I Guerra Mundial - Guerra das Trincheiras

1.030 visualizações

Publicada em

A vida dos Homens nas trincheiras.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

I Guerra Mundial - Guerra das Trincheiras

  1. 1. I Guerra Mundial 2ªfase – Guerra das Trincheiras Trabalho realizado por: Beatriz Jesus nº6 Francisco Pinheiro nº13 Márcia Venâncio nº21
  2. 2. Introdução • Com este trabalho pretendemos ficar a conhecer mais sobre a vida e as condições miseráveis dos soldados que nas trincheiras viviam.
  3. 3. Guerra das Trincheiras Foi a 2ª fase da I Guerra Mundial, também conhecida como guerra das trincheiras ou guerra de posições que ocorreu entre 1915 e 1917. Recebeu esse nome, pois cada bloco defendia as suas posições e tentava impedir o avanço do outro. Os exércitos escavavam valas profundas, as chamadas “trincheiras”, para se protegerem e instalavam-se lá durante meses. Foi a fase mais mortífera da guerra.
  4. 4. Trincheiras: Como eram ? Uma trincheira típica tinha pouco mais de 2 m de profundidade e cerca de 1,80 m de largura. À frente e atrás, largas fileiras de sacos de areia, com quase 1 m de altura, aumentavam a proteção. Havia ainda um degrau de tiro, 0,5 m acima do chão. Era usado por sentinelas de vigia e na hora de atirar contra o inimigo.
  5. 5. Trincheiras: Como eram ? Eram construídas de forma perpendicular, assim, se o inimigo conseguisse tomar uma parte da trincheira estava sujeito aos tiros das trincheiras perpendiculares. Estavam protegidas por arame farpado e por postos de metralhadoras. Cavavam-se trincheiras nas “terras de ninguém” para ouvirem o que se passava no lado dos inimigos e para capturarem soldados para depois os interrogarem.
  6. 6. Trincheiras: Constituição As trincheiras eram constituídas por: • Postos de observação; • Enfermaria; • Cozinha; • Quartel general da companhia; • Trincheira de tiro; • Arame farpado; • Terra de ninguém;
  7. 7. Trincheiras: “Casa de Banho” • As “Casas de Banho" eram latrinas: buracos no chão com 1,5 m de profundidade. • Quando estavam quase preenchidas, eram cobertas com terra e escavavam-se novos buracos - trabalho feito em geral por soldados que levavam alguma punição. Quando não dava tempo de chegar até a latrina, o jeito era mandar ver na cratera de bomba mais próxima...
  8. 8. Trincheiras: Toca “VIP” • A linha de frente para o inimigo não era a única trincheira. Havia outras linhas na retaguarda, interligadas por caminhos escavados na terra. • Esses caminhos levavam também a abrigos usados como hospitais, postos de comando ou depósitos. • Escorados por madeira, eram abrigos subterrâneos e não a céu aberto como as trincheiras.
  9. 9. Trincheiras: Silêncio Perigoso • Na maior parte do tempo não havia ofensivas contra as trincheiras. Era uma guerra de espera, mas ainda assim muito perigosa. • Atiradores passavam o dia de olho no vacilo de algum soldado que erguesse a cabeça pra fora do buraco. • Especialistas em mineração tentavam fazer túneis até à linha inimiga para explodir as trincheiras por baixo.
  10. 10. Trincheiras: PÃO E ÁGUA • A maior parte da comida era enlatada. A ração diária do Exército inglês só dava direito a um pedaço de pão, alguns biscoitos, 200 g de legumes e 200 g de carne. • Para reabastecer o cantil com água, muitos soldados recorriam a poças deixadas pela chuva... Para aliviar o sofrimento, suprimentos diários de rum, vinho ou conhaque eram oferecidos às tropas.
  11. 11. Trincheiras: Constituição 1- Trincheiras 2- Corredor de passagem 3- Abrigo 4- Posto de Sentinela 5- Arame Farpado 6- Área do Posto de Comando 7- “Terras de Ninguém” 8- Trincheiras Inimigas 1 4 5 3 8 7 6 2
  12. 12. A vida nas trincheiras  Segundo os relatos dos combatentes da I Grande Mundial, a vida nas trincheiras era horrível. Os soldados viviam atolados na lama, sujeitos aos ataques de gás e à artilharia, havia escassez de alimentos, frio, chuva, humidade, piolhos, ratos, doenças e um cheiro constante a mortos.
  13. 13. A vida nas trincheiras Muitas vezes, os combatentes não sabiam o que se estava a passar nem onde estavam. A sensação que os combatentes tinham era a de que os dias pareciam mais longos pois quase não tinham descanso. Constantemente recebiam ataques inimigos que provocavam muitos mortos e feridos. Aos mortos tiravam-lhes toda a sua roupa e todos os objetos que continham para servir a outros soldados.
  14. 14. Algumas doenças adquiridas nas trincheiras Os combatentes eram vitimados por doenças como a tifo, a doença das trincheiras, a febre quintana (ou febre das trincheiras). A situação piorou ainda mais em 1918, quando tropas inteiras apanhavam gripes e as dores de cabeça, a febre e a falta de ar eram muito graves e, em poucos dias, o doente morria.
  15. 15. Doença: tifo • Há dois tipos de tifo: • tifo murino transmitido por uma pulga encontrada em ratos e outros pequenos mamíferos. • tifo epidêmico transmitida por parasitas comuns no corpo humano, como piolhos
  16. 16. Doença: Trincheiras • A escassa higiene bucal costumava contribuir para o desenvolvimento da infeção, tal como o stress físico ou emocional, uma dieta reduzida ou o dormir pouco. • A doença das trincheiras começava repentinamente com dor nas gengivas, uma sensação de mal-estar e de cansaço geral. As gengivas sangravam com facilidade e doíam ao comer e ao engolir. Muitas vezes, os gânglios linfáticos do pescoço, por baixo do maxilar inferior, inflamavam-se e aparecia alguma febre.
  17. 17. Conclusão • Concluímos que, a vida nas trincheiras era horrível, constantemente recebiam ataques inimigos que provocavam muitos mortos e feridos e que estavam sujeitos à escassez de alimentos, frio, chuva, humidade, piolhos, ratos, doenças.
  18. 18. Bibliografia Manual “Descobrir a história 9” http://pt.slideshare.net/MJLuis/1-guerra-mundial- nas-trincheiras-presentation?related=2 http://pt.slideshare.net/crie_historia/a-guerra-das- trincheiras?related=1 • https://www.google.pt/ • http://pt.wikipedia.org/wiki/Wiki • http://www.manualmerck.net/?id=121&cn=1018

×