SlideShare uma empresa Scribd logo
Licenciatura em Engenharia Agro – Pecuária

Carbúnculo Hemático e
Carbúnculo Sintomático
Disciplina: Unidade biológica animal
Docente: Fernando Delgado

Trabalho realizado por:
Alarindo Salvador 20120160
David Marques 20120130
Marco Santos
20120167
Coimbra 12/13
O Carbúnculo Hemático é causada
pelo Bacillus anthracis, uma bactéria
gram-positiva, encapsulada, imóvel e
com tendência de formação de
esporos.

Etiologia

Os esporos podem se espalhar através de
água de rios, insectos, animais selvagens e
aves.
Podem estar presentes em pastagens o
que é muito preocupante.

O carbúnculo sintomático, provoca uma
inflamação clostridial dos músculos
esqueléticos, é causado pelo Clostridium
chaouvei, uma bactéria gram- positiva em
forma de bastonete e produtora de
esporos.

A bactéria é altamente resistente às
mudanças ambientais e
desinfectantes, persistindo no solo
por muitos anos.
Etiopatogenia
•

•

•
•

O modo mais comum de infecção
natural é pela via oral os esporos
podem ser ingeridos através de
pastos contaminados, através de
água contaminada, ou em rações que
tem na composição produtos de
origem animais contaminado.
O carbúnculo pode entrar no corpo
humano através dos
intestinos, pulmões (inalação) ou
pele, sendo que esta doença não é
contagiosa.
A infecção dá-se quase sempre
através dos esporos e não pela forma
activa.
Normalmente o período de
incubação da bactéria é de algumas
horas a 7 dias.
Sintomatologia
• Carbúnculo hemático nos animais:

• Carbúnculo Hemático no homem:

• Esta enfermidade é
conhecida como moléstia
febril, aparecendo sintomas
de depressão, debilidade,
escorrimentos
hemorrágicos em diferentes
orifícios do corpo e presença
de tumefações subcutâneas
edematosas.
• Por vezes os sintomas podem
passar despercebidos(não há
tempo de o animal os exibir)

• Infecção Pulmonar –
problemas respiratórios
graves.
• Infecção gastrointestinalVómitos sanguíneos e
diarreia
• Infecção cutânea – Formação
de um ponto negro que ganha
grande exuberância.
Carbúnculo Sintomático nos animais:
•

•

•
•
•
•
•

Afecta principalmente a musculatura estriada
(coração). Lesões nas massas musculares
germinação dos esporos em lesões que possam
existir na massa muscular.
1º sintoma é uma manqueira. Há perda de apetite,
febre alta, cólicas, respiração acelerada, apatia,
dispneia e os característicos tumores crepitantes
(tumefações gasosas), quentes e dolorosas.
Aumento de volume da massa muscular com
crepitação no local,
intenso edema gelatinoso avermelhado em torno da
lesão.
A musculatura afectada é negra, seca, porosa e
friável.
O fígado, coração, e rins estão pálidos.
Quando o animal está á beira da morte, apresenta
tremores musculares.
Diagnóstico Carbúnculo
sintomático

Diagnóstico Carbúnculo
hemático
• Na maioria das vezes a observação
dos sinais clínicos não chega a
acontecer.
• Necropsia em função da morte
rápida.
• A rápida decomposição da carcaça,
• “rigor mortis” ausente ou
incompleto.
• derrames de sangue não
coagulado pelas aberturas naturais
e edemas generalizados.

• PCR (Reacção da Polimerase em
Cadeia),
• esfregação sanguíneo ou de órgãos
e músculos lesionados
• imunofluorescência directa.
• O “rigor mortis” nestes animais é
bastante precoce e entra
rapidamente em putrefacção

Nota: Nos casos superagudos são encontradas poucas
lesões características o que dificulta o diagnóstico, por
esse motivo a colheita de material deve ser realizada de
preferência por uma pessoa habilitada.
Prevenção
•
•
•
•

imunização dos animais sensíveis;
destruição das carcaças de animais mortos;
durante a tosquia, evitar os cortes;
vacinação sistemática dos animais;

Outras medidas:
• Notificação de qualquer caso às autoridades
sanitárias mais próximas;
• Isolamento dos pastos contaminados;
• Desinfecção energética ou queima dos
objectos e utensílios contaminados;
• Tratamento dos animais doentes com doses
adequadas de soro anti - carbunculoso;
• Drenagem e saneamento das áreas
pantanosas.

Tratamento
•

Uso de antibióticos (ex.:
penicilina, tetraciclina, eritromicina ou
cloranfenicol)

Excell 10 vacina para
prevenção do carbúnculo
sintomático

Nota: Devido á morte rápida dos
animais sem apresentação dos sinais
clínicos impede a realização de
tratamentos curativos.
Conclusões finais
O carbúnculo no presente e no futuro é uma das doenças mais
importantes e que maior problemas causa ás espécies pecuárias.
• O Bacillus anthracis é como que o terrorista em caso de existir
bioterrorismo esta bactéria seria a grande “bomba atómica”, ao
provocar a morte sem sequer usar a sua forma activa
É necessário que haja prevenção da doença para reduzir a
enfermidade e para reduzir possíveis perdas a nível económico e
social
Em termos gerais, para combater todas as doenças
animais o caminho mais importante é sistema de
prevenção (como por exemplo: vacinação, saneamento,
bem estar animal, etc…).
Um bom criador deve saber:
“PREVENTION IS BETTER THAN CURE”
Referencias Bibliográficas
 http://www.infoescola.com/doencas/carbunculo-hematico/
 http://www.infoescola.com/medicina-veterinaria/carbunculo-sintomatico/5
 http://www.vetmed.vt.edu/education/curriculum/vm8054/Labs/Lab10/CASES/BLACKLE
G/CHAUVOEI%20COMPOSITE.jpg
 http://ocw.tufts.edu/data/6/207367/207373_xlarge.jpg
 http://www.webrural.com.br/webrural/artigos/pecuariacorte/sanidade/carbunculoh_a
rquivos/image007.jpg
 http://coral.ufsm.br/lpv/aulas/claudio/ptg1001muscular_arquivos/slide0035_image010
.jpg
 http://www.webrural.com.br/webrural/artigos/pecuariacorte/sanidade/carbunculoh_a
rquivos/image004.jpg
 http://4.bp.blogspot.com/-Lp9B5i5tX-8/TeVHR5tFhI/AAAAAAAAAJ8/nz7qO6eVkpE/s1600/manqueira+%25283%2529.jpg
 http://api.ning.com/files/Nm3Pgdyn9zHrIymXs9Kh97EWkys*HjG1A9QgI8IMF6UUcfRTE9qSNlhcvdBlaqkphHyWseBKbrLiJ4YOdyjB9Et9cRQdtcB/Ima
gem019.jpg
 http://eyepathologist.com/images/KL16847.jpgttp://www.vetboi.com.br/produtos/Exc
ell_10_20DS_100ML_detp.png
 www3.fmvz.usp.br:8080/index.../Carbunculo%20Hemático%20(1).pd

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Antiinflamatórios veterinária
Antiinflamatórios veterinária Antiinflamatórios veterinária
Antiinflamatórios veterinária
Adryano Augustto Valladão de Carvalho
 
Cronometria dentaria de Equinos
Cronometria dentaria de EquinosCronometria dentaria de Equinos
Cronometria dentaria de Equinos
Killer Max
 
Brucelose 01
Brucelose 01Brucelose 01
Brucelose 01
Ivaristo Americo
 
Higiene e Profilaxia - Criação de Suínos
Higiene e Profilaxia - Criação de SuínosHigiene e Profilaxia - Criação de Suínos
Higiene e Profilaxia - Criação de Suínos
Lucas Maciel Gomes Olini
 
9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria
9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria
9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria
JesusCo1908
 
Fisiologia d ruminantes, goteira esofagica
Fisiologia d ruminantes, goteira esofagicaFisiologia d ruminantes, goteira esofagica
Fisiologia d ruminantes, goteira esofagica
Adriano Silva
 
Doenças de suídeos OIE 2
Doenças de suídeos OIE 2Doenças de suídeos OIE 2
Doenças de suídeos OIE 2
Marília Gomes
 
Babesiose
BabesioseBabesiose
Babesiose
Maria Alice Sene
 
Doença metabólica em ruminantes - TIMPANISMO
Doença metabólica em ruminantes - TIMPANISMODoença metabólica em ruminantes - TIMPANISMO
Doença metabólica em ruminantes - TIMPANISMO
Camilla Lima
 
Aula de Dermatopatologia
Aula de DermatopatologiaAula de Dermatopatologia
Aula de Dermatopatologia
Raimundo Tostes
 
Dermatofitose x dermatofilose
Dermatofitose x dermatofilose Dermatofitose x dermatofilose
Dermatofitose x dermatofilose
iaavila
 
Febre aftosa slide de jardson rocha
Febre aftosa slide de jardson rochaFebre aftosa slide de jardson rocha
Febre aftosa slide de jardson rocha
JARDSON ROCHA
 
Introdução a Equinocultura
Introdução a EquinoculturaIntrodução a Equinocultura
Introdução a Equinocultura
Killer Max
 
Vacinação Animal
Vacinação AnimalVacinação Animal
Vacinação Animal
Pedro Carvalho
 
Anatomia das aves
Anatomia das avesAnatomia das aves
Anatomia das aves
Marília Gomes
 
Tripanossomose bovina
Tripanossomose bovinaTripanossomose bovina
Tripanossomose bovina
Maria Alice Sene
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
Evaldo Potma
 
Abate humanitário de suínos!
Abate humanitário de suínos!Abate humanitário de suínos!
Abate humanitário de suínos!
Raquel Jóia
 
Boas práticas de manejo na Vacinação
Boas práticas de manejo na VacinaçãoBoas práticas de manejo na Vacinação
Boas práticas de manejo na Vacinação
Portal Canal Rural
 
Mormo.
Mormo.Mormo.

Mais procurados (20)

Antiinflamatórios veterinária
Antiinflamatórios veterinária Antiinflamatórios veterinária
Antiinflamatórios veterinária
 
Cronometria dentaria de Equinos
Cronometria dentaria de EquinosCronometria dentaria de Equinos
Cronometria dentaria de Equinos
 
Brucelose 01
Brucelose 01Brucelose 01
Brucelose 01
 
Higiene e Profilaxia - Criação de Suínos
Higiene e Profilaxia - Criação de SuínosHigiene e Profilaxia - Criação de Suínos
Higiene e Profilaxia - Criação de Suínos
 
9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria
9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria
9 fundamentos-de-terapeutica-veterinaria
 
Fisiologia d ruminantes, goteira esofagica
Fisiologia d ruminantes, goteira esofagicaFisiologia d ruminantes, goteira esofagica
Fisiologia d ruminantes, goteira esofagica
 
Doenças de suídeos OIE 2
Doenças de suídeos OIE 2Doenças de suídeos OIE 2
Doenças de suídeos OIE 2
 
Babesiose
BabesioseBabesiose
Babesiose
 
Doença metabólica em ruminantes - TIMPANISMO
Doença metabólica em ruminantes - TIMPANISMODoença metabólica em ruminantes - TIMPANISMO
Doença metabólica em ruminantes - TIMPANISMO
 
Aula de Dermatopatologia
Aula de DermatopatologiaAula de Dermatopatologia
Aula de Dermatopatologia
 
Dermatofitose x dermatofilose
Dermatofitose x dermatofilose Dermatofitose x dermatofilose
Dermatofitose x dermatofilose
 
Febre aftosa slide de jardson rocha
Febre aftosa slide de jardson rochaFebre aftosa slide de jardson rocha
Febre aftosa slide de jardson rocha
 
Introdução a Equinocultura
Introdução a EquinoculturaIntrodução a Equinocultura
Introdução a Equinocultura
 
Vacinação Animal
Vacinação AnimalVacinação Animal
Vacinação Animal
 
Anatomia das aves
Anatomia das avesAnatomia das aves
Anatomia das aves
 
Tripanossomose bovina
Tripanossomose bovinaTripanossomose bovina
Tripanossomose bovina
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
 
Abate humanitário de suínos!
Abate humanitário de suínos!Abate humanitário de suínos!
Abate humanitário de suínos!
 
Boas práticas de manejo na Vacinação
Boas práticas de manejo na VacinaçãoBoas práticas de manejo na Vacinação
Boas práticas de manejo na Vacinação
 
Mormo.
Mormo.Mormo.
Mormo.
 

Destaque

Doenças transmitidas por animais
Doenças transmitidas por animaisDoenças transmitidas por animais
Doenças transmitidas por animais
grace correa
 
Febre aftosa reg poa
Febre aftosa reg poaFebre aftosa reg poa
Febre aftosa reg poa
Fernanda Lourenço
 
Fabaceae- Mimosoideae
Fabaceae- MimosoideaeFabaceae- Mimosoideae
Fabaceae- Mimosoideae
air411
 
Agricultura1
Agricultura1Agricultura1
Agricultura1
lidia76
 
Sintomatologia Vegetal.Curso de LEAP.
Sintomatologia Vegetal.Curso de LEAP.Sintomatologia Vegetal.Curso de LEAP.
Sintomatologia Vegetal.Curso de LEAP.
Alarindo Salvador Dos Santos
 
Reticuloperitonite traumática em bovino: relato de caso
Reticuloperitonite traumática em bovino: relato de casoReticuloperitonite traumática em bovino: relato de caso
Reticuloperitonite traumática em bovino: relato de caso
Lilian De Rezende Jordão
 
Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.
Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.
Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.
Alarindo Salvador Dos Santos
 
Diarreia viral bovina
Diarreia viral bovinaDiarreia viral bovina
Diarreia viral bovina
Marília Gomes
 
Carbohydrate Chemistry
Carbohydrate ChemistryCarbohydrate Chemistry
Carbohydrate Chemistry
Ashok Katta
 
Carbohydrates
CarbohydratesCarbohydrates
Carbohydrates
Dr Syed Ismail Ibrahim
 

Destaque (10)

Doenças transmitidas por animais
Doenças transmitidas por animaisDoenças transmitidas por animais
Doenças transmitidas por animais
 
Febre aftosa reg poa
Febre aftosa reg poaFebre aftosa reg poa
Febre aftosa reg poa
 
Fabaceae- Mimosoideae
Fabaceae- MimosoideaeFabaceae- Mimosoideae
Fabaceae- Mimosoideae
 
Agricultura1
Agricultura1Agricultura1
Agricultura1
 
Sintomatologia Vegetal.Curso de LEAP.
Sintomatologia Vegetal.Curso de LEAP.Sintomatologia Vegetal.Curso de LEAP.
Sintomatologia Vegetal.Curso de LEAP.
 
Reticuloperitonite traumática em bovino: relato de caso
Reticuloperitonite traumática em bovino: relato de casoReticuloperitonite traumática em bovino: relato de caso
Reticuloperitonite traumática em bovino: relato de caso
 
Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.
Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.
Botanica de famlía Fabaceae,Curso LEAP. versão PPT.
 
Diarreia viral bovina
Diarreia viral bovinaDiarreia viral bovina
Diarreia viral bovina
 
Carbohydrate Chemistry
Carbohydrate ChemistryCarbohydrate Chemistry
Carbohydrate Chemistry
 
Carbohydrates
CarbohydratesCarbohydrates
Carbohydrates
 

Semelhante a Doenca de Carbúnculo Hemático e Sintomático de Animal.

Trabalho de Biologia - Doenças Bacterianas
Trabalho de Biologia - Doenças Bacterianas Trabalho de Biologia - Doenças Bacterianas
Trabalho de Biologia - Doenças Bacterianas
Lúhh Sousa
 
Trabalho de doenças ocupacionais 0010
Trabalho de doenças ocupacionais 0010Trabalho de doenças ocupacionais 0010
Trabalho de doenças ocupacionais 0010
prevencaonline
 
10 doenças de notificação compulsória
10  doenças de notificação compulsória10  doenças de notificação compulsória
10 doenças de notificação compulsória
danilo oliveira
 
Tuberculose
TuberculoseTuberculose
Tuberculose
Cássia Silva
 
Trab de biologia
Trab de biologiaTrab de biologia
Trab de biologia
2° Ta - cotuca
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
Bianca Borges
 
Principais protozooses.pptx
Principais protozooses.pptxPrincipais protozooses.pptx
Principais protozooses.pptx
KarlaBittencourt2
 
ApresentaçãO Closfritum
ApresentaçãO ClosfritumApresentaçãO Closfritum
ApresentaçãO Closfritum
Magrani22
 
Acidentes por animais peçonhentos
Acidentes por animais peçonhentosAcidentes por animais peçonhentos
Acidentes por animais peçonhentos
Nathy Oliveira
 
Peste Negra
Peste NegraPeste Negra
Peste Negra
André Botelho
 
Aula de bacterias pdf104201112530
Aula de bacterias pdf104201112530Aula de bacterias pdf104201112530
Aula de bacterias pdf104201112530
Jerson Dos Santos
 
Prevencao de doenças
Prevencao de doençasPrevencao de doenças
Prevencao de doenças
pdprevencao
 
Grandes Epidemias A Febre TifóIde E A Antraz
Grandes Epidemias   A Febre TifóIde E A AntrazGrandes Epidemias   A Febre TifóIde E A Antraz
Grandes Epidemias A Febre TifóIde E A Antraz
cnaturais9
 
Parasitologia - Balantidium coli
Parasitologia - Balantidium coliParasitologia - Balantidium coli
Parasitologia - Balantidium coli
pHrOzEn HeLL
 
Trab Bio Doenças-Cotuca
Trab Bio Doenças-CotucaTrab Bio Doenças-Cotuca
Trab Bio Doenças-Cotuca
eld09
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
ISJ
 
palestra imunidade.pptx
palestra imunidade.pptxpalestra imunidade.pptx
palestra imunidade.pptx
AdrianoFreitasNaturo
 
Biologia: Bactérias
Biologia: BactériasBiologia: Bactérias
Biologia: Bactérias
Estude Mais
 
Enterobacteriaceae e vibrionaceae
Enterobacteriaceae e vibrionaceaeEnterobacteriaceae e vibrionaceae
Enterobacteriaceae e vibrionaceae
Danillo Paulo da Silva
 
Doenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCADoenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCA
eld09
 

Semelhante a Doenca de Carbúnculo Hemático e Sintomático de Animal. (20)

Trabalho de Biologia - Doenças Bacterianas
Trabalho de Biologia - Doenças Bacterianas Trabalho de Biologia - Doenças Bacterianas
Trabalho de Biologia - Doenças Bacterianas
 
Trabalho de doenças ocupacionais 0010
Trabalho de doenças ocupacionais 0010Trabalho de doenças ocupacionais 0010
Trabalho de doenças ocupacionais 0010
 
10 doenças de notificação compulsória
10  doenças de notificação compulsória10  doenças de notificação compulsória
10 doenças de notificação compulsória
 
Tuberculose
TuberculoseTuberculose
Tuberculose
 
Trab de biologia
Trab de biologiaTrab de biologia
Trab de biologia
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 
Principais protozooses.pptx
Principais protozooses.pptxPrincipais protozooses.pptx
Principais protozooses.pptx
 
ApresentaçãO Closfritum
ApresentaçãO ClosfritumApresentaçãO Closfritum
ApresentaçãO Closfritum
 
Acidentes por animais peçonhentos
Acidentes por animais peçonhentosAcidentes por animais peçonhentos
Acidentes por animais peçonhentos
 
Peste Negra
Peste NegraPeste Negra
Peste Negra
 
Aula de bacterias pdf104201112530
Aula de bacterias pdf104201112530Aula de bacterias pdf104201112530
Aula de bacterias pdf104201112530
 
Prevencao de doenças
Prevencao de doençasPrevencao de doenças
Prevencao de doenças
 
Grandes Epidemias A Febre TifóIde E A Antraz
Grandes Epidemias   A Febre TifóIde E A AntrazGrandes Epidemias   A Febre TifóIde E A Antraz
Grandes Epidemias A Febre TifóIde E A Antraz
 
Parasitologia - Balantidium coli
Parasitologia - Balantidium coliParasitologia - Balantidium coli
Parasitologia - Balantidium coli
 
Trab Bio Doenças-Cotuca
Trab Bio Doenças-CotucaTrab Bio Doenças-Cotuca
Trab Bio Doenças-Cotuca
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
palestra imunidade.pptx
palestra imunidade.pptxpalestra imunidade.pptx
palestra imunidade.pptx
 
Biologia: Bactérias
Biologia: BactériasBiologia: Bactérias
Biologia: Bactérias
 
Enterobacteriaceae e vibrionaceae
Enterobacteriaceae e vibrionaceaeEnterobacteriaceae e vibrionaceae
Enterobacteriaceae e vibrionaceae
 
Doenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCADoenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCA
 

Doenca de Carbúnculo Hemático e Sintomático de Animal.

  • 1. Licenciatura em Engenharia Agro – Pecuária Carbúnculo Hemático e Carbúnculo Sintomático Disciplina: Unidade biológica animal Docente: Fernando Delgado Trabalho realizado por: Alarindo Salvador 20120160 David Marques 20120130 Marco Santos 20120167 Coimbra 12/13
  • 2. O Carbúnculo Hemático é causada pelo Bacillus anthracis, uma bactéria gram-positiva, encapsulada, imóvel e com tendência de formação de esporos. Etiologia Os esporos podem se espalhar através de água de rios, insectos, animais selvagens e aves. Podem estar presentes em pastagens o que é muito preocupante. O carbúnculo sintomático, provoca uma inflamação clostridial dos músculos esqueléticos, é causado pelo Clostridium chaouvei, uma bactéria gram- positiva em forma de bastonete e produtora de esporos. A bactéria é altamente resistente às mudanças ambientais e desinfectantes, persistindo no solo por muitos anos.
  • 3. Etiopatogenia • • • • O modo mais comum de infecção natural é pela via oral os esporos podem ser ingeridos através de pastos contaminados, através de água contaminada, ou em rações que tem na composição produtos de origem animais contaminado. O carbúnculo pode entrar no corpo humano através dos intestinos, pulmões (inalação) ou pele, sendo que esta doença não é contagiosa. A infecção dá-se quase sempre através dos esporos e não pela forma activa. Normalmente o período de incubação da bactéria é de algumas horas a 7 dias.
  • 4. Sintomatologia • Carbúnculo hemático nos animais: • Carbúnculo Hemático no homem: • Esta enfermidade é conhecida como moléstia febril, aparecendo sintomas de depressão, debilidade, escorrimentos hemorrágicos em diferentes orifícios do corpo e presença de tumefações subcutâneas edematosas. • Por vezes os sintomas podem passar despercebidos(não há tempo de o animal os exibir) • Infecção Pulmonar – problemas respiratórios graves. • Infecção gastrointestinalVómitos sanguíneos e diarreia • Infecção cutânea – Formação de um ponto negro que ganha grande exuberância.
  • 5. Carbúnculo Sintomático nos animais: • • • • • • • Afecta principalmente a musculatura estriada (coração). Lesões nas massas musculares germinação dos esporos em lesões que possam existir na massa muscular. 1º sintoma é uma manqueira. Há perda de apetite, febre alta, cólicas, respiração acelerada, apatia, dispneia e os característicos tumores crepitantes (tumefações gasosas), quentes e dolorosas. Aumento de volume da massa muscular com crepitação no local, intenso edema gelatinoso avermelhado em torno da lesão. A musculatura afectada é negra, seca, porosa e friável. O fígado, coração, e rins estão pálidos. Quando o animal está á beira da morte, apresenta tremores musculares.
  • 6. Diagnóstico Carbúnculo sintomático Diagnóstico Carbúnculo hemático • Na maioria das vezes a observação dos sinais clínicos não chega a acontecer. • Necropsia em função da morte rápida. • A rápida decomposição da carcaça, • “rigor mortis” ausente ou incompleto. • derrames de sangue não coagulado pelas aberturas naturais e edemas generalizados. • PCR (Reacção da Polimerase em Cadeia), • esfregação sanguíneo ou de órgãos e músculos lesionados • imunofluorescência directa. • O “rigor mortis” nestes animais é bastante precoce e entra rapidamente em putrefacção Nota: Nos casos superagudos são encontradas poucas lesões características o que dificulta o diagnóstico, por esse motivo a colheita de material deve ser realizada de preferência por uma pessoa habilitada.
  • 7. Prevenção • • • • imunização dos animais sensíveis; destruição das carcaças de animais mortos; durante a tosquia, evitar os cortes; vacinação sistemática dos animais; Outras medidas: • Notificação de qualquer caso às autoridades sanitárias mais próximas; • Isolamento dos pastos contaminados; • Desinfecção energética ou queima dos objectos e utensílios contaminados; • Tratamento dos animais doentes com doses adequadas de soro anti - carbunculoso; • Drenagem e saneamento das áreas pantanosas. Tratamento • Uso de antibióticos (ex.: penicilina, tetraciclina, eritromicina ou cloranfenicol) Excell 10 vacina para prevenção do carbúnculo sintomático Nota: Devido á morte rápida dos animais sem apresentação dos sinais clínicos impede a realização de tratamentos curativos.
  • 8. Conclusões finais O carbúnculo no presente e no futuro é uma das doenças mais importantes e que maior problemas causa ás espécies pecuárias. • O Bacillus anthracis é como que o terrorista em caso de existir bioterrorismo esta bactéria seria a grande “bomba atómica”, ao provocar a morte sem sequer usar a sua forma activa É necessário que haja prevenção da doença para reduzir a enfermidade e para reduzir possíveis perdas a nível económico e social
  • 9. Em termos gerais, para combater todas as doenças animais o caminho mais importante é sistema de prevenção (como por exemplo: vacinação, saneamento, bem estar animal, etc…). Um bom criador deve saber: “PREVENTION IS BETTER THAN CURE”
  • 10. Referencias Bibliográficas  http://www.infoescola.com/doencas/carbunculo-hematico/  http://www.infoescola.com/medicina-veterinaria/carbunculo-sintomatico/5  http://www.vetmed.vt.edu/education/curriculum/vm8054/Labs/Lab10/CASES/BLACKLE G/CHAUVOEI%20COMPOSITE.jpg  http://ocw.tufts.edu/data/6/207367/207373_xlarge.jpg  http://www.webrural.com.br/webrural/artigos/pecuariacorte/sanidade/carbunculoh_a rquivos/image007.jpg  http://coral.ufsm.br/lpv/aulas/claudio/ptg1001muscular_arquivos/slide0035_image010 .jpg  http://www.webrural.com.br/webrural/artigos/pecuariacorte/sanidade/carbunculoh_a rquivos/image004.jpg  http://4.bp.blogspot.com/-Lp9B5i5tX-8/TeVHR5tFhI/AAAAAAAAAJ8/nz7qO6eVkpE/s1600/manqueira+%25283%2529.jpg  http://api.ning.com/files/Nm3Pgdyn9zHrIymXs9Kh97EWkys*HjG1A9QgI8IMF6UUcfRTE9qSNlhcvdBlaqkphHyWseBKbrLiJ4YOdyjB9Et9cRQdtcB/Ima gem019.jpg  http://eyepathologist.com/images/KL16847.jpgttp://www.vetboi.com.br/produtos/Exc ell_10_20DS_100ML_detp.png  www3.fmvz.usp.br:8080/index.../Carbunculo%20Hemático%20(1).pd