SlideShare uma empresa Scribd logo
Adriano Francis Dorigan
 Adrielle Rodrigues Prates
Ana Beatriz Dilena Spadoni
     Kassia Karoline Vieira
      Luis Aurelio Sanches
  Maira Caroline Terçariol
 Intemperismo, também   conhecido
 como meteorização, é o conjunto de
 fenômenos físicos e químicos que levam
 à degradação e enfraquecimento das
 rochas

 Ocorrein situ, ou seja, sem deslocamento
 do material.
O intemperismo consiste da
transformação das rochas em materiais
mais estáveis em condições físico-
químicas diferentes daquelas em que
elas se originaram.
A  natureza e efetividade dos processos
  de intemperismo dependem
  principalmente de três grupos de
  variáveis:
 Condições climáticas.
 Propriedades dos materiais.
 Variáveis locais.

Recomendado para você

Erosão
ErosãoErosão
Erosão

O documento discute os fatores que influenciam na erosão do solo, incluindo a chuva, topografia do terreno, cobertura vegetal e natureza do solo. A erosão ocorre principalmente pela ação da água da chuva e escoamento superficial através de mecanismos como impacto de gotas, infiltração e escorrimento. Existem diferentes formas de erosão hídrica como laminar, em sulcos, voçorocas e deslocamento de massas de solo.

solosmeio ambiente
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO

Este documento fornece informações sobre o solo, definindo-o como a camada superficial da crosta terrestre. Explica que existem vários tipos de solo que variam de acordo com fatores como clima, incidência solar, rocha original e cobertura vegetal. Também descreve os principais componentes do solo e os processos de formação, decomposição e alteração das rochas que levam à formação dos solos, um processo que pode levar milhares de anos.

origem do soloformaçãohorizontes do solo
Slides ciência do solo
Slides   ciência do soloSlides   ciência do solo
Slides ciência do solo

O documento descreve os processos de formação de solos e rochas, incluindo a meteorização e intemperismo de rochas, resultando na formação de solos. Detalha os principais tipos de rochas - ígneas, sedimentares e metamórficas - e seus processos de formação. Também explica os agentes de formação dos solos, como material de origem, relevo, clima, biosfera e tempo.

O intemperismo pode ser causado por
 processos:

 Físico.
 Químico.
 Biológico.
 CLIMA


 RELEVO


 ROCHA   PARENTAL

 TEMPO   DE EXPOSIÇÃO

 FAUNA   e FLORA
 As rochas ígneas são formadas pela
 consolidação do magma. O magma
 consiste de uma fusão
 predominantemente silicatada, móvel, de
 alta temperatura, proveniente do interior
 do globo terrestre. As lavas são magmas
 que atingem a superfície através de
 cavidades vulcânicas.
 Asrochas sedimentares são formadas
 através da deposição e consolidação de
 sedimentos. Sedimentos são materiais
 originados da destruição e alteração de
 rochas pré-existentes. Assim, a formação
 de uma rocha sedimentar decorre de
 uma sucessão de eventos, que constituem
 o chamado ciclo sedimentar.

Recomendado para você

Erosões
ErosõesErosões
Erosões

Este documento descreve o processo de erosão, definindo-o como a destruição e transporte do solo e rochas pela água, vento ou gelo. A erosão destrói a estrutura do solo e transporta os materiais para áreas mais baixas, causando assoreamento em cursos d'água. A erosão é um problema quando o solo é exposto devido à remoção da vegetação, podendo levar à desertificação. O documento também discute os tipos e fatores de erosão e suas consequências, além de medidas para evitá-la.

Solos
SolosSolos
Solos

O documento descreve as características e formação dos solos. Os solos são compostos por materiais inorgânicos e orgânicos, formados a partir da decomposição das rochas pela ação de fatores climáticos e organismos vivos. Os solos possuem diferentes horizontes e tipos que variam em composição, cor, fertilidade e permeabilidade.

léo fonsecageografiaprofessor
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos

O documento discute os tipos de solos, incluindo sua formação, componentes e classificações. Ele explica que os solos são compostos principalmente por minerais, matéria orgânica e gases, e descreve os principais tipos como arenoso, argiloso e humífero. O documento também discute processos como erosão e formas de conservação do solo.

 Pedogênese  é o processo no qual
 determinado solo é formado, assim como
 suas características e sua evolução na
 paisagem.
 Clima


 Organismos


 Relevo


 Material   de origem

 Tempo
   Pode se salientar sobre os horizontes do solo,
    onde um corte recente de estrada ou
    escavação expõe perfis verticais do solo,
    frequentemente notam-se camadas
    denominadas horizontes. Um perfil de solo
    generalizado, e um tanto simplificado, tem
    quatro divisões principais, além do R (Rocha
    Consolidada) e do E , são eles: Horizontes O,
    A, B e C, o horizonte A tem duas subdivisões
    (A1 e A2). Alinhados em ordem descendente a
    partir da superfície do solo.
Intemperismo apresentação

Recomendado para você

Geoquímica sedimentação e intemperismo
Geoquímica   sedimentação e intemperismoGeoquímica   sedimentação e intemperismo
Geoquímica sedimentação e intemperismo

Aula de Geoquímica para alunos do 4.o Período de Geologia da FINOM. Processos de sedimentação e de intemperismo.

geoquímicasedimentaçãointemperismo
Tipos de Rochas
Tipos de RochasTipos de Rochas
Tipos de Rochas

O documento descreve os três tipos de rochas - ígneas, sedimentares e metamórficas. As rochas ígneas formam-se a partir da solidificação do magma, podendo ser vulcânicas ou plutônicas. As sedimentares formam-se a partir da erosão e deposição de outros materiais, enquanto as metamórficas formam-se pela transformação de outras rochas sob alta pressão e temperatura.

Ciclo das rochas
Ciclo das rochasCiclo das rochas
Ciclo das rochas

O documento descreve o ciclo das rochas, explicando que minerais formam rochas através de processos geológicos. As rochas podem ser classificadas como ígneas, metamórficas ou sedimentares, e qualquer tipo de rocha pode ser transformada através de processos de intemperismo, metamorfismo ou fusão.

Intemperismo apresentação
Intemperismo apresentação
 1-Químico    (água)- De acordo com as condições
  do local, a água provoca grandes sulcos que
  podem atingir centenas de metros de profundidade
  . Exemplo: Cânion Yarlung Tsangpo,Tibete
 2-Físico    (temperatura)-É o processo de
  fragmentação das rochas a partir de agentes físicos
  como as variações da temperatura (dilatação e
  contração), a ação do gelo e dos ventos.
 3- Biológico (vegetação)- Produzido pelas
  bactérias, produzindo a decomposição biótica de
  materiais orgânicos.
Intemperismo apresentação

Recomendado para você

Aula minerais
Aula mineraisAula minerais
Aula minerais

Este documento fornece uma introdução aos minerais, definindo-os como substâncias naturais cristalinas e inorgânicas. Detalha suas principais características, incluindo composição química, estrutura cristalina, propriedades físicas e classificação. Também explica como os minerais se formam e quais são os principais constituintes das rochas.

Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos

O documento fornece uma introdução sobre solos, definindo-o como a coleção de corpos naturais na superfície da terra que contém matéria viva e suporta plantas. Explora os fatores de formação do solo como material original, clima, atividade biológica, topografia e tempo. Também descreve a composição típica do solo e seus principais tipos.

solosmeio ambiente
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoSolos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservação

O documento discute a formação e tipos de solos. Apresenta conceitos importantes como pedologia, edafologia e pedogênese. Explica que os solos são formados a partir da decomposição de rochas sob a influência de fatores naturais como clima, organismos vivos, relevo e tempo. Também aborda classificação, principais solos brasileiros, problemas naturais e causados pelo homem, além de técnicas de conservação dos solos.

solo pedologia pedogenese
Intemperismo apresentação
Intemperismo apresentação
 produz os solos mais férteis do mundo.
  Caracterizado por rochas que perdem alguns de seus nutrientes
  essenciais para organismos vivos e plantas que crescem em sua
  superfície.
 Os rizoides das plantas mantém um campo carregado de íons
  H+ ao redor de seus pelos absorventes.
 Principais agentes do intemperismo biológico:
 Enterramento de dejetos animais
 mais importantes dos agentes são as raízes das árvores.
Intemperismo apresentação

Recomendado para você

Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos

O documento discute os tipos de solos, sua formação, componentes e degradação. Explica que o solo é formado pela decomposição da rocha e matéria orgânica e contém areia, argila e húmus. Detalha três principais tipos de solo - arenoso, argiloso e humífero - com base na proporção desses componentes. Por fim, discute processos como erosão e queimadas que contribuem para a degradação e empobrecimento dos solos.

Solos
SolosSolos
Solos

Os solos são constituídos por matéria orgânica, matéria mineral, ar e água. São formados pela decomposição de rochas e restos de animais e plantes. O solo é essencial para o crescimento de plantas e árvores e produção de alimentos, porém é um recurso finito ameaçado pela erosão, desertificação e atividades humanas.

formação dos solosvida no solo3º ano
O ciclo das rochas e a formação do solo.
O ciclo das rochas e a formação do solo.O ciclo das rochas e a formação do solo.
O ciclo das rochas e a formação do solo.

O documento descreve o ciclo das rochas e a formação do solo, explicando que o solo é formado a partir de rochas e matéria orgânica através de processos de intemperismo físico e químico que levam milhares de anos. O intemperismo físico causa a desagregação das rochas enquanto o químico causa reações que transformam os minerais em outros mais estáveis, resultando na formação de horizontes do solo com diferentes composições.

solo rochas geologia pedologia
Intemperismo apresentação
•   Variação de temperatura;

•   Congelamento da água;

•   Cristalização de sais; e

•   Atividades de seres vivos.
• Variações de temperatura ao longo dos dias e
noites e ao longo das diferentes estações do ano;
Fragmentação dos grãos minerais.
•Mudança cíclica de umidade;
Enfraquecimento e fragmentação das rochas.
•O congelamento da água nas fissuras
das rochas, exerce pressão nas paredes.

Recomendado para você

Características do solo
Características do soloCaracterísticas do solo
Características do solo

O documento discute a formação do solo, incluindo os cinco principais fatores (material de origem, clima, relevo, organismos e tempo) e características como horizontes. É explicado que Neossolos são solos pouco evoluídos, enquanto Latossolos são mais desenvolvidos com argila de baixa atividade. Regolito e saprolito são termos para descrever o solo e a transição para a rocha.

SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO

Origem e formação do solo,conceitos, camadas do solo, tipos de solos, imagens e questões de vestibulares.

origem e formação do soloconceitoscamadas do solo
Intemperismo de suelos
Intemperismo de suelosIntemperismo de suelos
Intemperismo de suelos

Este documento presenta un resumen de un reporte de investigación sobre intemperismo y suelos realizado por estudiantes de ingeniería civil de la Universidad Michoacana de San Nicolás de Hidalgo. El reporte describe los procesos de intemperismo mecánico y químico, incluyendo fragmentación, oxidación e hidrólisis. También cubre la formación de suelos y los principales constituyentes de las rocas y minerales.

•A cristalização de sais dissolvidos nas águas;

•Os sais mais comuns que se precipitam nas
fissuras das rochas são cloretos, sulfatos e
carbonatos.
• Outro efeito do deste intemperismo são
as juntas de alívio;

• O intemperismo físico abre caminho e
facilita o intemperismo químico.
O  porque da ocorrência do
  intemperismo químico. (Principais
  Agentes)
 A importância do intemperismo
  químico.
 Causado pela transformação
  Químicas: Água, Ácidos, Gases.
 Importância da temperatura.
 Minerais se dissolvem, deixando de
  ser rocha.
Intemperismo apresentação

Recomendado para você

Erosión & intemperismo
Erosión & intemperismoErosión & intemperismo
Erosión & intemperismo

El documento describe los procesos de erosión e intemperismo. La erosión incluye etapas destructivas y constructivas controladas por la atmósfera, gravedad y tiempo geológico. Los principales tipos de erosión son la erosión pluvial, fluvial, marina, glacial y eólica. El intemperismo ocurre a través de la destrucción mecánica y la alteración química, incluyendo la acción del congelamiento, la liberación de presión y el crecimiento de sales de cristal. El intemper

Tema02 la tierra-en_el_universo
Tema02 la tierra-en_el_universoTema02 la tierra-en_el_universo
Tema02 la tierra-en_el_universo

Contenidos del tema "La Tierra en el Universo", correspondiente al Primer Curso de Biología y Geología" de L.O.M.C.E.

6. Intemperismo, erosión y suelo
6. Intemperismo, erosión y suelo6. Intemperismo, erosión y suelo
6. Intemperismo, erosión y suelo

Este documento presenta información sobre el proceso de intemperismo, erosión y suelo. Explica que el intemperismo involucra la destrucción física y alteración química de las rocas en la superficie terrestre, y que incluye procesos físicos como la congelación y descongelación, y procesos químicos como la disolución, oxidación e hidrólisis. También describe cómo el intemperismo forma un manto de sedimentos llamado regolito o suelo, y cómo la erosión transporta este sedimento.

ÁGUA DA CHUVA - PRESENÇA DE CO2 (Gás Carbônico)




DISSOLVIDO NA ÁGUA ORIGINA O ÁCIDO CARBONICO (H2CO3)
 Principal
          agente do intemperismo
 Químico: Água da chuva. (H+) e (OH-).
          REAÇÃO CLÁSSICA:


              Condições do meio

Mineral I+ Sol. Ataque     Mineral II + S.
 Percolada

              chuva,temp.,pH ,topog.,fluxo
 AlteraçõesQuímicas nas rochas:
 Reações em solução de pH entre 5 e 9.
 Hidratação/Desidratação
 Dissolução
 Oxidação e Redução
 Hidrólise
 pH menor do que 5, é considerado:
 Acidólise
1.Na Superfície dos Grãos
2.Na estrutura
CaSO4+ 2 H2O → CaSO4.2H2O

Recomendado para você

Intemperismo y meteorizacion
Intemperismo y meteorizacionIntemperismo y meteorizacion
Intemperismo y meteorizacion

El documento describe los procesos de intemperismo o meteorización que alteran las rocas expuestas al aire, la humedad y otros factores ambientales. Estos procesos incluyen la meteorización física causada por factores mecánicos como la insolación, la gelivación y la acción de las raíces, así como la meteorización química donde las rocas reaccionan con sustancias en el agua para formar nuevos minerales. El documento también explica cómo estos procesos de intemperismo físico y químic

Tema03 la geosfera
Tema03 la geosferaTema03 la geosfera
Tema03 la geosfera

Contenidos del tema "La Geosfera", correspondiente al Primer Curso de Biología y Geología" de L.O.M.C.E.

Erosión e intemperismo
Erosión e intemperismoErosión e intemperismo
Erosión e intemperismo

El documento describe los diferentes tipos de erosión y procesos de intemperismo que afectan las rocas y el suelo. Explica la erosión pluvial, fluvial, marina, glacial, eólica y antrópica, y cómo cada una remueve fragmentos de roca y suelo de manera diferente. También describe el intemperismo mecánico y químico, señalando cómo las fuerzas físicas y alteraciones químicas descomponen las rocas de la superficie.

Exemplo de uma hidratação:
Fe2O3 + 3 H2O → 2 Fe(OH)3
Hematita → limonite

Exemplo de desidratação:
CaSO4.2H2O → CaSO4 + 2 H2O
Gesso → Anidrite
2FeSiO3 + 5H2O + 1/2O2 → 2FeOOH + 2H4SiO4
 (piroxênio)            (goethita)
 Reação  Fundamental de Intemperismo
 dos Silicatos:

→ Ácido + Base → Sal + Água
    ↓    ↓     ↓
  Fraco Forte Silicato
HIDRÓLISE TOTAL-Altilização       Ferralitização
                                    laterização

KAlSi3O8+ 8 H2O → Al(OH) 3↘+ 3 H4SiO4+ K+ +
 OH-
                      gibbsita

HIDRÓLISE PARCIAL-Sialitização   Lateritização

Recomendado para você

Intemperismo químico
Intemperismo químicoIntemperismo químico
Intemperismo químico

Conceito. Fatores que afetam e formam o intemperismo químico. Como ocorre. Principal agente. Trabalho referente ao curso de Engenharia agronômica - UNIPAMPA

Intemperismo e formação dos solos
Intemperismo e formação dos solosIntemperismo e formação dos solos
Intemperismo e formação dos solos

O documento descreve os processos de intemperismo e formação dos solos, incluindo os agentes físicos e químicos do intemperismo, como congelamento, variação de temperatura e hidrólise. Também discute os fatores que influenciam o intemperismo, como material parental, clima, relevo e tempo, e como esses processos levam à formação de perfis de solo.

Intemperismo e Saibro
Intemperismo e SaibroIntemperismo e Saibro
Intemperismo e Saibro

O documento descreve os processos de intemperismo, que consistem na transformação das rochas em materiais mais estáveis sob diferentes condições físico-químicas. O intemperismo pode ocorrer por processos físicos, químicos e biológicos e depende de variáveis climáticas, propriedades dos materiais e variáveis locais. Os principais produtos do intemperismo são solutos e resíduos mineralógicos mais resistentes.

 Formação  de ácidos orgânicos pela
 decomposição incompleta da matéria
 orgânica e diminuindo muito o pH (pH <
 5).

Em condições de pH < 3, a acidólise é
  total:
KAlSi3O8(K Feldspato) + 4H + + 4 H2O →
3 H4SiO4 + Al3 + + K +
 Solubilizaçãocompleta do mineral.
 Minerais com uma alta solubilidade.
DISSOLUÇÃO DO CALCÁRIO:

H20 + CO2 → H2CO3

H2CO3 + CaCO3 → Ca(HCO3)2
Intemperismo apresentação
Minera Minerais da rocha      Meteorização       Produtos
is     mãe                    Química

Minerai Quartzo               Não se alteram     Resíduos dos
s        Moscovita                               minerais estáveis
Estáveis Minerais de Argila


Minerai    Feldspatos         Comp. Solúveis     Removidos em
s          Piroxenas                             soluções.
Instávei   Anfibólios         Comp. Insolúveis   Resíduos de
s          Biotita                               novos minerais:
           Carbonatos                            minerais de
                                                 argila, óxido de
                                                 ferro

Recomendado para você

Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão

O documento discute os processos de intemperismo e erosão que afetam as rochas na superfície terrestre. O intemperismo envolve alterações físicas e químicas das rochas devido a fatores como clima, relevo e composição mineralógica. A erosão transporta esses fragmentos de rocha, formando sedimentos. O documento também descreve os principais tipos de intemperismo e seus agentes.

Geo tema iv - pp6 - meteorização
Geo   tema iv - pp6 - meteorizaçãoGeo   tema iv - pp6 - meteorização
Geo tema iv - pp6 - meteorização

Bryce Canyon National Park, Utah é formado por rochas sedimentares que se formaram através de sedimentogénese e meteorização física e química ao longo do tempo. As rochas são alteradas por agentes ambientais como água, ar, temperatura e vida selvagem, levando à desagregação dos minerais e formação de novos minerais. Rochas como o granito desenvolvem fraturas que aumentam a superfície de exposição e aceleram a meteorização.

geologia
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluiçãoCiências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição

Disciplina de Ciências do Ambiente Curso de Engenharia de Produção - UEMA Capítulo 4: Meio Terrestre - Características e poluição Conteúdo: Processos e fatores de formação do solo; resíduos sólidos urbanos; poluição do solo.

Intemperismo apresentação
A característica do ambiente influenciam no
processo do intemperismo, diante de sua
natureza, velocidade e intensidade. Pois o
intemperismo não ocorre de forma homogenia
por toda a terra.
Material parental
Clima
Topografia
Biosfera
Esse item se refere basicamente sobre a
natureza dos minerais formadores das rochas,
em relação a sua resistência diante da ação
do intemperismo. Rochas silicaticas como o
granito é mais resistente a alteração que uma
rocha carbonática, como o mármore.
Outro fator que possamos relacionar com o
material parental é a textura das rochas, pois
pode permitir mais ou menos infiltração,
onde as rochas com arranjo mais compacto
alteram menos que as menos compactas.

Recomendado para você

Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo

1) O intemperismo é o conjunto de processos químicos e físicos que desintegram e decompõem as rochas na superfície da crosta terrestre, sob a ação de fatores como água, temperatura e atividade biológica. 2) Os principais tipos de intemperismo são o químico, que altera a composição mineralógica das rochas, e o físico, que causa sua fragmentação. 3) Diversos fatores controlam a intensidade do intemperismo, como a mineralogia e estrut

Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão

O documento discute os processos de intemperismo e erosão, definindo intemperismo como a modificação de rochas pela ação física, química e biológica, e erosão como a remoção dos materiais pelo vento, água ou outros agentes de transporte. Ele descreve os tipos de intemperismo, fatores que o controlam e seus produtos, incluindo a formação de solos.

Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solosTrabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos

1. O documento discute a formação dos solos a partir da alteração de rochas pela ação de fatores climáticos, químicos e biológicos ao longo do tempo. 2. Os processos de alteração incluem decomposição física e química das rochas, resultando em partículas de diferentes formas e tamanhos. 3. A forma das partículas depende do tamanho, podendo ser equidimensional em solos grossos e achatada em solos finos, influenciando o comportamento mecânico do

Intemperismo apresentação
Intemperismo apresentação
Intemperismo apresentação
Intemperismo apresentação

Recomendado para você

Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental

O documento discute o fenômeno da chuva ácida, causado pela poluição atmosférica que libera gases como enxofre e causa danos a construções, plantas e animais. Um acordo assinado em Oslo estabeleceu metas para reduzir as emissões de enxofre responsáveis pela chuva ácida. O texto também aborda os processos de intemperismo físico, químico e biológico que alteram as rochas.

Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental

O documento discute o fenômeno da chuva ácida, causado pela poluição da atmosfera com gases como dióxido de enxofre e nitrogênio. A chuva ácida pode danificar construções, solos e corpos d'água. Um acordo assinado em Oslo estabeleceu metas para reduzir as emissões destes gases.

Estrutura Forma Relevo
Estrutura Forma RelevoEstrutura Forma Relevo
Estrutura Forma Relevo

1) A crosta terrestre é formada por rochas que podem estar cobertas por um manto de material denominado regolito ou solo, produto da ação do clima e organismos sobre as rochas. 2) Processos mecânicos, químicos e biológicos que ocasionam a desintegração e decomposição das rochas, transformando-as em materiais friáveis, são chamados de intemperismo. 3) Os principais tipos de intemperismo são o químico, que ocorre pela ação da água, o fís

Representa a sequencia normal de
estabilidade dos principais minerais frente
ao intemperismo tantos os minerais
silicatos quanto os não silicatos. Portanto
entra os minerais formadores de rochas
alguns são mais suscetíveis a alterações
que outros.
Intemperismo apresentação
É o fator que, isoladamente, mais influencia no
intemperismo. Os dois mais importantes fatores
climáticos, precipitação e temperatura, onde
regulam a natureza e a velocidade das reações.
O clima é preponderante na determinação do
tipo e eficácia do intemperismo. Quanto mais a
disponibilidade de agua e a sua renovação
mais completas serão as reações químicas
além do que a tambem temperatura condiciona
a ação da agua que acelera as reações e
aumenta a evaporação diminuindo a
quantidade de agua para a lixiviação dos
produtos solúveis
O tipo e a intensidade do intemperismo
podem ser relacionados com a
temperatura, pluviosidade e vegetação. O
intemperismo químico é mais pronunciado
nos trópicos. Nas regiões polares e nos
desertos, o intemperismo é mínimo

Recomendado para você

3 a formaçãorochassedimentares
3 a  formaçãorochassedimentares3 a  formaçãorochassedimentares
3 a formaçãorochassedimentares

O documento descreve as etapas de formação das rochas sedimentares, incluindo sedimentogênese, diagênese e os tipos de sedimentos. Também aborda os processos de meteorização física e química que alteram as rochas e geram sedimentos.

3 a formaçãorochassedimentares
3 a  formaçãorochassedimentares3 a  formaçãorochassedimentares
3 a formaçãorochassedimentares

O documento descreve as etapas de formação das rochas sedimentares, incluindo sedimentogênese, diagênese e os tipos de sedimentos. Também aborda os processos de meteorização física e química que alteram as rochas e geram sedimentos.

Aula 4-química do-solo
Aula 4-química do-soloAula 4-química do-solo
Aula 4-química do-solo

O documento discute a química do solo, incluindo sua composição, formação e propriedades. Aborda tópicos como intemperismo, minerais de argila, capacidade de troca catiônica, acidez do solo, fixação de metais pesados e remediação de solos contaminados. Também discute a natureza e classificação de resíduos perigosos.

Intemperismo apresentação
Intemperismo apresentação
A topografia regula a velocidade no
escoamento superficial das aguas da
chuva importante componente de
intemperismo químico.
As reações químicas do intemperismo
ocorrem mais intensamente nos
comportamentos do relevo onde é
possível boa infiltração da água,
percolação por tempo de drenagem
para lixiviação dos produtos solúveis.
 A: Boa infiltração e boa drenagem
  favorecem o intemperismo químico.
 B: Boa infiltração e má drenagem
  desfavorecem o intemperismo químico.
 C: Má infiltração e má drenagem
  desfavorecem o intemperismo químico
  e favorecem a erosão

Recomendado para você

Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo

O documento descreve os processos de intemperismo e lixiviação que afetam as rochas e solos. O intemperismo inclui a desintegração física e química das rochas pela ação de fatores como variações de temperatura, água e dióxido de carbono. A lixiviação é o processo pelo qual a água remove nutrientes dos solos, tornando-os mais pobres, e pode ser combatida com a aplicação de calcário.

Minerais e rochas
Minerais e rochasMinerais e rochas
Minerais e rochas

O documento discute os principais tipos de rochas e minerais, incluindo sua formação e classificação. Aborda rochas ígneas, sedimentares e metamórficas, além dos processos de intemperismo, transporte, deposição e litificação que levam à formação de rochas sedimentares.

Solos aula 1
Solos   aula 1Solos   aula 1
Solos aula 1

O documento descreve os processos de formação do solo através do intemperismo físico e químico das rochas, incluindo a fragmentação das rochas pela dilatação térmica e raízes de plantas, decomposição química pela ação da água e atividade biológica, e transporte do material intemperizado para formar diferentes horizontes do perfil do solo. O clima é o fator principal na formação dos solos.

A biosfera e o importante fator que altera a agua, pois
a matéria orgânica no solo decompõe-se, liberando
CO2, diminuindo o pH das águas que infiltram no solo.
Lembrando que a agua promove o intemperismo
químico. Com o PH baixo se torna o alumínio mais
solúvel.
 Também através da Biosfera os microrganismo produz
ácidos orgânicos que são capazes de extrair muito
ferro e alumínio dos silicatos, pois as moléculas
orgânicas são capazes de complexar cátions dos
minerais colocando em solução. Portanto FAUNA e
FLORA fornecem matéria orgânica para reações
químicas e remobilizam materiais
Intemperismo apresentação
Intemperismo apresentação
O tempo é um fator necessário para o processo de
intemperismo, mas ela não anda sozinha, ela sempre
tem que esta acompanhada com outro fator de
controle. Pois em condições de intemperismo pouco
alteráveis é necessário uma tempo maior que o
processo do intemperismo seja mais visível.
Pode se avaliar o tempo em que as rochas foram
expostas ao intemperismo pela datação das
superfícies de aplainamento, mas considerando as
diferenças de velocidade do processo intemperico
pelo clima por exemplo. Os estudos da decomposição
das rochas em monumentos e edifícios também é útil
na compreensão do fator tempo no fenômeno da
alteração intempérica.

Recomendado para você

Geologia sedimentar
Geologia sedimentarGeologia sedimentar
Geologia sedimentar

1. O documento apresenta os conteúdos da disciplina de Geologia Sedimentar, incluindo introdução à sedimentologia, classificação e propriedades dos sedimentos, ambientes de sedimentação e petrologia sedimentar. 2. São descritos os processos de intemperismo, erosão, transporte e sedimentação que compõem o ciclo sedimentar, assim como os principais agentes geológicos envolvidos. 3. São explicados conceitos-chave como subsidência, nível de base e ambientes deposicionais para compreender a formação de rochas sedimentares

ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.

Este documento descreve os fundamentos da ciência do solo, incluindo a definição de solo, seus componentes e processos de formação. Aborda tópicos como a formação do solo a partir da intemperização das rochas, os fatores que afetam sua formação e os processos pedogenéticos. Também descreve as propriedades morfológicas e físicas dos solos, como textura, estrutura e consistência.

Quiabo Desidratado
Quiabo DesidratadoQuiabo Desidratado
Quiabo Desidratado

O documento apresenta um processo de desidratação de quiabo em 3 frases: 1) Descreve os passos do processamento do quiabo, incluindo colheita, seleção, lavagem, corte e desidratação. 2) Explica que a desidratação é feita a 60°C por 12 horas para remover a água e aumentar a vida de prateleira do produto. 3) Detalha que após a desidratação o quiabo é embalado em plástico hermético para protegê-lo da umidade antes do

quiabo desidratação seco tpa processamento
Intemperismo apresentação
Intemperismo apresentação
   Para o Agrônomo ou para o Agricultor, o solo é o meio necessário
    para o desenvolvimento das plantas, enquanto para o engenheiro
    é o material que serve para base ou fundação de obras civis; para
    o geólogo, o solo é visto como produto da alteração das rochas na
    superfície e assim por diante.
   O solo desempenha um papel fundamental por se tratar de um
    meio intermediário entre a fase sólida (rocha) e a líquida (água).
   Os solos podem ser argilosos ou arenosos (variações texturais),
    podem ser vermelhos, amarelos ou cinza esbranquiçados.
   Podem ser espessos (algumas dezenas de metros) ou rasos (
    alguns poucos centímetros), podem apresentar-se homogêneos
    ou nitidamente diferenciados em horizontes.


Recomendado para você

Cromatografia em papel
Cromatografia em papelCromatografia em papel
Cromatografia em papel

Este documento descreve um experimento de cromatografia em papel para separar os pigmentos de pimentões verdes, amarelos e vermelhos. O experimento envolve a extração dos pigmentos com hexano e acetona, aplicação no papel cromatográfico e eluição com hexano e acetona. Isso permite visualizar a separação dos principais pigmentos como carotenos, criptoxantinas, capsantinas e capsorubina.

   Na porção mais superficial do perfil de alteração, o saprófito, sob
    a ação dos fatores que controlam a alteração intempérica, sofre
    profundas e importantes modificações, o saprófito evolui através
    de reorganizações estruturais efetuadas por processos
    pedogenéticos, dando origem aos solos.
   Numa escala global, os principais agentes de remobilização dos
    materiais do solo (bioturbação) são os animais.
   A classificação dos solos pode ser feita segundo diferentes
    critérios. A ênfase na utilização de critérios genéticos,
    morfológicos ou morfogenéticos varia de país para país, o que da
    origem a diferentes classificações pedológicas.

   Os solos tropicais são geralmente empobrecidos quimicamente,
    como reflexo de uma composição dominada por minerais
    desprovidos dos elementos mais solúveis.
   Os solos tropicais representam ecossistemas frágeis,
    extremamente vulneráveis às ações antrópicas, e que sofrem de
    forma acentuada os efeitos de uma utilização que se dá por
    técnicas de manejo não adequadas.

   No Brasil, os latossolos são, de longe, os solos mais importantes do
    ponto de vista da representação geográfica.
   Outros tipos de solo ocorrem em função de peculiaridades das
    condições de formação e evolução pedológica, como o clima
    semiárido do Nordeste brasileiro, que condiciona a formação, de
    vertissolos e entissolos, segundo a “Soil Taxonomy” , já
    mencionada.

Recomendado para você

02 minerais e rochas.constituintes da terra sólida
02 minerais e rochas.constituintes da terra sólida02 minerais e rochas.constituintes da terra sólida
02 minerais e rochas.constituintes da terra sólida
01 o planeta terra e suas origens
01 o planeta terra e suas origens01 o planeta terra e suas origens
01 o planeta terra e suas origens
   Por ser um recurso finito e não renovável, podendo levar milhares
    de anos para tornar-se terra produtiva, o solo, uma vez destruídos
    na escala de tempo de algumas gerações, desaparece para
    sempre. Portanto, o solo é, sem dúvida, o recurso natural mais
    importante de um país, pois é dele que derivam os produtos para
    alimentar sua população.
ÓTIMO FERIADO A TODOS!!!!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pedologia
PedologiaPedologia
Pedologia
Ruana Viana
 
Intemperismo e Erosão e Movimento de Massa - Capítulos 7 e 12
Intemperismo e Erosão e Movimento de Massa - Capítulos 7 e 12Intemperismo e Erosão e Movimento de Massa - Capítulos 7 e 12
Intemperismo e Erosão e Movimento de Massa - Capítulos 7 e 12
Yago Matos
 
Morfologia do solo
Morfologia do soloMorfologia do solo
Morfologia do solo
Leandro Araujo
 
Erosão
ErosãoErosão
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
Conceição Fontolan
 
Slides ciência do solo
Slides   ciência do soloSlides   ciência do solo
Slides ciência do solo
daianeagricola
 
Erosões
ErosõesErosões
Solos
SolosSolos
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
dela28
 
Geoquímica sedimentação e intemperismo
Geoquímica   sedimentação e intemperismoGeoquímica   sedimentação e intemperismo
Geoquímica sedimentação e intemperismo
marciotecsoma
 
Tipos de Rochas
Tipos de RochasTipos de Rochas
Tipos de Rochas
Márcia Dutra
 
Ciclo das rochas
Ciclo das rochasCiclo das rochas
Ciclo das rochas
Fabrício Almeida
 
Aula minerais
Aula mineraisAula minerais
Aula minerais
Carolina Corrêa
 
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
Giovanna Ortiz
 
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoSolos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Rodrigo Pavesi
 
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
dela28
 
Solos
SolosSolos
O ciclo das rochas e a formação do solo.
O ciclo das rochas e a formação do solo.O ciclo das rochas e a formação do solo.
O ciclo das rochas e a formação do solo.
Renata Domingues
 
Características do solo
Características do soloCaracterísticas do solo
Características do solo
Gabriel Lecoque Francisco
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
Conceição Fontolan
 

Mais procurados (20)

Pedologia
PedologiaPedologia
Pedologia
 
Intemperismo e Erosão e Movimento de Massa - Capítulos 7 e 12
Intemperismo e Erosão e Movimento de Massa - Capítulos 7 e 12Intemperismo e Erosão e Movimento de Massa - Capítulos 7 e 12
Intemperismo e Erosão e Movimento de Massa - Capítulos 7 e 12
 
Morfologia do solo
Morfologia do soloMorfologia do solo
Morfologia do solo
 
Erosão
ErosãoErosão
Erosão
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
 
Slides ciência do solo
Slides   ciência do soloSlides   ciência do solo
Slides ciência do solo
 
Erosões
ErosõesErosões
Erosões
 
Solos
SolosSolos
Solos
 
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
 
Geoquímica sedimentação e intemperismo
Geoquímica   sedimentação e intemperismoGeoquímica   sedimentação e intemperismo
Geoquímica sedimentação e intemperismo
 
Tipos de Rochas
Tipos de RochasTipos de Rochas
Tipos de Rochas
 
Ciclo das rochas
Ciclo das rochasCiclo das rochas
Ciclo das rochas
 
Aula minerais
Aula mineraisAula minerais
Aula minerais
 
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
 
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoSolos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
 
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
 
Solos
SolosSolos
Solos
 
O ciclo das rochas e a formação do solo.
O ciclo das rochas e a formação do solo.O ciclo das rochas e a formação do solo.
O ciclo das rochas e a formação do solo.
 
Características do solo
Características do soloCaracterísticas do solo
Características do solo
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
 

Destaque

Intemperismo de suelos
Intemperismo de suelosIntemperismo de suelos
Intemperismo de suelos
20030605
 
Erosión & intemperismo
Erosión & intemperismoErosión & intemperismo
Erosión & intemperismo
sritakukii
 
Tema02 la tierra-en_el_universo
Tema02 la tierra-en_el_universoTema02 la tierra-en_el_universo
Tema02 la tierra-en_el_universo
Francisco Javier Barba Regidor
 
6. Intemperismo, erosión y suelo
6. Intemperismo, erosión y suelo6. Intemperismo, erosión y suelo
6. Intemperismo, erosión y suelo
geologia
 
Intemperismo y meteorizacion
Intemperismo y meteorizacionIntemperismo y meteorizacion
Intemperismo y meteorizacion
Adriana Libertad
 
Tema03 la geosfera
Tema03 la geosferaTema03 la geosfera
Tema03 la geosfera
Francisco Javier Barba Regidor
 
Erosión e intemperismo
Erosión e intemperismoErosión e intemperismo
Erosión e intemperismo
Angel Mejorada
 

Destaque (7)

Intemperismo de suelos
Intemperismo de suelosIntemperismo de suelos
Intemperismo de suelos
 
Erosión & intemperismo
Erosión & intemperismoErosión & intemperismo
Erosión & intemperismo
 
Tema02 la tierra-en_el_universo
Tema02 la tierra-en_el_universoTema02 la tierra-en_el_universo
Tema02 la tierra-en_el_universo
 
6. Intemperismo, erosión y suelo
6. Intemperismo, erosión y suelo6. Intemperismo, erosión y suelo
6. Intemperismo, erosión y suelo
 
Intemperismo y meteorizacion
Intemperismo y meteorizacionIntemperismo y meteorizacion
Intemperismo y meteorizacion
 
Tema03 la geosfera
Tema03 la geosferaTema03 la geosfera
Tema03 la geosfera
 
Erosión e intemperismo
Erosión e intemperismoErosión e intemperismo
Erosión e intemperismo
 

Semelhante a Intemperismo apresentação

Intemperismo químico
Intemperismo químicoIntemperismo químico
Intemperismo químico
jessica zambonato
 
Intemperismo e formação dos solos
Intemperismo e formação dos solosIntemperismo e formação dos solos
Intemperismo e formação dos solos
Giovanna Martins
 
Intemperismo e Saibro
Intemperismo e SaibroIntemperismo e Saibro
Intemperismo e Saibro
Cidinhoveronese
 
Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão
Sabrina Medeiros
 
Geo tema iv - pp6 - meteorização
Geo   tema iv - pp6 - meteorizaçãoGeo   tema iv - pp6 - meteorização
Geo tema iv - pp6 - meteorização
Rui Magalhães
 
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluiçãoCiências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
elonvila
 
Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
Camila Brito
 
Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão
Mateus Ribeiro
 
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solosTrabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos
engenhar
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
Sthefanny Pina
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
SthefannyPina18
 
Estrutura Forma Relevo
Estrutura Forma RelevoEstrutura Forma Relevo
Estrutura Forma Relevo
antoniogeo
 
3 a formaçãorochassedimentares
3 a  formaçãorochassedimentares3 a  formaçãorochassedimentares
3 a formaçãorochassedimentares
margaridabt
 
3 a formaçãorochassedimentares
3 a  formaçãorochassedimentares3 a  formaçãorochassedimentares
3 a formaçãorochassedimentares
margaridabt
 
Aula 4-química do-solo
Aula 4-química do-soloAula 4-química do-solo
Aula 4-química do-solo
Juliana de Oliveira
 
Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
Luciana Reis
 
Minerais e rochas
Minerais e rochasMinerais e rochas
Minerais e rochas
karolpoa
 
Solos aula 1
Solos   aula 1Solos   aula 1
Solos aula 1
Maria Lucia Rosa
 
Geologia sedimentar
Geologia sedimentarGeologia sedimentar
Geologia sedimentar
Mateus Manharage
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ
 

Semelhante a Intemperismo apresentação (20)

Intemperismo químico
Intemperismo químicoIntemperismo químico
Intemperismo químico
 
Intemperismo e formação dos solos
Intemperismo e formação dos solosIntemperismo e formação dos solos
Intemperismo e formação dos solos
 
Intemperismo e Saibro
Intemperismo e SaibroIntemperismo e Saibro
Intemperismo e Saibro
 
Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão
 
Geo tema iv - pp6 - meteorização
Geo   tema iv - pp6 - meteorizaçãoGeo   tema iv - pp6 - meteorização
Geo tema iv - pp6 - meteorização
 
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluiçãoCiências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
Ciências do Ambiente - Cap 4 - Meio terrestre: características e poluição
 
Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
 
Intemperismo e erosão
Intemperismo e erosãoIntemperismo e erosão
Intemperismo e erosão
 
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solosTrabalho de mecânica dos solos   propriedade das particulas sólidas dos solos
Trabalho de mecânica dos solos propriedade das particulas sólidas dos solos
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
 
Estrutura Forma Relevo
Estrutura Forma RelevoEstrutura Forma Relevo
Estrutura Forma Relevo
 
3 a formaçãorochassedimentares
3 a  formaçãorochassedimentares3 a  formaçãorochassedimentares
3 a formaçãorochassedimentares
 
3 a formaçãorochassedimentares
3 a  formaçãorochassedimentares3 a  formaçãorochassedimentares
3 a formaçãorochassedimentares
 
Aula 4-química do-solo
Aula 4-química do-soloAula 4-química do-solo
Aula 4-química do-solo
 
Intemperismo
IntemperismoIntemperismo
Intemperismo
 
Minerais e rochas
Minerais e rochasMinerais e rochas
Minerais e rochas
 
Solos aula 1
Solos   aula 1Solos   aula 1
Solos aula 1
 
Geologia sedimentar
Geologia sedimentarGeologia sedimentar
Geologia sedimentar
 
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
ANTONIO INACIO FERRAZ-ESTUDANTE DE FARMÁCIA EM CAMPINAS SP.
 

Mais de Luis Aurelio Sanches

Quiabo Desidratado
Quiabo DesidratadoQuiabo Desidratado
Quiabo Desidratado
Luis Aurelio Sanches
 
Cromatografia em papel
Cromatografia em papelCromatografia em papel
Cromatografia em papel
Luis Aurelio Sanches
 
02 minerais e rochas.constituintes da terra sólida
02 minerais e rochas.constituintes da terra sólida02 minerais e rochas.constituintes da terra sólida
02 minerais e rochas.constituintes da terra sólida
Luis Aurelio Sanches
 
Uso de Ferramentas computacionais
Uso de Ferramentas computacionais Uso de Ferramentas computacionais
Uso de Ferramentas computacionais
Luis Aurelio Sanches
 
Crustáceos decapodas
Crustáceos decapodasCrustáceos decapodas
Crustáceos decapodas
Luis Aurelio Sanches
 

Mais de Luis Aurelio Sanches (9)

Quiabo Desidratado
Quiabo DesidratadoQuiabo Desidratado
Quiabo Desidratado
 
Cromatografia em papel
Cromatografia em papelCromatografia em papel
Cromatografia em papel
 
19 estruturas em rochas
19   estruturas em rochas19   estruturas em rochas
19 estruturas em rochas
 
16 rochas ígneas
16 rochas ígneas16 rochas ígneas
16 rochas ígneas
 
02 minerais e rochas.constituintes da terra sólida
02 minerais e rochas.constituintes da terra sólida02 minerais e rochas.constituintes da terra sólida
02 minerais e rochas.constituintes da terra sólida
 
01 o planeta terra e suas origens
01 o planeta terra e suas origens01 o planeta terra e suas origens
01 o planeta terra e suas origens
 
18 rochas metamórficas
18 rochas metamórficas18 rochas metamórficas
18 rochas metamórficas
 
Uso de Ferramentas computacionais
Uso de Ferramentas computacionais Uso de Ferramentas computacionais
Uso de Ferramentas computacionais
 
Crustáceos decapodas
Crustáceos decapodasCrustáceos decapodas
Crustáceos decapodas
 

Intemperismo apresentação

  • 1. Adriano Francis Dorigan Adrielle Rodrigues Prates Ana Beatriz Dilena Spadoni Kassia Karoline Vieira Luis Aurelio Sanches Maira Caroline Terçariol
  • 2.  Intemperismo, também conhecido como meteorização, é o conjunto de fenômenos físicos e químicos que levam à degradação e enfraquecimento das rochas  Ocorrein situ, ou seja, sem deslocamento do material.
  • 3. O intemperismo consiste da transformação das rochas em materiais mais estáveis em condições físico- químicas diferentes daquelas em que elas se originaram.
  • 4. A natureza e efetividade dos processos de intemperismo dependem principalmente de três grupos de variáveis:  Condições climáticas.  Propriedades dos materiais.  Variáveis locais.
  • 5. O intemperismo pode ser causado por processos:  Físico.  Químico.  Biológico.
  • 6.  CLIMA  RELEVO  ROCHA PARENTAL  TEMPO DE EXPOSIÇÃO  FAUNA e FLORA
  • 7.  As rochas ígneas são formadas pela consolidação do magma. O magma consiste de uma fusão predominantemente silicatada, móvel, de alta temperatura, proveniente do interior do globo terrestre. As lavas são magmas que atingem a superfície através de cavidades vulcânicas.
  • 8.  Asrochas sedimentares são formadas através da deposição e consolidação de sedimentos. Sedimentos são materiais originados da destruição e alteração de rochas pré-existentes. Assim, a formação de uma rocha sedimentar decorre de uma sucessão de eventos, que constituem o chamado ciclo sedimentar.
  • 9.  Pedogênese é o processo no qual determinado solo é formado, assim como suas características e sua evolução na paisagem.
  • 10.  Clima  Organismos  Relevo  Material de origem  Tempo
  • 11. Pode se salientar sobre os horizontes do solo, onde um corte recente de estrada ou escavação expõe perfis verticais do solo, frequentemente notam-se camadas denominadas horizontes. Um perfil de solo generalizado, e um tanto simplificado, tem quatro divisões principais, além do R (Rocha Consolidada) e do E , são eles: Horizontes O, A, B e C, o horizonte A tem duas subdivisões (A1 e A2). Alinhados em ordem descendente a partir da superfície do solo.
  • 15.  1-Químico (água)- De acordo com as condições do local, a água provoca grandes sulcos que podem atingir centenas de metros de profundidade . Exemplo: Cânion Yarlung Tsangpo,Tibete  2-Físico (temperatura)-É o processo de fragmentação das rochas a partir de agentes físicos como as variações da temperatura (dilatação e contração), a ação do gelo e dos ventos.  3- Biológico (vegetação)- Produzido pelas bactérias, produzindo a decomposição biótica de materiais orgânicos.
  • 19.  produz os solos mais férteis do mundo.  Caracterizado por rochas que perdem alguns de seus nutrientes essenciais para organismos vivos e plantas que crescem em sua superfície.  Os rizoides das plantas mantém um campo carregado de íons H+ ao redor de seus pelos absorventes. Principais agentes do intemperismo biológico:  Enterramento de dejetos animais  mais importantes dos agentes são as raízes das árvores.
  • 22. Variação de temperatura; • Congelamento da água; • Cristalização de sais; e • Atividades de seres vivos.
  • 23. • Variações de temperatura ao longo dos dias e noites e ao longo das diferentes estações do ano; Fragmentação dos grãos minerais. •Mudança cíclica de umidade; Enfraquecimento e fragmentação das rochas.
  • 24. •O congelamento da água nas fissuras das rochas, exerce pressão nas paredes.
  • 25. •A cristalização de sais dissolvidos nas águas; •Os sais mais comuns que se precipitam nas fissuras das rochas são cloretos, sulfatos e carbonatos.
  • 26. • Outro efeito do deste intemperismo são as juntas de alívio; • O intemperismo físico abre caminho e facilita o intemperismo químico.
  • 27. O porque da ocorrência do intemperismo químico. (Principais Agentes)  A importância do intemperismo químico.  Causado pela transformação Químicas: Água, Ácidos, Gases.  Importância da temperatura.  Minerais se dissolvem, deixando de ser rocha.
  • 29. ÁGUA DA CHUVA - PRESENÇA DE CO2 (Gás Carbônico) DISSOLVIDO NA ÁGUA ORIGINA O ÁCIDO CARBONICO (H2CO3)
  • 30.  Principal agente do intemperismo Químico: Água da chuva. (H+) e (OH-).  REAÇÃO CLÁSSICA: Condições do meio Mineral I+ Sol. Ataque Mineral II + S. Percolada chuva,temp.,pH ,topog.,fluxo
  • 31.  AlteraçõesQuímicas nas rochas:  Reações em solução de pH entre 5 e 9.  Hidratação/Desidratação  Dissolução  Oxidação e Redução  Hidrólise  pH menor do que 5, é considerado:  Acidólise
  • 32. 1.Na Superfície dos Grãos 2.Na estrutura CaSO4+ 2 H2O → CaSO4.2H2O
  • 33. Exemplo de uma hidratação: Fe2O3 + 3 H2O → 2 Fe(OH)3 Hematita → limonite Exemplo de desidratação: CaSO4.2H2O → CaSO4 + 2 H2O Gesso → Anidrite
  • 34. 2FeSiO3 + 5H2O + 1/2O2 → 2FeOOH + 2H4SiO4 (piroxênio) (goethita)
  • 35.  Reação Fundamental de Intemperismo dos Silicatos: → Ácido + Base → Sal + Água ↓ ↓ ↓ Fraco Forte Silicato
  • 36. HIDRÓLISE TOTAL-Altilização Ferralitização laterização KAlSi3O8+ 8 H2O → Al(OH) 3↘+ 3 H4SiO4+ K+ + OH- gibbsita HIDRÓLISE PARCIAL-Sialitização Lateritização
  • 37.  Formação de ácidos orgânicos pela decomposição incompleta da matéria orgânica e diminuindo muito o pH (pH < 5). Em condições de pH < 3, a acidólise é total: KAlSi3O8(K Feldspato) + 4H + + 4 H2O → 3 H4SiO4 + Al3 + + K +
  • 38.  Solubilizaçãocompleta do mineral.  Minerais com uma alta solubilidade. DISSOLUÇÃO DO CALCÁRIO: H20 + CO2 → H2CO3 H2CO3 + CaCO3 → Ca(HCO3)2
  • 40. Minera Minerais da rocha Meteorização Produtos is mãe Química Minerai Quartzo Não se alteram Resíduos dos s Moscovita minerais estáveis Estáveis Minerais de Argila Minerai Feldspatos Comp. Solúveis Removidos em s Piroxenas soluções. Instávei Anfibólios Comp. Insolúveis Resíduos de s Biotita novos minerais: Carbonatos minerais de argila, óxido de ferro
  • 42. A característica do ambiente influenciam no processo do intemperismo, diante de sua natureza, velocidade e intensidade. Pois o intemperismo não ocorre de forma homogenia por toda a terra.
  • 44. Esse item se refere basicamente sobre a natureza dos minerais formadores das rochas, em relação a sua resistência diante da ação do intemperismo. Rochas silicaticas como o granito é mais resistente a alteração que uma rocha carbonática, como o mármore. Outro fator que possamos relacionar com o material parental é a textura das rochas, pois pode permitir mais ou menos infiltração, onde as rochas com arranjo mais compacto alteram menos que as menos compactas.
  • 49. Representa a sequencia normal de estabilidade dos principais minerais frente ao intemperismo tantos os minerais silicatos quanto os não silicatos. Portanto entra os minerais formadores de rochas alguns são mais suscetíveis a alterações que outros.
  • 51. É o fator que, isoladamente, mais influencia no intemperismo. Os dois mais importantes fatores climáticos, precipitação e temperatura, onde regulam a natureza e a velocidade das reações. O clima é preponderante na determinação do tipo e eficácia do intemperismo. Quanto mais a disponibilidade de agua e a sua renovação mais completas serão as reações químicas além do que a tambem temperatura condiciona a ação da agua que acelera as reações e aumenta a evaporação diminuindo a quantidade de agua para a lixiviação dos produtos solúveis
  • 52. O tipo e a intensidade do intemperismo podem ser relacionados com a temperatura, pluviosidade e vegetação. O intemperismo químico é mais pronunciado nos trópicos. Nas regiões polares e nos desertos, o intemperismo é mínimo
  • 55. A topografia regula a velocidade no escoamento superficial das aguas da chuva importante componente de intemperismo químico. As reações químicas do intemperismo ocorrem mais intensamente nos comportamentos do relevo onde é possível boa infiltração da água, percolação por tempo de drenagem para lixiviação dos produtos solúveis.
  • 56.  A: Boa infiltração e boa drenagem favorecem o intemperismo químico.  B: Boa infiltração e má drenagem desfavorecem o intemperismo químico.  C: Má infiltração e má drenagem desfavorecem o intemperismo químico e favorecem a erosão
  • 57. A biosfera e o importante fator que altera a agua, pois a matéria orgânica no solo decompõe-se, liberando CO2, diminuindo o pH das águas que infiltram no solo. Lembrando que a agua promove o intemperismo químico. Com o PH baixo se torna o alumínio mais solúvel. Também através da Biosfera os microrganismo produz ácidos orgânicos que são capazes de extrair muito ferro e alumínio dos silicatos, pois as moléculas orgânicas são capazes de complexar cátions dos minerais colocando em solução. Portanto FAUNA e FLORA fornecem matéria orgânica para reações químicas e remobilizam materiais
  • 60. O tempo é um fator necessário para o processo de intemperismo, mas ela não anda sozinha, ela sempre tem que esta acompanhada com outro fator de controle. Pois em condições de intemperismo pouco alteráveis é necessário uma tempo maior que o processo do intemperismo seja mais visível. Pode se avaliar o tempo em que as rochas foram expostas ao intemperismo pela datação das superfícies de aplainamento, mas considerando as diferenças de velocidade do processo intemperico pelo clima por exemplo. Os estudos da decomposição das rochas em monumentos e edifícios também é útil na compreensão do fator tempo no fenômeno da alteração intempérica.
  • 63. Para o Agrônomo ou para o Agricultor, o solo é o meio necessário para o desenvolvimento das plantas, enquanto para o engenheiro é o material que serve para base ou fundação de obras civis; para o geólogo, o solo é visto como produto da alteração das rochas na superfície e assim por diante.  O solo desempenha um papel fundamental por se tratar de um meio intermediário entre a fase sólida (rocha) e a líquida (água).
  • 64. Os solos podem ser argilosos ou arenosos (variações texturais), podem ser vermelhos, amarelos ou cinza esbranquiçados.  Podem ser espessos (algumas dezenas de metros) ou rasos ( alguns poucos centímetros), podem apresentar-se homogêneos ou nitidamente diferenciados em horizontes. 
  • 65. Na porção mais superficial do perfil de alteração, o saprófito, sob a ação dos fatores que controlam a alteração intempérica, sofre profundas e importantes modificações, o saprófito evolui através de reorganizações estruturais efetuadas por processos pedogenéticos, dando origem aos solos.  Numa escala global, os principais agentes de remobilização dos materiais do solo (bioturbação) são os animais.
  • 66. A classificação dos solos pode ser feita segundo diferentes critérios. A ênfase na utilização de critérios genéticos, morfológicos ou morfogenéticos varia de país para país, o que da origem a diferentes classificações pedológicas. 
  • 67. Os solos tropicais são geralmente empobrecidos quimicamente, como reflexo de uma composição dominada por minerais desprovidos dos elementos mais solúveis.  Os solos tropicais representam ecossistemas frágeis, extremamente vulneráveis às ações antrópicas, e que sofrem de forma acentuada os efeitos de uma utilização que se dá por técnicas de manejo não adequadas. 
  • 68. No Brasil, os latossolos são, de longe, os solos mais importantes do ponto de vista da representação geográfica.  Outros tipos de solo ocorrem em função de peculiaridades das condições de formação e evolução pedológica, como o clima semiárido do Nordeste brasileiro, que condiciona a formação, de vertissolos e entissolos, segundo a “Soil Taxonomy” , já mencionada.
  • 69. Por ser um recurso finito e não renovável, podendo levar milhares de anos para tornar-se terra produtiva, o solo, uma vez destruídos na escala de tempo de algumas gerações, desaparece para sempre. Portanto, o solo é, sem dúvida, o recurso natural mais importante de um país, pois é dele que derivam os produtos para alimentar sua população.
  • 70. ÓTIMO FERIADO A TODOS!!!!!!