Obsessao 1

2.205 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.205
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
61
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
162
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Obsessao 1

  1. 1. Em linguagem espírita, obsessão Em alguns casos, quando a ação é é a ação prejudicial, insistente, intensa e continuada, pode vir adominadora, de um espírito sobre causar reflexos prejudiciais nooutro (exercida por conta própria organismo do obsidiado. ou a mando de terceiros).
  2. 2.  Observação:A ação dos bons espíritos sobre alguém nunca é obsessão, porque é sempre benéfica e não dominadora, respeitando o livre-arbítrio da criatura.
  3. 3. 1. Por débito de um espírito para com outro, originadoPor que acontece? nesta ou em outra vida (ex.: vingança, oposição etc.)
  4. 4. Pela lei da afinidade moral, 2. Pela afinidade participamos de um que atrai um grupo de espíritosespírito para outro. cujos gostos e inclinações são idênticos aos nossos.
  5. 5. Nossas imperfeições atraempara junto de nós espíritoscom idênticas imperfeições, alcoolismo, maledicência,vícios e falhas morais, tais como: sexualismo ambição, crueldade, exacerbado etc.
  6. 6. Se houver, também, O mau uso da afinidade fluídica, omediunidade é uma espírito obsessor terá falha que atrai campo livre para igualmente maus maior ação sobre o espíritos. obsidiado.
  7. 7. Ex.: “O Móvel daMas, o que prende junto a Obsessão’’ de Hilário nós o obsessor, não é Silva, em A Vida Escreve,propriamente a afinidade cap. XI, psicografado por fluídica, e sim a moral. Francisco Cândido Xavier”.
  8. 8. O MÓVEL DA OBSESSÃO Hilário Silva Achava-se Batuíra, o inolvidável apóstolo da Doutrina Espírita, em sua residência, na Rua do Lavapés, em São Paulo, quando um enfermo melhorado varou a porta. Tratava-se de um obsidiado em recuperação. Espírito: Hilário Silva - Psicografia: Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. Livro: A Vida Escreve – Primeira Parte – Médium: Waldo Vieira
  9. 9. O MÓVEL DA OBSESSÃO Hilário Silva Homem próspero, que o dono da casa conhecia de muito tempo. - Graças a Deus, Batuíra, estou muito mais forte – disse o recém-chegado -; já consigo dominar-me e governar meus próprios pensamentos. Espírito: Hilário Silva - Psicografia: Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. Livro: A Vida Escreve – Primeira Parte – Médium: Waldo Vieira
  10. 10. O MÓVEL DA OBSESSÃO Hilário Silva Venho, assim, hoje, com mais confiança, à nossa prece. Transbordando satisfação, Batuíra abraço-o e lembrou: - Convém, então, louvar a bondade de Nosso Senhor Jesus Cristo, formulando renovação. Espírito: Hilário Silva - Psicografia: Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. Livro: A Vida Escreve – Primeira Parte – Médium: Waldo Vieira
  11. 11. O MÓVEL DA OBSESSÃO Hilário Silva - Sim, meu amigo, faça a petição que deseje e acompanharei as suas palavras. O apóstolo cofiou a barba respeitável, elevou olhos ao Alto e, colocando as mãos sobre a cabeça do doente sentado, ia dizendo a oração: - Senhor, eu te agradeço a infinita misericórdia... Espírito: Hilário Silva - Psicografia: Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. Livro: A Vida Escreve – Primeira Parte – Médium: Waldo Vieira
  12. 12. O MÓVEL DA OBSESSÃO Hilário Silva E o amigo repetia: - Senhor, eu te agradeço a infinita misericórdia... - E prometo... - E prometo... - Que serei paciente e humilde... - Que serei paciente e humilde... Espírito: Hilário Silva - Psicografia: Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. Livro: A Vida Escreve – Primeira Parte – Médium: Waldo Vieira
  13. 13. O MÓVEL DA OBSESSÃO Hilário Silva - Que procurarei o caminho do bem... - Que procurarei o caminho do bem... - Que executarei o trabalho que a tua vontade determinar... Espírito: Hilário Silva - Psicografia: Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. Livro: A Vida Escreve – Primeira Parte – Médium: Waldo Vieira
  14. 14. O MÓVEL DA OBSESSÃO Hilário Silva - Que executarei o trabalho que a tua vontade determinar... - Que abrirei minha bolsa todos os dias, em favor dos necessitados... Espírito: Hilário Silva - Psicografia: Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. Livro: A Vida Escreve – Primeira Parte – Médium: Waldo Vieira
  15. 15. O MÓVEL DA OBSESSÃO Hilário Silva Mas, nesse ponto, sentindo talvez que o compromisso enunciado era para ele excessivamente pesado, o doente começou a gritar e piorou outra vez... Espírito: Hilário Silva - Psicografia: Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. Livro: A Vida Escreve – Primeira Parte – Médium: Waldo Vieira
  16. 16. Na resposta dos espíritos à questão 642 de O Livro dos Espíritos, aprendemos3. Pela falta de ação do que devemos fazer o bembem no limite de nossas forças, e que responderemos por todo o mal que resultar de não termos praticado o bem.
  17. 17. Por isso, muitas vezes, a obsessão que sofremos é pelanossa omissão ante o bem que sabemos e podemos fazer. Incluamos, aqui, o não- exercício da faculdade mediúnica que se possui, em favor de todos.
  18. 18. É a queQuanto maisao seu costumamosagente notar. De Mas existem, desencarnado também, outras sobre encarnado formas de obsessão.
  19. 19. Às vezes, é o Todos somos encarnado queDe encarnado espíritos e, importuna e obsidiando portanto, domina odesencarnado. podemos agir uns desencarnado sobre os outros. obsessivamente.
  20. 20.  Ex.: “Libório perseguido por Sara, criatura ainda encarnada a quem se ligou no mundo, por descontrolada paixão”.
  21. 21.  Sintonizados na mesma faixa vibracional deprimente, estão Ligados um ao outro, acusando dolorosa e complexa simbiose obsessional." (Martins Peralva, Estudando a Mediunidade, cap. "Estranha Obsessão"; André Luis, Nos Domínios da Mediunidade, cap. XIV.)
  22. 22. Obsessão mútua Quando, de lado a lado, entre encarnados ou não, é exercida insistentemente uma ação mental e fluídica inferior, prejudicial.
  23. 23. Ex.: imaginação fantasiosa, o Quando misticismo obsidiamos a doentio, as nós mesmos, fixações mentais pelo trabalho persistentes, o excessivo daAuto obsessão complexo de mente em ideias superioridade improdutivas, ou de egoístas, de te- inferioridade, mor, de orgulho enfim, tudo que etc. ultrapassa o limite da normalidade.
  24. 24. Ex.: o chamado De modo geral, "encosto", as todos nós aSeus graus: situações mentais e sofremos de vez em fluídicas esporá- quando. dicas. -Obsessão simples: é percebida pela É encontrada no pessoa; sua insistên- período pré- cia incomoda, mas mediúnico. o problema não está enraizado.
  25. 25. -Fascinação: neste caso, o obsidiado não se reconhece im- O obsidiado acha a sua ilusãoportunado, porque o obsessor foi certa e bela, confiando no astuto e, agindo disfarçada- obsessor.mente, conseguiu fasciná-lo com uma ilusão.
  26. 26. Ex.: médium que se sente compelido a escrever sempre, em qualquer local-Subjugação: a vontade ou momento, e até mesmo do obsidiado foi sem lápis ou caneta; dominada, moral ou movimentos fisicamente. involuntários, tais como ajoelhar-se, erguer as mãos para o céu, falar sozinho na rua.
  27. 27. Quanto tempo dura A obsessão, que se instala de forma sutil,paulatinamente, ou de forma rápida, intempestiva, poderá ter uma duração: - breve, transitória;
  28. 28. Ex.: Dramas da Obsessão e Nas - periódica (que Voragens do Pecado, retorna ou seacentua, de vez em livros quando); psicografados por Yvonne A. Pereira. - permanente (alongando-se pela encarnação ou até à vida no Além).
  29. 29. Como se curaA libertação de alguém que está obsidiado se consegue pela ação:Do encarnado: que, sem se abater, suporta com paciência oassédio espiritual e, enquanto isso procura ir se renovandomoralmente e se exercitando na prática do bem.
  30. 30. Do desencarnado: que desanima por não obter osefeitos que pretendia ou que se sente motivado a semodificar para melhor.
  31. 31. De terceiros: que ofereçam, tanto ao obsessor quanto ao obsidiado:- esclarecimentos sobre o porquê de seussofrimentos e como se conduzir para se libertar e continuar a progredir;
  32. 32. - preces, como recomenda Jesus: - passes e vibrações (paraOrai pelos que vos perseguem e renovação fluídica do obsi- vos maltratam (Mt 5:44); diado e do obsessor).
  33. 33.  A esse trabalho doutrinário e mediúnico, na tônica do amor fraterno, que se faz procurando libertar alguém da ação espiritual prejudicial e insistente que esteja sofrendo, chama-se desobsessão.
  34. 34.  Avaliação: 1) Que é a obsessão? 2)Por que ela ocorre? (Resumir.) 3) Como se cura?
  35. 35. BIBLIOGRAFIA: Coleção: Estudos e cursos Mediunidade Therezinha de Oliveira De Allan Kardec: O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XXVIII, itens 81 a 84; O Livro dos Médiuns, 2ª parte, cap. XXIII. De André Luiz (Francisco C. Xavier): -Missionários da Luz, cap. XVIII. De Marlene R. S. Nobre: -A Obsessão e Suas Máscaras, Parte 1. De Suely C. Schubert: Obsessão/Desobsessão.
  36. 36. Grupo Espírita Allan Kardec www.luzdoespiritismo.com

×