SlideShare uma empresa Scribd logo
1
FUTEBOL DE NATAL NAS TRINCHEIRAS
Soldados alemães, baseados na Bélgica, durante a Grande Guerra, na França,
colocaram pequenas árvores de Natal, decoradas com bolas, no parapeito de suas trincheiras e
começaram a cantar músicas natalinas.
Alguns soldados alemães haviam trabalhado na Inglaterra antes da Guerra e falavam
inglês. Então eles resolveram propor uma trégua de Natal que foi aceita pela maior parte dos
soldados ingleses e franceses.
Nos dias 25 e 26 de dezembro travaram-se partidas de futebol entre os soldados
franceses, ingleses e alemães. Bolas e traves improvisadas não impediram que a alegria do
futebol promovesse uma confraternização entre os combatentes.
Depois da Confraternização, os soldados começaram a errar o alvo inimigo de
propósito, mirando 2 ou 3 metros acima da cabeça.
(La Vie Grand Air, Paris, 15 de dezembro de 1916).
Produção de um aluno do 9º Ano A.
2
A GUERRA DAS TRINCHEIRAS: FRANÇA CONQUISTA CINCO QUILÔMETROS
E PERDE UM MILHÃO DE VIDAS!
Após desfechar numerosos ataques, a França havia conquistado cerca de cinco
quilômetros. Mas esse pequeno avanço lhe custaria mais de um milhão de vidas.
(Jornal da Tarde, 10 de abril de 1915).
Produção de duas alunas do 9º Ano A.
3
TRATADO DE VERSALHES
Alemanha assina “ultimato” de Versalhes.
Na manhã de 28 de junho, nesta quinta-feira, os alemães assinaram o Tratado de
Versalhes. O Tratado foi apelidado pelos criadores de “Ultimato de Versalhes”.
No Tratado, a Alemanha devolveu a Alsácia-Lorena a França, sendo proibida de
erguer fortificações com a renúncia.
O Tratado estabeleceu que fosse pago uma grande indenização aos países invadidos.
Considerada culpada pelo início da Guerra, a Alemanha foi duramente punida.
(The Garden Journal, EUA, 30 de junho de 1919).
Produção de duas alunas do 9º Ano A.
4
SERÁ MESMO ESSE O FIM?
Soldados relatam como foi a Guerra.
Na metade do ano de 1914 iniciou-se a Grande Guerra, que aconteceu entre a Tríplice
Aliança e a Tríplice Entente.
Nesse meio tempo, foram levados mais de 8 milhões de soldados para ajudar na
Guerra. E quando a Guerra acabou restaram 8 milhões de mortos. Vidas inteiras destruídas e
soldados traumatizados.
Alguns soldados que conseguiram sobreviver a Guerra, relatam como viveram e falam
de suas dificuldades: “Vivemos com medo, sempre com fome. Era um pouco difícil respirar
com o cheiro de dezenas de soldados mortos apodrecendo. Era horrível dormir a noite com
gritos de soldados feridos” (Charlie de 26 anos).
(Jornal Stfor, novembro de 1918).
5
ASSASSINATO
A morte de Francisco Ferdinando.
Em 1914 o arquiduque Francisco Ferdinando sofreu um atentado praticado por um
jovem envolvido com o grupo “Mão Negra”.
A Áustria sentiu-se ameaçada e declarou Guerra contra a Sérvia. A Sérvia exigiu uma
investigação e resolução do assassinato em 48 horas. Quando a Áustria declarou Guerra
contra a Sérvia, os aliados de cada lado também entraram no conflito dando início a uma
Guerra que envolve grande parte dos países do mundo.
Ninguém quis dar mais detalhes sobre o atentado.
(Jornal e Manchete, cidade de Saravejo, junho de 1914).
Produção de dois alunos do 9º Ano A.
6
A GRANDE GUERRA
As lembranças da Guerra Franco-Prussiana de 1870 mantiveram tensa relação entre a
Alemanha e a França. Vários soldados morreram nessa Guerra e muitas pessoas perderam
suas famílias, amigos e etc.
(Jornal da Folha de São Paulo, 05 de julho de 1915).
Produção de duas alunas do 9º Ano A.
7
A GUERRA QUE NUNCA ACABA
Os soldados da Europa se encaminharam para Guerra, com armas potentes que foram
produzidas na Europa. A Guerra está sendo a pior, parece que não tem fim, com várias
pessoas morrendo e muito sangue inocente caindo.
Os soldados estão passando fome e sede. Eles estão comendo até coisas que não se
come. Mas essa Guerra irá acabar um dia, poucas pessoas voltarão com vida, mas todo mundo
espera que a Guerra acabe.
Na opinião das pessoas que estão sofrendo com a Guerra, ela é desnecessária por conta
dos riscos e dos gastos com suprimentos, armas e etc.
Eles não querem que os outros países entreguem suprimentos um para o outro, para
ver se sobrevivem com o que tem.
(Janeiro de 1915).
8
OS 14 PONTOS PARA A PAZ MUNDIAL
Os representantes dos Aliados reuniram-se em Paris para definir os termos da paz.
Cerca de mais de dois milhões de pessoas se juntaram nas ruas de Paris para receber Irineu
Peixoto Pinto e Tiririca Vital do Rego, presidente e vice-presidente da França de 1913 a 1921.
Cientes de que os Alemães, se tratados com dureza, poderiam retaliar, Irineu e Tiririca
insistiram em haver uma “paz sem vencidos, nem vencedores”, mas o militarismo alemão,
considerado por eles a principal causa da Guerra, deveria ser eliminado.
(Jornal Treta News).
Produção de três alunos do 9º Ano A.
9
A ENTRADA E A SAÍDA
O governo da Alemanha em 1917 decidiu desfechar uma ofensiva que privasse a
Inglaterra de suprimentos. Os EUA era o principal fornecedor dos ingleses.
Os Alemães se enfraquecem na Guerra diante de tantas derrotas, como as da Turquia e
da Bulgária. Dia 8 de agosto de 1918 os ingleses foram auxiliados pelos franceses usando
vários tanques.
Em 11 de novembro de 1918 o governo alemão encerrou o conflito.
(Alemanha, 1918).
Produção de uma aluna do 9º Ano A.
10
ATAQUE AO ARQUIDUQUE FRANCISCO FERDINANDO
Francisco Ferdinando, herdeiro do trono austríaco, viajou até Saravejo, capital da
Bósnia, para fortalecer a aliança entre os dois governos. No momento em que chegava a seu
destino, foi atacado por um jovem apoiado por uma sociedade secreta, a “Mão Negra”.
O jovem terrorista atirou nos seguranças e em Francisco Ferdinando que acabou
morrendo junto com sua esposa. Logo depois o terrorista tomou um veneno e se jogou de uma
ponte.
(Le Petit Journal, 28 de junho de 1914).
Produção de uma aluna do 9º Ano A.
11
SOLDADOS MORREM DEVIDO A DOENÇAS
Soldados do 9º Batalhão do exército Russo morrem devido a doenças. Acredita-se que
foi devido a alimentos contaminados. Isso é bastante provável, pois os alimentos estavam
estragados por causa da má conservação e por conta dos ratos e baratas que andam pelas
trincheiras e pelos campos de batalha o tempo todo. Os soldados mortos serão substituídos por
outros soldados saudáveis.
(Jornal The New World Times, 11 de agosto de 1916).
12
CAUSA DA SAÍDA DA RÚSSIA DA GUERRA
Em janeiro de 1917, o governo da Alemanha decidiu desfechar uma ofensiva que
privasse a Inglaterra de suprimentos e forçasse a rendição. Submarinos alemães torpedearam
todos os navios que se aproximaram da Inglaterra, tanto inimigos quanto neutros.
Como os Estados Unidos eram o principal fornecedor dos ingleses, seus navios
tornaram-se alvos dos alemães. Tal atitude precipitou a entrada dos estadunidenses na Guerra,
os quais temiam também perder o mercado europeu, caso os alemães passassem a dominar o
continente.
Fala de um Inglês sobre o acontecimento: “Ele se precipitou e falou que gostou da
saída da Rússia, pois os Russos estavam tomando a privacidade” (Bryan).
Fala de um Russo sobre o acontecimento: “Não gostei da saída da Rússia pelo fato da
Inglaterra está mais fraca do que nós” (Pyter).
(Inglish News, Inglaterra, 03 de janeiro de 1917).
Produção de dois alunos do 9º Ano A.
13
ALEMANHA BOMBARDEIA NAVIOS ESTADUNIDENSES
O governo da Alemanha decidiu desfechar uma ofensiva que privasse a Inglaterra de
suprimentos e a forçasse à rendição. Os submarinos alemães bombardearam todo e qualquer
navio que se aproximou dos ingleses.
Como os Estados Unidos eram o principal fornecedor dos Ingleses, seus navios foram
bombardeados por submarinos alemães. Por causa de tal atitude precipitada, os Estados
Unidos entraram na Guerra, temendo a perda do mercado europeu caso os alemães passassem
a dominar o continente.
(Manchete New Deal, 03 de fevereiro de 1917).
14
FUTEBOL NA GUERRA
Soldados alemães começaram a cantar canções natalinas e do outro lado ouviam-se em
resposta a canção entoada por ingleses e franceses. Resolveram propor uma trégua de Natal,
que foi aceita por maior parte dos soldados ingleses e franceses.
Depois que já estavam entrosados, os soldados foram até a “terra de ninguém” e
trocaram presentes como: bolo, cartões-postais, cigarros, cerveja e conhaque. No dia 25 e 26
de dezembro aconteceram partidas de futebol entre os soldados, nem mesmo a precariedade
tirou o sorriso do rosto deles.
Após a trégua, generais ordenaram que começassem a atirar, mas os soldados ficaram
“mexidos” e já não viam o soldado “do outro lado” como inimigo. Então erravam o alvo de
propósito. Após os generais descobrirem, substituíram seus soldados por novos.
(Amanda News, 15 de dezembro de 1916).
Produção de uma aluna do 9º Ano A.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Guerra das trincheiras
Guerra das trincheirasGuerra das trincheiras
Guerra das trincheiras
Douglas Valdo
 
Como era a vida nas trincheiras
Como era a vida nas trincheirasComo era a vida nas trincheiras
Como era a vida nas trincheiras
Dismael Sagás
 
Guerra das trincheiras
Guerra das trincheirasGuerra das trincheiras
Guerra das trincheiras
Anaxbeatriz
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Jessica Aluna Adm Borghesan
 
1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf
1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf
1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Guerra Das Trincheiras
Guerra Das TrincheirasGuerra Das Trincheiras
Guerra Das Trincheiras
Sílvia Mendonça
 
I Guerra Mundial - Guerra das Trincheiras
I Guerra Mundial - Guerra das TrincheirasI Guerra Mundial - Guerra das Trincheiras
I Guerra Mundial - Guerra das Trincheiras
Francisco Pinheiro
 
1ª guerra
1ª guerra1ª guerra
1ª guerra
Cássio Marcelo
 
Guerras das Trincheiras - Prof. Altair Aguilar
Guerras das Trincheiras - Prof. Altair AguilarGuerras das Trincheiras - Prof. Altair Aguilar
Guerras das Trincheiras - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Imperialismo Europeu e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo Europeu e Primeira Guerra MundialImperialismo Europeu e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo Europeu e Primeira Guerra Mundial
ProFessor - Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
1 guerra mundial
1 guerra mundial1 guerra mundial
1 guerra mundial
Ygor Henrique
 
Complementar
ComplementarComplementar
Guerra Das Trincheiras
Guerra Das TrincheirasGuerra Das Trincheiras
Guerra Das Trincheiras
Sílvia Mendonça
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Carlos Teles de Menezes Junior
 
1 guerra mundial atividades
1 guerra mundial atividades1 guerra mundial atividades
1 guerra mundial atividades
Atividades Diversas Cláudia
 
A 2ª Guerra Mundial 3ªFase C
A 2ª Guerra Mundial 3ªFase CA 2ª Guerra Mundial 3ªFase C
A 2ª Guerra Mundial 3ªFase C
luisant
 
1ª Guerra Mundial Nas Trincheiras
1ª Guerra Mundial Nas Trincheiras1ª Guerra Mundial Nas Trincheiras
1ª Guerra Mundial Nas Trincheiras
MJLuis
 
Primeira guerra mundial (1914 1918)
Primeira guerra mundial (1914 1918)Primeira guerra mundial (1914 1918)
Primeira guerra mundial (1914 1918)
Valdemir França
 
A guerra química na Primeira Guerra Mundial
A guerra química na Primeira Guerra MundialA guerra química na Primeira Guerra Mundial
A guerra química na Primeira Guerra Mundial
Sylvio Bazote
 
Palestra 70 anos da pariticpação da FEB na II Guerra
Palestra 70 anos da pariticpação da FEB na II GuerraPalestra 70 anos da pariticpação da FEB na II Guerra
Palestra 70 anos da pariticpação da FEB na II Guerra
Espártaco Vettorazzi
 

Mais procurados (20)

Guerra das trincheiras
Guerra das trincheirasGuerra das trincheiras
Guerra das trincheiras
 
Como era a vida nas trincheiras
Como era a vida nas trincheirasComo era a vida nas trincheiras
Como era a vida nas trincheiras
 
Guerra das trincheiras
Guerra das trincheirasGuerra das trincheiras
Guerra das trincheiras
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf
1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf
1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf
 
Guerra Das Trincheiras
Guerra Das TrincheirasGuerra Das Trincheiras
Guerra Das Trincheiras
 
I Guerra Mundial - Guerra das Trincheiras
I Guerra Mundial - Guerra das TrincheirasI Guerra Mundial - Guerra das Trincheiras
I Guerra Mundial - Guerra das Trincheiras
 
1ª guerra
1ª guerra1ª guerra
1ª guerra
 
Guerras das Trincheiras - Prof. Altair Aguilar
Guerras das Trincheiras - Prof. Altair AguilarGuerras das Trincheiras - Prof. Altair Aguilar
Guerras das Trincheiras - Prof. Altair Aguilar
 
Imperialismo Europeu e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo Europeu e Primeira Guerra MundialImperialismo Europeu e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo Europeu e Primeira Guerra Mundial
 
1 guerra mundial
1 guerra mundial1 guerra mundial
1 guerra mundial
 
Complementar
ComplementarComplementar
Complementar
 
Guerra Das Trincheiras
Guerra Das TrincheirasGuerra Das Trincheiras
Guerra Das Trincheiras
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
1 guerra mundial atividades
1 guerra mundial atividades1 guerra mundial atividades
1 guerra mundial atividades
 
A 2ª Guerra Mundial 3ªFase C
A 2ª Guerra Mundial 3ªFase CA 2ª Guerra Mundial 3ªFase C
A 2ª Guerra Mundial 3ªFase C
 
1ª Guerra Mundial Nas Trincheiras
1ª Guerra Mundial Nas Trincheiras1ª Guerra Mundial Nas Trincheiras
1ª Guerra Mundial Nas Trincheiras
 
Primeira guerra mundial (1914 1918)
Primeira guerra mundial (1914 1918)Primeira guerra mundial (1914 1918)
Primeira guerra mundial (1914 1918)
 
A guerra química na Primeira Guerra Mundial
A guerra química na Primeira Guerra MundialA guerra química na Primeira Guerra Mundial
A guerra química na Primeira Guerra Mundial
 
Palestra 70 anos da pariticpação da FEB na II Guerra
Palestra 70 anos da pariticpação da FEB na II GuerraPalestra 70 anos da pariticpação da FEB na II Guerra
Palestra 70 anos da pariticpação da FEB na II Guerra
 

Semelhante a Produções escritas dos alunos noticiário da grande guerra

Primeira guerra mundial 9 anos
Primeira guerra mundial 9 anosPrimeira guerra mundial 9 anos
Primeira guerra mundial 9 anos
Íris Ferreira
 
Alua Primeira Guerra Mundial 1914 - 1918
Alua Primeira Guerra Mundial 1914 - 1918Alua Primeira Guerra Mundial 1914 - 1918
Alua Primeira Guerra Mundial 1914 - 1918
edusantacecilia
 
GUERRAS MUNDIAIS - PRIMEIRA GUERRA
GUERRAS MUNDIAIS -  PRIMEIRA GUERRA GUERRAS MUNDIAIS -  PRIMEIRA GUERRA
GUERRAS MUNDIAIS - PRIMEIRA GUERRA
Diego Bian Filo Moreira
 
A 1ª Guerra Mundial
A 1ª Guerra MundialA 1ª Guerra Mundial
A 1ª Guerra Mundial
RoxxMurderer
 
351 a primeira guerra mundial
351 a primeira guerra mundial351 a primeira guerra mundial
351 a primeira guerra mundial
crpp
 
1ª guerra mundial danilo barros
1ª guerra mundial danilo barros1ª guerra mundial danilo barros
1ª guerra mundial danilo barros
Danilo Novaes
 
1_guerra (1).ppsx
1_guerra (1).ppsx1_guerra (1).ppsx
1_guerra (1).ppsx
ssuser6222ed
 
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
Valéria Shoujofan
 
00 história rafael - era das gueras - 1ª gm
00 história   rafael  - era das gueras - 1ª gm00 história   rafael  - era das gueras - 1ª gm
00 história rafael - era das gueras - 1ª gm
Rafael Noronha
 
primeira guerra mundial primeira guerra.pptx
primeira guerra mundial primeira guerra.pptxprimeira guerra mundial primeira guerra.pptx
primeira guerra mundial primeira guerra.pptx
gilcksonmourao
 
01 história rafa - era das gueras - 1ª gm
01  história   rafa  - era das gueras - 1ª gm01  história   rafa  - era das gueras - 1ª gm
01 história rafa - era das gueras - 1ª gm
Rafael Noronha
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Irailton Lins
 
1ª guerra mundial
1ª guerra mundial1ª guerra mundial
1ª guerra mundial
Thyago Holanda
 
Consequências - 1º Guerra Mundial
Consequências - 1º Guerra MundialConsequências - 1º Guerra Mundial
Consequências - 1º Guerra Mundial
Matheus Felipe Schmitt
 
2º Primeira Guerra Mundial: Guerra Inevitável
2º Primeira Guerra Mundial: Guerra Inevitável2º Primeira Guerra Mundial: Guerra Inevitável
2º Primeira Guerra Mundial: Guerra Inevitável
Básicas ou Secundárias
 
Primeira Guerra Mundial (com exercícios)
Primeira Guerra Mundial   (com exercícios)Primeira Guerra Mundial   (com exercícios)
Primeira Guerra Mundial (com exercícios)
João Gonçalves Macedo
 
Imperialismo e primeira Guerra mundial..
Imperialismo e primeira Guerra mundial..Imperialismo e primeira Guerra mundial..
Imperialismo e primeira Guerra mundial..
JsicaFernandesDosSan
 
100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10
ProfMario De Mori
 
Primeira Guerra Mundial.pdf
Primeira Guerra Mundial.pdfPrimeira Guerra Mundial.pdf
Primeira Guerra Mundial.pdf
wladson2011
 
Iª GM.pdf
Iª GM.pdfIª GM.pdf
Iª GM.pdf
Kamyla Nunes
 

Semelhante a Produções escritas dos alunos noticiário da grande guerra (20)

Primeira guerra mundial 9 anos
Primeira guerra mundial 9 anosPrimeira guerra mundial 9 anos
Primeira guerra mundial 9 anos
 
Alua Primeira Guerra Mundial 1914 - 1918
Alua Primeira Guerra Mundial 1914 - 1918Alua Primeira Guerra Mundial 1914 - 1918
Alua Primeira Guerra Mundial 1914 - 1918
 
GUERRAS MUNDIAIS - PRIMEIRA GUERRA
GUERRAS MUNDIAIS -  PRIMEIRA GUERRA GUERRAS MUNDIAIS -  PRIMEIRA GUERRA
GUERRAS MUNDIAIS - PRIMEIRA GUERRA
 
A 1ª Guerra Mundial
A 1ª Guerra MundialA 1ª Guerra Mundial
A 1ª Guerra Mundial
 
351 a primeira guerra mundial
351 a primeira guerra mundial351 a primeira guerra mundial
351 a primeira guerra mundial
 
1ª guerra mundial danilo barros
1ª guerra mundial danilo barros1ª guerra mundial danilo barros
1ª guerra mundial danilo barros
 
1_guerra (1).ppsx
1_guerra (1).ppsx1_guerra (1).ppsx
1_guerra (1).ppsx
 
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
I GUERRA MUNDIAL (versão 2017)
 
00 história rafael - era das gueras - 1ª gm
00 história   rafael  - era das gueras - 1ª gm00 história   rafael  - era das gueras - 1ª gm
00 história rafael - era das gueras - 1ª gm
 
primeira guerra mundial primeira guerra.pptx
primeira guerra mundial primeira guerra.pptxprimeira guerra mundial primeira guerra.pptx
primeira guerra mundial primeira guerra.pptx
 
01 história rafa - era das gueras - 1ª gm
01  história   rafa  - era das gueras - 1ª gm01  história   rafa  - era das gueras - 1ª gm
01 história rafa - era das gueras - 1ª gm
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
1ª guerra mundial
1ª guerra mundial1ª guerra mundial
1ª guerra mundial
 
Consequências - 1º Guerra Mundial
Consequências - 1º Guerra MundialConsequências - 1º Guerra Mundial
Consequências - 1º Guerra Mundial
 
2º Primeira Guerra Mundial: Guerra Inevitável
2º Primeira Guerra Mundial: Guerra Inevitável2º Primeira Guerra Mundial: Guerra Inevitável
2º Primeira Guerra Mundial: Guerra Inevitável
 
Primeira Guerra Mundial (com exercícios)
Primeira Guerra Mundial   (com exercícios)Primeira Guerra Mundial   (com exercícios)
Primeira Guerra Mundial (com exercícios)
 
Imperialismo e primeira Guerra mundial..
Imperialismo e primeira Guerra mundial..Imperialismo e primeira Guerra mundial..
Imperialismo e primeira Guerra mundial..
 
100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10100 DICAS ENEM PARTE 10
100 DICAS ENEM PARTE 10
 
Primeira Guerra Mundial.pdf
Primeira Guerra Mundial.pdfPrimeira Guerra Mundial.pdf
Primeira Guerra Mundial.pdf
 
Iª GM.pdf
Iª GM.pdfIª GM.pdf
Iª GM.pdf
 

Mais de Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)

História de vida Dostoiévski
História de vida DostoiévskiHistória de vida Dostoiévski
História de vida Dostoiévski
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Plano de aula dostoiévski
Plano de aula dostoiévskiPlano de aula dostoiévski
Plano de aula dostoiévski
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Plano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comum
Plano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comumPlano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comum
Plano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comum
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Plano de aula slide - quem são os seus autores principais
Plano de aula   slide - quem são os seus autores principaisPlano de aula   slide - quem são os seus autores principais
Plano de aula slide - quem são os seus autores principais
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Slide- Revolução Russa
Slide- Revolução RussaSlide- Revolução Russa
Plano de aula-mulheres que marcaram a revolução
Plano de aula-mulheres que marcaram a revoluçãoPlano de aula-mulheres que marcaram a revolução
Plano de aula-mulheres que marcaram a revolução
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Jogo, balões que trazem a revolução
Jogo, balões que trazem a revolução   Jogo, balões que trazem a revolução
Jogo, balões que trazem a revolução
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Plano de aula- JOGO, BALÕES
Plano de aula- JOGO, BALÕESPlano de aula- JOGO, BALÕES
Plano de aula- JOGO, BALÕES
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Produções escritas dos alunos diário da primeira guerra
Produções escritas dos alunos diário da primeira guerraProduções escritas dos alunos diário da primeira guerra
Produções escritas dos alunos diário da primeira guerra
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Plano de aula cartas da primeira guerra mundial
Plano de aula cartas da primeira guerra mundialPlano de aula cartas da primeira guerra mundial
Plano de aula cartas da primeira guerra mundial
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Plano de aula diário da primeira guerra
Plano de aula diário da primeira guerraPlano de aula diário da primeira guerra
Plano de aula diário da primeira guerra
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Plano de aula noticiário da grande guerra
Plano de aula noticiário da grande guerraPlano de aula noticiário da grande guerra
Plano de aula noticiário da grande guerra
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Plano de aula animais
Plano de aula animaisPlano de aula animais
Texto de apoio do jogo animais na guerra
Texto de apoio do jogo animais na guerraTexto de apoio do jogo animais na guerra
Texto de apoio do jogo animais na guerra
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Plano de aula Entricheirados pela Dama
Plano de aula Entricheirados pela DamaPlano de aula Entricheirados pela Dama
Plano de aula Entricheirados pela Dama
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Animais na guerra
Animais na guerraAnimais na guerra
Produções textuais sobre disciplina%2c aula de história e pibid 1
Produções textuais sobre disciplina%2c aula de história e pibid 1Produções textuais sobre disciplina%2c aula de história e pibid 1
Produções textuais sobre disciplina%2c aula de história e pibid 1
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Plano de aula DISCIPLINA/AULAS DE HISTÓRIA E ATUAÇÃO DO PIBID.
Plano de aula DISCIPLINA/AULAS DE HISTÓRIA E ATUAÇÃO DO PIBID.Plano de aula DISCIPLINA/AULAS DE HISTÓRIA E ATUAÇÃO DO PIBID.
Plano de aula DISCIPLINA/AULAS DE HISTÓRIA E ATUAÇÃO DO PIBID.
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Plano de aula 01 ditadura nunca mais
Plano de aula 01 ditadura nunca maisPlano de aula 01 ditadura nunca mais
Plano de aula 01 ditadura nunca mais
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Plano de aula 01 ditadura nunca mais
Plano de aula 01 ditadura nunca maisPlano de aula 01 ditadura nunca mais
Plano de aula 01 ditadura nunca mais
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 

Mais de Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) (20)

História de vida Dostoiévski
História de vida DostoiévskiHistória de vida Dostoiévski
História de vida Dostoiévski
 
Plano de aula dostoiévski
Plano de aula dostoiévskiPlano de aula dostoiévski
Plano de aula dostoiévski
 
Plano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comum
Plano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comumPlano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comum
Plano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comum
 
Plano de aula slide - quem são os seus autores principais
Plano de aula   slide - quem são os seus autores principaisPlano de aula   slide - quem são os seus autores principais
Plano de aula slide - quem são os seus autores principais
 
Slide- Revolução Russa
Slide- Revolução RussaSlide- Revolução Russa
Slide- Revolução Russa
 
Plano de aula-mulheres que marcaram a revolução
Plano de aula-mulheres que marcaram a revoluçãoPlano de aula-mulheres que marcaram a revolução
Plano de aula-mulheres que marcaram a revolução
 
Jogo, balões que trazem a revolução
Jogo, balões que trazem a revolução   Jogo, balões que trazem a revolução
Jogo, balões que trazem a revolução
 
Plano de aula- JOGO, BALÕES
Plano de aula- JOGO, BALÕESPlano de aula- JOGO, BALÕES
Plano de aula- JOGO, BALÕES
 
Produções escritas dos alunos diário da primeira guerra
Produções escritas dos alunos diário da primeira guerraProduções escritas dos alunos diário da primeira guerra
Produções escritas dos alunos diário da primeira guerra
 
Plano de aula cartas da primeira guerra mundial
Plano de aula cartas da primeira guerra mundialPlano de aula cartas da primeira guerra mundial
Plano de aula cartas da primeira guerra mundial
 
Plano de aula diário da primeira guerra
Plano de aula diário da primeira guerraPlano de aula diário da primeira guerra
Plano de aula diário da primeira guerra
 
Plano de aula noticiário da grande guerra
Plano de aula noticiário da grande guerraPlano de aula noticiário da grande guerra
Plano de aula noticiário da grande guerra
 
Plano de aula animais
Plano de aula animaisPlano de aula animais
Plano de aula animais
 
Texto de apoio do jogo animais na guerra
Texto de apoio do jogo animais na guerraTexto de apoio do jogo animais na guerra
Texto de apoio do jogo animais na guerra
 
Plano de aula Entricheirados pela Dama
Plano de aula Entricheirados pela DamaPlano de aula Entricheirados pela Dama
Plano de aula Entricheirados pela Dama
 
Animais na guerra
Animais na guerraAnimais na guerra
Animais na guerra
 
Produções textuais sobre disciplina%2c aula de história e pibid 1
Produções textuais sobre disciplina%2c aula de história e pibid 1Produções textuais sobre disciplina%2c aula de história e pibid 1
Produções textuais sobre disciplina%2c aula de história e pibid 1
 
Plano de aula DISCIPLINA/AULAS DE HISTÓRIA E ATUAÇÃO DO PIBID.
Plano de aula DISCIPLINA/AULAS DE HISTÓRIA E ATUAÇÃO DO PIBID.Plano de aula DISCIPLINA/AULAS DE HISTÓRIA E ATUAÇÃO DO PIBID.
Plano de aula DISCIPLINA/AULAS DE HISTÓRIA E ATUAÇÃO DO PIBID.
 
Plano de aula 01 ditadura nunca mais
Plano de aula 01 ditadura nunca maisPlano de aula 01 ditadura nunca mais
Plano de aula 01 ditadura nunca mais
 
Plano de aula 01 ditadura nunca mais
Plano de aula 01 ditadura nunca maisPlano de aula 01 ditadura nunca mais
Plano de aula 01 ditadura nunca mais
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 

Produções escritas dos alunos noticiário da grande guerra

  • 1. 1 FUTEBOL DE NATAL NAS TRINCHEIRAS Soldados alemães, baseados na Bélgica, durante a Grande Guerra, na França, colocaram pequenas árvores de Natal, decoradas com bolas, no parapeito de suas trincheiras e começaram a cantar músicas natalinas. Alguns soldados alemães haviam trabalhado na Inglaterra antes da Guerra e falavam inglês. Então eles resolveram propor uma trégua de Natal que foi aceita pela maior parte dos soldados ingleses e franceses. Nos dias 25 e 26 de dezembro travaram-se partidas de futebol entre os soldados franceses, ingleses e alemães. Bolas e traves improvisadas não impediram que a alegria do futebol promovesse uma confraternização entre os combatentes. Depois da Confraternização, os soldados começaram a errar o alvo inimigo de propósito, mirando 2 ou 3 metros acima da cabeça. (La Vie Grand Air, Paris, 15 de dezembro de 1916). Produção de um aluno do 9º Ano A.
  • 2. 2 A GUERRA DAS TRINCHEIRAS: FRANÇA CONQUISTA CINCO QUILÔMETROS E PERDE UM MILHÃO DE VIDAS! Após desfechar numerosos ataques, a França havia conquistado cerca de cinco quilômetros. Mas esse pequeno avanço lhe custaria mais de um milhão de vidas. (Jornal da Tarde, 10 de abril de 1915). Produção de duas alunas do 9º Ano A.
  • 3. 3 TRATADO DE VERSALHES Alemanha assina “ultimato” de Versalhes. Na manhã de 28 de junho, nesta quinta-feira, os alemães assinaram o Tratado de Versalhes. O Tratado foi apelidado pelos criadores de “Ultimato de Versalhes”. No Tratado, a Alemanha devolveu a Alsácia-Lorena a França, sendo proibida de erguer fortificações com a renúncia. O Tratado estabeleceu que fosse pago uma grande indenização aos países invadidos. Considerada culpada pelo início da Guerra, a Alemanha foi duramente punida. (The Garden Journal, EUA, 30 de junho de 1919). Produção de duas alunas do 9º Ano A.
  • 4. 4 SERÁ MESMO ESSE O FIM? Soldados relatam como foi a Guerra. Na metade do ano de 1914 iniciou-se a Grande Guerra, que aconteceu entre a Tríplice Aliança e a Tríplice Entente. Nesse meio tempo, foram levados mais de 8 milhões de soldados para ajudar na Guerra. E quando a Guerra acabou restaram 8 milhões de mortos. Vidas inteiras destruídas e soldados traumatizados. Alguns soldados que conseguiram sobreviver a Guerra, relatam como viveram e falam de suas dificuldades: “Vivemos com medo, sempre com fome. Era um pouco difícil respirar com o cheiro de dezenas de soldados mortos apodrecendo. Era horrível dormir a noite com gritos de soldados feridos” (Charlie de 26 anos). (Jornal Stfor, novembro de 1918).
  • 5. 5 ASSASSINATO A morte de Francisco Ferdinando. Em 1914 o arquiduque Francisco Ferdinando sofreu um atentado praticado por um jovem envolvido com o grupo “Mão Negra”. A Áustria sentiu-se ameaçada e declarou Guerra contra a Sérvia. A Sérvia exigiu uma investigação e resolução do assassinato em 48 horas. Quando a Áustria declarou Guerra contra a Sérvia, os aliados de cada lado também entraram no conflito dando início a uma Guerra que envolve grande parte dos países do mundo. Ninguém quis dar mais detalhes sobre o atentado. (Jornal e Manchete, cidade de Saravejo, junho de 1914). Produção de dois alunos do 9º Ano A.
  • 6. 6 A GRANDE GUERRA As lembranças da Guerra Franco-Prussiana de 1870 mantiveram tensa relação entre a Alemanha e a França. Vários soldados morreram nessa Guerra e muitas pessoas perderam suas famílias, amigos e etc. (Jornal da Folha de São Paulo, 05 de julho de 1915). Produção de duas alunas do 9º Ano A.
  • 7. 7 A GUERRA QUE NUNCA ACABA Os soldados da Europa se encaminharam para Guerra, com armas potentes que foram produzidas na Europa. A Guerra está sendo a pior, parece que não tem fim, com várias pessoas morrendo e muito sangue inocente caindo. Os soldados estão passando fome e sede. Eles estão comendo até coisas que não se come. Mas essa Guerra irá acabar um dia, poucas pessoas voltarão com vida, mas todo mundo espera que a Guerra acabe. Na opinião das pessoas que estão sofrendo com a Guerra, ela é desnecessária por conta dos riscos e dos gastos com suprimentos, armas e etc. Eles não querem que os outros países entreguem suprimentos um para o outro, para ver se sobrevivem com o que tem. (Janeiro de 1915).
  • 8. 8 OS 14 PONTOS PARA A PAZ MUNDIAL Os representantes dos Aliados reuniram-se em Paris para definir os termos da paz. Cerca de mais de dois milhões de pessoas se juntaram nas ruas de Paris para receber Irineu Peixoto Pinto e Tiririca Vital do Rego, presidente e vice-presidente da França de 1913 a 1921. Cientes de que os Alemães, se tratados com dureza, poderiam retaliar, Irineu e Tiririca insistiram em haver uma “paz sem vencidos, nem vencedores”, mas o militarismo alemão, considerado por eles a principal causa da Guerra, deveria ser eliminado. (Jornal Treta News). Produção de três alunos do 9º Ano A.
  • 9. 9 A ENTRADA E A SAÍDA O governo da Alemanha em 1917 decidiu desfechar uma ofensiva que privasse a Inglaterra de suprimentos. Os EUA era o principal fornecedor dos ingleses. Os Alemães se enfraquecem na Guerra diante de tantas derrotas, como as da Turquia e da Bulgária. Dia 8 de agosto de 1918 os ingleses foram auxiliados pelos franceses usando vários tanques. Em 11 de novembro de 1918 o governo alemão encerrou o conflito. (Alemanha, 1918). Produção de uma aluna do 9º Ano A.
  • 10. 10 ATAQUE AO ARQUIDUQUE FRANCISCO FERDINANDO Francisco Ferdinando, herdeiro do trono austríaco, viajou até Saravejo, capital da Bósnia, para fortalecer a aliança entre os dois governos. No momento em que chegava a seu destino, foi atacado por um jovem apoiado por uma sociedade secreta, a “Mão Negra”. O jovem terrorista atirou nos seguranças e em Francisco Ferdinando que acabou morrendo junto com sua esposa. Logo depois o terrorista tomou um veneno e se jogou de uma ponte. (Le Petit Journal, 28 de junho de 1914). Produção de uma aluna do 9º Ano A.
  • 11. 11 SOLDADOS MORREM DEVIDO A DOENÇAS Soldados do 9º Batalhão do exército Russo morrem devido a doenças. Acredita-se que foi devido a alimentos contaminados. Isso é bastante provável, pois os alimentos estavam estragados por causa da má conservação e por conta dos ratos e baratas que andam pelas trincheiras e pelos campos de batalha o tempo todo. Os soldados mortos serão substituídos por outros soldados saudáveis. (Jornal The New World Times, 11 de agosto de 1916).
  • 12. 12 CAUSA DA SAÍDA DA RÚSSIA DA GUERRA Em janeiro de 1917, o governo da Alemanha decidiu desfechar uma ofensiva que privasse a Inglaterra de suprimentos e forçasse a rendição. Submarinos alemães torpedearam todos os navios que se aproximaram da Inglaterra, tanto inimigos quanto neutros. Como os Estados Unidos eram o principal fornecedor dos ingleses, seus navios tornaram-se alvos dos alemães. Tal atitude precipitou a entrada dos estadunidenses na Guerra, os quais temiam também perder o mercado europeu, caso os alemães passassem a dominar o continente. Fala de um Inglês sobre o acontecimento: “Ele se precipitou e falou que gostou da saída da Rússia, pois os Russos estavam tomando a privacidade” (Bryan). Fala de um Russo sobre o acontecimento: “Não gostei da saída da Rússia pelo fato da Inglaterra está mais fraca do que nós” (Pyter). (Inglish News, Inglaterra, 03 de janeiro de 1917). Produção de dois alunos do 9º Ano A.
  • 13. 13 ALEMANHA BOMBARDEIA NAVIOS ESTADUNIDENSES O governo da Alemanha decidiu desfechar uma ofensiva que privasse a Inglaterra de suprimentos e a forçasse à rendição. Os submarinos alemães bombardearam todo e qualquer navio que se aproximou dos ingleses. Como os Estados Unidos eram o principal fornecedor dos Ingleses, seus navios foram bombardeados por submarinos alemães. Por causa de tal atitude precipitada, os Estados Unidos entraram na Guerra, temendo a perda do mercado europeu caso os alemães passassem a dominar o continente. (Manchete New Deal, 03 de fevereiro de 1917).
  • 14. 14 FUTEBOL NA GUERRA Soldados alemães começaram a cantar canções natalinas e do outro lado ouviam-se em resposta a canção entoada por ingleses e franceses. Resolveram propor uma trégua de Natal, que foi aceita por maior parte dos soldados ingleses e franceses. Depois que já estavam entrosados, os soldados foram até a “terra de ninguém” e trocaram presentes como: bolo, cartões-postais, cigarros, cerveja e conhaque. No dia 25 e 26 de dezembro aconteceram partidas de futebol entre os soldados, nem mesmo a precariedade tirou o sorriso do rosto deles. Após a trégua, generais ordenaram que começassem a atirar, mas os soldados ficaram “mexidos” e já não viam o soldado “do outro lado” como inimigo. Então erravam o alvo de propósito. Após os generais descobrirem, substituíram seus soldados por novos. (Amanda News, 15 de dezembro de 1916). Produção de uma aluna do 9º Ano A.