SlideShare uma empresa Scribd logo
O Império Português e a Concorrência Internacional Maria Luisa Mira
A Crise do Império Português Motivos que levaram à crise (I): Dispersão dos territórios (África, Ásia e América); Despesas muito elevadas: Compra de produtos; Compra de armamento; Construção de navios; Construção de Fortalezas; Manutenção; Pagamento de funcionários e soldados.
A Crise do Império Português Motivos que levaram à crise (II): Distância e Duração das viagens; Corrupção; Ataques de piratas e de corsários.
 
D. Sebastião e o Projecto para África Século XVI: Duas correntes: Manutenção do Império do Oriente; Criação de um Império no Norte de África. D. Sebastião opta pela Segunda: Quer criar um grande Império em Marrocos; 04 de Agosto de 1578 – Batalha de Álcácer-Quibir; O rei morre em batalha.
Problema da Sucessão  Sucessão a D. Sebastião - 1578 Problemas: O rei não tinha filhos; O rei não tinha irmãos; O rei tinha um  tio que, para além de ser idoso, era membro da Igreja Católica. Cardeal D. Henrique sucede a D. Sebastião. Apenas se adiou o problema…
Problema da Sucessão Sucessão a D. Henrique – 1580 Problemas: O rei não tinha filhos; O rei não já tinha irmãos; Teria que ser um sobrinho – Qual deles? D. Filipe II de Espanha D. Catarina de Bragança   Netos de D. Manuel I D. António Prior do Crato
Candidatos ao trono D. Filipe II de Espanha Era o rei mais poderoso do Mundo; Tinha o apoio: Da Alta Nobreza e do Alto Clero: Queriam novos cargos Da Burguesia: Queriam o acesso a novos mercados
Candidatos ao trono D. Catarina de Bragança. Era “apenas” uma duquesa; Tinha o apoio: Da Antiga Nobreza Portuguesa.
Candidatos ao trono D. António, Prior do Crato Era filho ilegítimo do Infante D. Luís; Era um membro do clero. Tinha o apoio: Do Povo; Foi derrotado na batalha de Alcântara e exilou-se em Paris.
Cortes de Tomar - 1581 Objectivo -> Aclamar Filipe II como rei de Portugal. Promessas do novo monarca: Manutenção da Independência Nacional; O cargo de vice-rei/governador seria para um português; Os cargos da administração, das finanças, da justiça, militares e eclesiásticos seriam para portugueses; Não seriam retirados territórios a Portugal; Manter-se-ia o uso da moeda e da língua portuguesa.
O Novo Império Espanhol
Império Holandês Grande desenvolvimento da agricultura, indústria têxtil, da construção Naval e do comércio do Mar do Norte; Defendiam o  Mare Liberum  (Hugo Grócio) Opunha-se ao  Mare Clausum  (mar fechado) Qualquer país tinha o direito a navegar pelos mares; Qualquer país tinha o direito de fazer comércio com qualquer povo/zona do mundo.
Império Holandês Importância dos Holandeses eram grandes intermediários entre o Norte e o Sul da Europa;  os seus barcos eram fretados para transporte de mercadorias; Amesterdão tornou-se a principal cidade comercial europeia; a burguesia holandesa era activa e empreendedora; criaram-se Companhias comerciais para fazer face à concorrência ibérica, com poderosas   frotas marítimas, defendidas por navios de guerra; Companhia índias Orientais -  Rota do Cabo - especiarias, porcelana, chá e sedas; Companhia índias Ocidentais . = comércio do açúcar e escravos.
Império Inglês Grande potência colonial a partir da 2ª metade do século XVII: a larga experiência marítima dos ingleses; os ataques de piratas e corsários ingleses, nos séc. XVI e XVII, aos barcos e territórios dos países ibéricos; 1558/1603: Elizabeth I - os ingleses queriam dominar e fazer comércio nas regiões descobertas; com o princípio do  Mare Liberum  vão conquistar territórios nas Antilhas, Golfo da Guiné e antigas feitorias portuguesas no Oriente; comércio: açúcar, rum e escravos;
Império Inglês Vitória sobre os Espanhóis Derrota da Armada Invencível Trajecto da Armada  Invencível
Império Inglês Acto de Navegação : o transporte de mercadorias de outros países e das colónias inglesas, para Inglaterra só poderia ser feito por navios ingleses ou pelos navios de origem dos produtos.  Objectivos :  arruinar a frota holandesa e desenvolver a construção naval e a marinha mercante inglesas.
O Comércio Mundial Fonte: Custódio Largatixa, Manual do 8º ano, Santillana, 2008
O Comércio Triangular
Fim da União Dinástica Problemas com a União. Perda de Territórios; Perda de Navios; Armada Invencível. Soldados Portugueses nos exércitos espanhóis; Aumento de Impostos; Vice-rei Espanhol (Duquesa de Mântua); Portugal passa a província de Espanha; Revoltas populares.
Guerra da Restauração 01 de Dezembro de 1640 Revolta de nobres; Aclamação de um novo rei: D. João, Duque de Bragança. Início de uma nova dinastia: Dinastia de Bragança. Coroação de D. João IV. 1908, óleo sobre tela, 325 x 285 cm Museu Militar, Sala Restauração, Lisboa, Portugal
Guerra da Restauração Guerra da Restauração 1640-1668 Batalhas: Ameixial Montes-Claros Linhas de Elvas Castelo Rodrigo Acordos com a Inglaterra; Reorganização do exército; Construção de novas  Fortalezas.
Guerra da Restauração Guerra com a Holanda Recuperação de: Luanda; S. Tomé; Norte do Brasil.
O Brasil Engenhos -> Grandes Propriedades Engenho: Local onde se encontravam os aparelhos destinados ao fabrico do Açúcar; Utilizavam mão-de-obra  escrava.
O Brasil Os Engenhos - Esquema
O Brasil A Acção dos Bandeirantes Explorar o território brasileiro; Marcação de Fronteiras; Capturar escravos fugidos; Descoberta de ouro e diamantes.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRica
A Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRicaA Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRica
A Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRica
Hist8
 
Império Português nos séculos XVI a XVIII
Império Português nos séculos XVI a XVIIIImpério Português nos séculos XVI a XVIII
Império Português nos séculos XVI a XVIII
Cátia Botelho
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
PROFºWILTONREIS
 
O fim do império português e a união ibérica
O fim do império português e a união ibéricaO fim do império português e a união ibérica
O fim do império português e a união ibérica
Susana Simões
 
Os imperios peninsulares
Os imperios peninsularesOs imperios peninsulares
Os imperios peninsulares
Susana Simões
 
O Expansionismo Europeu
O Expansionismo EuropeuO Expansionismo Europeu
O Expansionismo Europeu
danielafirmino3
 
União Ibérica
União IbéricaUnião Ibérica
União Ibérica
Maria Gomes
 
O império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacionalO império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacional
cattonia
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
Álvaro Maurício
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
Eduardo Gomes
 
Ensino virtual 3º ciclo - HISTÓRIA 8º ANO
Ensino virtual 3º ciclo - HISTÓRIA 8º ANOEnsino virtual 3º ciclo - HISTÓRIA 8º ANO
Ensino virtual 3º ciclo - HISTÓRIA 8º ANO
ensinovirtual3ciclo
 
Expansão marítima europeia
Expansão marítima europeiaExpansão marítima europeia
Expansão marítima europeia
Elton Zanoni
 
Expansão marítima/ antecedentes
Expansão marítima/ antecedentesExpansão marítima/ antecedentes
Expansão marítima/ antecedentes
Edenilson Morais
 
A rivalidade Luso castelhana
A rivalidade Luso castelhanaA rivalidade Luso castelhana
A rivalidade Luso castelhana
Maria Gomes
 
Portugal Xv Xvi
Portugal Xv XviPortugal Xv Xvi
Portugal Xv Xvi
Luís Ferreira
 
Mercantilismo e Grandes Navegações
Mercantilismo e Grandes NavegaçõesMercantilismo e Grandes Navegações
Mercantilismo e Grandes Navegações
Edenilson Morais
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
Alê Maldonado
 
O império português
O império portuguêsO império português
O império português
Carla Freitas
 
expansionismo europeu
expansionismo europeuexpansionismo europeu
expansionismo europeu
Beatriz Silva
 
As grandes navegações e o mercantilismo
As grandes navegações e o mercantilismoAs grandes navegações e o mercantilismo
As grandes navegações e o mercantilismo
Nilton Silva Jardim Junior
 

Mais procurados (20)

A Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRica
A Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRicaA Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRica
A Crise Do ImpéRio PortuguêS E A UniãO IbéRica
 
Império Português nos séculos XVI a XVIII
Império Português nos séculos XVI a XVIIIImpério Português nos séculos XVI a XVIII
Império Português nos séculos XVI a XVIII
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
 
O fim do império português e a união ibérica
O fim do império português e a união ibéricaO fim do império português e a união ibérica
O fim do império português e a união ibérica
 
Os imperios peninsulares
Os imperios peninsularesOs imperios peninsulares
Os imperios peninsulares
 
O Expansionismo Europeu
O Expansionismo EuropeuO Expansionismo Europeu
O Expansionismo Europeu
 
União Ibérica
União IbéricaUnião Ibérica
União Ibérica
 
O império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacionalO império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacional
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
 
Ensino virtual 3º ciclo - HISTÓRIA 8º ANO
Ensino virtual 3º ciclo - HISTÓRIA 8º ANOEnsino virtual 3º ciclo - HISTÓRIA 8º ANO
Ensino virtual 3º ciclo - HISTÓRIA 8º ANO
 
Expansão marítima europeia
Expansão marítima europeiaExpansão marítima europeia
Expansão marítima europeia
 
Expansão marítima/ antecedentes
Expansão marítima/ antecedentesExpansão marítima/ antecedentes
Expansão marítima/ antecedentes
 
A rivalidade Luso castelhana
A rivalidade Luso castelhanaA rivalidade Luso castelhana
A rivalidade Luso castelhana
 
Portugal Xv Xvi
Portugal Xv XviPortugal Xv Xvi
Portugal Xv Xvi
 
Mercantilismo e Grandes Navegações
Mercantilismo e Grandes NavegaçõesMercantilismo e Grandes Navegações
Mercantilismo e Grandes Navegações
 
Expansão marítima
Expansão marítimaExpansão marítima
Expansão marítima
 
O império português
O império portuguêsO império português
O império português
 
expansionismo europeu
expansionismo europeuexpansionismo europeu
expansionismo europeu
 
As grandes navegações e o mercantilismo
As grandes navegações e o mercantilismoAs grandes navegações e o mercantilismo
As grandes navegações e o mercantilismo
 

Semelhante a A crise do império português no oriente

A crise-do-império-português-1234654982023962-2
A crise-do-império-português-1234654982023962-2A crise-do-império-português-1234654982023962-2
A crise-do-império-português-1234654982023962-2
guize
 
F1 o império português e a concorrência internacional
F1 o império português e a concorrência internacionalF1 o império português e a concorrência internacional
F1 o império português e a concorrência internacional
Vítor Santos
 
O imp.port. e a concorrência internacional
O imp.port. e a concorrência internacionalO imp.port. e a concorrência internacional
O imp.port. e a concorrência internacional
helenacompleto
 
Comerciointernacional resumo
Comerciointernacional resumoComerciointernacional resumo
Comerciointernacional resumo
Mateus Tanita
 
# RESUMO PPT - A Disputa Mares e a Afirmação Capitalismo Comercial.pdf
# RESUMO PPT - A Disputa Mares e a Afirmação Capitalismo Comercial.pdf# RESUMO PPT - A Disputa Mares e a Afirmação Capitalismo Comercial.pdf
# RESUMO PPT - A Disputa Mares e a Afirmação Capitalismo Comercial.pdf
filipe913355
 
29 crise, união ibérica, restauração
29   crise, união ibérica, restauração29   crise, união ibérica, restauração
29 crise, união ibérica, restauração
Carla Freitas
 
União ibérica
União ibéricaUnião ibérica
União ibérica
Maria Gomes
 
União ibérica
União ibéricaUnião ibérica
União ibérica
Maria Gomes
 
Revisões para teste 8º
Revisões para teste 8ºRevisões para teste 8º
Revisões para teste 8º
Nuno Faustino
 
Oimprioportuguseaconcorrnciainternacional 100831050343-phpapp01
Oimprioportuguseaconcorrnciainternacional 100831050343-phpapp01Oimprioportuguseaconcorrnciainternacional 100831050343-phpapp01
Oimprioportuguseaconcorrnciainternacional 100831050343-phpapp01
Diogo Rainha Lopes
 
A união ibérica e a restauração da independência
A união ibérica e a restauração da independênciaA união ibérica e a restauração da independência
A união ibérica e a restauração da independência
JosPedroSilva11
 
O império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacionalO império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacional
Lucilia Fonseca
 
Uniaoiberica
UniaoibericaUniaoiberica
Uniaoiberica
Marta Pereira
 
União ibérica & restauração
União ibérica & restauraçãoUnião ibérica & restauração
União ibérica & restauração
Rainha Maga
 
Crise o império Português e União Ibérica.pptx
Crise o império Português e União Ibérica.pptxCrise o império Português e União Ibérica.pptx
Crise o império Português e União Ibérica.pptx
Conceio10
 
Da UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia Portuguesa
Da UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia PortuguesaDa UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia Portuguesa
Da UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia Portuguesa
guest8d9c061
 
fdocumentos.com_a-morte-de-d-sebastiao-e-a-crise-de-sucessao-a-uniao-iberica-...
fdocumentos.com_a-morte-de-d-sebastiao-e-a-crise-de-sucessao-a-uniao-iberica-...fdocumentos.com_a-morte-de-d-sebastiao-e-a-crise-de-sucessao-a-uniao-iberica-...
fdocumentos.com_a-morte-de-d-sebastiao-e-a-crise-de-sucessao-a-uniao-iberica-...
Belmiramolar
 
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.pptA Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
carloshistoriador
 
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.pptA Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
carloshistoriador
 
União ibérica
União ibéricaUnião ibérica
União ibérica
Pedro Henrique
 

Semelhante a A crise do império português no oriente (20)

A crise-do-império-português-1234654982023962-2
A crise-do-império-português-1234654982023962-2A crise-do-império-português-1234654982023962-2
A crise-do-império-português-1234654982023962-2
 
F1 o império português e a concorrência internacional
F1 o império português e a concorrência internacionalF1 o império português e a concorrência internacional
F1 o império português e a concorrência internacional
 
O imp.port. e a concorrência internacional
O imp.port. e a concorrência internacionalO imp.port. e a concorrência internacional
O imp.port. e a concorrência internacional
 
Comerciointernacional resumo
Comerciointernacional resumoComerciointernacional resumo
Comerciointernacional resumo
 
# RESUMO PPT - A Disputa Mares e a Afirmação Capitalismo Comercial.pdf
# RESUMO PPT - A Disputa Mares e a Afirmação Capitalismo Comercial.pdf# RESUMO PPT - A Disputa Mares e a Afirmação Capitalismo Comercial.pdf
# RESUMO PPT - A Disputa Mares e a Afirmação Capitalismo Comercial.pdf
 
29 crise, união ibérica, restauração
29   crise, união ibérica, restauração29   crise, união ibérica, restauração
29 crise, união ibérica, restauração
 
União ibérica
União ibéricaUnião ibérica
União ibérica
 
União ibérica
União ibéricaUnião ibérica
União ibérica
 
Revisões para teste 8º
Revisões para teste 8ºRevisões para teste 8º
Revisões para teste 8º
 
Oimprioportuguseaconcorrnciainternacional 100831050343-phpapp01
Oimprioportuguseaconcorrnciainternacional 100831050343-phpapp01Oimprioportuguseaconcorrnciainternacional 100831050343-phpapp01
Oimprioportuguseaconcorrnciainternacional 100831050343-phpapp01
 
A união ibérica e a restauração da independência
A união ibérica e a restauração da independênciaA união ibérica e a restauração da independência
A união ibérica e a restauração da independência
 
O império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacionalO império português e a concorrência internacional
O império português e a concorrência internacional
 
Uniaoiberica
UniaoibericaUniaoiberica
Uniaoiberica
 
União ibérica & restauração
União ibérica & restauraçãoUnião ibérica & restauração
União ibérica & restauração
 
Crise o império Português e União Ibérica.pptx
Crise o império Português e União Ibérica.pptxCrise o império Português e União Ibérica.pptx
Crise o império Português e União Ibérica.pptx
 
Da UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia Portuguesa
Da UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia PortuguesaDa UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia Portuguesa
Da UniãO IbéRica à RestauraçãO Da IndependêNcia Portuguesa
 
fdocumentos.com_a-morte-de-d-sebastiao-e-a-crise-de-sucessao-a-uniao-iberica-...
fdocumentos.com_a-morte-de-d-sebastiao-e-a-crise-de-sucessao-a-uniao-iberica-...fdocumentos.com_a-morte-de-d-sebastiao-e-a-crise-de-sucessao-a-uniao-iberica-...
fdocumentos.com_a-morte-de-d-sebastiao-e-a-crise-de-sucessao-a-uniao-iberica-...
 
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.pptA Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
 
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.pptA Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
 
União ibérica
União ibéricaUnião ibérica
União ibérica
 

Mais de borgia

Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
borgia
 
Colonialismo e imperialismo
Colonialismo e imperialismoColonialismo e imperialismo
Colonialismo e imperialismo
borgia
 
8º ano as revoluções liberais
8º ano   as revoluções liberais8º ano   as revoluções liberais
8º ano as revoluções liberais
borgia
 
A sociedade medieval
A sociedade medievalA sociedade medieval
A sociedade medieval
borgia
 
A ind. eua
A ind. euaA ind. eua
A ind. eua
borgia
 
O barroco-
O barroco-O barroco-
O barroco-
borgia
 
O despotismo pombalino
O despotismo pombalinoO despotismo pombalino
O despotismo pombalino
borgia
 
Escravos e gladiadores
Escravos e gladiadoresEscravos e gladiadores
Escravos e gladiadores
borgia
 
O despotismo pombalino
O despotismo pombalinoO despotismo pombalino
O despotismo pombalino
borgia
 
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
borgia
 
Aveiro+à+..
Aveiro+à+..Aveiro+à+..
Aveiro+à+..
borgia
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
borgia
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
borgia
 
Expansao portuguesa
Expansao portuguesaExpansao portuguesa
Expansao portuguesa
borgia
 
Portugal no século xiv
Portugal no século xivPortugal no século xiv
Portugal no século xiv
borgia
 
S Bento da Porta Aberta
S  Bento da Porta AbertaS  Bento da Porta Aberta
S Bento da Porta Aberta
borgia
 
Caravaggio
CaravaggioCaravaggio
Caravaggio
borgia
 

Mais de borgia (17)

Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
 
Colonialismo e imperialismo
Colonialismo e imperialismoColonialismo e imperialismo
Colonialismo e imperialismo
 
8º ano as revoluções liberais
8º ano   as revoluções liberais8º ano   as revoluções liberais
8º ano as revoluções liberais
 
A sociedade medieval
A sociedade medievalA sociedade medieval
A sociedade medieval
 
A ind. eua
A ind. euaA ind. eua
A ind. eua
 
O barroco-
O barroco-O barroco-
O barroco-
 
O despotismo pombalino
O despotismo pombalinoO despotismo pombalino
O despotismo pombalino
 
Escravos e gladiadores
Escravos e gladiadoresEscravos e gladiadores
Escravos e gladiadores
 
O despotismo pombalino
O despotismo pombalinoO despotismo pombalino
O despotismo pombalino
 
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
 
Aveiro+à+..
Aveiro+à+..Aveiro+à+..
Aveiro+à+..
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
 
Expansao portuguesa
Expansao portuguesaExpansao portuguesa
Expansao portuguesa
 
Portugal no século xiv
Portugal no século xivPortugal no século xiv
Portugal no século xiv
 
S Bento da Porta Aberta
S  Bento da Porta AbertaS  Bento da Porta Aberta
S Bento da Porta Aberta
 
Caravaggio
CaravaggioCaravaggio
Caravaggio
 

Último

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 

A crise do império português no oriente

  • 1. O Império Português e a Concorrência Internacional Maria Luisa Mira
  • 2. A Crise do Império Português Motivos que levaram à crise (I): Dispersão dos territórios (África, Ásia e América); Despesas muito elevadas: Compra de produtos; Compra de armamento; Construção de navios; Construção de Fortalezas; Manutenção; Pagamento de funcionários e soldados.
  • 3. A Crise do Império Português Motivos que levaram à crise (II): Distância e Duração das viagens; Corrupção; Ataques de piratas e de corsários.
  • 4.  
  • 5. D. Sebastião e o Projecto para África Século XVI: Duas correntes: Manutenção do Império do Oriente; Criação de um Império no Norte de África. D. Sebastião opta pela Segunda: Quer criar um grande Império em Marrocos; 04 de Agosto de 1578 – Batalha de Álcácer-Quibir; O rei morre em batalha.
  • 6. Problema da Sucessão Sucessão a D. Sebastião - 1578 Problemas: O rei não tinha filhos; O rei não tinha irmãos; O rei tinha um tio que, para além de ser idoso, era membro da Igreja Católica. Cardeal D. Henrique sucede a D. Sebastião. Apenas se adiou o problema…
  • 7. Problema da Sucessão Sucessão a D. Henrique – 1580 Problemas: O rei não tinha filhos; O rei não já tinha irmãos; Teria que ser um sobrinho – Qual deles? D. Filipe II de Espanha D. Catarina de Bragança Netos de D. Manuel I D. António Prior do Crato
  • 8. Candidatos ao trono D. Filipe II de Espanha Era o rei mais poderoso do Mundo; Tinha o apoio: Da Alta Nobreza e do Alto Clero: Queriam novos cargos Da Burguesia: Queriam o acesso a novos mercados
  • 9. Candidatos ao trono D. Catarina de Bragança. Era “apenas” uma duquesa; Tinha o apoio: Da Antiga Nobreza Portuguesa.
  • 10. Candidatos ao trono D. António, Prior do Crato Era filho ilegítimo do Infante D. Luís; Era um membro do clero. Tinha o apoio: Do Povo; Foi derrotado na batalha de Alcântara e exilou-se em Paris.
  • 11. Cortes de Tomar - 1581 Objectivo -> Aclamar Filipe II como rei de Portugal. Promessas do novo monarca: Manutenção da Independência Nacional; O cargo de vice-rei/governador seria para um português; Os cargos da administração, das finanças, da justiça, militares e eclesiásticos seriam para portugueses; Não seriam retirados territórios a Portugal; Manter-se-ia o uso da moeda e da língua portuguesa.
  • 12. O Novo Império Espanhol
  • 13. Império Holandês Grande desenvolvimento da agricultura, indústria têxtil, da construção Naval e do comércio do Mar do Norte; Defendiam o Mare Liberum (Hugo Grócio) Opunha-se ao Mare Clausum (mar fechado) Qualquer país tinha o direito a navegar pelos mares; Qualquer país tinha o direito de fazer comércio com qualquer povo/zona do mundo.
  • 14. Império Holandês Importância dos Holandeses eram grandes intermediários entre o Norte e o Sul da Europa; os seus barcos eram fretados para transporte de mercadorias; Amesterdão tornou-se a principal cidade comercial europeia; a burguesia holandesa era activa e empreendedora; criaram-se Companhias comerciais para fazer face à concorrência ibérica, com poderosas frotas marítimas, defendidas por navios de guerra; Companhia índias Orientais - Rota do Cabo - especiarias, porcelana, chá e sedas; Companhia índias Ocidentais . = comércio do açúcar e escravos.
  • 15. Império Inglês Grande potência colonial a partir da 2ª metade do século XVII: a larga experiência marítima dos ingleses; os ataques de piratas e corsários ingleses, nos séc. XVI e XVII, aos barcos e territórios dos países ibéricos; 1558/1603: Elizabeth I - os ingleses queriam dominar e fazer comércio nas regiões descobertas; com o princípio do Mare Liberum vão conquistar territórios nas Antilhas, Golfo da Guiné e antigas feitorias portuguesas no Oriente; comércio: açúcar, rum e escravos;
  • 16. Império Inglês Vitória sobre os Espanhóis Derrota da Armada Invencível Trajecto da Armada Invencível
  • 17. Império Inglês Acto de Navegação : o transporte de mercadorias de outros países e das colónias inglesas, para Inglaterra só poderia ser feito por navios ingleses ou pelos navios de origem dos produtos. Objectivos : arruinar a frota holandesa e desenvolver a construção naval e a marinha mercante inglesas.
  • 18. O Comércio Mundial Fonte: Custódio Largatixa, Manual do 8º ano, Santillana, 2008
  • 20. Fim da União Dinástica Problemas com a União. Perda de Territórios; Perda de Navios; Armada Invencível. Soldados Portugueses nos exércitos espanhóis; Aumento de Impostos; Vice-rei Espanhol (Duquesa de Mântua); Portugal passa a província de Espanha; Revoltas populares.
  • 21. Guerra da Restauração 01 de Dezembro de 1640 Revolta de nobres; Aclamação de um novo rei: D. João, Duque de Bragança. Início de uma nova dinastia: Dinastia de Bragança. Coroação de D. João IV. 1908, óleo sobre tela, 325 x 285 cm Museu Militar, Sala Restauração, Lisboa, Portugal
  • 22. Guerra da Restauração Guerra da Restauração 1640-1668 Batalhas: Ameixial Montes-Claros Linhas de Elvas Castelo Rodrigo Acordos com a Inglaterra; Reorganização do exército; Construção de novas Fortalezas.
  • 23. Guerra da Restauração Guerra com a Holanda Recuperação de: Luanda; S. Tomé; Norte do Brasil.
  • 24. O Brasil Engenhos -> Grandes Propriedades Engenho: Local onde se encontravam os aparelhos destinados ao fabrico do Açúcar; Utilizavam mão-de-obra escrava.
  • 25. O Brasil Os Engenhos - Esquema
  • 26. O Brasil A Acção dos Bandeirantes Explorar o território brasileiro; Marcação de Fronteiras; Capturar escravos fugidos; Descoberta de ouro e diamantes.