortos,
entre legais e clandestinos, sejam
praticados em todo o mundo anualmente.

• 10.000 mulheres morrem a cada ano no
Brasil devido ao aborto ilegal.

• 300.000 mulheres são internadas com
complicações decorrentes de abortos
clandestinos a cada ano no Brasil.
 aborto
Aborto, uma pequena
palavra, mas que gera
polemica a nível mundial, um
ato que consiste na escolha
da opção de não ter um filho
que está prestes a se
estabelecer. O filho, entre os
casais, é considerado a
prova maior do amor que
entre eles se estabelece.
Então, porque um casal que
esta prestes a ter um filho
chega a decisão de não
querer ter ‘’ a sua prova
maior de amor’’?
Qual seria o
propósito da vida se
as pessoas
escolhessem quem
deveria viver ou
morrer. Imagine-se
você, no caso seus
pais quando
souberam da sua pré-   Você estaria
vinda para o mundo,    aqui hoje para
se eles optassem por   estar ouvindo
simplesmente não       esse debate?
‘’ter’’ você!          (...)
QUAL SUA
OPINIÃO?
VOCÊ DESTRUIRIA
                      ESSE SORRISO?




EXISTE “ GENTE ”...
  QUE DESTRÓI.
 aborto
 aborto
 aborto
 aborto
 aborto
 aborto
 aborto

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aborto slides
Aborto slidesAborto slides
Aborto
   Aborto   Aborto
Aborto
AbortoAborto
Aborto
Ana Santos
 
Trabalho sobre ABORTO
Trabalho sobre ABORTOTrabalho sobre ABORTO
Trabalho sobre ABORTO
aliandra1
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
Nokas Silva
 
Aborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legaisAborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legais
Maria Stella
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
Aulas Biologia
 
Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Apresentacao legislacao em enfermagem 1Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Rosimeire Areias
 
Aborto - História, religião, politica e ética.
Aborto - História, religião, politica e ética.Aborto - História, religião, politica e ética.
Aborto - História, religião, politica e ética.
Ana Santos
 
Seminário aborto 8 ano
Seminário aborto 8 anoSeminário aborto 8 ano
Seminário aborto 8 ano
NTE RJ14/SEEDUC RJ
 
Seminário aborto
Seminário  abortoSeminário  aborto
Seminário aborto
Laíz Coutinho
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
AbortoAborto
Aborto
AbortoAborto
Legalização do aborto observatório (1)
Legalização do aborto   observatório (1)Legalização do aborto   observatório (1)
Legalização do aborto observatório (1)
jadertheophilo
 
Metodos contraceptivos spe
Metodos contraceptivos speMetodos contraceptivos spe
Metodos contraceptivos spe
Alinebrauna Brauna
 
Gravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionárioGravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionário
Isabel Lopes
 
Gravidez na adolescencia
Gravidez na adolescenciaGravidez na adolescencia
Gravidez na adolescencia
Alinebrauna Brauna
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
Edvaldo S. Júnior
 
Menstruação
MenstruaçãoMenstruação
Menstruação
Paloma Meneses
 

Mais procurados (20)

Aborto slides
Aborto slidesAborto slides
Aborto slides
 
Aborto
   Aborto   Aborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Trabalho sobre ABORTO
Trabalho sobre ABORTOTrabalho sobre ABORTO
Trabalho sobre ABORTO
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legaisAborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legais
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Apresentacao legislacao em enfermagem 1Apresentacao legislacao em enfermagem 1
Apresentacao legislacao em enfermagem 1
 
Aborto - História, religião, politica e ética.
Aborto - História, religião, politica e ética.Aborto - História, religião, politica e ética.
Aborto - História, religião, politica e ética.
 
Seminário aborto 8 ano
Seminário aborto 8 anoSeminário aborto 8 ano
Seminário aborto 8 ano
 
Seminário aborto
Seminário  abortoSeminário  aborto
Seminário aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Legalização do aborto observatório (1)
Legalização do aborto   observatório (1)Legalização do aborto   observatório (1)
Legalização do aborto observatório (1)
 
Metodos contraceptivos spe
Metodos contraceptivos speMetodos contraceptivos spe
Metodos contraceptivos spe
 
Gravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionárioGravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionário
 
Gravidez na adolescencia
Gravidez na adolescenciaGravidez na adolescencia
Gravidez na adolescencia
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
Menstruação
MenstruaçãoMenstruação
Menstruação
 

Destaque

Brasil autoriza o aborto de fetos anencéfalos!
Brasil autoriza o aborto de fetos anencéfalos!Brasil autoriza o aborto de fetos anencéfalos!
Brasil autoriza o aborto de fetos anencéfalos!
Sônia Marques
 
Espiritismo e aborto-1,5h
Espiritismo e aborto-1,5hEspiritismo e aborto-1,5h
Espiritismo e aborto-1,5h
home
 
Acordão Anencefalia STF
Acordão Anencefalia STFAcordão Anencefalia STF
Acordão Anencefalia STF
Rodrigo Leffa
 
Trocando ideias - Aborto
Trocando ideias - AbortoTrocando ideias - Aborto
Trocando ideias - Aborto
dijfergs
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
meebpeixotinho
 
Aula M1(16 a 17 anos) (26/04/12) - O valor da vida
Aula M1(16 a 17 anos) (26/04/12) - O valor da vida Aula M1(16 a 17 anos) (26/04/12) - O valor da vida
Aula M1(16 a 17 anos) (26/04/12) - O valor da vida
Mocidade Espírita União Fraternal
 
Lei de Reprodução
Lei de ReproduçãoLei de Reprodução
Lei de Reprodução
AlvoradaDaPaz
 
Ensaio
EnsaioEnsaio
Viver, e não ter a vergonha de ser feliz
Viver, e não ter a vergonha de ser felizViver, e não ter a vergonha de ser feliz
Viver, e não ter a vergonha de ser feliz
Renato Cardoso
 
Segundo Módulo - Aula 04 - Lei da reprodução
Segundo Módulo - Aula 04 - Lei da reproduçãoSegundo Módulo - Aula 04 - Lei da reprodução
Segundo Módulo - Aula 04 - Lei da reprodução
CeiClarencio
 
O império holandês e inglês
O império holandês e inglêsO império holandês e inglês
O império holandês e inglês
DiogoChico8c
 
Liberdade é viver sem drogas.
Liberdade é viver sem drogas.Liberdade é viver sem drogas.
Liberdade é viver sem drogas.
Jocilaine Moreira
 
Aula- Lei divina ou lei natural
Aula- Lei divina ou lei naturalAula- Lei divina ou lei natural
Aula- Lei divina ou lei natural
Harleyde Santos
 
o Aborto
o Abortoo Aborto
o Aborto
hugo87
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
Ana Paula Ribeiro de Oliveira
 
TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DA DEPRESSÃO
TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DA DEPRESSÃOTERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DA DEPRESSÃO
TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DA DEPRESSÃO
Serafim Carvalho, MD, PhD
 
Gravidez Na Adolescencia
Gravidez Na AdolescenciaGravidez Na Adolescencia
Gravidez Na Adolescencia
teresaebia
 
Gravidez Na AdolescêNcia
Gravidez Na AdolescêNciaGravidez Na AdolescêNcia
Gravidez Na AdolescêNcia
Marlui Oliveira
 
Slides gravidez adolescencia
Slides gravidez adolescenciaSlides gravidez adolescencia
Slides gravidez adolescencia
Antonio Junior Sousa Uchoa
 
Gravidez na Adolescência
Gravidez na AdolescênciaGravidez na Adolescência
Gravidez na Adolescência
Michele Pó
 

Destaque (20)

Brasil autoriza o aborto de fetos anencéfalos!
Brasil autoriza o aborto de fetos anencéfalos!Brasil autoriza o aborto de fetos anencéfalos!
Brasil autoriza o aborto de fetos anencéfalos!
 
Espiritismo e aborto-1,5h
Espiritismo e aborto-1,5hEspiritismo e aborto-1,5h
Espiritismo e aborto-1,5h
 
Acordão Anencefalia STF
Acordão Anencefalia STFAcordão Anencefalia STF
Acordão Anencefalia STF
 
Trocando ideias - Aborto
Trocando ideias - AbortoTrocando ideias - Aborto
Trocando ideias - Aborto
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Aula M1(16 a 17 anos) (26/04/12) - O valor da vida
Aula M1(16 a 17 anos) (26/04/12) - O valor da vida Aula M1(16 a 17 anos) (26/04/12) - O valor da vida
Aula M1(16 a 17 anos) (26/04/12) - O valor da vida
 
Lei de Reprodução
Lei de ReproduçãoLei de Reprodução
Lei de Reprodução
 
Ensaio
EnsaioEnsaio
Ensaio
 
Viver, e não ter a vergonha de ser feliz
Viver, e não ter a vergonha de ser felizViver, e não ter a vergonha de ser feliz
Viver, e não ter a vergonha de ser feliz
 
Segundo Módulo - Aula 04 - Lei da reprodução
Segundo Módulo - Aula 04 - Lei da reproduçãoSegundo Módulo - Aula 04 - Lei da reprodução
Segundo Módulo - Aula 04 - Lei da reprodução
 
O império holandês e inglês
O império holandês e inglêsO império holandês e inglês
O império holandês e inglês
 
Liberdade é viver sem drogas.
Liberdade é viver sem drogas.Liberdade é viver sem drogas.
Liberdade é viver sem drogas.
 
Aula- Lei divina ou lei natural
Aula- Lei divina ou lei naturalAula- Lei divina ou lei natural
Aula- Lei divina ou lei natural
 
o Aborto
o Abortoo Aborto
o Aborto
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
 
TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DA DEPRESSÃO
TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DA DEPRESSÃOTERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DA DEPRESSÃO
TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL DA DEPRESSÃO
 
Gravidez Na Adolescencia
Gravidez Na AdolescenciaGravidez Na Adolescencia
Gravidez Na Adolescencia
 
Gravidez Na AdolescêNcia
Gravidez Na AdolescêNciaGravidez Na AdolescêNcia
Gravidez Na AdolescêNcia
 
Slides gravidez adolescencia
Slides gravidez adolescenciaSlides gravidez adolescencia
Slides gravidez adolescencia
 
Gravidez na Adolescência
Gravidez na AdolescênciaGravidez na Adolescência
Gravidez na Adolescência
 

Semelhante a aborto

Aborto cat
Aborto  catAborto  cat
Aborto cat
Claudio Gomes
 
Diga sim a vida e nao ao aborto 2
Diga sim a vida e nao ao aborto 2Diga sim a vida e nao ao aborto 2
Diga sim a vida e nao ao aborto 2
guest843f1b
 
Ng7-Aborto
Ng7-AbortoNg7-Aborto
Ng7-Aborto
AT
 
Douglas e leo
Douglas e leoDouglas e leo
Douglas e leo
lurocha63
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
cesar352
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
Neil Azevedo
 
Gravidez na adolescência e Aborto.
Gravidez na adolescência e Aborto. Gravidez na adolescência e Aborto.
Gravidez na adolescência e Aborto.
Rayene Matias Diniz
 
Aborto
AbortoAborto
Estudo aborto
Estudo abortoEstudo aborto
Estudo aborto
Estudo abortoEstudo aborto
Estudo aborto.
Estudo aborto.Estudo aborto.
Aborto
AbortoAborto
Aborto
URCA
 
PPTX - 1 (Usado no COlégio Ideal 6/3/2013)
PPTX - 1 (Usado no COlégio Ideal 6/3/2013)PPTX - 1 (Usado no COlégio Ideal 6/3/2013)
PPTX - 1 (Usado no COlégio Ideal 6/3/2013)
brasilsemabortoslideshare
 
Aborto yane
Aborto yaneAborto yane
Aborto yane
Tatyana Rodrigues
 
Aborto yane
Aborto yaneAborto yane
Aborto yane
Yaneh Viana
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
Yaneh Viana
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
SourcerRagna
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
Marcos Silva
 
Gravidez e parto
Gravidez e partoGravidez e parto
Gravidez e parto
Alessandra Vieira da Silva
 
Reprodução humana e métodos anticoncepcionais 7ª série
Reprodução humana e métodos anticoncepcionais 7ª sérieReprodução humana e métodos anticoncepcionais 7ª série
Reprodução humana e métodos anticoncepcionais 7ª série
Gov. Estado do Paraná
 

Semelhante a aborto (20)

Aborto cat
Aborto  catAborto  cat
Aborto cat
 
Diga sim a vida e nao ao aborto 2
Diga sim a vida e nao ao aborto 2Diga sim a vida e nao ao aborto 2
Diga sim a vida e nao ao aborto 2
 
Ng7-Aborto
Ng7-AbortoNg7-Aborto
Ng7-Aborto
 
Douglas e leo
Douglas e leoDouglas e leo
Douglas e leo
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Gravidez na adolescência e Aborto.
Gravidez na adolescência e Aborto. Gravidez na adolescência e Aborto.
Gravidez na adolescência e Aborto.
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Estudo aborto
Estudo abortoEstudo aborto
Estudo aborto
 
Estudo aborto
Estudo abortoEstudo aborto
Estudo aborto
 
Estudo aborto.
Estudo aborto.Estudo aborto.
Estudo aborto.
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
PPTX - 1 (Usado no COlégio Ideal 6/3/2013)
PPTX - 1 (Usado no COlégio Ideal 6/3/2013)PPTX - 1 (Usado no COlégio Ideal 6/3/2013)
PPTX - 1 (Usado no COlégio Ideal 6/3/2013)
 
Aborto yane
Aborto yaneAborto yane
Aborto yane
 
Aborto yane
Aborto yaneAborto yane
Aborto yane
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Aborto
AbortoAborto
Aborto
 
Gravidez e parto
Gravidez e partoGravidez e parto
Gravidez e parto
 
Reprodução humana e métodos anticoncepcionais 7ª série
Reprodução humana e métodos anticoncepcionais 7ª sérieReprodução humana e métodos anticoncepcionais 7ª série
Reprodução humana e métodos anticoncepcionais 7ª série
 

Mais de Sheila Cassenotte

Anfíbios - ensino fundamental
Anfíbios - ensino fundamentalAnfíbios - ensino fundamental
Anfíbios - ensino fundamental
Sheila Cassenotte
 
Peixes - Ensino Fundamental
Peixes - Ensino FundamentalPeixes - Ensino Fundamental
Peixes - Ensino Fundamental
Sheila Cassenotte
 
Ordem commelinales
Ordem commelinalesOrdem commelinales
Ordem commelinales
Sheila Cassenotte
 
Família Aristolochiaceae
Família AristolochiaceaeFamília Aristolochiaceae
Família Aristolochiaceae
Sheila Cassenotte
 
SENTIDO E FORMAS DE PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS DE GESTÃO
SENTIDO E FORMAS DE  PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS  DE GESTÃOSENTIDO E FORMAS DE  PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS  DE GESTÃO
SENTIDO E FORMAS DE PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS DE GESTÃO
Sheila Cassenotte
 
Formação Irati
Formação IratiFormação Irati
Formação Irati
Sheila Cassenotte
 
Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
Sheila Cassenotte
 
Higiene Pessoal, do Ambiente e da Produção
Higiene Pessoal, do Ambiente e da ProduçãoHigiene Pessoal, do Ambiente e da Produção
Higiene Pessoal, do Ambiente e da Produção
Sheila Cassenotte
 
Taxonomia e sistemática
Taxonomia e sistemáticaTaxonomia e sistemática
Taxonomia e sistemática
Sheila Cassenotte
 
Freinet
Freinet Freinet
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
Sheila Cassenotte
 
Slides
SlidesSlides
Urano (2) ss
Urano (2) ssUrano (2) ss
Urano (2) ss
Sheila Cassenotte
 
Intolerância á lactose
Intolerância á lactoseIntolerância á lactose
Intolerância á lactose
Sheila Cassenotte
 
Terapia gênica
Terapia gênicaTerapia gênica
Terapia gênica
Sheila Cassenotte
 

Mais de Sheila Cassenotte (15)

Anfíbios - ensino fundamental
Anfíbios - ensino fundamentalAnfíbios - ensino fundamental
Anfíbios - ensino fundamental
 
Peixes - Ensino Fundamental
Peixes - Ensino FundamentalPeixes - Ensino Fundamental
Peixes - Ensino Fundamental
 
Ordem commelinales
Ordem commelinalesOrdem commelinales
Ordem commelinales
 
Família Aristolochiaceae
Família AristolochiaceaeFamília Aristolochiaceae
Família Aristolochiaceae
 
SENTIDO E FORMAS DE PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS DE GESTÃO
SENTIDO E FORMAS DE  PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS  DE GESTÃOSENTIDO E FORMAS DE  PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS  DE GESTÃO
SENTIDO E FORMAS DE PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS DE GESTÃO
 
Formação Irati
Formação IratiFormação Irati
Formação Irati
 
Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
 
Higiene Pessoal, do Ambiente e da Produção
Higiene Pessoal, do Ambiente e da ProduçãoHigiene Pessoal, do Ambiente e da Produção
Higiene Pessoal, do Ambiente e da Produção
 
Taxonomia e sistemática
Taxonomia e sistemáticaTaxonomia e sistemática
Taxonomia e sistemática
 
Freinet
Freinet Freinet
Freinet
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Urano (2) ss
Urano (2) ssUrano (2) ss
Urano (2) ss
 
Intolerância á lactose
Intolerância á lactoseIntolerância á lactose
Intolerância á lactose
 
Terapia gênica
Terapia gênicaTerapia gênica
Terapia gênica
 

aborto

  • 2. A palavra aborto tem sua origem etimológica no latim abortus, derivado de aboriri ("perecer"), composto de ab ("distanciamento", "a partir de") e oriri ("nascer"). Um aborto ou interrupção da gravidez é a remoção ou expulsão prematura de um embrião ou feto do útero, resultando na sua morte.
  • 4. Aborto espontâneo O aborto espontâneo ocorre involuntariamente, por acidente ou anormalidades no organismo da mulher, ocorrem normalmente nos 1° dias ou semanas de gravidez com um sangramento quase igual ao fluxo menstrual podendo muitas vezes confundir a mulher do que realmente esta acontecendo.
  • 5. Aborto Provocado O aborto provocado pode ser descrito como a morte prematura medicamente induzida de um embrião ou um feto no útero materno.
  • 6. METODOS DE ABORTO PROVOCADO
  • 7. Abortos por Dilatação e Curetagem Os abortos prematuros (os do primeiro trimestre) são feitos geralmente por dilatação e curetagem (D&C). Uma faca cirúrgica, em forma de foice, dilacera o corpinho do bebê, que é retirado em pedaços. O médico simplesmente divide o bebê em partes dentro da mãe.
  • 8. Abortos por Sucção ou Aspiração No aborto por sucção, um poderoso aspirador é usado para sugar, desmembrado, o bebê em desenvolvimento, junto com sua placenta. O abortista ou seu assistente junta ou checa as partes do corpo do bebê para se certificar de que o aborto foi completo.
  • 9. Aborto por Solução Salina Utilizado por aborteiros para matar bebês nascituros no segundo e no terceiro trimestre. No aborto salino, uma solução concentrada de sal é injetada no útero da mãe. O bebê aspira e engole esse veneno. O sal não só causa extrema dor como queima a pele do bebê. O bebê sofre mais de uma hora e morre cauterizado lentamente.
  • 10. Aborto por Dilatação Aborto por injeção de e Evacuação Prostaglandina Utilizado no mesmo período de Utilizado também para gravidez do método anterior. matar bebês nascituros no segundo e no terceiro A Prostaglandina é um hormônio trimestre. que atua relaxando o No aborto por dilatação e colo do útero, promovendo o evacuação ( D&E ), o descolamento do conteúdo uterino. abortista utiliza um grande fórceps para esmagar o bebê dentro do útero da mãe e removê-lo aos pedaços
  • 11. Aborto por Histerotomia ( Cesariana ) Utilizado por aborteiros para matar bebês com 6 e 7 meses. O bebê é retirado vivo. Recebe uma injeção para morrer.
  • 12. Aborto Fitoterápico Algumas Plantas Abortivas •Aloe vera; Babosa; não usar na São aqueles provocados Gestação; provoca Hemorragia e aborto… •Erva de Stª Maria; provoca Contracções pelo uso de ervas abortivas. e aborto, Vómitos e torpor… É um método que pode • Cinnamomum cassia; Canela; provoca PIG… provocar, •Mentha piperita; Hortelã; provoca na mãe, intensas e Teratogenia •Mikania glomerata; Guaco; provoca descontroladas hemorragias Hemorragia… levando-a à morte. • Myristica fragans; Noz moscada; não usar na Gestação; provoca Aborto… •Punica granatum; Romã; provoca Contracções e aborto…
  • 13. Aborto por Dilatação e Extração ( D&X) É o mais perverso dos métodos. É feito com cerca de vinte semanas de gravidez e, não é tão simples, devido à rigidez dos tecidos fetais nesse estágio de desenvolvimento. O abortista usa um fórceps para girar uma das pernas do bebê e puxar através do canal de nascimento. Depois, perfura a parte posterior da cabeça com uma tesoura bem afiada e abre as lâminas, rasgando o tecido e fazendo um grande buraco na parte mole do pescoço do bebê. Finalmente, aspira o cérebro do bebê e completa o “parto” em poucos segundos.
  • 14. Conseqüências psíquicas e físicas do aborto
  • 15. Para as MÃES As mulheres que abortaram tinham um agrupamento de sintomas psicológicos que ocorrem com muito mais frequência do que entre as mulheres que não abortam. Esses sintomas incluem perturbações mentais ou flashback (63%), tentativas de suicídio (28%), crises histéricas (51%), perda de autoconfiança e de auto-estima (82%), irregularidades nos hábitos de comer, tais como anorexia ou bulimia (39%), uso ilegal de drogas (41%) e perda do prazer durante a relação sexual (59%). Muitas sentem a sensação de um vazio interior, mesclado de sentimento de culpa consciente e inconsciente.
  • 16. Muitas mães perdem a vida durante a operação ou depois, devido a intensas hemorragias e infecções (nem sempre as clínicas e os equipamentos são esterilizados e limpos). Algumas ficam estéreis, outras são vítimas de câncer. Existem aquelas que perdem o útero, não podendo engravidar mais.
  • 17. Para a criança 1 - Sobre a criança abortada: -dores intensas (o feto é sensível à dor); -morte violenta; - aborto de crianças vivas que se deixam morrer.
  • 18. 2 - Sobre as crianças que nascem depois Perigos e complicações: - abortos de repetição no primeiro e no segundo trimestre de gravidez; - partos prematuros; - nascimento prematuro, através de cesariana, para salvar a vida da mãe e da criança. Trinta e três por cento de abortos são abortos em que as crianças nascem em posição invertida (de nádegas). - parto difícil, contrações prolongadas; - Gravidez ectópica (fora do lugar) nas trompas, podendo ser fatal para a mãe - para o feto o é sempre - (a gravidez ectópica, nas trompas, é oito vezes mais freqüente depois de aborto provocado); - malformações congênitas provocadas por uma placenta imperfeita; - morte Pré natal por prematuridade extra-uterina (50% morrem no primeiro mês de gravidez); - os prematuros que sobrevivem com freqüência são excepcionais (paralisia cerebral, disfunções neurológicas etc.).
  • 19. PAISES ONDE O ABORTO É PROIBIDO
  • 21. ESTATISTICA BÁSICA • O Brasil é um dos países campeões em abortos ( 1 milhão por ano ). • Calcula-se que 50 milhões de abortos, entre legais e clandestinos, sejam praticados em todo o mundo anualmente. • 10.000 mulheres morrem a cada ano no Brasil devido ao aborto ilegal. • 300.000 mulheres são internadas com complicações decorrentes de abortos clandestinos a cada ano no Brasil.
  • 23. Aborto, uma pequena palavra, mas que gera polemica a nível mundial, um ato que consiste na escolha da opção de não ter um filho que está prestes a se estabelecer. O filho, entre os casais, é considerado a prova maior do amor que entre eles se estabelece. Então, porque um casal que esta prestes a ter um filho chega a decisão de não querer ter ‘’ a sua prova maior de amor’’?
  • 24. Qual seria o propósito da vida se as pessoas escolhessem quem deveria viver ou morrer. Imagine-se você, no caso seus pais quando souberam da sua pré- Você estaria vinda para o mundo, aqui hoje para se eles optassem por estar ouvindo simplesmente não esse debate? ‘’ter’’ você! (...)
  • 26. VOCÊ DESTRUIRIA ESSE SORRISO? EXISTE “ GENTE ”... QUE DESTRÓI.