SlideShare uma empresa Scribd logo
Ana Paula Santos de Souza
Eduardo
Debora
Descobrimento da doença:
Em 1901, o neurologista
alemão Aloysius Alzheimer
reconheceu a doença
neurodegenerativa que hoje
tem o seu nome (Doença de
Alzheimer ou mal de
Alzheimer) e como atuava
em nosso córtex.
Definição
É uma doença que provoca
deficiência cognitiva, afetando
principalmente a memória
necessária para reter novas
informações.
À medida que a doença evolui,
várias outras funções
cognitivas, como orientação,
linguagem, julgamento, função
social e habilidade de realizar
tarefas motoras e fisiológicas
que também declinam.
Comprometimentos cognitivos:
As áreas mais afetadas são as associadas a memória,
aprendizagem e coordenação motora.
Fatores de riscos
Idade: a incidência é a partir
do 60 anos é aumenta
muito em Idosos
com mais de 80 anos.
Diminuição da produção do
neurotransmissor ACETILCOLINA
Demência
É um termo médico utilizado para
denominar disfunções cognitivas globais
(habilidade de administrar as responsabilidades em
casa e no trabalho, nas atividades sociais ou nas
atividades do dia-a-dia).
Contudo, a DA é a causa mais comum de
demência no mundo todo.
Fase Inicial: dura de 2 a 4 anos
Agnosia: dificuldade em reconhecer e identificar objetos;
Apraxia: dificuldade de execução de movimentos;
Incontinência urinária pode aparecer.
• Perda de memória, confusão e desorientação.
• Ansiedade, agitação, ilusão, desconfiança.
• Alteração da personalidade e do senso crítico.
• Dificuldades com as atividades da vida diária (cozinhar,
fazer compras, dirigir, telefonar.
Fase Intermediaria: Pode durar de 3 a 5 anos
• .
• Esta fase está correlacionada com o comprometimento cortical do
lobo parietal afetando as atividades instrumentais e operativas.
• Dificuldade em reconhecer familiares e amigos.
• Perder-se em ambientes conhecidos.
• Alucinações, inapetência, perda de peso, incontinência urinária.
• Dificuldades com a fala e a comunicação
• Movimentos e fala repetitiva.
• Distúrbios do sono.
• Problemas com ações rotineiras.
• Inicio de dificuldades motoras.
Fase Final
 Dependência total.
 Incontinência urinária e fecal.
 Tendência em assumir a posição fetal.
 Mutismo (Ausencia da linguagem voluntaria ou não )
 Restrito a poltrona ou ao leito.
 Presença de úlceras por pressão (escaras)
 Perda progressiva de peso.
 Infecções urinárias e respiratórias.
 Término da comunicação.
Quarta Fase (Terminal)
Paciente está completamente dependente das pessoas.
 Linguagem reduzida a simples frases ou até a palavras
isoladas, eventualmente, em perda da fala.
Apesar da perda da linguagem verbal, podem compreender e
responder com sinais emocionais.
Agressividade pode estar presente, apatia extrema ,cansaço
são comuns.
 Não conseguem desempenhar as tarefas mais simples sem
ajuda.
Massa muscular e mobilidade degeneram-se a tal ponto que o
paciente tem de ficar deitado numa cama.
Perdem a capacidade de comer sozinhos.
A morte normalmente não é causada pelo Mal de Alzheimer,
mas por outro fator externo (pneumonia, por exemplo).
Manifestações clínicas
As manifestações mais comuns são a apatia,
irritabilidade e instabilidade emocional, chegando ao
choro, ataques inesperados de agressividade ou
resistência ao cuidado.
Manifestações clínicas
Um paciente com doença de Alzheimer pergunta a
mesma coisa centenas de vezes, mostrando sua
incapacidade de fixar algo novo.
Palavras são esquecidas, frases são trocadas, muitas
permanecendo sem finalização.
Manifestações clínicas
Apesar da perda da linguagem verbal, os pacientes
podem compreender e responder com sinais
emocionais.
Diagnósticos
 O diagnóstico é bastante difícil pois a doença não tem sintomas físicos
específicos. Seus sintomas são mentais e de comportamento e, por isso , durante
muito tempo as pessoas deixaram de encarar esse distúrbio como uma doença
que exige intervenção.
 Na fase inicial os exames como Tomografia e Ressonância Magnética costumam
não indicar alterações, sendo que, em um estágio avançado pode indicar uma
alteração no volume do cérebro (atrofia). Exames como Pet Scan e SPECT, que
indicam atividade metabólica, podem também não indicar alteração.
Perfusão em cérebro com DA Perfusão em cérebro normal
Diagnóstico provável: Doença de Alzheimer
Testes Neuropsicológicos
 Provas são excelentes instrumentos complementares à investigação
clínica. São inúmeras as baterias de testes neuropsicológicos, mas a
grande maioria de difícil aplicação em pacientes idosos.
 Devem ser administrados por profissional especializado sendo
especialmente úteis em casos fronteiriços na diferenciação de
processos demências iniciais.
 Algumas baterias de testes que incluem 33 questões e requerem
em média 30 minutos para serem aplicados. Sabemos que pacientes
idosos e/ou portadores de demência, colaboram muito pouco e por
pouco tempo quando submetidos a interrogatórios e não é incomum
que, pressionados, acabem reagindo com importantes episódios de
agitação e até mesmo de agressividade.
Como detectar a doença?
Necessário fazer o exame de tecido cerebral por meio de
necropsia ou biópsia cerebral;
Vários testes :
Tomografia ou ressonância nuclear magnética de crânio,
para excluir múltiplas isquemias, hemorragia ou tumores;
Tratamento SINTOMÁTICO
Tratamento dos sintomas de comportamento:
Irritabilidade, agitação, depressão, alucinação e
insônia.
Tratamento SINTOMÁTICO
Estrogênio: Reposição hormonal pode apresentar
menores taxas de doença de Alzheimer.
Antioxidantes: altas doses de vitamina E pode
retardar a progressão clínica da doença de Alzheimer
em estágio moderado da doença.
Tratamento dos Sintomas
O tratamento permite melhorar a saúde, retardar o declínio cognitivo,
tratar os sintomas, controlar as alterações de comportamento e
proporcionar conforto e qualidade de vida ao idoso e sua família.
A deficiência de acetilcolina é considerada
um dos principais fatores da doença de
Alzheimer.
Inibidores
Os inibidores de acetilcolinesterase, atuam inibindo a
enzima responsável pela degradação da acetilcolina que é
produzida e liberada por algumas áreas do cérebro.
Os medicamentos inibidores da acetil-colesterase são:
Tacrina
Donepesila
Rivastimina
Galantamina
Rivastigmina
Metrifonato
Medicamentos Psiquiátricos
Como a depressão e ansiedade são um problema constante
no Alzheimer é comum que os médicos prescrevam
antidepressivos.
Antidepressivos além de melhorarem o humor, o apetite, o
sono, o auto-controle e diminuírem a ansiedade, tendências
suicidas e agressividade tem demonstrado também
significativamente retardar a degeneração do cérebro.
Medicamentos Psiquiátricos
Haloperidol (Haldol) - reduz as alucinações, a agressividade, os
distúrbios de humor, a anedonia, a apatia e a disforia, que são
comportamentos que ocorrem com a evolução da patologia.
Diazepam (Valium) - usado para insônia, ansiedade, agitação motora
e irritabilidade.
Familiares/ Cuidadores
Deve estar treinado para tarefas como alimentação
adequada, deglutição, incontinência urinária, higiene
corporal, cuidados físicos e com a pele.
Familiares/ Cuidadores
Responsáveis pela manutenção da segurança física;
Redução da ansiedade e agitação;
Controle dos distúrbios do padrão de sono;
Auxílio na locomoção;
Familiares/ Cuidadores
Promoção de independências nas atividades de
autocuidado;
Atendimento das necessidades de socialização;
Melhoria da comunicação.
Apoio aos cuidadores:
Conforme a doença avança aumentam as
dificuldades para os familiares que se vêem tendo
que cuidar, acompanhar e ajudar no tratamento de
um familiar que não mais reconhece as pessoas e
depende a maior parte do tempo de auxilio de
alguém, até para realizar suas necessidades
fisiológicas mais básicas.
Obrigada!!!!!!!!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mal de alzheimer
Mal de alzheimerMal de alzheimer
Mal de alzheimer
Bruna M
 
Alzheimer atualizado
Alzheimer atualizadoAlzheimer atualizado
Alzheimer atualizado
Misterios10
 
Alzheimer ppt
Alzheimer pptAlzheimer ppt
Alzheimer ppt
Adrianne Mendonça
 
Alzheimer - Uma Abordagem Humanizada
Alzheimer - Uma Abordagem HumanizadaAlzheimer - Uma Abordagem Humanizada
Alzheimer - Uma Abordagem Humanizada
Enfº Ícaro Araújo
 
Apresentação alzheimer
Apresentação alzheimerApresentação alzheimer
Apresentação alzheimer
Laboratório Sérgio Franco
 
Seminário alzheimer.
Seminário alzheimer.Seminário alzheimer.
Seminário alzheimer.
Solange Leite
 
Doença de Alzheimer
Doença de AlzheimerDoença de Alzheimer
Doença de Alzheimer
Welisson Porto
 
Alzheimer
AlzheimerAlzheimer
Demências diagnótico & tratamento
Demências diagnótico & tratamentoDemências diagnótico & tratamento
Demências diagnótico & tratamento
Rubens De Fraga Junior
 
Ng3-Doença de Alzheimer
Ng3-Doença de AlzheimerNg3-Doença de Alzheimer
Ng3-Doença de Alzheimer
AT
 
Doença de Alzheimer
Doença de AlzheimerDoença de Alzheimer
Doença de Alzheimer
Aroldo Gavioli
 
Doença de Alzheimer
Doença de AlzheimerDoença de Alzheimer
Doença de Alzheimer
Eryco Azevedo
 
demencia-vascular
demencia-vasculardemencia-vascular
demencia-vascular
v1c7or1n0
 
Demencia
DemenciaDemencia
Demencia
1Rafael
 
Aula 1 alzheimer
Aula 1   alzheimerAula 1   alzheimer
Aula 1 alzheimer
Daniel Ribeiro
 
Doença de Alzheimer: diagnóstico e tratamento
Doença de Alzheimer: diagnóstico e tratamentoDoença de Alzheimer: diagnóstico e tratamento
Doença de Alzheimer: diagnóstico e tratamento
adonems
 
Doença de Alzheimer
Doença de AlzheimerDoença de Alzheimer
Doença de Alzheimer
Dr. Rafael Higashi
 
Depressão e demência no idoso 1
Depressão e demência no idoso 1Depressão e demência no idoso 1
Depressão e demência no idoso 1
Ana Lopes
 
Doença de parkison
Doença de parkisonDoença de parkison
Doença de parkison
hihdidushd
 
12647998 alzheimer
12647998 alzheimer12647998 alzheimer
12647998 alzheimer
Pelo Siro
 

Mais procurados (20)

Mal de alzheimer
Mal de alzheimerMal de alzheimer
Mal de alzheimer
 
Alzheimer atualizado
Alzheimer atualizadoAlzheimer atualizado
Alzheimer atualizado
 
Alzheimer ppt
Alzheimer pptAlzheimer ppt
Alzheimer ppt
 
Alzheimer - Uma Abordagem Humanizada
Alzheimer - Uma Abordagem HumanizadaAlzheimer - Uma Abordagem Humanizada
Alzheimer - Uma Abordagem Humanizada
 
Apresentação alzheimer
Apresentação alzheimerApresentação alzheimer
Apresentação alzheimer
 
Seminário alzheimer.
Seminário alzheimer.Seminário alzheimer.
Seminário alzheimer.
 
Doença de Alzheimer
Doença de AlzheimerDoença de Alzheimer
Doença de Alzheimer
 
Alzheimer
AlzheimerAlzheimer
Alzheimer
 
Demências diagnótico & tratamento
Demências diagnótico & tratamentoDemências diagnótico & tratamento
Demências diagnótico & tratamento
 
Ng3-Doença de Alzheimer
Ng3-Doença de AlzheimerNg3-Doença de Alzheimer
Ng3-Doença de Alzheimer
 
Doença de Alzheimer
Doença de AlzheimerDoença de Alzheimer
Doença de Alzheimer
 
Doença de Alzheimer
Doença de AlzheimerDoença de Alzheimer
Doença de Alzheimer
 
demencia-vascular
demencia-vasculardemencia-vascular
demencia-vascular
 
Demencia
DemenciaDemencia
Demencia
 
Aula 1 alzheimer
Aula 1   alzheimerAula 1   alzheimer
Aula 1 alzheimer
 
Doença de Alzheimer: diagnóstico e tratamento
Doença de Alzheimer: diagnóstico e tratamentoDoença de Alzheimer: diagnóstico e tratamento
Doença de Alzheimer: diagnóstico e tratamento
 
Doença de Alzheimer
Doença de AlzheimerDoença de Alzheimer
Doença de Alzheimer
 
Depressão e demência no idoso 1
Depressão e demência no idoso 1Depressão e demência no idoso 1
Depressão e demência no idoso 1
 
Doença de parkison
Doença de parkisonDoença de parkison
Doença de parkison
 
12647998 alzheimer
12647998 alzheimer12647998 alzheimer
12647998 alzheimer
 

Semelhante a Alzheimer

doença de alzheimer.pptx
doença de alzheimer.pptxdoença de alzheimer.pptx
doença de alzheimer.pptx
SilviaLouro2
 
Doenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervosoDoenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervoso
Pedui
 
Alzheimer
AlzheimerAlzheimer
Doenças Neurológicas
Doenças NeurológicasDoenças Neurológicas
Doenças Neurológicas
Fábio Simões
 
Doença de alzheimer
Doença de alzheimerDoença de alzheimer
Doença de alzheimer
BrendaMello7
 
OSTEOPOROSE - QUEDA -PRINCIPAIS SIND - EXATO.pptx
OSTEOPOROSE - QUEDA -PRINCIPAIS SIND - EXATO.pptxOSTEOPOROSE - QUEDA -PRINCIPAIS SIND - EXATO.pptx
OSTEOPOROSE - QUEDA -PRINCIPAIS SIND - EXATO.pptx
VivianePereira485260
 
Demência: Alzheimer & Parkinson
Demência: Alzheimer & ParkinsonDemência: Alzheimer & Parkinson
Demência: Alzheimer & Parkinson
Helena13dias
 
PSICOPATOLOGIA II: Aula 03 (CID-10 – F00 a F09)
PSICOPATOLOGIA II: Aula 03 (CID-10 – F00 a F09)PSICOPATOLOGIA II: Aula 03 (CID-10 – F00 a F09)
PSICOPATOLOGIA II: Aula 03 (CID-10 – F00 a F09)
Alexandre Simoes
 
Doença de Alzheimer
Doença de AlzheimerDoença de Alzheimer
Doença de Alzheimer
Tatiane Ghisi Mendes
 
CURSO_DE_VERAO_AULA_DE- ALZHEIMER-DNFERMAGEM
CURSO_DE_VERAO_AULA_DE- ALZHEIMER-DNFERMAGEMCURSO_DE_VERAO_AULA_DE- ALZHEIMER-DNFERMAGEM
CURSO_DE_VERAO_AULA_DE- ALZHEIMER-DNFERMAGEM
IsabelaVarjo
 
Alzheimer grupo 1.docx
Alzheimer grupo 1.docxAlzheimer grupo 1.docx
Alzheimer grupo 1.docx
IsabelCristinaAlmeid5
 
Demência.pptx O estudo sobre as diversas doenças que acometem o cérebro da pe...
Demência.pptx O estudo sobre as diversas doenças que acometem o cérebro da pe...Demência.pptx O estudo sobre as diversas doenças que acometem o cérebro da pe...
Demência.pptx O estudo sobre as diversas doenças que acometem o cérebro da pe...
KarinaErthal
 
Apresentação Alzheimer
Apresentação AlzheimerApresentação Alzheimer
Apresentação Alzheimer
Sérgio Franco - CDPI
 
Projeto famec criativa
Projeto famec criativaProjeto famec criativa
Projeto famec criativa
GraziSantos13
 
demecia em idosos grupo 2.docx
demecia em idosos grupo 2.docxdemecia em idosos grupo 2.docx
demecia em idosos grupo 2.docx
IsabelCristinaAlmeid5
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
Mariana Graboski Dias
 
Alzparkin
AlzparkinAlzparkin
Alzheimer e parkinson
Alzheimer e parkinsonAlzheimer e parkinson
Alzheimer e parkinson
Yasmin Alves
 
Saude do Idoso - Alzheimer e parkinson
Saude do Idoso - Alzheimer e parkinsonSaude do Idoso - Alzheimer e parkinson
Saude do Idoso - Alzheimer e parkinson
Fausto Barros
 
SEMINÁRIO PATOLOGIAS DOENÇA DE ALZHEIMER -20.05.pptx
SEMINÁRIO PATOLOGIAS DOENÇA DE ALZHEIMER -20.05.pptxSEMINÁRIO PATOLOGIAS DOENÇA DE ALZHEIMER -20.05.pptx
SEMINÁRIO PATOLOGIAS DOENÇA DE ALZHEIMER -20.05.pptx
DangioWilliam
 

Semelhante a Alzheimer (20)

doença de alzheimer.pptx
doença de alzheimer.pptxdoença de alzheimer.pptx
doença de alzheimer.pptx
 
Doenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervosoDoenças do sistema nervoso
Doenças do sistema nervoso
 
Alzheimer
AlzheimerAlzheimer
Alzheimer
 
Doenças Neurológicas
Doenças NeurológicasDoenças Neurológicas
Doenças Neurológicas
 
Doença de alzheimer
Doença de alzheimerDoença de alzheimer
Doença de alzheimer
 
OSTEOPOROSE - QUEDA -PRINCIPAIS SIND - EXATO.pptx
OSTEOPOROSE - QUEDA -PRINCIPAIS SIND - EXATO.pptxOSTEOPOROSE - QUEDA -PRINCIPAIS SIND - EXATO.pptx
OSTEOPOROSE - QUEDA -PRINCIPAIS SIND - EXATO.pptx
 
Demência: Alzheimer & Parkinson
Demência: Alzheimer & ParkinsonDemência: Alzheimer & Parkinson
Demência: Alzheimer & Parkinson
 
PSICOPATOLOGIA II: Aula 03 (CID-10 – F00 a F09)
PSICOPATOLOGIA II: Aula 03 (CID-10 – F00 a F09)PSICOPATOLOGIA II: Aula 03 (CID-10 – F00 a F09)
PSICOPATOLOGIA II: Aula 03 (CID-10 – F00 a F09)
 
Doença de Alzheimer
Doença de AlzheimerDoença de Alzheimer
Doença de Alzheimer
 
CURSO_DE_VERAO_AULA_DE- ALZHEIMER-DNFERMAGEM
CURSO_DE_VERAO_AULA_DE- ALZHEIMER-DNFERMAGEMCURSO_DE_VERAO_AULA_DE- ALZHEIMER-DNFERMAGEM
CURSO_DE_VERAO_AULA_DE- ALZHEIMER-DNFERMAGEM
 
Alzheimer grupo 1.docx
Alzheimer grupo 1.docxAlzheimer grupo 1.docx
Alzheimer grupo 1.docx
 
Demência.pptx O estudo sobre as diversas doenças que acometem o cérebro da pe...
Demência.pptx O estudo sobre as diversas doenças que acometem o cérebro da pe...Demência.pptx O estudo sobre as diversas doenças que acometem o cérebro da pe...
Demência.pptx O estudo sobre as diversas doenças que acometem o cérebro da pe...
 
Apresentação Alzheimer
Apresentação AlzheimerApresentação Alzheimer
Apresentação Alzheimer
 
Projeto famec criativa
Projeto famec criativaProjeto famec criativa
Projeto famec criativa
 
demecia em idosos grupo 2.docx
demecia em idosos grupo 2.docxdemecia em idosos grupo 2.docx
demecia em idosos grupo 2.docx
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Alzparkin
AlzparkinAlzparkin
Alzparkin
 
Alzheimer e parkinson
Alzheimer e parkinsonAlzheimer e parkinson
Alzheimer e parkinson
 
Saude do Idoso - Alzheimer e parkinson
Saude do Idoso - Alzheimer e parkinsonSaude do Idoso - Alzheimer e parkinson
Saude do Idoso - Alzheimer e parkinson
 
SEMINÁRIO PATOLOGIAS DOENÇA DE ALZHEIMER -20.05.pptx
SEMINÁRIO PATOLOGIAS DOENÇA DE ALZHEIMER -20.05.pptxSEMINÁRIO PATOLOGIAS DOENÇA DE ALZHEIMER -20.05.pptx
SEMINÁRIO PATOLOGIAS DOENÇA DE ALZHEIMER -20.05.pptx
 

Alzheimer

  • 1. Ana Paula Santos de Souza Eduardo Debora
  • 2. Descobrimento da doença: Em 1901, o neurologista alemão Aloysius Alzheimer reconheceu a doença neurodegenerativa que hoje tem o seu nome (Doença de Alzheimer ou mal de Alzheimer) e como atuava em nosso córtex.
  • 3. Definição É uma doença que provoca deficiência cognitiva, afetando principalmente a memória necessária para reter novas informações. À medida que a doença evolui, várias outras funções cognitivas, como orientação, linguagem, julgamento, função social e habilidade de realizar tarefas motoras e fisiológicas que também declinam.
  • 4. Comprometimentos cognitivos: As áreas mais afetadas são as associadas a memória, aprendizagem e coordenação motora.
  • 5. Fatores de riscos Idade: a incidência é a partir do 60 anos é aumenta muito em Idosos com mais de 80 anos.
  • 6. Diminuição da produção do neurotransmissor ACETILCOLINA
  • 7. Demência É um termo médico utilizado para denominar disfunções cognitivas globais (habilidade de administrar as responsabilidades em casa e no trabalho, nas atividades sociais ou nas atividades do dia-a-dia). Contudo, a DA é a causa mais comum de demência no mundo todo.
  • 8. Fase Inicial: dura de 2 a 4 anos Agnosia: dificuldade em reconhecer e identificar objetos; Apraxia: dificuldade de execução de movimentos; Incontinência urinária pode aparecer. • Perda de memória, confusão e desorientação. • Ansiedade, agitação, ilusão, desconfiança. • Alteração da personalidade e do senso crítico. • Dificuldades com as atividades da vida diária (cozinhar, fazer compras, dirigir, telefonar.
  • 9. Fase Intermediaria: Pode durar de 3 a 5 anos • . • Esta fase está correlacionada com o comprometimento cortical do lobo parietal afetando as atividades instrumentais e operativas. • Dificuldade em reconhecer familiares e amigos. • Perder-se em ambientes conhecidos. • Alucinações, inapetência, perda de peso, incontinência urinária. • Dificuldades com a fala e a comunicação • Movimentos e fala repetitiva. • Distúrbios do sono. • Problemas com ações rotineiras. • Inicio de dificuldades motoras.
  • 10. Fase Final  Dependência total.  Incontinência urinária e fecal.  Tendência em assumir a posição fetal.  Mutismo (Ausencia da linguagem voluntaria ou não )  Restrito a poltrona ou ao leito.  Presença de úlceras por pressão (escaras)  Perda progressiva de peso.  Infecções urinárias e respiratórias.  Término da comunicação.
  • 11. Quarta Fase (Terminal) Paciente está completamente dependente das pessoas.  Linguagem reduzida a simples frases ou até a palavras isoladas, eventualmente, em perda da fala. Apesar da perda da linguagem verbal, podem compreender e responder com sinais emocionais. Agressividade pode estar presente, apatia extrema ,cansaço são comuns.  Não conseguem desempenhar as tarefas mais simples sem ajuda. Massa muscular e mobilidade degeneram-se a tal ponto que o paciente tem de ficar deitado numa cama. Perdem a capacidade de comer sozinhos. A morte normalmente não é causada pelo Mal de Alzheimer, mas por outro fator externo (pneumonia, por exemplo).
  • 12. Manifestações clínicas As manifestações mais comuns são a apatia, irritabilidade e instabilidade emocional, chegando ao choro, ataques inesperados de agressividade ou resistência ao cuidado.
  • 13. Manifestações clínicas Um paciente com doença de Alzheimer pergunta a mesma coisa centenas de vezes, mostrando sua incapacidade de fixar algo novo. Palavras são esquecidas, frases são trocadas, muitas permanecendo sem finalização.
  • 14. Manifestações clínicas Apesar da perda da linguagem verbal, os pacientes podem compreender e responder com sinais emocionais.
  • 15. Diagnósticos  O diagnóstico é bastante difícil pois a doença não tem sintomas físicos específicos. Seus sintomas são mentais e de comportamento e, por isso , durante muito tempo as pessoas deixaram de encarar esse distúrbio como uma doença que exige intervenção.  Na fase inicial os exames como Tomografia e Ressonância Magnética costumam não indicar alterações, sendo que, em um estágio avançado pode indicar uma alteração no volume do cérebro (atrofia). Exames como Pet Scan e SPECT, que indicam atividade metabólica, podem também não indicar alteração.
  • 16. Perfusão em cérebro com DA Perfusão em cérebro normal Diagnóstico provável: Doença de Alzheimer
  • 17. Testes Neuropsicológicos  Provas são excelentes instrumentos complementares à investigação clínica. São inúmeras as baterias de testes neuropsicológicos, mas a grande maioria de difícil aplicação em pacientes idosos.  Devem ser administrados por profissional especializado sendo especialmente úteis em casos fronteiriços na diferenciação de processos demências iniciais.  Algumas baterias de testes que incluem 33 questões e requerem em média 30 minutos para serem aplicados. Sabemos que pacientes idosos e/ou portadores de demência, colaboram muito pouco e por pouco tempo quando submetidos a interrogatórios e não é incomum que, pressionados, acabem reagindo com importantes episódios de agitação e até mesmo de agressividade.
  • 18. Como detectar a doença? Necessário fazer o exame de tecido cerebral por meio de necropsia ou biópsia cerebral; Vários testes : Tomografia ou ressonância nuclear magnética de crânio, para excluir múltiplas isquemias, hemorragia ou tumores;
  • 19. Tratamento SINTOMÁTICO Tratamento dos sintomas de comportamento: Irritabilidade, agitação, depressão, alucinação e insônia.
  • 20. Tratamento SINTOMÁTICO Estrogênio: Reposição hormonal pode apresentar menores taxas de doença de Alzheimer. Antioxidantes: altas doses de vitamina E pode retardar a progressão clínica da doença de Alzheimer em estágio moderado da doença.
  • 21. Tratamento dos Sintomas O tratamento permite melhorar a saúde, retardar o declínio cognitivo, tratar os sintomas, controlar as alterações de comportamento e proporcionar conforto e qualidade de vida ao idoso e sua família. A deficiência de acetilcolina é considerada um dos principais fatores da doença de Alzheimer.
  • 22. Inibidores Os inibidores de acetilcolinesterase, atuam inibindo a enzima responsável pela degradação da acetilcolina que é produzida e liberada por algumas áreas do cérebro. Os medicamentos inibidores da acetil-colesterase são: Tacrina Donepesila Rivastimina Galantamina Rivastigmina Metrifonato
  • 23. Medicamentos Psiquiátricos Como a depressão e ansiedade são um problema constante no Alzheimer é comum que os médicos prescrevam antidepressivos. Antidepressivos além de melhorarem o humor, o apetite, o sono, o auto-controle e diminuírem a ansiedade, tendências suicidas e agressividade tem demonstrado também significativamente retardar a degeneração do cérebro.
  • 24. Medicamentos Psiquiátricos Haloperidol (Haldol) - reduz as alucinações, a agressividade, os distúrbios de humor, a anedonia, a apatia e a disforia, que são comportamentos que ocorrem com a evolução da patologia. Diazepam (Valium) - usado para insônia, ansiedade, agitação motora e irritabilidade.
  • 25. Familiares/ Cuidadores Deve estar treinado para tarefas como alimentação adequada, deglutição, incontinência urinária, higiene corporal, cuidados físicos e com a pele.
  • 26. Familiares/ Cuidadores Responsáveis pela manutenção da segurança física; Redução da ansiedade e agitação; Controle dos distúrbios do padrão de sono; Auxílio na locomoção;
  • 27. Familiares/ Cuidadores Promoção de independências nas atividades de autocuidado; Atendimento das necessidades de socialização; Melhoria da comunicação.
  • 28. Apoio aos cuidadores: Conforme a doença avança aumentam as dificuldades para os familiares que se vêem tendo que cuidar, acompanhar e ajudar no tratamento de um familiar que não mais reconhece as pessoas e depende a maior parte do tempo de auxilio de alguém, até para realizar suas necessidades fisiológicas mais básicas.