SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Baixar para ler offline
AGENTES MODELADORES DO RELEVO
(EXTERNO)
AGENTES MODELADORES DO RELEVO
(EXTERNO)
FÍSICO
RIOS
ENXURRADAS
TORRENTES
SERES VIVOS
QUÍMICO
INTEMPERISMO
-FÍSICO
O intemperismo físico é um processo estritamente físico sem envolver mudanças na composição
química da rocha. Nenhum elemento químico é adicionado ou subtraído da rocha. A rocha
simplesmente quebra em fragmentos menores devido a uma série de stress (esforços - tensões).
Essas quebras podem se dar por vários processos:
-Variação de Temperatura -Crescimento de raízes
-Gelo (formação de gelo nas fendas das rochas) -Cristalização de Sais
INTEMPERISMO
Implica transformações químicas dos minerais que compõem a rocha. O principal agente do
intemperismo químico é a água.
-FÍSICO
-QUÍMICO
O intemperismo físico é um processo estritamente físico sem envolver mudanças na composição
química da rocha. Nenhum elemento químico é adicionado ou subtraído da rocha. A rocha
simplesmente quebra em fragmentos menores devido a uma série de stress (esforços - tensões).
Essas quebras podem se dar por vários processos:
-Variação de Temperatura -Crescimento de raízes
-Gelo (formação de gelo nas fendas das rochas) -Cristalização de Sais
A rocha decomposta transforma-se em um material chamado manto ou regolito.
INTEMPERISMO
Implica transformações químicas dos minerais que compõem a rocha. O principal agente do
intemperismo químico é a água.
-FÍSICO
-QUÍMICO
O intemperismo físico é um processo estritamente físico sem envolver mudanças na composição
química da rocha. Nenhum elemento químico é adicionado ou subtraído da rocha. A rocha
simplesmente quebra em fragmentos menores devido a uma série de stress (esforços - tensões).
Essas quebras podem se dar por vários processos:
-Variação de Temperatura -Crescimento de raízes
-Gelo (formação de gelo nas fendas das rochas) -Cristalização de Sais
A rocha decomposta transforma-se em um material chamado manto ou regolito.
-ENXURRADAS  Formadas durante e após as chuvas. Possui uma grande capacidade
erosiva.
ÁGUAS CORRENTES
-TORRENTES  Enxurradas em áreas com declive mais acentuado (montanhas).
Mais devastadoras (mais velocidade)
-RIOS  EROSÃO FLUVIAL
-ENXURRADAS  Formadas durante e após as chuvas. Possui uma grande capacidade
erosiva.
ÁGUAS CORRENTES
-TORRENTES  Enxurradas em áreas com declive mais acentuado (montanhas).
Mais devastadoras (mais velocidade)
-RIOS  EROSÃO FLUVIAL
Em seu curso os rios escavam leitos, formam vales, destroem e transportam sedimentos,
depositando e produzindo novas feições no relevo.
FASES DE
UM RIO
JOVEM MADURO SENIL
-JOVEM  Alto grau de erosão (mais erosão do que acúmulo de
sedimentos)
Rios com quedas, cachoeiras e fortes corredeiras
-MADURO  potencial de erosão é igual ao potencial de
acumulação.
Rios com quedas suaves
-SENIL potencial de erosão é inferior à acumulação.
Rios com curvas sinuosas (meandros)
Rio Tamitatoala, próximo ao Parque Indígena do
Xingu (MT), mostra toda a beleza de um rio e uma
floresta intactos.
Rio Tamitatoala, próximo ao Parque Indígena do
Xingu (MT), mostra toda a beleza de um rio e uma
floresta intactos.
Rio Cuiabá
Rio das Mortes
(Cachoeira da Fumaça)
Novo São Joaquim - MT
RIOS NO MATO GROSSO
O trabalho de destruição e de construção do relevo realizado pelo mar nas áreas litorâneas,
transformando as paisagens chama-se EROSÃO MARINHA.
OCEANOS
A partir da deposição de sedimentos formam-se as praias, os tômbolos (depósitos de areias que
ligam uma ilha ao continente), as restingas (faixas de areias depositadas paralelamente ao
litoral, podendo original lagoas costeiras ou lagunas)
Como resultado do trabalho de destruição (EROSÃO/ABRASÃO MARINHA), formam-se as falésias
(costas altas e abruptas)
Também conhecido como EROSÃO EÓLICA.
VENTOS
É provocada pela ação dos
ventos quando este
transporta partículas que
ao se chocarem
transformam-se em
partículas menores.
(CORROSÃO)
Arizona - EUA
GELEIRAS
Fiordes-profundos vales criados pelas geleiras
É provocada pelo
deslocamento das
geleiras provocadas
pela força da
gravidade.
Agentes modeladores do relevo externos
Agentes modeladores do relevo externos
Agentes modeladores do relevo externos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Urbanizacao
UrbanizacaoUrbanizacao
Urbanizacao
Almir
 
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o BrasilGEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
Dayane Cristine Leite
 
Industrialização brasileira alterações no espaço
Industrialização brasileira   alterações no espaçoIndustrialização brasileira   alterações no espaço
Industrialização brasileira alterações no espaço
Luciano Pessanha
 

Mais procurados (20)

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
 
Climas do mundo
Climas do mundoClimas do mundo
Climas do mundo
 
AGENTES EXTERNOS DO RELEVO
AGENTES EXTERNOS DO RELEVOAGENTES EXTERNOS DO RELEVO
AGENTES EXTERNOS DO RELEVO
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Urbanizacao
UrbanizacaoUrbanizacao
Urbanizacao
 
AGENTES INTERNOS DO RELEVO
AGENTES INTERNOS DO RELEVOAGENTES INTERNOS DO RELEVO
AGENTES INTERNOS DO RELEVO
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
 
Rochas e minerais
Rochas e mineraisRochas e minerais
Rochas e minerais
 
Relevo Brasileiro
 Relevo Brasileiro Relevo Brasileiro
Relevo Brasileiro
 
Climatologia
Climatologia Climatologia
Climatologia
 
Climas do-brasil
Climas do-brasilClimas do-brasil
Climas do-brasil
 
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o BrasilGEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
 
Ásia
ÁsiaÁsia
Ásia
 
Estruturas geológicas no mundo e Brasil
 Estruturas geológicas no mundo e Brasil Estruturas geológicas no mundo e Brasil
Estruturas geológicas no mundo e Brasil
 
Pirâmide etária
Pirâmide etáriaPirâmide etária
Pirâmide etária
 
Erosões
ErosõesErosões
Erosões
 
Tipos de rochas
Tipos de rochasTipos de rochas
Tipos de rochas
 
Dinâmica interna e externa do relevo
Dinâmica interna e externa do relevoDinâmica interna e externa do relevo
Dinâmica interna e externa do relevo
 
Industrialização brasileira alterações no espaço
Industrialização brasileira   alterações no espaçoIndustrialização brasileira   alterações no espaço
Industrialização brasileira alterações no espaço
 

Destaque

Cap. 5 os agentes modeladores do relevo
Cap. 5   os agentes modeladores do relevoCap. 5   os agentes modeladores do relevo
Cap. 5 os agentes modeladores do relevo
profacacio
 
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevoAula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
geopedrote
 
Slide: Relevo brasileiro, Geografia.
Slide: Relevo brasileiro, Geografia.Slide: Relevo brasileiro, Geografia.
Slide: Relevo brasileiro, Geografia.
agendab
 
Conceitos fundamentais da geomorfologia
Conceitos fundamentais da geomorfologiaConceitos fundamentais da geomorfologia
Conceitos fundamentais da geomorfologia
Girlene Virginia
 
Geografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm ba
Geografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm baGeografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm ba
Geografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm ba
Nilberte
 

Destaque (20)

Cap. 5 os agentes modeladores do relevo
Cap. 5   os agentes modeladores do relevoCap. 5   os agentes modeladores do relevo
Cap. 5 os agentes modeladores do relevo
 
Dinâmica do Relevo
Dinâmica do RelevoDinâmica do Relevo
Dinâmica do Relevo
 
DINÂMICAS DO RELEVO: AGENTES MODELADORES
DINÂMICAS DO RELEVO:  AGENTES MODELADORESDINÂMICAS DO RELEVO:  AGENTES MODELADORES
DINÂMICAS DO RELEVO: AGENTES MODELADORES
 
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevoAula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
 
Os Agentes do Relevo - Geografia
Os Agentes do Relevo - GeografiaOs Agentes do Relevo - Geografia
Os Agentes do Relevo - Geografia
 
Slide: Relevo brasileiro, Geografia.
Slide: Relevo brasileiro, Geografia.Slide: Relevo brasileiro, Geografia.
Slide: Relevo brasileiro, Geografia.
 
Processos internos e externos responsáveis por mudanças na
Processos internos e externos responsáveis por mudanças naProcessos internos e externos responsáveis por mudanças na
Processos internos e externos responsáveis por mudanças na
 
Dinâmica interna e externa do relevo
Dinâmica interna e externa do relevoDinâmica interna e externa do relevo
Dinâmica interna e externa do relevo
 
Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
 
Conceitos fundamentais da geomorfologia
Conceitos fundamentais da geomorfologiaConceitos fundamentais da geomorfologia
Conceitos fundamentais da geomorfologia
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 
Geografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm ba
Geografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm baGeografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm ba
Geografia do brasil relevo, clima, vegetação, hidrografia e fusos horários-pm ba
 
Formas De Relevo
Formas De RelevoFormas De Relevo
Formas De Relevo
 
Intemperismo apresentação
Intemperismo apresentaçãoIntemperismo apresentação
Intemperismo apresentação
 
Dinâmica interna e externa do relevo
Dinâmica interna e externa do relevoDinâmica interna e externa do relevo
Dinâmica interna e externa do relevo
 
www.TutoresEscolares.Com.Br - Geografia - Relevo
www.TutoresEscolares.Com.Br - Geografia -  Relevowww.TutoresEscolares.Com.Br - Geografia -  Relevo
www.TutoresEscolares.Com.Br - Geografia - Relevo
 
Tipos de relevo do mundo
Tipos de relevo do mundoTipos de relevo do mundo
Tipos de relevo do mundo
 
Relevo terrestre
Relevo terrestreRelevo terrestre
Relevo terrestre
 
Tipos de relevo
Tipos de relevoTipos de relevo
Tipos de relevo
 
Escola estadual tipos de relevo
Escola estadual   tipos de relevoEscola estadual   tipos de relevo
Escola estadual tipos de relevo
 

Semelhante a Agentes modeladores do relevo externos

LITOSFERA: AS FORMAS DE RELEVO E SEUS AGENTES TRANSFORMADORES
LITOSFERA:  AS FORMAS DE RELEVO E SEUS AGENTES TRANSFORMADORES LITOSFERA:  AS FORMAS DE RELEVO E SEUS AGENTES TRANSFORMADORES
LITOSFERA: AS FORMAS DE RELEVO E SEUS AGENTES TRANSFORMADORES
DANUBIA ZANOTELLI
 
Litosfera as formas de relevo e seus agentes transformadores
Litosfera  as formas de relevo e seus agentes transformadoresLitosfera  as formas de relevo e seus agentes transformadores
Litosfera as formas de relevo e seus agentes transformadores
DANUBIA ZANOTELLI
 
Agentes externos de_formacao_do_relevo_6o_ano
Agentes externos de_formacao_do_relevo_6o_anoAgentes externos de_formacao_do_relevo_6o_ano
Agentes externos de_formacao_do_relevo_6o_ano
Colégio Santo Antônio
 
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I AG E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
Amanda Oliveira
 
Ficha informativa cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicas
Ficha informativa   cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicasFicha informativa   cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicas
Ficha informativa cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicas
Pelo Siro
 
Aula 02 auxiliar de mineração (geologia) ll
Aula 02 auxiliar de mineração (geologia) llAula 02 auxiliar de mineração (geologia) ll
Aula 02 auxiliar de mineração (geologia) ll
Homero Alves de Lima
 

Semelhante a Agentes modeladores do relevo externos (20)

LITOSFERA: AS FORMAS DE RELEVO E SEUS AGENTES TRANSFORMADORES
LITOSFERA:  AS FORMAS DE RELEVO E SEUS AGENTES TRANSFORMADORES LITOSFERA:  AS FORMAS DE RELEVO E SEUS AGENTES TRANSFORMADORES
LITOSFERA: AS FORMAS DE RELEVO E SEUS AGENTES TRANSFORMADORES
 
Litosfera as formas de relevo e seus agentes transformadores
Litosfera  as formas de relevo e seus agentes transformadoresLitosfera  as formas de relevo e seus agentes transformadores
Litosfera as formas de relevo e seus agentes transformadores
 
Rochas Sedimentares
Rochas SedimentaresRochas Sedimentares
Rochas Sedimentares
 
Agentes externos de_formacao_do_relevo_6o_ano
Agentes externos de_formacao_do_relevo_6o_anoAgentes externos de_formacao_do_relevo_6o_ano
Agentes externos de_formacao_do_relevo_6o_ano
 
Geologia
GeologiaGeologia
Geologia
 
Geomorfologia
GeomorfologiaGeomorfologia
Geomorfologia
 
18 03 agentes modeladores do relevo
18 03 agentes modeladores do relevo18 03 agentes modeladores do relevo
18 03 agentes modeladores do relevo
 
Cap4 3 agentes modeladores do relevo
Cap4 3 agentes modeladores do relevoCap4 3 agentes modeladores do relevo
Cap4 3 agentes modeladores do relevo
 
agentes do relevo.pdf
agentes do relevo.pdfagentes do relevo.pdf
agentes do relevo.pdf
 
rochas.pptx
rochas.pptxrochas.pptx
rochas.pptx
 
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I AG E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
 
2 as rochas
2   as rochas2   as rochas
2 as rochas
 
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia & Geologia (GEOLOGIA) 11º Ano
 
Rochas
RochasRochas
Rochas
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 
Rochas
RochasRochas
Rochas
 
Cap9,10,11
Cap9,10,11Cap9,10,11
Cap9,10,11
 
Ficha informativa cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicas
Ficha informativa   cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicasFicha informativa   cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicas
Ficha informativa cn-7º-ano-dinamica-externa-da-terra-paisagens-geologicas
 
6ano unidade5
6ano unidade56ano unidade5
6ano unidade5
 
Aula 02 auxiliar de mineração (geologia) ll
Aula 02 auxiliar de mineração (geologia) llAula 02 auxiliar de mineração (geologia) ll
Aula 02 auxiliar de mineração (geologia) ll
 

Mais de Fernanda Lopes

Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sulCap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Fernanda Lopes
 

Mais de Fernanda Lopes (20)

Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
Cap 1 primeiro ano aula 2-principais conceitos-2020
 
Cap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundoCap 1 da europa para o mundo
Cap 1 da europa para o mundo
 
Mariana tragédia
Mariana tragédiaMariana tragédia
Mariana tragédia
 
Piores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da históriaPiores acidentes nucleares da história
Piores acidentes nucleares da história
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
China conteúdo
China conteúdoChina conteúdo
China conteúdo
 
Blocos econômicos primeiro ano
Blocos econômicos  primeiro anoBlocos econômicos  primeiro ano
Blocos econômicos primeiro ano
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Questão palestina
Questão palestinaQuestão palestina
Questão palestina
 
Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2Conflitos mundiais 2
Conflitos mundiais 2
 
Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1Cap 14 conflitos mundiais 1
Cap 14 conflitos mundiais 1
 
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sulCap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
Cap 14 c regiões geoeconômicas_centro sul
 
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_neCap 14 b regiões geoeconômicas_ne
Cap 14 b regiões geoeconômicas_ne
 
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazôniaCap 14 regiões geoeconômicas amazônia
Cap 14 regiões geoeconômicas amazônia
 
Cap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialistaCap 13 mundo ex socialista
Cap 13 mundo ex socialista
 
Rússia país
Rússia paísRússia país
Rússia país
 
Cap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentradaCap 13 b a região concentrada
Cap 13 b a região concentrada
 
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallllCap 12 desenvolvimento mundiallll
Cap 12 desenvolvimento mundiallll
 
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilllCap 12 organização politico administrativa do brasilll
Cap 12 organização politico administrativa do brasilll
 
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águasQuestões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
Questões ambientais buraco ozônio e poluição das águas
 

Agentes modeladores do relevo externos

  • 1. AGENTES MODELADORES DO RELEVO (EXTERNO)
  • 2. AGENTES MODELADORES DO RELEVO (EXTERNO) FÍSICO RIOS ENXURRADAS TORRENTES SERES VIVOS QUÍMICO
  • 3. INTEMPERISMO -FÍSICO O intemperismo físico é um processo estritamente físico sem envolver mudanças na composição química da rocha. Nenhum elemento químico é adicionado ou subtraído da rocha. A rocha simplesmente quebra em fragmentos menores devido a uma série de stress (esforços - tensões). Essas quebras podem se dar por vários processos: -Variação de Temperatura -Crescimento de raízes -Gelo (formação de gelo nas fendas das rochas) -Cristalização de Sais
  • 4. INTEMPERISMO Implica transformações químicas dos minerais que compõem a rocha. O principal agente do intemperismo químico é a água. -FÍSICO -QUÍMICO O intemperismo físico é um processo estritamente físico sem envolver mudanças na composição química da rocha. Nenhum elemento químico é adicionado ou subtraído da rocha. A rocha simplesmente quebra em fragmentos menores devido a uma série de stress (esforços - tensões). Essas quebras podem se dar por vários processos: -Variação de Temperatura -Crescimento de raízes -Gelo (formação de gelo nas fendas das rochas) -Cristalização de Sais A rocha decomposta transforma-se em um material chamado manto ou regolito.
  • 5. INTEMPERISMO Implica transformações químicas dos minerais que compõem a rocha. O principal agente do intemperismo químico é a água. -FÍSICO -QUÍMICO O intemperismo físico é um processo estritamente físico sem envolver mudanças na composição química da rocha. Nenhum elemento químico é adicionado ou subtraído da rocha. A rocha simplesmente quebra em fragmentos menores devido a uma série de stress (esforços - tensões). Essas quebras podem se dar por vários processos: -Variação de Temperatura -Crescimento de raízes -Gelo (formação de gelo nas fendas das rochas) -Cristalização de Sais A rocha decomposta transforma-se em um material chamado manto ou regolito.
  • 6. -ENXURRADAS  Formadas durante e após as chuvas. Possui uma grande capacidade erosiva. ÁGUAS CORRENTES -TORRENTES  Enxurradas em áreas com declive mais acentuado (montanhas). Mais devastadoras (mais velocidade) -RIOS  EROSÃO FLUVIAL
  • 7. -ENXURRADAS  Formadas durante e após as chuvas. Possui uma grande capacidade erosiva. ÁGUAS CORRENTES -TORRENTES  Enxurradas em áreas com declive mais acentuado (montanhas). Mais devastadoras (mais velocidade) -RIOS  EROSÃO FLUVIAL Em seu curso os rios escavam leitos, formam vales, destroem e transportam sedimentos, depositando e produzindo novas feições no relevo. FASES DE UM RIO JOVEM MADURO SENIL
  • 8. -JOVEM  Alto grau de erosão (mais erosão do que acúmulo de sedimentos) Rios com quedas, cachoeiras e fortes corredeiras -MADURO  potencial de erosão é igual ao potencial de acumulação. Rios com quedas suaves -SENIL potencial de erosão é inferior à acumulação. Rios com curvas sinuosas (meandros)
  • 9. Rio Tamitatoala, próximo ao Parque Indígena do Xingu (MT), mostra toda a beleza de um rio e uma floresta intactos.
  • 10. Rio Tamitatoala, próximo ao Parque Indígena do Xingu (MT), mostra toda a beleza de um rio e uma floresta intactos.
  • 12. Rio das Mortes (Cachoeira da Fumaça) Novo São Joaquim - MT
  • 13.
  • 14. RIOS NO MATO GROSSO
  • 15.
  • 16. O trabalho de destruição e de construção do relevo realizado pelo mar nas áreas litorâneas, transformando as paisagens chama-se EROSÃO MARINHA. OCEANOS A partir da deposição de sedimentos formam-se as praias, os tômbolos (depósitos de areias que ligam uma ilha ao continente), as restingas (faixas de areias depositadas paralelamente ao litoral, podendo original lagoas costeiras ou lagunas) Como resultado do trabalho de destruição (EROSÃO/ABRASÃO MARINHA), formam-se as falésias (costas altas e abruptas)
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25. Também conhecido como EROSÃO EÓLICA. VENTOS É provocada pela ação dos ventos quando este transporta partículas que ao se chocarem transformam-se em partículas menores. (CORROSÃO)
  • 27.
  • 28.
  • 29. GELEIRAS Fiordes-profundos vales criados pelas geleiras É provocada pelo deslocamento das geleiras provocadas pela força da gravidade.