SlideShare uma empresa Scribd logo
Antissepsia da pele
no teste de
glicemia capilar
Teste de Glicemia Capilar - HGT
 A monitorização da glicemia capilar é primordial para direcionar as
ações que envolvem o tratamento do diabetes e distúrbios glicêmicos.
 Os resultados deste teste permitem reavaliar a terapêutica instituída
possibilitando os ajustes de doses de insulina e dieta, os quais devem
resultar na redução significativa do nível de glicose sanguínea,
proporcionando melhora da qualidade de vida e diminuição das
complicações decorrentes do mau controle metabólico.
 O teste de glicemia capilar consiste na coleta de uma pequena
amostra de sangue, muitas vezes adquirida por meio de perfuração
cutânea da “ponta do dedo” com lanceta ou agulha.
 A amostra de sangue é então depositada sobre a fita reagente,
acoplada ao aparelho de dosagem de glicemia, o qual apresenta o
valor referente ao nível de glicose do sangue.
Teste de Glicemia Capilar - HGT
Microbiota da pele
 Destaca-se que a pele apresenta a microbiota transitória e a
residente.
 A microbiota transitória é composta por micro-organismos
“contaminantes” ou “não colonizantes”, ou seja, micro-organismos
que contaminam a pele, mas não estão consistentemente presentes
na maioria das pessoas e são facilmente removidos por fricção
mecânica com água e sabão.
 A microbiota residente é representada por micro-organismos que
habitam e se multiplicam nas camadas mais profundas da pele como
glândulas sebáceas e folículos pilosos, não sendo totalmente
removidos com a fricção mecânica.
Antissepsia
 Sendo por esse motivo importante a realização da antissepsia da pele
antes rompimento desta barreira natural.
 A antissepsia é definida como o processo de eliminação ou inibição do
crescimento dos microrganismos na pele e mucosas, sendo realizado
por meio da aplicação de um agente antisséptico, como o Álcool
Etílico ou Isopropílico, preferencialmente na forma de sachês de uso
único previamente preparado.
 A concentração de 70% é a mais adequada por apresentar melhor
efeito antisséptico com menor abrasividade para a pele.
 Esse agente ocasiona a desnaturação das proteínas das células
bacterianas, com consequente morte celular, apresentando excelente
espectro de ação.
 A ação do álcool a 70% ocorre de maneira efetiva em 15 segundos de
sua aplicação sobre a pele, devendo aguardar a secagem natural da
solução antes de realizar a perfuração da pele e é importante
destacar que o álcool não apresenta efeito residual.
Antissepsia
Parecer COREN-SP 2010
Parecer COREN-SC 2015
POP – Teste de Glicemia Capilar
Antes do procedimento
• Separar o material: monitor de glicemia capilar; lanceta nova; tira
reagente e sachê de álcool 70% (Swab).
• Realizar antissepsia do local a ser puncionado utilizando o Swab em
álcool 70%. Aguarde cerca de 15 segundos ou até que o local esteja
bem seco, para não adulterar o resultado.
POP – Teste de Glicemia Capilar
Antes do procedimento
 Atenção: Não use álcool em gel, pois este tem emulsificantes, os
quais podem interferir nos resultados, assim como lavar as mãos com
água e sabão e não secar bem.
• Preparar o lanceta, e verifique se o mesmo está ajustado para
perfurar a sua pele.
• Manter seu braço abaixo da linha do coração, e a mão voltada para
baixo, de modo que facilite a colocação da gota de sangue na área
reagente da fita;
POP – Teste de Glicemia Capilar
Ao puncionar
• Comprimir levemente o dedo escolhido, da base para a sua
extremidade, no máximo 03 (três) vezes, ao puncionar, facilitará a
formação da gota de sangue, caso as mãos estejam frias, friccione
para aquecê-las.
• Puncionar a face lateral do dedo (nunca a polpa digital), formando a
gota de sangue.
POP – Teste de Glicemia Capilar
Ao puncionar
• Preencher totalmente o local indicado da tira reagente do monitor de
glicemia com a gota de sangue.
• Aguardar o tempo determinado para a leitura conforme seu monitor
(aproximadamente 5 segundos).
• Registrar o valor da glicemia capilar em relatório de enfermagem.
Bibliografia
 Técnica de automonitorização da glicose no sangue – Ministério da saúde.
Disponível em: https://linhasdecuidado.saude.gov.br/portal/diabetes-
mellitus-tipo-2-(DM2)-no-adulto/tecnica-de-automonitorizacao-glicose Acesso
em: 18 nov. 2022.
 Conselho Regional De Enfermagem De São Paulo. Parecer COREN-SP CAT nº
002 / 2010. Antissepsia da pele com álcool 70% e a realização do teste de
glicemia capilar. Disponível em: https://portal.coren-sp.gov.br/wp-
content/uploads/2013/08/parecer_coren_sp_2010_2_0.pdf Acesso em: 18
nov. 2022.
 Conselho Regional De Enfermagem De Santa Catarina. Resposta técnica
COREN/SC Nº 021/CT/2015/RT. Antissepsia para Realização de HGT. Disponível
em: http://transparencia.corensc.gov.br/wp-content/uploads/2016/05/RT-
021-2015-diabetes-HGT-antissepsia.pdf Acesso em : 18 nov. 2022.
Alunos
 Alexander Silvestre Domingues
 Kayque Domingos Vitalino
Orientadora
 Leticia Souza

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula acessos venosos
Aula acessos venososAula acessos venosos
Aula acessos venosos
Viviane da Silva
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Will Nunes
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
Will Nunes
 
Sinais vitais aula 4
Sinais vitais aula 4Sinais vitais aula 4
Sinais vitais aula 4
Morgana Oliveira
 
Clínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
Clínica Cirúrgica e Centro CirúrgicoClínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
Clínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
Sou Enfermagem
 
Aula prevenção de lesão por pressão (LP)
Aula prevenção de lesão por pressão (LP)Aula prevenção de lesão por pressão (LP)
Aula prevenção de lesão por pressão (LP)
Proqualis
 
Hemotransfusão
Hemotransfusão Hemotransfusão
Hemotransfusão
resenfe2013
 
Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison
Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edisonAula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison
Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison
Edison Santos
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinal
Rodrigo Abreu
 
Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentos
Janaína Lassala
 
Prontuário
ProntuárioProntuário
Trabalho centro cirúrgico 3
Trabalho centro cirúrgico  3Trabalho centro cirúrgico  3
Trabalho centro cirúrgico 3
Sthefanie Vieira
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelização
Gilson Betta Sevilha
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
Rafaela Amanso
 
Higiene oral
Higiene oralHigiene oral
Higiene oral
Paula Soares
 
Admissão do paciente na unidade
Admissão do paciente na unidadeAdmissão do paciente na unidade
Admissão do paciente na unidade
ISCISA
 
Rotinas Laboratoriais
Rotinas LaboratoriaisRotinas Laboratoriais
Rotinas Laboratoriais
nuiashrl
 
Apresentação cc
Apresentação ccApresentação cc
Apresentação cc
Telma Justa Freitas
 
Cuidados de Enfermagem na administração de fármacos em emergência cardiológica
Cuidados de Enfermagem na administração de fármacos em emergência cardiológicaCuidados de Enfermagem na administração de fármacos em emergência cardiológica
Cuidados de Enfermagem na administração de fármacos em emergência cardiológica
resenfe2013
 
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergênciaHumanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Aroldo Gavioli
 

Mais procurados (20)

Aula acessos venosos
Aula acessos venososAula acessos venosos
Aula acessos venosos
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)Clínica Médica II (parte 1)
Clínica Médica II (parte 1)
 
Sinais vitais aula 4
Sinais vitais aula 4Sinais vitais aula 4
Sinais vitais aula 4
 
Clínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
Clínica Cirúrgica e Centro CirúrgicoClínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
Clínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
 
Aula prevenção de lesão por pressão (LP)
Aula prevenção de lesão por pressão (LP)Aula prevenção de lesão por pressão (LP)
Aula prevenção de lesão por pressão (LP)
 
Hemotransfusão
Hemotransfusão Hemotransfusão
Hemotransfusão
 
Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison
Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edisonAula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison
Aula atendimento ao_paciente_critico.ppt-iraja edison
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinal
 
Administração de medicamentos
Administração de medicamentosAdministração de medicamentos
Administração de medicamentos
 
Prontuário
ProntuárioProntuário
Prontuário
 
Trabalho centro cirúrgico 3
Trabalho centro cirúrgico  3Trabalho centro cirúrgico  3
Trabalho centro cirúrgico 3
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelização
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
 
Higiene oral
Higiene oralHigiene oral
Higiene oral
 
Admissão do paciente na unidade
Admissão do paciente na unidadeAdmissão do paciente na unidade
Admissão do paciente na unidade
 
Rotinas Laboratoriais
Rotinas LaboratoriaisRotinas Laboratoriais
Rotinas Laboratoriais
 
Apresentação cc
Apresentação ccApresentação cc
Apresentação cc
 
Cuidados de Enfermagem na administração de fármacos em emergência cardiológica
Cuidados de Enfermagem na administração de fármacos em emergência cardiológicaCuidados de Enfermagem na administração de fármacos em emergência cardiológica
Cuidados de Enfermagem na administração de fármacos em emergência cardiológica
 
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergênciaHumanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
Humanização, acolhimento e classificação de risco em urgência e emergência
 

Semelhante a Antissepsia da pele no teste de glicemia capilar (

Cartilha_glicosimetro (1).pdf
Cartilha_glicosimetro (1).pdfCartilha_glicosimetro (1).pdf
Cartilha_glicosimetro (1).pdf
ssuserb2716c
 
Aula 1 - B
Aula 1 - BAula 1 - B
29483020 coleta-de-amostras-biologicas-sangue-e-urina
29483020 coleta-de-amostras-biologicas-sangue-e-urina29483020 coleta-de-amostras-biologicas-sangue-e-urina
29483020 coleta-de-amostras-biologicas-sangue-e-urina
Maria Jaqueline Mesquita
 
Pop n9 verificacao de glicemia capilar
Pop n9   verificacao de glicemia capilarPop n9   verificacao de glicemia capilar
Pop n9 verificacao de glicemia capilar
Silvia Regina Silva
 
Teste de glicemia capilar slide
Teste de glicemia capilar   slideTeste de glicemia capilar   slide
Teste de glicemia capilar slide
Renata Nobre
 
Meios de contraste na tomografia
Meios de contraste na tomografiaMeios de contraste na tomografia
Meios de contraste na tomografia
Isabel Canova
 
2o ano.bioquimica.seminario de pratica coleta
2o ano.bioquimica.seminario de pratica   coleta2o ano.bioquimica.seminario de pratica   coleta
2o ano.bioquimica.seminario de pratica coleta
rasg75
 
sinais vitais.pptx
sinais vitais.pptxsinais vitais.pptx
sinais vitais.pptx
JessicaAngelo5
 
FDGFGFGFGDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF...
FDGFGFGFGDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF...FDGFGFGFGDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF...
FDGFGFGFGDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF...
PedroCaquarta
 
CK_NAC_Liquiform_117_Port.pdf
CK_NAC_Liquiform_117_Port.pdfCK_NAC_Liquiform_117_Port.pdf
CK_NAC_Liquiform_117_Port.pdf
Yeimersantiago
 
85390119 apostila
85390119 apostila85390119 apostila
Sem título 1.pdf
Sem título 1.pdfSem título 1.pdf
Sem título 1.pdf
ssuser80ae40
 
E motiva01
E motiva01E motiva01
Apostila+espermograma
Apostila+espermogramaApostila+espermograma
Apostila+espermograma
puikow
 
Sinais vitais e curativos
Sinais vitais e curativosSinais vitais e curativos
Sinais vitais e curativos
Alexandre Donha
 
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSA
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSAADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSA
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSA
Ithallo Alves
 
Manual De Normas E Rotinas De Procedimentos Para A Enfermagem Campinas
Manual De Normas E Rotinas De Procedimentos Para A Enfermagem   CampinasManual De Normas E Rotinas De Procedimentos Para A Enfermagem   Campinas
Manual De Normas E Rotinas De Procedimentos Para A Enfermagem Campinas
guest11ba4c
 
Enf manual rotinas proc
Enf manual rotinas procEnf manual rotinas proc
Enf manual rotinas proc
Marcelo Leal Souza
 
Apostila de imunologia
Apostila de imunologiaApostila de imunologia
Aula 11 -_semio_neonatal_-_manha
Aula 11 -_semio_neonatal_-_manhaAula 11 -_semio_neonatal_-_manha
Aula 11 -_semio_neonatal_-_manha
Gustavo Henrique
 

Semelhante a Antissepsia da pele no teste de glicemia capilar ( (20)

Cartilha_glicosimetro (1).pdf
Cartilha_glicosimetro (1).pdfCartilha_glicosimetro (1).pdf
Cartilha_glicosimetro (1).pdf
 
Aula 1 - B
Aula 1 - BAula 1 - B
Aula 1 - B
 
29483020 coleta-de-amostras-biologicas-sangue-e-urina
29483020 coleta-de-amostras-biologicas-sangue-e-urina29483020 coleta-de-amostras-biologicas-sangue-e-urina
29483020 coleta-de-amostras-biologicas-sangue-e-urina
 
Pop n9 verificacao de glicemia capilar
Pop n9   verificacao de glicemia capilarPop n9   verificacao de glicemia capilar
Pop n9 verificacao de glicemia capilar
 
Teste de glicemia capilar slide
Teste de glicemia capilar   slideTeste de glicemia capilar   slide
Teste de glicemia capilar slide
 
Meios de contraste na tomografia
Meios de contraste na tomografiaMeios de contraste na tomografia
Meios de contraste na tomografia
 
2o ano.bioquimica.seminario de pratica coleta
2o ano.bioquimica.seminario de pratica   coleta2o ano.bioquimica.seminario de pratica   coleta
2o ano.bioquimica.seminario de pratica coleta
 
sinais vitais.pptx
sinais vitais.pptxsinais vitais.pptx
sinais vitais.pptx
 
FDGFGFGFGDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF...
FDGFGFGFGDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF...FDGFGFGFGDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF...
FDGFGFGFGDFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF...
 
CK_NAC_Liquiform_117_Port.pdf
CK_NAC_Liquiform_117_Port.pdfCK_NAC_Liquiform_117_Port.pdf
CK_NAC_Liquiform_117_Port.pdf
 
85390119 apostila
85390119 apostila85390119 apostila
85390119 apostila
 
Sem título 1.pdf
Sem título 1.pdfSem título 1.pdf
Sem título 1.pdf
 
E motiva01
E motiva01E motiva01
E motiva01
 
Apostila+espermograma
Apostila+espermogramaApostila+espermograma
Apostila+espermograma
 
Sinais vitais e curativos
Sinais vitais e curativosSinais vitais e curativos
Sinais vitais e curativos
 
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSA
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSAADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSA
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA ENDOVENOSA
 
Manual De Normas E Rotinas De Procedimentos Para A Enfermagem Campinas
Manual De Normas E Rotinas De Procedimentos Para A Enfermagem   CampinasManual De Normas E Rotinas De Procedimentos Para A Enfermagem   Campinas
Manual De Normas E Rotinas De Procedimentos Para A Enfermagem Campinas
 
Enf manual rotinas proc
Enf manual rotinas procEnf manual rotinas proc
Enf manual rotinas proc
 
Apostila de imunologia
Apostila de imunologiaApostila de imunologia
Apostila de imunologia
 
Aula 11 -_semio_neonatal_-_manha
Aula 11 -_semio_neonatal_-_manhaAula 11 -_semio_neonatal_-_manha
Aula 11 -_semio_neonatal_-_manha
 

Antissepsia da pele no teste de glicemia capilar (

  • 1. Antissepsia da pele no teste de glicemia capilar
  • 2. Teste de Glicemia Capilar - HGT  A monitorização da glicemia capilar é primordial para direcionar as ações que envolvem o tratamento do diabetes e distúrbios glicêmicos.  Os resultados deste teste permitem reavaliar a terapêutica instituída possibilitando os ajustes de doses de insulina e dieta, os quais devem resultar na redução significativa do nível de glicose sanguínea, proporcionando melhora da qualidade de vida e diminuição das complicações decorrentes do mau controle metabólico.
  • 3.  O teste de glicemia capilar consiste na coleta de uma pequena amostra de sangue, muitas vezes adquirida por meio de perfuração cutânea da “ponta do dedo” com lanceta ou agulha.  A amostra de sangue é então depositada sobre a fita reagente, acoplada ao aparelho de dosagem de glicemia, o qual apresenta o valor referente ao nível de glicose do sangue. Teste de Glicemia Capilar - HGT
  • 4. Microbiota da pele  Destaca-se que a pele apresenta a microbiota transitória e a residente.  A microbiota transitória é composta por micro-organismos “contaminantes” ou “não colonizantes”, ou seja, micro-organismos que contaminam a pele, mas não estão consistentemente presentes na maioria das pessoas e são facilmente removidos por fricção mecânica com água e sabão.  A microbiota residente é representada por micro-organismos que habitam e se multiplicam nas camadas mais profundas da pele como glândulas sebáceas e folículos pilosos, não sendo totalmente removidos com a fricção mecânica.
  • 5. Antissepsia  Sendo por esse motivo importante a realização da antissepsia da pele antes rompimento desta barreira natural.  A antissepsia é definida como o processo de eliminação ou inibição do crescimento dos microrganismos na pele e mucosas, sendo realizado por meio da aplicação de um agente antisséptico, como o Álcool Etílico ou Isopropílico, preferencialmente na forma de sachês de uso único previamente preparado.
  • 6.  A concentração de 70% é a mais adequada por apresentar melhor efeito antisséptico com menor abrasividade para a pele.  Esse agente ocasiona a desnaturação das proteínas das células bacterianas, com consequente morte celular, apresentando excelente espectro de ação.  A ação do álcool a 70% ocorre de maneira efetiva em 15 segundos de sua aplicação sobre a pele, devendo aguardar a secagem natural da solução antes de realizar a perfuração da pele e é importante destacar que o álcool não apresenta efeito residual. Antissepsia
  • 9. POP – Teste de Glicemia Capilar Antes do procedimento • Separar o material: monitor de glicemia capilar; lanceta nova; tira reagente e sachê de álcool 70% (Swab). • Realizar antissepsia do local a ser puncionado utilizando o Swab em álcool 70%. Aguarde cerca de 15 segundos ou até que o local esteja bem seco, para não adulterar o resultado.
  • 10. POP – Teste de Glicemia Capilar Antes do procedimento  Atenção: Não use álcool em gel, pois este tem emulsificantes, os quais podem interferir nos resultados, assim como lavar as mãos com água e sabão e não secar bem. • Preparar o lanceta, e verifique se o mesmo está ajustado para perfurar a sua pele. • Manter seu braço abaixo da linha do coração, e a mão voltada para baixo, de modo que facilite a colocação da gota de sangue na área reagente da fita;
  • 11. POP – Teste de Glicemia Capilar Ao puncionar • Comprimir levemente o dedo escolhido, da base para a sua extremidade, no máximo 03 (três) vezes, ao puncionar, facilitará a formação da gota de sangue, caso as mãos estejam frias, friccione para aquecê-las. • Puncionar a face lateral do dedo (nunca a polpa digital), formando a gota de sangue.
  • 12. POP – Teste de Glicemia Capilar Ao puncionar • Preencher totalmente o local indicado da tira reagente do monitor de glicemia com a gota de sangue. • Aguardar o tempo determinado para a leitura conforme seu monitor (aproximadamente 5 segundos). • Registrar o valor da glicemia capilar em relatório de enfermagem.
  • 13. Bibliografia  Técnica de automonitorização da glicose no sangue – Ministério da saúde. Disponível em: https://linhasdecuidado.saude.gov.br/portal/diabetes- mellitus-tipo-2-(DM2)-no-adulto/tecnica-de-automonitorizacao-glicose Acesso em: 18 nov. 2022.  Conselho Regional De Enfermagem De São Paulo. Parecer COREN-SP CAT nº 002 / 2010. Antissepsia da pele com álcool 70% e a realização do teste de glicemia capilar. Disponível em: https://portal.coren-sp.gov.br/wp- content/uploads/2013/08/parecer_coren_sp_2010_2_0.pdf Acesso em: 18 nov. 2022.  Conselho Regional De Enfermagem De Santa Catarina. Resposta técnica COREN/SC Nº 021/CT/2015/RT. Antissepsia para Realização de HGT. Disponível em: http://transparencia.corensc.gov.br/wp-content/uploads/2016/05/RT- 021-2015-diabetes-HGT-antissepsia.pdf Acesso em : 18 nov. 2022.
  • 14. Alunos  Alexander Silvestre Domingues  Kayque Domingos Vitalino Orientadora  Leticia Souza