Mediunidade efeitos físicos e intelectuais

13.953 visualizações

Publicada em

3 comentários
16 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.953
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
881
Comentários
3
Gostaram
16
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mediunidade efeitos físicos e intelectuais

  1. 1. MANIFESTAÇÕESMEDIÚNICAS DEEFEITOS FÍSICOS E DE EFEITOSINTELIGENTES
  2. 2. MANIFESTAÇÕES MEDIÚNICAS DE EFEITOS FÍSICOSDá-se o nome de manifestações físicas às que traduzem porefeitos sensíveis, tais como ruídos, movimentos e deslocaçãode corpos sólidos.Umas são espontâneas, isto é, independentes da vontade dequem quer que seja; outras podem ser provocadas.
  3. 3. TIPOS DE EFEITOS FÍSICOS• ruídos, barulhos, pancadas (tiptologia) e sinais (sematologia);• do arremesso de objetos ao “poltergeist”;• lugares assombrado e as assombrações;• fenômeno de transporte de objetos;• escrita direta ou voz direta;• materialização de espíritos• curas
  4. 4. TIPTOLOGIA É a comunicação espírita realizada por meio de sons ruídos e/ou pancadas na através de influência de espíritos.Mesas girantes (falantes oudançantes): as comunicaçõesmediúnicas são caracterizadas poruma mesa que pode se mover emvárias direções ou levantar-se,obedecendo ao comando mental e àvontade dos desencarnados.
  5. 5. SEMATOLOGIA É a comunicação espírita produzida através de sinais, formando palavras. Ex. Hydesville. Um Espírito pode comunicar seu pensamento pelomovimento de um objeto qualquer. Colocados os dedos sobre a borda, presentes uma ou várias pessoas, e evocado o Espírito, se ele se encontra presente e julga convenienterevelar-se, a mesa se ergue ou se abaixa, movimenta-se, e, poresses movimentos de vaivém para a direita ou para a esquerda, responde afirmativa ou negativamente. Batendo com os pés,ela exprime alegria, impaciência e até mesmo cólera. Algumasvezes vira-se de pernas para o ar ou se precipita sobre um dos assistentes, como se tivesse sido impelida por mão invisível.
  6. 6. DO ARREMESSO DE OBJETOS AO “POLTERGEIST”Quando os espíritos semanifestam através deobjetos lançados ouatirados de um lado paraoutro, com a finalidade dese fazerem perceber com ointuito de perturbar. Osfenômenos necessitam doectoplasma do médiumpara que ocorra o processo.
  7. 7. LUGARES ASSOMBRADOS E AS ASSOMBRAÇÕES As manifestações espontâneas, que em todos os tempos se hão produzido, e a persistência de alguns Espíritos em darem mostras ostensivas de sua presença em certas localidades, constituem a fonte de origem da crença na existência de lugares mal- assombrados.
  8. 8. Na verdade, os Espíritos aindamuito presos a pessoas ou acoisas materiais permanecem emdeterminados locais por tempovariável, produzindo fenômenosde efeitos físicos, que causammedo. Nem sempre tais Espíritossão maus. Muitos deles, os (...)que frequentam certos lugares,produzindo neles desordens,antes querem divertir-se à custada credulidade e da covardia doshomens, do que lhes fazer mal.
  9. 9. TRANSPORTEÉ o fenômeno de introdução de objetos em locais oumóveis fechados. Por exemplo: uma flor, uma cadeira,uma pedra, etc., são transportadas para uma salatotalmente fechada e sem nenhuma abertura por ondeesses objetos possam passar.No fenômeno de transporte, o Espírito – para desintegraro objeto – satura-o com fluido vital do médium, com ospróprios fluidos e com outros existentes no planoespiritual. A seguir, os elementos atômicos queconstituem o objeto são reintegrados e, então, o objeto ématerializado num ambiente hermeticamente fechado.
  10. 10. VOZ DIRETA - PNEUMATOFONIA É a comunicação mediúnica em que se ouve a voz espiritual, sem a participação das corda vocais do médium. O Espírito comunicante utiliza o Ectoplasma doMédium em combinação com os fluidos ambientais para moldar (Plasmar) um aparelho fonador humano("gargantas fluídicas") e através da ação do pensamento sobre a matéria plasmada movimentar o aparelho e produzir sons audíveis por todos os presentes. O fenômeno é físico e a voz gerada é efetivamente onda sonora audível por qualquer ouvido material perfeito.
  11. 11. BATISMO DEJESUSJesus veio até o Rio Jordão, ondeele foi batizado por João.Durante o Batismo de Jesus,aconteceu fenômenosmediúnicos de efeitos físicos coma aparição de um espírito emforma de pomba, e uma voz(garganta ectoplasmica), quedisse: “Este é o meu filho amado,em quem coloco todo a minhacomplacência.”.
  12. 12. ESCRITA DIRETANa escrita direta dos Espíritos, isto é,sem a intervenção do corpo físico domedianeiro. Neste caso, o Espíritoretira do fluido cósmico e do fluidomagnético de um médium asubstância necessária à impressão decaracteres e/ou letras, “o maisfrequentemente com uma substânciaacinzentada, análoga à aparência dochumbo; de outras vezes com lápis vermelho,tinta comum e mesmo tinta de imprensa”.Allan KARDEC – “O Livro dos Médiuns”. Cap. VIII, item 127.
  13. 13. MATERIALIZAÇÃO DE ESPÍRITOSMaterialização, ou ectoplasmia, é o fenômeno mediúnico deefeitos físicos pelo qual os Espíritos, utilizando a substânciaectoplásmica fornecida pelo médium, eventualmentecomplementada pela dos assistentes, e adicionando os fluidosespirituais e os fluidos da Natureza, se corporificam, total ouparcialmente, no plano físico.A palavra ectoplasma - formada dos vocábulos gregos: ektós= fora, exterior, e plasma de passein = dar forma. Designa emBiologia, a parte periférica do citoplasma (protoplasma dacélula, excluído o núcleo).
  14. 14. Mas, no âmbito das ciências metapsíquicas, tem significadoespecífico diferente: designa a substância fluídica que, emdeterminadas circunstâncias, emana do corpo de certosmédiuns, pelos orifícios naturais, como as narinas e a boca, eserve para a produção de fenômenos de efeitos físicos,principalmente os conhecidos por materialização.A materialização é o fenômeno pelo qual os Espíritos secorporificam, total ou parcialmente, tornando-se visíveis aquantos estiverem presentes no local das sessões. Não é precisoser médium para ver o Espírito materializado. Materializando-se, corporificando-se, pode o espírito ser visto, sentido e tocado.Os Espíritos com o fenômeno de materialização, também,podem fazer perceber sensorialmente imagens, sons, coisas ouobjetos trazidos de planos vibratórios diferentes, dando-lhesforma e substância materiais.
  15. 15. Note-se ainda, que a materialização é um fenômeno que nãoocorre de um modo uniforme, podendo assumir váriasgradações. Além disso, não pode ser confundida com aaparição, fenômeno pelo qual o Espírito é visto apenas por ummédium vidente. A materialização é um fenômeno objetivo e aaparição é um fenômeno subjetivo.Como a intensidade da ectoplasmia é variável, pode gerarformas extremamente vaporosas, quase imperceptíveis aos nãovidentes, outras vaporosas, mas plenamente visíveis e outrastangíveis. A rigor, somente estas duas últimas pode-se aplicar,com propriedade, o termo materialização. Os aspectos doectoplasma são tão variáveis que vão desde uma forma rarefeitaque o mantém invisível - porém registrável por outros métodos- até o estado sólido e organizado em estruturas complexas, taiscomo os "espíritos materializados" - agêneres ectoplásmicos.Entre estes dois extremos ele pode passar por estados diversos:gasoso, plasmático, floculoso, amorfo, leitoso, filamentoso,líquido, etc.
  16. 16. ELEMENTOS ESSENCIAIS PARAOCORRER A MATERIALIZAÇÃONos fenômenos de materialização, os Espíritostem que contar com três elementos essenciais, a fimde que o trabalho alcance êxito:1- Fluidos Espirituais - forças superiores retiradasdo fluido Cósmico.2- Fluidos ou energias do médium (ectoplasma) edos assistentes3 - Fluidos da natureza - terrestre, nas águas, nasplantas, etc.Podem materializar-se tanto os Espíritosdesencarnados como também os espíritos encarnados.
  17. 17. Materialização doespírito Ana, em14/12/1953, onde podese observar o médiumPeixotinho em transe,deitado sobre a cama.Este médium realizouexperiências na casa deFrancisco CândidoXavier permitindo,inclusive, através de suafaculdade, amaterialização deamigos conhecidos doChico.
  18. 18. Outra materializaçãorealizada através domédium Peixotinho.Neste tipo de fenômeno,as entidades espirituais,para se fazerem visíveis etangíveis, utilizam umapropriedade do médiumde efeitos físicos,denominada ectoplasma.A forma como se dãoestes fenômenosencontram-se explicadascientificamente nas obasde Allan Kardec, ocodificador doEspiritismo.
  19. 19. A magnífica materialização de Emmanuel(Materialização através de Chico Xavier).Ilustração feita pelo artista Joaquim Alves(Jô), da Federação Espírita do Estado de SãoPaulo-FEESP, que presenciou o fenômeno.Contudo, em sua última materializaçãodisse aos presentes:"— Amigos, a materialização é fenômenoque pode deslumbrar alguns companheiros eaté beneficiá-los com a cura física. Todavia, olivro (Os livros, a maior prioridade) é a chuvaque fertiliza lavouras imensas, alcançandomilhões de almas. Rogo aos amigos asuspensão, a partir desse momento, dessasreuniões".E a partir daquele dia, Chico —a disciplinaem pessoa— nunca mais as realizou,servindo-se de sua faculdade mediúnica deefeitos físicos. O livro, no entanto, comochuva abençoada, continua fertilizando alavoura do coração humano, trazendo paz,reconforto e esclarecimento a milhões decriaturas.
  20. 20. COMO ACONTECEM OS EFEITOS FÍSICOSAllan Kardec, no Capítulo IV, da Segunda Parte de "OLivro dos Médiuns", ensinou-nos que:Para produzir uma manifestação física, o Espíritocombina uma porção do fluído universal, (criado porDeus), que se presta a muitas modificações, com ofluído que se desprende do corpo material do médiumapto a produzir efeitos físicos;O Espírito tem a seu dispor um fluído universalmodificado e condensado, o qual se presta, inclusive, àformação do seu corpo espiritual, denominado porAllan Kardec de perispírito, envoltório fluídico ouinvólucro semimaterial;
  21. 21. COMO ACONTECEM OS EFEITOS FÍSICOSO corpo espiritual (perispírito) do Espírito tem a forma humanae conserva este tipo. Porém, a forma e a aparência podem variaradequando-se ao grau de evolução do Espírito;O Espírito atua sobre os fluídos usando a vontade e os impulsosda sua inteligência;O Espírito precisa, sempre, para produzir efeitos físicos, dosfluídos animalizados emitidos por um médium;O Espírito, para realizar manifestações físicas, combinaos fluídos emitidos pelo médium com os seus próprios fluídosespirituais. Assim, as manifestações físicas dos Espíritosdecorrem sempre da união do fluído animalizado emitido pelomédium com o fluído universal que está à disposição dosEspíritos;
  22. 22. TRANSFIGURAÇÃOTransfiguração consiste num ato de efeitos físicos. Éum fenômeno resultante de uma transformaçãoperispiritual, que se produz sobre o próprio corpovivente, isto é, materialização do próprio corpoespiritual, dando origem a formas belas, radiosas,luminosas, se forem de Espíritos elevados, ou feias,horríveis, se forem de Espíritos inferiores.Nesse fenômeno ocorre a mudança do aspecto de umcorpo vivo, tanto na aparência dos traços fisionômicos,como no olhar, na voz, no peso do corpo, etc.
  23. 23. A transfiguração de Jesus, no MonteTabor, é relatada no Evangelho ecomentada por Kardec, em A Gênese,cap. XV, Item 43, onde cita Marcos,IX:2-4.“Seis dias depois, Jesus tomou consigoa Pedro, Tiago e João, e os levou,sozinhos, para um lugar retirado sobreuma alta montanha. Ali foitransfigurado diante deles. Suas vestestornaram-se resplandecentes,extremamente brancas, de uma alvuratal como nenhum lavadeiro na terra aspoderia alvejar. E lhes apareceram Eliascom Moisés, conversando com Jesus”.Quanto à presença de Moisés e Elias,foi um fenômeno de materialização(Pedro, Tiago e João eram médiuns deefeitos físicos).
  24. 24. Os fenômenos de Efeitos Físicos, tais comoas aparições, visíveis ou tangíveis, deespíritos e objetos, fenômenos demovimentos e transportes de coisas, curas,são de todos os tempos.No Velho e Novo Testamento encontram-sereferências a tais ocorrências, atingindo asua culminância com Jesus, conformenarradas pelos evangelistas:
  25. 25. CURA DE UM PARALÍTICOMULTIPLICAÇÃO DOS PÃES E PEIXES
  26. 26. APARIÇÃO À MARIA DE MAGDALA LEVITAÇÃO
  27. 27. MEDIUNS DE EFEITO INTELIGENTEA manifestação mediúnica de efeitos intelectuais produz efeitosou repercussões em nível mental, isto é, o Espírito comunicanteconduz o médium a uma certa elaboração mental-intelectual, ao transmitir a mensagem aos circunstantes. Nessa situação, o médium é um intérprete das ideias e dos sentimentos do Espírito comunicante.
  28. 28. PSICOGRAFIAÉ a faculdade mediúnica onde a comunicaçãoocorre de forma escrita, é a comunicaçãorápida simples e direta.
  29. 29. CLASSIFICAÇÃO DOS MÉDIUNS PSICÓGRAFOSPSCOGRAFIA MECÂNICA: Oespírito atua diretamente sobra amão do médium, impulsionando-a.O que caracteriza este gênero demediunidade é a inconsciênciaabsoluta, por parte do médium, doque sua mão escreve. O movimentodesta independe da vontade doescrevente; movimenta-se seminterrupção, a despeito do médium,enquanto o Espírito tem algumacoisa a dizer, e para desde que esteúltimo haja concluído.
  30. 30. PSCOGRAFIA INTUITIVA: OEspírito comunicante não atuasobre a mão do médium paramovê-la, mas sim sobre a suaalma, identificando-se com ela eimprimindo-lhe sua vontade e suasideias.A alma recebe o pensamento doEspírito e o transcreve. Nestasituação, o médium escrevevoluntariamente e tem consciênciado que escreve, embora não grafeseus próprios pensamentos.
  31. 31. PSICOGRAFIASEMIMECÂNICAO médium sente que à suamão uma impulsão é dada, eao mesmo tempo, temconsciência do que escreve,à medida que as palavras seformam.
  32. 32. OUTRAS VARIAÇÕES (CURIOSIDADES)MÉDIUNS POLÍGRAFOS: São aqueles cujaescrita muda de acordo com o Espírito que secomunica ou que são aptos a reproduzir a escrita queo Espírito tinha em vida. O primeiro caso é muitovulgar; o segundo, o da identidade da escrita, é maisraro.MÉDIUNS ILETRADOS: São aqueles queescrevem, como médiuns, sem saberem ler, nemescrever, no estado ordinário. Muito raros; mais queos anteriores.
  33. 33. MEDIUNIDADE POLIGLOTA OU XENOGRAFIA.Na psicografia o médium pode transmitir a mensagem do Espíritotambém em língua estrangeira.Além disso a mensagem pode ser escrita também de formainvertida, necessitando de um espelho para conseguir efetuar aleitura.É uma mediunidade rara, que não tem utilidade prática, sobretudose os circunstantes desconhecem a língua em que o Espírito seexprime. Serve, no entanto, para comprovar a sobrevivência de umEspírito, quando isso se torna necessário.
  34. 34. A mensagem ao lado foi psicografada pelomédium Francisco_Cândido_Xavier, de trás paradiante, no idioma inglês, na sede da UniãoEspírita Mineira, após concerto em benefício doAbrigo Jesus, realizado em 4 de abril de 1937, peloexímio violinista Levino Albano Conceição, cegodesde os sete anos de idade.Esta linda saudação, recebida em dois minutos, escritaem caracteres invertidos, poderá ser lida em umespelho, em cuja frente deverá ser colocada.Lê-se, então, o seguinte:"My dear and generous friends of the fraternitysdoctrine. Good health and peace in God, ourFather!Let us learn the life in the loves law, from theinstructions of Jesus Christ, Except this workalmost always in the earthly world represent thestruggle and studies of the vanity and from thedarkness of the little mens science Your Brother Emmanuel
  35. 35. PSICOFONIAÉ a transmissão da mensagem doespírito comunicante por meio dapalavra verbalizada.É a mediunidade de escolha, noatendimento aos Espíritossofredores.Por ela, a comunicação é maiságil, favorecendo o dialogo francoe direto com os desencarnados.Os benfeitores espirituaisutilizam, com muita freqüência, amediunidade de psicofonia parafazer exortações, promoverincentivos, fornecer orientaçõesou esclarecimentos para umgrupo ou para alguém,especificamente.
  36. 36. Os médiuns falantes ou psicofônicos, transmitem pelapalavra falada, a comunicação de um Espírito.A psicofonia, é a forma mais acolhedora e acessível para amanifestação objetiva dos Espíritos no plano material.É das várias formas de mediunidade a mais comum nointercâmbio mediúnico e, é frequentemente chamada de“incorporação”.Esclarecemos aqui, que este termo pode sugerir uma falsaideia de que o Espírito comunicante penetra no corpo domédium, o que na verdade não acontece.O Espírito comunicante se faz perceber pela voz domédium, utilizando-lhe o aparelho fonador, processo quese dá por uma das três formas a seguir
  37. 37. Psicofonia Inconsciente e Psicografia Mecânica Cordão Prateado Centro de Espírito Força comunicante Coronário Atmosfera fluidica Mensagem Períspirito Pensamento do Espírito Centro de (estímulos) Força Corpo Laríngeo Físico
  38. 38. Na psicofonia inconsciente, que representa somente 2% dos casos demédiuns psicofônicos, há uma exteriorização total do perispírito domédium, ficando apenas ligado pelo cordão fluídico. Inexiste ligaçãoentre o cérebro do médium e a mente doespírito manifestante e mesmo entre sua própria mente perispiritual e océrebro físico. O fato do espírito do médium se exteriorizar do corpofísico temporariamente faz com que passe a estar inteiramente àdisposição e sob controle do espírito comunicante.A atuação do espírito sobre o organismo físico do médium é mais direta,através do chacra laríngeo e dos centros nervosos liberados. Assim, ocomunicante tem maior intervenção material, modificando estilo, gestose entonação de voz. Ou seja, as frases,o estilo e as ideias são todas do espírito.A mensagem é transmitida sem que o médium guarde consciênciacerebral dela, porém, em espírito, o mesmo está consciente. Ao recobrara consciência, o médium geralmente nada recorda da mensagemdeixada. A vantagem é que há maior liberdade para o espírito, que seidentifica por gestos, entonação da voz e atitudes.
  39. 39. Psicofonia Semiconsciente e PsicografiaSemimecânica Pensamento do Espírito Centro de Espírito (estímulos) Força comunicante Coronário Períspirito Atmosfera fluidica Mensagem Pensamento do Espírito Centro de (estímulos) Força Corpo Laríngeo Físico
  40. 40. Fenômeno comum a 28% dos médiuns psicofônicos, napsicofonia semi-consciente existe uma maior exteriorização doperispírito do médium, mas ainda não completa. O espíritocomunicante entra em contato com o perispírito do médium, quese semi-exterioriza, e atua através deste sobre o corpo físico,ficando os órgãos vocais do médiumparcialmente sob o controle do espírito que faz a comunicação.Desta forma, o espírito tem maior atuação no orgão fonador,conseguindo falar melhor, em seu próprio estilo. Ou seja, apenasas frases são do médium, mas o estilo e as idéias são do espírito.Enquanto a mensagem é recebida, o médium sabe o que fala,sente o padrão vibratório e a intenção do comunicante, podendocontrolar e intervir se necessário. Porém, ao terminar amanifestação, só recordará do início e do final da mensagem,ficando apenas com uma vaga lembrança do tema abordado.
  41. 41. Psicofonia Consciente e Psicografia Intuitiva Centro de Espírito Pensamento Força comunicante do Espírito Coronário Atmosfera Períspirito fluidica Mensagem Centro de Força Laríngeo Corpo Físico
  42. 42. A psicofonia consciente é a mais comum entre os médiunspsicofônicos (70% do total). Nela, há uma exteriorização doperispírito do médium de apenas alguns centímetros. Oespírito comunicante se aproxima do médium sem mantercontato perispiritual e transmite telepaticamente as ideiasque deseja enunciar. É a mediunidade dos tribunos epregadores, que manifestam a “inspiração momentânea”.O espírito emite o pensamento e influi sobre o aparelhofonador do médium, que transmite as ideias conforme asentende e usando seu próprio estilo, vocabulário e construçãode frases. Ou seja, a ideia é do espírito, mas o jeito de falar édo médium.O médium sente a influência e capta o pensamento doespírito comunicante na origem, antes de falar. Desta forma,ele pode avaliar antes da manifestação, tendo fácil controle dofenômeno.
  43. 43. Psicofonia em uma reunião mediúnica
  44. 44. MEDIDUNIDADE SONAMBULICA OU DESDOBRAMENTOA mediunidade sonambúlica é uma variedade especial dapsicofonia. Por ela o encarnado sai do corpo físico, tal como nosonambulismo, desdobrando-se, agindo e transmitindo informaçõesque lhes são ditadas por um Espírito desencarnado.No capítulo décimo primeiro do Livro “Nos Domínios daMediunidade”, psicografado por Francisco Chico Xavier, o EspíritoAndré Luiz nos fornece elucidativas explicações sobre o fenômenode desdobramento. Esclarece como se processa o afastamento docorpo físico, como o médium atua no plano espiritual, e de queforma os benfeitores auxiliam na realização desse gênero deatividade.
  45. 45. VIDÊNCIA“Os médiuns videntes são dotados da faculdade de ver os Espíritos.Há os que gozam dessa faculdade em estado normal, perfeitamenteacordados, guardando lembrança precisa do que viram. Outros só apossuem em estado sonambúlico ou aproximado do sonambulismo. É raro que esta faculdade seja permanente, sendo quase sempre o resultado de uma crise súbita e passageira.” “O Livro dos Médiuns” -cap. 14 da Segunda Parte, item 167
  46. 46. Realmente, de (…) todas as manifestações espíritas, as mais interessantes, sem contestação possível, são aquelas por meio das quais os Espíritos se tornam visíveis. No entanto, os Espíritos nem sempre podem manifestar-se visivelmente, mesmo em sonho, apesardo desejo que se tenha de vê-los. O impedimento pode estar ligado a (...) causas independentes da vontade deles. Frequentemente, é também uma prova, de que não consegue triunfar o mais ardente desejo. É sabido, porém, que em situações em que os laçosmateriais se afrouxam, em uma doença, por exemplo, é mais fácil ver Espíritos.
  47. 47. Emmanuel identifica-se pela primeira vez ao médium mineiro. Imagem Filme “Chico Xavier”
  48. 48. CLARIVIDÊNCIA Clarividência é a faculdade mediúnica de ver com detalhes nãoapenas os Espíritos, mas cenas do plano espiritual. A percepção, via clarividência, é mais aprofundada. A pessoa entra em transe, permanecendo, mesmo que por breve tempo, em estadosonambúlico. Nesse estado, parcialmente desprendida do corpo,ela adquire uma espécie de dupla vista, isto é, vê o que ocorre noplano espiritual e os acontecimentos à distancia, no plano físico.
  49. 49. No (...) caso de visão à distancia, o sonambúlico não vê as coisas de onde está o seu corpo, como por meio de um telescópio. Vê-aspresentes, como se se achasse no lugar onde elas existem, por que sua alma, em realidade, lá está. Por isso é que seu corpo fica como que aniquilado e privado de sensação, até que a alma volte a habitá-lo novamente. (*) Essa separação parcial da alma e do corpo constitui um estado anormal[incomum], suscetível de duração mais ou menos longa, porém nãoindefinida. Daí a fadiga que o corpo experimenta após certo tempo, mormente quando aquela se entrega a um trabalho ativo [no plano espiritual]. A vista da alma ou do Espírito não é circunscrita e não tem sede determinada. Eis por que os sonâmbulos não lhe podemmarcar órgãos especial. Vêem porque vêem, sem saberem o motivo nem o modo, uma vez que, para eles, na condição de Espíritos, a vista carece de foco próprio.(*) Na verdade, a alma não abandona totalmente o corpo
  50. 50. Kardec nos explica que (...) no estado de desprendimento em que fica colocado, o Espírito do sonâmbulo entra em comunicação mais fácil com os outros Espíritos encarnados, ou não encarnados, comunicação que se estabelece pelo contato dos fluidos que compõem os perispíritos e servem de transmissão ao pensamento, como o fioelétrico. O sonâmbulo não precisa, portanto, que selhe exprimam os pensamentos por meio da palavraarticulada. Ele os sente e adivinha. É o que o torna eminentemente impressionável e sujeito às influencias da atmosfera moral que o envolva.
  51. 51. Fato digno de nota é que o vidente e o clarividente, além de verem Espíritos e o mundo espiritual, também possuem, em geral, a faculdade de audiência. O Espírito André Luiz nos esclarece que (...) os olhos e os ouvidos materiais estão para avidência e para a audição como os óculos estão para os olhos e o ampliador de sons para os ouvidos – simples aparelhos de complementação. Toda percepção é mental. (...) o médium ésempre alguém dotado de possibilidades neuropsíquicas especiaisque lhe estendem o horizonte dos sentidos. (...) Ainda mesmo no campo de impressões comuns, embora a criatura empregue os ouvidos e os olhos, ela vê e ouve com o cérebro, e, apesar de o cérebro usar as células do córtex para selecionar os sons e imprimir as imagens, quem vê e ouve, na realidade, é a mente. Assim, nos fenômenos de vidência, quem vê é a alma. É uma percepção além dos sentidos humanos.
  52. 52. Está entendido que a faculdade de ver Espíritos, como todas as faculdades mediúnicas, diz respeito àspropriedades do perispírito. O médium dispõe de recursos físicos [orgânicos] para ver Espíritos porque esta disposição foi impressa pelo perispírito, que serviu de molde ao seu corpo físico. Como toda faculdade mediúnica, a vidência é passível de desenvolvimento, se exercitada. Mas, segundo nos esclarecem os Espíritos da Codificação, (...) ver Espíritos,em geral e permanentemente, é algo excepcional e não está nas condições normais do ser encarnado.
  53. 53. Um cuidado especial que se deve ter em relação àfaculdade de vidência, sobretudo quando está se manifesta inicialmente, diz respeito à imaginação que, por vezes, é bastante fértil. É importante considerar, também, que o médium pode estar vendo formas ideoplásticas projetadasdo mundo físico ou do mundo espiritual. Por outro lado, se o desenvolvimento do médium ocorre de maneira equilibrada, se o médium principiante faz parte de um grupo sério, bem estruturado tanto do ponto de vista doutrinário quanto do da moral, os benfeitores espirituaisnão permitem que o iniciante nas tarefas mediúnicas tenha todas as potencialidades medianímicas desabrochadas. É que isso poderia conduzi-lo ao desequilíbrio psíquico, emocional e físico.
  54. 54. BIBLIOGRAFIA• Livro dos Médiuns, Cap. 12 e 14 .• ESE Cap. 19.• Livro dos Espiritos, questão 425 e 473.• No invisível, Leon Denis, Cap.19.• Estudando a Mediunidade, Martins Peralva, Cap. 9 e 16• http://www.rcespiritismo.com.br/conteudo_site/p df_anteriores/Rce01especial/materia4.pdf• http://www.guia.heu.nom.br/materializacao.htm

×