SlideShare uma empresa Scribd logo
Bons
estudos!!!
SIGNIFICADOS DA ALIMENTAÇÃO
Alimentação e Nutrição:
     qual a diferença?
• A alimentação é um ato voluntário e consciente. Ela
  depende totalmente da vontade do individuo e é o
  homem quem escolhe o alimento para o seu
  consumo.

• A nutrição e um ato involuntário, uma etapa sobre a
  qual o individuo não tem controle. Começa quando o
  alimento e levado a boca.
Os alimentos fornecem nutrientes
   importantes para nossa saúde.
 Mas o consumo inadequado de
 alimentos pode trazer danos para
a saúde das pessoas. Por exemplo,
    o excesso de alimentos pode
causar a obesidade e a deficiência
     pode causar a desnutrição.
Obesidade
A Obesidade é o acumulo excessivo de
gordura corporal, sendo normalmente
causada pelo consumo exagerado de
comida e falta de atividade física.
Desnutrição

 A desnutrição é uma doença causada por
alimentação inadequada e insuficiente, com baixa
quantidade de energia e proteína; também pode ser
causada por má-absorção, anorexia ou falta de
apetite. Pode ter influência de fatores sociais, e
nesse caso, acomete principalmente indivíduos de
classe social mais desfavorecida. Também pode
estar relacionada a problemas psiquiátricos ou a
alguma outra doença.
Significados da alimentação
 O ato de comer e influenciado por diversos fatores como os
        valores culturais, sociais, afetivos e sensoriais.




    Algumas religiões costumam criar proibições para o
     consumo de alguns alimentos, que são considerados
                   culturalmente nocivos.
Essas proibições são chamadas de tabus
  alimentares – são as crenças e superstições
relacionadas ao consumo de alguns alimentos
           ou à combinação deles.
O tabu alimentar também pode ser criado e
 mantido por razão de saúde. Por exemplo,
 comer alimentos ricos em sal pode piorar a
      saúde de quem tem pressão alta.
O significado da alimentação também
  muda de acordo com a condição
        econômica da pessoa.
Baixa renda – alimentos “fortes” ( arroz, feijão e carne)
        e “fracos” (frutas, verduras e legumes)
As crianças acostumam aos hábitos
       alimentares da família.
Para alguns pais, dar guloseimas, refrigerantes, doces e
  bolachas para os filhos é uma forma de demonstrar
                         afeto.

                     Danos à saúde;
Caráter social da alimentação – Presente desde o
      nascimento através da amamentação.
   Alimentação esta ligada ao afeto e proteção
            quanto à presença femina.
O momento de afeto na alimentação.
Encontros familiares.
A hora de comer é um momento de socialização entre as
  pessoas.
Processo chamado comensalidade, prática de comer
  juntos, dividindo a comida, mesmo que de forma
  desigual.
Ciclos de vida – Fase pré-escolar (01-06 anos)
                      pré-        (01-




  Caracteriza-se por redução na velocidade de ganho de
    peso e altura, o que leva a uma redução do apetite.

                  Diminuição do apetite
         Fase do “Eu não quero” “Eu não gosto”
Ciclos de vida – Fase escolar (07 anos até a puberdade)
    Nessa etapa caracteriza-se por um lento e constante
   crescimento. Dentes permanentes começam aparecer. A
                criança é mais independente.
 Época que ocorre um aumento da atividade física. Porém,
  é nessa fase que as crianças podem se tornar sedentárias.

                 Estimular a atividade física.
Estirão da adolescência       período em que se atinge o máximo
  da formação dos ossos, principalmente nas meninas, nas quais
  o estirão ocorre entre os 10 e 11 anos de idade.

Repleção Energética        E um processo que ocorre quando o
  nosso corpo começa a poupar energia na forma de gordura,
  para depois gastar com o crescimento que ocorre na época do
  estirão da adolescência.
Ciclos de vida – Adolescência (12 aos 20 anos)
 Diversas alterações no corpo e no comportamento. Começa a
   assumir mais responsabilidades e se torna mais independente,
   provocando mudanças no seu comportamento. Essas
   transformações influencia o comportamento alimentar.

 Comportamento alimentar do adolescente é influenciado:
                                              influenciado
 Pela família, as atitudes dos amigos, as regras e valores sociais e
   culturais, as informações trazidas pela mídia, por conhecimentos
   relativos a nutrição e até mesmo por “manias”.
                        Por valores e experiências pessoais,
                        preferências alimentares, características
                        psicológicas, auto-estima, pelas condições de
                        saúde.
                            de acordo com condições sociais e
                                econômicas.
Ciclos de vida – Adultos (18 aos )
Quando a pessoa possui capacidades de executar algumas
  atividades. É a idade caracterizada como amadurecimento
  legal.

 Os hábitos alimentares adquiridos em outras fazes tendem
  permanecer na vida adulta

Nessa fase é muito importante        continuar com uma
  alimentação saudável para evitar doenças no futuro. Além
  disso, o adulto é responsável pela formação dos hábitos
  alimentares das crianças e pela compra e preparo dos
  alimentos da casa.
• 1940 – Serviço de Alimentação e Previdência Social;
  (SAPS)
• 1945 – Comissão Nacional de Alimentação; (CNA)
• 1972 – Instituto Nacional de Alimentação e Nutrição;
  (INAN)
• 1993 – Elaboração da Política de Segurança Alimentar;
• 1993 – Ação da Cidadania Contra a Fome, a Miséria e pela
  fome;
• 1993 – Conselho Nacional de Segurança Alimentar
  (CONSEA);
• 1994 – Descentralização do PNAE;
• 1999 – Política Nacional de Alimentação e Nutrição
  (PNAN);
• 2003 – Programa Fome Zero;
Programa Fome Zero:

O programa trabalha com 4 tipos de
 enfoques diferentes:
1- ampliação do acesso aos alimentos;

2- fortalecimento da agricultura familiar;

3- geração de renda;

4- articulação, mobilização e controle social;
Promoção da Saúde
  Programa Nacional de Alimentação Escolar;
  (PNAE) – promove a formação de hábitos
  alimentares saudáveis;
• Você sabe o que significa o termo saúde?
O bem-estar físico;
O bem-estar mental;
O bem-estar social;
Promoção da Saúde
Culinária - arte de cozinhar

Culinária diferencia de acordo região do país e religião.

  Foi a partir da trocas alimentares em conjunto com as
  misturas de raças, culturas, gostos, cores e aromas
  que surgiu a culinária rica: a Brasileira
Contribuições de outras culturas
A culinária brasileira sofreu grande influência:
  Indígena (caça, pesca, coleta de frutos, cultivo de mandioca e milho).
  Africana ( azeite de dendê, coco da bahia, quiabo, tempero, leite, feijoada);
Portuguesa ( o curral (boi, porco, galinha) o quintal (limão, melão, maçã) e na horta
                      (acelga, berinjela, cenoura);
Diversidade e riqueza da alimentação
  regional brasileira – Região Norte
 Caracteriza pela extravagância             em     tudo,
  principalmente no sabor.
 (mandioca, peixes de água doce, frutas silvestres (açaí,
   cupuaçu, buriti, murici, guaraná...)
Diversidade e riqueza da alimentação
regional brasileira – Região Nordeste
Influencia de diversos países somadas às práticas dos
  índios, resultou em uma cozinha rica e variada.
Galinha ao molho pardo, carne-de-sol, inhame, feijão, buchada,
  doces, rapadura, peixes, quibebe, amendoim, doces e sorvetes de
  frutas regionais.
Diversidade e riqueza da alimentação
 regional brasileira – Região Centro-Oeste
                              Centro-
A culinária da região se baseava apenas nos recursos
           do meio ambiente – caça e pesca.
 Recebeu grande influência gaúcha, principalmente
                no apreço ao churrasco.
As frutas do cerrado também se destacam – pequi.

                                           Pacu do MT
Diversidade e riqueza da alimentação
 regional brasileira – Região Sudeste
Recebeu grande influência de outros países como:
 Itália, Japão, Coréia, China, Alemanha, Polônia,
 entre outros.
Itália – pizza, lasanha, pão
Espanhóis, árabes, japoneses - quibe, esfiha, doces de gergelim,
Portugueses - petiscos de padaria, coxinhas, bolinhos de bacalhau

Pratos típicos – cuscuz, feijoada, queijo de Minas,
  requeijão, iogurtes, pão de queijo,
feijão tropeiro, pamonha, angu, moqueca
de peixe e camarão.
Diversidade e riqueza da alimentação
   regional brasileira – Região Sul
  Foi a que mais sofreu influencia dos imigrantes, já
  que o clima da região era parecido com os países
  da Europa.
Italianos – cultivo da uva, macarronada e polenta.
Alemães - plantação de maçã, pêra, ameixas, pêssego, uva, trigo, hortaliças, criação
   de porco.

No sul a população consome churrasco de carne,
 guisado de pau, pernil de cordeiro, costelão,
 barreado, chimarrão...
A comida brasileira que mais representa nosso
    hábito alimentar – é o feijão com arroz.
Mistura de arroz e feijão fornece grande parte
 dos nutrientes necessários para manter a saúde
   do nosso corpo, inclusive a das crianças.
Dez coisa que levei anos para aprender

• 1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o
  garçom, não pode ser uma boa pessoa.

• 2. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas
  delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as
  suas com elas.

• 3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance.

• 4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca.

• 5. Não confunda nunca sua carreira com sua vida.
• 6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para
  dormir e um laxante na mesma noite.

• 7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão
  pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá)
  todo o seu potencial, essa palavra seria "reuniões".

• 8. Há uma linha muito tênue entre "hobby" e "doença mental".
• 9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito.

• 10. Nunca tenha medo de tentar algo novo. Lembre-se de que
  um amador solitário construiu a Arca. Um grande grupo de
  profissionais construiu o Titanic.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Receitas regionais
Receitas regionaisReceitas regionais
Receitas regionais
Lidiane Martins
 
Power point ednutri
Power point ednutriPower point ednutri
Power point ednutri
Laura Cen
 
Habitos alimentares
Habitos alimentaresHabitos alimentares
Habitos alimentares
Maria Pires
 
Dez passos para_familia
Dez passos para_familiaDez passos para_familia
Dez passos para_familia
saudefieb
 
Alimentacao infantil cristiane_machado
Alimentacao infantil cristiane_machadoAlimentacao infantil cristiane_machado
Alimentacao infantil cristiane_machado
Flavio Chaves
 
Alimentacao saudavel
Alimentacao saudavelAlimentacao saudavel
Alimentacao saudavel
didapgdy
 
Alimet saud
Alimet saudAlimet saud
Alimet saud
Betânea Santos
 
Mudanca de habitos alimentares
Mudanca de habitos alimentaresMudanca de habitos alimentares
Mudanca de habitos alimentares
Vitor Xavier
 
Apresentação Educação Nutricional Infantil
Apresentação Educação Nutricional InfantilApresentação Educação Nutricional Infantil
Apresentação Educação Nutricional Infantil
FabiVivieGabi
 
10passos criancaspequenas
10passos criancaspequenas10passos criancaspequenas
10passos criancaspequenas
Lidiane Martins
 
Super heróis
Super heróisSuper heróis
Super heróis
Ebji Fonte Santa
 
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02
tsunamidaiquiri
 
A Alimentação da Criança
A Alimentação da CriançaA Alimentação da Criança
A Alimentação da Criança
Ana Lagos
 
Módulo 9 – hábitos alimentares
Módulo 9 – hábitos alimentaresMódulo 9 – hábitos alimentares
Módulo 9 – hábitos alimentares
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Alimentacao saudável
Alimentacao saudávelAlimentacao saudável
Alimentacao saudável
Glaugsa
 
Cartilha ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL - UFMG
Cartilha ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL - UFMG Cartilha ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL - UFMG
Cartilha ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL - UFMG
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...
Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...
Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...
Letícia Spina Tapia
 
Dicionário 25 4
Dicionário 25 4Dicionário 25 4
Dicionário 25 4
nucane
 
Alimentação infantil 11-11-12
Alimentação infantil 11-11-12Alimentação infantil 11-11-12
Alimentação infantil 11-11-12
delma_neves
 
Nutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestante
Nutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestanteNutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestante
Nutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestante
KetlenBatista
 

Mais procurados (20)

Receitas regionais
Receitas regionaisReceitas regionais
Receitas regionais
 
Power point ednutri
Power point ednutriPower point ednutri
Power point ednutri
 
Habitos alimentares
Habitos alimentaresHabitos alimentares
Habitos alimentares
 
Dez passos para_familia
Dez passos para_familiaDez passos para_familia
Dez passos para_familia
 
Alimentacao infantil cristiane_machado
Alimentacao infantil cristiane_machadoAlimentacao infantil cristiane_machado
Alimentacao infantil cristiane_machado
 
Alimentacao saudavel
Alimentacao saudavelAlimentacao saudavel
Alimentacao saudavel
 
Alimet saud
Alimet saudAlimet saud
Alimet saud
 
Mudanca de habitos alimentares
Mudanca de habitos alimentaresMudanca de habitos alimentares
Mudanca de habitos alimentares
 
Apresentação Educação Nutricional Infantil
Apresentação Educação Nutricional InfantilApresentação Educação Nutricional Infantil
Apresentação Educação Nutricional Infantil
 
10passos criancaspequenas
10passos criancaspequenas10passos criancaspequenas
10passos criancaspequenas
 
Super heróis
Super heróisSuper heróis
Super heróis
 
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02
Receitas AlimentaçãO Escolar Lanche Gostoso 02
 
A Alimentação da Criança
A Alimentação da CriançaA Alimentação da Criança
A Alimentação da Criança
 
Módulo 9 – hábitos alimentares
Módulo 9 – hábitos alimentaresMódulo 9 – hábitos alimentares
Módulo 9 – hábitos alimentares
 
Alimentacao saudável
Alimentacao saudávelAlimentacao saudável
Alimentacao saudável
 
Cartilha ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL - UFMG
Cartilha ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL - UFMG Cartilha ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL - UFMG
Cartilha ORIENTAÇÃO NUTRICIONAL INFANTIL - UFMG
 
Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...
Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...
Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de...
 
Dicionário 25 4
Dicionário 25 4Dicionário 25 4
Dicionário 25 4
 
Alimentação infantil 11-11-12
Alimentação infantil 11-11-12Alimentação infantil 11-11-12
Alimentação infantil 11-11-12
 
Nutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestante
Nutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestanteNutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestante
Nutrição normal e dietética: alimentação do adolescente é da gestante
 

Destaque

Reflexos da globalização na cultura alimentar
Reflexos da globalização na cultura alimentarReflexos da globalização na cultura alimentar
Reflexos da globalização na cultura alimentar
Luis Dantas
 
130514 palestra-leonel
130514 palestra-leonel130514 palestra-leonel
130514 palestra-leonel
AgroTalento
 
Alimentação e gloabalização algumas reflexões
Alimentação e gloabalização algumas reflexõesAlimentação e gloabalização algumas reflexões
Alimentação e gloabalização algumas reflexões
Karina Veloso
 
Trabalho AlimentaçãO Fatima(1)(1)(1)
Trabalho AlimentaçãO Fatima(1)(1)(1)Trabalho AlimentaçãO Fatima(1)(1)(1)
Trabalho AlimentaçãO Fatima(1)(1)(1)
guestcf94dc
 
GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA Promovendo a Alimentação Saudável
GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA Promovendo a Alimentação SaudávelGUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA Promovendo a Alimentação Saudável
GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA Promovendo a Alimentação Saudável
Lidiane Martins
 
História da alimentação
História da alimentaçãoHistória da alimentação
História da alimentação
rodolforocadeira
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
CL66
 
Sonia hirsch -_manual_do_heroi_-_ilustrado
Sonia hirsch -_manual_do_heroi_-_ilustradoSonia hirsch -_manual_do_heroi_-_ilustrado
Sonia hirsch -_manual_do_heroi_-_ilustrado
Carolina Rocha
 
A Evolução do Homem
A Evolução do HomemA Evolução do Homem
A Evolução do Homem
MARLENE82
 
Culinaria Brasileira HistóRia
Culinaria Brasileira HistóRiaCulinaria Brasileira HistóRia
Culinaria Brasileira HistóRia
Bombokado Kado
 
Transtornos Alimentares
Transtornos AlimentaresTranstornos Alimentares
Transtornos Alimentares
Evilene Bolos
 
DistúRbios Alimentares
DistúRbios AlimentaresDistúRbios Alimentares
DistúRbios Alimentares
profanabela
 
PROJETO DESENVOLVIDO PELOS PROFESSORES ANTÔNIO JOSÉ E CRISTIANE
PROJETO DESENVOLVIDO PELOS PROFESSORES ANTÔNIO JOSÉ E CRISTIANEPROJETO DESENVOLVIDO PELOS PROFESSORES ANTÔNIO JOSÉ E CRISTIANE
PROJETO DESENVOLVIDO PELOS PROFESSORES ANTÔNIO JOSÉ E CRISTIANE
Janicélia Feijó Garcia
 
Comida brasileira
Comida brasileiraComida brasileira
Comida brasileira
mucamaba
 
Distúrbios alimentares Novo
Distúrbios alimentares NovoDistúrbios alimentares Novo
Distúrbios alimentares Novo
Catarina'a Silva
 
Transtornos alimentares
Transtornos alimentaresTranstornos alimentares
Transtornos alimentares
Murilo Cisalpino
 
Conceitos multimédia
Conceitos multimédiaConceitos multimédia
Conceitos multimédia
Luís
 
Obesidade e compulsão alimentar (2)
Obesidade e compulsão alimentar (2)Obesidade e compulsão alimentar (2)
Obesidade e compulsão alimentar (2)
Eliane Santos
 
Distúrbios alimentares joao pinho
Distúrbios alimentares  joao pinhoDistúrbios alimentares  joao pinho
Distúrbios alimentares joao pinho
Cátia Oliveira
 
Alimentacao saudavel 8o_c_grupo_iv[1]
Alimentacao saudavel 8o_c_grupo_iv[1]Alimentacao saudavel 8o_c_grupo_iv[1]
Alimentacao saudavel 8o_c_grupo_iv[1]
sandra.gisela
 

Destaque (20)

Reflexos da globalização na cultura alimentar
Reflexos da globalização na cultura alimentarReflexos da globalização na cultura alimentar
Reflexos da globalização na cultura alimentar
 
130514 palestra-leonel
130514 palestra-leonel130514 palestra-leonel
130514 palestra-leonel
 
Alimentação e gloabalização algumas reflexões
Alimentação e gloabalização algumas reflexõesAlimentação e gloabalização algumas reflexões
Alimentação e gloabalização algumas reflexões
 
Trabalho AlimentaçãO Fatima(1)(1)(1)
Trabalho AlimentaçãO Fatima(1)(1)(1)Trabalho AlimentaçãO Fatima(1)(1)(1)
Trabalho AlimentaçãO Fatima(1)(1)(1)
 
GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA Promovendo a Alimentação Saudável
GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA Promovendo a Alimentação SaudávelGUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA Promovendo a Alimentação Saudável
GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA Promovendo a Alimentação Saudável
 
História da alimentação
História da alimentaçãoHistória da alimentação
História da alimentação
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 
Sonia hirsch -_manual_do_heroi_-_ilustrado
Sonia hirsch -_manual_do_heroi_-_ilustradoSonia hirsch -_manual_do_heroi_-_ilustrado
Sonia hirsch -_manual_do_heroi_-_ilustrado
 
A Evolução do Homem
A Evolução do HomemA Evolução do Homem
A Evolução do Homem
 
Culinaria Brasileira HistóRia
Culinaria Brasileira HistóRiaCulinaria Brasileira HistóRia
Culinaria Brasileira HistóRia
 
Transtornos Alimentares
Transtornos AlimentaresTranstornos Alimentares
Transtornos Alimentares
 
DistúRbios Alimentares
DistúRbios AlimentaresDistúRbios Alimentares
DistúRbios Alimentares
 
PROJETO DESENVOLVIDO PELOS PROFESSORES ANTÔNIO JOSÉ E CRISTIANE
PROJETO DESENVOLVIDO PELOS PROFESSORES ANTÔNIO JOSÉ E CRISTIANEPROJETO DESENVOLVIDO PELOS PROFESSORES ANTÔNIO JOSÉ E CRISTIANE
PROJETO DESENVOLVIDO PELOS PROFESSORES ANTÔNIO JOSÉ E CRISTIANE
 
Comida brasileira
Comida brasileiraComida brasileira
Comida brasileira
 
Distúrbios alimentares Novo
Distúrbios alimentares NovoDistúrbios alimentares Novo
Distúrbios alimentares Novo
 
Transtornos alimentares
Transtornos alimentaresTranstornos alimentares
Transtornos alimentares
 
Conceitos multimédia
Conceitos multimédiaConceitos multimédia
Conceitos multimédia
 
Obesidade e compulsão alimentar (2)
Obesidade e compulsão alimentar (2)Obesidade e compulsão alimentar (2)
Obesidade e compulsão alimentar (2)
 
Distúrbios alimentares joao pinho
Distúrbios alimentares  joao pinhoDistúrbios alimentares  joao pinho
Distúrbios alimentares joao pinho
 
Alimentacao saudavel 8o_c_grupo_iv[1]
Alimentacao saudavel 8o_c_grupo_iv[1]Alimentacao saudavel 8o_c_grupo_iv[1]
Alimentacao saudavel 8o_c_grupo_iv[1]
 

Semelhante a Alimentação [modo de compatibilidade]

1606917552-dia-6-palestra-alimentacao-e-o-desenvolvimento-infantil-apresentac...
1606917552-dia-6-palestra-alimentacao-e-o-desenvolvimento-infantil-apresentac...1606917552-dia-6-palestra-alimentacao-e-o-desenvolvimento-infantil-apresentac...
1606917552-dia-6-palestra-alimentacao-e-o-desenvolvimento-infantil-apresentac...
DanielleJeffersonDia
 
Clase 4 parte 2 Nutrição.pptsaude na melhor
Clase 4 parte 2 Nutrição.pptsaude na melhorClase 4 parte 2 Nutrição.pptsaude na melhor
Clase 4 parte 2 Nutrição.pptsaude na melhor
amaroalmeida74
 
Letícia e Gabriel educação alimentar 9 a
Letícia e Gabriel educação alimentar 9 aLetícia e Gabriel educação alimentar 9 a
Letícia e Gabriel educação alimentar 9 a
Francini Domingues
 
AULA 3 - tecnica dietética- HABILIDADES CULINARIAS.pdf
AULA 3 - tecnica dietética-  HABILIDADES CULINARIAS.pdfAULA 3 - tecnica dietética-  HABILIDADES CULINARIAS.pdf
AULA 3 - tecnica dietética- HABILIDADES CULINARIAS.pdf
MariaEmiliaCoimbra
 
Alimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdf
Alimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdfAlimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdf
Alimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdf
jhordana1
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
Walquíria Domingues
 
Alimentação e saúde
Alimentação e saúdeAlimentação e saúde
Alimentação e saúde
raianegomes94
 
Apresentação do tema SEA 2013
Apresentação do tema SEA 2013Apresentação do tema SEA 2013
Apresentação do tema SEA 2013
nucane
 
Apresentação tema SEA 2013
Apresentação tema SEA 2013Apresentação tema SEA 2013
Apresentação tema SEA 2013
nucane
 
Alimentação nos Primeiros Anos de Vida e Prevenção da Obesidade
Alimentação nos Primeiros Anos de Vida e Prevenção da ObesidadeAlimentação nos Primeiros Anos de Vida e Prevenção da Obesidade
Alimentação nos Primeiros Anos de Vida e Prevenção da Obesidade
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Crescer sudavel
Crescer sudavelCrescer sudavel
Crescer sudavel
Graça Dantas
 
Alimentação da vida
Alimentação da vidaAlimentação da vida
Alimentação da vida
Pedro Kangombe
 
Trabalho de ciencias de lara
Trabalho de ciencias de laraTrabalho de ciencias de lara
Trabalho de ciencias de lara
Carla Gomes
 
A criança que não quer comer
A criança que não quer comerA criança que não quer comer
A criança que não quer comer
gisa_legal
 
nutricao da criaçna.ppt
nutricao da criaçna.pptnutricao da criaçna.ppt
nutricao da criaçna.ppt
ANA FONSECA
 
Super herois super-saudaveis
Super herois super-saudaveisSuper herois super-saudaveis
Super herois super-saudaveis
joana silva
 
E:\Efa Univ E Alim\HáBitos Alimentares T3 Jc
E:\Efa Univ E Alim\HáBitos Alimentares T3 JcE:\Efa Univ E Alim\HáBitos Alimentares T3 Jc
E:\Efa Univ E Alim\HáBitos Alimentares T3 Jc
José Carlos Abreu Gonçalves
 
Dicionário
Dicionário Dicionário
Dicionário
nucane
 
Pequeno dicionário da alimentação saudável: uma contribuição para ampliar o f...
Pequeno dicionário da alimentação saudável: uma contribuição para ampliar o f...Pequeno dicionário da alimentação saudável: uma contribuição para ampliar o f...
Pequeno dicionário da alimentação saudável: uma contribuição para ampliar o f...
nucane
 
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptxNUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
RAILANELIMAGOMES
 

Semelhante a Alimentação [modo de compatibilidade] (20)

1606917552-dia-6-palestra-alimentacao-e-o-desenvolvimento-infantil-apresentac...
1606917552-dia-6-palestra-alimentacao-e-o-desenvolvimento-infantil-apresentac...1606917552-dia-6-palestra-alimentacao-e-o-desenvolvimento-infantil-apresentac...
1606917552-dia-6-palestra-alimentacao-e-o-desenvolvimento-infantil-apresentac...
 
Clase 4 parte 2 Nutrição.pptsaude na melhor
Clase 4 parte 2 Nutrição.pptsaude na melhorClase 4 parte 2 Nutrição.pptsaude na melhor
Clase 4 parte 2 Nutrição.pptsaude na melhor
 
Letícia e Gabriel educação alimentar 9 a
Letícia e Gabriel educação alimentar 9 aLetícia e Gabriel educação alimentar 9 a
Letícia e Gabriel educação alimentar 9 a
 
AULA 3 - tecnica dietética- HABILIDADES CULINARIAS.pdf
AULA 3 - tecnica dietética-  HABILIDADES CULINARIAS.pdfAULA 3 - tecnica dietética-  HABILIDADES CULINARIAS.pdf
AULA 3 - tecnica dietética- HABILIDADES CULINARIAS.pdf
 
Alimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdf
Alimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdfAlimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdf
Alimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdf
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 
Alimentação e saúde
Alimentação e saúdeAlimentação e saúde
Alimentação e saúde
 
Apresentação do tema SEA 2013
Apresentação do tema SEA 2013Apresentação do tema SEA 2013
Apresentação do tema SEA 2013
 
Apresentação tema SEA 2013
Apresentação tema SEA 2013Apresentação tema SEA 2013
Apresentação tema SEA 2013
 
Alimentação nos Primeiros Anos de Vida e Prevenção da Obesidade
Alimentação nos Primeiros Anos de Vida e Prevenção da ObesidadeAlimentação nos Primeiros Anos de Vida e Prevenção da Obesidade
Alimentação nos Primeiros Anos de Vida e Prevenção da Obesidade
 
Crescer sudavel
Crescer sudavelCrescer sudavel
Crescer sudavel
 
Alimentação da vida
Alimentação da vidaAlimentação da vida
Alimentação da vida
 
Trabalho de ciencias de lara
Trabalho de ciencias de laraTrabalho de ciencias de lara
Trabalho de ciencias de lara
 
A criança que não quer comer
A criança que não quer comerA criança que não quer comer
A criança que não quer comer
 
nutricao da criaçna.ppt
nutricao da criaçna.pptnutricao da criaçna.ppt
nutricao da criaçna.ppt
 
Super herois super-saudaveis
Super herois super-saudaveisSuper herois super-saudaveis
Super herois super-saudaveis
 
E:\Efa Univ E Alim\HáBitos Alimentares T3 Jc
E:\Efa Univ E Alim\HáBitos Alimentares T3 JcE:\Efa Univ E Alim\HáBitos Alimentares T3 Jc
E:\Efa Univ E Alim\HáBitos Alimentares T3 Jc
 
Dicionário
Dicionário Dicionário
Dicionário
 
Pequeno dicionário da alimentação saudável: uma contribuição para ampliar o f...
Pequeno dicionário da alimentação saudável: uma contribuição para ampliar o f...Pequeno dicionário da alimentação saudável: uma contribuição para ampliar o f...
Pequeno dicionário da alimentação saudável: uma contribuição para ampliar o f...
 
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptxNUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
NUTRIÇÃO E DIETETICA APLICADA A ENFERMAGEM grau tecnico.pptx
 

Mais de marcilene1311

Apresentacao internet andre
Apresentacao internet   andreApresentacao internet   andre
Apresentacao internet andre
marcilene1311
 
Apresentacao internet
Apresentacao internetApresentacao internet
Apresentacao internet
marcilene1311
 
Escola monte moriá
Escola monte moriáEscola monte moriá
Escola monte moriá
marcilene1311
 
Agenda
Agenda Agenda
Agenda
marcilene1311
 
Apresentação do modulo de gestão e alimentaçao
Apresentação do modulo de gestão e alimentaçaoApresentação do modulo de gestão e alimentaçao
Apresentação do modulo de gestão e alimentaçao
marcilene1311
 
Agenda
Agenda Agenda
Agenda
marcilene1311
 
Uma antiga lenda
Uma antiga lendaUma antiga lenda
Uma antiga lenda
marcilene1311
 
Agenda
Agenda Agenda
Agenda
marcilene1311
 
Módulo 12
Módulo 12Módulo 12
Módulo 12
marcilene1311
 
O carvalho e o eucalipto
O carvalho e o eucaliptoO carvalho e o eucalipto
O carvalho e o eucalipto
marcilene1311
 
Agenda
AgendaAgenda
Agenda 2
Agenda 2Agenda 2
Agenda 2
marcilene1311
 
Agenda 2
Agenda 2Agenda 2
Agenda 2
marcilene1311
 
Agenda 2
Agenda 2Agenda 2
Agenda 2
marcilene1311
 
Agenda 2
Agenda 2Agenda 2
Agenda 2
marcilene1311
 
Agenda 2
Agenda 2Agenda 2
Agenda 2
marcilene1311
 
Agenda 2
Agenda 2Agenda 2
Agenda 2
marcilene1311
 
A bolacha teste
A bolacha testeA bolacha teste
A bolacha teste
marcilene1311
 
Perfil alimentação, gestao e meio ambiente [modo de compatibilidade]
Perfil   alimentação, gestao e meio ambiente [modo de compatibilidade]Perfil   alimentação, gestao e meio ambiente [modo de compatibilidade]
Perfil alimentação, gestao e meio ambiente [modo de compatibilidade]
marcilene1311
 
Tocandoemfrente2 almir sater
Tocandoemfrente2 almir saterTocandoemfrente2 almir sater
Tocandoemfrente2 almir sater
marcilene1311
 

Mais de marcilene1311 (20)

Apresentacao internet andre
Apresentacao internet   andreApresentacao internet   andre
Apresentacao internet andre
 
Apresentacao internet
Apresentacao internetApresentacao internet
Apresentacao internet
 
Escola monte moriá
Escola monte moriáEscola monte moriá
Escola monte moriá
 
Agenda
Agenda Agenda
Agenda
 
Apresentação do modulo de gestão e alimentaçao
Apresentação do modulo de gestão e alimentaçaoApresentação do modulo de gestão e alimentaçao
Apresentação do modulo de gestão e alimentaçao
 
Agenda
Agenda Agenda
Agenda
 
Uma antiga lenda
Uma antiga lendaUma antiga lenda
Uma antiga lenda
 
Agenda
Agenda Agenda
Agenda
 
Módulo 12
Módulo 12Módulo 12
Módulo 12
 
O carvalho e o eucalipto
O carvalho e o eucaliptoO carvalho e o eucalipto
O carvalho e o eucalipto
 
Agenda
AgendaAgenda
Agenda
 
Agenda 2
Agenda 2Agenda 2
Agenda 2
 
Agenda 2
Agenda 2Agenda 2
Agenda 2
 
Agenda 2
Agenda 2Agenda 2
Agenda 2
 
Agenda 2
Agenda 2Agenda 2
Agenda 2
 
Agenda 2
Agenda 2Agenda 2
Agenda 2
 
Agenda 2
Agenda 2Agenda 2
Agenda 2
 
A bolacha teste
A bolacha testeA bolacha teste
A bolacha teste
 
Perfil alimentação, gestao e meio ambiente [modo de compatibilidade]
Perfil   alimentação, gestao e meio ambiente [modo de compatibilidade]Perfil   alimentação, gestao e meio ambiente [modo de compatibilidade]
Perfil alimentação, gestao e meio ambiente [modo de compatibilidade]
 
Tocandoemfrente2 almir sater
Tocandoemfrente2 almir saterTocandoemfrente2 almir sater
Tocandoemfrente2 almir sater
 

Alimentação [modo de compatibilidade]

  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 6. Alimentação e Nutrição: qual a diferença? • A alimentação é um ato voluntário e consciente. Ela depende totalmente da vontade do individuo e é o homem quem escolhe o alimento para o seu consumo. • A nutrição e um ato involuntário, uma etapa sobre a qual o individuo não tem controle. Começa quando o alimento e levado a boca.
  • 7.
  • 8. Os alimentos fornecem nutrientes importantes para nossa saúde. Mas o consumo inadequado de alimentos pode trazer danos para a saúde das pessoas. Por exemplo, o excesso de alimentos pode causar a obesidade e a deficiência pode causar a desnutrição.
  • 9. Obesidade A Obesidade é o acumulo excessivo de gordura corporal, sendo normalmente causada pelo consumo exagerado de comida e falta de atividade física.
  • 10. Desnutrição A desnutrição é uma doença causada por alimentação inadequada e insuficiente, com baixa quantidade de energia e proteína; também pode ser causada por má-absorção, anorexia ou falta de apetite. Pode ter influência de fatores sociais, e nesse caso, acomete principalmente indivíduos de classe social mais desfavorecida. Também pode estar relacionada a problemas psiquiátricos ou a alguma outra doença.
  • 11. Significados da alimentação O ato de comer e influenciado por diversos fatores como os valores culturais, sociais, afetivos e sensoriais. Algumas religiões costumam criar proibições para o consumo de alguns alimentos, que são considerados culturalmente nocivos.
  • 12. Essas proibições são chamadas de tabus alimentares – são as crenças e superstições relacionadas ao consumo de alguns alimentos ou à combinação deles. O tabu alimentar também pode ser criado e mantido por razão de saúde. Por exemplo, comer alimentos ricos em sal pode piorar a saúde de quem tem pressão alta.
  • 13. O significado da alimentação também muda de acordo com a condição econômica da pessoa. Baixa renda – alimentos “fortes” ( arroz, feijão e carne) e “fracos” (frutas, verduras e legumes)
  • 14. As crianças acostumam aos hábitos alimentares da família. Para alguns pais, dar guloseimas, refrigerantes, doces e bolachas para os filhos é uma forma de demonstrar afeto. Danos à saúde;
  • 15. Caráter social da alimentação – Presente desde o nascimento através da amamentação. Alimentação esta ligada ao afeto e proteção quanto à presença femina.
  • 16. O momento de afeto na alimentação. Encontros familiares. A hora de comer é um momento de socialização entre as pessoas. Processo chamado comensalidade, prática de comer juntos, dividindo a comida, mesmo que de forma desigual.
  • 17. Ciclos de vida – Fase pré-escolar (01-06 anos) pré- (01- Caracteriza-se por redução na velocidade de ganho de peso e altura, o que leva a uma redução do apetite. Diminuição do apetite Fase do “Eu não quero” “Eu não gosto”
  • 18. Ciclos de vida – Fase escolar (07 anos até a puberdade) Nessa etapa caracteriza-se por um lento e constante crescimento. Dentes permanentes começam aparecer. A criança é mais independente. Época que ocorre um aumento da atividade física. Porém, é nessa fase que as crianças podem se tornar sedentárias. Estimular a atividade física.
  • 19. Estirão da adolescência período em que se atinge o máximo da formação dos ossos, principalmente nas meninas, nas quais o estirão ocorre entre os 10 e 11 anos de idade. Repleção Energética E um processo que ocorre quando o nosso corpo começa a poupar energia na forma de gordura, para depois gastar com o crescimento que ocorre na época do estirão da adolescência.
  • 20. Ciclos de vida – Adolescência (12 aos 20 anos) Diversas alterações no corpo e no comportamento. Começa a assumir mais responsabilidades e se torna mais independente, provocando mudanças no seu comportamento. Essas transformações influencia o comportamento alimentar. Comportamento alimentar do adolescente é influenciado: influenciado Pela família, as atitudes dos amigos, as regras e valores sociais e culturais, as informações trazidas pela mídia, por conhecimentos relativos a nutrição e até mesmo por “manias”. Por valores e experiências pessoais, preferências alimentares, características psicológicas, auto-estima, pelas condições de saúde. de acordo com condições sociais e econômicas.
  • 21. Ciclos de vida – Adultos (18 aos ) Quando a pessoa possui capacidades de executar algumas atividades. É a idade caracterizada como amadurecimento legal. Os hábitos alimentares adquiridos em outras fazes tendem permanecer na vida adulta Nessa fase é muito importante continuar com uma alimentação saudável para evitar doenças no futuro. Além disso, o adulto é responsável pela formação dos hábitos alimentares das crianças e pela compra e preparo dos alimentos da casa.
  • 22.
  • 23. • 1940 – Serviço de Alimentação e Previdência Social; (SAPS) • 1945 – Comissão Nacional de Alimentação; (CNA) • 1972 – Instituto Nacional de Alimentação e Nutrição; (INAN) • 1993 – Elaboração da Política de Segurança Alimentar; • 1993 – Ação da Cidadania Contra a Fome, a Miséria e pela fome; • 1993 – Conselho Nacional de Segurança Alimentar (CONSEA); • 1994 – Descentralização do PNAE; • 1999 – Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN); • 2003 – Programa Fome Zero;
  • 24. Programa Fome Zero: O programa trabalha com 4 tipos de enfoques diferentes: 1- ampliação do acesso aos alimentos; 2- fortalecimento da agricultura familiar; 3- geração de renda; 4- articulação, mobilização e controle social;
  • 25. Promoção da Saúde Programa Nacional de Alimentação Escolar; (PNAE) – promove a formação de hábitos alimentares saudáveis; • Você sabe o que significa o termo saúde? O bem-estar físico; O bem-estar mental; O bem-estar social;
  • 27.
  • 28. Culinária - arte de cozinhar Culinária diferencia de acordo região do país e religião. Foi a partir da trocas alimentares em conjunto com as misturas de raças, culturas, gostos, cores e aromas que surgiu a culinária rica: a Brasileira
  • 29. Contribuições de outras culturas A culinária brasileira sofreu grande influência: Indígena (caça, pesca, coleta de frutos, cultivo de mandioca e milho). Africana ( azeite de dendê, coco da bahia, quiabo, tempero, leite, feijoada); Portuguesa ( o curral (boi, porco, galinha) o quintal (limão, melão, maçã) e na horta (acelga, berinjela, cenoura);
  • 30. Diversidade e riqueza da alimentação regional brasileira – Região Norte Caracteriza pela extravagância em tudo, principalmente no sabor. (mandioca, peixes de água doce, frutas silvestres (açaí, cupuaçu, buriti, murici, guaraná...)
  • 31. Diversidade e riqueza da alimentação regional brasileira – Região Nordeste Influencia de diversos países somadas às práticas dos índios, resultou em uma cozinha rica e variada. Galinha ao molho pardo, carne-de-sol, inhame, feijão, buchada, doces, rapadura, peixes, quibebe, amendoim, doces e sorvetes de frutas regionais.
  • 32. Diversidade e riqueza da alimentação regional brasileira – Região Centro-Oeste Centro- A culinária da região se baseava apenas nos recursos do meio ambiente – caça e pesca. Recebeu grande influência gaúcha, principalmente no apreço ao churrasco. As frutas do cerrado também se destacam – pequi. Pacu do MT
  • 33. Diversidade e riqueza da alimentação regional brasileira – Região Sudeste Recebeu grande influência de outros países como: Itália, Japão, Coréia, China, Alemanha, Polônia, entre outros. Itália – pizza, lasanha, pão Espanhóis, árabes, japoneses - quibe, esfiha, doces de gergelim, Portugueses - petiscos de padaria, coxinhas, bolinhos de bacalhau Pratos típicos – cuscuz, feijoada, queijo de Minas, requeijão, iogurtes, pão de queijo, feijão tropeiro, pamonha, angu, moqueca de peixe e camarão.
  • 34. Diversidade e riqueza da alimentação regional brasileira – Região Sul Foi a que mais sofreu influencia dos imigrantes, já que o clima da região era parecido com os países da Europa. Italianos – cultivo da uva, macarronada e polenta. Alemães - plantação de maçã, pêra, ameixas, pêssego, uva, trigo, hortaliças, criação de porco. No sul a população consome churrasco de carne, guisado de pau, pernil de cordeiro, costelão, barreado, chimarrão...
  • 35. A comida brasileira que mais representa nosso hábito alimentar – é o feijão com arroz. Mistura de arroz e feijão fornece grande parte dos nutrientes necessários para manter a saúde do nosso corpo, inclusive a das crianças.
  • 36.
  • 37. Dez coisa que levei anos para aprender • 1. Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa. • 2. As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas. • 3. Ninguém liga se você não sabe dançar. Levante e dance. • 4. A força mais destrutiva do universo é a fofoca. • 5. Não confunda nunca sua carreira com sua vida.
  • 38. • 6. Jamais, sob quaisquer circunstâncias, tome um remédio para dormir e um laxante na mesma noite. • 7. Se você tivesse que identificar, em uma palavra, a razão pela qual a raça humana ainda não atingiu (e nunca atingirá) todo o seu potencial, essa palavra seria "reuniões". • 8. Há uma linha muito tênue entre "hobby" e "doença mental". • 9. Seus amigos de verdade amam você de qualquer jeito. • 10. Nunca tenha medo de tentar algo novo. Lembre-se de que um amador solitário construiu a Arca. Um grande grupo de profissionais construiu o Titanic.