SlideShare uma empresa Scribd logo
Independência do Brasil
O grito do Ipiranga
O Grito do Ipiranga (óleo sobre tela). Pedro Américo, 1888.
Proclamação da Independência (óleo sobre tela). François-
René Moreaux, 1844
7 independencia do-brasil
Antecedentes
Após a fuga de D. João para o Brasil, Portugal ficou
empobrecido por causa da guerra contra os franceses. O
governo local ficou nas mãos de sir Sidney Smith.
Além disso, o comércio português foi muito prejudicado pelo
decreto “Abertura dos portos às nações amigas” (1810).
Diante das dificuldades, em 1820, estourou a revolução na
cidade do Porto, que logo se espalhou por todo país. Esta
revolução ficou conhecida como Revolução do Porto.
Vitoriosos, os revoltosos formaram um governo provisório e
exigiram o retorno imediato de D. João VI para Portugal. Com
medo de perder o trono, D. João voltou para Portugal, em 1821.
D. João VI esvaziou os cofres do Banco do Brasil, levando
quase todo o ouro para Portugal.
O processo de independência
No Brasil, D. João VI deixou seu filho, D. Pedro,
como príncipe regente.
Os portugueses, em sua maioria, queriam que o
Brasil voltasse a ser colônia de Portugal.
Para isso, queriam que D. Pedro voltasse para
Portugal e entregasse o governo a uma junta. Mas D.
Pedro preferiu ficar no Brasil. Esta
desobediência ficou conhecida como “Dia do Fico”.
O processo de independência
 D. Pedro proclamou a Independência em 07 de
setembro de 1822, ao receber alguns decretos das
cortes de Portugal, quando estava em viagem a
São Paulo.
 Estes decretos anulavam algumas de suas
decisões, tentando fazer com que D. Pedro
obedecesse às cortes portuguesas. D. Pedro
aproveitou a ocasião e declarou a separação entre
Brasil e Portugal.
7 independencia do-brasil
Independência da América
portuguesa:
Após a vitória de Pirajá, os brasileiros entram em Salvador,
emDois de Julho de 1823. Na foto, parte da tela Entrada do
Exército Libertador de Presciliano Silva, 1930. O Convento da
Soledade domina o pano de fundo.Acervo da Prefeitura de
Salvador.
Maria Quitéria, a heroína da Independência do
Brasil, representada por Augustus Earle, o mesmo
desenhista que acompanhou Charles Darwin no
Beagle. Ilustração publicada no livro de Maria
Graham, em 1824. Maria Quitéria usava um saiote
escocês, que ela adotou, inspirada em uma
ilustração que ela viu de um highlander.
Os limites da independência
Para ser reconhecido oficialmente, o Brasil
aceitou pagar indenizações de 2 milhões de
libras esterlinas a Portugal.
Para isso, pediu um empréstimo à Inglaterra,
fato que iniciou a dívida externa do Brasil.
Apesar do processo de independência ter
base nas ideias iluministas de liberdade, a
escravidão foi mantida, atendendo aos
interesses dos grandes proprietários de
terras.
O Brasil continuou com o modelo agrário,
baseado em latifúndios e na produção de
gêneros primários voltada para a exportação.
Ou seja, pouco diferente de quando era
colônia de Portugal.
 Ao contrário de outros países da América
Latina, que adotaram o sistema republicano,
o Brasil adotou o governo monárquico,
baseado no poder de um rei.
Mão, escultura de Niemeyer no
Memorial da América Latina,
São Paulo, 1989.
Primeira bandeira do Brasil
Antigas “moedas” brasileiras:
Questões – relacione com o número
correspondente os conceitos que
representam ideias contrárias:
Independência;
Iluminismo;
12iberdade;
13onarquia
constitucional;
Agrário;
Democracia;
Reino;
Liberalismo;
Classes sociais;
Revolução.
( ) Monarquia
absolutista
( ) Dependência
( ) Mercantilismo
( )Ditadura
( ) Escravidão
( ) Estamentos sociais
( ) Antigo Regime
( ) República
( ) Conservadorismo
( ) Urbano
• Movimentos liderados pelas elites (criollos), inspirados
pelo ideário iluminista, e apoiados pela Inglaterra
(liberalismo versus mercantilismo);
• Sofreu influência da independência dos Estados Unidos e
Revolução Francesa > republicanismo;
• Antes já haviam movimentos de resistência – Tupac Amaru,
no Perú (1780);
• Toussaint L’Overture (1791) e Jean-Jacques Dessalines
(1801) – Haití;
• José de San Martín – Argentina (1816), Chile junto a
O’Higgins (1818) e Perú (1821);
• Simón Bolívar – Venezuela e Colômbia (1819), Equador
(1822) e Bolívia (1825);
• Estendendo-se ao México e América Central, em 1825 a
Espanha só detinha posse de Cuba e Porto Rico, que
passariam para controle norte-americano em 1898.
Independência da América
espanhola – aspectos gerais:
Independência da América
espanhola
Movimentos geralmente divididos em:
Coroa espanhola
versus
 Criollos Índios,
negros
 e
mestiços.
Independência da América espanhola
7 independencia do-brasil
Grã-colômbia (1819), que se
fragmentou em Venezuela,
Colômbia, Equador, Panamá.
Ainda com a participação de
Bolívar.
O Uruguai tornou-se
independente em 1828,
livrando-se... do Brasil!
7 independencia do-brasil
7 independencia do-brasil
Independência da América
espanhola:
Congresso/Conferência do
Panamá (1826):
Após os movimentos de independência, as oligarquias
dividiram-se em unitaristas (ideal defendido por Bolívar) e
federalistas (ideal defendido por San Martín);
Apesar de San Martín sair de cena política para não desunir
as forças libertárias, Bolívar por outro lado não conseguiu
seu intento de união pois ingleses, americanos e
brasileiros não tinham interesse por um país latino-
americano forte e antiescravista;
A elite criolla, vinculada ao capital estrangeiro através da
exportação de matérias-primas, defenderam mais seus
propósitos que os da maioria: criou-se uma sociedade
dependente de produtos industrializados, autoritária e com
fortes diferenças sociais.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O império napoleônico
O império napoleônicoO império napoleônico
O império napoleônico
Edenilson Morais
 
Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)
Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)
Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)
profrogerio1
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
Daniel Alves Bronstrup
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
dmflores21
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
Edenilson Morais
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
Douglas Barraqui
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
A independência da américa latina
A independência da américa latinaA independência da américa latina
A independência da américa latina
Isaquel Silva
 
Independencia america espanhola
Independencia america espanholaIndependencia america espanhola
Independencia america espanhola
7 de Setembro
 
A revolução liberal do porto
A revolução liberal do portoA revolução liberal do porto
A revolução liberal do porto
historiando
 
A independência do haiti
A independência do haitiA independência do haiti
A independência do haiti
historiando
 
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Isabela Espíndola
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
Aulas de História
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
edna2
 
Brasil Império: Primeiro Reinado (1822-1831)
Brasil Império:   Primeiro Reinado (1822-1831)Brasil Império:   Primeiro Reinado (1822-1831)
Brasil Império: Primeiro Reinado (1822-1831)
Edenilson Morais
 
O Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do BrasilO Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do Brasil
Felipe de Souza
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
Douglas Barraqui
 
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Escola Modelo de Iguatu
 
Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)
Valéria Shoujofan
 
Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásia
Isaquel Silva
 

Mais procurados (20)

O império napoleônico
O império napoleônicoO império napoleônico
O império napoleônico
 
Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)
Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)
Brasil Império (Primeiro Reinado / Regências / Segundo Reinado)
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
 
Brasil Período Joanino
Brasil Período JoaninoBrasil Período Joanino
Brasil Período Joanino
 
Revoltas Coloniais
Revoltas ColoniaisRevoltas Coloniais
Revoltas Coloniais
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
 
Ciclo do ouro
Ciclo do ouroCiclo do ouro
Ciclo do ouro
 
A independência da américa latina
A independência da américa latinaA independência da américa latina
A independência da américa latina
 
Independencia america espanhola
Independencia america espanholaIndependencia america espanhola
Independencia america espanhola
 
A revolução liberal do porto
A revolução liberal do portoA revolução liberal do porto
A revolução liberal do porto
 
A independência do haiti
A independência do haitiA independência do haiti
A independência do haiti
 
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
 
Brasil Colônia
Brasil ColôniaBrasil Colônia
Brasil Colônia
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Brasil Império: Primeiro Reinado (1822-1831)
Brasil Império:   Primeiro Reinado (1822-1831)Brasil Império:   Primeiro Reinado (1822-1831)
Brasil Império: Primeiro Reinado (1822-1831)
 
O Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do BrasilO Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do Brasil
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
 
Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)Período Joanino (1808-1821)
Período Joanino (1808-1821)
 
Descolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásiaDescolonização da áfrica e ásia
Descolonização da áfrica e ásia
 

Semelhante a 7 independencia do-brasil

Independencia Brasil e America espanhola
Independencia Brasil e America espanholaIndependencia Brasil e America espanhola
Independencia Brasil e America espanhola
Julio Cesar Yusuf Cavalcanti
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
cruchinho
 
Movimentoscoloniais
MovimentoscoloniaisMovimentoscoloniais
Movimentoscoloniais
Gean Bonatto
 
Independencias
IndependenciasIndependencias
Independencias
dinicmax
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
Isabel Aguiar
 
A Revolução de 1820.pptx
A Revolução de 1820.pptxA Revolução de 1820.pptx
A Revolução de 1820.pptx
beatriz496177
 
Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820
Maria Gomes
 
Brasil colonia periodo_joanino_resumido
Brasil colonia periodo_joanino_resumidoBrasil colonia periodo_joanino_resumido
Brasil colonia periodo_joanino_resumido
Karla Fonseca
 
História do brasil
História do brasilHistória do brasil
História do brasil
dinicmax
 
A IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptx
A IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptxA IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptx
A IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptx
Paula Gomes Pereira Gomes
 
A implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptx
A implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptxA implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptx
A implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptx
Maria Rodrigues
 
Família Real no Brasil, Independência e Primeiro Reinado
Família Real no Brasil, Independência e Primeiro ReinadoFamília Real no Brasil, Independência e Primeiro Reinado
Família Real no Brasil, Independência e Primeiro Reinado
Valéria Shoujofan
 
Brasil v - editora abril
Brasil v - editora abrilBrasil v - editora abril
Brasil v - editora abril
Elicardna
 
3ano 2bi historia_pe1
3ano 2bi historia_pe13ano 2bi historia_pe1
3ano 2bi historia_pe1
takahico
 
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp011820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
blade40p
 
Processo de independência do brasil
Processo de independência do brasilProcesso de independência do brasil
Processo de independência do brasil
Carlos Teles de Menezes Junior
 
Inconfidência mineira e independência do brasil
Inconfidência mineira e independência do brasilInconfidência mineira e independência do brasil
Inconfidência mineira e independência do brasil
Jefferson Barroso
 
Roteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdf
Roteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdfRoteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdf
Roteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdf
CristianeOliveiraCru
 
Transferência da corte portuguesa para o brasil
Transferência da corte portuguesa para o brasilTransferência da corte portuguesa para o brasil
Transferência da corte portuguesa para o brasil
Portal do Vestibulando
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo 1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
Ana Beatriz Gonçalves
 

Semelhante a 7 independencia do-brasil (20)

Independencia Brasil e America espanhola
Independencia Brasil e America espanholaIndependencia Brasil e America espanhola
Independencia Brasil e America espanhola
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
 
Movimentoscoloniais
MovimentoscoloniaisMovimentoscoloniais
Movimentoscoloniais
 
Independencias
IndependenciasIndependencias
Independencias
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
 
A Revolução de 1820.pptx
A Revolução de 1820.pptxA Revolução de 1820.pptx
A Revolução de 1820.pptx
 
Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820Revolução liberal portuguesa de1820
Revolução liberal portuguesa de1820
 
Brasil colonia periodo_joanino_resumido
Brasil colonia periodo_joanino_resumidoBrasil colonia periodo_joanino_resumido
Brasil colonia periodo_joanino_resumido
 
História do brasil
História do brasilHistória do brasil
História do brasil
 
A IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptx
A IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptxA IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptx
A IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptx
 
A implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptx
A implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptxA implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptx
A implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptx
 
Família Real no Brasil, Independência e Primeiro Reinado
Família Real no Brasil, Independência e Primeiro ReinadoFamília Real no Brasil, Independência e Primeiro Reinado
Família Real no Brasil, Independência e Primeiro Reinado
 
Brasil v - editora abril
Brasil v - editora abrilBrasil v - editora abril
Brasil v - editora abril
 
3ano 2bi historia_pe1
3ano 2bi historia_pe13ano 2bi historia_pe1
3ano 2bi historia_pe1
 
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp011820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
1820 liberalismoppt-hgp6-2010-11-111128064940-phpapp01
 
Processo de independência do brasil
Processo de independência do brasilProcesso de independência do brasil
Processo de independência do brasil
 
Inconfidência mineira e independência do brasil
Inconfidência mineira e independência do brasilInconfidência mineira e independência do brasil
Inconfidência mineira e independência do brasil
 
Roteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdf
Roteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdfRoteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdf
Roteiro7.O.processo.de.emancipação.política.da.América.portuguesa.pdf
 
Transferência da corte portuguesa para o brasil
Transferência da corte portuguesa para o brasilTransferência da corte portuguesa para o brasil
Transferência da corte portuguesa para o brasil
 
1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo 1820 e o liberalismo
1820 e o liberalismo
 

Mais de Lucas Cechinel

9o ano -_semana_15_e_16
9o ano -_semana_15_e_169o ano -_semana_15_e_16
9o ano -_semana_15_e_16
Lucas Cechinel
 
7o ano -_semana_15_e_16
7o ano -_semana_15_e_167o ano -_semana_15_e_16
7o ano -_semana_15_e_16
Lucas Cechinel
 
8o ano -_semana_15_e_16
8o ano -_semana_15_e_168o ano -_semana_15_e_16
8o ano -_semana_15_e_16
Lucas Cechinel
 
1o ano -_semana_15_e_16
1o ano -_semana_15_e_161o ano -_semana_15_e_16
1o ano -_semana_15_e_16
Lucas Cechinel
 
Livro 7º ano - Semana 13 e 14
Livro 7º ano - Semana 13 e 14Livro 7º ano - Semana 13 e 14
Livro 7º ano - Semana 13 e 14
Lucas Cechinel
 
Livro 9º ano - Semana 13 e 14
Livro 9º ano - Semana 13 e 14Livro 9º ano - Semana 13 e 14
Livro 9º ano - Semana 13 e 14
Lucas Cechinel
 
Livro 8º ano - Semana 13 e 14
Livro 8º ano - Semana 13 e 14Livro 8º ano - Semana 13 e 14
Livro 8º ano - Semana 13 e 14
Lucas Cechinel
 
Livro 1º ano - Semana 13 e 14
Livro 1º ano - Semana 13 e 14Livro 1º ano - Semana 13 e 14
Livro 1º ano - Semana 13 e 14
Lucas Cechinel
 
Livro - Sétimo ano/semana 9 e 10
Livro - Sétimo ano/semana 9 e 10Livro - Sétimo ano/semana 9 e 10
Livro - Sétimo ano/semana 9 e 10
Lucas Cechinel
 
Livro - nono ano/semana 9 e 10
Livro - nono ano/semana 9 e 10Livro - nono ano/semana 9 e 10
Livro - nono ano/semana 9 e 10
Lucas Cechinel
 
Livro - oitavo ano/semana 9 e 10
Livro - oitavo ano/semana 9 e 10Livro - oitavo ano/semana 9 e 10
Livro - oitavo ano/semana 9 e 10
Lucas Cechinel
 
Livro - primeiro ano/semana 9 e 10
Livro - primeiro ano/semana 9 e 10Livro - primeiro ano/semana 9 e 10
Livro - primeiro ano/semana 9 e 10
Lucas Cechinel
 
Livro - Primeiro ano/semana 7 e 8
Livro - Primeiro ano/semana 7 e 8 Livro - Primeiro ano/semana 7 e 8
Livro - Primeiro ano/semana 7 e 8
Lucas Cechinel
 
Livro - Sétimo ano/semana 7 e 8
Livro - Sétimo ano/semana 7 e 8 Livro - Sétimo ano/semana 7 e 8
Livro - Sétimo ano/semana 7 e 8
Lucas Cechinel
 
Livro - Nono ano/semana 7 e 8
Livro - Nono ano/semana 7 e 8 Livro - Nono ano/semana 7 e 8
Livro - Nono ano/semana 7 e 8
Lucas Cechinel
 
Livro - Oitavo ano/semana 7 e 8
Livro - Oitavo ano/semana 7 e 8 Livro - Oitavo ano/semana 7 e 8
Livro - Oitavo ano/semana 7 e 8
Lucas Cechinel
 
Livro - Nono ano/semana 5 e 6
Livro - Nono ano/semana 5 e 6Livro - Nono ano/semana 5 e 6
Livro - Nono ano/semana 5 e 6
Lucas Cechinel
 
Livro - Oitavo ano/semana 5 e 6
Livro - Oitavo ano/semana 5 e 6Livro - Oitavo ano/semana 5 e 6
Livro - Oitavo ano/semana 5 e 6
Lucas Cechinel
 
Livro - Primeiro ano/semana 5 e 6
Livro - Primeiro ano/semana 5 e 6Livro - Primeiro ano/semana 5 e 6
Livro - Primeiro ano/semana 5 e 6
Lucas Cechinel
 
Livro - Sétimo ano/semana 5 e 6
Livro - Sétimo ano/semana 5 e 6Livro - Sétimo ano/semana 5 e 6
Livro - Sétimo ano/semana 5 e 6
Lucas Cechinel
 

Mais de Lucas Cechinel (20)

9o ano -_semana_15_e_16
9o ano -_semana_15_e_169o ano -_semana_15_e_16
9o ano -_semana_15_e_16
 
7o ano -_semana_15_e_16
7o ano -_semana_15_e_167o ano -_semana_15_e_16
7o ano -_semana_15_e_16
 
8o ano -_semana_15_e_16
8o ano -_semana_15_e_168o ano -_semana_15_e_16
8o ano -_semana_15_e_16
 
1o ano -_semana_15_e_16
1o ano -_semana_15_e_161o ano -_semana_15_e_16
1o ano -_semana_15_e_16
 
Livro 7º ano - Semana 13 e 14
Livro 7º ano - Semana 13 e 14Livro 7º ano - Semana 13 e 14
Livro 7º ano - Semana 13 e 14
 
Livro 9º ano - Semana 13 e 14
Livro 9º ano - Semana 13 e 14Livro 9º ano - Semana 13 e 14
Livro 9º ano - Semana 13 e 14
 
Livro 8º ano - Semana 13 e 14
Livro 8º ano - Semana 13 e 14Livro 8º ano - Semana 13 e 14
Livro 8º ano - Semana 13 e 14
 
Livro 1º ano - Semana 13 e 14
Livro 1º ano - Semana 13 e 14Livro 1º ano - Semana 13 e 14
Livro 1º ano - Semana 13 e 14
 
Livro - Sétimo ano/semana 9 e 10
Livro - Sétimo ano/semana 9 e 10Livro - Sétimo ano/semana 9 e 10
Livro - Sétimo ano/semana 9 e 10
 
Livro - nono ano/semana 9 e 10
Livro - nono ano/semana 9 e 10Livro - nono ano/semana 9 e 10
Livro - nono ano/semana 9 e 10
 
Livro - oitavo ano/semana 9 e 10
Livro - oitavo ano/semana 9 e 10Livro - oitavo ano/semana 9 e 10
Livro - oitavo ano/semana 9 e 10
 
Livro - primeiro ano/semana 9 e 10
Livro - primeiro ano/semana 9 e 10Livro - primeiro ano/semana 9 e 10
Livro - primeiro ano/semana 9 e 10
 
Livro - Primeiro ano/semana 7 e 8
Livro - Primeiro ano/semana 7 e 8 Livro - Primeiro ano/semana 7 e 8
Livro - Primeiro ano/semana 7 e 8
 
Livro - Sétimo ano/semana 7 e 8
Livro - Sétimo ano/semana 7 e 8 Livro - Sétimo ano/semana 7 e 8
Livro - Sétimo ano/semana 7 e 8
 
Livro - Nono ano/semana 7 e 8
Livro - Nono ano/semana 7 e 8 Livro - Nono ano/semana 7 e 8
Livro - Nono ano/semana 7 e 8
 
Livro - Oitavo ano/semana 7 e 8
Livro - Oitavo ano/semana 7 e 8 Livro - Oitavo ano/semana 7 e 8
Livro - Oitavo ano/semana 7 e 8
 
Livro - Nono ano/semana 5 e 6
Livro - Nono ano/semana 5 e 6Livro - Nono ano/semana 5 e 6
Livro - Nono ano/semana 5 e 6
 
Livro - Oitavo ano/semana 5 e 6
Livro - Oitavo ano/semana 5 e 6Livro - Oitavo ano/semana 5 e 6
Livro - Oitavo ano/semana 5 e 6
 
Livro - Primeiro ano/semana 5 e 6
Livro - Primeiro ano/semana 5 e 6Livro - Primeiro ano/semana 5 e 6
Livro - Primeiro ano/semana 5 e 6
 
Livro - Sétimo ano/semana 5 e 6
Livro - Sétimo ano/semana 5 e 6Livro - Sétimo ano/semana 5 e 6
Livro - Sétimo ano/semana 5 e 6
 

Último

Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 

7 independencia do-brasil

  • 2. O grito do Ipiranga O Grito do Ipiranga (óleo sobre tela). Pedro Américo, 1888. Proclamação da Independência (óleo sobre tela). François- René Moreaux, 1844
  • 4. Antecedentes Após a fuga de D. João para o Brasil, Portugal ficou empobrecido por causa da guerra contra os franceses. O governo local ficou nas mãos de sir Sidney Smith. Além disso, o comércio português foi muito prejudicado pelo decreto “Abertura dos portos às nações amigas” (1810). Diante das dificuldades, em 1820, estourou a revolução na cidade do Porto, que logo se espalhou por todo país. Esta revolução ficou conhecida como Revolução do Porto. Vitoriosos, os revoltosos formaram um governo provisório e exigiram o retorno imediato de D. João VI para Portugal. Com medo de perder o trono, D. João voltou para Portugal, em 1821. D. João VI esvaziou os cofres do Banco do Brasil, levando quase todo o ouro para Portugal.
  • 5. O processo de independência No Brasil, D. João VI deixou seu filho, D. Pedro, como príncipe regente. Os portugueses, em sua maioria, queriam que o Brasil voltasse a ser colônia de Portugal. Para isso, queriam que D. Pedro voltasse para Portugal e entregasse o governo a uma junta. Mas D. Pedro preferiu ficar no Brasil. Esta desobediência ficou conhecida como “Dia do Fico”.
  • 6. O processo de independência  D. Pedro proclamou a Independência em 07 de setembro de 1822, ao receber alguns decretos das cortes de Portugal, quando estava em viagem a São Paulo.  Estes decretos anulavam algumas de suas decisões, tentando fazer com que D. Pedro obedecesse às cortes portuguesas. D. Pedro aproveitou a ocasião e declarou a separação entre Brasil e Portugal.
  • 8. Independência da América portuguesa: Após a vitória de Pirajá, os brasileiros entram em Salvador, emDois de Julho de 1823. Na foto, parte da tela Entrada do Exército Libertador de Presciliano Silva, 1930. O Convento da Soledade domina o pano de fundo.Acervo da Prefeitura de Salvador. Maria Quitéria, a heroína da Independência do Brasil, representada por Augustus Earle, o mesmo desenhista que acompanhou Charles Darwin no Beagle. Ilustração publicada no livro de Maria Graham, em 1824. Maria Quitéria usava um saiote escocês, que ela adotou, inspirada em uma ilustração que ela viu de um highlander.
  • 9. Os limites da independência Para ser reconhecido oficialmente, o Brasil aceitou pagar indenizações de 2 milhões de libras esterlinas a Portugal. Para isso, pediu um empréstimo à Inglaterra, fato que iniciou a dívida externa do Brasil. Apesar do processo de independência ter base nas ideias iluministas de liberdade, a escravidão foi mantida, atendendo aos interesses dos grandes proprietários de terras. O Brasil continuou com o modelo agrário, baseado em latifúndios e na produção de gêneros primários voltada para a exportação. Ou seja, pouco diferente de quando era colônia de Portugal.  Ao contrário de outros países da América Latina, que adotaram o sistema republicano, o Brasil adotou o governo monárquico, baseado no poder de um rei. Mão, escultura de Niemeyer no Memorial da América Latina, São Paulo, 1989.
  • 12. Questões – relacione com o número correspondente os conceitos que representam ideias contrárias: Independência; Iluminismo; 12iberdade; 13onarquia constitucional; Agrário; Democracia; Reino; Liberalismo; Classes sociais; Revolução. ( ) Monarquia absolutista ( ) Dependência ( ) Mercantilismo ( )Ditadura ( ) Escravidão ( ) Estamentos sociais ( ) Antigo Regime ( ) República ( ) Conservadorismo ( ) Urbano
  • 13. • Movimentos liderados pelas elites (criollos), inspirados pelo ideário iluminista, e apoiados pela Inglaterra (liberalismo versus mercantilismo); • Sofreu influência da independência dos Estados Unidos e Revolução Francesa > republicanismo; • Antes já haviam movimentos de resistência – Tupac Amaru, no Perú (1780); • Toussaint L’Overture (1791) e Jean-Jacques Dessalines (1801) – Haití; • José de San Martín – Argentina (1816), Chile junto a O’Higgins (1818) e Perú (1821); • Simón Bolívar – Venezuela e Colômbia (1819), Equador (1822) e Bolívia (1825); • Estendendo-se ao México e América Central, em 1825 a Espanha só detinha posse de Cuba e Porto Rico, que passariam para controle norte-americano em 1898. Independência da América espanhola – aspectos gerais:
  • 14. Independência da América espanhola Movimentos geralmente divididos em: Coroa espanhola versus  Criollos Índios, negros  e mestiços.
  • 17. Grã-colômbia (1819), que se fragmentou em Venezuela, Colômbia, Equador, Panamá. Ainda com a participação de Bolívar. O Uruguai tornou-se independente em 1828, livrando-se... do Brasil!
  • 21. Congresso/Conferência do Panamá (1826): Após os movimentos de independência, as oligarquias dividiram-se em unitaristas (ideal defendido por Bolívar) e federalistas (ideal defendido por San Martín); Apesar de San Martín sair de cena política para não desunir as forças libertárias, Bolívar por outro lado não conseguiu seu intento de união pois ingleses, americanos e brasileiros não tinham interesse por um país latino- americano forte e antiescravista; A elite criolla, vinculada ao capital estrangeiro através da exportação de matérias-primas, defenderam mais seus propósitos que os da maioria: criou-se uma sociedade dependente de produtos industrializados, autoritária e com fortes diferenças sociais.