Sme

2.338 visualizações

Publicada em

XI Fórum Permanente Indicadores de qualidade e gestão democrática - Arquivo utilizado pela Secretária Municipal da Educação de Marília 2013

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sme

  1. 1. Gestão Educacional na Rede Municipal de Marília : cenário atual Fabiana Rodrigues Cruvinel Secretária Municipal da Educação se@marilia.sp.gov.br
  2. 2. Introdução  A rede municipal em números e os desafios; A questão da avaliação e da gestão pedagógica;  As principais ações da SME.
  3. 3. A Rede Municipal em Números Matrículas: 17 000 alunos 9150 Educação Infantil 7850 Ensino Fundamental 50 Escolas Municipais 2 entidades conveniadas (Educação Infantil) 31 Educação Infantil 16 Ensino Fundamental 3 Educação Infantil e Ensino fundamental
  4. 4. MATRÍCULAS Faixa etária N°. de Alunos 4 meses a 1 ano 798 2 anos 1675/648 3 anos 2194/773 4 anos 2269/695 5 anos 2188/659 1° ano 1601 2° ano 1593 3° ano 1662 4 ° ano 1709 5° ano 1061 EJA 200
  5. 5. TOTAL DE ALUNOS ATENDIDOS- Integral MATRICULADOS PERÍODO INTEGRAL 9.139 3.463
  6. 6. Desafio - Demanda  Demanda de 4 meses a 3 anos não atendida; - Mapeamento e criação de sistema de vagas; - Construção de novos prédios escolares- Educação Infantil ( 8 previstas para a gestão ) - Elaboração de um plano de trabalho para os alunos de 4 meses a 2 anos;  Ampliação do atendimento em período integral: ampliação da oferta de vagas anualmente;  Primeira escola de Educação Integral da rede municipal para 2014;
  7. 7. Funcionários: 2200               Diretores Auxiliares de direção Professores Coordenadores Professores da Educação Infantil: 550 ( jornada dobrada) Professores do Ensino Fundamental: 480 (não há jornada dobrada) Instrutores de informática Professores de Educação Física (Ensino Fundamental) Professores de Atendimento Educacional Especializado (11) Auxiliar de escrita (apenas no Ensino Fundamental) Auxiliar de desenvolvimento escolar Atendente de escola (alimentação escolar) Auxiliar de serviços gerais Estagiários do curso de Pedagogia Equipe técnica da Secretaria.
  8. 8. Impasse na gestão municipal Lei de Responsabilidade Fiscal X Lei de Responsabilidade Educacional Nosso grande entrave!
  9. 9. Avaliação em larga escola Indicadores do município
  10. 10. Os indicadores - Nacional- IDEB (2011) - Estadual- SARESP (2012) - Municipal – SAREM (2013)
  11. 11. IDEB REDE MUNICIPAL 2005 2007 2009 2011 5,4 5,6 6,4 6,4
  12. 12. IDEB 2011 MAIOR 7,5 MENOR 5,1
  13. 13. SAREM SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR DE MARÍLIA ANO MÉDIA 4ª SÉRIE 2004 5,05 Português – 5,7 Matemática – 4,4 2005 5,6 Português – 6,4 Matemática – 4,9 2006 5,5 Português – 6,4 Matemática – 4,6 2007 5,9 Português – 5,9 Matemática – 5,9 2008 6,1 Português – 6,7 Matemática – 5,5 2009 5,9 Português – 6,6 Matemática – 5,3 2010 6,9 Português – 7,3 Matemática – 6,6 2011 7,3 Português – 7,7 Matemática – 7,0
  14. 14. SAREM SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR DE MARÍLIA ANO MÉDIA 5º ANO 2012 6,7 Português – 7,3 Matemática – 6,1 2013 6,8 Português – 6,8 Matemática – 6,9 2013 7.9 Maior 5.9 menor
  15. 15. SAREM SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR DE MARÍLIA ANO MÉDIA 2013 6,8 3º ANO Português – 7,3 Matemática – 6,1
  16. 16. IDESP – ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO 5º ANO – 2012 IDESP - 5,13 REDE MUNICIPAL LÍNGUA PORTUGUESA 5,2 MATEMÁTICA 5,0 MAIOR – 6,2 MENOR – 3,7
  17. 17. Indicadores de Alfabetização  Apropriação do sistema de escrita Apenas para o Ensino Fundamental 1° ano: 36% Alfabéticos - sendo que apenas 18% em estágio inicial (Análise de material do aluno em setembro de 2013) Dados enviados pela escola – 2° Bimestre-Junho/2013 Apropriação do sistema de escrita 2º ano 3º ano 4º ano 5º ano Sim 69% 89% 91% SAREM 97% 97% Não 31% 11% 3% 3%
  18. 18. ENSINO FUNDAMENTAL 1º ao 5º ano - 2012 TOTAL DE ALUNOS 7.850 PROMOÇÃO RETENÇÃO EVASÃO DISTORÇÃO / IDADE – SÉRIE 98 % 2% 0,1 % 1,05 %
  19. 19.  Acompanhamento pedagógico por meio de visitas às unidades escolares;  Devolutiva reflexiva de cada indicador gerado em reuniões periódicas com professores coordenadores e diretores;  Devolutiva do SAREM;  Devolutiva bimestral: dados do conselho de classe, dados de alfabetização, descritores de matemática.  Cuidado para não incentivar competitividade e zelar pela qualidade do ensino;
  20. 20. O Posicionamento da SME frente aos indicadores...  Instrumentos para acompanhamento pedagógico- precisa ser contextualizado;  Não é ponto de partida nem ponto de chegada;  É parte de um processo;  Se a escola cumpre o compromisso assumido quando da elaboração do seu PPP alcançará bons resultados, melhores indicadores.  Não priorizamos descritores, treinos, disciplinas...  Orientamos o conhecimento dos descritores, do instrumento pelos interessados, mas que a rotina da escola não sofra mudanças quando da realização de avalições externas;  2013: optamos por não realizar o SARESP: decisão compartilhada.
  21. 21.  Na Educação Infantil: Avaliação quantitativa para uma avaliação qualitativa (em processo)/ Estudos de natureza teórica para subsidiar a prática em parceria com a Universidade.  Escolas: priorizar o acompanhamento pedagógico ao professor de forma próxima e não por meio de planilhas/desburocratização da função docente.
  22. 22. Principais ações da SME Projetos - Educação Integral- EMEF Prof.ª Nicácia Garcia Gil- Diretora Dra. Rita Borguetti. - Uma escola diferente de Ensino Fundamental (Parceria com Projeto Âncora- Prof. Pacheco-Escola da Ponte) - Em busca da compreensão da linguagem escrita – Prof. Elie Bajard (Professores da Educação Infantil e do Ensino Fundamental)
  23. 23.  Introdução do Ensino de Inglês para o Ensino Fundamental;  Programa de Biblioteca Escolar- 2014 Projeto Piloto/2015 Extensão para a rede municipal de forma gradativa – Parceria com a UNESP;  Criação do Centro Escola para subsídio às escolas no que se refere à Educação Inclusiva e atendimentos relacionados á saúdeeducação;  Reorganização do atendimento educacional especializado: mais próximo do professor.
  24. 24. Formação continuada  Para todas as categorias.  Diretores: Escola de Gestores – Parceria com a UNESP-Marília – Dra. Graziela e Dra. Elianeth  Atendimento Educacional Especializado: parceria com a UNESP- Marília;  Professores de Educação Física: parceria com a UNESP- Marília;  Instrutores de Informática- Prof.ª Sonia Petito- Colégio Criativo.  Professores de berçários: parceria com a UNESP-Bauru/Dra. Fabiana.
  25. 25. Educação Infantil  Trilhando diferentes saberes na Educação Infantil;  Jogos, brincadeiras e histórias infantis na Educação Infantil: possibilidades de aprender matemática”, com a Dra. Priscila Domingues de Azevedo Ramalho – UFSCAR  Ciclo de Palestras para Professores de Educação Infantil – Formação Continuada.  Reuniões quinzenais com Professores Coordenadores de Educação Infantil.  “Avaliação da acessibilidade física em escolas de Educação Infantil”, com a doutoranda Priscila Moreira Corrêa para a Equipe Gestora das Unidades de Educação Infantil.  “Senta que lá vem história”, com a Profª Paula Havana Martins - 1ª etapa: Formação Continuada do Professor na SME - 2ª etapa: Atividades práticas com crianças na Biblioteca Municipal de Marilia.
  26. 26. Ensino Fundamental  Oficina de leitura;  Ensino Fundamental de 9 anos: um novo tempo;  Grupo de estudos – Implicações pedagógica da Teoria Histórico Cultural – Coordenadora Professora Doutora Greice Ferreira da Silva  Teoria e prática da Matemática para professores dos anos iniciais do ensino fundamental – Professora Mestre Daniela Miranda Fernandes Santos  Ler e Escrever Textos nas séries iniciais do Ensino Fundamental – Professora Doutora Stela Miller  PNAIC – Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa – Coordenadora Rosemary C. G. C. Batista
  27. 27. Centro Escola Municipal de Atendimento Educacional Especializado  OFICINAS DE AUTISMO PSICOPEDAGÓGICAS Prof.ª Dra. Rossana Seabra E ESTRATÉGIAS  Metodologias e estratégias para o ensino de alunos com baixa visão e cegueira Prof. Nelson Santos e Prof.ª Maria Rosa Delmasso Rodrigues  CURSO: “INTERFACE SAÚDE E EDUCAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES EM AMBIENTE ESCOLAR” Dra. Rosa Dantas
  28. 28.  REUNIÃO DE DEFICIÊNCIA AUDITIVA Dra. Eliane Delgado Com professoras da Sala regular , professoras do AEE, estagiárias que acompanham os alunos com deficiência auditiva e fonoaudiólogas do Centro Escola
  29. 29. Outras Experiências....  Educação Infantil: Projeto Arrastão-SP, USP- Ribeirão Preto;  Fórum da Educação de Jovens e Adultos- UNICAMP;  Feira Educar-SP;  Aula passeio cultural em São Paulo para os professores do PNAIC;  Encontro de Informática em Presidente Prudente.
  30. 30. Outras ações importantes...  Formação quinzenal para os coordenadores pedagógicos priorizando o estudo       com temáticas voltadas para as necessidades das escolas; Reorganização da atuação do professor de educação física que passou a ser o único responsável por acompanha às crianças, liberando o professor da sala neste horário para corrigir material do aluno, atender pais, orientações com a coordenação; Formação específica para os diretores e coordenadores sobre a importância e a organização do conselho de classe que passou neste ano a ser num único momento coletivo da escola com dispensa de aluno; Construção coletiva dentro da unidade escolar do quadro “Critérios para avaliação do conselho de série”, pois antes não havia; Construção coletiva envolvendo os coordenadores pedagógicos e a equipe do Centro Escola (Centro de Apoio Psicopedagógico) do documento RACEFI (Referencial de Adequação Curricular do Ensino Fundamental; Fortalecimento dos Conselhos Escolares e criação do referido colegiado nas EMEIs. Fortalecimento dos Grêmios Estudantis.
  31. 31.  Criação do blog e de rede social da SME;  Brinquedoteca e oficinas pedagógicas/esportivas no espaço do Ginásio de Esportes  Plano de Carreira para o magistério;  Reforma de todos os prédios escolares durante a gestão;  Projeto Ludibus/UNESP- Nosso próprio ônibus Gestão Educacional 1 Estrutura adequada 2 Valorização dos Profissionais da Educação Gestão pedagógica/administrativa democrática/Compartilhamento de responsabilidades.
  32. 32. Princípios norteadores  Igualdade de condições para o acesso e permanência na       escola; Garantir uma escola de qualidade para todos; Gestão democrática; Respeito à liberdade e apreço à tolerância; Valorização e respeito pela experiência extraescolar do aluno; Oportunidade de participação a todos os atores do processo educacional; Autonomia consciente (Autonomia conquistada);
  33. 33.  Valorização do magistério em todos os sentidos;  Colaboração      de maneira consciente, sistemática e intencionada na construção de uma sociedade mais justa, solidária e humana; Formação humanística (afetividade, sensibilidade, valores e princípios); Romper práticas de relações hierárquicas de poder autoritário e centralizador do professor, do diretor, dos agentes da SME e outros; Valorizar os colegiados; Trabalho coletivo; Compromisso ético-profissional.

×