SlideShare uma empresa Scribd logo
Relevo Brasileiro

GEOGRAFIA
Profª Euna
Relevo


Trata-se do conjunto das formas da crosta terrestre,
manifestando-se desde o fundo dos oceanos até as terras
emersas. Encontramos formas diversas de relevo: montanhas,
planaltos, planícies, depressões, cordilheiras, morros, serras,
inselbergs, vulcões, vales, escarpas, abismos, Cuestas, etc.



O relevo é o resultante da ação de dois agentes:os
internos e externos.
Como se forma o relevo?


O relevo se origina e se
transforma sob a
interferência de dois tipos
de agentes:

os agentes internos (formadores)

os agentes externos (transformadores)
Formas de relevo
PRINCIPAIS ESTRUTURAS DE RELEVO:


PLANALTO



PLANÍCIE



DEPRESSÃO



MONTANHAS
Formas de relevo continentais
Montanhas: formadas pela ação de forças tectônicas

Jovens: formadas em épocas geológicas
recentes. Apresentam maiores altitudes.

Montanhas jovens
no Parque Nacional
Los Glaciares, na região
patagônica
(Argentina, 2000)

Velhas: formadas em eras mais remotas. Tendo
sido afetadas pela erosão, apresentam altitudes
mais moderadas.
Formas de relevo continentais
Planalto: superfícies onde predomina intenso
processo de erosão.
Situam-se entre 200 metros
e 2 mil metros de altitude.

Apresentam forma aplainada
ou morros, serras ou
elevações íngremes de topo
plano (chapadas).

Morro do Pai Inácio, na Chapada
Diamantina (Bahia, 2008)
Formas de relevo continentais
Planícies: poucas irregularidades e forma quase plana

Baixas altitudes
(até 100 metros)

Planícies litorâneas

Sedimentação constante devido
aos movimentos das águas do
mar, de rios, de lagos etc.

Planícies fluviais

Planícies lacustres
Depressões
Partes mais baixas em relação às
formas de relevo que as circundam.
• Apresentam uma leve inclinação e são
também caracterizadas por um processo
de erosão, que é um aspecto
determinante na sua formação.
•

Quando as depressões se encontram
abaixo do nível do mar, recebem o
nome de depressões absolutas.

O mar Morto, na Ásia,
é um exemplo de
depressão absoluta.
Ele está metros
abaixo do nível do
mar.

Depressão Sertaneja /São
Francisco
As diferentes classificações do relevo brasileiro
Professor Aziz Ab’Saber / anos 60

Professor Aroldo de
Azevedo Anos 40/50

Professor Jurandyr Ross Anos 90


Classificação feita por Aroldo de Azevedo: elaborada na déc. De
40, levou em consideração as cotas atimétricas (altitude) do relevo. Planalto:
superfície levemente ondulada com mais de 200 m de altitude. Planície: superfície
aplainada com menos de 200 m de altitude.


Classificação feita por Aziz AB Sáber: Classificação publicada
em 1958, onde se definia: Planalto : superfície suavemente ondulada,
onde se verifica o domínio do processo erosivo(desgaste). Planície:
superfície onde o processo de sedimentação é mais atuante e
independe do nível altimétrico.
Classificação de Ross








A mais recente classificação do relevo brasileiro é a proposta pelo professor
Jurandyr Ross, divulgada em 1989.
Jurandyr Ross, a exemplo de Ab'Saber, também utiliza os processos geomorfológicos
para elaborar a sua classificação, porem diferente das classificações anteriores, Ross,
usa recursos mais modernos como a aerofotogrametria , (fotos aéreas, projeto
Radam Brasil) e reformulou a classificação do relevo brasileiro, elevando para 28 o
número de grandes unidades de relevo.
Além disso, ao invés de se prender às divisões anteriores entre planaltos e
planícies, introduziu um novo conceito, o de depressão.
Destaca três formas principais de relevo: planaltos, planícies e depressões.
Define
cada macro-unidade da seguinte forma:





PLANALTO como sendo uma superfície irregular, com altitude acima de 300 metros e
produto de erosão;
PLANÍCIE, como uma área plana, formada pelo acúmulo recente de sedimentos;
DEPRESSÃO, como superfície entre 100 e 500 metros de altitude, com inclinação suave,
mais plana que o planalto e formada por processo de erosão.
Relevo brasileiro
O relevo brasileiro
Características

Mapa Relevo brasileiro

Predominam os planaltos de baixa
altitude ( até 1200m ) e as
depressões.
O relevo brasileiro não possui
grandes altitudes . Este fato pode
ser explicado pela antiguidade de
seus terrenos (em geral, précambrianos ) que vem sofrendo o
ataque dos agentes de erosão há
milhões de anos.
Planalto, Planícies e Depressões
são as principais formas de relevo .
O Brasil não apresenta cadeias de
montanhas ou dobramentos
modernos .

As Cores variam de acordo com níveis de
altitude indo dos mais baixos ( verde) aos
mais elevados ( marrom)
Relevo Brasileiro


64% de rochas sedimentares (podem apresentar ocorrência de
combustíveis fósseis);



36% de escudos cristalinos (rochas metamórficas e magmáticas), onde
encontramos jazidas de minérios;
Escudos Cristalinos



Nos escudos cristalinos encontramos reservas
minerais metálicas e não metálicas.
Dois escudos principais: Guianas e Brasileiro.
Bacias Sedimentares






Importantes reservas de hidrocarbonetos
(petróleo, gás natural e carvão mineral).
Dois grandes grupos:
Bacias de Grande Extensão: Amazônica, do
Meio Norte, do Paraná, Sanfranciscana ou do
São Francisco e a do Pantanal Matogrossense.
Bacia de Pequena Extensão: do RecôncavoTucano, as costeiras e as de compartimento de
planalto (Bacia Sedimentar de Curitiba).
Classificação de Aroldo de Azevedo







Primeira
classificação.
Recursos limitados.
4 grandes planícies.
2 grandes planaltos.
Subdivide o planalto
brasileiro em 3 subunidades.
Classificação de Aziz Ab’Saber





Discípulo de Aroldo de
Azevedo.
Número de planícies
permanece a mesma.
2 grandes planaltos.
Subdivide o planalto
brasileiro em 6 subunidades.
Classificação de Jurandyr Ross






Realizada na déc. 80.
Resultado do Projeto
RADAM-Brasil.
Divide o país em 28
unidades de relevo.
Predomina planaltos
baixos e depressões.
Planícies com áreas
pequenas e limitadas.
X SAIR
SAIR

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
Prof. Francesco Torres
 
Climas do brasil
Climas do brasilClimas do brasil
Climas do brasil
Suely Takahashi
 
Bacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do BrasilBacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do Brasil
André Luiz Marques
 
9º ano
9º ano9º ano
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
Prof.Paulo/geografia
 
Geografia Do Brasil RegiõEs
Geografia Do Brasil   RegiõEsGeografia Do Brasil   RegiõEs
Geografia Do Brasil RegiõEs
Mateus Silva
 
Ásia
ÁsiaÁsia
Climas do Brasil
Climas do BrasilClimas do Brasil
Climas do Brasil
moajr2
 
Escalas e mapas
Escalas e mapasEscalas e mapas
Escalas e mapas
Prof. Francesco Torres
 
ASPECTOS FÍSICOS DA EUROPA
ASPECTOS FÍSICOS DA EUROPAASPECTOS FÍSICOS DA EUROPA
ASPECTOS FÍSICOS DA EUROPA
Gustavo Silva de Souza
 
Populaçao mundial
Populaçao mundialPopulaçao mundial
Populaçao mundial
Prof.Paulo/geografia
 
Dinâmica climática
Dinâmica climáticaDinâmica climática
Dinâmica climática
Roberta Sumar
 
Espaço urbano
Espaço urbano  Espaço urbano
Espaço urbano
Salageo Cristina
 
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
Cléber Figueiredo Beda de Ávila
 
Revisão de geografia europa - 9º ano
Revisão de geografia   europa - 9º anoRevisão de geografia   europa - 9º ano
Revisão de geografia europa - 9º ano
Simone Aguiar
 
Fusos horarios completo
Fusos horarios completoFusos horarios completo
Fusos horarios completo
Kéliton Ferreira
 
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
Prof. Francesco Torres
 
O relevo e as suas formas
O relevo e as suas formasO relevo e as suas formas
O relevo e as suas formas
profacacio
 
As formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoAs formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundo
Professor
 
Europa aspectos gerais
Europa aspectos geraisEuropa aspectos gerais
Europa aspectos gerais
Colégio Nova Geração COC
 

Mais procurados (20)

Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
Climas do brasil
Climas do brasilClimas do brasil
Climas do brasil
 
Bacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do BrasilBacias hidrográficas do Brasil
Bacias hidrográficas do Brasil
 
9º ano
9º ano9º ano
9º ano
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
Geografia Do Brasil RegiõEs
Geografia Do Brasil   RegiõEsGeografia Do Brasil   RegiõEs
Geografia Do Brasil RegiõEs
 
Ásia
ÁsiaÁsia
Ásia
 
Climas do Brasil
Climas do BrasilClimas do Brasil
Climas do Brasil
 
Escalas e mapas
Escalas e mapasEscalas e mapas
Escalas e mapas
 
ASPECTOS FÍSICOS DA EUROPA
ASPECTOS FÍSICOS DA EUROPAASPECTOS FÍSICOS DA EUROPA
ASPECTOS FÍSICOS DA EUROPA
 
Populaçao mundial
Populaçao mundialPopulaçao mundial
Populaçao mundial
 
Dinâmica climática
Dinâmica climáticaDinâmica climática
Dinâmica climática
 
Espaço urbano
Espaço urbano  Espaço urbano
Espaço urbano
 
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
 
Revisão de geografia europa - 9º ano
Revisão de geografia   europa - 9º anoRevisão de geografia   europa - 9º ano
Revisão de geografia europa - 9º ano
 
Fusos horarios completo
Fusos horarios completoFusos horarios completo
Fusos horarios completo
 
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
 
O relevo e as suas formas
O relevo e as suas formasO relevo e as suas formas
O relevo e as suas formas
 
As formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundoAs formaçoes vegetais pelo mundo
As formaçoes vegetais pelo mundo
 
Europa aspectos gerais
Europa aspectos geraisEuropa aspectos gerais
Europa aspectos gerais
 

Destaque

Geografia vegetação brasileira
Geografia  vegetação brasileiraGeografia  vegetação brasileira
Geografia vegetação brasileira
Jaicinha
 
Regiões brasileiras silmara
Regiões brasileiras silmaraRegiões brasileiras silmara
Regiões brasileiras silmara
Silmara Robles
 
Regionalização do Brasil (IBGE)
Regionalização do Brasil (IBGE)Regionalização do Brasil (IBGE)
Regionalização do Brasil (IBGE)
paulotmo
 
Aula - Relevo Brasil
Aula - Relevo BrasilAula - Relevo Brasil
Aula - Relevo Brasil
gustavocnm
 
Clima e vegetação
Clima e vegetaçãoClima e vegetação
Clima e vegetação
Salageo Cristina
 
As regiões
As regiõesAs regiões
As regiões
ZONIVALDO
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
Colégio Nova Geração COC
 
Geo regiões brasileiras 7º
Geo regiões brasileiras 7ºGeo regiões brasileiras 7º
Geo regiões brasileiras 7º
profgilvano
 
Divisão regional brasileira
Divisão regional brasileiraDivisão regional brasileira
Divisão regional brasileira
Rodrigo Baglini
 
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o BrasilGEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
Dayane Cristine Leite
 
Vegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraVegetação Brasileira
Vegetação Brasileira
Cleber Reis
 
Apresentação amazônia
Apresentação   amazôniaApresentação   amazônia
Apresentação amazônia
Victor Ygor
 
Clima e vegetação do Brasil
Clima e vegetação do BrasilClima e vegetação do Brasil
Clima e vegetação do Brasil
Portal do Vestibulando
 
Slide nordeste
Slide nordesteSlide nordeste
Slide nordeste
Gustavo Dos S. Nogueira
 
Os tipos de Clima e Vegetação do Brasil
Os tipos de Clima e Vegetação  do BrasilOs tipos de Clima e Vegetação  do Brasil
Os tipos de Clima e Vegetação do Brasil
Lana Delly Nascimento
 
Regiao Nordeste
Regiao NordesteRegiao Nordeste
Regiao Nordeste
Walquiria Dutra
 
Climas do brasil
Climas do brasilClimas do brasil
Climas do brasil
Alexia 14
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasil
Professor
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
frankfranklyn
 
Slide 1 - Regionalização do Brasil
Slide 1 - Regionalização do BrasilSlide 1 - Regionalização do Brasil
Slide 1 - Regionalização do Brasil
Laisa Cabral Caetano
 

Destaque (20)

Geografia vegetação brasileira
Geografia  vegetação brasileiraGeografia  vegetação brasileira
Geografia vegetação brasileira
 
Regiões brasileiras silmara
Regiões brasileiras silmaraRegiões brasileiras silmara
Regiões brasileiras silmara
 
Regionalização do Brasil (IBGE)
Regionalização do Brasil (IBGE)Regionalização do Brasil (IBGE)
Regionalização do Brasil (IBGE)
 
Aula - Relevo Brasil
Aula - Relevo BrasilAula - Relevo Brasil
Aula - Relevo Brasil
 
Clima e vegetação
Clima e vegetaçãoClima e vegetação
Clima e vegetação
 
As regiões
As regiõesAs regiões
As regiões
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
Geo regiões brasileiras 7º
Geo regiões brasileiras 7ºGeo regiões brasileiras 7º
Geo regiões brasileiras 7º
 
Divisão regional brasileira
Divisão regional brasileiraDivisão regional brasileira
Divisão regional brasileira
 
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o BrasilGEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
GEOGRAFIA as principais formas de regionalizar o Brasil
 
Vegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraVegetação Brasileira
Vegetação Brasileira
 
Apresentação amazônia
Apresentação   amazôniaApresentação   amazônia
Apresentação amazônia
 
Clima e vegetação do Brasil
Clima e vegetação do BrasilClima e vegetação do Brasil
Clima e vegetação do Brasil
 
Slide nordeste
Slide nordesteSlide nordeste
Slide nordeste
 
Os tipos de Clima e Vegetação do Brasil
Os tipos de Clima e Vegetação  do BrasilOs tipos de Clima e Vegetação  do Brasil
Os tipos de Clima e Vegetação do Brasil
 
Regiao Nordeste
Regiao NordesteRegiao Nordeste
Regiao Nordeste
 
Climas do brasil
Climas do brasilClimas do brasil
Climas do brasil
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasil
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Slide 1 - Regionalização do Brasil
Slide 1 - Regionalização do BrasilSlide 1 - Regionalização do Brasil
Slide 1 - Regionalização do Brasil
 

Semelhante a Relevo brasileiro

Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
Eponina Alencar
 
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasil
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasilGeologia geomorfologia e mineraçao no brasil
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasil
Prof.Paulo/geografia
 
Relevoestruturageologica 100417095104-phpapp02
Relevoestruturageologica 100417095104-phpapp02Relevoestruturageologica 100417095104-phpapp02
Relevoestruturageologica 100417095104-phpapp02
Colegio D. Temoteo
 
Relevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologicaRelevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologica
estelakolinski
 
Relevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologicaRelevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologica
estelakolinski
 
Relevo brasileiro-e-sua-classificacao
Relevo brasileiro-e-sua-classificacaoRelevo brasileiro-e-sua-classificacao
Relevo brasileiro-e-sua-classificacao
O Geógrafo - Geociências
 
Relevo brasileiro-e-sua-classificacao
Relevo brasileiro-e-sua-classificacaoRelevo brasileiro-e-sua-classificacao
Relevo brasileiro-e-sua-classificacao
danielcpacheco2
 
Relevo
RelevoRelevo
RELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTALRELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTAL
Conceição Fontolan
 
Pdf geografia
Pdf geografiaPdf geografia
Pdf geografia
EMSNEWS
 
Apostila Geografia
Apostila GeografiaApostila Geografia
Apostila Geografia
Maurício Vieira
 
Relevo agentes formadores e erosivos
Relevo agentes formadores e erosivosRelevo agentes formadores e erosivos
Relevo agentes formadores e erosivos
Professor
 
CLASSIFICAÇÃO DO RELEVO BRASILEIRO.pdf
CLASSIFICAÇÃO DO RELEVO BRASILEIRO.pdfCLASSIFICAÇÃO DO RELEVO BRASILEIRO.pdf
CLASSIFICAÇÃO DO RELEVO BRASILEIRO.pdf
Henrique Pontes
 
Geografia relevo aprovação virtual
Geografia relevo aprovação virtualGeografia relevo aprovação virtual
Geografia relevo aprovação virtual
Paulo Henrique Netinho
 
Relevo do Brasil - Formações Geomorfológicas do Brasil.
Relevo do Brasil - Formações Geomorfológicas do Brasil.Relevo do Brasil - Formações Geomorfológicas do Brasil.
Relevo do Brasil - Formações Geomorfológicas do Brasil.
Hevan Schultz
 
Aula 2 Classificações do Relevo Brasileiro
Aula 2 Classificações do Relevo Brasileiro Aula 2 Classificações do Relevo Brasileiro
Aula 2 Classificações do Relevo Brasileiro
Geisa Andrade
 
Classifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jefersonClassifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jeferson
Carolina Corrêa
 
As paisagens e o relevo
As paisagens e o relevoAs paisagens e o relevo
As paisagens e o relevo
Salageo Cristina
 
O relevo terrestre medio
O relevo terrestre medioO relevo terrestre medio
O relevo terrestre medio
Leonardo Santana
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
karolpoa
 

Semelhante a Relevo brasileiro (20)

Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasil
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasilGeologia geomorfologia e mineraçao no brasil
Geologia geomorfologia e mineraçao no brasil
 
Relevoestruturageologica 100417095104-phpapp02
Relevoestruturageologica 100417095104-phpapp02Relevoestruturageologica 100417095104-phpapp02
Relevoestruturageologica 100417095104-phpapp02
 
Relevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologicaRelevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologica
 
Relevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologicaRelevo estrutura geologica
Relevo estrutura geologica
 
Relevo brasileiro-e-sua-classificacao
Relevo brasileiro-e-sua-classificacaoRelevo brasileiro-e-sua-classificacao
Relevo brasileiro-e-sua-classificacao
 
Relevo brasileiro-e-sua-classificacao
Relevo brasileiro-e-sua-classificacaoRelevo brasileiro-e-sua-classificacao
Relevo brasileiro-e-sua-classificacao
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 
RELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTALRELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTAL
 
Pdf geografia
Pdf geografiaPdf geografia
Pdf geografia
 
Apostila Geografia
Apostila GeografiaApostila Geografia
Apostila Geografia
 
Relevo agentes formadores e erosivos
Relevo agentes formadores e erosivosRelevo agentes formadores e erosivos
Relevo agentes formadores e erosivos
 
CLASSIFICAÇÃO DO RELEVO BRASILEIRO.pdf
CLASSIFICAÇÃO DO RELEVO BRASILEIRO.pdfCLASSIFICAÇÃO DO RELEVO BRASILEIRO.pdf
CLASSIFICAÇÃO DO RELEVO BRASILEIRO.pdf
 
Geografia relevo aprovação virtual
Geografia relevo aprovação virtualGeografia relevo aprovação virtual
Geografia relevo aprovação virtual
 
Relevo do Brasil - Formações Geomorfológicas do Brasil.
Relevo do Brasil - Formações Geomorfológicas do Brasil.Relevo do Brasil - Formações Geomorfológicas do Brasil.
Relevo do Brasil - Formações Geomorfológicas do Brasil.
 
Aula 2 Classificações do Relevo Brasileiro
Aula 2 Classificações do Relevo Brasileiro Aula 2 Classificações do Relevo Brasileiro
Aula 2 Classificações do Relevo Brasileiro
 
Classifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jefersonClassifcação de relevo geisa_jeferson
Classifcação de relevo geisa_jeferson
 
As paisagens e o relevo
As paisagens e o relevoAs paisagens e o relevo
As paisagens e o relevo
 
O relevo terrestre medio
O relevo terrestre medioO relevo terrestre medio
O relevo terrestre medio
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 

Mais de Euna Machado

Induastrialização brasiledira 2
Induastrialização brasiledira 2Induastrialização brasiledira 2
Induastrialização brasiledira 2
Euna Machado
 
Filosofia da-linguagem-3ano
Filosofia da-linguagem-3anoFilosofia da-linguagem-3ano
Filosofia da-linguagem-3ano
Euna Machado
 
Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-
Euna Machado
 
A guerra-fria-e-o-fim-da-urss
A guerra-fria-e-o-fim-da-urssA guerra-fria-e-o-fim-da-urss
A guerra-fria-e-o-fim-da-urss
Euna Machado
 
Globalizacao (1)
Globalizacao (1)Globalizacao (1)
Globalizacao (1)
Euna Machado
 
Antecedentes da 2ª guerra
Antecedentes da 2ª guerraAntecedentes da 2ª guerra
Antecedentes da 2ª guerra
Euna Machado
 
Antecedentes e segunda guerra
Antecedentes e segunda guerraAntecedentes e segunda guerra
Antecedentes e segunda guerra
Euna Machado
 
Antecedentes militares da 2ª guerra
Antecedentes militares da 2ª guerraAntecedentes militares da 2ª guerra
Antecedentes militares da 2ª guerra
Euna Machado
 
Antecedentes da 2ª guerra
Antecedentes da 2ª guerraAntecedentes da 2ª guerra
Antecedentes da 2ª guerra
Euna Machado
 

Mais de Euna Machado (9)

Induastrialização brasiledira 2
Induastrialização brasiledira 2Induastrialização brasiledira 2
Induastrialização brasiledira 2
 
Filosofia da-linguagem-3ano
Filosofia da-linguagem-3anoFilosofia da-linguagem-3ano
Filosofia da-linguagem-3ano
 
Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-
 
A guerra-fria-e-o-fim-da-urss
A guerra-fria-e-o-fim-da-urssA guerra-fria-e-o-fim-da-urss
A guerra-fria-e-o-fim-da-urss
 
Globalizacao (1)
Globalizacao (1)Globalizacao (1)
Globalizacao (1)
 
Antecedentes da 2ª guerra
Antecedentes da 2ª guerraAntecedentes da 2ª guerra
Antecedentes da 2ª guerra
 
Antecedentes e segunda guerra
Antecedentes e segunda guerraAntecedentes e segunda guerra
Antecedentes e segunda guerra
 
Antecedentes militares da 2ª guerra
Antecedentes militares da 2ª guerraAntecedentes militares da 2ª guerra
Antecedentes militares da 2ª guerra
 
Antecedentes da 2ª guerra
Antecedentes da 2ª guerraAntecedentes da 2ª guerra
Antecedentes da 2ª guerra
 

Relevo brasileiro

  • 2. Relevo  Trata-se do conjunto das formas da crosta terrestre, manifestando-se desde o fundo dos oceanos até as terras emersas. Encontramos formas diversas de relevo: montanhas, planaltos, planícies, depressões, cordilheiras, morros, serras, inselbergs, vulcões, vales, escarpas, abismos, Cuestas, etc.  O relevo é o resultante da ação de dois agentes:os internos e externos.
  • 3. Como se forma o relevo?  O relevo se origina e se transforma sob a interferência de dois tipos de agentes: os agentes internos (formadores) os agentes externos (transformadores)
  • 4. Formas de relevo PRINCIPAIS ESTRUTURAS DE RELEVO:  PLANALTO  PLANÍCIE  DEPRESSÃO  MONTANHAS
  • 5. Formas de relevo continentais Montanhas: formadas pela ação de forças tectônicas Jovens: formadas em épocas geológicas recentes. Apresentam maiores altitudes. Montanhas jovens no Parque Nacional Los Glaciares, na região patagônica (Argentina, 2000) Velhas: formadas em eras mais remotas. Tendo sido afetadas pela erosão, apresentam altitudes mais moderadas.
  • 6. Formas de relevo continentais Planalto: superfícies onde predomina intenso processo de erosão. Situam-se entre 200 metros e 2 mil metros de altitude. Apresentam forma aplainada ou morros, serras ou elevações íngremes de topo plano (chapadas). Morro do Pai Inácio, na Chapada Diamantina (Bahia, 2008)
  • 7. Formas de relevo continentais Planícies: poucas irregularidades e forma quase plana Baixas altitudes (até 100 metros) Planícies litorâneas Sedimentação constante devido aos movimentos das águas do mar, de rios, de lagos etc. Planícies fluviais Planícies lacustres
  • 8. Depressões Partes mais baixas em relação às formas de relevo que as circundam. • Apresentam uma leve inclinação e são também caracterizadas por um processo de erosão, que é um aspecto determinante na sua formação. • Quando as depressões se encontram abaixo do nível do mar, recebem o nome de depressões absolutas. O mar Morto, na Ásia, é um exemplo de depressão absoluta. Ele está metros abaixo do nível do mar. Depressão Sertaneja /São Francisco
  • 9. As diferentes classificações do relevo brasileiro Professor Aziz Ab’Saber / anos 60 Professor Aroldo de Azevedo Anos 40/50 Professor Jurandyr Ross Anos 90
  • 10.  Classificação feita por Aroldo de Azevedo: elaborada na déc. De 40, levou em consideração as cotas atimétricas (altitude) do relevo. Planalto: superfície levemente ondulada com mais de 200 m de altitude. Planície: superfície aplainada com menos de 200 m de altitude.
  • 11.  Classificação feita por Aziz AB Sáber: Classificação publicada em 1958, onde se definia: Planalto : superfície suavemente ondulada, onde se verifica o domínio do processo erosivo(desgaste). Planície: superfície onde o processo de sedimentação é mais atuante e independe do nível altimétrico.
  • 12. Classificação de Ross     A mais recente classificação do relevo brasileiro é a proposta pelo professor Jurandyr Ross, divulgada em 1989. Jurandyr Ross, a exemplo de Ab'Saber, também utiliza os processos geomorfológicos para elaborar a sua classificação, porem diferente das classificações anteriores, Ross, usa recursos mais modernos como a aerofotogrametria , (fotos aéreas, projeto Radam Brasil) e reformulou a classificação do relevo brasileiro, elevando para 28 o número de grandes unidades de relevo. Além disso, ao invés de se prender às divisões anteriores entre planaltos e planícies, introduziu um novo conceito, o de depressão. Destaca três formas principais de relevo: planaltos, planícies e depressões. Define cada macro-unidade da seguinte forma:    PLANALTO como sendo uma superfície irregular, com altitude acima de 300 metros e produto de erosão; PLANÍCIE, como uma área plana, formada pelo acúmulo recente de sedimentos; DEPRESSÃO, como superfície entre 100 e 500 metros de altitude, com inclinação suave, mais plana que o planalto e formada por processo de erosão.
  • 14. O relevo brasileiro Características Mapa Relevo brasileiro Predominam os planaltos de baixa altitude ( até 1200m ) e as depressões. O relevo brasileiro não possui grandes altitudes . Este fato pode ser explicado pela antiguidade de seus terrenos (em geral, précambrianos ) que vem sofrendo o ataque dos agentes de erosão há milhões de anos. Planalto, Planícies e Depressões são as principais formas de relevo . O Brasil não apresenta cadeias de montanhas ou dobramentos modernos . As Cores variam de acordo com níveis de altitude indo dos mais baixos ( verde) aos mais elevados ( marrom)
  • 15. Relevo Brasileiro  64% de rochas sedimentares (podem apresentar ocorrência de combustíveis fósseis);  36% de escudos cristalinos (rochas metamórficas e magmáticas), onde encontramos jazidas de minérios;
  • 16. Escudos Cristalinos   Nos escudos cristalinos encontramos reservas minerais metálicas e não metálicas. Dois escudos principais: Guianas e Brasileiro.
  • 17. Bacias Sedimentares     Importantes reservas de hidrocarbonetos (petróleo, gás natural e carvão mineral). Dois grandes grupos: Bacias de Grande Extensão: Amazônica, do Meio Norte, do Paraná, Sanfranciscana ou do São Francisco e a do Pantanal Matogrossense. Bacia de Pequena Extensão: do RecôncavoTucano, as costeiras e as de compartimento de planalto (Bacia Sedimentar de Curitiba).
  • 18. Classificação de Aroldo de Azevedo      Primeira classificação. Recursos limitados. 4 grandes planícies. 2 grandes planaltos. Subdivide o planalto brasileiro em 3 subunidades.
  • 19. Classificação de Aziz Ab’Saber     Discípulo de Aroldo de Azevedo. Número de planícies permanece a mesma. 2 grandes planaltos. Subdivide o planalto brasileiro em 6 subunidades.
  • 20. Classificação de Jurandyr Ross      Realizada na déc. 80. Resultado do Projeto RADAM-Brasil. Divide o país em 28 unidades de relevo. Predomina planaltos baixos e depressões. Planícies com áreas pequenas e limitadas.