SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
UFSC- Universidade Federal de Santa Catarina
Joao Vicente Alfaya dos Santos
Marco Aurélio Ramos
Werley Rabelo Ferreira
Resumo
O artigo apresenta informações bibliográficas que visam intrumentalizar os professores para o uso das ferramentas de hipermídia, hipertexto, objetos de
apendizagem e neurociência nos diversos niveis de ensino para que possam potencializar a capacidade de apreendizado dos seus alunos.Hipermídia, de modo
geral, é a reunião de várias mídias num suporte computacional, suportado por sistemas eletrônicos de comunicação. Hipertexto é o termo que remete a um
texto em formato digital, ao qual se agregam outros conjuntos de informação na forma de blocos de textos, palavras, imagens ou sons, cujo acesso se dá
através de referências específicas denominadas de links. Objetos de aprendizagem visam estimular o raciocínio e o pensamento crítico dos estudantes,
associando o potencial das Tic´s às novas abordagens pedagógicas. A meta que se pretende atingir disponibilizando esses conteúdos digitais é melhorar a
aprendizagem das disciplinas da educação em todos os níveis e a formação cidadã do aluno. A Neuroeducação relaciona as descobertas sobre aprendizagem,
memória,linguagem e outras áreas da neurociência cognitiva para informar os educadores sobre as melhores estratégias de ensino e aprendizagem. Os
professores precisam ser orientados e informados sobre como os seus alunos aprendem e memorizam as informações ensinadas.
Palavras chave: Hipermídia, Hipertexto, Objetos de aprendizagem, Neurociência, Aprendizagem e Neuroeducação.
1- Introdução
Neurociência é um ramo científico complexo, composto por uma gama de conhecimentos científicos de área diferentes e que busca responder a questões
igualmente diversas como comportamentais, desenvolvimentais, cognitivas, emotivas, bioquímicas, linguísticas, entre outras. Podemos usar uma definição
simplificada de neurociência do site cerebronosso.bio.br: "Neurociência é o estudo do sistema nervoso: sua estrutura, seu desenvolvimento, funcionamento,
evolução, relação com o comportamento e a mente, e também suas
alterações."
Uma área de concentração da neurociência está centrada nas questões de
aprendizagem e, por consequência, de ensino. Afinal, compreendendo
melhor
como funciona o sistema nervoso, como este reage a estímulos, como se
processa esse fenômeno da aprendizagem, é possível buscar formas de
potencializar o ensino, buscando resultados mais efetivos. Alguns
pesquisadores consideram, inclusive, a emergência de uma nova ciência: a
neuroeducação (ZARO, et al., 2010). Para entender um pouco mais sobre
neuroeducação, alguns exemplos estão contidos na seguinte apresentação,
que pode servir como fonte inspiradora para que educadores planejem
suas atividades.
Desta forma, pretendemos aqui oferecer uma possibilidade de sequência
didática/módulo de ensino sobre alguns aspectos básicos da neurociência
e a conexão desta com o aprendizado, pautada não em um, mas sim em uma pluralidade de recursos utilizados pelas tecnologias da informação e
comunicação (TIC), como sites, vídeos, animações. Tais recursos, futuramente, poderão ser agregados em um único objeto de aprendizagem, em formato de
hipermídia. Pesquisas em ensino de ciências têm mostrado que o uso de tecnologias que contemplem diferentes formatos favorecem uma aprendizagem
mais significativa (CASTRO e STRUCHINER, 2009; MACHADO e NARDI, 2007). Além disso, um módulo de ensino que mescle vários recursos diferentes se
aproxima mais do entendimento sobre o funcionamento cerebral que temos hoje: possibilidades de novas conexões sinápticas, uma verdadeira rede de
conexões que, quanto mais explorada for em situações diferenciadas, mais se desenvolverá. A outra vantagem desta proposta é que a ordem dos elementos
a ser trabalhados poderá ser alterada conforme convier ao educador, da mesma forma o educando poderá percorrer caminhos múltiplos, caso seja feita uma
hipermídia baseada nesta proposta.
2- Sistema Nervoso
O que é o sistema nervoso, como ele se organiza e como funciona? Essas questões de ordem anatômica e fisiológica podem ser elucidadas no site
de Anatomia e Fisiologia Humana. Mas somente a morfologia cerebral não diz como este órgão funciona. Para isso, é necessário entender um pouco sobre os
componentes celulares e a bioquímica cerebral. Uma explicação sintetizada pode ser visualizada neste vídeo.
Como pode ser visto, as conexões neuronais (sinapses) são inúmeras e o cérebro um órgão dotado de plasticidade. Assim como um músculo não utilizado
atrofia e bem utilizado se fortalece, o cérebro também pode ser "trabalhado". Conexões sinápticas não utilizadas são enfraquecidas, podendo até ser
eliminadas, ao passo que outras são criadas. E essa criação de novas sinapses pode ocorrer de muitas formas, não sendo necessariamente associada a um
comportamento respondente. Essa plasticidade cerebral, quase ilimitada, os comportamentalistas não abrangeram em suas teorias, mesmo porque esse
conhecimento é relativamente recente.O próximo passo então é entender um pouco sobre alguns dos vieses da neurociências: a morfologia e fisiologia do
sistema nervoso.
3- O Aprendizado
Um das teorias que marcou psicologia e, por extensão, a educação no século passado foi a comportamentalista, tendo B.F. Skinner como um dos seus
representantes mais icônicos. Para saber um pouco mais sobre essa teoria acesse a página sobre Skinner e sua teoria da aprendizagem. O que é interessante
notar aqui, é que o modelo defendido por Skinner, segundo qual poderia ser possível "mensurar" a aprendizagem, tem por base o que se entendia sobre o
funcionamento cerebral na época. Mais especificamente, para os behavioristas a mente era vista como uma "caixa preta", o funcionamento interno da mente
só poderia ser conhecido ao se examinar os inputs (estímulos/condicionantes) e os outputs (respostas/comportamentos) (SAMPAIO, 2011).
Mais sobre Skinner e sua teoria da aprendizagem podem ser vistos nos seguintes vídeos:
B.F. Skinner
Máquina de Ensinar
O que se entende por aprendizagem hoje certamente é diferente do que Skinner concebia em sua época, assim como o conhecimento sobre o sistema
nervoso e seu funcionamento. Certamente, um dos aspectos desconhecidos e por isso desconsiderados nessas teorias de aprendizagem é a diferença de
habilidades presentes nos hemisférios cerebrais, os quais conferem habilidades e competências distintas (lógica, expressão artística, linguagem, emoções)
mas que, ao serem trabalhados conjuntamente, explorando essas múltiplas capacidades humanas, atuam de forma sinérgica, tornando o aprendizado mais
agradável e durador.
Com o advento do uso das TIC´S em educação uma mudança de paradigma está em curso e é possível perceber que o uso de estratégias adequadas em um
processo de ensino dinâmico e prazeroso esta se tornando cada vez mais premente. Aprendizagem baseada em projetos que podemos exercitar no curso
oferecido na seguinte página, nos permite explorar os princípios gerais já sedimentados da neuroeducação encontrados no seguinte artigo e link se
apresenta como uma opção para superar os métodos tradicionais de aulas expositivas e dialogadas.
4- Tecnologias e Neuroeducação
Diante do que já foi exposto até agora cabe nos perguntar: se estamos vivendo um novo paradigma da educação, consolidado, em partes, pelo avanço das
neurociências, qual a relação das tecnologias com esse novo paradigma? E como estas podem auxiliar, especificamente, o ensino de neurociências?
Pozo (2002), citado por Malaggi e Marcon (2012), traz algumas considerações importantes no
que se referem essas questões: cada sociedade é possuidora de uma cultura própria e, por
consequência, uma forma de aprendizagem própria. De forma que aprender uma cultura é
aprender sobre a cultura da aprendizagem. Ao aprendermos e apreendermos uma cultura,
passamos a fazer parte dela. E, embora seja impossível (nem desejável) uma unificação
cultural, hoje passamos por uma época em que as tecnologias da comunicação e informação
possuem uma certa transversalidade nos diversos contextos, pois essas tecnologias, de
alguma forma, ampliam as possibilidades de interação social. Talvez essa nova cultura, ao
considerar as pessoas como nós de uma rede infinda de conhecimento conectadas por essas
tecnologias, ajude a transformar a educação no sentido de superar a dicotomia entre polos
de emissão de saber e polos de recepção do saber, num processo de construção coletiva e
colaborativa.
É possivel estabelecer uma analogia entre esses novos processos de aprendizagem através das
tecnologias com os processos neuronais: ocorrem em rede, não são lineares, permitem
múltiplos caminhos, são criativos, plásticos e, fundamentalmente, se ampliam com a interação social (e como vimos, as TIC possibilitam um incremento
desta). Desta forma, cremos que o uso de recursos variados, em rede, sobre as neurociências, atua em sinergia para o aprendizado desta, pois os caminhos
percorridos reforçam ao aluno um viés de metaconsciência, a consciência da própria consciência, o entendimento sobre como o cérebro trabalha e processa
informações.
Como forma de avaliação deste módulo de ensino/sequência didática, sugerimos que os alunos trabalhem em equipes e, de forma colaborativa, trabalhem
em uma ferramenta wiki ou em um blog sobre temas que envolvam as neurociências (mediadores químicos, dependência química, anatomia do sistema
nervoso, comportamento, etc).
REFERÊNCIAS:
CASTRO, J.C.; STRUCHINER, M. Análise do Processo de Desenvolvimento de um Sistema Hipermídia para Ensino de Neurociência com Base na Teoria da
Atividade. ALEXANDRIA Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.2, n.3, p.3-33, nov. 2009.
MACHADO, D.I.; NARDI, R. Construção e validação de um sistema hipermídia para o ensino de Física Moderna. REEC, v. 6, n. 1, p. 90-116, 2007.
MALAGGI,V.; MARCON, K. Cibercultura e Educação: algumas reflexões sobre processos educativos na sociedade tecnológica contemporânea. Revista Espaço
Acadêmico, n. 132, p. 115-123, 2012.
SAMPAIO, M.R.R. O CAMINHO DA APRENDÊNCIA E AS CONTRIBUIÇÕES DAS NEUROCIÊNCIAS. Fólio – Revista de Letras, v. 3, n. 2 p. 251-273, jul./dez., 2011.
ZARO, M.A.; et al.Emergência da Neuroeducação: a hora e a vez da neurociência para agregar valor à pesquisa educacional.Ciências & Cognição, v. 15, n.1,
p. 199-210 , 2010.
SITES:
http://www.cerebronosso.bio.br/o-que-neurocincia/. Acesso em 05 de maio de 2012.
http://www.intel.com/education/la/pt/elementos/pba/content.htm. Acesso 7 de maio de 2012.
http://prezi.com/np2sto3weg3i/uso-de-tecnologias-para-apoio-ao-ensino-e-aprendizagem/ Acesso 7 de maio de 2012
http://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3224316. Acesso dia 7 de maio de 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Neurociências em benefício da educação! neuropsicopedagogia clínica
Neurociências em benefício da educação!  neuropsicopedagogia clínicaNeurociências em benefício da educação!  neuropsicopedagogia clínica
Neurociências em benefício da educação! neuropsicopedagogia clínicaAndre Silva
 
Design instructional e arquitecturas cognitivas
Design instructional e arquitecturas cognitivasDesign instructional e arquitecturas cognitivas
Design instructional e arquitecturas cognitivasLurdesViana
 
Relação ambiente terapêutico e neuroplasticidade:uma revisão de literatura
Relação ambiente terapêutico e neuroplasticidade:uma revisão de literaturaRelação ambiente terapêutico e neuroplasticidade:uma revisão de literatura
Relação ambiente terapêutico e neuroplasticidade:uma revisão de literaturaRita de cassia de So Lima
 
Neuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagem
Neuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagemNeuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagem
Neuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagemAna Lúcia Hennemann
 
Neurociência Aplicada à Educação: Modismo ou Tendência?
Neurociência Aplicada à Educação: Modismo ou Tendência?Neurociência Aplicada à Educação: Modismo ou Tendência?
Neurociência Aplicada à Educação: Modismo ou Tendência?Ana Feitoza
 
A importância da neurociência na educação
A importância da neurociência na educaçãoA importância da neurociência na educação
A importância da neurociência na educaçãoUNICEP
 
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na EducaçãoPós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na EducaçãoÉrica Paula
 
Neurociência e Educação Especial
Neurociência e Educação Especial Neurociência e Educação Especial
Neurociência e Educação Especial Juliana Monteiro
 
Como aprende o cerebro
Como aprende o cerebroComo aprende o cerebro
Como aprende o cerebroLeonardo Faria
 
Bases Neurológicas da aprendizagem
Bases Neurológicas da aprendizagemBases Neurológicas da aprendizagem
Bases Neurológicas da aprendizagemGliciane S. Aragão
 
Escrita para todos a aplicação da neurociência na docência e na aprendizagem
Escrita para todos a aplicação da neurociência na docência e na aprendizagemEscrita para todos a aplicação da neurociência na docência e na aprendizagem
Escrita para todos a aplicação da neurociência na docência e na aprendizagemSusana Felix
 
Didática e aprendizagem da inteligencia
Didática e aprendizagem da inteligenciaDidática e aprendizagem da inteligencia
Didática e aprendizagem da inteligenciaHebert Balieiro
 
Palestra i simpósio em neuroeducação
Palestra i simpósio em neuroeducaçãoPalestra i simpósio em neuroeducação
Palestra i simpósio em neuroeducaçãoLuiz
 
Neurociencia e-aprendizagem
Neurociencia e-aprendizagemNeurociencia e-aprendizagem
Neurociencia e-aprendizagemProf Paim
 

Mais procurados (19)

Neurociências em benefício da educação! neuropsicopedagogia clínica
Neurociências em benefício da educação!  neuropsicopedagogia clínicaNeurociências em benefício da educação!  neuropsicopedagogia clínica
Neurociências em benefício da educação! neuropsicopedagogia clínica
 
Design instructional e arquitecturas cognitivas
Design instructional e arquitecturas cognitivasDesign instructional e arquitecturas cognitivas
Design instructional e arquitecturas cognitivas
 
Relação ambiente terapêutico e neuroplasticidade:uma revisão de literatura
Relação ambiente terapêutico e neuroplasticidade:uma revisão de literaturaRelação ambiente terapêutico e neuroplasticidade:uma revisão de literatura
Relação ambiente terapêutico e neuroplasticidade:uma revisão de literatura
 
Neuropsicopedagogia clínica
Neuropsicopedagogia clínicaNeuropsicopedagogia clínica
Neuropsicopedagogia clínica
 
Neuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagem
Neuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagemNeuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagem
Neuropsicopedagogia novas perspectivas para a aprendizagem
 
Neurociência e aprendizagem
Neurociência e aprendizagemNeurociência e aprendizagem
Neurociência e aprendizagem
 
Neurociência Aplicada à Educação: Modismo ou Tendência?
Neurociência Aplicada à Educação: Modismo ou Tendência?Neurociência Aplicada à Educação: Modismo ou Tendência?
Neurociência Aplicada à Educação: Modismo ou Tendência?
 
A importância da neurociência na educação
A importância da neurociência na educaçãoA importância da neurociência na educação
A importância da neurociência na educação
 
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na EducaçãoPós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
 
Neurodidatica versus
Neurodidatica versusNeurodidatica versus
Neurodidatica versus
 
Neurociência e Educação Especial
Neurociência e Educação Especial Neurociência e Educação Especial
Neurociência e Educação Especial
 
Como aprende o cerebro
Como aprende o cerebroComo aprende o cerebro
Como aprende o cerebro
 
Redescoberta da mente
Redescoberta da menteRedescoberta da mente
Redescoberta da mente
 
Bases Neurológicas da aprendizagem
Bases Neurológicas da aprendizagemBases Neurológicas da aprendizagem
Bases Neurológicas da aprendizagem
 
Escrita para todos a aplicação da neurociência na docência e na aprendizagem
Escrita para todos a aplicação da neurociência na docência e na aprendizagemEscrita para todos a aplicação da neurociência na docência e na aprendizagem
Escrita para todos a aplicação da neurociência na docência e na aprendizagem
 
Didática e aprendizagem da inteligencia
Didática e aprendizagem da inteligenciaDidática e aprendizagem da inteligencia
Didática e aprendizagem da inteligencia
 
Palestra i simpósio em neuroeducação
Palestra i simpósio em neuroeducaçãoPalestra i simpósio em neuroeducação
Palestra i simpósio em neuroeducação
 
Teoria da Aprendizagem Significativa
Teoria da Aprendizagem SignificativaTeoria da Aprendizagem Significativa
Teoria da Aprendizagem Significativa
 
Neurociencia e-aprendizagem
Neurociencia e-aprendizagemNeurociencia e-aprendizagem
Neurociencia e-aprendizagem
 

Destaque

Processos psicológicos básicos psicologia
Processos psicológicos básicos   psicologia Processos psicológicos básicos   psicologia
Processos psicológicos básicos psicologia Maria Santos
 
Psicologia- Inteligência
Psicologia- InteligênciaPsicologia- Inteligência
Psicologia- InteligênciaFábio Roque
 
Inteligência, Memória e Percepção_Psicologia da Educação
Inteligência, Memória e Percepção_Psicologia da EducaçãoInteligência, Memória e Percepção_Psicologia da Educação
Inteligência, Memória e Percepção_Psicologia da EducaçãoJemuel Araújo da Silva
 
Aula PPB - SENSACAO
Aula PPB - SENSACAOAula PPB - SENSACAO
Aula PPB - SENSACAOguest8af197
 
El señor hará grandes cosas
El señor hará grandes cosasEl señor hará grandes cosas
El señor hará grandes cosasPuerta de vida
 
POST-M&A MONITORING. THE IMPACT OF CULTURAL DIFFERENCES ON THE INTEGRATION PR...
POST-M&A MONITORING. THE IMPACT OF CULTURAL DIFFERENCES ON THE INTEGRATION PR...POST-M&A MONITORING. THE IMPACT OF CULTURAL DIFFERENCES ON THE INTEGRATION PR...
POST-M&A MONITORING. THE IMPACT OF CULTURAL DIFFERENCES ON THE INTEGRATION PR...Liviu Warter
 
A novel modified distributed
A novel modified distributedA novel modified distributed
A novel modified distributedprj_publication
 
Legal_identity_baseline_report_english_Firkan
Legal_identity_baseline_report_english_FirkanLegal_identity_baseline_report_english_Firkan
Legal_identity_baseline_report_english_FirkanFirkan Maulana
 
Bomberos La Fria
Bomberos La FriaBomberos La Fria
Bomberos La Friagregorygon
 
Los 10 Principios De La EconomíA
Los 10 Principios De La EconomíALos 10 Principios De La EconomíA
Los 10 Principios De La EconomíAMarcelo Ramos
 
Equivalencia Tierra Chile
Equivalencia Tierra ChileEquivalencia Tierra Chile
Equivalencia Tierra Chileguest141e05
 
PresentacióN Proyecto Sagrada Familia
PresentacióN Proyecto Sagrada FamiliaPresentacióN Proyecto Sagrada Familia
PresentacióN Proyecto Sagrada Familiasuarezdelrio
 
Conferencia gc y bibliotecas (present2012 nmh)
Conferencia gc y bibliotecas (present2012 nmh)Conferencia gc y bibliotecas (present2012 nmh)
Conferencia gc y bibliotecas (present2012 nmh)Nitza Hernandez
 
Como el pez fuera del agua
Como el pez fuera del aguaComo el pez fuera del agua
Como el pez fuera del aguaPuerta de vida
 

Destaque (20)

Processos psicológicos básicos psicologia
Processos psicológicos básicos   psicologia Processos psicológicos básicos   psicologia
Processos psicológicos básicos psicologia
 
Psicofísica
Psicofísica  Psicofísica
Psicofísica
 
Psicologia- Inteligência
Psicologia- InteligênciaPsicologia- Inteligência
Psicologia- Inteligência
 
Inteligência, Memória e Percepção_Psicologia da Educação
Inteligência, Memória e Percepção_Psicologia da EducaçãoInteligência, Memória e Percepção_Psicologia da Educação
Inteligência, Memória e Percepção_Psicologia da Educação
 
Aula PPB - SENSACAO
Aula PPB - SENSACAOAula PPB - SENSACAO
Aula PPB - SENSACAO
 
Percepção - Psicologia
Percepção - PsicologiaPercepção - Psicologia
Percepção - Psicologia
 
El señor hará grandes cosas
El señor hará grandes cosasEl señor hará grandes cosas
El señor hará grandes cosas
 
Bajalta Calfornia
Bajalta CalforniaBajalta Calfornia
Bajalta Calfornia
 
POST-M&A MONITORING. THE IMPACT OF CULTURAL DIFFERENCES ON THE INTEGRATION PR...
POST-M&A MONITORING. THE IMPACT OF CULTURAL DIFFERENCES ON THE INTEGRATION PR...POST-M&A MONITORING. THE IMPACT OF CULTURAL DIFFERENCES ON THE INTEGRATION PR...
POST-M&A MONITORING. THE IMPACT OF CULTURAL DIFFERENCES ON THE INTEGRATION PR...
 
A novel modified distributed
A novel modified distributedA novel modified distributed
A novel modified distributed
 
Legal_identity_baseline_report_english_Firkan
Legal_identity_baseline_report_english_FirkanLegal_identity_baseline_report_english_Firkan
Legal_identity_baseline_report_english_Firkan
 
Bomberos La Fria
Bomberos La FriaBomberos La Fria
Bomberos La Fria
 
NITIN CV
NITIN CVNITIN CV
NITIN CV
 
newsletter_ columbia
newsletter_ columbianewsletter_ columbia
newsletter_ columbia
 
Los 10 Principios De La EconomíA
Los 10 Principios De La EconomíALos 10 Principios De La EconomíA
Los 10 Principios De La EconomíA
 
Equivalencia Tierra Chile
Equivalencia Tierra ChileEquivalencia Tierra Chile
Equivalencia Tierra Chile
 
PresentacióN Proyecto Sagrada Familia
PresentacióN Proyecto Sagrada FamiliaPresentacióN Proyecto Sagrada Familia
PresentacióN Proyecto Sagrada Familia
 
Conferencia gc y bibliotecas (present2012 nmh)
Conferencia gc y bibliotecas (present2012 nmh)Conferencia gc y bibliotecas (present2012 nmh)
Conferencia gc y bibliotecas (present2012 nmh)
 
Como el pez fuera del agua
Como el pez fuera del aguaComo el pez fuera del agua
Como el pez fuera del agua
 
MH Certificates gained
MH Certificates gainedMH Certificates gained
MH Certificates gained
 

Semelhante a 96069702 neurociencias-neuroeducacao

A NEUROCIENCIA APLICADA AO ENSINO DE HISTÓRIA.pdf
A NEUROCIENCIA APLICADA AO ENSINO DE HISTÓRIA.pdfA NEUROCIENCIA APLICADA AO ENSINO DE HISTÓRIA.pdf
A NEUROCIENCIA APLICADA AO ENSINO DE HISTÓRIA.pdfakixeroxserviosoline
 
Psicomotricidade no contexto da neuroaprendizagem: contribuições à ação psico...
Psicomotricidade no contexto da neuroaprendizagem: contribuições à ação psico...Psicomotricidade no contexto da neuroaprendizagem: contribuições à ação psico...
Psicomotricidade no contexto da neuroaprendizagem: contribuições à ação psico...RenataDias766070
 
Conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem online
Conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem onlineConceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem online
Conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem onlineGuilhermina Miranda
 
Artigo suzane neuroeducação
Artigo suzane neuroeducaçãoArtigo suzane neuroeducação
Artigo suzane neuroeducaçãoFoz Censupeg
 
PRÁTICAS INTERVERTIVAS NA NEUROPSICOPEDAGOGIA.PDF.pdf
PRÁTICAS INTERVERTIVAS NA NEUROPSICOPEDAGOGIA.PDF.pdfPRÁTICAS INTERVERTIVAS NA NEUROPSICOPEDAGOGIA.PDF.pdf
PRÁTICAS INTERVERTIVAS NA NEUROPSICOPEDAGOGIA.PDF.pdfDemirOliveira
 
Portugal_manual-psicologia-da-aprendizagem-pdf-free.pdf
Portugal_manual-psicologia-da-aprendizagem-pdf-free.pdfPortugal_manual-psicologia-da-aprendizagem-pdf-free.pdf
Portugal_manual-psicologia-da-aprendizagem-pdf-free.pdfJerí Rabelo
 
Bibliografia Anotada - Pedagogia do E-learning, Papel do Tutor Online
Bibliografia Anotada - Pedagogia do E-learning, Papel do Tutor OnlineBibliografia Anotada - Pedagogia do E-learning, Papel do Tutor Online
Bibliografia Anotada - Pedagogia do E-learning, Papel do Tutor OnlinemalmeidaUAB
 
O BLOG COMO FERRAMENTA PARA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM COLAB...
O BLOG COMO FERRAMENTA PARA CONSTRUÇÃO  DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM  COLAB...O BLOG COMO FERRAMENTA PARA CONSTRUÇÃO  DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM  COLAB...
O BLOG COMO FERRAMENTA PARA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM COLAB...Pedro Henrique
 
Tic e desenvolvimento na américa latina uma análise sob a perspectiva da educ...
Tic e desenvolvimento na américa latina uma análise sob a perspectiva da educ...Tic e desenvolvimento na américa latina uma análise sob a perspectiva da educ...
Tic e desenvolvimento na américa latina uma análise sob a perspectiva da educ...ACORN-REDECOM
 
Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologiasjmpg2011
 
Artigo: Domínio pessoal: o que é preciso descobrir antes de aprender
Artigo: Domínio pessoal: o que é preciso  descobrir antes de aprenderArtigo: Domínio pessoal: o que é preciso  descobrir antes de aprender
Artigo: Domínio pessoal: o que é preciso descobrir antes de aprenderPriscila Stuani
 
DPA_Portefólio.pdf
DPA_Portefólio.pdfDPA_Portefólio.pdf
DPA_Portefólio.pdfIdalinaRosa2
 
Coied - SOBERIRO, Milton JB - Estilos de Aprendizagem: Ferramenta para produç...
Coied - SOBERIRO, Milton JB - Estilos de Aprendizagem: Ferramenta para produç...Coied - SOBERIRO, Milton JB - Estilos de Aprendizagem: Ferramenta para produç...
Coied - SOBERIRO, Milton JB - Estilos de Aprendizagem: Ferramenta para produç...Milton JB Sobreiro
 
Estimulos positivos cerebrais, neurociencias.pdf
Estimulos positivos cerebrais, neurociencias.pdfEstimulos positivos cerebrais, neurociencias.pdf
Estimulos positivos cerebrais, neurociencias.pdfAndressaMolina3
 

Semelhante a 96069702 neurociencias-neuroeducacao (20)

A NEUROCIENCIA APLICADA AO ENSINO DE HISTÓRIA.pdf
A NEUROCIENCIA APLICADA AO ENSINO DE HISTÓRIA.pdfA NEUROCIENCIA APLICADA AO ENSINO DE HISTÓRIA.pdf
A NEUROCIENCIA APLICADA AO ENSINO DE HISTÓRIA.pdf
 
Redescoberta da mente
Redescoberta da menteRedescoberta da mente
Redescoberta da mente
 
Psicomotricidade no contexto da neuroaprendizagem: contribuições à ação psico...
Psicomotricidade no contexto da neuroaprendizagem: contribuições à ação psico...Psicomotricidade no contexto da neuroaprendizagem: contribuições à ação psico...
Psicomotricidade no contexto da neuroaprendizagem: contribuições à ação psico...
 
Conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem online
Conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem onlineConceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem online
Conceção e desenvolvimento de ambientes de aprendizagem online
 
16_memoria_e_educacao.pdf
16_memoria_e_educacao.pdf16_memoria_e_educacao.pdf
16_memoria_e_educacao.pdf
 
ausubel.ppt
ausubel.pptausubel.ppt
ausubel.ppt
 
Artigo suzane neuroeducação
Artigo suzane neuroeducaçãoArtigo suzane neuroeducação
Artigo suzane neuroeducação
 
Conectivismo
ConectivismoConectivismo
Conectivismo
 
PRÁTICAS INTERVERTIVAS NA NEUROPSICOPEDAGOGIA.PDF.pdf
PRÁTICAS INTERVERTIVAS NA NEUROPSICOPEDAGOGIA.PDF.pdfPRÁTICAS INTERVERTIVAS NA NEUROPSICOPEDAGOGIA.PDF.pdf
PRÁTICAS INTERVERTIVAS NA NEUROPSICOPEDAGOGIA.PDF.pdf
 
Portugal_manual-psicologia-da-aprendizagem-pdf-free.pdf
Portugal_manual-psicologia-da-aprendizagem-pdf-free.pdfPortugal_manual-psicologia-da-aprendizagem-pdf-free.pdf
Portugal_manual-psicologia-da-aprendizagem-pdf-free.pdf
 
Bibliografia Anotada - Pedagogia do E-learning, Papel do Tutor Online
Bibliografia Anotada - Pedagogia do E-learning, Papel do Tutor OnlineBibliografia Anotada - Pedagogia do E-learning, Papel do Tutor Online
Bibliografia Anotada - Pedagogia do E-learning, Papel do Tutor Online
 
Neuroeducação
NeuroeducaçãoNeuroeducação
Neuroeducação
 
Pal006
Pal006Pal006
Pal006
 
O BLOG COMO FERRAMENTA PARA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM COLAB...
O BLOG COMO FERRAMENTA PARA CONSTRUÇÃO  DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM  COLAB...O BLOG COMO FERRAMENTA PARA CONSTRUÇÃO  DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM  COLAB...
O BLOG COMO FERRAMENTA PARA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM COLAB...
 
Tic e desenvolvimento na américa latina uma análise sob a perspectiva da educ...
Tic e desenvolvimento na américa latina uma análise sob a perspectiva da educ...Tic e desenvolvimento na américa latina uma análise sob a perspectiva da educ...
Tic e desenvolvimento na américa latina uma análise sob a perspectiva da educ...
 
Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologias
 
Artigo: Domínio pessoal: o que é preciso descobrir antes de aprender
Artigo: Domínio pessoal: o que é preciso  descobrir antes de aprenderArtigo: Domínio pessoal: o que é preciso  descobrir antes de aprender
Artigo: Domínio pessoal: o que é preciso descobrir antes de aprender
 
DPA_Portefólio.pdf
DPA_Portefólio.pdfDPA_Portefólio.pdf
DPA_Portefólio.pdf
 
Coied - SOBERIRO, Milton JB - Estilos de Aprendizagem: Ferramenta para produç...
Coied - SOBERIRO, Milton JB - Estilos de Aprendizagem: Ferramenta para produç...Coied - SOBERIRO, Milton JB - Estilos de Aprendizagem: Ferramenta para produç...
Coied - SOBERIRO, Milton JB - Estilos de Aprendizagem: Ferramenta para produç...
 
Estimulos positivos cerebrais, neurociencias.pdf
Estimulos positivos cerebrais, neurociencias.pdfEstimulos positivos cerebrais, neurociencias.pdf
Estimulos positivos cerebrais, neurociencias.pdf
 

Último

avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdfHELLEN CRISTINA
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdfHELLEN CRISTINA
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAndersonMoreira538200
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOvilcielepazebem
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfMarceloMonteiro213738
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfamaroalmeida74
 
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....TharykBatatinha
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfThiagoAlmeida458596
 

Último (13)

avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdf
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
 
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
ELETIVA ensino médio / corpo e saude....
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
 

96069702 neurociencias-neuroeducacao

  • 1. UFSC- Universidade Federal de Santa Catarina Joao Vicente Alfaya dos Santos Marco Aurélio Ramos Werley Rabelo Ferreira Resumo O artigo apresenta informações bibliográficas que visam intrumentalizar os professores para o uso das ferramentas de hipermídia, hipertexto, objetos de apendizagem e neurociência nos diversos niveis de ensino para que possam potencializar a capacidade de apreendizado dos seus alunos.Hipermídia, de modo geral, é a reunião de várias mídias num suporte computacional, suportado por sistemas eletrônicos de comunicação. Hipertexto é o termo que remete a um texto em formato digital, ao qual se agregam outros conjuntos de informação na forma de blocos de textos, palavras, imagens ou sons, cujo acesso se dá através de referências específicas denominadas de links. Objetos de aprendizagem visam estimular o raciocínio e o pensamento crítico dos estudantes, associando o potencial das Tic´s às novas abordagens pedagógicas. A meta que se pretende atingir disponibilizando esses conteúdos digitais é melhorar a aprendizagem das disciplinas da educação em todos os níveis e a formação cidadã do aluno. A Neuroeducação relaciona as descobertas sobre aprendizagem, memória,linguagem e outras áreas da neurociência cognitiva para informar os educadores sobre as melhores estratégias de ensino e aprendizagem. Os professores precisam ser orientados e informados sobre como os seus alunos aprendem e memorizam as informações ensinadas. Palavras chave: Hipermídia, Hipertexto, Objetos de aprendizagem, Neurociência, Aprendizagem e Neuroeducação. 1- Introdução Neurociência é um ramo científico complexo, composto por uma gama de conhecimentos científicos de área diferentes e que busca responder a questões igualmente diversas como comportamentais, desenvolvimentais, cognitivas, emotivas, bioquímicas, linguísticas, entre outras. Podemos usar uma definição simplificada de neurociência do site cerebronosso.bio.br: "Neurociência é o estudo do sistema nervoso: sua estrutura, seu desenvolvimento, funcionamento, evolução, relação com o comportamento e a mente, e também suas alterações." Uma área de concentração da neurociência está centrada nas questões de aprendizagem e, por consequência, de ensino. Afinal, compreendendo melhor como funciona o sistema nervoso, como este reage a estímulos, como se processa esse fenômeno da aprendizagem, é possível buscar formas de potencializar o ensino, buscando resultados mais efetivos. Alguns pesquisadores consideram, inclusive, a emergência de uma nova ciência: a neuroeducação (ZARO, et al., 2010). Para entender um pouco mais sobre neuroeducação, alguns exemplos estão contidos na seguinte apresentação, que pode servir como fonte inspiradora para que educadores planejem suas atividades. Desta forma, pretendemos aqui oferecer uma possibilidade de sequência didática/módulo de ensino sobre alguns aspectos básicos da neurociência e a conexão desta com o aprendizado, pautada não em um, mas sim em uma pluralidade de recursos utilizados pelas tecnologias da informação e comunicação (TIC), como sites, vídeos, animações. Tais recursos, futuramente, poderão ser agregados em um único objeto de aprendizagem, em formato de hipermídia. Pesquisas em ensino de ciências têm mostrado que o uso de tecnologias que contemplem diferentes formatos favorecem uma aprendizagem mais significativa (CASTRO e STRUCHINER, 2009; MACHADO e NARDI, 2007). Além disso, um módulo de ensino que mescle vários recursos diferentes se aproxima mais do entendimento sobre o funcionamento cerebral que temos hoje: possibilidades de novas conexões sinápticas, uma verdadeira rede de conexões que, quanto mais explorada for em situações diferenciadas, mais se desenvolverá. A outra vantagem desta proposta é que a ordem dos elementos a ser trabalhados poderá ser alterada conforme convier ao educador, da mesma forma o educando poderá percorrer caminhos múltiplos, caso seja feita uma hipermídia baseada nesta proposta. 2- Sistema Nervoso O que é o sistema nervoso, como ele se organiza e como funciona? Essas questões de ordem anatômica e fisiológica podem ser elucidadas no site de Anatomia e Fisiologia Humana. Mas somente a morfologia cerebral não diz como este órgão funciona. Para isso, é necessário entender um pouco sobre os componentes celulares e a bioquímica cerebral. Uma explicação sintetizada pode ser visualizada neste vídeo. Como pode ser visto, as conexões neuronais (sinapses) são inúmeras e o cérebro um órgão dotado de plasticidade. Assim como um músculo não utilizado atrofia e bem utilizado se fortalece, o cérebro também pode ser "trabalhado". Conexões sinápticas não utilizadas são enfraquecidas, podendo até ser eliminadas, ao passo que outras são criadas. E essa criação de novas sinapses pode ocorrer de muitas formas, não sendo necessariamente associada a um comportamento respondente. Essa plasticidade cerebral, quase ilimitada, os comportamentalistas não abrangeram em suas teorias, mesmo porque esse conhecimento é relativamente recente.O próximo passo então é entender um pouco sobre alguns dos vieses da neurociências: a morfologia e fisiologia do sistema nervoso. 3- O Aprendizado Um das teorias que marcou psicologia e, por extensão, a educação no século passado foi a comportamentalista, tendo B.F. Skinner como um dos seus representantes mais icônicos. Para saber um pouco mais sobre essa teoria acesse a página sobre Skinner e sua teoria da aprendizagem. O que é interessante notar aqui, é que o modelo defendido por Skinner, segundo qual poderia ser possível "mensurar" a aprendizagem, tem por base o que se entendia sobre o funcionamento cerebral na época. Mais especificamente, para os behavioristas a mente era vista como uma "caixa preta", o funcionamento interno da mente
  • 2. só poderia ser conhecido ao se examinar os inputs (estímulos/condicionantes) e os outputs (respostas/comportamentos) (SAMPAIO, 2011). Mais sobre Skinner e sua teoria da aprendizagem podem ser vistos nos seguintes vídeos: B.F. Skinner Máquina de Ensinar O que se entende por aprendizagem hoje certamente é diferente do que Skinner concebia em sua época, assim como o conhecimento sobre o sistema nervoso e seu funcionamento. Certamente, um dos aspectos desconhecidos e por isso desconsiderados nessas teorias de aprendizagem é a diferença de habilidades presentes nos hemisférios cerebrais, os quais conferem habilidades e competências distintas (lógica, expressão artística, linguagem, emoções) mas que, ao serem trabalhados conjuntamente, explorando essas múltiplas capacidades humanas, atuam de forma sinérgica, tornando o aprendizado mais agradável e durador. Com o advento do uso das TIC´S em educação uma mudança de paradigma está em curso e é possível perceber que o uso de estratégias adequadas em um processo de ensino dinâmico e prazeroso esta se tornando cada vez mais premente. Aprendizagem baseada em projetos que podemos exercitar no curso oferecido na seguinte página, nos permite explorar os princípios gerais já sedimentados da neuroeducação encontrados no seguinte artigo e link se apresenta como uma opção para superar os métodos tradicionais de aulas expositivas e dialogadas. 4- Tecnologias e Neuroeducação Diante do que já foi exposto até agora cabe nos perguntar: se estamos vivendo um novo paradigma da educação, consolidado, em partes, pelo avanço das neurociências, qual a relação das tecnologias com esse novo paradigma? E como estas podem auxiliar, especificamente, o ensino de neurociências? Pozo (2002), citado por Malaggi e Marcon (2012), traz algumas considerações importantes no que se referem essas questões: cada sociedade é possuidora de uma cultura própria e, por consequência, uma forma de aprendizagem própria. De forma que aprender uma cultura é aprender sobre a cultura da aprendizagem. Ao aprendermos e apreendermos uma cultura, passamos a fazer parte dela. E, embora seja impossível (nem desejável) uma unificação cultural, hoje passamos por uma época em que as tecnologias da comunicação e informação possuem uma certa transversalidade nos diversos contextos, pois essas tecnologias, de alguma forma, ampliam as possibilidades de interação social. Talvez essa nova cultura, ao considerar as pessoas como nós de uma rede infinda de conhecimento conectadas por essas tecnologias, ajude a transformar a educação no sentido de superar a dicotomia entre polos de emissão de saber e polos de recepção do saber, num processo de construção coletiva e colaborativa. É possivel estabelecer uma analogia entre esses novos processos de aprendizagem através das tecnologias com os processos neuronais: ocorrem em rede, não são lineares, permitem múltiplos caminhos, são criativos, plásticos e, fundamentalmente, se ampliam com a interação social (e como vimos, as TIC possibilitam um incremento desta). Desta forma, cremos que o uso de recursos variados, em rede, sobre as neurociências, atua em sinergia para o aprendizado desta, pois os caminhos percorridos reforçam ao aluno um viés de metaconsciência, a consciência da própria consciência, o entendimento sobre como o cérebro trabalha e processa informações. Como forma de avaliação deste módulo de ensino/sequência didática, sugerimos que os alunos trabalhem em equipes e, de forma colaborativa, trabalhem em uma ferramenta wiki ou em um blog sobre temas que envolvam as neurociências (mediadores químicos, dependência química, anatomia do sistema nervoso, comportamento, etc). REFERÊNCIAS: CASTRO, J.C.; STRUCHINER, M. Análise do Processo de Desenvolvimento de um Sistema Hipermídia para Ensino de Neurociência com Base na Teoria da Atividade. ALEXANDRIA Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.2, n.3, p.3-33, nov. 2009. MACHADO, D.I.; NARDI, R. Construção e validação de um sistema hipermídia para o ensino de Física Moderna. REEC, v. 6, n. 1, p. 90-116, 2007. MALAGGI,V.; MARCON, K. Cibercultura e Educação: algumas reflexões sobre processos educativos na sociedade tecnológica contemporânea. Revista Espaço Acadêmico, n. 132, p. 115-123, 2012.
  • 3. SAMPAIO, M.R.R. O CAMINHO DA APRENDÊNCIA E AS CONTRIBUIÇÕES DAS NEUROCIÊNCIAS. Fólio – Revista de Letras, v. 3, n. 2 p. 251-273, jul./dez., 2011. ZARO, M.A.; et al.Emergência da Neuroeducação: a hora e a vez da neurociência para agregar valor à pesquisa educacional.Ciências & Cognição, v. 15, n.1, p. 199-210 , 2010. SITES: http://www.cerebronosso.bio.br/o-que-neurocincia/. Acesso em 05 de maio de 2012. http://www.intel.com/education/la/pt/elementos/pba/content.htm. Acesso 7 de maio de 2012. http://prezi.com/np2sto3weg3i/uso-de-tecnologias-para-apoio-ao-ensino-e-aprendizagem/ Acesso 7 de maio de 2012 http://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3224316. Acesso dia 7 de maio de 2012