O slideshow foi denunciado.
Neurociências na Formação
Básica do Professor
Ana Lúcia Hennemann
Neuropsicopedagoga
Universidade Federal do Rio Grande do...
Década
do
cérebro
Formação
do
professor
O
processo
de
inclusão
Neurociên-
cias e
educação
Tópicos a serem abordados
Novas concepções do funcionamento cerebral
Década do cérebro
Fundação Dana– já em 1985 havia assumido as
Neurociências como uma de suas prioridades
1985 – Dana Foundation assumiu as N...
Neuroeducação? Neuroaprendizagem?
Neuroeducador?
Neurociências e Educação
Formação Básica do Professor- O que enfatizava?
Formação de
professores ao decorrer
de muitos anos...
EDUCAÇÃO INCLUSIVA – Todos podem aprender
Século XXI: Pode-se
aceitar que uma
pessoa conheça
melhor o
funcionamento de
seu carro do seu de
seu cérebro?
(DEHAENE, 20...
“A neurociência em si
não cria um método.
Ela esclarece
processos biológicos e
culturais que podem
contribuir para o
aperf...
Neurociências na formação básica de professores
Sono?
Alimentação?
Aprendizagem?
Neurônios Espelho e Educação
Emoções = foco = Aprendemos com
mais facilidade o que nos emociona
Motivação
“Da mesma forma que
sem fome não
apreendemos a comer
e sem sede não
aprendemos a beber
água, sem motivação
não c...
Neurociências na educação.
Quem se beneficia?
Gráfico 1 - Neurociências nos cursos de Pedagogia no Brasil
8 7 3
31 27
69 79
41
335
162
0
50
100
150
200
250
300
350
400
...
Comparativo entre 2014 e 2015
11%
89%
2015
Com Neurociências Sem Neurociências
6%
94%
2014
Com Neurociências Sem Neurociên...
Readaptação curricular nos cursos de pedagogia
Busca pela "Alfabetização Neurocientífica"
Neuromitos
Neuromitos são
informações erradas sobre
o cérebro (OCDE, 2002)
que advêm de
interpretações
exageradas, ou
equi...
• Distorções de informações científicas.
Um estudo feito com determinada
população e é divulgado como
verdade absoluta;
Cl...
Algumas questões do livro Caçadores de
Neuromitos... (2015)
 O enriquecimento ambiental
para crianças é essencial para a
...
Neuromitos e educação
Hiperestimulação é diferente de estimulação
Há períodos sensíveis para a aprendizagem.
Se uma criança não aprender uma habilidade durante
essa “janela de oportunidade...
Investimento no ser humano...
Por que se
perpetua
o mito do
uso de
apenas
10% do
cérebro?
Habilidades e competências
dos alunos nos dizem se usam
mais o lado esquerdo ou
direito do cérebro???
“A sedutora ideia de se explorar o
lado criativo encontrando novas
formas de acessar o hemisfério
direito não passa de um ...
Estilo de Aprendizagem
Visual
Auditivo
Cinestésico
Ginástica cerebral funciona? E treino cognitivo?
Ouvir música ou aprender a tocar instrumentos,
qual a diferença?
Teoria das Inteligências Múltiplas
Multitarefa...
•Para evitar que os
neuromitos povoem o
espaço educacional o
estudo científico precisa
estar lá dentro e servir de
base pa...
Dificuldades de aprender? Foco nas potencialidades
Metacognição
As sementes já estão brotando.......
- Interface neurociência e educação é um elo
que está consolidado, mas que necessita:...
Trabalho Interdisciplinar
• Os dados obtidos mostram o
quanto a educação e a ciência
precisam dialogar e trabalhar na
inte...
O interesse maior da
Neuroeducação é proporcionar
um melhor entendimento dos
processos de ensino e de
aprendizagem. Conhec...
Referencial Bibliográfico
BRASIL. Ministério da Educação, 2000. Proposta de diretrizes para a formação inicial de professo...
Obrigada a todos
Ana Lúcia Hennemann
ana_hennemann@hotmail.com
Whats: 51 92484325
Ufrgs neurociências na formação básica do professor
Ufrgs neurociências na formação básica do professor
Ufrgs neurociências na formação básica do professor
Ufrgs neurociências na formação básica do professor
Ufrgs neurociências na formação básica do professor
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ufrgs neurociências na formação básica do professor

19.897 visualizações

Publicada em

Neurociências na Formação Básica do Professor

A formação básica do professor, ao decorrer de muitos anos primava pela qualidade em ensinar como ensinar, ou seja, qual metodologia utilizar para proporcionar a aprendizagem do educando, mas pouco se aprendia sobre o que fazer quando o aluno não obtivesse a aquisição dos conteúdos. O processo de inclusão, as mudanças tecnológicas, o maior acesso aos indivíduos ao contexto escolar trouxeram diversidade à educação, então se ocorreram períodos históricos onde o professor precisava se preocupar somente com os alunos que aprendiam e qual metodologia empregaria para ensinar aos mesmos, nos dias atuais isso parece “contos da carochinha”, a diversidade trouxe a necessidade de aprimoramento da prática pedagógica.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Ufrgs neurociências na formação básica do professor

  1. 1. Neurociências na Formação Básica do Professor Ana Lúcia Hennemann Neuropsicopedagoga Universidade Federal do Rio Grande do Sul V SEMANA NACIONAL DO CÉREBRO
  2. 2. Década do cérebro Formação do professor O processo de inclusão Neurociên- cias e educação Tópicos a serem abordados
  3. 3. Novas concepções do funcionamento cerebral Década do cérebro
  4. 4. Fundação Dana– já em 1985 havia assumido as Neurociências como uma de suas prioridades 1985 – Dana Foundation assumiu as Neurociências como plano de ação Desenvolvimento de melhor entendimento pelo público em relação ao cérebro e suas funções; Difusão de informações sobre as descobertas mais recentes de tratamento para desordens relacionadas com o sistema nervoso; Combate por meio da educação aos estigmas que afligem diversas pessoas com desordens cerebrais.
  5. 5. Neuroeducação? Neuroaprendizagem? Neuroeducador?
  6. 6. Neurociências e Educação
  7. 7. Formação Básica do Professor- O que enfatizava?
  8. 8. Formação de professores ao decorrer de muitos anos...
  9. 9. EDUCAÇÃO INCLUSIVA – Todos podem aprender
  10. 10. Século XXI: Pode-se aceitar que uma pessoa conheça melhor o funcionamento de seu carro do seu de seu cérebro? (DEHAENE, 2012)
  11. 11. “A neurociência em si não cria um método. Ela esclarece processos biológicos e culturais que podem contribuir para o aperfeiçoamento pedagógico”. LIMA, 2014
  12. 12. Neurociências na formação básica de professores Sono? Alimentação? Aprendizagem?
  13. 13. Neurônios Espelho e Educação
  14. 14. Emoções = foco = Aprendemos com mais facilidade o que nos emociona
  15. 15. Motivação “Da mesma forma que sem fome não apreendemos a comer e sem sede não aprendemos a beber água, sem motivação não conseguimos aprender.” - Iván Izquierdo.
  16. 16. Neurociências na educação. Quem se beneficia?
  17. 17. Gráfico 1 - Neurociências nos cursos de Pedagogia no Brasil 8 7 3 31 27 69 79 41 335 162 0 50 100 150 200 250 300 350 400 Neurociências na graduação Total de grades curriculares pesquisadas Fonte: pesquisa feita pela autora nas matrizes curriculares dos cursos de pedagogia no ano de 2015, disponibilizado pelo sistema de Cadastro e-MEC.
  18. 18. Comparativo entre 2014 e 2015 11% 89% 2015 Com Neurociências Sem Neurociências 6% 94% 2014 Com Neurociências Sem Neurociências
  19. 19. Readaptação curricular nos cursos de pedagogia
  20. 20. Busca pela "Alfabetização Neurocientífica"
  21. 21. Neuromitos Neuromitos são informações erradas sobre o cérebro (OCDE, 2002) que advêm de interpretações exageradas, ou equivocadas sobre achados das pesquisas em neurociência. (EKUMI, 2015)
  22. 22. • Distorções de informações científicas. Um estudo feito com determinada população e é divulgado como verdade absoluta; Classificação dos Neuromitos... • PARCIALMENTE ERRADOS • Evidência correta, mas por algum tipo de simplificação, a afirmação fica errada; • EXAGERADOS • COMPLETAMENTE EQUIVOCADOS • Sem respaldo científico.
  23. 23. Algumas questões do livro Caçadores de Neuromitos... (2015)  O enriquecimento ambiental para crianças é essencial para a aprendizagem e amadurecimento do cérebro??? Fazer ginástica cerebral aumenta a possibilidade de aprendizado??  Deve-se apender um novo idioma na infância para que possamos ser, de fato, proficientes??  Os hemisférios cerebrais estão relacionados a aptidões específicas: pessoas criativas usam mais o hemisfério direito, enquanto lógicas usam mais o hemisfério esquerdo??
  24. 24. Neuromitos e educação
  25. 25. Hiperestimulação é diferente de estimulação
  26. 26. Há períodos sensíveis para a aprendizagem. Se uma criança não aprender uma habilidade durante essa “janela de oportunidade”, não apenderá mais?
  27. 27. Investimento no ser humano...
  28. 28. Por que se perpetua o mito do uso de apenas 10% do cérebro?
  29. 29. Habilidades e competências dos alunos nos dizem se usam mais o lado esquerdo ou direito do cérebro???
  30. 30. “A sedutora ideia de se explorar o lado criativo encontrando novas formas de acessar o hemisfério direito não passa de um mito. [...] o cérebro trabalha como uma unidade funcional, onde algumas partes aprendem funções de outras a depender da exigência neuroplástica do momento.” Leonardo Faria Neurociências em Benefício da Educação
  31. 31. Estilo de Aprendizagem Visual Auditivo Cinestésico
  32. 32. Ginástica cerebral funciona? E treino cognitivo?
  33. 33. Ouvir música ou aprender a tocar instrumentos, qual a diferença?
  34. 34. Teoria das Inteligências Múltiplas
  35. 35. Multitarefa...
  36. 36. •Para evitar que os neuromitos povoem o espaço educacional o estudo científico precisa estar lá dentro e servir de base para o planejamento pedagógico e dessa forma o corpo docente pode elencar quais contribuições da neurociência podem auxiliar no processo da aprendizagem.
  37. 37. Dificuldades de aprender? Foco nas potencialidades
  38. 38. Metacognição
  39. 39. As sementes já estão brotando....... - Interface neurociência e educação é um elo que está consolidado, mas que necessita: Disponibilizar mais cientificidade nos cursos de formação básica do professor. Trazer a ciência para as reuniões pedagógicas fazendo com que o corpo docente dialogue sobre o assunto e possa verificar quais ações práticas podem ter diante estes estudos.
  40. 40. Trabalho Interdisciplinar • Os dados obtidos mostram o quanto a educação e a ciência precisam dialogar e trabalhar na interdisciplinaridade. O quanto o papel do professor se mostra importante no processo de ensino e aprendizagem. Tanto na educação quanto na ciência não existe mágica, existe sim é empenho...estudo.
  41. 41. O interesse maior da Neuroeducação é proporcionar um melhor entendimento dos processos de ensino e de aprendizagem. Conhecendo esses processos, é possível promover sua melhora e facilitar não só o processo de aprendizagem para os alunos, mas também o processo de ensino para os docentes. Alfred Sholl-FrancoNeurociências em Benefício da Educação
  42. 42. Referencial Bibliográfico BRASIL. Ministério da Educação, 2000. Proposta de diretrizes para a formação inicial de professores da educação básica, em cursos de nível superior. Disponível online em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/basica.pdf > Acesso em 06/07/2015. CARVALHO, Fernanda Antoniolo Hammes de. Neurociências e Educação: Uma articulação necessária na formação docente. In: Trabalho, Educação e Saúde, v. 8, p -537-550, nov.2010/fev.2011. Disponível online em: < http://www.scielo.br/pdf/tes/v8n3/12.pdf > Acesso em 07/07/2015. COSENZA, R.M. GUERRA, L. Neurociência e Educação: como o cérebro aprende. Porto Alegre: Artmed, 2011. DEHAENE, Stanislas. Os neurônios da leitura: como a ciência explica a nossa capacidade de ler. Porto Alegre: Penso, 2012. EKUNI, Roberta. ZEGGIO, Larissa. BUENO, Orlando. Caçadores de Neuromitos. São Paulo. Memnon, 2015. HERCULANO-HOUZEL, Suzana. Neurociências na Educação. Coleção Neurociências. São Paulo: Atta, 2009. PALMINI, André. Neurociências e as relações professor-aluno. In: XI Congresso do Ensino Privado Gaúcho. Porto Alegre: PUC, 2011. RELVAS, Marta Pires. Neurociência na Prática Pedagógica. Rio de Janeiro: Wak, 2012.
  43. 43. Obrigada a todos Ana Lúcia Hennemann ana_hennemann@hotmail.com Whats: 51 92484325

×