SlideShare uma empresa Scribd logo
A ERA NAPOLEÔNICA
O GENERAL BONAPARTE ATRAVESSANDO O
MONTE SAINT-BERNARD, JACQUES-LOUIS
DAVID, 1800
General francês.
Vencedor de
grandes batalhas.
Nascido burguês e
por mérito alçado
ao mais alto posto
do oficialato.
Chegou ao poder em
1799 por meio de um
golpe de Estado: 18
Brumário
Apoio de políticos
burgueses e do
Exército.
BONAPARTE COMO PRIMEIRO-CÔNSUL, JEAN-
AUGUSTE-DOMINIQUE INGRES, 1804
Em poucos anos,
tornou-se o homem
mais poderoso de
seu tempo.
3 cônsules.
• 1º cônsul tinha
poder executivo.
• 2º e 3º tinham
papel consultivo.
Jean Cambacérès,
Napoleão Bonaparte e
Chalres Lebrun
NAPOLEÃO COROADO, FRANÇOIS GERARD,
1804
Napoleão chegou ao topo
devido:
a) À sua inteligência e
talento.
b) A circunstâncias históricas
favoráveis.
c) Ao entusiasmo de seus
soldados pelos ideais da
Revolução Francesa.
ARCO DO TRIUNFO
O Arco do Triunfo é um monumento,
localizado na cidade de Paris, construído em
comemoração às vitórias militares de
Napoleão Bonaparte, o qual ordenou a sua
construção em 1806. Inaugurado em 1836, a
monumental obra detém, gravados, os
nomes de 128 batalhas e 558 generais. Em
sua base, situa-se o Túmulo do soldado
desconhecido (1920).
O CONSULADO
• Uma Constituição, votada às pressas,
instituiu o Consulado.
• O governo era exercido por três
cônsules, mas o poder de fato cabia
ao primeiro-cônsul: Napoleão
Bonaparte.
• A nova constituição manteve o
regime republicano, mas deu enormes
poderes a Napoleão. Ele podia propor
leis, declarar guerras, firmar a paz, etc.
• Com tanto poder, Napoleão
perseguiu adversários políticos e
censurou a imprensa.
ECONOMIA
Bonaparte adotou uma série de medidas que
melhoraram a economia francesa:
• Confirmou a distribuição de terras feitas a milhares
de camponeses durante a Revolução.
• Mandou drenar pântanos e construir estradas, o
que facilitou o transporte e diminuiu o preço dos
alimentos.
• Criou o Banco da França.
• Aumentou o imposto sobre produtos estrangeiros.
• Concedeu prêmios para os inventores de
máquinas.
Tudo isso acelerou o processo de
industrialização da França e aumentou a
oferta de alimentos e empregos.
EDUCAÇÃO E DIREITO
• O governo criou escolas de Ensino Fundamental
em todas as cidades de maior porte.
• Criou um código civil conhecido como Código
Napoleônico: esse código abolia definitivamente
os privilégios do clero e da nobreza, protegia o
direito à propriedade e a igualdade de todos
perante a lei.
• O Código Napoleônico favorecia a burguesia,
proibindo os sindicatos e as greves.
CÓDIGO NAPOLEÔNICO
• 2281 artigos
• Título Preliminar: tratam de assuntos como as
regras de publicação e a não retroatividade
das leis em geral, contudo, não pode ser
considerada uma parte geral.
• Livro Primeiro: pessoas;
• Livro Segundo: bens;
• Livro Terceiro: aquisição de propriedade.
RELIGIÃO
• Concordata de 1801:
• Restaurava as relações entre França e a
Igreja.
• O Catolicismo seria "a religião da grande
maioria dos franceses", porém não a religião
oficial, em respeito ao Protestantismo;
• O Imperador nomearia os bispos, mas o Papa
teria o poder de expulsá-los;
• O Estado iria arcar com as despesas e
subsídios do clero;
• A Igreja renunciaria a todos as reivindicações
dos territórios tomados pela França desde
1790;
• Estabelecimento do Calendário gregoriano
em detrimento do Calendário republicano.
O IMPÉRIO
• Plebiscito (1802) –
consulado vitalício.
• Plebiscito (1804) –
Império.
• Ao lado, a coroação
de Napoleão I e sua
esposa Maria
Josefina.
O IMPÉRIO
O Império de Napoleão foi marcado
desde o início pelas guerras, que
visavam à expansão do domínio
francês.
O EXPANSIONISMO MILITAR
• Ainda cônsul, entre 1800 e 1802 conquistou todos os reinos da península itálica. Cria reinos
subalternos.
• Vitórias militares sobre as coligações estrangeiras: Batalha de Austerlitz e Trafalgar.
• Cria a confederação do Reno submetendo a atual Alemanha.
• Casamento com Maria Luísa da Áustria.
• Com um Exército poderoso, Napoleão conquistou grande parte da Europa, mas não conseguia
vencer a Inglaterra, “Rainha dos Mares”.
• Para enfraquecer a Inglaterra, Napoleão decretou o Bloqueio Continental, que proibia os países
da Europa continental de comercializarem com os ingleses.
• Foi para escapar ao Bloqueio continental que a família real portuguesa se transferiu para o Brasil.
O EXTENSÃO MÁXIMA DO IMPÉRIO
Notas: 1) França antes da Revolução; 2)
Conquistas durante a Convenção; 3)
Anexões da época de Napoleão; 4)
Limites do Imperio; 5) Reinos e países
vassalos da França; 6) Estados amigos ou
ocupados; 7) Estados aliados.
O BLOQUEIO
Criado em 1806
para enfraquecer
economicamente
a Inglaterra.
A VER NAVIOS
• 1808 – Tropas
francesas invadem
Portugal.
1807 –
Tratado de
Fontanebleu.
REAÇÕES AO MILITARISMO DE NAPOLEÃO
• Dentro da França, Napoleão era criticado pelo excesso
de guerras, por ter sufocado o ideal de liberdade da
Revolução Francesa com a introdução da censura
prévia.
• Fora da França, os povos dominados também reagiram
e Napoleão teve de devolver o trono espanhol para a
família Real de Espanha.
• O Bloqueio Continental não surtiu o efeito esperado, pois
a Inglaterra continuou comercializando com a América.
• A Rússia, em 1810, voltou a comercializar abertamente
com a Inglaterra.
A PRIMEIRA DERROTA
• Irritado com o comércio entre Rússia e
Inglaterra, Napoleão decidi invadir o
grande país russo como castigo a
desobediência do Bloqueio Continental.
• O Exército de Bonaparte, despreparado
para o severo clima russo, foi derrotado
pelo general “inverno”.
• Derrotado, Napoleão foi enviado para a
ilha de Elba, no Mediterrâneo. O trono
Francês foi ocupado por Luís XVIII, irmão
de Luís XVI
O GOVERNO DOS CEM DIAS
• No início de 1815, Napoleão fugiu de Elba e
desmbarcou na França, onde foi recebido
como herói.
• O impopular Rei Luís XVIII fugiu do país e
Bonaparte assumiu seu lugar.
• Porém, dessa vez, Napoleão governou por
pouco tempo, pois os ingleses lideraram um
coligação militar com mais de 1 milhão de
soldados e derrotaram definitivamente as
forças de Bonaparte na Batalha de
Waterloo. (1815)
A SEGUNDA DERROTA
Com a Derrota em Waterloo,
Napoleão foi preso por seus
inimigos e mandado para
Santa Helena, minúscula ilha
localizada no Atlântico, onde
permaneceu até a morte, em
1821.
CONGRESSO DE VIENA
As nações vencedoras reuniram-se em 1815 com o
propósito de tirar proveito do fim do Império
Napoleônico:
• Nova divisão do mapa da Europa.
• Princípio da Legitimidade: cada país europeu
deveria voltar a ser governado por reis das
mesmas famílias que ocupavam o trono antes da
Revolução Francesa.
• Santa Aliança: organização militarizada que
envolvia Prússia, Áustria e Rússia. Achavam-se no
direito de intervir militarmente em qualquer país
onde estivessem ocorrendo movimentos liberiais.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
Daniel Alves Bronstrup
 
Brasil expansão territorial
Brasil expansão territorialBrasil expansão territorial
Revoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXRevoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIX
dmflores21
 
11. revolução francesa
11. revolução francesa11. revolução francesa
11. revolução francesa
José Augusto Fiorin
 
A queda do império romano
A queda do império romanoA queda do império romano
A queda do império romano
cattonia
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
Janayna Lira
 
Segundo Reinado (1840 – 1889)
Segundo Reinado (1840 – 1889)Segundo Reinado (1840 – 1889)
Segundo Reinado (1840 – 1889)
Marilia Pimentel
 
o primeiro reinado (1822-1831)
o primeiro reinado (1822-1831)o primeiro reinado (1822-1831)
o primeiro reinado (1822-1831)
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Isabela Espíndola
 
Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)
Edenilson Morais
 
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudalCrise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Douglas Barraqui
 
A União Ibérica e o Brasil holandês
A União Ibérica e o Brasil holandêsA União Ibérica e o Brasil holandês
A União Ibérica e o Brasil holandês
Ramiro Bicca
 
A Idade Média
A Idade MédiaA Idade Média
A Idade Média
Gisele Finatti Baraglio
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
Paulo Alexandre
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
Portal do Vestibulando
 
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesasBrasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Brasil ColôNia
Brasil ColôNiaBrasil ColôNia
Brasil ColôNia
Elaine Bogo Pavani
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
Paulo Alexandre
 

Mais procurados (20)

3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
3ºão ano - Família Real, Independência e Primeiro Reinado.
 
Brasil expansão territorial
Brasil expansão territorialBrasil expansão territorial
Brasil expansão territorial
 
Revoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXRevoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIX
 
11. revolução francesa
11. revolução francesa11. revolução francesa
11. revolução francesa
 
A queda do império romano
A queda do império romanoA queda do império romano
A queda do império romano
 
A revolução inglesa
A revolução inglesaA revolução inglesa
A revolução inglesa
 
Segundo Reinado (1840 – 1889)
Segundo Reinado (1840 – 1889)Segundo Reinado (1840 – 1889)
Segundo Reinado (1840 – 1889)
 
o primeiro reinado (1822-1831)
o primeiro reinado (1822-1831)o primeiro reinado (1822-1831)
o primeiro reinado (1822-1831)
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
Aula cfgv - A vinda da família real para o Brasil
 
Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)Primeiro Reinado (1822-1831)
Primeiro Reinado (1822-1831)
 
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudalCrise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
Crise do feudalismo: as transformações no sistema feudal
 
A União Ibérica e o Brasil holandês
A União Ibérica e o Brasil holandêsA União Ibérica e o Brasil holandês
A União Ibérica e o Brasil holandês
 
A Idade Média
A Idade MédiaA Idade Média
A Idade Média
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
 
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesasBrasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
Brasil invasões estrangeiras - francesas e holandesas
 
Brasil ColôNia
Brasil ColôNiaBrasil ColôNia
Brasil ColôNia
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
 

Destaque

Napoleão Bonaparte
Napoleão BonaparteNapoleão Bonaparte
Napoleão Bonaparte
lubeliaduarte
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
Lutero Ramos
 
Trabalho De HistóRia
Trabalho De HistóRiaTrabalho De HistóRia
Trabalho De HistóRia
zucolandia
 
Bibliografia de napoleão bonaparte
Bibliografia de napoleão bonaparteBibliografia de napoleão bonaparte
Bibliografia de napoleão bonaparte
francisogam
 
Ascensão de Napoleão Bonaparte
Ascensão de Napoleão BonaparteAscensão de Napoleão Bonaparte
Ascensão de Napoleão Bonaparte
E.E. Prof. João Magiano Pinto
 
Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820
Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820
Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820
Celine Bernardo
 
Congresso de viena
Congresso de vienaCongresso de viena
Congresso de viena
devilblu
 
Congresso de viena (1814 1815 ) pdf
Congresso de viena (1814   1815 ) pdfCongresso de viena (1814   1815 ) pdf
Congresso de viena (1814 1815 ) pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Império napoleônico
Império napoleônicoImpério napoleônico
Império napoleônico
Vitória Souza
 
Napoleão e o congresso de viena
Napoleão e o congresso de vienaNapoleão e o congresso de viena
Napoleão e o congresso de viena
Profdaltonjunior
 
O Império Napoleônico (PDF)
O Império Napoleônico (PDF)O Império Napoleônico (PDF)
O Império Napoleônico (PDF)
Paulo Alexandre
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
eiprofessor
 
Napoleão Recanto das Palavras
Napoleão Recanto das PalavrasNapoleão Recanto das Palavras
Napoleão Recanto das Palavras
Jorge Alberto
 
Introduções para falar em público
Introduções para falar em públicoIntroduções para falar em público
Introduções para falar em público
Carlos Elson Cunha
 
Atitude mental correta para falar em público
Atitude mental correta para falar em públicoAtitude mental correta para falar em público
Atitude mental correta para falar em público
Carlos Elson Cunha
 
D. pedro i biografia
D. pedro i   biografiaD. pedro i   biografia
D. pedro i biografia
antoniopedropinheiro
 
D.Pedro IV
D.Pedro IVD.Pedro IV
D.Pedro IV
Rute1993
 
Quimica org.(aula 01)
Quimica org.(aula 01)Quimica org.(aula 01)
Quimica org.(aula 01)
JulianaGimenes
 
Napoleao bonaparte 12
Napoleao bonaparte 12Napoleao bonaparte 12
Napoleao bonaparte 12
Jemima Pascoal
 
4 french revolution ppt
4 french revolution ppt4 french revolution ppt
4 french revolution ppt
Jennifer hc
 

Destaque (20)

Napoleão Bonaparte
Napoleão BonaparteNapoleão Bonaparte
Napoleão Bonaparte
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 
Trabalho De HistóRia
Trabalho De HistóRiaTrabalho De HistóRia
Trabalho De HistóRia
 
Bibliografia de napoleão bonaparte
Bibliografia de napoleão bonaparteBibliografia de napoleão bonaparte
Bibliografia de napoleão bonaparte
 
Ascensão de Napoleão Bonaparte
Ascensão de Napoleão BonaparteAscensão de Napoleão Bonaparte
Ascensão de Napoleão Bonaparte
 
Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820
Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820
Congresso de viena, santa aliança e revoluções de 1820
 
Congresso de viena
Congresso de vienaCongresso de viena
Congresso de viena
 
Congresso de viena (1814 1815 ) pdf
Congresso de viena (1814   1815 ) pdfCongresso de viena (1814   1815 ) pdf
Congresso de viena (1814 1815 ) pdf
 
Império napoleônico
Império napoleônicoImpério napoleônico
Império napoleônico
 
Napoleão e o congresso de viena
Napoleão e o congresso de vienaNapoleão e o congresso de viena
Napoleão e o congresso de viena
 
O Império Napoleônico (PDF)
O Império Napoleônico (PDF)O Império Napoleônico (PDF)
O Império Napoleônico (PDF)
 
Era Napoleônica
Era NapoleônicaEra Napoleônica
Era Napoleônica
 
Napoleão Recanto das Palavras
Napoleão Recanto das PalavrasNapoleão Recanto das Palavras
Napoleão Recanto das Palavras
 
Introduções para falar em público
Introduções para falar em públicoIntroduções para falar em público
Introduções para falar em público
 
Atitude mental correta para falar em público
Atitude mental correta para falar em públicoAtitude mental correta para falar em público
Atitude mental correta para falar em público
 
D. pedro i biografia
D. pedro i   biografiaD. pedro i   biografia
D. pedro i biografia
 
D.Pedro IV
D.Pedro IVD.Pedro IV
D.Pedro IV
 
Quimica org.(aula 01)
Quimica org.(aula 01)Quimica org.(aula 01)
Quimica org.(aula 01)
 
Napoleao bonaparte 12
Napoleao bonaparte 12Napoleao bonaparte 12
Napoleao bonaparte 12
 
4 french revolution ppt
4 french revolution ppt4 french revolution ppt
4 french revolution ppt
 

Semelhante a Napoleão

A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
Ueber Vale
 
Era napoleônica
Era napoleônicaEra napoleônica
Era napoleônica
Denis Gasco
 
Era napoleonica 2013
Era napoleonica 2013Era napoleonica 2013
Era napoleonica 2013
Isabel Aguiar
 
ERA NAPOLEÔNICA
ERA NAPOLEÔNICAERA NAPOLEÔNICA
ERA NAPOLEÔNICA
isabelaguiar2010
 
Periodo napoleonico
Periodo napoleonicoPeriodo napoleonico
Periodo napoleonico
profabiorodrigues
 
A era napoleônica 2017
A era napoleônica   2017A era napoleônica   2017
A era napoleônica 2017
Nelia Salles Nantes
 
A era napoleônica 2017
A era napoleônica   2017A era napoleônica   2017
A era napoleônica 2017
Nelia Salles Nantes
 
O período napoleônico
O período napoleônicoO período napoleônico
O período napoleônico
Geovane Lima da Silva
 
Era napoleônica
Era napoleônicaEra napoleônica
Era napoleônica
Adriana Gomes Messias
 
A era napoleônica 2014
A era napoleônica   2014A era napoleônica   2014
A era napoleônica 2014
Nelia Salles Nantes
 
Império Napoleônico
Império NapoleônicoImpério Napoleônico
Império Napoleônico
Filipe Carota
 
A era napoleônica 2013
A era napoleônica   2013A era napoleônica   2013
A era napoleônica 2013
historiando
 
A Revolução Liberal Portuguesa.pptx
A Revolução Liberal Portuguesa.pptxA Revolução Liberal Portuguesa.pptx
A Revolução Liberal Portuguesa.pptx
Nuno Faustino
 
Era napoleônica 8 ano
Era napoleônica 8 anoEra napoleônica 8 ano
Era napoleônica 8 ano
Adriana Gomes Messias
 
Era napoleônica
Era napoleônicaEra napoleônica
Era napoleônica
Isabel Aguiar
 
A era napoleônica 2012
A era napoleônica   2012A era napoleônica   2012
A era napoleônica 2012
historiando
 
14 1820 e o liberalismo
14 1820 e o liberalismo14 1820 e o liberalismo
14 1820 e o liberalismo
Vanessa Jorge
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
Priscila Azeredo
 
2˚ napoleão ao congresso de viena
2˚ napoleão ao congresso de viena2˚ napoleão ao congresso de viena
2˚ napoleão ao congresso de viena
Kerol Brombal
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
Fatima Freitas
 

Semelhante a Napoleão (20)

A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
 
Era napoleônica
Era napoleônicaEra napoleônica
Era napoleônica
 
Era napoleonica 2013
Era napoleonica 2013Era napoleonica 2013
Era napoleonica 2013
 
ERA NAPOLEÔNICA
ERA NAPOLEÔNICAERA NAPOLEÔNICA
ERA NAPOLEÔNICA
 
Periodo napoleonico
Periodo napoleonicoPeriodo napoleonico
Periodo napoleonico
 
A era napoleônica 2017
A era napoleônica   2017A era napoleônica   2017
A era napoleônica 2017
 
A era napoleônica 2017
A era napoleônica   2017A era napoleônica   2017
A era napoleônica 2017
 
O período napoleônico
O período napoleônicoO período napoleônico
O período napoleônico
 
Era napoleônica
Era napoleônicaEra napoleônica
Era napoleônica
 
A era napoleônica 2014
A era napoleônica   2014A era napoleônica   2014
A era napoleônica 2014
 
Império Napoleônico
Império NapoleônicoImpério Napoleônico
Império Napoleônico
 
A era napoleônica 2013
A era napoleônica   2013A era napoleônica   2013
A era napoleônica 2013
 
A Revolução Liberal Portuguesa.pptx
A Revolução Liberal Portuguesa.pptxA Revolução Liberal Portuguesa.pptx
A Revolução Liberal Portuguesa.pptx
 
Era napoleônica 8 ano
Era napoleônica 8 anoEra napoleônica 8 ano
Era napoleônica 8 ano
 
Era napoleônica
Era napoleônicaEra napoleônica
Era napoleônica
 
A era napoleônica 2012
A era napoleônica   2012A era napoleônica   2012
A era napoleônica 2012
 
14 1820 e o liberalismo
14 1820 e o liberalismo14 1820 e o liberalismo
14 1820 e o liberalismo
 
Era napoleonica
Era napoleonicaEra napoleonica
Era napoleonica
 
2˚ napoleão ao congresso de viena
2˚ napoleão ao congresso de viena2˚ napoleão ao congresso de viena
2˚ napoleão ao congresso de viena
 
A era napoleônica
A era napoleônicaA era napoleônica
A era napoleônica
 

Último

cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 

Último (20)

cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 

Napoleão

  • 2. O GENERAL BONAPARTE ATRAVESSANDO O MONTE SAINT-BERNARD, JACQUES-LOUIS DAVID, 1800 General francês. Vencedor de grandes batalhas. Nascido burguês e por mérito alçado ao mais alto posto do oficialato. Chegou ao poder em 1799 por meio de um golpe de Estado: 18 Brumário Apoio de políticos burgueses e do Exército.
  • 3. BONAPARTE COMO PRIMEIRO-CÔNSUL, JEAN- AUGUSTE-DOMINIQUE INGRES, 1804 Em poucos anos, tornou-se o homem mais poderoso de seu tempo. 3 cônsules. • 1º cônsul tinha poder executivo. • 2º e 3º tinham papel consultivo. Jean Cambacérès, Napoleão Bonaparte e Chalres Lebrun
  • 4. NAPOLEÃO COROADO, FRANÇOIS GERARD, 1804 Napoleão chegou ao topo devido: a) À sua inteligência e talento. b) A circunstâncias históricas favoráveis. c) Ao entusiasmo de seus soldados pelos ideais da Revolução Francesa.
  • 5. ARCO DO TRIUNFO O Arco do Triunfo é um monumento, localizado na cidade de Paris, construído em comemoração às vitórias militares de Napoleão Bonaparte, o qual ordenou a sua construção em 1806. Inaugurado em 1836, a monumental obra detém, gravados, os nomes de 128 batalhas e 558 generais. Em sua base, situa-se o Túmulo do soldado desconhecido (1920).
  • 6. O CONSULADO • Uma Constituição, votada às pressas, instituiu o Consulado. • O governo era exercido por três cônsules, mas o poder de fato cabia ao primeiro-cônsul: Napoleão Bonaparte. • A nova constituição manteve o regime republicano, mas deu enormes poderes a Napoleão. Ele podia propor leis, declarar guerras, firmar a paz, etc. • Com tanto poder, Napoleão perseguiu adversários políticos e censurou a imprensa.
  • 7. ECONOMIA Bonaparte adotou uma série de medidas que melhoraram a economia francesa: • Confirmou a distribuição de terras feitas a milhares de camponeses durante a Revolução. • Mandou drenar pântanos e construir estradas, o que facilitou o transporte e diminuiu o preço dos alimentos. • Criou o Banco da França. • Aumentou o imposto sobre produtos estrangeiros. • Concedeu prêmios para os inventores de máquinas. Tudo isso acelerou o processo de industrialização da França e aumentou a oferta de alimentos e empregos.
  • 8. EDUCAÇÃO E DIREITO • O governo criou escolas de Ensino Fundamental em todas as cidades de maior porte. • Criou um código civil conhecido como Código Napoleônico: esse código abolia definitivamente os privilégios do clero e da nobreza, protegia o direito à propriedade e a igualdade de todos perante a lei. • O Código Napoleônico favorecia a burguesia, proibindo os sindicatos e as greves.
  • 9. CÓDIGO NAPOLEÔNICO • 2281 artigos • Título Preliminar: tratam de assuntos como as regras de publicação e a não retroatividade das leis em geral, contudo, não pode ser considerada uma parte geral. • Livro Primeiro: pessoas; • Livro Segundo: bens; • Livro Terceiro: aquisição de propriedade.
  • 10. RELIGIÃO • Concordata de 1801: • Restaurava as relações entre França e a Igreja. • O Catolicismo seria "a religião da grande maioria dos franceses", porém não a religião oficial, em respeito ao Protestantismo; • O Imperador nomearia os bispos, mas o Papa teria o poder de expulsá-los; • O Estado iria arcar com as despesas e subsídios do clero; • A Igreja renunciaria a todos as reivindicações dos territórios tomados pela França desde 1790; • Estabelecimento do Calendário gregoriano em detrimento do Calendário republicano.
  • 11. O IMPÉRIO • Plebiscito (1802) – consulado vitalício. • Plebiscito (1804) – Império. • Ao lado, a coroação de Napoleão I e sua esposa Maria Josefina.
  • 12. O IMPÉRIO O Império de Napoleão foi marcado desde o início pelas guerras, que visavam à expansão do domínio francês.
  • 13. O EXPANSIONISMO MILITAR • Ainda cônsul, entre 1800 e 1802 conquistou todos os reinos da península itálica. Cria reinos subalternos. • Vitórias militares sobre as coligações estrangeiras: Batalha de Austerlitz e Trafalgar. • Cria a confederação do Reno submetendo a atual Alemanha. • Casamento com Maria Luísa da Áustria. • Com um Exército poderoso, Napoleão conquistou grande parte da Europa, mas não conseguia vencer a Inglaterra, “Rainha dos Mares”. • Para enfraquecer a Inglaterra, Napoleão decretou o Bloqueio Continental, que proibia os países da Europa continental de comercializarem com os ingleses. • Foi para escapar ao Bloqueio continental que a família real portuguesa se transferiu para o Brasil.
  • 14.
  • 15. O EXTENSÃO MÁXIMA DO IMPÉRIO Notas: 1) França antes da Revolução; 2) Conquistas durante a Convenção; 3) Anexões da época de Napoleão; 4) Limites do Imperio; 5) Reinos e países vassalos da França; 6) Estados amigos ou ocupados; 7) Estados aliados.
  • 16. O BLOQUEIO Criado em 1806 para enfraquecer economicamente a Inglaterra.
  • 17. A VER NAVIOS • 1808 – Tropas francesas invadem Portugal. 1807 – Tratado de Fontanebleu.
  • 18. REAÇÕES AO MILITARISMO DE NAPOLEÃO • Dentro da França, Napoleão era criticado pelo excesso de guerras, por ter sufocado o ideal de liberdade da Revolução Francesa com a introdução da censura prévia. • Fora da França, os povos dominados também reagiram e Napoleão teve de devolver o trono espanhol para a família Real de Espanha. • O Bloqueio Continental não surtiu o efeito esperado, pois a Inglaterra continuou comercializando com a América. • A Rússia, em 1810, voltou a comercializar abertamente com a Inglaterra.
  • 19. A PRIMEIRA DERROTA • Irritado com o comércio entre Rússia e Inglaterra, Napoleão decidi invadir o grande país russo como castigo a desobediência do Bloqueio Continental. • O Exército de Bonaparte, despreparado para o severo clima russo, foi derrotado pelo general “inverno”. • Derrotado, Napoleão foi enviado para a ilha de Elba, no Mediterrâneo. O trono Francês foi ocupado por Luís XVIII, irmão de Luís XVI
  • 20. O GOVERNO DOS CEM DIAS • No início de 1815, Napoleão fugiu de Elba e desmbarcou na França, onde foi recebido como herói. • O impopular Rei Luís XVIII fugiu do país e Bonaparte assumiu seu lugar. • Porém, dessa vez, Napoleão governou por pouco tempo, pois os ingleses lideraram um coligação militar com mais de 1 milhão de soldados e derrotaram definitivamente as forças de Bonaparte na Batalha de Waterloo. (1815)
  • 21. A SEGUNDA DERROTA Com a Derrota em Waterloo, Napoleão foi preso por seus inimigos e mandado para Santa Helena, minúscula ilha localizada no Atlântico, onde permaneceu até a morte, em 1821.
  • 22. CONGRESSO DE VIENA As nações vencedoras reuniram-se em 1815 com o propósito de tirar proveito do fim do Império Napoleônico: • Nova divisão do mapa da Europa. • Princípio da Legitimidade: cada país europeu deveria voltar a ser governado por reis das mesmas famílias que ocupavam o trono antes da Revolução Francesa. • Santa Aliança: organização militarizada que envolvia Prússia, Áustria e Rússia. Achavam-se no direito de intervir militarmente em qualquer país onde estivessem ocorrendo movimentos liberiais.