SlideShare uma empresa Scribd logo
8 AS LEIS MORAIS (I) 
8.1 DA LEI DIVINA OU NATURAL – O bem e o mal 
8.2 DA LEI DE ADORAÇÃO 
8.2.1 Politeísmo 
8.2.2 Sacrifícios 
8.3 DA LEI DO TRABALHO 
8.3.1 Limite do trabalho – Repouso 
8.4 DA LEI DE REPRODUÇÃO 
8.4.1 Obstáculos à reprodução 
8.4.2 Casamento e celibato 
8.4.3 Poligamia
8 AS LEIS MORAIS (I) 
8.5 DA LEI DE CONSERVAÇÃO 
8.5.1 Gozo dos bens terrenos 
8.5.2 Necessário e supérfluo 
8.5.3 Privações voluntárias – Mortificações 
8.6 DA LEI DE DESTRUIÇÃO 
8.6.1 Destruição necessária e destruição abusiva 
8.6.1.1 Flagelos destruidores 
8.6.1.2 Guerras 
8.6.1.3 Assassínio 
8.6.1.4 Crueldade 
8.6.1.5 Pena de morte
AS LEIS MORAIS (I) 
DDiivviinnaa oouu nnaattuurraall 
AAddoorraaççããoo 
TTrraabbaallhhoo 
RReepprroodduuççããoo 
CCoonnsseerrvvaaççããoo 
DDeessttrruuiiççããoo
DA LEI DIVINA OU 
NATURAL 
O bem e o mal
3 tipos de leis 
FÍSICAS 
Conjunto de regras necessárias e obrigatórias que 
presidem à relação de dois ou mais fenómenos;
HHUUMMAANNAASS 
CCoonnjjuunnttoo ddee nnoorrmmaass 
eemmaannaaddaass ddee uumm ppooddeerr 
ssoobbeerraannoo iimmppoossttaass aaooss 
cciiddaaddããooss;; 
3 tipos de leis
MMOORRAAIISS 
33 ttiippooss ddee lleeiiss 
CCoonnjjuunnttoo ddee bboonnss ccoossttuummeess ((iiddeeiiaa)).. 
TTeemm qquuee vveerr ccoomm oo pprroocceeddiimmeennttoo ((aaççããoo))..
Abrangência 
FFEENNÓÓMMEENNOOSS NNAATTUURRAAIISS:: 
((RReellaattiivvooss àà CCiiêênncciiaa)) 
FFííssiiccaa;; 
QQuuíímmiiccaa;; 
BBiioollooggiiaa;; 
……
Abrangência 
FFEENNÓÓMMEENNOOSS EESSPPIIRRIITTUUAAIISS:: 
((RReellaaççããoo DDeeuuss –– ccrriiaaççããoo)):: 
MMiinneerraall;; 
VVeeggeettaall;; 
AAnniimmaall;; 
HHoommeemm;; 
……
Abrangência 
BEM MAL 
Cumprimento da 
Lei Divina 
Não cumprimento 
da Lei Divina
DA LEI DE ADORAÇÃO
O que é 
É um ffrraaggmmeennttoo ddaa LLeeii DDiivviinnaa;; 
ÉÉ uumm sseennttiimmeennttoo iinnaattoo ((nnaassccee ccoomm aa ppeessssooaa))..
Prece 
Ato de adoração com Fé 
e Sinceridade.
Através da prece podemos: 
Louvar; 
Pedir; 
Agradecer. 
(O importante não é orar muito, mas orar bem).
Tipos de prece 
Individual;
TTiippooss ddee pprreeccee 
Colectiva.
TTiippooss ddee pprreeccee 
VViiddaa ccoonntteemmppllaattiivvaa:: 
ÉÉ uummaa vviiddaa iinnúúttiill,, ppooiiss nnããoo ssee ffaazz bbeemm nneemm mmaall..
Tipos de adoração 
INTERIOR 
Sente-se, sem 
necessidade de 
exteriorizar-se;
Tipos de adoração 
EEXXTTEERRIIOORR 
SSeennttee--ssee,, ccoomm 
nneecceessssiiddaaddee ddee 
eexxtteerriioorriizzaarr--ssee.. 
((DDiiffeerreennttee ddee ssiimmuullaaççããoo,, 
ffiinnggiimmeennttoo,, hhiippooccrriissiiaa))..
PPOOLLIITTEEÍÍSSMMOO 
AAddoorraaççããoo ddee vváárriiooss 
ddeeuusseess.. 
((MMooiissééss ddeeuu--nnooss aa 
ccoonnhheecceerr aa eexxiissttêênncciiaa 
ddee uumm DDeeuuss úúnniiccoo))..
SACRIFÍCIOS 
Forma ddee ddeevvooççããoo pprriimmiittiivvaa ddee:: 
HHoommeennss;; 
AAnniimmaaiiss.. 
EExxeemmpplloo:: IIddaaddee MMééddiiaa ((ffoogguueeiirraa))..
Assim: 
A melhor forma de adorar a 
Deus é trabalhar a favor da 
melhoria individual e do grupo 
em que se vive.
DA LEI DO TRABALHO
A necessidade ddoo ttrraabbaallhhoo éé uummaa lleeii ddaa 
NNaattuurreezzaa
UUttiilliiddaaddee 
OO ttrraabbaallhhoo éé nneecceessssáárriioo aaoo hhoommeemm 
ppaarraa ddeesseennvvoollvveerr--ssee:: 
IInntteelleeccttuuaallmmeennttee;;
UUttiilliiddaaddee 
MMoorraallmmeennttee..
Tipos 
O trabalho pode ser: 
FFííssiiccoo;;
Tipos 
OOuu IInntteelleeccttuuaall..
LIMITE DO TRABALHO 
REPOUSO 
Reparador das 
energias físicas e 
liberta o espírito do 
trabalho rotineiro, 
criando coisas novas; 
É necessário.
LIMITE DO TRABALHO 
REPOUSO 
O abuso é uma transgressão àà LLeeii DDiivviinnaa oorriiggiinnaannddoo:: 
SSuuiiccííddiioo lleennttoo ((aauuttooiimmppoossiiççããoo));; 
EEssccrraavviiddããoo vviill ((iimmppoossiiççããoo aallhheeiiaa))..
Assim: 
O homem evoluído faz do trabalho um 
meio para atingir os seus fins espirituais.
DA LEI DE REPRODUÇÃO
Esta lei é responsável ppeellaa rreennoovvaaççããoo ddoo 
ppaattrriimmóónniioo((**)) ddooss sseerreess vviivvooss..
((**)) PPaattrriimmóónniioo 
CCoonnjjuunnttoo ddee bbeennss 
CCuullttuurraaiiss;; 
MMaatteerriiaaiiss;; 
EEssppiirriittuuaaiiss..
OBSTÁCULOS À REPRODUÇÃO 
Aborto: 
É um erro, excepto no aborto terapêutico.
OBSTÁCULOS À REPRODUÇÃO 
Abstinência: 
Domínio sobre o 
prazer físico; 
Responsabilidade 
perante o sexo 
(vícios).
OOBBSSTTÁÁCCUULLOOSS ÀÀ RREEPPRROODDUUÇÇÃÃOO 
CCoonnttrraacceettiivvooss:: 
AAcceeiittáávveeiiss,, ddeennttrroo ddee uumm 
ppllaanneeaammeennttoo ffaammiilliiaarr llúúcciiddoo..
CASAMENTO E CELIBATO 
O casamento éé iinnddiiccaaddoorr ddee pprrooggrreessssoo nnaa 
mmaarrcchhaa ddaa hhuummaanniiddaaddee..
CCAASSAAMMEENNTTOO EE CCEELLIIBBAATTOO 
O QUE NÃO DEVE SER: 
Ato jurídico; 
Ato religioso; 
Qualquer ato formal.
CASAMENTO E CELIBATO 
MAS SIM 
Um vínculo afectivo, para poder 
atingir os seus objectivos: 
Edificar a afeição, como trampolim 
para atingir o Amor Universal, senão…
CCAASSAAMMEENNTTOO EE CCEELLIIBBAATTOO 
PPRROOBBLLEEMMAASS CCOONNJJUUGGAAIISS:: 
AArreessttaass qquuee ffaallttaa lliimmaarr ddee oouuttrraass 
vviiddaass;; 
MMoossttrraamm qquuee hháá mmuuiittoo ttrraabbaallhhoo 
aa ddeesseennvvoollvveerr ddee aammbbaass aass 
ppaarrtteess..
CCAASSAAMMEENNTTOO EE CCEELLIIBBAATTOO 
DDIIVVÓÓRRCCIIOO:: 
LLeeii hhuummaannaa;; 
SSeeppaarraa,, lleeggaallmmeennttee,, oo qquuee jjáá 
eessttaavvaa sseeppaarraaddoo ddee ffaaccttoo.. 
NNããoo éé ccoonnttrráárriioo àà lleeii ddee DDeeuuss..
CCAASSAAMMEENNTTOO EE CCEELLIIBBAATTOO 
CCEELLIIBBAATTOO:: 
MMeerriittóórriioo 
SSee vvoollttaaddoo ppaarraa oo 
bbeemm ddaa 
HHuummaanniiddaaddee;; 
SSeemm qquuaallqquueerr iiddeeiiaa 
eeggooííssttaa ddee aauuttoo 
pprroommooççããoo..
CCAASSAAMMEENNTTOO EE CCEELLIIBBAATTOO 
CCEELLIIBBAATTOO:: 
““AArrttiiffiicciiaall”” 
AAuuttoo--iimmppoossttoo,, ccoommoo ffoorrmmaa ddee ppeerrffeeiiççããoo eessppiirriittuuaall;; 
IImmppoossttoo ppoorr vváárriiaass rreelliiggiiõõeess..
PPOOLLIIGGAAMMIIAA 
LLeeii hhuummaannaa;; 
OOrriiggiinnáárriiaa ddaa 
sseennssuuaalliiddaaddee;; 
AAiinnddaa eexxiissttee;; 
AA ssuuaa aabboolliiççããoo sseerráá 
uumm pprrooggrreessssoo..
DA LEI DE CONSERVAÇÃO
Todos os seres vivos ppoossssuueemm eemm ggrraauuss ddiiffeerreenntteess 
oo iinnssttiinnttoo ddee ccoonnsseerrvvaaççããoo;; 
TTêêmm nneecceessssiiddaaddee ddaa vviiddaa ffííssiiccaa,, ppaarraa oobbeeddeecceerreemm àà 
lleeii ddee eevvoolluuççããoo..
GGOOZZOO DDOOSS BBEENNSS TTEERRRREENNOOSS 
OO hhoommeemm tteemm nneecceessssiiddaaddeess 
mmaatteerriiaaiiss qquuee ddeevveemm sseerr 
ssaattiissffeeiittaass,, mmaass nnããoo ddeevvee 
eessqquueecceerr qquuee ttaammbbéémm tteemm 
nneecceessssiiddaaddeess eessppiirriittuuaaiiss;; 
OO eeqquuiillííbbrriioo eennttrree uummaass ee oouuttrraass 
ppeerrmmiitteemm eevviittaarr eexxcceessssooss ee 
aabbuussooss..
NNEECCEESSSSÁÁRRIIOO EE SSUUPPÉÉRRFFLLUUOO 
OO hhoommeemm ppoonnddeerraaddoo ssaabbee 
eessttaabbeelleecceerr oo lliimmiittee ddoo 
nneecceessssáárriioo,, sseemm tteerr qquuee 
aabbuussaarr ddooss bbeennss àà ssuuaa 
ddiissppoossiiççããoo;;
PPRRIIVVAAÇÇÕÕEESS VVOOLLUUNNTTÁÁRRIIAASS -- 
MMOORRTTIIFFIICCAAÇÇÕÕEESS 
AA pprriivvaaççããoo ddooss ggoozzooss iinnúútteeiiss ddeesspprreennddee oo hhoommeemm ddaass 
ssuuaass ppaaiixxõõeess mmaatteerriiaaiiss;; 
EEssppeecciiaallmmeennttee aabbddiiccaannddoo ddooss sseeuuss pprraazzeerreess eemm ffaavvoorr 
ddoo sseeuu sseemmeellhhaannttee..
PPRRIIVVAAÇÇÕÕEESS VVOOLLUUNNTTÁÁRRIIAASS -- 
MMOORRTTIIFFIICCAAÇÇÕÕEESS 
Quando a finalidade éé ccrreesscceerr ppeerraannttee ooss oollhhooss 
hhuummaannooss,, éé hhiippooccrriissiiaa mmaassccaarraaddaa;; 
HHáá pprriivvaaççõõeess ccrriiaaddaass ppeelloo hhoommeemm ppaarraa aaggrraaddaarr aa 
DDeeuuss,, mmaass ssããoo iinnúútteeiiss..
DA LEI DE DESTRUIÇÃO
VViissaa aa ttrraannssffoorrmmaaççããoo 
ddooss sseerreess 
““NNaa NNaattuurreezzaa nnaaddaa ssee 
ccrriiaa,, nnaaddaa ssee ppeerrddee,, 
ttuuddoo ssee ttrraannssffoorrmmaa..”” 
LLaavvooiissiieerr
DDEESSTTRRUUIIÇÇÃÃOO NNEECCEESSSSÁÁRRIIAA EE AABBUUSSIIVVAA 
TTeemm dduuaass ffiinnaalliiddaaddeess:: 
EEqquuiillííbbrriioo nnaa rreepprroodduuççããoo,, 
ppaarraa nnããoo ssee ttoorrnnaarreemm 
eexxcceessssiivvooss;; 
UUttiilliizzaaççããoo ddooss ddeessppoojjooss 
ffííssiiccooss ppaarraa aalliimmeennttaaççããoo..
DESTRUIÇÃO NECESSÁRIA E ABUSIVA 
PPOODDEE SSEERR:: 
NNEECCEESSSSÁÁRRIIAA 
((GGaarraannttee ddaa vviiddaa ffííssiiccaa))..
DDEESSTTRRUUIIÇÇÃÃOO NNEECCEESSSSÁÁRRIIAA EE AABBUUSSIIVVAA 
PPOODDEE SSEERR:: 
AABBUUSSIIVVAA 
DDeessttrróóii aa vviiddaa;; 
ÉÉ ccoonnddeennáávveell..
FFLLAAGGEELLOOSS DDEESSTTRRUUIIDDOORREESS 
RReessuullttaamm,, eemm ppaarrttee,, ddaa iimmpprreevviiddêênncciiaa ee ddoo aabbuussoo;; 
SSããoo mmeeiiooss ““eexxcceeppcciioonnaaiiss”” ddee aacceelleerraaççããoo ddoo 
pprrooggrreessssoo ddaa hhuummaanniiddaaddee;;
FFLLAAGGEELLOOSS DDEESSTTRRUUIIDDOORREESS 
MMooddiiffiiccaaççããoo pprrooffuunnddaa ddooss uussooss ee ccoossttuummeess,, 
ppoorrqquuee hháá uummaa rreennoovvaaççããoo ddoo mmeeiioo,, oobbrriiggaannddoo oo 
hhoommeemm aa eexxeerrcciittaarr aa iinntteelliiggêênncciiaa ee aa ssoolliiddaarriieeddaaddee.. 
SSããoo sseemmpprree mmeeiiooss ddee eedduuccaaççããoo ppoorrqquuee oo eessppíírriittoo 
nnããoo éé ddeessttrruuííddoo..
GUERRAS 
Predominância da natureza 
animal sobre a natureza 
espiritual; 
São filhas do egoísmo e da 
ambição; 
Deixarão de existir quando 
estes desaparecerem.
GUERRAS 
EExxiisstteemm ppaarraa aalltteerrnnaarr aass 
dduuaass ppoossiiççõõeess aaiinnddaa 
eexxiisstteenntteess:: 
ccoommaannddoo -- ssuubbmmiissssããoo 
eexxpplloorraaddoorr -- eexxpplloorraaddoo
AASSSSAASSSSÍÍNNIIOO 
ÉÉ iimmppoossttaa aa iinntteerrrruuppççããoo 
ddee uummaa vviiddaa eemm eexxppiiaaççããoo 
ee pprroovvaa;; 
OO ggrraauu ddee ccuullppaabbiilliiddaaddee 
vvaarriiaa ddee aaccoorrddoo ccoomm aa 
iinntteennççããoo ccoomm qquuee ssee 
ccoommeetteeuu..
ASSASSÍNIO 
Aborto: Assassinato premeditado e consciente; 
Escravidão: Assassinato lento; 
Pena de morte: Assassinato brusco
CRUELDADE 
AAuussêênncciiaa ddoo sseennssoo mmoorraall;; 
SSoobbrreeeexxcciittaaççããoo ddooss iinnssttiinnttooss mmaatteerriiaaiiss;; 
EEssppíírriittooss aaiinnddaa eemm eessttaaddoo eemmbbrriioonnáárriioo..
PPEENNAA DDEE MMOORRTTEE 
ÉÉ ccoonnttrráárriiaa àà LLeeii DDiivviinnaa 
oouu NNaattuurraall;; 
NNeennhhuumm hhoommeemm tteemm oo 
ddiirreeiittoo ddee ttiirraarr aa vviiddaa aa 
oouuttrroo hhoommeemm,, 
iinnddeeppeennddeenntteemmeennttee 
ddooss mmoottiivvooss..
PPEENNAA DDEE MMOORRTTEE 
AA ssuuaa eexxiissttêênncciiaa éé 
pprroovvaa ddoo aattrraassoo 
eessppiirriittuuaall ddooss ppoovvooss 
oonnddee eexxiissttee;; 
AA mmoorrttee ffííssiiccaa nnããoo 
lliivvrraa aa ssoocciieeddaaddee ddaa 
mmáá iinnfflluuêênncciiaa ddee 
nniinngguuéémm..
Como regenerar um criminoso 
RReeccoonnhheecceerr qquuee:: 
PPooddee tteerr ssiiddoo rreelleeggaaddoo aaoo aabbaannddoonnoo ee àà 
mmaarrggiinnaalliiddaaddee nnaa iinnffâânncciiaa;; 
MMáá ddiissttrriibbuuiiççããoo ddooss bbeennss ee ddaa rriiqquueezzaa –– ddeessnníívveeiiss 
ssoocciiaaiiss;; 
FFaallttaa ddee eedduuccaaççããoo ee ccoonnddiiççõõeess ssoocciiaaiiss mmíínniimmaass.. DDeevvee 
iinnvveessttiirr--ssee nneessttee sseeccttoorr..
““SSee eedduuccaarreess aass ccrriiaannççaass,, 
nnããoo sseerráá nneecceessssáárriioo 
ccaassttiiggaarr ooss hhoommeennss””
TTEESSTTEE
1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 
1.1 – A Lei Divina ou Natural é a: 
( ) a. Dos espíritos superiores; não praticar o mal é a sua 
aplicação; 
( ) b. De Deus; o bem é a sua aplicação; 
( ) c. Dos primeiros humanos na Terra; 
( ) d. Humana; o seu objectivo é respeitar os direitos do 
homem.
1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 
1.1 – A Lei Divina ou Natural é a: 
( ) a. Dos espíritos superiores; não praticar o mal é a sua 
aplicação; 
(X) b. De Deus; o bem é a sua aplicação; 
( ) c. Dos primeiros humanos na Terra; 
( ) d. Humana; o seu objectivo é respeitar os direitos do 
homem.
1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 
1.2 – A lei de adoração pode ser aplicada: 
( ) a. Através dos ensinamentos de Deus; 
( ) b. Através da qualquer religião; 
( ) c. Através da prece e da caridade; 
( ) d. Através de promessas.
1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 
1.2 – A lei de adoração pode ser aplicada: 
( ) a. Através dos ensinamentos de Deus; 
( ) b. Através da qualquer religião; 
(X) c. Através da prece e da caridade; 
( ) d. Através de promessas.
1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 
1.3 – A lei do trabalho é um: 
( ) a. Meio de desenvolver o homem intelectual e 
moralmente; 
( ) b. Meio de desenvolver o homem materialmente; 
( ) c. Meio de cansar o homem para purificar a alma; 
( ) d. Meio de desenvolver o homem moralmente.
1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 
1.3 – A lei do trabalho é um: 
(X) a. Meio de desenvolver o homem intelectual e 
moralmente; 
( ) b. Meio de desenvolver o homem materialmente; 
( ) c. Meio de cansar o homem para purificar a alma; 
( ) d. Meio de desenvolver o homem moralmente.
1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 
1.4 – A lei de reprodução existe para: 
( ) a. O homem transmitir o que aprendeu aos seus 
descendentes, pela lei da hereditariedade; 
( ) b. Povoar os lugares desertos da Terra; 
( ) c. Servir de prova aos missionários que optam pelo 
celibato; 
( ) d. A humanidade se renovar nos seus bens culturais, 
materiais e espirituais.
1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 
1.4 – A lei de reprodução existe para: 
( ) a. O homem transmitir o que aprendeu aos seus 
descendentes, pela lei da hereditariedade; 
( ) b. Povoar os lugares desertos da Terra; 
( ) c. Servir de prova aos missionários que optam pelo 
celibato; 
(X) d. A humanidade se renovar nos seus bens culturais, 
materiais e espirituais.
1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 
1.5 – A lei de conservação tem por finalidade: 
( ) a. Evitar que o homem abuse dos bens da Terra, 
ensinando-lhe a usar somente o necessário; 
( ) b. Ensinar o homem a conservar os seus bens; 
( ) c. Manter os espíritos conservados para a eternidade; 
( ) d. Evitar que o homem abuse dos bens da Terra, doando-os 
todos.
1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 
1.5 – A lei de conservação tem por finalidade: 
(X) a. Evitar que o homem abuse dos bens da Terra, 
ensinando-lhe a usar somente o necessário; 
( ) b. Ensinar o homem a conservar os seus bens; 
( ) c. Manter os espíritos conservados para a eternidade; 
( ) d. Evitar que o homem abuse dos bens da Terra, doando-os 
todos.
1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 
1.6 – A lei de destruição é: 
( ) a. Uma necessidade, para acabar com os maus; 
( ) b. Um meio de crescimento espiritual e de 
estabelecimento do equilíbrio ecológico e psicológico; 
( ) c. Uma forma de Deus punir os espíritos inferiores; 
( ) d. Uma obra dos espíritos inferiores.
1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 
1.6 – A lei de destruição é: 
( ) a. Uma necessidade, para acabar com os maus; 
(X) b. Um meio de crescimento espiritual e de 
estabelecimento do equilíbrio ecológico e psicológico; 
( ) c. Uma forma de Deus punir os espíritos inferiores; 
( ) d. Uma obra dos espíritos inferiores.
22 –– AASSSSIINNAALLEE CCOOMM ““VV””,, SSEE VVEERRDDAADDEEIIRROO,, OOUU ““FF””,, SSEE FFAALLSSOO.. 
a. As leis morais emanam de Deus e têm a finalidade de 
ajudar a evolução do homem. 
b. As leis morais podem ser substituídas por leis 
humanas. 
c. Quem faz o bem e pensa aparecer como missionário, 
cumpre com a sua obrigação moral. 
d. Mais importante do que tudo é evoluir moralmente, 
mesmo que se despreze a aprendizagem intelectual. 
e. Na Terra existiram espíritos iguais a Jesus em 
perfeição moral, como Buda e Confúcio. 
V 
F 
F 
F 
F
3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. 
( ) As leis morais 
(1) têm uma sequência sábia e 
crescente. 
( ) A lei de adoração 
(2) proporciona descanso aos idosos. 
( ) A lei do trabalho 
(3) é uma necessidade material e 
instintiva. 
( ) A lei de reprodução 
(4) tem como obstáculos o aborto, a 
abstinência e os contraceptivos. 
( ) A lei de conservação 
(5) é um sentimento inato que se 
manifesta de formas diferentes. 
( ) A lei de destruição 
(6) é uma forma de regeneração.
3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. 
(1) As leis morais 
(1) têm uma sequência sábia e 
crescente. 
( ) A lei de adoração 
(2) proporciona descanso aos idosos. 
( ) A lei do trabalho 
(3) é uma necessidade material e 
instintiva. 
( ) A lei de reprodução 
(4) tem como obstáculos o aborto, a 
abstinência e os contraceptivos. 
( ) A lei de conservação 
(5) é um sentimento inato que se 
manifesta de formas diferentes. 
( ) A lei de destruição 
(6) é uma forma de regeneração.
3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. 
(1) As leis morais 
(1) têm uma sequência sábia e 
crescente. 
(5 ) A lei de adoração 
(2) proporciona descanso aos idosos. 
( ) A lei do trabalho 
(3) é uma necessidade material e 
instintiva. 
( ) A lei de reprodução 
(4) tem como obstáculos o aborto, a 
abstinência e os contraceptivos. 
( ) A lei de conservação 
(5) é um sentimento inato que se 
manifesta de formas diferentes. 
( ) A lei de destruição 
(6) é uma forma de regeneração.
3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. 
(1) As leis morais 
(1) têm uma sequência sábia e 
crescente. 
(5) A lei de adoração 
(2) proporciona descanso aos idosos. 
(2 ) A lei do trabalho 
(3) é uma necessidade material e 
instintiva. 
( ) A lei de reprodução 
(4) tem como obstáculos o aborto, a 
abstinência e os contraceptivos. 
( ) A lei de conservação 
(5) é um sentimento inato que se 
manifesta de formas diferentes. 
( ) A lei de destruição 
(6) é uma forma de regeneração.
3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. 
(1) As leis morais 
(1) têm uma sequência sábia e 
crescente. 
(5) A lei de adoração 
(2) proporciona descanso aos idosos. 
(2) A lei do trabalho 
(3) é uma necessidade material e 
instintiva. 
(4 ) A lei de reprodução 
(4) tem como obstáculos o aborto, a 
abstinência e os contraceptivos. 
( ) A lei de conservação 
(5) é um sentimento inato que se 
manifesta de formas diferentes. 
( ) A lei de destruição 
(6) é uma forma de regeneração.
3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. 
(1) As leis morais 
(1) têm uma sequência sábia e 
crescente. 
(5) A lei de adoração 
(2) proporciona descanso aos idosos. 
(2) A lei do trabalho 
(3) é uma necessidade material e 
instintiva. 
(4) A lei de reprodução 
(4) tem como obstáculos o aborto, a 
abstinência e os contraceptivos. 
(3 ) A lei de conservação 
(5) é um sentimento inato que se 
manifesta de formas diferentes. 
( ) A lei de destruição 
(6) é uma forma de regeneração.
3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. 
(1) As leis morais 
(1) têm uma sequência sábia e 
crescente. 
(5) A lei de adoração 
(2) proporciona descanso aos idosos. 
(2) A lei do trabalho 
(3) é uma necessidade material e 
instintiva. 
(4) A lei de reprodução 
(4) tem como obstáculos o aborto, a 
abstinência e os contraceptivos. 
(3) A lei de conservação 
(5) é um sentimento inato que se 
manifesta de formas diferentes. 
(6 ) A lei de destruição 
(6) é uma forma de regeneração.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 08

Dom cristorei14a VIVER COMO PRÓPRIAS AS NECESSIDADES DOS OUTROS
Dom cristorei14a VIVER COMO PRÓPRIAS AS NECESSIDADES DOS OUTROSDom cristorei14a VIVER COMO PRÓPRIAS AS NECESSIDADES DOS OUTROS
Dom cristorei14a VIVER COMO PRÓPRIAS AS NECESSIDADES DOS OUTROS
CHUC
 
TÉCNICAS DE ATENDIMENTO -
TÉCNICAS DE ATENDIMENTO - TÉCNICAS DE ATENDIMENTO -
TÉCNICAS DE ATENDIMENTO -
Hericson Gueiros
 
RevistaPTI.Outubro2008
RevistaPTI.Outubro2008RevistaPTI.Outubro2008
RevistaPTI.Outubro2008
Joao Martins
 
O que trazemos e o que levamos
O que trazemos e o que levamosO que trazemos e o que levamos
O que trazemos e o que levamos
Débora Menezes Salles
 
O que trazemos e o que levamos
O que trazemos e o que levamosO que trazemos e o que levamos
O que trazemos e o que levamos
jmpcard
 
Pp e-pe1
Pp e-pe1Pp e-pe1
Pp e-pe1
JJMaxsuel
 
Mix trade marketing transformando pressão em poder
Mix trade marketing transformando pressão em poderMix trade marketing transformando pressão em poder
Mix trade marketing transformando pressão em poder
Tarsis Pereira Bispo
 

Semelhante a Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 08 (7)

Dom cristorei14a VIVER COMO PRÓPRIAS AS NECESSIDADES DOS OUTROS
Dom cristorei14a VIVER COMO PRÓPRIAS AS NECESSIDADES DOS OUTROSDom cristorei14a VIVER COMO PRÓPRIAS AS NECESSIDADES DOS OUTROS
Dom cristorei14a VIVER COMO PRÓPRIAS AS NECESSIDADES DOS OUTROS
 
TÉCNICAS DE ATENDIMENTO -
TÉCNICAS DE ATENDIMENTO - TÉCNICAS DE ATENDIMENTO -
TÉCNICAS DE ATENDIMENTO -
 
RevistaPTI.Outubro2008
RevistaPTI.Outubro2008RevistaPTI.Outubro2008
RevistaPTI.Outubro2008
 
O que trazemos e o que levamos
O que trazemos e o que levamosO que trazemos e o que levamos
O que trazemos e o que levamos
 
O que trazemos e o que levamos
O que trazemos e o que levamosO que trazemos e o que levamos
O que trazemos e o que levamos
 
Pp e-pe1
Pp e-pe1Pp e-pe1
Pp e-pe1
 
Mix trade marketing transformando pressão em poder
Mix trade marketing transformando pressão em poderMix trade marketing transformando pressão em poder
Mix trade marketing transformando pressão em poder
 

Mais de ADEP Portugal

Registo de dados surgidos em reunião mediúnica - poster
Registo de dados surgidos em reunião mediúnica - posterRegisto de dados surgidos em reunião mediúnica - poster
Registo de dados surgidos em reunião mediúnica - poster
ADEP Portugal
 
Estará a causa de morte relacionada com o sofrimento após a desencarnação?
Estará a causa de morte relacionada com o sofrimento após a desencarnação?Estará a causa de morte relacionada com o sofrimento após a desencarnação?
Estará a causa de morte relacionada com o sofrimento após a desencarnação?
ADEP Portugal
 
Poster sobre o caso Pedras - um caso de poltergeist em Portugal
Poster sobre o caso Pedras - um caso de poltergeist em PortugalPoster sobre o caso Pedras - um caso de poltergeist em Portugal
Poster sobre o caso Pedras - um caso de poltergeist em Portugal
ADEP Portugal
 
Poster - Relação de género entre os médiuns e os perfis evidenciados
Poster - Relação de género entre os médiuns e os perfis evidenciadosPoster - Relação de género entre os médiuns e os perfis evidenciados
Poster - Relação de género entre os médiuns e os perfis evidenciados
ADEP Portugal
 
Poster - Reuniões mediúnicas: uma análise estatística
Poster - Reuniões mediúnicas: uma análise estatística Poster - Reuniões mediúnicas: uma análise estatística
Poster - Reuniões mediúnicas: uma análise estatística
ADEP Portugal
 
Reuniões mediúnicas em Portugal - poster
Reuniões mediúnicas em Portugal - posterReuniões mediúnicas em Portugal - poster
Reuniões mediúnicas em Portugal - poster
ADEP Portugal
 
Poster sobre Ecologia e Espiritismo
Poster sobre Ecologia e EspiritismoPoster sobre Ecologia e Espiritismo
Poster sobre Ecologia e Espiritismo
ADEP Portugal
 
Poster sobre as Jornadas de Cultura Espíritas do Oeste
Poster sobre as Jornadas de Cultura Espíritas do OestePoster sobre as Jornadas de Cultura Espíritas do Oeste
Poster sobre as Jornadas de Cultura Espíritas do Oeste
ADEP Portugal
 
ADEP - curso básico de espiritismo presencial
ADEP - curso básico de espiritismo presencialADEP - curso básico de espiritismo presencial
ADEP - curso básico de espiritismo presencial
ADEP Portugal
 
ADEP - curso básico de espiritismo on-line
ADEP - curso básico de espiritismo on-lineADEP - curso básico de espiritismo on-line
ADEP - curso básico de espiritismo on-line
ADEP Portugal
 
As associações espíritas e a internet em 2015
As associações espíritas e a internet em 2015As associações espíritas e a internet em 2015
As associações espíritas e a internet em 2015
ADEP Portugal
 
ADEP no YouTube
ADEP no YouTubeADEP no YouTube
ADEP no YouTube
ADEP Portugal
 
ADEP no Facebook
ADEP no FacebookADEP no Facebook
ADEP no Facebook
ADEP Portugal
 
ADEP - serviço de noticiário
ADEP - serviço de noticiárioADEP - serviço de noticiário
ADEP - serviço de noticiário
ADEP Portugal
 
ADEP - Jornal de Espiritismo
ADEP - Jornal de EspiritismoADEP - Jornal de Espiritismo
ADEP - Jornal de Espiritismo
ADEP Portugal
 
Pesquisa para espíritas - Portugal – 1.ª edição: 2019
Pesquisa para espíritas - Portugal – 1.ª edição: 2019Pesquisa para espíritas - Portugal – 1.ª edição: 2019
Pesquisa para espíritas - Portugal – 1.ª edição: 2019
ADEP Portugal
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 10
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 10Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 10
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 10
ADEP Portugal
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 07
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 07Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 07
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 07
ADEP Portugal
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 05
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 05Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 05
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 05
ADEP Portugal
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01
ADEP Portugal
 

Mais de ADEP Portugal (20)

Registo de dados surgidos em reunião mediúnica - poster
Registo de dados surgidos em reunião mediúnica - posterRegisto de dados surgidos em reunião mediúnica - poster
Registo de dados surgidos em reunião mediúnica - poster
 
Estará a causa de morte relacionada com o sofrimento após a desencarnação?
Estará a causa de morte relacionada com o sofrimento após a desencarnação?Estará a causa de morte relacionada com o sofrimento após a desencarnação?
Estará a causa de morte relacionada com o sofrimento após a desencarnação?
 
Poster sobre o caso Pedras - um caso de poltergeist em Portugal
Poster sobre o caso Pedras - um caso de poltergeist em PortugalPoster sobre o caso Pedras - um caso de poltergeist em Portugal
Poster sobre o caso Pedras - um caso de poltergeist em Portugal
 
Poster - Relação de género entre os médiuns e os perfis evidenciados
Poster - Relação de género entre os médiuns e os perfis evidenciadosPoster - Relação de género entre os médiuns e os perfis evidenciados
Poster - Relação de género entre os médiuns e os perfis evidenciados
 
Poster - Reuniões mediúnicas: uma análise estatística
Poster - Reuniões mediúnicas: uma análise estatística Poster - Reuniões mediúnicas: uma análise estatística
Poster - Reuniões mediúnicas: uma análise estatística
 
Reuniões mediúnicas em Portugal - poster
Reuniões mediúnicas em Portugal - posterReuniões mediúnicas em Portugal - poster
Reuniões mediúnicas em Portugal - poster
 
Poster sobre Ecologia e Espiritismo
Poster sobre Ecologia e EspiritismoPoster sobre Ecologia e Espiritismo
Poster sobre Ecologia e Espiritismo
 
Poster sobre as Jornadas de Cultura Espíritas do Oeste
Poster sobre as Jornadas de Cultura Espíritas do OestePoster sobre as Jornadas de Cultura Espíritas do Oeste
Poster sobre as Jornadas de Cultura Espíritas do Oeste
 
ADEP - curso básico de espiritismo presencial
ADEP - curso básico de espiritismo presencialADEP - curso básico de espiritismo presencial
ADEP - curso básico de espiritismo presencial
 
ADEP - curso básico de espiritismo on-line
ADEP - curso básico de espiritismo on-lineADEP - curso básico de espiritismo on-line
ADEP - curso básico de espiritismo on-line
 
As associações espíritas e a internet em 2015
As associações espíritas e a internet em 2015As associações espíritas e a internet em 2015
As associações espíritas e a internet em 2015
 
ADEP no YouTube
ADEP no YouTubeADEP no YouTube
ADEP no YouTube
 
ADEP no Facebook
ADEP no FacebookADEP no Facebook
ADEP no Facebook
 
ADEP - serviço de noticiário
ADEP - serviço de noticiárioADEP - serviço de noticiário
ADEP - serviço de noticiário
 
ADEP - Jornal de Espiritismo
ADEP - Jornal de EspiritismoADEP - Jornal de Espiritismo
ADEP - Jornal de Espiritismo
 
Pesquisa para espíritas - Portugal – 1.ª edição: 2019
Pesquisa para espíritas - Portugal – 1.ª edição: 2019Pesquisa para espíritas - Portugal – 1.ª edição: 2019
Pesquisa para espíritas - Portugal – 1.ª edição: 2019
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 10
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 10Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 10
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 10
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 07
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 07Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 07
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 07
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 05
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 05Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 05
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 05
 
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01
Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 01
 

Último

Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 

Último (20)

Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 

Curso Básico de Espiritismo - Capítulo 08

  • 1. 8 AS LEIS MORAIS (I) 8.1 DA LEI DIVINA OU NATURAL – O bem e o mal 8.2 DA LEI DE ADORAÇÃO 8.2.1 Politeísmo 8.2.2 Sacrifícios 8.3 DA LEI DO TRABALHO 8.3.1 Limite do trabalho – Repouso 8.4 DA LEI DE REPRODUÇÃO 8.4.1 Obstáculos à reprodução 8.4.2 Casamento e celibato 8.4.3 Poligamia
  • 2. 8 AS LEIS MORAIS (I) 8.5 DA LEI DE CONSERVAÇÃO 8.5.1 Gozo dos bens terrenos 8.5.2 Necessário e supérfluo 8.5.3 Privações voluntárias – Mortificações 8.6 DA LEI DE DESTRUIÇÃO 8.6.1 Destruição necessária e destruição abusiva 8.6.1.1 Flagelos destruidores 8.6.1.2 Guerras 8.6.1.3 Assassínio 8.6.1.4 Crueldade 8.6.1.5 Pena de morte
  • 3. AS LEIS MORAIS (I) DDiivviinnaa oouu nnaattuurraall AAddoorraaççããoo TTrraabbaallhhoo RReepprroodduuççããoo CCoonnsseerrvvaaççããoo DDeessttrruuiiççããoo
  • 4. DA LEI DIVINA OU NATURAL O bem e o mal
  • 5. 3 tipos de leis FÍSICAS Conjunto de regras necessárias e obrigatórias que presidem à relação de dois ou mais fenómenos;
  • 6. HHUUMMAANNAASS CCoonnjjuunnttoo ddee nnoorrmmaass eemmaannaaddaass ddee uumm ppooddeerr ssoobbeerraannoo iimmppoossttaass aaooss cciiddaaddããooss;; 3 tipos de leis
  • 7. MMOORRAAIISS 33 ttiippooss ddee lleeiiss CCoonnjjuunnttoo ddee bboonnss ccoossttuummeess ((iiddeeiiaa)).. TTeemm qquuee vveerr ccoomm oo pprroocceeddiimmeennttoo ((aaççããoo))..
  • 8. Abrangência FFEENNÓÓMMEENNOOSS NNAATTUURRAAIISS:: ((RReellaattiivvooss àà CCiiêênncciiaa)) FFííssiiccaa;; QQuuíímmiiccaa;; BBiioollooggiiaa;; ……
  • 9. Abrangência FFEENNÓÓMMEENNOOSS EESSPPIIRRIITTUUAAIISS:: ((RReellaaççããoo DDeeuuss –– ccrriiaaççããoo)):: MMiinneerraall;; VVeeggeettaall;; AAnniimmaall;; HHoommeemm;; ……
  • 10. Abrangência BEM MAL Cumprimento da Lei Divina Não cumprimento da Lei Divina
  • 11. DA LEI DE ADORAÇÃO
  • 12. O que é É um ffrraaggmmeennttoo ddaa LLeeii DDiivviinnaa;; ÉÉ uumm sseennttiimmeennttoo iinnaattoo ((nnaassccee ccoomm aa ppeessssooaa))..
  • 13. Prece Ato de adoração com Fé e Sinceridade.
  • 14. Através da prece podemos: Louvar; Pedir; Agradecer. (O importante não é orar muito, mas orar bem).
  • 15. Tipos de prece Individual;
  • 17. TTiippooss ddee pprreeccee VViiddaa ccoonntteemmppllaattiivvaa:: ÉÉ uummaa vviiddaa iinnúúttiill,, ppooiiss nnããoo ssee ffaazz bbeemm nneemm mmaall..
  • 18. Tipos de adoração INTERIOR Sente-se, sem necessidade de exteriorizar-se;
  • 19. Tipos de adoração EEXXTTEERRIIOORR SSeennttee--ssee,, ccoomm nneecceessssiiddaaddee ddee eexxtteerriioorriizzaarr--ssee.. ((DDiiffeerreennttee ddee ssiimmuullaaççããoo,, ffiinnggiimmeennttoo,, hhiippooccrriissiiaa))..
  • 20. PPOOLLIITTEEÍÍSSMMOO AAddoorraaççããoo ddee vváárriiooss ddeeuusseess.. ((MMooiissééss ddeeuu--nnooss aa ccoonnhheecceerr aa eexxiissttêênncciiaa ddee uumm DDeeuuss úúnniiccoo))..
  • 21. SACRIFÍCIOS Forma ddee ddeevvooççããoo pprriimmiittiivvaa ddee:: HHoommeennss;; AAnniimmaaiiss.. EExxeemmpplloo:: IIddaaddee MMééddiiaa ((ffoogguueeiirraa))..
  • 22. Assim: A melhor forma de adorar a Deus é trabalhar a favor da melhoria individual e do grupo em que se vive.
  • 23. DA LEI DO TRABALHO
  • 24. A necessidade ddoo ttrraabbaallhhoo éé uummaa lleeii ddaa NNaattuurreezzaa
  • 25. UUttiilliiddaaddee OO ttrraabbaallhhoo éé nneecceessssáárriioo aaoo hhoommeemm ppaarraa ddeesseennvvoollvveerr--ssee:: IInntteelleeccttuuaallmmeennttee;;
  • 27. Tipos O trabalho pode ser: FFííssiiccoo;;
  • 29. LIMITE DO TRABALHO REPOUSO Reparador das energias físicas e liberta o espírito do trabalho rotineiro, criando coisas novas; É necessário.
  • 30. LIMITE DO TRABALHO REPOUSO O abuso é uma transgressão àà LLeeii DDiivviinnaa oorriiggiinnaannddoo:: SSuuiiccííddiioo lleennttoo ((aauuttooiimmppoossiiççããoo));; EEssccrraavviiddããoo vviill ((iimmppoossiiççããoo aallhheeiiaa))..
  • 31. Assim: O homem evoluído faz do trabalho um meio para atingir os seus fins espirituais.
  • 32. DA LEI DE REPRODUÇÃO
  • 33. Esta lei é responsável ppeellaa rreennoovvaaççããoo ddoo ppaattrriimmóónniioo((**)) ddooss sseerreess vviivvooss..
  • 34. ((**)) PPaattrriimmóónniioo CCoonnjjuunnttoo ddee bbeennss CCuullttuurraaiiss;; MMaatteerriiaaiiss;; EEssppiirriittuuaaiiss..
  • 35. OBSTÁCULOS À REPRODUÇÃO Aborto: É um erro, excepto no aborto terapêutico.
  • 36. OBSTÁCULOS À REPRODUÇÃO Abstinência: Domínio sobre o prazer físico; Responsabilidade perante o sexo (vícios).
  • 37. OOBBSSTTÁÁCCUULLOOSS ÀÀ RREEPPRROODDUUÇÇÃÃOO CCoonnttrraacceettiivvooss:: AAcceeiittáávveeiiss,, ddeennttrroo ddee uumm ppllaanneeaammeennttoo ffaammiilliiaarr llúúcciiddoo..
  • 38. CASAMENTO E CELIBATO O casamento éé iinnddiiccaaddoorr ddee pprrooggrreessssoo nnaa mmaarrcchhaa ddaa hhuummaanniiddaaddee..
  • 39. CCAASSAAMMEENNTTOO EE CCEELLIIBBAATTOO O QUE NÃO DEVE SER: Ato jurídico; Ato religioso; Qualquer ato formal.
  • 40. CASAMENTO E CELIBATO MAS SIM Um vínculo afectivo, para poder atingir os seus objectivos: Edificar a afeição, como trampolim para atingir o Amor Universal, senão…
  • 41. CCAASSAAMMEENNTTOO EE CCEELLIIBBAATTOO PPRROOBBLLEEMMAASS CCOONNJJUUGGAAIISS:: AArreessttaass qquuee ffaallttaa lliimmaarr ddee oouuttrraass vviiddaass;; MMoossttrraamm qquuee hháá mmuuiittoo ttrraabbaallhhoo aa ddeesseennvvoollvveerr ddee aammbbaass aass ppaarrtteess..
  • 42. CCAASSAAMMEENNTTOO EE CCEELLIIBBAATTOO DDIIVVÓÓRRCCIIOO:: LLeeii hhuummaannaa;; SSeeppaarraa,, lleeggaallmmeennttee,, oo qquuee jjáá eessttaavvaa sseeppaarraaddoo ddee ffaaccttoo.. NNããoo éé ccoonnttrráárriioo àà lleeii ddee DDeeuuss..
  • 43. CCAASSAAMMEENNTTOO EE CCEELLIIBBAATTOO CCEELLIIBBAATTOO:: MMeerriittóórriioo SSee vvoollttaaddoo ppaarraa oo bbeemm ddaa HHuummaanniiddaaddee;; SSeemm qquuaallqquueerr iiddeeiiaa eeggooííssttaa ddee aauuttoo pprroommooççããoo..
  • 44. CCAASSAAMMEENNTTOO EE CCEELLIIBBAATTOO CCEELLIIBBAATTOO:: ““AArrttiiffiicciiaall”” AAuuttoo--iimmppoossttoo,, ccoommoo ffoorrmmaa ddee ppeerrffeeiiççããoo eessppiirriittuuaall;; IImmppoossttoo ppoorr vváárriiaass rreelliiggiiõõeess..
  • 45. PPOOLLIIGGAAMMIIAA LLeeii hhuummaannaa;; OOrriiggiinnáárriiaa ddaa sseennssuuaalliiddaaddee;; AAiinnddaa eexxiissttee;; AA ssuuaa aabboolliiççããoo sseerráá uumm pprrooggrreessssoo..
  • 46. DA LEI DE CONSERVAÇÃO
  • 47. Todos os seres vivos ppoossssuueemm eemm ggrraauuss ddiiffeerreenntteess oo iinnssttiinnttoo ddee ccoonnsseerrvvaaççããoo;; TTêêmm nneecceessssiiddaaddee ddaa vviiddaa ffííssiiccaa,, ppaarraa oobbeeddeecceerreemm àà lleeii ddee eevvoolluuççããoo..
  • 48. GGOOZZOO DDOOSS BBEENNSS TTEERRRREENNOOSS OO hhoommeemm tteemm nneecceessssiiddaaddeess mmaatteerriiaaiiss qquuee ddeevveemm sseerr ssaattiissffeeiittaass,, mmaass nnããoo ddeevvee eessqquueecceerr qquuee ttaammbbéémm tteemm nneecceessssiiddaaddeess eessppiirriittuuaaiiss;; OO eeqquuiillííbbrriioo eennttrree uummaass ee oouuttrraass ppeerrmmiitteemm eevviittaarr eexxcceessssooss ee aabbuussooss..
  • 49. NNEECCEESSSSÁÁRRIIOO EE SSUUPPÉÉRRFFLLUUOO OO hhoommeemm ppoonnddeerraaddoo ssaabbee eessttaabbeelleecceerr oo lliimmiittee ddoo nneecceessssáárriioo,, sseemm tteerr qquuee aabbuussaarr ddooss bbeennss àà ssuuaa ddiissppoossiiççããoo;;
  • 50. PPRRIIVVAAÇÇÕÕEESS VVOOLLUUNNTTÁÁRRIIAASS -- MMOORRTTIIFFIICCAAÇÇÕÕEESS AA pprriivvaaççããoo ddooss ggoozzooss iinnúútteeiiss ddeesspprreennddee oo hhoommeemm ddaass ssuuaass ppaaiixxõõeess mmaatteerriiaaiiss;; EEssppeecciiaallmmeennttee aabbddiiccaannddoo ddooss sseeuuss pprraazzeerreess eemm ffaavvoorr ddoo sseeuu sseemmeellhhaannttee..
  • 51. PPRRIIVVAAÇÇÕÕEESS VVOOLLUUNNTTÁÁRRIIAASS -- MMOORRTTIIFFIICCAAÇÇÕÕEESS Quando a finalidade éé ccrreesscceerr ppeerraannttee ooss oollhhooss hhuummaannooss,, éé hhiippooccrriissiiaa mmaassccaarraaddaa;; HHáá pprriivvaaççõõeess ccrriiaaddaass ppeelloo hhoommeemm ppaarraa aaggrraaddaarr aa DDeeuuss,, mmaass ssããoo iinnúútteeiiss..
  • 52. DA LEI DE DESTRUIÇÃO
  • 53. VViissaa aa ttrraannssffoorrmmaaççããoo ddooss sseerreess ““NNaa NNaattuurreezzaa nnaaddaa ssee ccrriiaa,, nnaaddaa ssee ppeerrddee,, ttuuddoo ssee ttrraannssffoorrmmaa..”” LLaavvooiissiieerr
  • 54. DDEESSTTRRUUIIÇÇÃÃOO NNEECCEESSSSÁÁRRIIAA EE AABBUUSSIIVVAA TTeemm dduuaass ffiinnaalliiddaaddeess:: EEqquuiillííbbrriioo nnaa rreepprroodduuççããoo,, ppaarraa nnããoo ssee ttoorrnnaarreemm eexxcceessssiivvooss;; UUttiilliizzaaççããoo ddooss ddeessppoojjooss ffííssiiccooss ppaarraa aalliimmeennttaaççããoo..
  • 55. DESTRUIÇÃO NECESSÁRIA E ABUSIVA PPOODDEE SSEERR:: NNEECCEESSSSÁÁRRIIAA ((GGaarraannttee ddaa vviiddaa ffííssiiccaa))..
  • 56. DDEESSTTRRUUIIÇÇÃÃOO NNEECCEESSSSÁÁRRIIAA EE AABBUUSSIIVVAA PPOODDEE SSEERR:: AABBUUSSIIVVAA DDeessttrróóii aa vviiddaa;; ÉÉ ccoonnddeennáávveell..
  • 57. FFLLAAGGEELLOOSS DDEESSTTRRUUIIDDOORREESS RReessuullttaamm,, eemm ppaarrttee,, ddaa iimmpprreevviiddêênncciiaa ee ddoo aabbuussoo;; SSããoo mmeeiiooss ““eexxcceeppcciioonnaaiiss”” ddee aacceelleerraaççããoo ddoo pprrooggrreessssoo ddaa hhuummaanniiddaaddee;;
  • 58. FFLLAAGGEELLOOSS DDEESSTTRRUUIIDDOORREESS MMooddiiffiiccaaççããoo pprrooffuunnddaa ddooss uussooss ee ccoossttuummeess,, ppoorrqquuee hháá uummaa rreennoovvaaççããoo ddoo mmeeiioo,, oobbrriiggaannddoo oo hhoommeemm aa eexxeerrcciittaarr aa iinntteelliiggêênncciiaa ee aa ssoolliiddaarriieeddaaddee.. SSããoo sseemmpprree mmeeiiooss ddee eedduuccaaççããoo ppoorrqquuee oo eessppíírriittoo nnããoo éé ddeessttrruuííddoo..
  • 59. GUERRAS Predominância da natureza animal sobre a natureza espiritual; São filhas do egoísmo e da ambição; Deixarão de existir quando estes desaparecerem.
  • 60. GUERRAS EExxiisstteemm ppaarraa aalltteerrnnaarr aass dduuaass ppoossiiççõõeess aaiinnddaa eexxiisstteenntteess:: ccoommaannddoo -- ssuubbmmiissssããoo eexxpplloorraaddoorr -- eexxpplloorraaddoo
  • 61. AASSSSAASSSSÍÍNNIIOO ÉÉ iimmppoossttaa aa iinntteerrrruuppççããoo ddee uummaa vviiddaa eemm eexxppiiaaççããoo ee pprroovvaa;; OO ggrraauu ddee ccuullppaabbiilliiddaaddee vvaarriiaa ddee aaccoorrddoo ccoomm aa iinntteennççããoo ccoomm qquuee ssee ccoommeetteeuu..
  • 62. ASSASSÍNIO Aborto: Assassinato premeditado e consciente; Escravidão: Assassinato lento; Pena de morte: Assassinato brusco
  • 63. CRUELDADE AAuussêênncciiaa ddoo sseennssoo mmoorraall;; SSoobbrreeeexxcciittaaççããoo ddooss iinnssttiinnttooss mmaatteerriiaaiiss;; EEssppíírriittooss aaiinnddaa eemm eessttaaddoo eemmbbrriioonnáárriioo..
  • 64. PPEENNAA DDEE MMOORRTTEE ÉÉ ccoonnttrráárriiaa àà LLeeii DDiivviinnaa oouu NNaattuurraall;; NNeennhhuumm hhoommeemm tteemm oo ddiirreeiittoo ddee ttiirraarr aa vviiddaa aa oouuttrroo hhoommeemm,, iinnddeeppeennddeenntteemmeennttee ddooss mmoottiivvooss..
  • 65. PPEENNAA DDEE MMOORRTTEE AA ssuuaa eexxiissttêênncciiaa éé pprroovvaa ddoo aattrraassoo eessppiirriittuuaall ddooss ppoovvooss oonnddee eexxiissttee;; AA mmoorrttee ffííssiiccaa nnããoo lliivvrraa aa ssoocciieeddaaddee ddaa mmáá iinnfflluuêênncciiaa ddee nniinngguuéémm..
  • 66. Como regenerar um criminoso RReeccoonnhheecceerr qquuee:: PPooddee tteerr ssiiddoo rreelleeggaaddoo aaoo aabbaannddoonnoo ee àà mmaarrggiinnaalliiddaaddee nnaa iinnffâânncciiaa;; MMáá ddiissttrriibbuuiiççããoo ddooss bbeennss ee ddaa rriiqquueezzaa –– ddeessnníívveeiiss ssoocciiaaiiss;; FFaallttaa ddee eedduuccaaççããoo ee ccoonnddiiççõõeess ssoocciiaaiiss mmíínniimmaass.. DDeevvee iinnvveessttiirr--ssee nneessttee sseeccttoorr..
  • 67. ““SSee eedduuccaarreess aass ccrriiaannççaass,, nnããoo sseerráá nneecceessssáárriioo ccaassttiiggaarr ooss hhoommeennss””
  • 69. 1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 1.1 – A Lei Divina ou Natural é a: ( ) a. Dos espíritos superiores; não praticar o mal é a sua aplicação; ( ) b. De Deus; o bem é a sua aplicação; ( ) c. Dos primeiros humanos na Terra; ( ) d. Humana; o seu objectivo é respeitar os direitos do homem.
  • 70. 1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 1.1 – A Lei Divina ou Natural é a: ( ) a. Dos espíritos superiores; não praticar o mal é a sua aplicação; (X) b. De Deus; o bem é a sua aplicação; ( ) c. Dos primeiros humanos na Terra; ( ) d. Humana; o seu objectivo é respeitar os direitos do homem.
  • 71. 1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 1.2 – A lei de adoração pode ser aplicada: ( ) a. Através dos ensinamentos de Deus; ( ) b. Através da qualquer religião; ( ) c. Através da prece e da caridade; ( ) d. Através de promessas.
  • 72. 1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 1.2 – A lei de adoração pode ser aplicada: ( ) a. Através dos ensinamentos de Deus; ( ) b. Através da qualquer religião; (X) c. Através da prece e da caridade; ( ) d. Através de promessas.
  • 73. 1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 1.3 – A lei do trabalho é um: ( ) a. Meio de desenvolver o homem intelectual e moralmente; ( ) b. Meio de desenvolver o homem materialmente; ( ) c. Meio de cansar o homem para purificar a alma; ( ) d. Meio de desenvolver o homem moralmente.
  • 74. 1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 1.3 – A lei do trabalho é um: (X) a. Meio de desenvolver o homem intelectual e moralmente; ( ) b. Meio de desenvolver o homem materialmente; ( ) c. Meio de cansar o homem para purificar a alma; ( ) d. Meio de desenvolver o homem moralmente.
  • 75. 1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 1.4 – A lei de reprodução existe para: ( ) a. O homem transmitir o que aprendeu aos seus descendentes, pela lei da hereditariedade; ( ) b. Povoar os lugares desertos da Terra; ( ) c. Servir de prova aos missionários que optam pelo celibato; ( ) d. A humanidade se renovar nos seus bens culturais, materiais e espirituais.
  • 76. 1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 1.4 – A lei de reprodução existe para: ( ) a. O homem transmitir o que aprendeu aos seus descendentes, pela lei da hereditariedade; ( ) b. Povoar os lugares desertos da Terra; ( ) c. Servir de prova aos missionários que optam pelo celibato; (X) d. A humanidade se renovar nos seus bens culturais, materiais e espirituais.
  • 77. 1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 1.5 – A lei de conservação tem por finalidade: ( ) a. Evitar que o homem abuse dos bens da Terra, ensinando-lhe a usar somente o necessário; ( ) b. Ensinar o homem a conservar os seus bens; ( ) c. Manter os espíritos conservados para a eternidade; ( ) d. Evitar que o homem abuse dos bens da Terra, doando-os todos.
  • 78. 1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 1.5 – A lei de conservação tem por finalidade: (X) a. Evitar que o homem abuse dos bens da Terra, ensinando-lhe a usar somente o necessário; ( ) b. Ensinar o homem a conservar os seus bens; ( ) c. Manter os espíritos conservados para a eternidade; ( ) d. Evitar que o homem abuse dos bens da Terra, doando-os todos.
  • 79. 1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 1.6 – A lei de destruição é: ( ) a. Uma necessidade, para acabar com os maus; ( ) b. Um meio de crescimento espiritual e de estabelecimento do equilíbrio ecológico e psicológico; ( ) c. Uma forma de Deus punir os espíritos inferiores; ( ) d. Uma obra dos espíritos inferiores.
  • 80. 1 – MARQUE A ALTERNATIVA CCOORRRREECCTTAA CCOOMM UUMM ““XX””.. 1.6 – A lei de destruição é: ( ) a. Uma necessidade, para acabar com os maus; (X) b. Um meio de crescimento espiritual e de estabelecimento do equilíbrio ecológico e psicológico; ( ) c. Uma forma de Deus punir os espíritos inferiores; ( ) d. Uma obra dos espíritos inferiores.
  • 81. 22 –– AASSSSIINNAALLEE CCOOMM ““VV””,, SSEE VVEERRDDAADDEEIIRROO,, OOUU ““FF””,, SSEE FFAALLSSOO.. a. As leis morais emanam de Deus e têm a finalidade de ajudar a evolução do homem. b. As leis morais podem ser substituídas por leis humanas. c. Quem faz o bem e pensa aparecer como missionário, cumpre com a sua obrigação moral. d. Mais importante do que tudo é evoluir moralmente, mesmo que se despreze a aprendizagem intelectual. e. Na Terra existiram espíritos iguais a Jesus em perfeição moral, como Buda e Confúcio. V F F F F
  • 82. 3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. ( ) As leis morais (1) têm uma sequência sábia e crescente. ( ) A lei de adoração (2) proporciona descanso aos idosos. ( ) A lei do trabalho (3) é uma necessidade material e instintiva. ( ) A lei de reprodução (4) tem como obstáculos o aborto, a abstinência e os contraceptivos. ( ) A lei de conservação (5) é um sentimento inato que se manifesta de formas diferentes. ( ) A lei de destruição (6) é uma forma de regeneração.
  • 83. 3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. (1) As leis morais (1) têm uma sequência sábia e crescente. ( ) A lei de adoração (2) proporciona descanso aos idosos. ( ) A lei do trabalho (3) é uma necessidade material e instintiva. ( ) A lei de reprodução (4) tem como obstáculos o aborto, a abstinência e os contraceptivos. ( ) A lei de conservação (5) é um sentimento inato que se manifesta de formas diferentes. ( ) A lei de destruição (6) é uma forma de regeneração.
  • 84. 3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. (1) As leis morais (1) têm uma sequência sábia e crescente. (5 ) A lei de adoração (2) proporciona descanso aos idosos. ( ) A lei do trabalho (3) é uma necessidade material e instintiva. ( ) A lei de reprodução (4) tem como obstáculos o aborto, a abstinência e os contraceptivos. ( ) A lei de conservação (5) é um sentimento inato que se manifesta de formas diferentes. ( ) A lei de destruição (6) é uma forma de regeneração.
  • 85. 3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. (1) As leis morais (1) têm uma sequência sábia e crescente. (5) A lei de adoração (2) proporciona descanso aos idosos. (2 ) A lei do trabalho (3) é uma necessidade material e instintiva. ( ) A lei de reprodução (4) tem como obstáculos o aborto, a abstinência e os contraceptivos. ( ) A lei de conservação (5) é um sentimento inato que se manifesta de formas diferentes. ( ) A lei de destruição (6) é uma forma de regeneração.
  • 86. 3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. (1) As leis morais (1) têm uma sequência sábia e crescente. (5) A lei de adoração (2) proporciona descanso aos idosos. (2) A lei do trabalho (3) é uma necessidade material e instintiva. (4 ) A lei de reprodução (4) tem como obstáculos o aborto, a abstinência e os contraceptivos. ( ) A lei de conservação (5) é um sentimento inato que se manifesta de formas diferentes. ( ) A lei de destruição (6) é uma forma de regeneração.
  • 87. 3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. (1) As leis morais (1) têm uma sequência sábia e crescente. (5) A lei de adoração (2) proporciona descanso aos idosos. (2) A lei do trabalho (3) é uma necessidade material e instintiva. (4) A lei de reprodução (4) tem como obstáculos o aborto, a abstinência e os contraceptivos. (3 ) A lei de conservação (5) é um sentimento inato que se manifesta de formas diferentes. ( ) A lei de destruição (6) é uma forma de regeneração.
  • 88. 3 – NUMERE A 1.ª COLUNA, DDEE AACCOORRDDOO CCOOMM AA 22..ª.. (1) As leis morais (1) têm uma sequência sábia e crescente. (5) A lei de adoração (2) proporciona descanso aos idosos. (2) A lei do trabalho (3) é uma necessidade material e instintiva. (4) A lei de reprodução (4) tem como obstáculos o aborto, a abstinência e os contraceptivos. (3) A lei de conservação (5) é um sentimento inato que se manifesta de formas diferentes. (6 ) A lei de destruição (6) é uma forma de regeneração.