SlideShare uma empresa Scribd logo
Exposição de grande qualidade acerca do grande “mestre da luz e das trevas”. Quem gostar de pintura, vai dar por bem empregue o tempo  gasto para ver esta excelente e didáctica exposição.   Avanço manual – use o “rato”
C  A  R  A V A G  G I 2 0 1 0 0 MOSTRA SCUDERIE DEL QUIRINALE ROME 20 febbraio - 13 giugno
Por ocasião da celebração do quarto centenário do falecimento de Caravaggio (1571-1610), a Galeria da  SCUDERIE DEL QUIRINALE  de Roma, organizou uma exposição de 20 de Fevereiro a 13 de Junho de 2010, onde foram apresentados alguns dos mais signficativos trabalhos de Caravaggio.  A exposição foi de grande simplicidade e composta por apenas 23 quadros, todos de Micheangelo Maresi, mais conhecido por Caravaggio, por ser o nome da pequena aldeia lombarda, onde viviam os seus pais, onde nasceu, no norte da Itália e adoptou como nome. Os organizadores só escolheram estas obras por serem da sua própria autoria, excluindo as que são atribuídas à sua “escola”.
PALACIO DO QUIRINAL, ROMA
Os 23 quadros expostos foram emprestados por galerias e museus:   A felagelação  de Capodimonte, o  Baco  da Galera Uffizi, de Florênça,  David com a cabeça de Golia , da Galeria Borghese, de Roma e  Os Músicos , do Metropolitan Museum de Nova York.  Também foram mostradas obras do Museu Hermitage, de São Petersburgo, o do Staatliche Museum, de Berlim.  Da Veneranda Biblioteca Ambrosiana de Milão veio a famosa  Cesta de fruta,  cujo primeiro propietário, o Cardeal Borromeo, tinha-a em  tão grande estima a ponto de ameaçar excomungar… quem se atrevesse a retirar-la da parede, onde estava exposta.
Baco,  1597 Galeria Uffizi, Florênça
David com a cabeça de Golias 1609-1610 Galeria Borghese, Roma
Os músicos, 1595. The Metropolitan Museum of Art, New York
Cesta de fruta . Michelangelo Meresi - Caravaggio. 1597-1598. Milano, Veneranda Biblioteca Ambrosiana
Muitas destas obras mostram o uso da técnica: "claro-escuro”. Esta técnica consegue dar  um forte realismo, com contraste dramático de luz e de sombras,  de que este pintor italiano foi o máximo expoente, sendo reconhecido como o  “mestre da luz e das trevas”.   
Judite e Holofernes, 1599.  Galleria Nazionale d’Arte Antica di Palazzo Barberini, Roma
Os seus trabalhos foram pioneiros no que se considera ser a “Arte Barroca”.  Alguns deles podem ser apreciados nas igrejas de Santa Maria do Pópolo, Santo Agustinho e São Luís dos Franceses, em Roma.
Apolo tocando o  alaúde, 1596 . Hermitage Museum, San Petersburgo
Caravaggio era desordeiro, foi um dos artistas mais brigões, tumultuosos, malditos e geniais da história. "Após uma quinzena de trabalho, vagueia durante um mês ou dois, com uma espada a seu lado e seguindo por um criado, de um salão de baile para outro, sempre pronto a envolver-se em alguma luta ou discussão, de tal maneira que é bastante difícil acompanhá-lo."  (Floris Claes van Dijk; Roma, em 1601) Considerado um farrista inconsequente, tinha problemas com a Justiça. Sem dinheiro, embora não lhe faltassem encomendas, vagueava sem trabalhar e procurava brigas e frequentava os antros mais promíscuos da cidade. Em 1606, matou um jovem durante uma rixa e teve de fugir de Roma, com a cabeça a prémio. Em Malta, 1608, envolveu-se novamente numa briga, e outra vez, em Nápoles, em 1609.  
Os jogadores de cartas,  1595.  Kimbell Art Museum, Fort Worth, Texas
A Exposição mostrou três versões distintas de  São João Batista  (Museus Capitolinos e galeria Corsini de Roma, Nelson Atkins de Kansas, Estados Unidos) e dois da  Ceia em Emaús  (National Gallery de Londres e Pinacoteca de Brera).
São João Batista,  1602 Museos Capitolinos. Roma
São João Batista,  1604 The Nelson-Atkins Museum of Art,  Kansas City, Missouri
São João Batista,  1605. Galería Corsini, Roma
Caravaggio pintava as  pessoas comuns da rua, como modelos, para representar Maria e os apóstolos. A sua inspiração era entre comerciantes, prostitutas, marinheiros, todo o tipo de pessoas do povo e que tivessem grande expressão, como suas obras retratam. Talvez tenha sido um dos primeiros artistas a saber conciliar a arte com o mitológico  "ministério de Jesus" , que  aconteceu entre pescadores, lavradores e prostitutas. As suas pinturas são caracterizadas por retratar o aspecto mundano dos eventos bíblicos, usando pessoas comuns das ruas de Roma. Passou os seus últimos anos movimentando-se, dum lado para o outro, entre Malta, Sicília, Nápoles e fugindo dos seus muitos inimigos.
Cupido dormindo,  1608. Museo de Arte de Indianápolis, EEUU
Cristo coroado de espinhos,  1603. Kunsthistorische Museum, Viena
O amor victorioso,  1602 Staatliche Museen Berlin
Adoração dos pastores,  1609 Museo Nacional de Mesina, Italia
A prisão de Jesus no Horto das Oliveiras,  1602. National Gallery. Dublín
A ceia de Emaús,  1601. National Gallery. Londres
Outra versão da  Ceia em Emaús,  1606. Pinacoteca di Brera, Milán
O Enterro de Cristo,  1602-1603 Museo Vaticano. Cidade do Vaticano
Caravaggio era considerado enigmático, fascinante e perigoso. Nascido na pequena aldeia de Caravaggio, em Milão,   29 de Setembro de 1571, onde seu pai, Fermo Merisi, era administrador e arquiteto-decorador do Marquês de Caravaggio  Michelangelo Merisi surgiu na cena artística romana em 1600 e, desde então, nunca lhe faltaram comissões ou patronos. Após uma carreira de pouco mais do que uma década, Caravaggio, um dos maiores génios da pintura, estava morto, aos 38.  Doente, pobre e só, morre no hospital de Porto Ercole, na Toscania, a 18 de Julho de 1610, mas desconhece~se se morreu às mãos de assassinos seus inimigos, como sugerem algumas investigações, se de malária.
Rapaz com um cesto de fruta, 1593 Galería Borghese. Roma
Descanso na fuga para o Egipto, 1597. Galería Doria Pamphili, Roma
A conversão de São Paulo,  1600 Coleccção Odescalchi Balbi, Roma
Em 16 de junho de 2010 uma equipe de cientistas e universitários italianos do "Comité Caravaggio" anunciou a identificação dos restos mortais do pintor, graças a análises de DNA e de carbono 14 , nuna vala comum no cemintério anexo à igreja de Porto Ercole, Argentario (Itália).
Sacrifício de Isac,  1603. Galeria Uffizi. Florênça
A Anunciação, 1608 Museu das Belas Artes Nancy, França
Foram estes os quadros apresentados na Exposição da  SCUDERIE DEL QUIRINALE -o-o-o-o-o-o-o-o- Se os meus caros amigos, passarem por Roma não deixem de visitar às Igrejas de: Santa Maria do Pópolo, São Luís dos Franceses e Santo Agustinho, onde poderão observar magníficos quadros de Caravaggio, seis no total e verificar a genialidade da sua obra.
Igreja de Santa Maria do Pópolo
Crucificação de São Pedro,  1600 Capela Cerasi Santa Maria do Pópolo. Roma
A conversão de São Paulo,  1601 Capela Cerasi, Igregja de Santa Maria do Pópolo. Roma O enorme cavalo ocupa quase a totalidade do quadro.  Uma luz que provém do Céu, faz brilhar a pele do cavalo e desce até ao Santo caído no chão e ilumina-lhe o vestuário, com uma intensa luz avermelhada, o resto é escuridadão.   Paulo caido no chão, abre os braços, amedrontado olhando para algo...
Igreja de São Luís dos Franceses, Roma
A vocação de São Mateus,  1599-1600. Capela Contarelli, Igreja de São Luís dos Franceses, Roma Cristo e um apóstolo aproximam-se pela a direita, Mateus está sentado junto  com uns amigos e parece ser el único a compreender que Cristo se dirige a ele.
O Martírio de São Mateus,  1599-1600 Capela Contarelli, Igreja de São Luís dos Franceses, Roma
São Mateus e o Anjo,  1600 Capela Contarelli, Igreja de São Luís dos Franceses, Roma
Igreja de Santo Agostinho, Roma. A fachada foi construída em 1483
Igreja de Santo Agostinho, Roma
Senhora dos peregrinos  ou Senhora do Loreto,  1603-1605 Igreja de Santo Agostinho, Roma
F I M Traduzido do original ,  modificado e aumentado . FICHA: Nome completo :  Michelangelo Merisi (da Caravaggio) Nascimento:   29 de Setembro de 1571, Caravaggio, Milão, Itália Morte:   18 de Julho de 1610 (38 anos) Porto Ercole, comuna de Monte Argentario, Itália Nacionalidade:   Itália   Ocupação:   Pintor Movimento estético:  Barroco Principais trabalhos:  A Deposição de Cristo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Francois Boucher
Francois BoucherFrancois Boucher
Francois Boucher
hcaslides
 
François Boucher
François BoucherFrançois Boucher
François Boucher
barbarabessa
 
Jacques Louis David
Jacques Louis DavidJacques Louis David
Jacques Louis David
hcaslides
 
Estilo barroco
Estilo barrocoEstilo barroco
Estilo barroco
Talita Lima
 
Da idade média ao renascimento
Da idade média ao renascimentoDa idade média ao renascimento
Da idade média ao renascimento
ma.no.el.ne.ves
 
Linha do tempo revisão enem
Linha do tempo revisão enemLinha do tempo revisão enem
Linha do tempo revisão enem
Fabiana Alexandre
 
Renascimento e barroco
Renascimento e barrocoRenascimento e barroco
Renascimento e barroco
Letícia Carvalho
 
Fragonard
FragonardFragonard
Fragonard
hcaslides
 
Neoclassicismo realismo pintura de genero
Neoclassicismo realismo pintura de generoNeoclassicismo realismo pintura de genero
Neoclassicismo realismo pintura de genero
Fabiana Alexandre
 
Francisco josé de goya y lucientes
Francisco josé de goya y lucientesFrancisco josé de goya y lucientes
Francisco josé de goya y lucientes
2011saletekm
 
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimentoHistória da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
Mauricio Mallet Duprat
 
Leitura da obra Guernica
Leitura da obra GuernicaLeitura da obra Guernica
Leitura da obra Guernica
Ana Lucia
 
Revisão neoclassicismo/ romantismo/ realismo
Revisão neoclassicismo/ romantismo/ realismoRevisão neoclassicismo/ romantismo/ realismo
Revisão neoclassicismo/ romantismo/ realismo
Fabiana Alexandre
 
Jean Antoine Watteau
Jean Antoine WatteauJean Antoine Watteau
Jean Antoine Watteau
hcaslides
 
Francisco Goya
Francisco GoyaFrancisco Goya
Francisco Goya
hcaslides
 
Barroco nos países baixos --
Barroco nos países baixos --Barroco nos países baixos --
Barroco nos países baixos --
William Marques
 
50 pinturas famosas no mundo
50 pinturas famosas no mundo50 pinturas famosas no mundo
50 pinturas famosas no mundo
Deborah Oliver
 
Trabalho de iconografia sobre "As meninas" de Diego Velazquez
Trabalho de iconografia sobre "As meninas" de Diego VelazquezTrabalho de iconografia sobre "As meninas" de Diego Velazquez
Trabalho de iconografia sobre "As meninas" de Diego Velazquez
Fábio Zündler
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
Fabio Lemes
 

Mais procurados (20)

Francois Boucher
Francois BoucherFrancois Boucher
Francois Boucher
 
François Boucher
François BoucherFrançois Boucher
François Boucher
 
Jacques Louis David
Jacques Louis DavidJacques Louis David
Jacques Louis David
 
Estilo barroco
Estilo barrocoEstilo barroco
Estilo barroco
 
Da idade média ao renascimento
Da idade média ao renascimentoDa idade média ao renascimento
Da idade média ao renascimento
 
Linha do tempo revisão enem
Linha do tempo revisão enemLinha do tempo revisão enem
Linha do tempo revisão enem
 
Renascimento e barroco
Renascimento e barrocoRenascimento e barroco
Renascimento e barroco
 
Fragonard
FragonardFragonard
Fragonard
 
Neoclassicismo realismo pintura de genero
Neoclassicismo realismo pintura de generoNeoclassicismo realismo pintura de genero
Neoclassicismo realismo pintura de genero
 
Francisco josé de goya y lucientes
Francisco josé de goya y lucientesFrancisco josé de goya y lucientes
Francisco josé de goya y lucientes
 
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimentoHistória da Arte:: Do gótico ao renascimento
História da Arte:: Do gótico ao renascimento
 
Leitura da obra Guernica
Leitura da obra GuernicaLeitura da obra Guernica
Leitura da obra Guernica
 
Revisão neoclassicismo/ romantismo/ realismo
Revisão neoclassicismo/ romantismo/ realismoRevisão neoclassicismo/ romantismo/ realismo
Revisão neoclassicismo/ romantismo/ realismo
 
Jean Antoine Watteau
Jean Antoine WatteauJean Antoine Watteau
Jean Antoine Watteau
 
Francisco Goya
Francisco GoyaFrancisco Goya
Francisco Goya
 
As meninas velazquez
As meninas  velazquezAs meninas  velazquez
As meninas velazquez
 
Barroco nos países baixos --
Barroco nos países baixos --Barroco nos países baixos --
Barroco nos países baixos --
 
50 pinturas famosas no mundo
50 pinturas famosas no mundo50 pinturas famosas no mundo
50 pinturas famosas no mundo
 
Trabalho de iconografia sobre "As meninas" de Diego Velazquez
Trabalho de iconografia sobre "As meninas" de Diego VelazquezTrabalho de iconografia sobre "As meninas" de Diego Velazquez
Trabalho de iconografia sobre "As meninas" de Diego Velazquez
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 

Destaque

3 igrejas barrocas
3 igrejas barrocas3 igrejas barrocas
3 igrejas barrocas
Carlos Elson Cunha
 
História da Arte - Barroco Europeu. Prof. Garcia Junior
História da Arte - Barroco Europeu. Prof. Garcia JuniorHistória da Arte - Barroco Europeu. Prof. Garcia Junior
História da Arte - Barroco Europeu. Prof. Garcia Junior
Secretaria de Educação do Maranhão e Imagética Consultoria e Design
 
Simetria@
Simetria@Simetria@
Conhecendo a arte barroca
Conhecendo a arte barrocaConhecendo a arte barroca
Conhecendo a arte barroca
Tereza Honoria
 
Simetria
SimetriaSimetria
A R T E B A R R O C O
A R T E  B A R R O C OA R T E  B A R R O C O
A R T E B A R R O C O
Ainhoa Marcos
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
mirandakika
 
Simetria em nosso cotidiano
Simetria em nosso cotidianoSimetria em nosso cotidiano
Simetria em nosso cotidiano
Joeanechegatti
 
O Barroco
O BarrocoO Barroco
O Barroco
Rui Neto
 
Barroco
Barroco   Barroco

Destaque (10)

3 igrejas barrocas
3 igrejas barrocas3 igrejas barrocas
3 igrejas barrocas
 
História da Arte - Barroco Europeu. Prof. Garcia Junior
História da Arte - Barroco Europeu. Prof. Garcia JuniorHistória da Arte - Barroco Europeu. Prof. Garcia Junior
História da Arte - Barroco Europeu. Prof. Garcia Junior
 
Simetria@
Simetria@Simetria@
Simetria@
 
Conhecendo a arte barroca
Conhecendo a arte barrocaConhecendo a arte barroca
Conhecendo a arte barroca
 
Simetria
SimetriaSimetria
Simetria
 
A R T E B A R R O C O
A R T E  B A R R O C OA R T E  B A R R O C O
A R T E B A R R O C O
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
Simetria em nosso cotidiano
Simetria em nosso cotidianoSimetria em nosso cotidiano
Simetria em nosso cotidiano
 
O Barroco
O BarrocoO Barroco
O Barroco
 
Barroco
Barroco   Barroco
Barroco
 

Semelhante a Caravaggio

9 hist da art barro e rococ
9 hist da art barro e rococ9 hist da art barro e rococ
9 hist da art barro e rococ
André Figundio
 
Canova
CanovaCanova
Antonio Canova - sculpture
Antonio Canova - sculptureAntonio Canova - sculpture
Antonio Canova - sculpture
adam eva
 
O Barroco na Europa, Parte 2 - 1563-1750
O Barroco na Europa,   Parte 2 - 1563-1750O Barroco na Europa,   Parte 2 - 1563-1750
O Barroco na Europa, Parte 2 - 1563-1750
Professor Gilson Nunes
 
Sobre História e Histórias da Arte
Sobre História e Histórias da ArteSobre História e Histórias da Arte
Sobre História e Histórias da Arte
Bianca Giannotti
 
Barroco
BarrocoBarroco
O barroco e suas imagens2
O barroco e suas imagens2O barroco e suas imagens2
O barroco e suas imagens2
CrisBiagio
 
A escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reis
A escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reisA escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reis
A escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reis
António Silva
 
Renascimento na Inglaterra
Renascimento na Inglaterra Renascimento na Inglaterra
Renascimento na Inglaterra
Carlos Elson Cunha
 
8o Ano- A Arte Barroca na Europa
8o Ano- A Arte Barroca na Europa8o Ano- A Arte Barroca na Europa
8o Ano- A Arte Barroca na Europa
ArtesElisa
 
A Arte Barroca
A Arte BarrocaA Arte Barroca
A Arte Barroca
ggmota93
 
2C26_Futurismo_Pinacoteca SP_2011
2C26_Futurismo_Pinacoteca SP_20112C26_Futurismo_Pinacoteca SP_2011
2C26_Futurismo_Pinacoteca SP_2011
www.historiadasartes.com
 
A cultura da gare
A cultura da gareA cultura da gare
A cultura da gare
Catarina Barbosa
 
2C26_Barroco_MuseuPrado_2011
2C26_Barroco_MuseuPrado_20112C26_Barroco_MuseuPrado_2011
2C26_Barroco_MuseuPrado_2011
www.historiadasartes.com
 
Um presépio napolitano do século XVIII no museu de Moncarapacho
Um presépio napolitano do século XVIII no museu de MoncarapachoUm presépio napolitano do século XVIII no museu de Moncarapacho
Um presépio napolitano do século XVIII no museu de Moncarapacho
J. C. Vilhena Mesquita
 
Um Presépio Napolitano do século XVIII no museu de Moncarapacho
Um Presépio Napolitano do século XVIII no museu de MoncarapachoUm Presépio Napolitano do século XVIII no museu de Moncarapacho
Um Presépio Napolitano do século XVIII no museu de Moncarapacho
José Mesquita
 
A Arte Barroca
A Arte BarrocaA Arte Barroca
A Arte Barroca
ggmota93
 
B Arroco E Maneirismo
B Arroco E ManeirismoB Arroco E Maneirismo
B Arroco E Maneirismo
Isidro Santos
 
100 pinturas
100 pinturas100 pinturas
100 pinturas
António Silva
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
catlencunha
 

Semelhante a Caravaggio (20)

9 hist da art barro e rococ
9 hist da art barro e rococ9 hist da art barro e rococ
9 hist da art barro e rococ
 
Canova
CanovaCanova
Canova
 
Antonio Canova - sculpture
Antonio Canova - sculptureAntonio Canova - sculpture
Antonio Canova - sculpture
 
O Barroco na Europa, Parte 2 - 1563-1750
O Barroco na Europa,   Parte 2 - 1563-1750O Barroco na Europa,   Parte 2 - 1563-1750
O Barroco na Europa, Parte 2 - 1563-1750
 
Sobre História e Histórias da Arte
Sobre História e Histórias da ArteSobre História e Histórias da Arte
Sobre História e Histórias da Arte
 
Barroco
BarrocoBarroco
Barroco
 
O barroco e suas imagens2
O barroco e suas imagens2O barroco e suas imagens2
O barroco e suas imagens2
 
A escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reis
A escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reisA escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reis
A escultura portuguesa de frei cipriano da cruz a soares dos reis
 
Renascimento na Inglaterra
Renascimento na Inglaterra Renascimento na Inglaterra
Renascimento na Inglaterra
 
8o Ano- A Arte Barroca na Europa
8o Ano- A Arte Barroca na Europa8o Ano- A Arte Barroca na Europa
8o Ano- A Arte Barroca na Europa
 
A Arte Barroca
A Arte BarrocaA Arte Barroca
A Arte Barroca
 
2C26_Futurismo_Pinacoteca SP_2011
2C26_Futurismo_Pinacoteca SP_20112C26_Futurismo_Pinacoteca SP_2011
2C26_Futurismo_Pinacoteca SP_2011
 
A cultura da gare
A cultura da gareA cultura da gare
A cultura da gare
 
2C26_Barroco_MuseuPrado_2011
2C26_Barroco_MuseuPrado_20112C26_Barroco_MuseuPrado_2011
2C26_Barroco_MuseuPrado_2011
 
Um presépio napolitano do século XVIII no museu de Moncarapacho
Um presépio napolitano do século XVIII no museu de MoncarapachoUm presépio napolitano do século XVIII no museu de Moncarapacho
Um presépio napolitano do século XVIII no museu de Moncarapacho
 
Um Presépio Napolitano do século XVIII no museu de Moncarapacho
Um Presépio Napolitano do século XVIII no museu de MoncarapachoUm Presépio Napolitano do século XVIII no museu de Moncarapacho
Um Presépio Napolitano do século XVIII no museu de Moncarapacho
 
A Arte Barroca
A Arte BarrocaA Arte Barroca
A Arte Barroca
 
B Arroco E Maneirismo
B Arroco E ManeirismoB Arroco E Maneirismo
B Arroco E Maneirismo
 
100 pinturas
100 pinturas100 pinturas
100 pinturas
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 

Mais de borgia

Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
borgia
 
Colonialismo e imperialismo
Colonialismo e imperialismoColonialismo e imperialismo
Colonialismo e imperialismo
borgia
 
8º ano as revoluções liberais
8º ano   as revoluções liberais8º ano   as revoluções liberais
8º ano as revoluções liberais
borgia
 
A sociedade medieval
A sociedade medievalA sociedade medieval
A sociedade medieval
borgia
 
A ind. eua
A ind. euaA ind. eua
A ind. eua
borgia
 
O barroco-
O barroco-O barroco-
O barroco-
borgia
 
O despotismo pombalino
O despotismo pombalinoO despotismo pombalino
O despotismo pombalino
borgia
 
Escravos e gladiadores
Escravos e gladiadoresEscravos e gladiadores
Escravos e gladiadores
borgia
 
O despotismo pombalino
O despotismo pombalinoO despotismo pombalino
O despotismo pombalino
borgia
 
A crise do império português no oriente
A crise do império português no orienteA crise do império português no oriente
A crise do império português no oriente
borgia
 
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
borgia
 
Aveiro+à+..
Aveiro+à+..Aveiro+à+..
Aveiro+à+..
borgia
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
borgia
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
borgia
 
Expansao portuguesa
Expansao portuguesaExpansao portuguesa
Expansao portuguesa
borgia
 
Portugal no século xiv
Portugal no século xivPortugal no século xiv
Portugal no século xiv
borgia
 
S Bento da Porta Aberta
S  Bento da Porta AbertaS  Bento da Porta Aberta
S Bento da Porta Aberta
borgia
 

Mais de borgia (17)

Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
Expansaoportuguesaapaula 090609084639-phpapp02
 
Colonialismo e imperialismo
Colonialismo e imperialismoColonialismo e imperialismo
Colonialismo e imperialismo
 
8º ano as revoluções liberais
8º ano   as revoluções liberais8º ano   as revoluções liberais
8º ano as revoluções liberais
 
A sociedade medieval
A sociedade medievalA sociedade medieval
A sociedade medieval
 
A ind. eua
A ind. euaA ind. eua
A ind. eua
 
O barroco-
O barroco-O barroco-
O barroco-
 
O despotismo pombalino
O despotismo pombalinoO despotismo pombalino
O despotismo pombalino
 
Escravos e gladiadores
Escravos e gladiadoresEscravos e gladiadores
Escravos e gladiadores
 
O despotismo pombalino
O despotismo pombalinoO despotismo pombalino
O despotismo pombalino
 
A crise do império português no oriente
A crise do império português no orienteA crise do império português no oriente
A crise do império português no oriente
 
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
A crise-do-imprio-portugus-1234654982023962-2
 
Aveiro+à+..
Aveiro+à+..Aveiro+à+..
Aveiro+à+..
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
 
A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01A expansao portuguesa 01
A expansao portuguesa 01
 
Expansao portuguesa
Expansao portuguesaExpansao portuguesa
Expansao portuguesa
 
Portugal no século xiv
Portugal no século xivPortugal no século xiv
Portugal no século xiv
 
S Bento da Porta Aberta
S  Bento da Porta AbertaS  Bento da Porta Aberta
S Bento da Porta Aberta
 

Caravaggio

  • 1. Exposição de grande qualidade acerca do grande “mestre da luz e das trevas”. Quem gostar de pintura, vai dar por bem empregue o tempo gasto para ver esta excelente e didáctica exposição. Avanço manual – use o “rato”
  • 2. C A R A V A G G I 2 0 1 0 0 MOSTRA SCUDERIE DEL QUIRINALE ROME 20 febbraio - 13 giugno
  • 3. Por ocasião da celebração do quarto centenário do falecimento de Caravaggio (1571-1610), a Galeria da SCUDERIE DEL QUIRINALE de Roma, organizou uma exposição de 20 de Fevereiro a 13 de Junho de 2010, onde foram apresentados alguns dos mais signficativos trabalhos de Caravaggio. A exposição foi de grande simplicidade e composta por apenas 23 quadros, todos de Micheangelo Maresi, mais conhecido por Caravaggio, por ser o nome da pequena aldeia lombarda, onde viviam os seus pais, onde nasceu, no norte da Itália e adoptou como nome. Os organizadores só escolheram estas obras por serem da sua própria autoria, excluindo as que são atribuídas à sua “escola”.
  • 5. Os 23 quadros expostos foram emprestados por galerias e museus: A felagelação de Capodimonte, o Baco da Galera Uffizi, de Florênça, David com a cabeça de Golia , da Galeria Borghese, de Roma e Os Músicos , do Metropolitan Museum de Nova York.  Também foram mostradas obras do Museu Hermitage, de São Petersburgo, o do Staatliche Museum, de Berlim. Da Veneranda Biblioteca Ambrosiana de Milão veio a famosa Cesta de fruta, cujo primeiro propietário, o Cardeal Borromeo, tinha-a em tão grande estima a ponto de ameaçar excomungar… quem se atrevesse a retirar-la da parede, onde estava exposta.
  • 6. Baco, 1597 Galeria Uffizi, Florênça
  • 7. David com a cabeça de Golias 1609-1610 Galeria Borghese, Roma
  • 8. Os músicos, 1595. The Metropolitan Museum of Art, New York
  • 9. Cesta de fruta . Michelangelo Meresi - Caravaggio. 1597-1598. Milano, Veneranda Biblioteca Ambrosiana
  • 10. Muitas destas obras mostram o uso da técnica: "claro-escuro”. Esta técnica consegue dar um forte realismo, com contraste dramático de luz e de sombras, de que este pintor italiano foi o máximo expoente, sendo reconhecido como o “mestre da luz e das trevas”.  
  • 11. Judite e Holofernes, 1599. Galleria Nazionale d’Arte Antica di Palazzo Barberini, Roma
  • 12. Os seus trabalhos foram pioneiros no que se considera ser a “Arte Barroca”. Alguns deles podem ser apreciados nas igrejas de Santa Maria do Pópolo, Santo Agustinho e São Luís dos Franceses, em Roma.
  • 13. Apolo tocando o alaúde, 1596 . Hermitage Museum, San Petersburgo
  • 14. Caravaggio era desordeiro, foi um dos artistas mais brigões, tumultuosos, malditos e geniais da história. "Após uma quinzena de trabalho, vagueia durante um mês ou dois, com uma espada a seu lado e seguindo por um criado, de um salão de baile para outro, sempre pronto a envolver-se em alguma luta ou discussão, de tal maneira que é bastante difícil acompanhá-lo." (Floris Claes van Dijk; Roma, em 1601) Considerado um farrista inconsequente, tinha problemas com a Justiça. Sem dinheiro, embora não lhe faltassem encomendas, vagueava sem trabalhar e procurava brigas e frequentava os antros mais promíscuos da cidade. Em 1606, matou um jovem durante uma rixa e teve de fugir de Roma, com a cabeça a prémio. Em Malta, 1608, envolveu-se novamente numa briga, e outra vez, em Nápoles, em 1609.  
  • 15. Os jogadores de cartas, 1595. Kimbell Art Museum, Fort Worth, Texas
  • 16. A Exposição mostrou três versões distintas de São João Batista (Museus Capitolinos e galeria Corsini de Roma, Nelson Atkins de Kansas, Estados Unidos) e dois da Ceia em Emaús (National Gallery de Londres e Pinacoteca de Brera).
  • 17. São João Batista, 1602 Museos Capitolinos. Roma
  • 18. São João Batista, 1604 The Nelson-Atkins Museum of Art, Kansas City, Missouri
  • 19. São João Batista, 1605. Galería Corsini, Roma
  • 20. Caravaggio pintava as pessoas comuns da rua, como modelos, para representar Maria e os apóstolos. A sua inspiração era entre comerciantes, prostitutas, marinheiros, todo o tipo de pessoas do povo e que tivessem grande expressão, como suas obras retratam. Talvez tenha sido um dos primeiros artistas a saber conciliar a arte com o mitológico "ministério de Jesus" , que aconteceu entre pescadores, lavradores e prostitutas. As suas pinturas são caracterizadas por retratar o aspecto mundano dos eventos bíblicos, usando pessoas comuns das ruas de Roma. Passou os seus últimos anos movimentando-se, dum lado para o outro, entre Malta, Sicília, Nápoles e fugindo dos seus muitos inimigos.
  • 21. Cupido dormindo, 1608. Museo de Arte de Indianápolis, EEUU
  • 22. Cristo coroado de espinhos, 1603. Kunsthistorische Museum, Viena
  • 23. O amor victorioso, 1602 Staatliche Museen Berlin
  • 24. Adoração dos pastores, 1609 Museo Nacional de Mesina, Italia
  • 25. A prisão de Jesus no Horto das Oliveiras, 1602. National Gallery. Dublín
  • 26. A ceia de Emaús, 1601. National Gallery. Londres
  • 27. Outra versão da Ceia em Emaús, 1606. Pinacoteca di Brera, Milán
  • 28. O Enterro de Cristo, 1602-1603 Museo Vaticano. Cidade do Vaticano
  • 29. Caravaggio era considerado enigmático, fascinante e perigoso. Nascido na pequena aldeia de Caravaggio, em Milão, 29 de Setembro de 1571, onde seu pai, Fermo Merisi, era administrador e arquiteto-decorador do Marquês de Caravaggio Michelangelo Merisi surgiu na cena artística romana em 1600 e, desde então, nunca lhe faltaram comissões ou patronos. Após uma carreira de pouco mais do que uma década, Caravaggio, um dos maiores génios da pintura, estava morto, aos 38. Doente, pobre e só, morre no hospital de Porto Ercole, na Toscania, a 18 de Julho de 1610, mas desconhece~se se morreu às mãos de assassinos seus inimigos, como sugerem algumas investigações, se de malária.
  • 30. Rapaz com um cesto de fruta, 1593 Galería Borghese. Roma
  • 31. Descanso na fuga para o Egipto, 1597. Galería Doria Pamphili, Roma
  • 32. A conversão de São Paulo, 1600 Coleccção Odescalchi Balbi, Roma
  • 33. Em 16 de junho de 2010 uma equipe de cientistas e universitários italianos do "Comité Caravaggio" anunciou a identificação dos restos mortais do pintor, graças a análises de DNA e de carbono 14 , nuna vala comum no cemintério anexo à igreja de Porto Ercole, Argentario (Itália).
  • 34. Sacrifício de Isac, 1603. Galeria Uffizi. Florênça
  • 35. A Anunciação, 1608 Museu das Belas Artes Nancy, França
  • 36. Foram estes os quadros apresentados na Exposição da SCUDERIE DEL QUIRINALE -o-o-o-o-o-o-o-o- Se os meus caros amigos, passarem por Roma não deixem de visitar às Igrejas de: Santa Maria do Pópolo, São Luís dos Franceses e Santo Agustinho, onde poderão observar magníficos quadros de Caravaggio, seis no total e verificar a genialidade da sua obra.
  • 37. Igreja de Santa Maria do Pópolo
  • 38. Crucificação de São Pedro, 1600 Capela Cerasi Santa Maria do Pópolo. Roma
  • 39. A conversão de São Paulo, 1601 Capela Cerasi, Igregja de Santa Maria do Pópolo. Roma O enorme cavalo ocupa quase a totalidade do quadro. Uma luz que provém do Céu, faz brilhar a pele do cavalo e desce até ao Santo caído no chão e ilumina-lhe o vestuário, com uma intensa luz avermelhada, o resto é escuridadão.   Paulo caido no chão, abre os braços, amedrontado olhando para algo...
  • 40. Igreja de São Luís dos Franceses, Roma
  • 41. A vocação de São Mateus, 1599-1600. Capela Contarelli, Igreja de São Luís dos Franceses, Roma Cristo e um apóstolo aproximam-se pela a direita, Mateus está sentado junto com uns amigos e parece ser el único a compreender que Cristo se dirige a ele.
  • 42. O Martírio de São Mateus, 1599-1600 Capela Contarelli, Igreja de São Luís dos Franceses, Roma
  • 43. São Mateus e o Anjo, 1600 Capela Contarelli, Igreja de São Luís dos Franceses, Roma
  • 44. Igreja de Santo Agostinho, Roma. A fachada foi construída em 1483
  • 45. Igreja de Santo Agostinho, Roma
  • 46. Senhora dos peregrinos ou Senhora do Loreto, 1603-1605 Igreja de Santo Agostinho, Roma
  • 47. F I M Traduzido do original , modificado e aumentado . FICHA: Nome completo : Michelangelo Merisi (da Caravaggio) Nascimento: 29 de Setembro de 1571, Caravaggio, Milão, Itália Morte: 18 de Julho de 1610 (38 anos) Porto Ercole, comuna de Monte Argentario, Itália Nacionalidade: Itália Ocupação: Pintor Movimento estético: Barroco Principais trabalhos: A Deposição de Cristo

Notas do Editor

  1. .