SlideShare uma empresa Scribd logo
Entamoeba histolytica 
(Ameba)
Entamoeba histolytica 
• FAMÍLIA ENDAMOEBIDAE 
• ORDEM →Amoebida 
• GÊNERO → Entamoeba 
• ESPÉCIE → Entamoeba histolytica 
ESPÉCIE → Entamoeba coli
Entamoeba histolytica 
• Monoxeno 
• Modo deinfecção: fecal/oral: cistos nas 
água e alimentos contaminados
Entamoeba histolytica
Entamoeba histolytica 
• O desencistamento ocorre na porção final 
do intestino delgado desprendendo os 
trofozoítos a reproduzir-se por divisão 
binária.
Entamoeba histolytica 
• Possui de 01 a 04 núcleos
1- Há ingestão de cistos de Entamoeba/ 2 e 3- O cisto desce pelo esôfago e 
dentro do intestino o cisto sofre degradação/ 4- Geram trofozoítos/ 5- Os 
trofozoítos se reproduzem por cissiparidade/ 6- Os trofozoítos resultantes da 
reprodução atravessam a parede do intestino grosso/ 7- Caem na corrente 
sanguínea e acabam atacando outros órgãos, como o fígado e os pulmões/ 
8,9,10 e 11- Processo que após a cissiparidade do trofozoíto em (5) passam 
a se encistar para ser eliminado nas fezes e reiniciar o ciclo na mesma 
pessoa ou em outras pessoas/ 12- Exemplo de ingestão de cistos por via 
oral, talvez por água contaminada.
Entamoeba histolytica
Entamoeba histolytica 
• Dentro do cisto o parasito realiza divisão 
binária formando quatro novos indivíduos 
que desencistam quando chegam ao 
intestino de um novo hospedeiro
Entamoeba histolytica 
• Baixa de imunidade local, 
• alteração da flora intestinal, 
• lesões de mucosa, etc
Entamoeba histolytica 
Lesões de mucosa: os trofozoítos tornam-se 
patogênicos e invadem a parede 
intestinal, alimentando-se de células da 
mucosa e de hemácias. 
Em infecção crônica podem invadir outros 
órgãos através da circulação sangüínea, 
especialmente ao fígado.
Entamoeba histolytica 
• 5-50% pop. mundial têm amebíase 
• 50 milhões de novas infecções por ano 
• 10% apresentam sintomas clínicos 
• 2ª causa de mortes no mundo: 70.000
• Incidência maior na àfrica, Asia e 
América Latina: mais de dois terços da 
população terá estes parasitas intestinais 
• Não tem relação com clima, e sim com 
subdesenvolvimento
Entamoeba histolytica 
 Brasil: prevalência média 
aproximadamente 23% da população 
 A maioria das infecções é 
practicamente assintomática 
 A falta de condições higiênicas 
adequadas é a responsável por sua 
disseminação
Entamoeba histolytica 
Locomoção: pseudópodes
Sintomas mais frequentes 
Dores intestinais 
Náuseas 
Vómitos. 
Ulceras 
Perdas de sangue 
Anemia por déficit de ferro 
Disenteria
Entamoeba histolytica 
Se os parasitas se disseminarem para além do 
trato gastrointestinal, podem causar outros 
problemas: 
 No figado destroem hepatócitos 
Raramente podem formar-se abcessos no baço 
ou cérebro.
Entamoeba histolytica 
Sintomas de invasão sistémica: 
 febre alta ondulante, 
 suores, 
 dores abdominais na zona do 
figado, 
 fadiga, 
 hepatomegalia
Entamoeba histolytica 
 O diagnóstico da disenteria propriamente 
dita, é microscopia. 
 Individuos com complicações anticorpos 
especificos .
Entamoeba histolytica 
• Ferver a água, 
• não usar cubos de “gelo” de procedência 
duvidosa 
• não comer saladas e outros vegetais crus 
ou frutas cruas com casca em zonas 
endémicas.
Entamoeba histolytica 
Tratamento 
• Metronidazole, Iodoquinoll, Paramomicina 
ou Furoato de diloxanida 
• Os abcessos hepáticos avançadas 
poderão ser tratados cirurgicamente
Entamoeba coli 
• Comensal 
• Possui até 08 núcleos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
Priscyla Karla
 
Parasitas
ParasitasParasitas
Parasitas
Leonardo Souza
 
Apresentação malária
Apresentação maláriaApresentação malária
Apresentação malária
Jakelyne Bezerra
 
Leishmaniose
LeishmanioseLeishmaniose
Leishmaniose
Caroline Landim
 
Parasitologia - Tricomonas
Parasitologia - TricomonasParasitologia - Tricomonas
Parasitologia - Tricomonas
pHrOzEn HeLL
 
Parasitoses humanas
Parasitoses humanasParasitoses humanas
Parasitoses humanas
Isabella Silva
 
Protozoários - Parasitologia
Protozoários - ParasitologiaProtozoários - Parasitologia
Protozoários - Parasitologia
Raphael Machado
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
crishmuler
 
Trichomoniase
TrichomoniaseTrichomoniase
Trichomoniase
Jocimar Araujo
 
Aula 1 conceitos gerais de parasitologia
Aula 1 conceitos gerais de parasitologiaAula 1 conceitos gerais de parasitologia
Aula 1 conceitos gerais de parasitologia
Adila Trubat
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
naiellyrodrigues
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
Brunno Lemes de Melo
 
Doenças parasitárias - Parte I
Doenças parasitárias - Parte IDoenças parasitárias - Parte I
Doenças parasitárias - Parte I
bioemanuel
 
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
Danillo Rodrigues
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
naiellyrodrigues
 
Doenças causadas por bacterias
Doenças  causadas por bacteriasDoenças  causadas por bacterias
Doenças causadas por bacterias
Adrianne Mendonça
 
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris LumbricoidesAscaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Fernanda Gomes
 
Leishmaniose visceral
Leishmaniose visceralLeishmaniose visceral
Leishmaniose visceral
HIAGO SANTOS
 
Teniase e cisticercose
Teniase e cisticercoseTeniase e cisticercose
Teniase e cisticercose
feraps
 
Plasmodium,malaria
Plasmodium,malaria Plasmodium,malaria
Plasmodium,malaria
Karen Cristina Schneberger
 

Mais procurados (20)

Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Parasitas
ParasitasParasitas
Parasitas
 
Apresentação malária
Apresentação maláriaApresentação malária
Apresentação malária
 
Leishmaniose
LeishmanioseLeishmaniose
Leishmaniose
 
Parasitologia - Tricomonas
Parasitologia - TricomonasParasitologia - Tricomonas
Parasitologia - Tricomonas
 
Parasitoses humanas
Parasitoses humanasParasitoses humanas
Parasitoses humanas
 
Protozoários - Parasitologia
Protozoários - ParasitologiaProtozoários - Parasitologia
Protozoários - Parasitologia
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
 
Trichomoniase
TrichomoniaseTrichomoniase
Trichomoniase
 
Aula 1 conceitos gerais de parasitologia
Aula 1 conceitos gerais de parasitologiaAula 1 conceitos gerais de parasitologia
Aula 1 conceitos gerais de parasitologia
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
 
Doenças parasitárias - Parte I
Doenças parasitárias - Parte IDoenças parasitárias - Parte I
Doenças parasitárias - Parte I
 
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
 
Doenças causadas por bacterias
Doenças  causadas por bacteriasDoenças  causadas por bacterias
Doenças causadas por bacterias
 
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris LumbricoidesAscaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
Ascaridíase - Lombriga - Ascaris Lumbricoides
 
Leishmaniose visceral
Leishmaniose visceralLeishmaniose visceral
Leishmaniose visceral
 
Teniase e cisticercose
Teniase e cisticercoseTeniase e cisticercose
Teniase e cisticercose
 
Plasmodium,malaria
Plasmodium,malaria Plasmodium,malaria
Plasmodium,malaria
 

Destaque

Parasitologia - Giardia lamblia
Parasitologia - Giardia lambliaParasitologia - Giardia lamblia
Parasitologia - Giardia lamblia
pHrOzEn HeLL
 
Aula 2 Amebiase
Aula 2   AmebiaseAula 2   Amebiase
Aula 2 Amebiase
ITPAC PORTO
 
Amebiase
AmebiaseAmebiase
Aula 3 Giardia Lamblia
Aula 3   Giardia LambliaAula 3   Giardia Lamblia
Aula 3 Giardia Lamblia
ITPAC PORTO
 
Tricomoníase - Parasitologia
Tricomoníase - ParasitologiaTricomoníase - Parasitologia
Tricomoníase - Parasitologia
Talita Oliveira
 
Amebiase
AmebiaseAmebiase
Amebiase
Cleber Lima
 
5. trichomonas vaginalis
5. trichomonas vaginalis5. trichomonas vaginalis
5. trichomonas vaginalis
Cristine Hirsch Monteiro
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
Nome Sobrenome
 
Atlas de Parasitologia Clínica
Atlas de Parasitologia ClínicaAtlas de Parasitologia Clínica
Atlas de Parasitologia Clínica
railuz07
 
Parasitologia - Malaria
Parasitologia - MalariaParasitologia - Malaria
Parasitologia - Malaria
pHrOzEn HeLL
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
Wellington Oliveira
 
Parasitologia - Balantidium coli
Parasitologia - Balantidium coliParasitologia - Balantidium coli
Parasitologia - Balantidium coli
pHrOzEn HeLL
 
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Doença de chagas
Doença de chagas Doença de chagas
Doença de chagas
certificado1
 
4 leishmanioses
4 leishmanioses4 leishmanioses
4 leishmanioses
dayrla
 
Leishmaniose
LeishmanioseLeishmaniose
Leishmaniose
Ediones Costa
 
Aula de enterobius vermicularis
Aula de  enterobius vermicularisAula de  enterobius vermicularis
Aula de enterobius vermicularis
Rossana Martins
 
Trichuris trichiura
Trichuris trichiuraTrichuris trichiura
Trichuris trichiura
Fernanda Marinho
 
Tricomoníase
TricomoníaseTricomoníase
Tricomoníase
blessedjah
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia

Destaque (20)

Parasitologia - Giardia lamblia
Parasitologia - Giardia lambliaParasitologia - Giardia lamblia
Parasitologia - Giardia lamblia
 
Aula 2 Amebiase
Aula 2   AmebiaseAula 2   Amebiase
Aula 2 Amebiase
 
Amebiase
AmebiaseAmebiase
Amebiase
 
Aula 3 Giardia Lamblia
Aula 3   Giardia LambliaAula 3   Giardia Lamblia
Aula 3 Giardia Lamblia
 
Tricomoníase - Parasitologia
Tricomoníase - ParasitologiaTricomoníase - Parasitologia
Tricomoníase - Parasitologia
 
Amebiase
AmebiaseAmebiase
Amebiase
 
5. trichomonas vaginalis
5. trichomonas vaginalis5. trichomonas vaginalis
5. trichomonas vaginalis
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
 
Atlas de Parasitologia Clínica
Atlas de Parasitologia ClínicaAtlas de Parasitologia Clínica
Atlas de Parasitologia Clínica
 
Parasitologia - Malaria
Parasitologia - MalariaParasitologia - Malaria
Parasitologia - Malaria
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 
Parasitologia - Balantidium coli
Parasitologia - Balantidium coliParasitologia - Balantidium coli
Parasitologia - Balantidium coli
 
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)Doenças causadas por protozoários (protozooses)
Doenças causadas por protozoários (protozooses)
 
Doença de chagas
Doença de chagas Doença de chagas
Doença de chagas
 
4 leishmanioses
4 leishmanioses4 leishmanioses
4 leishmanioses
 
Leishmaniose
LeishmanioseLeishmaniose
Leishmaniose
 
Aula de enterobius vermicularis
Aula de  enterobius vermicularisAula de  enterobius vermicularis
Aula de enterobius vermicularis
 
Trichuris trichiura
Trichuris trichiuraTrichuris trichiura
Trichuris trichiura
 
Tricomoníase
TricomoníaseTricomoníase
Tricomoníase
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
 

Semelhante a Parasitologia - Ameba

Aula amebas final medicina 2007si
Aula amebas final medicina 2007siAula amebas final medicina 2007si
Aula amebas final medicina 2007si
Sayeny Ávila
 
Aula Amebíase.pptx
Aula Amebíase.pptxAula Amebíase.pptx
Aula Amebíase.pptx
JoaraSilva1
 
Correção do estudo dirigido protozoários
Correção do estudo dirigido protozoáriosCorreção do estudo dirigido protozoários
Correção do estudo dirigido protozoários
Raquel Freiry
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
Vanessa Cunha
 
Aula n° 2
Aula n° 2  Aula n° 2
Aula n° 2
Gildo Crispim
 
4. protozoa do TGI
4. protozoa do TGI4. protozoa do TGI
4. protozoa do TGI
Cristine Hirsch Monteiro
 
7º ano cap 7 reino protoctistas
7º ano cap 7  reino protoctistas7º ano cap 7  reino protoctistas
7º ano cap 7 reino protoctistas
ISJ
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
Bianca Borges
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
Jefferson LIMA
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
ISJ
 
1ª protozoarios
 1ª protozoarios 1ª protozoarios
1ª protozoarios
Ana Paula A. Piacentini
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
professorbevilacqua
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
rnogueira
 
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).pptAMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
dirleyvalderez1
 
Relação parasito hospedeiro apresentação(1)
Relação parasito hospedeiro apresentação(1)Relação parasito hospedeiro apresentação(1)
Relação parasito hospedeiro apresentação(1)
Lucia Tavares
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
emanuel
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
mariliacml
 
Enterobacteriaceae e vibrionaceae
Enterobacteriaceae e vibrionaceaeEnterobacteriaceae e vibrionaceae
Enterobacteriaceae e vibrionaceae
Danillo Paulo da Silva
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
Marcos Albuquerque
 

Semelhante a Parasitologia - Ameba (20)

Aula amebas final medicina 2007si
Aula amebas final medicina 2007siAula amebas final medicina 2007si
Aula amebas final medicina 2007si
 
Aula Amebíase.pptx
Aula Amebíase.pptxAula Amebíase.pptx
Aula Amebíase.pptx
 
Correção do estudo dirigido protozoários
Correção do estudo dirigido protozoáriosCorreção do estudo dirigido protozoários
Correção do estudo dirigido protozoários
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 
Aula n° 2
Aula n° 2  Aula n° 2
Aula n° 2
 
4. protozoa do TGI
4. protozoa do TGI4. protozoa do TGI
4. protozoa do TGI
 
7º ano cap 7 reino protoctistas
7º ano cap 7  reino protoctistas7º ano cap 7  reino protoctistas
7º ano cap 7 reino protoctistas
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Parasitologia
ParasitologiaParasitologia
Parasitologia
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
1ª protozoarios
 1ª protozoarios 1ª protozoarios
1ª protozoarios
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).pptAMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
 
Relação parasito hospedeiro apresentação(1)
Relação parasito hospedeiro apresentação(1)Relação parasito hospedeiro apresentação(1)
Relação parasito hospedeiro apresentação(1)
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Enterobacteriaceae e vibrionaceae
Enterobacteriaceae e vibrionaceaeEnterobacteriaceae e vibrionaceae
Enterobacteriaceae e vibrionaceae
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 

Último

Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 

Parasitologia - Ameba

  • 2. Entamoeba histolytica • FAMÍLIA ENDAMOEBIDAE • ORDEM →Amoebida • GÊNERO → Entamoeba • ESPÉCIE → Entamoeba histolytica ESPÉCIE → Entamoeba coli
  • 3. Entamoeba histolytica • Monoxeno • Modo deinfecção: fecal/oral: cistos nas água e alimentos contaminados
  • 5. Entamoeba histolytica • O desencistamento ocorre na porção final do intestino delgado desprendendo os trofozoítos a reproduzir-se por divisão binária.
  • 6. Entamoeba histolytica • Possui de 01 a 04 núcleos
  • 7. 1- Há ingestão de cistos de Entamoeba/ 2 e 3- O cisto desce pelo esôfago e dentro do intestino o cisto sofre degradação/ 4- Geram trofozoítos/ 5- Os trofozoítos se reproduzem por cissiparidade/ 6- Os trofozoítos resultantes da reprodução atravessam a parede do intestino grosso/ 7- Caem na corrente sanguínea e acabam atacando outros órgãos, como o fígado e os pulmões/ 8,9,10 e 11- Processo que após a cissiparidade do trofozoíto em (5) passam a se encistar para ser eliminado nas fezes e reiniciar o ciclo na mesma pessoa ou em outras pessoas/ 12- Exemplo de ingestão de cistos por via oral, talvez por água contaminada.
  • 9. Entamoeba histolytica • Dentro do cisto o parasito realiza divisão binária formando quatro novos indivíduos que desencistam quando chegam ao intestino de um novo hospedeiro
  • 10. Entamoeba histolytica • Baixa de imunidade local, • alteração da flora intestinal, • lesões de mucosa, etc
  • 11. Entamoeba histolytica Lesões de mucosa: os trofozoítos tornam-se patogênicos e invadem a parede intestinal, alimentando-se de células da mucosa e de hemácias. Em infecção crônica podem invadir outros órgãos através da circulação sangüínea, especialmente ao fígado.
  • 12. Entamoeba histolytica • 5-50% pop. mundial têm amebíase • 50 milhões de novas infecções por ano • 10% apresentam sintomas clínicos • 2ª causa de mortes no mundo: 70.000
  • 13. • Incidência maior na àfrica, Asia e América Latina: mais de dois terços da população terá estes parasitas intestinais • Não tem relação com clima, e sim com subdesenvolvimento
  • 14. Entamoeba histolytica  Brasil: prevalência média aproximadamente 23% da população  A maioria das infecções é practicamente assintomática  A falta de condições higiênicas adequadas é a responsável por sua disseminação
  • 16. Sintomas mais frequentes Dores intestinais Náuseas Vómitos. Ulceras Perdas de sangue Anemia por déficit de ferro Disenteria
  • 17. Entamoeba histolytica Se os parasitas se disseminarem para além do trato gastrointestinal, podem causar outros problemas:  No figado destroem hepatócitos Raramente podem formar-se abcessos no baço ou cérebro.
  • 18. Entamoeba histolytica Sintomas de invasão sistémica:  febre alta ondulante,  suores,  dores abdominais na zona do figado,  fadiga,  hepatomegalia
  • 19. Entamoeba histolytica  O diagnóstico da disenteria propriamente dita, é microscopia.  Individuos com complicações anticorpos especificos .
  • 20. Entamoeba histolytica • Ferver a água, • não usar cubos de “gelo” de procedência duvidosa • não comer saladas e outros vegetais crus ou frutas cruas com casca em zonas endémicas.
  • 21. Entamoeba histolytica Tratamento • Metronidazole, Iodoquinoll, Paramomicina ou Furoato de diloxanida • Os abcessos hepáticos avançadas poderão ser tratados cirurgicamente
  • 22. Entamoeba coli • Comensal • Possui até 08 núcleos