Jung - resumo vida e obra

15.666 visualizações

Publicada em

0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.666
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
264
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jung - resumo vida e obra

  1. 1. Estudo Descritivo da Vida e Teoria de Carl G. Jung UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Isabela Queiroz de Oliveira
  2. 2. INTRODUÇÃO A escolha desse tema foi, além de interesse pessoal, uma tentativa de apresentar a abordagem de Carl G. Jung à Universidade Federal do Pará, pois, como estudante, não tive essa oportunidade. Surgiu no mesmo contexto histórico que a psicanálise sendo, inclusive, influenciada por ela.  JUSTIFICATIVA  Interesse pessoal;  Aprofundar o estudo do ser humano.  METODOLOGIA  Pesquisa bibliográfica (MARCONI E LAKATOS, 2001)
  3. 3. BREVE HISTÓRICO DE C. G. JUNG Infância e Juventude  Influências familiares: pai pastor protestante, mãe com família religiosa (parte ortodoxa, parte heterodoxa);  Opostos: pobreza x riqueza, vida rural x vida urbana, razão x fé, personalidade nº 1 e personalidade nº 2;  Visões da infância;  Relação com o pai e com a teologia presente na família;  Buscas filosóficas: Kant e o reencontro com a razão;  Escolha profissional: indecisão e crise de opostos.
  4. 4. Breve Histórico (Cont.) Jung e a psicologia  Medicina: o predomínio da personalidade nº 1 (a social, de provedor e mais parecida com o pai);  A morte do pai e as investigações dos fenômenos “psi”;  Especializando-se em psiquiatria;  O Burghölzi e Bleuler;  A experiência com associações;  O doutoramento e o estudo de “A interpretação dos sonhos”.
  5. 5. Breve Histórico (Cont.) Jung e Freud  A troca de correspondências iniciou-se após a experiência com hipnotismo com Pierre Janet, quando tinha sua própria clínica e lecionava como médico- chefe na Universidade de Zurique;  As publicações acadêmicas, o apoio às idéias de Freud e a reação da Academia;  O encontro pessoal com Freud e o início do elo de confiança;  As divergências e o princípio do fim da amizade;  “Metamorfoses e os símbolos da libido”.
  6. 6. Breve Histórico (Cont.) Principais conceitos divergentes:  Libido: para Jung uma denominação genérica, para Freud sempre de caráter sexual;  Inconsciente: para Freud era conteúdos reprimidos da consciência, para Jung é a causa maior da consciência;  O papel da religião: para Jung era uma função importante para o desenvolvimento da psique, para Freud uma neurose.
  7. 7. Breve Histórico (Cont.) Formulando Idéias  Isolamento do mundo e mergulho no mundo interior;  Dedicação exclusiva à clínica particular;  A publicação de “Tipos Psicológicos”;  Viagens: tentativas de conhecer e integrar culturas;  De volta à Academia no fim da vida.
  8. 8. A psicologia analítica Conceitos  Inconsciente: causa, condição; compensação e complementaridade; pares de opostos; cura;  Consciente: surge do inconsciente por adaptação ao meio;  Inconsciente pessoal: conteúdo reprimido, “sombra”;  Inconsciente coletivo: imagens arcaicas que influenciam a cultura e personalidade;  Energia Psíquica: “tendência para” da psique; entropia;  Arquétipo: possibilidade a priori em estado potencial;  Persona: “máscara” social;  Sombra: o lado oculto e reprimido que não se quer ver;
  9. 9. A psicologia analítica Conceitos (cont.)  Símbolo: a consciência encontrando o inconsciente;  Anima/ Animus: imagens psíquicas que complementam o desenvolvimento;  Self/ Si-mesmo: imagem arquetípica do potencial humano;  Complexo: conglomerados de idéias e afetos;  Complexo do eu: centro da consciência ou ego;  Individuação: tendência a ordernar-se em torno do si-mesmo;  Tipos Psicológicos: atitudes (extroversão e introversão) e funções (sensação, intuição, sentimento, pensamento)  Sonho: auto-representação do inconsciente.
  10. 10. A psicologia analítica A psicoterapia de orientação analítica  A metodologia individualizada;  A terapia do terapeuta e a supervisão da terapia;  Método construtivo: não saber, o erro, o encontro;  Associação: não racionalizar, compreensão do contexto dos conteúdos inconscientes;  Amplificação: a fantasia, a reflexão, cuidados (intelectualização e inflação).
  11. 11. Considerações Finais Críticas: „empirismo‟ e „psiquismo‟; Contribuições: valorização do lúdico; integraçãocom a cultura, exemplo da etnopsiquiatria. Alcance no tratamento das psicoses.

×