SlideShare uma empresa Scribd logo
O Modelo de Auto-avaliação das
Bibliotecas Escolares: Metodologias
        de Operacionalização
              (parte I)
              (   t

       P L A N O D E AVA L I A Ç Ã O




                                 A N A M A R I A S I LVA

                                  NOVEMBRO 2009
      AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE BRITEIROS
Identificação do p
                 ç      problema: os factos

   Dificuldades sentidas pelos alunos na pesquisa avaliação e tratamento da informação:

  Devida à falta de orientações dadas pelos professores:
o        a falta de fornecimento aos alunos de listas temáticas de materiais a consultar (livros,
  enciclopédias, filmes,
  enciclopédias filmes endereços da internet ) decorrente muitas vezes do desconhecimento
                                      internet…),
  que os professores têm dos recursos existentes na biblioteca com alguma antecipação;
o        a maioria dos professores não consulta regularmente ou até não sabe da existência do
  catálogo informatizado PACWIN, que está instalado em todos os computadores da Biblioteca,
  apesar da informação ter sido transmitida várias vezes em reuniões de departamento e estar
  afixada em lugares visíveis…
o        fraca utilização dos recursos disponíveis por parte dos mesmos e quase inexistente
  promoção de tais recursos nas salas de aula.

   Dificuldades na pesquisa bibliográfica, selecção da informação e na avaliação de páginas da
   internet (desnorte total dos alunos quando têm um trabalho para fazer, e quase só sabem o
   tema que lhes foi proposto, caindo invariavelmente no “copiar e colar”( porque não sabem ou
   não querem fazer de outra maneira e porque, sejamos sinceros, poucos “trabalhos” são
   recusados pelos professores)
                     professores).

   Incapacidade muito generalizada de transformar informação em conhecimento.

   Falta de conhecimento das normas de elaboração de trabalhos
                                                     trabalhos.
                                                                                Ana Silva turma DREN 8
Identificação do Objecto a Avaliar
            ç        j

                     • A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular
Domínio/Subdomínio   • A.2 Promoção das Literacias da
                       Informação, Tecnológica e Digital




                     • Organização de actividades de formação de
  Indicador A.2.1      utilizadores na escola/agrupamento
                     • Indicador de processo


                     • Impacto da BE nas competências
                       tecnológicas, digitais e de informação dos
                       t    ló i     di it i d i f         ã d
  Indicador A.2.4      alunos na escola/agrupamento
                     • Indicador de impacto

                                                              Ana Silva turma DREN 8
Domínio A2 2.1 Organização de actividades de formação de
                                   utilizadores na escola/agrupamento
   Factores Críticos de                               Acções                              Evidências          Instrumentos
       Sucesso                                                                                                  de recolha
★ O plano de trabalho da BE        ★ Encontros individuais com os Coordenadores        ★ Plano Anual de       ★ Registo de
inclui actividades de formação     de Departamento, representantes de                  Actividades da BE      contactos com os
de utilizadores com turmas/        professores de Estudo Acompanhado e Área de         ★ Relatórios de        professores
/grupos/ alunos e com docentes     Projecto, Coordenadores dos Projectos do            actividades de final   ★ Registos de
no sentido de promover o valor     Agrupamento e do Plano Tecnológico,                 de Período             avaliação das
da BE, motivar para a sua
    BE                             destinados à sua formação como utilizadores e à     ★ Guião de             visitas/ sessões
utilização, esclarecer sobre as    preparação de trabalho colaborativo,                Utilizadores           de formação
formas como está organizada e      nomeadamente quanto à auscultação dos temas         ★ Guião de Estudo      ★ Registos
ensinar a utilizar os diferentes   a tratar ao longo do ano e constituição de listas   e de Pesquisa          fotográficos
serviços.                          temáticas de materiais.                             ★ Catálogo             ★ Registos do
                                   ★ Apresentação de um modelo de pesquisa             informatizado          grau de
★ Alunos e docentes                orientada bem como de normas para a                 ★ Banco de             satisfação/
desenvolvem competências           elaboração de trabalhos a utilizar desde o 4º ano   recursos               opinião relativos
para o uso da BE revelando um      até ao 9º ano.                                      ★ Textos de            às várias
maior nível de autonomia na        ★ Proposta de modelo de ficha de orientação de      divulgação de          iniciativas
sua utilização após as sessões     trabalhos a preencher nas aulas.                    recursos e             ★ Registos da
de formação de utilizadores.       ★ Visitas guiadas à biblioteca para todas as        iniciativas            frequência de
                                   turmas: familiarização com o espaço,                ★ Registos de          actividades com
★ A BE produz materiais            equipamentos e procedimentos habituais de           marcação das           recurso à BE no
informativos e/ou lúdicos de       utilização da BE/CRE
                                                 BE/CRE.                               visitas/ sessões de    campo da literacia
apoio à formação dos               ★ Contacto com o guia do utilizador (áreas de       formação e             da informação
utilizadores.                      utilização, estantes, CDU, consulta o catálogo      respectivas
                                   informatizado, análise das mais relevantes do       planificações
                                   regimento interno …                                 ★ Materiais de
                                                                                       trabalho produzidos
                                                                                                         Ana Silva turma DREN 8
Domínio A 2 2.1 Organização de actividades de formação de
                    utilizadores na escola/agrupamento (continuação)

Factores Críticos                Acções                    Evidências       Instrumentos de
  de Sucesso                                                                     recolha


                    ★ Disponibilização do manual de                     ★ Inquéritos
                    utilizadores e banco de recursos (em                ★ Grelhas de observação
                    versão impressa, na página da BE na                 ★ Estatísticas do uso dos
                    internet e no Moodle, bem como em                   recursos (computadores ,
                    pastas no ambiente de trabalho de                   base de dados, página da BE
                    todos os computadores da BE).                       na internet, pastas de
                    ★ Visitas programadas à biblioteca                  recursos nos
                    dos alunos de todos os anos de                      computadores…)
                    escolaridade para jogos de pesquisa                 ★ Análise do uso dos
                    e de orientação: localização de                     recursos da BE
                    documentos, em resposta a um tema
                    proposto,
                    proposto consolidação de
                    conhecimentos quanto ao sistema de
                    classificação, interpretação da
                    sinalética e cotas, pesquisa na base
                    de dados da BE ou em bases
                    bibliográficas online, avaliação da
                    informação online, exploração dos
                    guiões de apoio aos alunos nas
                    áreas da pesquisa e elaboração de
                    trabalhos.

                                                                            Ana Silva turma DREN 8
A 2 2.4 Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de
                       informação d alunos na escola/ agrupamento
                       i f     ã dos l            l /          t
  Factores Críticos de                    Acções                      Evidências                  Instrumentos de
       Sucesso                                                                                         recolha


★ Os alunos utilizam, de          Utilização pelos alunos e    ★ Observação do nível de       ★ Estatísticas de frequência
acordo com o seu ano/ciclo       professores:                  autonomia dos alunos na        e utilização dos alunos para
de escolaridade, linguagens,     ★ do catálogo informatizado   utilização dos diferentes      pesquisa e elaboração de
suportes,
suportes modalidades de          ★ do modelo de pesquisa       recursos                       trabalhos
recepção e de produção de        orientada adoptado pela       ★ Observação da qualidade      ★ Inquéritos a alunos e
informação e formas de           escola                        dos trabalhos dos alunos em    professores
comunicação variados, entre      ★ de normas para a            vários suportes                ★ Grelhas de Observação de
os quais se destaca o uso de     elaboração de trabalhos       ★ Dados da utilização do       competências
ferramentas e media di it i
f        t        di digitais.   ★ d guias d pesquisa e
                                    dos i de            i      catálogo i f
                                                                  tál    informatizado
                                                                                 ti d         ★ G lh d análises d
                                                                                                 Grelhas de áli       de
★ Os alunos incorporam no        elaboração de trabalhos       ★ Dados de utilização dos      trabalhos
seu trabalho, de acordo com      ★ da internet, com recurso    computadores                   ★ Registos de observação
o ano/ciclo de escolaridade      às pastas de endereços        ★ Questionários                dos alunos em trabalho na
q
que frequentam, as diferentes
       q        ,                seleccionados (na página da
                                                 ( p g         ★ Observação de alunos em
                                                                            ç                 BE
fases do processo de             BE, nos computadores da       trabalho na BE ( com enfoque   ★ Entrevistas.
pesquisa e tratamento de         BE, na disciplina da BE no    para a autonomia da            ★ Registos da apreciação
informação: identificam fontes   Moodle …                      pesquisa, e versatilidade no   dos professores quanto à
de informação e seleccionam                                    uso das competências           alteração da qualidade dos
informação,
informação recorrendo quer                                     digitais)                      trabalhos dos alunos
a obras de referência e                                        ★ Trabalhos realizados pelos
materiais impressos, quer a                                    alunos
motores de pesquisa,


                                                                                                    Ana Silva turma DREN 8
A 2 2.4 Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de
                informação dos alunos na escola/ agrupamento (continuação)
  Factores Críticos de              Acções          Evidências              Instrumentos de
       Sucesso                                                                   recolha
directórios, bibliotecas digitais            ★ Actas e registos de
ou outras fontes de                          reuniões
informação electrónicas,                     ★ Documentos e recursos de
organizam, sintetizam e                      apoio produzidos pela BE:
comunicam
com nicam a informação                       guiões, g ias informati os
                                             g iões guias informativos,
tratada e avaliam os                         cursos de formação, página
resultados do trabalho                       da BE na internet e outros
realizado.                                   recursos digitais utilizados
★ Os alunos demonstram, de                   pela BE,
acordo com o seu ano/ciclo                   ★ Registos fotográficos ou
de escolaridade,                             vídeo
compreensão sobre os
problemas éticos, legais e de
responsabilidade social
associados ao acesso,
avaliação e uso da
informação e das novas
tecnologias.
★ Os alunos revelam em
cada ano e ao longo de cada
ciclo de escolaridade,
progressos no uso de
competências tecnológicas,
digitais e de informação nas
diferentes disciplinas e áreas                                              Ana Silva turma DREN 8
curriculares.
As amostras

A amostra deve abranger a diversidade de alunos da/s escola/s: os
vários anos e/ou ciclos de escolaridade, as várias origens/
/nacionalidades; rapazes e raparigas; alunos com necessidades
educativas, entre outros.
  d    ti       t    t
 A amostra deve abranger a diversidade de docentes da/s escola/s,
aplicando os q
  p           questionários aos diferentes departamentos, nos
                                             p            ,
domínios em que se justifica, a docentes mais antigos na escola e a
docentes recém-chegados, outros. (Modelo de auto-avaliação).
Os questionários serão respondidos por cerca de 20% do total dos
professores e 10% do número de alunos, em cada nível de ensino.
A recolha de dados deverá ser feita em diferentes momentos do ano
lectivo, para se poder determinar possíveis progressos.


                                                         Ana Silva turma DREN 8
Calendarização do processo
                        ç      p

           • Avaliação diagnóstica e
             selecção do domínio a avaliar
           • Aprovação do domínio a                          • Aplicação dos instrumentos de
             avaliar em Conselho                               recolha de evidências
Outubro      Pedagógico                      Ao longo do
                                                 ano


           • Elaboração do Plano de                            • Tratamento e análise dos dados
             Avaliação e sua divulgação no                       e d fi i ã d perfil d BE
                                                                   definição do   fil da
             Conselho Pedagógico                               • Situar a BE num dos níveis de
Novembro                                                         desempenho
                                                               • Elaboração do relatório de auto-
                                                                 avaliação da BE e sua
                                                                       ç
                                                                 presentação ao Conselho
                                              Final do ano       Pedagógico
           • Escolha e elaboração dos                          • Divulgação dos resultados à
             instrumentos de recolha de                          comunidade escolar
             evidências
Dezembro
     b


                                                                                  Ana Silva turma DREN 8
Plano de avaliação da biblioteca escolar
               ç


                               Informação
                               I f       ã
Plano de        Relatório de
                   auto-
                                 os órgãos
                               pedagógicos
avaliação        avaliação
                                e de gestão




                                                   Novo
                Verificação    Inclusão na
 Recolha de
 evidências e
                 do nível de      auto-           plano de
                desempenho     avaliação da
 sua análise
                  atingido       Escola.         acção e de
                                                   ç
                                                 avaliação

                                              Ana Silva turma DREN 8
Intervenientes




      Professora
Bibliotecária e equipa   Conselho Pedagógico       Órgãos executivos    Professores e alunos    Comunidade escolar
        da BE
• Responsáveis pela      • Decisão do domínio     • Implementação e    • Colaboradores na
  implementação e          a avaliar, aprovação     acompanhamento       recolha das           • Colaboradores na
  execução do              do relatório final e     do processo          diferentes              recolha das
  processo                 do novo plano de                              evidências              diferentes
                           acção a implementar                         • Receptores e            evidências
                                                                         apreciadores dos
                                                                               i d    d        • Receptores e
                                                                         resultados              apreciadores dos
                                                                                                 resultados




                                                                                               Ana Silva turma DREN 8
Potencialidades e constrangimentos
                                g

Constrangimentos:

Insuficiente informação/formação e motivação do corpo docente e até da equipa responsável
As condições específicas de trabalho em cada biblioteca e as desigualdades quanto à
responsabilidade e volume de trabalho (consoante se trata de uma biblioteca ou várias distantes
entre si, com vários níveis de ensino, como é o caso dos agrupamentos, por exemplo)
A falta de tempo para recolher todo o tipo de evidências credíveis e tratar os dados recolhidos
A possibilidade de a preocupação com a avaliação se sobrepor às práticas a avaliar
A falta de instrumentos de recolha de dados fiáveis, práticos e adaptados a cada contexto.
A dificuldade em registar e interpretar grelhas de observação
A falta de formação na análise crítica dos resultados
A complexidade do modelo (importado como já nos temos vindo a habituar) como
                             (importado,
constrangimento principal
Potencialidades:

A obtenção de dados mais concretos relativos aos recursos financeiros, humanos, formação …
   bt ã d d d            i       t   l ti                 fi     i     h        f     ã
A possibilidade de traçar um rumo mais compatível com as necessidades de toda a escola e assim
contribuir para o sucesso de todos.

                                                                                Ana Silva turma DREN 8
Leituras

Texto da sessão em http://forumbibliotecas rbe min
                      http://forumbibliotecas.rbe.min-
edu.pt/mod/resource/view.php?id=10181
Basic guide to program evaluation, em
http://www.managementhelp.org/evaluatn/fnl_eval.htm#anchor1585345
http://www managementhelp org/evaluatn/fnl eval htm#anchor1585345
Novo modelo de auto-avaliação da bibliotecas escolar em
http://forumbibliotecas.rbe.min-edu.pt/mod/resource/view.php?id=10019




                                                                  Ana Silva DREN 8

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação presencial
Apresentação   presencialApresentação   presencial
Apresentação presencialanamariadis
 
Relatorio atividade gp_para marilene - 2013
Relatorio atividade gp_para marilene - 2013Relatorio atividade gp_para marilene - 2013
Relatorio atividade gp_para marilene - 2013lenepop
 
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEMDEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEMRenata Vasconcellos
 
Tecnologias digitais como suporte à aprendizagem de estudantes do Ensino Supe...
Tecnologias digitais como suporte à aprendizagem de estudantes do Ensino Supe...Tecnologias digitais como suporte à aprendizagem de estudantes do Ensino Supe...
Tecnologias digitais como suporte à aprendizagem de estudantes do Ensino Supe...Marta Pinto
 
Proinfo integrado aqz
Proinfo integrado aqzProinfo integrado aqz
Proinfo integrado aqzEvenio Matos
 
ProInfo Integrado
ProInfo IntegradoProInfo Integrado
ProInfo Integradodonicleo
 
Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não...
Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não...Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não...
Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não...Marta Pinto
 
Plano de aula informática avançada marta magda
Plano de aula informática avançada marta magdaPlano de aula informática avançada marta magda
Plano de aula informática avançada marta magdaDiana Rocha
 
Telecentro: Ponto de Cultura de Ouro - ASGRUFOCITA
Telecentro: Ponto de Cultura de Ouro - ASGRUFOCITATelecentro: Ponto de Cultura de Ouro - ASGRUFOCITA
Telecentro: Ponto de Cultura de Ouro - ASGRUFOCITALABICEDCOM
 
Apresentacao Tic Agrupamento Versao Final
Apresentacao Tic Agrupamento Versao FinalApresentacao Tic Agrupamento Versao Final
Apresentacao Tic Agrupamento Versao FinalFernando Rui Campos
 
Inquietações sobre o Design Instrucional
Inquietações sobre o Design InstrucionalInquietações sobre o Design Instrucional
Inquietações sobre o Design InstrucionalMiguel Siano da Cunha
 
Tabela Subdominio D3 Luisa Lamas
Tabela Subdominio D3 Luisa LamasTabela Subdominio D3 Luisa Lamas
Tabela Subdominio D3 Luisa LamasLuisa Lamas
 

Mais procurados (20)

Planifi
PlanifiPlanifi
Planifi
 
Monografia Fatima
Monografia FatimaMonografia Fatima
Monografia Fatima
 
Apresentação presencial
Apresentação   presencialApresentação   presencial
Apresentação presencial
 
Relatorio atividade gp_para marilene - 2013
Relatorio atividade gp_para marilene - 2013Relatorio atividade gp_para marilene - 2013
Relatorio atividade gp_para marilene - 2013
 
Trabalho 4
Trabalho 4Trabalho 4
Trabalho 4
 
Tabela
TabelaTabela
Tabela
 
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEMDEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
 
Tecnologias digitais como suporte à aprendizagem de estudantes do Ensino Supe...
Tecnologias digitais como suporte à aprendizagem de estudantes do Ensino Supe...Tecnologias digitais como suporte à aprendizagem de estudantes do Ensino Supe...
Tecnologias digitais como suporte à aprendizagem de estudantes do Ensino Supe...
 
Tarefa6
Tarefa6Tarefa6
Tarefa6
 
Proinfo integrado aqz
Proinfo integrado aqzProinfo integrado aqz
Proinfo integrado aqz
 
Proposta Pedagógica do NTM
Proposta Pedagógica do NTMProposta Pedagógica do NTM
Proposta Pedagógica do NTM
 
ProInfo Integrado
ProInfo IntegradoProInfo Integrado
ProInfo Integrado
 
Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não...
Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não...Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não...
Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não...
 
Plano avaliação
Plano avaliaçãoPlano avaliação
Plano avaliação
 
Plano de aula informática avançada marta magda
Plano de aula informática avançada marta magdaPlano de aula informática avançada marta magda
Plano de aula informática avançada marta magda
 
Telecentro: Ponto de Cultura de Ouro - ASGRUFOCITA
Telecentro: Ponto de Cultura de Ouro - ASGRUFOCITATelecentro: Ponto de Cultura de Ouro - ASGRUFOCITA
Telecentro: Ponto de Cultura de Ouro - ASGRUFOCITA
 
Apresentacao Tic Agrupamento Versao Final
Apresentacao Tic Agrupamento Versao FinalApresentacao Tic Agrupamento Versao Final
Apresentacao Tic Agrupamento Versao Final
 
Inquietações sobre o Design Instrucional
Inquietações sobre o Design InstrucionalInquietações sobre o Design Instrucional
Inquietações sobre o Design Instrucional
 
4 SessãO
4 SessãO4 SessãO
4 SessãO
 
Tabela Subdominio D3 Luisa Lamas
Tabela Subdominio D3 Luisa LamasTabela Subdominio D3 Luisa Lamas
Tabela Subdominio D3 Luisa Lamas
 

Semelhante a 4º Trabalho Ana Silva

Resposta plano avaliacao
Resposta plano avaliacaoResposta plano avaliacao
Resposta plano avaliacaoesperancasantos
 
Resposta plano avaliacao_reformulação_p enviar
Resposta plano avaliacao_reformulação_p enviarResposta plano avaliacao_reformulação_p enviar
Resposta plano avaliacao_reformulação_p enviaresperancasantos
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOBE/CRE
 
SessãO5
SessãO5SessãO5
SessãO5BE/CRE
 
Plano Avaliacao Be Alcanede
Plano Avaliacao Be AlcanedePlano Avaliacao Be Alcanede
Plano Avaliacao Be Alcanedeelizabetejesus
 
2ª Sessão - Workshop formativo de apresentação do Modelo de Auto-Avaliação di...
2ª Sessão - Workshop formativo de apresentação do Modelo de Auto-Avaliação di...2ª Sessão - Workshop formativo de apresentação do Modelo de Auto-Avaliação di...
2ª Sessão - Workshop formativo de apresentação do Modelo de Auto-Avaliação di...guest36ad53
 
O Modelo de Auto-AvaliaçãO (operacionalização - I)
O Modelo de Auto-AvaliaçãO (operacionalização - I)O Modelo de Auto-AvaliaçãO (operacionalização - I)
O Modelo de Auto-AvaliaçãO (operacionalização - I)guest1d174ffe
 
SubdomíNio A2 A23 A24
SubdomíNio A2 A23 A24SubdomíNio A2 A23 A24
SubdomíNio A2 A23 A24Isabel Martins
 
QP3 Gestão da BE/CRE
QP3 Gestão da BE/CREQP3 Gestão da BE/CRE
QP3 Gestão da BE/CRELuisa Lamas
 
Plano Avaliacao A22 A25
Plano Avaliacao A22 A25Plano Avaliacao A22 A25
Plano Avaliacao A22 A25Ana Violante
 
Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009
Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009
Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009claudinapires
 
Modelo de Auto-Avaliação da BE: Metodologias de operacionalização (parte I)
Modelo de Auto-Avaliação da BE: Metodologias de operacionalização (parte I)Modelo de Auto-Avaliação da BE: Metodologias de operacionalização (parte I)
Modelo de Auto-Avaliação da BE: Metodologias de operacionalização (parte I)mariaemilianovais
 
Intro E Guia Sessao6 Nov2009
Intro E Guia Sessao6 Nov2009Intro E Guia Sessao6 Nov2009
Intro E Guia Sessao6 Nov2009BE/CRE
 
Enunciados Gerais Enunciados EspecíFicos
Enunciados Gerais   Enunciados EspecíFicosEnunciados Gerais   Enunciados EspecíFicos
Enunciados Gerais Enunciados EspecíFicosdinadourado
 
Plano de Acção 2009-2013
Plano de Acção 2009-2013Plano de Acção 2009-2013
Plano de Acção 2009-2013antoniogranjo
 
Tabela SessãO 6 Raquel
Tabela SessãO 6 RaquelTabela SessãO 6 Raquel
Tabela SessãO 6 Raquelrapscasg
 

Semelhante a 4º Trabalho Ana Silva (20)

Resposta plano avaliacao
Resposta plano avaliacaoResposta plano avaliacao
Resposta plano avaliacao
 
Resposta plano avaliacao_reformulação_p enviar
Resposta plano avaliacao_reformulação_p enviarResposta plano avaliacao_reformulação_p enviar
Resposta plano avaliacao_reformulação_p enviar
 
Plano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãOPlano De AvaliaçãO
Plano De AvaliaçãO
 
SessãO5
SessãO5SessãO5
SessãO5
 
Tabela D.2.
Tabela D.2.Tabela D.2.
Tabela D.2.
 
Plano Avaliacao Be Alcanede
Plano Avaliacao Be AlcanedePlano Avaliacao Be Alcanede
Plano Avaliacao Be Alcanede
 
2ª Sessão - Workshop formativo de apresentação do Modelo de Auto-Avaliação di...
2ª Sessão - Workshop formativo de apresentação do Modelo de Auto-Avaliação di...2ª Sessão - Workshop formativo de apresentação do Modelo de Auto-Avaliação di...
2ª Sessão - Workshop formativo de apresentação do Modelo de Auto-Avaliação di...
 
O Modelo de Auto-AvaliaçãO (operacionalização - I)
O Modelo de Auto-AvaliaçãO (operacionalização - I)O Modelo de Auto-AvaliaçãO (operacionalização - I)
O Modelo de Auto-AvaliaçãO (operacionalização - I)
 
SubdomíNio A2 A23 A24
SubdomíNio A2 A23 A24SubdomíNio A2 A23 A24
SubdomíNio A2 A23 A24
 
QP3 Gestão da BE/CRE
QP3 Gestão da BE/CREQP3 Gestão da BE/CRE
QP3 Gestão da BE/CRE
 
Plano Avaliacao A22 A25
Plano Avaliacao A22 A25Plano Avaliacao A22 A25
Plano Avaliacao A22 A25
 
Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009
Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009
Introdução e Guia da Sessao 6 Nov2009
 
Modelo de Auto-Avaliação da BE: Metodologias de operacionalização (parte I)
Modelo de Auto-Avaliação da BE: Metodologias de operacionalização (parte I)Modelo de Auto-Avaliação da BE: Metodologias de operacionalização (parte I)
Modelo de Auto-Avaliação da BE: Metodologias de operacionalização (parte I)
 
Intro E Guia Sessao6 Nov2009
Intro E Guia Sessao6 Nov2009Intro E Guia Sessao6 Nov2009
Intro E Guia Sessao6 Nov2009
 
Plano de avaliação
Plano de avaliaçãoPlano de avaliação
Plano de avaliação
 
Plano de avaliação
Plano de avaliaçãoPlano de avaliação
Plano de avaliação
 
Enunciados Gerais Enunciados EspecíFicos
Enunciados Gerais   Enunciados EspecíFicosEnunciados Gerais   Enunciados EspecíFicos
Enunciados Gerais Enunciados EspecíFicos
 
Modelo Auto Avaliação BE Esqf
Modelo Auto Avaliação BE   EsqfModelo Auto Avaliação BE   Esqf
Modelo Auto Avaliação BE Esqf
 
Plano de Acção 2009-2013
Plano de Acção 2009-2013Plano de Acção 2009-2013
Plano de Acção 2009-2013
 
Tabela SessãO 6 Raquel
Tabela SessãO 6 RaquelTabela SessãO 6 Raquel
Tabela SessãO 6 Raquel
 

Mais de anabraga

"Brandinhos" em Briteiros
"Brandinhos" em Briteiros"Brandinhos" em Briteiros
"Brandinhos" em Briteirosanabraga
 
Moinhos de souto stª maria
Moinhos de souto stª mariaMoinhos de souto stª maria
Moinhos de souto stª mariaanabraga
 
Moinhos stªa leocádia
Moinhos stªa leocádiaMoinhos stªa leocádia
Moinhos stªa leocádiaanabraga
 
Moinho solar ponte
Moinho solar ponteMoinho solar ponte
Moinho solar ponteanabraga
 
Moinhos s.salvador
Moinhos s.salvadorMoinhos s.salvador
Moinhos s.salvadoranabraga
 
Mês da biblioteca escolar
Mês da biblioteca escolarMês da biblioteca escolar
Mês da biblioteca escolaranabraga
 
Portugal sec xviii
Portugal sec xviiiPortugal sec xviii
Portugal sec xviiianabraga
 
Sessão 7 2ª Parte
Sessão 7 2ª ParteSessão 7 2ª Parte
Sessão 7 2ª Parteanabraga
 
Sessão 7 1ª parte
Sessão 7 1ª parteSessão 7 1ª parte
Sessão 7 1ª parteanabraga
 
6ª Tarefa,2ª Parte
6ª Tarefa,2ª Parte6ª Tarefa,2ª Parte
6ª Tarefa,2ª Parteanabraga
 
6ª Sessão
6ª Sessão6ª Sessão
6ª Sessãoanabraga
 
D1 Ana Silva
D1 Ana SilvaD1 Ana Silva
D1 Ana Silvaanabraga
 
Acções Futuras D1 Ana Silva
Acções Futuras D1 Ana SilvaAcções Futuras D1 Ana Silva
Acções Futuras D1 Ana Silvaanabraga
 
Ana Silva 2ª Tarefa
Ana Silva 2ª TarefaAna Silva 2ª Tarefa
Ana Silva 2ª Tarefaanabraga
 
Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8
Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8
Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8anabraga
 
O Sapo Encontra Um Amigo
O Sapo Encontra Um AmigoO Sapo Encontra Um Amigo
O Sapo Encontra Um Amigoanabraga
 
Dia Mundial da Poesia
Dia Mundial da PoesiaDia Mundial da Poesia
Dia Mundial da Poesiaanabraga
 
Olá! Sou a Cristina
Olá! Sou a CristinaOlá! Sou a Cristina
Olá! Sou a Cristinaanabraga
 
Sou a Carla
Sou a CarlaSou a Carla
Sou a Carlaanabraga
 
Sou a Beatriz
Sou a BeatrizSou a Beatriz
Sou a Beatrizanabraga
 

Mais de anabraga (20)

"Brandinhos" em Briteiros
"Brandinhos" em Briteiros"Brandinhos" em Briteiros
"Brandinhos" em Briteiros
 
Moinhos de souto stª maria
Moinhos de souto stª mariaMoinhos de souto stª maria
Moinhos de souto stª maria
 
Moinhos stªa leocádia
Moinhos stªa leocádiaMoinhos stªa leocádia
Moinhos stªa leocádia
 
Moinho solar ponte
Moinho solar ponteMoinho solar ponte
Moinho solar ponte
 
Moinhos s.salvador
Moinhos s.salvadorMoinhos s.salvador
Moinhos s.salvador
 
Mês da biblioteca escolar
Mês da biblioteca escolarMês da biblioteca escolar
Mês da biblioteca escolar
 
Portugal sec xviii
Portugal sec xviiiPortugal sec xviii
Portugal sec xviii
 
Sessão 7 2ª Parte
Sessão 7 2ª ParteSessão 7 2ª Parte
Sessão 7 2ª Parte
 
Sessão 7 1ª parte
Sessão 7 1ª parteSessão 7 1ª parte
Sessão 7 1ª parte
 
6ª Tarefa,2ª Parte
6ª Tarefa,2ª Parte6ª Tarefa,2ª Parte
6ª Tarefa,2ª Parte
 
6ª Sessão
6ª Sessão6ª Sessão
6ª Sessão
 
D1 Ana Silva
D1 Ana SilvaD1 Ana Silva
D1 Ana Silva
 
Acções Futuras D1 Ana Silva
Acções Futuras D1 Ana SilvaAcções Futuras D1 Ana Silva
Acções Futuras D1 Ana Silva
 
Ana Silva 2ª Tarefa
Ana Silva 2ª TarefaAna Silva 2ª Tarefa
Ana Silva 2ª Tarefa
 
Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8
Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8
Práticas e modelos A.A. das BE - DREN - T8
 
O Sapo Encontra Um Amigo
O Sapo Encontra Um AmigoO Sapo Encontra Um Amigo
O Sapo Encontra Um Amigo
 
Dia Mundial da Poesia
Dia Mundial da PoesiaDia Mundial da Poesia
Dia Mundial da Poesia
 
Olá! Sou a Cristina
Olá! Sou a CristinaOlá! Sou a Cristina
Olá! Sou a Cristina
 
Sou a Carla
Sou a CarlaSou a Carla
Sou a Carla
 
Sou a Beatriz
Sou a BeatrizSou a Beatriz
Sou a Beatriz
 

Último

O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergBrenda Fritz
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfemeio123
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdfedjailmax
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 

Último (20)

O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 

4º Trabalho Ana Silva

  • 1. O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização (parte I) ( t P L A N O D E AVA L I A Ç Ã O A N A M A R I A S I LVA NOVEMBRO 2009 AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE BRITEIROS
  • 2. Identificação do p ç problema: os factos Dificuldades sentidas pelos alunos na pesquisa avaliação e tratamento da informação: Devida à falta de orientações dadas pelos professores: o a falta de fornecimento aos alunos de listas temáticas de materiais a consultar (livros, enciclopédias, filmes, enciclopédias filmes endereços da internet ) decorrente muitas vezes do desconhecimento internet…), que os professores têm dos recursos existentes na biblioteca com alguma antecipação; o a maioria dos professores não consulta regularmente ou até não sabe da existência do catálogo informatizado PACWIN, que está instalado em todos os computadores da Biblioteca, apesar da informação ter sido transmitida várias vezes em reuniões de departamento e estar afixada em lugares visíveis… o fraca utilização dos recursos disponíveis por parte dos mesmos e quase inexistente promoção de tais recursos nas salas de aula. Dificuldades na pesquisa bibliográfica, selecção da informação e na avaliação de páginas da internet (desnorte total dos alunos quando têm um trabalho para fazer, e quase só sabem o tema que lhes foi proposto, caindo invariavelmente no “copiar e colar”( porque não sabem ou não querem fazer de outra maneira e porque, sejamos sinceros, poucos “trabalhos” são recusados pelos professores) professores). Incapacidade muito generalizada de transformar informação em conhecimento. Falta de conhecimento das normas de elaboração de trabalhos trabalhos. Ana Silva turma DREN 8
  • 3. Identificação do Objecto a Avaliar ç j • A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular Domínio/Subdomínio • A.2 Promoção das Literacias da Informação, Tecnológica e Digital • Organização de actividades de formação de Indicador A.2.1 utilizadores na escola/agrupamento • Indicador de processo • Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação dos t ló i di it i d i f ã d Indicador A.2.4 alunos na escola/agrupamento • Indicador de impacto Ana Silva turma DREN 8
  • 4. Domínio A2 2.1 Organização de actividades de formação de utilizadores na escola/agrupamento Factores Críticos de Acções Evidências Instrumentos Sucesso de recolha ★ O plano de trabalho da BE ★ Encontros individuais com os Coordenadores ★ Plano Anual de ★ Registo de inclui actividades de formação de Departamento, representantes de Actividades da BE contactos com os de utilizadores com turmas/ professores de Estudo Acompanhado e Área de ★ Relatórios de professores /grupos/ alunos e com docentes Projecto, Coordenadores dos Projectos do actividades de final ★ Registos de no sentido de promover o valor Agrupamento e do Plano Tecnológico, de Período avaliação das da BE, motivar para a sua BE destinados à sua formação como utilizadores e à ★ Guião de visitas/ sessões utilização, esclarecer sobre as preparação de trabalho colaborativo, Utilizadores de formação formas como está organizada e nomeadamente quanto à auscultação dos temas ★ Guião de Estudo ★ Registos ensinar a utilizar os diferentes a tratar ao longo do ano e constituição de listas e de Pesquisa fotográficos serviços. temáticas de materiais. ★ Catálogo ★ Registos do ★ Apresentação de um modelo de pesquisa informatizado grau de ★ Alunos e docentes orientada bem como de normas para a ★ Banco de satisfação/ desenvolvem competências elaboração de trabalhos a utilizar desde o 4º ano recursos opinião relativos para o uso da BE revelando um até ao 9º ano. ★ Textos de às várias maior nível de autonomia na ★ Proposta de modelo de ficha de orientação de divulgação de iniciativas sua utilização após as sessões trabalhos a preencher nas aulas. recursos e ★ Registos da de formação de utilizadores. ★ Visitas guiadas à biblioteca para todas as iniciativas frequência de turmas: familiarização com o espaço, ★ Registos de actividades com ★ A BE produz materiais equipamentos e procedimentos habituais de marcação das recurso à BE no informativos e/ou lúdicos de utilização da BE/CRE BE/CRE. visitas/ sessões de campo da literacia apoio à formação dos ★ Contacto com o guia do utilizador (áreas de formação e da informação utilizadores. utilização, estantes, CDU, consulta o catálogo respectivas informatizado, análise das mais relevantes do planificações regimento interno … ★ Materiais de trabalho produzidos Ana Silva turma DREN 8
  • 5. Domínio A 2 2.1 Organização de actividades de formação de utilizadores na escola/agrupamento (continuação) Factores Críticos Acções Evidências Instrumentos de de Sucesso recolha ★ Disponibilização do manual de ★ Inquéritos utilizadores e banco de recursos (em ★ Grelhas de observação versão impressa, na página da BE na ★ Estatísticas do uso dos internet e no Moodle, bem como em recursos (computadores , pastas no ambiente de trabalho de base de dados, página da BE todos os computadores da BE). na internet, pastas de ★ Visitas programadas à biblioteca recursos nos dos alunos de todos os anos de computadores…) escolaridade para jogos de pesquisa ★ Análise do uso dos e de orientação: localização de recursos da BE documentos, em resposta a um tema proposto, proposto consolidação de conhecimentos quanto ao sistema de classificação, interpretação da sinalética e cotas, pesquisa na base de dados da BE ou em bases bibliográficas online, avaliação da informação online, exploração dos guiões de apoio aos alunos nas áreas da pesquisa e elaboração de trabalhos. Ana Silva turma DREN 8
  • 6. A 2 2.4 Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação d alunos na escola/ agrupamento i f ã dos l l / t Factores Críticos de Acções Evidências Instrumentos de Sucesso recolha ★ Os alunos utilizam, de Utilização pelos alunos e ★ Observação do nível de ★ Estatísticas de frequência acordo com o seu ano/ciclo professores: autonomia dos alunos na e utilização dos alunos para de escolaridade, linguagens, ★ do catálogo informatizado utilização dos diferentes pesquisa e elaboração de suportes, suportes modalidades de ★ do modelo de pesquisa recursos trabalhos recepção e de produção de orientada adoptado pela ★ Observação da qualidade ★ Inquéritos a alunos e informação e formas de escola dos trabalhos dos alunos em professores comunicação variados, entre ★ de normas para a vários suportes ★ Grelhas de Observação de os quais se destaca o uso de elaboração de trabalhos ★ Dados da utilização do competências ferramentas e media di it i f t di digitais. ★ d guias d pesquisa e dos i de i catálogo i f tál informatizado ti d ★ G lh d análises d Grelhas de áli de ★ Os alunos incorporam no elaboração de trabalhos ★ Dados de utilização dos trabalhos seu trabalho, de acordo com ★ da internet, com recurso computadores ★ Registos de observação o ano/ciclo de escolaridade às pastas de endereços ★ Questionários dos alunos em trabalho na q que frequentam, as diferentes q , seleccionados (na página da ( p g ★ Observação de alunos em ç BE fases do processo de BE, nos computadores da trabalho na BE ( com enfoque ★ Entrevistas. pesquisa e tratamento de BE, na disciplina da BE no para a autonomia da ★ Registos da apreciação informação: identificam fontes Moodle … pesquisa, e versatilidade no dos professores quanto à de informação e seleccionam uso das competências alteração da qualidade dos informação, informação recorrendo quer digitais) trabalhos dos alunos a obras de referência e ★ Trabalhos realizados pelos materiais impressos, quer a alunos motores de pesquisa, Ana Silva turma DREN 8
  • 7. A 2 2.4 Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação dos alunos na escola/ agrupamento (continuação) Factores Críticos de Acções Evidências Instrumentos de Sucesso recolha directórios, bibliotecas digitais ★ Actas e registos de ou outras fontes de reuniões informação electrónicas, ★ Documentos e recursos de organizam, sintetizam e apoio produzidos pela BE: comunicam com nicam a informação guiões, g ias informati os g iões guias informativos, tratada e avaliam os cursos de formação, página resultados do trabalho da BE na internet e outros realizado. recursos digitais utilizados ★ Os alunos demonstram, de pela BE, acordo com o seu ano/ciclo ★ Registos fotográficos ou de escolaridade, vídeo compreensão sobre os problemas éticos, legais e de responsabilidade social associados ao acesso, avaliação e uso da informação e das novas tecnologias. ★ Os alunos revelam em cada ano e ao longo de cada ciclo de escolaridade, progressos no uso de competências tecnológicas, digitais e de informação nas diferentes disciplinas e áreas Ana Silva turma DREN 8 curriculares.
  • 8. As amostras A amostra deve abranger a diversidade de alunos da/s escola/s: os vários anos e/ou ciclos de escolaridade, as várias origens/ /nacionalidades; rapazes e raparigas; alunos com necessidades educativas, entre outros. d ti t t A amostra deve abranger a diversidade de docentes da/s escola/s, aplicando os q p questionários aos diferentes departamentos, nos p , domínios em que se justifica, a docentes mais antigos na escola e a docentes recém-chegados, outros. (Modelo de auto-avaliação). Os questionários serão respondidos por cerca de 20% do total dos professores e 10% do número de alunos, em cada nível de ensino. A recolha de dados deverá ser feita em diferentes momentos do ano lectivo, para se poder determinar possíveis progressos. Ana Silva turma DREN 8
  • 9. Calendarização do processo ç p • Avaliação diagnóstica e selecção do domínio a avaliar • Aprovação do domínio a • Aplicação dos instrumentos de avaliar em Conselho recolha de evidências Outubro Pedagógico Ao longo do ano • Elaboração do Plano de • Tratamento e análise dos dados Avaliação e sua divulgação no e d fi i ã d perfil d BE definição do fil da Conselho Pedagógico • Situar a BE num dos níveis de Novembro desempenho • Elaboração do relatório de auto- avaliação da BE e sua ç presentação ao Conselho Final do ano Pedagógico • Escolha e elaboração dos • Divulgação dos resultados à instrumentos de recolha de comunidade escolar evidências Dezembro b Ana Silva turma DREN 8
  • 10. Plano de avaliação da biblioteca escolar ç Informação I f ã Plano de Relatório de auto- os órgãos pedagógicos avaliação avaliação e de gestão Novo Verificação Inclusão na Recolha de evidências e do nível de auto- plano de desempenho avaliação da sua análise atingido Escola. acção e de ç avaliação Ana Silva turma DREN 8
  • 11. Intervenientes Professora Bibliotecária e equipa Conselho Pedagógico Órgãos executivos Professores e alunos Comunidade escolar da BE • Responsáveis pela • Decisão do domínio • Implementação e • Colaboradores na implementação e a avaliar, aprovação acompanhamento recolha das • Colaboradores na execução do do relatório final e do processo diferentes recolha das processo do novo plano de evidências diferentes acção a implementar • Receptores e evidências apreciadores dos i d d • Receptores e resultados apreciadores dos resultados Ana Silva turma DREN 8
  • 12. Potencialidades e constrangimentos g Constrangimentos: Insuficiente informação/formação e motivação do corpo docente e até da equipa responsável As condições específicas de trabalho em cada biblioteca e as desigualdades quanto à responsabilidade e volume de trabalho (consoante se trata de uma biblioteca ou várias distantes entre si, com vários níveis de ensino, como é o caso dos agrupamentos, por exemplo) A falta de tempo para recolher todo o tipo de evidências credíveis e tratar os dados recolhidos A possibilidade de a preocupação com a avaliação se sobrepor às práticas a avaliar A falta de instrumentos de recolha de dados fiáveis, práticos e adaptados a cada contexto. A dificuldade em registar e interpretar grelhas de observação A falta de formação na análise crítica dos resultados A complexidade do modelo (importado como já nos temos vindo a habituar) como (importado, constrangimento principal Potencialidades: A obtenção de dados mais concretos relativos aos recursos financeiros, humanos, formação … bt ã d d d i t l ti fi i h f ã A possibilidade de traçar um rumo mais compatível com as necessidades de toda a escola e assim contribuir para o sucesso de todos. Ana Silva turma DREN 8
  • 13. Leituras Texto da sessão em http://forumbibliotecas rbe min http://forumbibliotecas.rbe.min- edu.pt/mod/resource/view.php?id=10181 Basic guide to program evaluation, em http://www.managementhelp.org/evaluatn/fnl_eval.htm#anchor1585345 http://www managementhelp org/evaluatn/fnl eval htm#anchor1585345 Novo modelo de auto-avaliação da bibliotecas escolar em http://forumbibliotecas.rbe.min-edu.pt/mod/resource/view.php?id=10019 Ana Silva DREN 8