Independência do brasil

6.206 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.206
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.624
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Independência do brasil

  1. 1. O CAMINHO PARA AINDEPENDÊNCIA DO BRASILProf. Douglas Barraqui
  2. 2. Independência do Brasil: óleo sobre telapor François-René Moreaux
  3. 3. Quadro Independência ou Morte, de PedroAmérico (óleo sobre tela, 1888).
  4. 4. D. Pedro I levanta a sua espada, em atosimbólico de rompimento com os laçosque uniam Portugal e Brasil. D. Pedro érepresentado num patamar maiselevado do quadro dando a entenderque ele é um estadista que não medeesforços e sacrifícios para realização deseu ideal, ou seja, é representado comoum herói.Dom Pedro não estava utilizandocavalos. Na época, em viagens longas,se utilizavam jumentos e mulas.
  5. 5. Frente a frente com D. Pedro há umcavaleiro da sua Guarda de Honra queresponde ao Príncipe arrancando desua farda o laço vermelho e azul quesimbolizava a união de Portugal eBrasil. Nem Dom Pedro, nem ninguémque o acompanhava vestiam uniformesde gala.
  6. 6. No canto inferior esquerdo vemos umcaipira que pára o seu carro de boi paraobservar a cena histórica que acontece noalto da colina. O “povo brasileiro”representado pelo caipira simplesmenteassistiu a tudo o que estava acontecendo.
  7. 7. O Riacho do Ipiranga está no lugarerrado. Ele deveria estar atrás de quemobserva o quadro.
  8. 8. A casa que aparece no quadro nãoexistia O primeiro registro da casa queaparecia ao fundo é de 1884, (62 anosapós o grito da Independência).
  9. 9. A Revolução do Porto 1820 1816 – D.Maria Morre; Retorno deD. JoãoVI àProtugal; Recolonizaro Brasil;1821 D. João VI retorna para Portugal deixa D. Pedro I comopríncipe regente do Brasil.
  10. 10. D. Pedro de Alcântara Constantementepressionado para queretornasse à Portugal; 09 de janeiro de 1822 –Dia do Fico; 07 de setembro de 1822“Grito do Ipiranga”-Proclamação daIndependência;(O emissário, PauloEmílio Bregaro,encontrou D. Pedro quevoltava de Santos)“Se é para o bem de todose felicidade geral danação, estou pronto: digaao povo que fico!".
  11. 11. José Bonifácio de Andrada e Silva EUA – Primeiro país areconhecer nossaindependência; Inglaterra – atuou comomediadora do processo deindependência (emprestou 2milhões de libras esterlinaspara pagar a indenizaçãoexigida por Portugal)"Patriarca da Independência" por ter sido umapessoa decisiva para a Independência doBrasil.José Bonifácio
  12. 12. Nada mudou: A independência do Brasil não mudou oquadro político, social e econômico do Brasil:Continuamos sendo uma monarquiaNão foi abolida a escravidãoContinuamos importando manufaturasE exportando matéria prima
  13. 13. A Constituição de 1824 Monarquia Hereditária; Divisão dos poderes; Igreja Católica foi oficializada como a religião oficial doBrasil; Manutenção da escravidão; Voto censitário - Quem podia votar:- homens que tivessem mais de 25 anos- Eleitor da Paróquia: renda anual mínima de 100 mil-réis,- Eleitor da Província: Para ser deputado, era necessárioter uma renda de mais de 400 mil-réis e,- Para senador, um mínimo anual de 800 mil-réis.(excluídos: )
  14. 14. PODERLEGISLATIVOPODEREXECUTIVOPODERJUDICIÁRIOCÂMARA DOSENADOCÂMARADOSDEPUTADOSPRESIDENTEDEPROVÍNCIASUPREMOTRIBUNALDE JUSTIÇAConselhos gerais dasprovínciasPODERMODERADORConselhode Estados
  15. 15. Crise do Primeiro ReinadoConfederação do Equador - 1824 Motivos:- Forte descontentamento comcentralização política imposta por D.Pedro I, presente na Constituição de1824;- Descontentamento com a influênciaportuguesa na vida política do Brasil,mesmo após a independência;- A elite de Pernambuco havia escolhidoum governador para a província:Manuel Carvalho Pais de Andrade.Porém, em 1824, D.Pedro I indicou umgovernador de sua confiança para aprovíncia: Francisco Paes Barreto.Este conflito político foi o estopim darevolta.Frei Caneca
  16. 16. Crise do Primeiro ReinadoConfederação do Equador - 1824 Objetivos da revolta:- Convocação de uma novaAssembleia Constituinte paraelaboração de uma novaConstituição de caráter liberal;- Diminuir a influência do governofederal nos assuntos políticosregionais;- Acabar com o tráfico deescravos para o Brasil;- Organizar forças de resistênciaspopulares contra a repressão dogoverno central imperial;- Formação de um governoindependente na região.
  17. 17. Crise do Primeiro ReinadoConfederação do Equador - 1824 Sob o comando do almirantebritânico Thomas Cochrane, asforças militares do impérioatuaram com rapidez e forçapara colocar fim ao movimentoemancipacionista. A 13 de janeiro de 1825, foiarmado o espetáculo doenforcamento diante dos murosdo Forte das Cinco Pontas.Despojado do hábito religioso,ainda assim três carrascos serecusaram a enforcá-lo. AComissão Militar ordenou seuarcabuzamento. Thomas Cochrane
  18. 18. Crise do Primeiro ReinadoGuerra Cisplatina – 1825-1828 Causas:-Oposição doshabitantes,principalmente da elitede origem espanholada Cisplatina comrelação à anexação doterritório à Cisplatina;- Não reconhecimentoda Independência doBrasil;
  19. 19. Crise do Primeiro ReinadoGuerra Cisplatina – 1825-1828 No ano de 1825, comapoio da Argentina, ogeneral Juan AntonioLavalleja deu início aomovimento pelaemancipação daCisplatina. A Guerra durou 3anos, gerando aoImpério Brasileiroenormes gastosfinanceiros, além deperdas humanas.Juan Antonio Lavalleja
  20. 20. Crise do Primeiro ReinadoGuerra Cisplatina – 1825-1828 Como terminou:- França e Reino Unido pressionaramambos os lados para o firmamento depaz na região. Através da ConvençãoPreliminar de Paz, assinada emdezembro de 1828 no Rio de Janeiro,foi criada a República Oriental doUruguai. Consequências:- Enfraquecimento do poder político deDom Pedro I;- Prejuízos financeiros que prejudicarama economia brasileira (elevação dadívida);- Questionamentos da populaçãobrasileira pela derrota na guerra.
  21. 21. Crise do Primeiro ReinadoA Sucessão do Trono Português 1826 – D. João VI morre emPortugal; (Em 4 de março de1826, Dom João, vindo doMosteiro dos Jerônimos ondealmoçara, recolheu-se ao Paçoda Bemposta sentindo-se mal.Iniciaram vômitos, convulsões edesmaios, que duraram algunsdias. O enfermo pareceumelhorar, mas por prudênciadesignou sua filha, a infantaIsabel Maria, como regente. Nanoite do dia 9 a moléstia seagravou, e perto das 5 horas dodia 10, faleceu.Fragmentos do seu coração foramreidratados e submetidos a análises,que detectaram uma quantidade dearsênico suficiente para matar duaspessoas)
  22. 22. Crise do Primeiro ReinadoA Sucessão do Trono Português D. Pedro abdicou do trono empro de sua filha Maria Da Glóriade apenas 7 anos;(Com dispensa papal, porprocuração, em 29 de Outubrode 1826 casou com seu tio, oInfante D. Miguel (1802-66). Ocasamento foi dissolvido ouanulado em 1 de Dezembro de1834)D. Maria II
  23. 23. Crise do Primeiro ReinadoA Sucessão do Trono Português D. Miguel (irmão de D.Pedro I) governariaPortugal como regente; Conselho de Portugalreuniu-se a 21 de junho ea 25, proclamando D.Miguel rei absoluto; D. Pedro I declarouguerra ao irmão esustentou o conflito comrecursos do Brasil;D. Miguel
  24. 24. Crise do Primeiro ReinadoAssassinato de Líbero Badaró - 1830“Morre um liberal, mas não morre a liberdade” Libero Badarò jornalista,político e médico italianoradicado no Brasil. Em 20 de novembro de1830, às 10 horas da noite,quando voltava para suacasa, na rua de São José(mais tarde rua LíberoBadaró), o jornalista foiinterpelado por quatroalemães, um deles atiroucom uma bacamarte.Badarò caiu mortalmenteferido.Giovanni Battista Libero Badarò
  25. 25. Bacamarte
  26. 26. Crise do Primeiro Reinado“Noite das Garrafadas” - 1831 Em fevereiro de 1831, D. PedroI viaja para Minas Gerais, sendohostilizado pelo povo mineiro. Na noite do dia 13, osportugueses organizavam umagrande festa para recepcionar ogovernante, mas os brasileirosrevoltosos atacaram com pedrase garrafas. Episódio teve importânciaprimordial na crise política queresultaria na abdicação de D.Pedro I em 7 de abril.
  27. 27. "Usando do direito que a Constituição me concede, declaro que hei muitovoluntariamente abdicado na pessoa de meu muito amado e prezado filhoo Senhor D. Pedro de Alcântara. - Boa Vista, sete de abril de miloitocentos e trinta e um, décimo da Independência e do Império." Pedro
  28. 28. Grupos Políticos durante PrimeiroReinado:BRASILEIROS PORTUGUESESRESTAURADORESOU“CARAMURUS”- Comerciantesportugueses-Defendiam a volta de D.Pedro I ao governobrasileiro.EXALTADOSOU“FARROUPILHAS”-Grupo das camadas médiasurbanas, intelectuais ecomerciantes;- Lutavam pela autonomiadas províncias. Algunsdesejavam a República.MODERADOSOU“CHIMANGOS”-Desejavam manter aestrutura agrária(exportadora eescravocrata).-Não visavam a mudançasradicais na Constituição.- Elites agrárias do Sul e doNordeste.
  29. 29. Referências: ABUD, K. M.; SILVA, A. C. M.; ALVES, R. C. Ensino deHistória. São Paulo: Cengage Learning, 2010 (Coleção Ideiasem ação). Projeto Teláris, Editora Abril 8º ano. Projeto Araribá, Editora Moderna 8º ano. JORGE, Fernando. Os 150 anos da nossa independência. Riode Janeiro: Mundo Musical, 1972. OYA, Salvador de. Descendentes de participantes daIndependencia do Brasil. Sao Paulo, 1972. ALGRANTI, Leila Mezan. D. João VI: os bastidores daindependencia. São Paulo: Ática, 1987. 78p. ECKHARDT, Ernesto von. Heroína do novo mundo: DonaLeolpodina e a independência do Brasil.

×