SlideShare uma empresa Scribd logo
“O homem deve saber que de nenhum outro
lugar, mas do encéfalo, vem a alegria, o
prazer, o riso e a diversão, o pesar, o
ressentimento, o desânimo e a lamentação. E
por isso, de uma maneira especial, adquirimos
sabedoria e conhecimento, e enxergamos e
ouvimos e sabemos o que é justo e injusto, o
que é bom e o que é ruim, o que é doce e o
que é amargo... E pelo mesmo órgão
tornamo-nos loucos e delirantes, e medos e
terrores nos assombram... Todas estas coisas
suportamos do encéfalo quando não está
sadio... Neste sentido sou da opinião de que o
encéfalo exerce o maior poder sobre o
“Não pode haver compreensão
entre a mão e o cérebro, a não
ser que o coração seja o
mediador”
Fritz Lang (Metrópolis)
  área de conhecimento, que se estabeleceu na
segunda metade do século XX e que, pelo
impressionante número de pesquisas e estudos,
ampliou significativamente nosso conhecimento
sobre como nós, os seres humanos, nos
desenvolvemos e aprendemos.
 Revela como ocorrem os processos de
aprendizagem. Ela detalha, também, as
particularidades de cada período de
desenvolvimento do aluno e nos permite entender
melhor como que ao aprender na escola. É um
momento muito interessante da evolução da
ciência, pois temos mais condições de
encaminhar a docência para a aprendizagem de
todos.
“A imaginação cria condições de
aprendizagem, enquanto a
memória possibilita a
aprendizagem.”
Elvira Souza Lima
 Como pensamos?
 Como memorizamos?
 Como aprendemos?
 Modificação do neurônio (sinapses) para que se
molde a função.
Todos são capazes de
aprender! O que nos falta é
aprender a ensinar!
“se compreendermos melhor a função cerebral,
especialmente a plasticidade neuronal, seremos
capazes de criar intervenções educacionais e
técnicas pedagógicas mais eficientes”
 Estímulos Multissensoriais: as pesquisas mostram
que o aprendizado será mais eficaz e a
recordação da informação mais fácil se mais
sentidos forem estimulados.
 Recompensas e motivação: a necessidade de uma
recompensa imediata é característica das gerações
atuais. Recompensas externas podem ser
preocupantes no ambiente escolar mas a criatividade
do professor pode encontrar formas de recompensar
o aluno em sala de aula de forma a motivá-lo nas
atividades e conquistar sua atenção. Algo como
dedicar um intervalo da aula para piadas, canções,
jingles, se a atenção e participação de todos foi
adequada no momento combinado.
 Memória: sem repetição a memorização não
acontece, a rememoração falha, perde-se a
informação, o tempo e a motivação. A quantidade
de repetição vai depender da emoção envolvida
na passagem da informação. Quanto mais
emoção maior a chance da informação ficar
cravada na memória dos seus alunos.
 Conhecimento prévio: dificilmente vai haver
aprendizagem se a informação nova não está
contextualizada e conectada a conhecimentos que já
existem no cérebro da criança.
 Do concreto para o abstrato: o lobo frontal, sede do
nosso pensamento abstrato, demora mais a se
desenvolver, como vimos aqui isso se estende até a
segunda década de vida. Dessa forma, parta de
exemplos concretos para atingir ideações abstratas.
 Práticas: quando uma informação é colocada em
prática ela se torna patente em nosso cérebro. Mas
certifique-se de que na prática a criança realmente
entendeu, ela deve ser capaz de falar e escrever
sobre um conceito que praticou.
 Estórias ou histórias: elas ativam muitas áreas
cerebrais, mexem conosco, com nossas emoções,
memórias e ideias. Elas têm início, meio e fim, o que
também estimula o desenvolvimento de habilidades
de sequenciação e organização.
 Computadores e outras tecnologias: muitos
sentidos são estimulados quando os estudantes
trabalham em grupos fazendo pesquisas no
computador. O trabalho é bastante visual, auditivo
e cinestésico, além de estimular habilidades
sociais.
 O cérebro procura por padrões: a informação é guardada
em nosso cérebro através de padrões de reconhecimento.
Daniel Pink (2005) ressalta que a era atual requer uma
forma de pensar que inclua a capacidade de detectar
padrões e criar algo novo. É fundamental que o Educador
apresente a nova informação, auxilie o aluno a identificar o
padrão, associar esse padrão a padrões já armazenados
por ele em seu cérebro e aí seja capaz de criar novos
padrões. Dois métodos principais funcionam muito bem
para isso, um é o uso de organizadores gráficos como
mapas mentais, outro é através da organização da
informação em blocos lógicos e contextualizados.
 O estresse inibe a aprendizagem: numerosas
evidências apontam para isso, sobretudo os
efeitos do cortisol (hormônio do estresse)
provocando a morte de neurônios no hipocampo
(área da memória de longo prazo). Nesse sentido
ofereça um ambiente de ensino seguro,
confortável e acolhedor. Estabeleça rotinas,
regras, objetivos e procedimentos padrão. Os
rituais de sala de aula podem contribuir para
reduzir o estresse.
 O cérebro é um órgão social: a interação e
desenvolvimento de habilidades sociais são
fundamentais no processo de aprendizagem. Nossas
crianças da era digital encontram-se talvez mais aptas
a se relacionar através de um teclado do que com a
fala, o olhar e o toque. É importante para elas
desenvolver a linguagem não verbal, reconhecer
sentimentos através da face e dos gestos, interagir
com diferentes grupos sociais, aprender a escutar,
expressar suas emoções e ser empática.
 Arte e atividade física melhoram o desempenho
intelectual: explore essas atividades o mais que
puder.
"Da mesma forma que sem fome
não aprendemos a comer e sem
sede não aprendemos a beber
água, sem motivação não
conseguimos aprender“
Iván Izquierdo
“Tarefas muito difíceis desmotivam
e deixam o cérebro frustrado,
sem obter prazer do sistema de
recompensa. Por isso são
abandonadas, o que também
ocorre com as fáceis”.
Suzana Herculano-Houzel
"É a procura por respostas quando a pessoa está
diante de uma situação que ainda não consegue
resolver. A aprendizagem ocorre na relação entre
o que ela sabe e o que o meio físico e social
oferece. Sem desafios, não há por que buscar
soluções. Por outro lado, se a questão for distante
do que se sabe, não são possíveis novas
sínteses.“
Piaget
"A cognição tem origem na motivação. Mas ela não
brota espontaneamente, como se existissem
algumas crianças com vontade - e naturalmente
motivadas - e outras sem. Esse impulso para agir
em direção a algo é também culturalmente
modulado. O sujeito aprende a direcioná-lo para
aquilo que quer, como estudar." 
Vygotsky 
 RELVAS, Marta Pires . Neurociência e Transtornos de
Aprendizagem- As múltiplas eficiências para uma educação Inclusiva.
Rio de Janeiro: Wak , 2009.
 http://neuropsicopedagogianasaladeaula.blogspot.com.br/p/jogos-para-sala-de-au
 Muito obrigada, pela atenção!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Neuropsicologia para Educadores
Neuropsicologia para EducadoresNeuropsicologia para Educadores
Neuropsicologia para Educadores
Gisele Cortoni Calia
 
Apostila neuropsicologia
Apostila neuropsicologiaApostila neuropsicologia
Apostila neuropsicologia
Omep Cuiabá
 
Neuropsicologia
NeuropsicologiaNeuropsicologia
Neuropsicologia
Instituto Consciência GO
 
Aula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de Aprendizagem
Aula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de AprendizagemAula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de Aprendizagem
Aula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de Aprendizagem
Fernando S. S. Barbosa
 
O cérebro e a função da linguagem
O cérebro e a função da linguagem O cérebro e a função da linguagem
O cérebro e a função da linguagem
Gisele Cortoni Calia
 
Bases Neurológicas da aprendizagem
Bases Neurológicas da aprendizagemBases Neurológicas da aprendizagem
Bases Neurológicas da aprendizagem
Gliciane S. Aragão
 
psicopedagogia : sua historia, origem e campo de atuação
psicopedagogia : sua historia, origem e campo de atuaçãopsicopedagogia : sua historia, origem e campo de atuação
psicopedagogia : sua historia, origem e campo de atuação
fatima amitaflustosa
 
Neuroplasticidade
NeuroplasticidadeNeuroplasticidade
Neuroplasticidade
Gisele Cortoni Calia
 
Cérebro, Comportamento e Evolução
Cérebro, Comportamento e EvoluçãoCérebro, Comportamento e Evolução
Cérebro, Comportamento e Evolução
Caio Maximino
 
Processos psicológicos básicos psicologia
Processos psicológicos básicos   psicologia Processos psicológicos básicos   psicologia
Processos psicológicos básicos psicologia
Maria Santos
 
Henri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADEHenri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADE
Aclecio Dantas
 
Neuropsicologia
NeuropsicologiaNeuropsicologia
Neuropsicologia
Instituto Consciência GO
 
Cognição
CogniçãoCognição
Cognição
Anaí Peña
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
glauciacorreaperes
 
Neuropsicologia
NeuropsicologiaNeuropsicologia
Aula PPB - SENSACAO
Aula PPB - SENSACAOAula PPB - SENSACAO
Aula PPB - SENSACAO
guest8af197
 
Cérebro adolescente
Cérebro adolescenteCérebro adolescente
Cérebro adolescente
Silvana Sanches
 
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicosIntrodução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Caio Maximino
 
Aula de psicologia
Aula de psicologiaAula de psicologia
Aula de psicologia
Adriana Alves Almeida
 
O estudo do desenvolvimento humano
O estudo do desenvolvimento humanoO estudo do desenvolvimento humano
O estudo do desenvolvimento humano
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 

Mais procurados (20)

Neuropsicologia para Educadores
Neuropsicologia para EducadoresNeuropsicologia para Educadores
Neuropsicologia para Educadores
 
Apostila neuropsicologia
Apostila neuropsicologiaApostila neuropsicologia
Apostila neuropsicologia
 
Neuropsicologia
NeuropsicologiaNeuropsicologia
Neuropsicologia
 
Aula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de Aprendizagem
Aula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de AprendizagemAula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de Aprendizagem
Aula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de Aprendizagem
 
O cérebro e a função da linguagem
O cérebro e a função da linguagem O cérebro e a função da linguagem
O cérebro e a função da linguagem
 
Bases Neurológicas da aprendizagem
Bases Neurológicas da aprendizagemBases Neurológicas da aprendizagem
Bases Neurológicas da aprendizagem
 
psicopedagogia : sua historia, origem e campo de atuação
psicopedagogia : sua historia, origem e campo de atuaçãopsicopedagogia : sua historia, origem e campo de atuação
psicopedagogia : sua historia, origem e campo de atuação
 
Neuroplasticidade
NeuroplasticidadeNeuroplasticidade
Neuroplasticidade
 
Cérebro, Comportamento e Evolução
Cérebro, Comportamento e EvoluçãoCérebro, Comportamento e Evolução
Cérebro, Comportamento e Evolução
 
Processos psicológicos básicos psicologia
Processos psicológicos básicos   psicologia Processos psicológicos básicos   psicologia
Processos psicológicos básicos psicologia
 
Henri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADEHenri wallon - AFETIVIDADE
Henri wallon - AFETIVIDADE
 
Neuropsicologia
NeuropsicologiaNeuropsicologia
Neuropsicologia
 
Cognição
CogniçãoCognição
Cognição
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
 
Neuropsicologia
NeuropsicologiaNeuropsicologia
Neuropsicologia
 
Aula PPB - SENSACAO
Aula PPB - SENSACAOAula PPB - SENSACAO
Aula PPB - SENSACAO
 
Cérebro adolescente
Cérebro adolescenteCérebro adolescente
Cérebro adolescente
 
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicosIntrodução ao estudo dos processos psicológicos básicos
Introdução ao estudo dos processos psicológicos básicos
 
Aula de psicologia
Aula de psicologiaAula de psicologia
Aula de psicologia
 
O estudo do desenvolvimento humano
O estudo do desenvolvimento humanoO estudo do desenvolvimento humano
O estudo do desenvolvimento humano
 

Destaque

Aristóteles retórica das paixões
Aristóteles   retórica das paixõesAristóteles   retórica das paixões
Aristóteles retórica das paixões
Prof Paim
 
Neurociência e Educação Especial
Neurociência e Educação Especial Neurociência e Educação Especial
Neurociência e Educação Especial
Juliana Monteiro
 
APRENDIZADO
APRENDIZADOAPRENDIZADO
Como Aprender Mais - palestra
Como Aprender Mais - palestraComo Aprender Mais - palestra
Como Aprender Mais - palestra
Huaras Duarte
 
Situação de aprendizagem os cinco sentidos
Situação de aprendizagem os cinco sentidosSituação de aprendizagem os cinco sentidos
Situação de aprendizagem os cinco sentidos
Leila Bolonhin
 
Sensação e Percepção
Sensação e PercepçãoSensação e Percepção
Sensação e Percepção
Nilson Dias Castelano
 
COMO O CÉREBRO APRENDE
COMO O CÉREBRO APRENDECOMO O CÉREBRO APRENDE
COMO O CÉREBRO APRENDE
Valdiane Melo
 
Estímulo e motivação no processo de aprendizagem
Estímulo e motivação no processo de aprendizagemEstímulo e motivação no processo de aprendizagem
Estímulo e motivação no processo de aprendizagem
Dalila Melo
 
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
Ricardo Silva
 
Memoria
MemoriaMemoria
Memoria
aritovi
 

Destaque (10)

Aristóteles retórica das paixões
Aristóteles   retórica das paixõesAristóteles   retórica das paixões
Aristóteles retórica das paixões
 
Neurociência e Educação Especial
Neurociência e Educação Especial Neurociência e Educação Especial
Neurociência e Educação Especial
 
APRENDIZADO
APRENDIZADOAPRENDIZADO
APRENDIZADO
 
Como Aprender Mais - palestra
Como Aprender Mais - palestraComo Aprender Mais - palestra
Como Aprender Mais - palestra
 
Situação de aprendizagem os cinco sentidos
Situação de aprendizagem os cinco sentidosSituação de aprendizagem os cinco sentidos
Situação de aprendizagem os cinco sentidos
 
Sensação e Percepção
Sensação e PercepçãoSensação e Percepção
Sensação e Percepção
 
COMO O CÉREBRO APRENDE
COMO O CÉREBRO APRENDECOMO O CÉREBRO APRENDE
COMO O CÉREBRO APRENDE
 
Estímulo e motivação no processo de aprendizagem
Estímulo e motivação no processo de aprendizagemEstímulo e motivação no processo de aprendizagem
Estímulo e motivação no processo de aprendizagem
 
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
Aula nota 10 - 49 técnicas para ser um professor nota 10
 
Memoria
MemoriaMemoria
Memoria
 

Semelhante a Neurociencia e-aprendizagem

Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumondProjeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Unidade 1 - 09-08-2023.pptx
Unidade 1 - 09-08-2023.pptxUnidade 1 - 09-08-2023.pptx
Unidade 1 - 09-08-2023.pptx
IslanaPereira1
 
Terezinha Lindino
Terezinha LindinoTerezinha Lindino
Terezinha Lindino
Agência Estado
 
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na EducaçãoPós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Érica Paula
 
A importância da neurociência na educação
A importância da neurociência na educaçãoA importância da neurociência na educação
A importância da neurociência na educação
UNICEP
 
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumondProjeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
marcelosilveirazero1
 
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumondProjeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumondProjeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Neurociencia como-ela-ajuda-a-entender-a-aprendizagem
Neurociencia como-ela-ajuda-a-entender-a-aprendizagemNeurociencia como-ela-ajuda-a-entender-a-aprendizagem
Neurociencia como-ela-ajuda-a-entender-a-aprendizagem
Claudinéia da Silva de Oliveira
 
Textos sobre neurociência
Textos sobre neurociênciaTextos sobre neurociência
Textos sobre neurociência
Claudinéia da Silva de Oliveira
 
Como aprendemos
Como aprendemosComo aprendemos
Como aprendemos
Dalila Melo
 
Estimulando todos os sentidos de 0 a 6 anos
Estimulando todos os sentidos de 0 a 6 anosEstimulando todos os sentidos de 0 a 6 anos
Estimulando todos os sentidos de 0 a 6 anos
Meri Sandra
 
10 técnicas revolucionárias de augusto cury
10 técnicas revolucionárias de augusto cury10 técnicas revolucionárias de augusto cury
10 técnicas revolucionárias de augusto cury
IRACI SARTORI
 
CBTD 2006
CBTD 2006CBTD 2006
CBTD 2006
Karla Lopez
 
As tic e as neurociencias
As tic e as neurociencias As tic e as neurociencias
As tic e as neurociencias
Adriana Bruno
 
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychauxAcessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
pauloweimann
 
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychauxAcessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
deiguel
 
Ufrgs neurociências na formação básica do professor
Ufrgs neurociências na formação básica do professorUfrgs neurociências na formação básica do professor
Ufrgs neurociências na formação básica do professor
Ana Lúcia Hennemann
 
Processo de Design de um Jogo para Ambientes Multissensoriais
Processo de Design de um Jogo para Ambientes MultissensoriaisProcesso de Design de um Jogo para Ambientes Multissensoriais
Processo de Design de um Jogo para Ambientes Multissensoriais
Andre Luiz Abrahão
 
Educação e tecnologia
Educação e tecnologiaEducação e tecnologia
Educação e tecnologia
Rita Coutinho
 

Semelhante a Neurociencia e-aprendizagem (20)

Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumondProjeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
 
Unidade 1 - 09-08-2023.pptx
Unidade 1 - 09-08-2023.pptxUnidade 1 - 09-08-2023.pptx
Unidade 1 - 09-08-2023.pptx
 
Terezinha Lindino
Terezinha LindinoTerezinha Lindino
Terezinha Lindino
 
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na EducaçãoPós - Ensino e Aprendizagem na Educação
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
 
A importância da neurociência na educação
A importância da neurociência na educaçãoA importância da neurociência na educação
A importância da neurociência na educação
 
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumondProjeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
 
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumondProjeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
 
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumondProjeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
Projeto dificuldade de aprendizagem por simone helen drumond
 
Neurociencia como-ela-ajuda-a-entender-a-aprendizagem
Neurociencia como-ela-ajuda-a-entender-a-aprendizagemNeurociencia como-ela-ajuda-a-entender-a-aprendizagem
Neurociencia como-ela-ajuda-a-entender-a-aprendizagem
 
Textos sobre neurociência
Textos sobre neurociênciaTextos sobre neurociência
Textos sobre neurociência
 
Como aprendemos
Como aprendemosComo aprendemos
Como aprendemos
 
Estimulando todos os sentidos de 0 a 6 anos
Estimulando todos os sentidos de 0 a 6 anosEstimulando todos os sentidos de 0 a 6 anos
Estimulando todos os sentidos de 0 a 6 anos
 
10 técnicas revolucionárias de augusto cury
10 técnicas revolucionárias de augusto cury10 técnicas revolucionárias de augusto cury
10 técnicas revolucionárias de augusto cury
 
CBTD 2006
CBTD 2006CBTD 2006
CBTD 2006
 
As tic e as neurociencias
As tic e as neurociencias As tic e as neurociencias
As tic e as neurociencias
 
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychauxAcessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
 
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychauxAcessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
 
Ufrgs neurociências na formação básica do professor
Ufrgs neurociências na formação básica do professorUfrgs neurociências na formação básica do professor
Ufrgs neurociências na formação básica do professor
 
Processo de Design de um Jogo para Ambientes Multissensoriais
Processo de Design de um Jogo para Ambientes MultissensoriaisProcesso de Design de um Jogo para Ambientes Multissensoriais
Processo de Design de um Jogo para Ambientes Multissensoriais
 
Educação e tecnologia
Educação e tecnologiaEducação e tecnologia
Educação e tecnologia
 

Último

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 

Último (20)

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 

Neurociencia e-aprendizagem

  • 1. “O homem deve saber que de nenhum outro lugar, mas do encéfalo, vem a alegria, o prazer, o riso e a diversão, o pesar, o ressentimento, o desânimo e a lamentação. E por isso, de uma maneira especial, adquirimos sabedoria e conhecimento, e enxergamos e ouvimos e sabemos o que é justo e injusto, o que é bom e o que é ruim, o que é doce e o que é amargo... E pelo mesmo órgão tornamo-nos loucos e delirantes, e medos e terrores nos assombram... Todas estas coisas suportamos do encéfalo quando não está sadio... Neste sentido sou da opinião de que o encéfalo exerce o maior poder sobre o
  • 2.
  • 3. “Não pode haver compreensão entre a mão e o cérebro, a não ser que o coração seja o mediador” Fritz Lang (Metrópolis)
  • 4.   área de conhecimento, que se estabeleceu na segunda metade do século XX e que, pelo impressionante número de pesquisas e estudos, ampliou significativamente nosso conhecimento sobre como nós, os seres humanos, nos desenvolvemos e aprendemos.
  • 5.  Revela como ocorrem os processos de aprendizagem. Ela detalha, também, as particularidades de cada período de desenvolvimento do aluno e nos permite entender melhor como que ao aprender na escola. É um momento muito interessante da evolução da ciência, pois temos mais condições de encaminhar a docência para a aprendizagem de todos.
  • 6. “A imaginação cria condições de aprendizagem, enquanto a memória possibilita a aprendizagem.” Elvira Souza Lima
  • 7.  Como pensamos?  Como memorizamos?  Como aprendemos?
  • 8.  Modificação do neurônio (sinapses) para que se molde a função.
  • 9. Todos são capazes de aprender! O que nos falta é aprender a ensinar!
  • 10. “se compreendermos melhor a função cerebral, especialmente a plasticidade neuronal, seremos capazes de criar intervenções educacionais e técnicas pedagógicas mais eficientes”
  • 11.  Estímulos Multissensoriais: as pesquisas mostram que o aprendizado será mais eficaz e a recordação da informação mais fácil se mais sentidos forem estimulados.
  • 12.  Recompensas e motivação: a necessidade de uma recompensa imediata é característica das gerações atuais. Recompensas externas podem ser preocupantes no ambiente escolar mas a criatividade do professor pode encontrar formas de recompensar o aluno em sala de aula de forma a motivá-lo nas atividades e conquistar sua atenção. Algo como dedicar um intervalo da aula para piadas, canções, jingles, se a atenção e participação de todos foi adequada no momento combinado.
  • 13.  Memória: sem repetição a memorização não acontece, a rememoração falha, perde-se a informação, o tempo e a motivação. A quantidade de repetição vai depender da emoção envolvida na passagem da informação. Quanto mais emoção maior a chance da informação ficar cravada na memória dos seus alunos.
  • 14.  Conhecimento prévio: dificilmente vai haver aprendizagem se a informação nova não está contextualizada e conectada a conhecimentos que já existem no cérebro da criança.  Do concreto para o abstrato: o lobo frontal, sede do nosso pensamento abstrato, demora mais a se desenvolver, como vimos aqui isso se estende até a segunda década de vida. Dessa forma, parta de exemplos concretos para atingir ideações abstratas.
  • 15.  Práticas: quando uma informação é colocada em prática ela se torna patente em nosso cérebro. Mas certifique-se de que na prática a criança realmente entendeu, ela deve ser capaz de falar e escrever sobre um conceito que praticou.  Estórias ou histórias: elas ativam muitas áreas cerebrais, mexem conosco, com nossas emoções, memórias e ideias. Elas têm início, meio e fim, o que também estimula o desenvolvimento de habilidades de sequenciação e organização.
  • 16.  Computadores e outras tecnologias: muitos sentidos são estimulados quando os estudantes trabalham em grupos fazendo pesquisas no computador. O trabalho é bastante visual, auditivo e cinestésico, além de estimular habilidades sociais.
  • 17.  O cérebro procura por padrões: a informação é guardada em nosso cérebro através de padrões de reconhecimento. Daniel Pink (2005) ressalta que a era atual requer uma forma de pensar que inclua a capacidade de detectar padrões e criar algo novo. É fundamental que o Educador apresente a nova informação, auxilie o aluno a identificar o padrão, associar esse padrão a padrões já armazenados por ele em seu cérebro e aí seja capaz de criar novos padrões. Dois métodos principais funcionam muito bem para isso, um é o uso de organizadores gráficos como mapas mentais, outro é através da organização da informação em blocos lógicos e contextualizados.
  • 18.  O estresse inibe a aprendizagem: numerosas evidências apontam para isso, sobretudo os efeitos do cortisol (hormônio do estresse) provocando a morte de neurônios no hipocampo (área da memória de longo prazo). Nesse sentido ofereça um ambiente de ensino seguro, confortável e acolhedor. Estabeleça rotinas, regras, objetivos e procedimentos padrão. Os rituais de sala de aula podem contribuir para reduzir o estresse.
  • 19.  O cérebro é um órgão social: a interação e desenvolvimento de habilidades sociais são fundamentais no processo de aprendizagem. Nossas crianças da era digital encontram-se talvez mais aptas a se relacionar através de um teclado do que com a fala, o olhar e o toque. É importante para elas desenvolver a linguagem não verbal, reconhecer sentimentos através da face e dos gestos, interagir com diferentes grupos sociais, aprender a escutar, expressar suas emoções e ser empática.
  • 20.  Arte e atividade física melhoram o desempenho intelectual: explore essas atividades o mais que puder.
  • 21. "Da mesma forma que sem fome não aprendemos a comer e sem sede não aprendemos a beber água, sem motivação não conseguimos aprender“ Iván Izquierdo
  • 22. “Tarefas muito difíceis desmotivam e deixam o cérebro frustrado, sem obter prazer do sistema de recompensa. Por isso são abandonadas, o que também ocorre com as fáceis”. Suzana Herculano-Houzel
  • 23. "É a procura por respostas quando a pessoa está diante de uma situação que ainda não consegue resolver. A aprendizagem ocorre na relação entre o que ela sabe e o que o meio físico e social oferece. Sem desafios, não há por que buscar soluções. Por outro lado, se a questão for distante do que se sabe, não são possíveis novas sínteses.“ Piaget
  • 24. "A cognição tem origem na motivação. Mas ela não brota espontaneamente, como se existissem algumas crianças com vontade - e naturalmente motivadas - e outras sem. Esse impulso para agir em direção a algo é também culturalmente modulado. O sujeito aprende a direcioná-lo para aquilo que quer, como estudar."  Vygotsky 
  • 25.  RELVAS, Marta Pires . Neurociência e Transtornos de Aprendizagem- As múltiplas eficiências para uma educação Inclusiva. Rio de Janeiro: Wak , 2009.  http://neuropsicopedagogianasaladeaula.blogspot.com.br/p/jogos-para-sala-de-au
  • 26.  Muito obrigada, pela atenção!