Mocidade Espírita Chico Xavier - Inspiração e Intuição

2.395 visualizações

Publicada em

Aula da Mocidade Espírita Chico Xavier - Inspiração e Intuição.
Acesse nosso blog: http://www.mocidadeespiritachicoxavier.blogspot.com.br/
Acesse nosso facebook:
https://www.facebook.com/mocdechicoxavier

Publicada em: Espiritual
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.395
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
146
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mocidade Espírita Chico Xavier - Inspiração e Intuição

  1. 1. Mocidade Espírita Chico Xavier Inspiração / Intuição 12/12/2014 Facilitadoras: Scheila Fássio Lima de Paiva Tânia Mara Lima Dias Endereço: Rua Silviano Brandão, 419 – Centro Machado – MG
  2. 2. INTUIÇÃO, INSPIRAÇÃO VAMOS LOCALIZAR NA CLASSIFICAÇÃO DA MEDIUNIDADE SEGUNDO SEUS EFEITOS ONDE SE ENCONTRA A INSPIRAÇÃO E A INTUIÇÃO As mediuinidades de inspiração e intuição se enquadram como de efeitos subjetivos ou inteligentes.
  3. 3. MEDIUNIDADE NATURAL E DE PROVA MEDIUNIDADE NATURAL:No estado evolutivo que nos encontramos a inspiração, a intuição e a percepção fluídica são faculdades permanentes em nós, assim como a inteligência é um atributo permanente do ser humano. A isso denominamos: Mediunidade Natural. Assim como não podemos mais deixar de pensar também não podemos deixar de ser médiuns. A medida que evolui e se moraliza, o indivíduo adquire faculdades psiquícas e aumenta, consequentemente, sua percepção espiritual. MEDIUNIDADE DE PROVA:Para muitos são concedidas temporariamente outras faculdades psíquicas, tais como psicofônia,psicografia, vidência, etc. Não as conquistaram, mas receberam-nas de empréstimo, durante a encarnação. Estes tipos de faculdades recebidas por empréstimos denominamos de Mediunidade de Prova. Pensamentos (inspiração e intuição) Sentimentos (percepção energética)
  4. 4. SINTONIA VIBRATÓRIA Sintonia vibratória é a base para todos os fenômenos de inspiração, intuição e percepção.Duas pessoas sintonizadas estarão evidentemente, com as mentes perfeitamente entrosadas,havendo entre elas, uma ponte magnética a vinculá-las, imantando-as uma à outra. ONDAS VIBRATÓRIAS POSITIVO NEGATIVO ONDAS CUMPRIDAS = PENSAMENTOS POSITIVOS ONDAS CURTAS = PENSAMENTOS NEGATIVOS
  5. 5. Duas pessoas sintonizadas mental e vibratóriamente estarão, evidentemente entrosadas e se estabelecerá entre elas uma ponte magnética vinculando-as, imantando-as profundamente.Os pensamentos e as sensações diferentes que a pessoa receptora sente, deve-se ao jato de força mental e força vibratória que o emitente lança sobre o sistema nervoso do receptor, ou seja, as idéias ou sugestões mentais vem carregadas de sentimentos, sensações, etc.
  6. 6. Você sabe a diferença entre Inspiração e Intuição? Determinados assuntos tratados na exposição espírita (palestra, aula ou preleção), muitas vezes parecem sem importância, mas nunca será demais saber o exato sentido ou significado de palavras ou expressões que usamos. É o que acontece com as palavras acima citadas, pois são inúmeros os companheiros que não fazem a menor distinção (e pior, passam adiante) que essas expressões significam a mesma coisa. Pois bem, há diferença e muita!
  7. 7. INSPIRAÇÃO Uma definição leiga: "Inspiração - sugestão, insinuação, conselho", ou "Inspirar - incutir, infundir,insuflar, introduzir" (Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa, Vol. 2 Ed. Enciclopédia Britânica). Atende-se para a etimologia (origem) dessa palavra, que vem de inspirare, ou "introduzir ar", quase o mesmo que assoprar. É simplesmente uma influência telepática com plena consciência, mas reconhece-se que é uma influência estranha quando o assunto tratado está fora das cogitações do indivíduo que recebe ou mesmo contrária seus pontos de vista.
  8. 8. Segundo a Doutrina Espírita: "A inspiração é a equipe dos pensamentos alheios que aceitamos ou procuramos". (Seara dos Médiuns, "Faixas", Emmanuel. F.C. Xavier, FEB - 4ª edição, pg. 125, discorrendo sobre o capítulo"Evocações" do Livro dos Médiuns). Portanto, não existe inspiração anímica, é sempre de origem externa. Léon Denis (O Problema do Ser, do Destino e da Dor, FEB, 1993, cap.21, pg. 334), sobre a inspiração: ”Uma das formas empregadas pelos habitantes do mundo invisível para nos transmitirem seus avisos, suas instruções (...). Pela mediunidade o Espírito infunde suas idéias no entendimento do transmissor". "É o recebimento espontâneo de idéias, pensamentos, concepções,provindo de Espíritos...". (Dicionário Enciclopédico de Espiritismo,Metapsíquica e Parapsicologia, Ed. Bels. 1976, 3ª ed., João Teixeira de Paula). Ressalte-se: é espontâneo, logo, não precisa evocação, nem pedido de auxílio; é um socorro imediato e de bom grado. Na inspiração, a pessoa se mantém consciente, para ocorrer o fenômeno é preciso que haja apenas sintonia mental entre quem vai emitir com quem vai receber telepaticamente as idéias ou sugestões mentais. Em conclusão: Inspiração é a transmissão dos pensamentos e mensagens de uma mente para outra, "um assopro" do desencarnado para que o encarnado possa livremente dispor de uma determinada figura, de uma idéia, de um quadro mental.
  9. 9. INTUIÇÃO A Intuição Pode Ser Anímica e Mediúnica Intuição Anímica: Intuição [do latim intueri + ção]; 1. Ato de ver, perceber, discernir de forma clara ou imediata; 2. Ato ou capacidade de pressentir; 3. Percepção na sua plenitude de uma verdade que normalmente não se chega por meio da razão ou do conhecimento discursivo ou analítico. Na intuição Anímica é a alma da própria pessoa que se manifesta. Quando o médium entra em transe o seu perispírito se desprende e situações vividas e ou conhecimentos adquiridos em outras encarnações passam a ser lembrados. Muitas vezes o médium manifesta conhecimentos que se encontram latentes no inconsciente ou expõe situações trágicas vividas em existência pregressa, que agora surgem como se fossem histórias de espíritos infelizes desencarnados.
  10. 10. INTUIÇÃO MEDIÚNICA Na intuição Mediúnica o médium absorve pensamentos e sensações de um outro espírito. Na intuição mediúnica a pessoa tem de sintonizar-se mentalmente e harmonizar-se vibratóriamente com o indivíduo que está emitindo.
  11. 11. Conclusão Podemos então concluir que inspiração é a transmissão dos pensamentos e mensagens de uma mente para outra. Intuição é o conjunto de conhecimentos próprios, adquiridos ao longo de inúmeras experiências vividas pelo Ser e que lhe aflora à mente espontaneamente, sem ninguém lhe transmita nada. Temos em Platão que ela é fundamentada na nossa preexistencia, manifestada através de diversas encarnações. Dr. Bezerra no livro A loucura sob Novo Prisma nos leva a entende-la como as "reminiscências das vidas que tivemos". Segundo Ney Lobo ela é "instrumento da alma no processo da educação sobre os valores acumulados em existências anteriores". Portanto amigos e médiuns em geral que constantemente utilizam estas duas expressões confundindo-as , agora poderemos afirmar com certeza que, quando quisermos pedir ajuda a nossos amigos da Espiritualidade, peçamos para que eles nos inspirem e não nos intuam. E quanto à intuição não necessitamos pedir nem a Deus, nem aos Bons Espíritos e sim "organizar" nosso mundo interior, para que nossos próprios conhecimentos possam ser devidamente utiizados para nossa própria marcha evolutiva e seguir a orientação de Emmanuel que em seu livro O Consoladornos indica, "que para desenvolver a intuição são necessários, estudo perseverante, esforço sincero e meditação sadia".
  12. 12. Reflexão Deus nos concede a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela, corre por nossa conta. Chico Xavier Cada dia que amanhece assemelha-se a uma página em branco, na qual gravamos os nossos pensamentos, ações e atitudes. Na essência, cada dia é a preparação de nosso próprio amanhã. Chico Xavier A luta enriquece-o de experiência, a dor aprimora-lhe as emoções e o sacrifício tempera-lhe o caráter. O Espírito encarnado sofre constantes transformações por fora, a fim de acrisolar-se e engrandecer-se por dentro. Chico Xavier
  13. 13. Fontes (1) DUROZOI, G. e ROUSSEL, A. Dicionário de Filosofia. Tradução de Marina Appenzeller. Campinas, SP: Papirus, 1993. (2) BAZARIAN, J. Intuição Heurística: Uma Análise Científica da Intuição Criadora. 3. ed. São Paulo: Alfa-Omega, 1986. (3) ARMOND, E. Mediunidade - Seus Aspectos, Desenvolvimento e Utilização. 17. ed. São Paulo: Aliança, 1977. (4) SANTOS, M. F. dos. Dicionário de Filosofia e Ciências Culturais. 3. ed. São Paulo: Matese, 1965. (5) KARDEC, A. O Livro dos Médiuns ou Guia dos Médiuns e dos Doutrinadores. São Paulo:Lake, [s.d.p.] Em forma de palestra: http://www.sergiobiagigregorio.com.br/filosofia/intuicao-e-inspiracao. htm (Milton Antunes Martins, no Jornal O Trevo) FIM

×