ENCONTRO DE EDUCADORES
SME DE MARÍLIA
outubro de 2013
Dra. Elianeth Dias Kanthack Hernandes
Só tem
um
projeto de
escola
quem tem
um
projeto de
vida!
SABOR

ENCONTRO

SABER
“Um antropólogo fez uma brincadeira com crianças de uma tribo
africana. Ele colocou um cesto cheio de frutas junto a uma á...
Existem coisas que são
sabidas
e por serem sabidas
não são ditas
e por não serem ditas
são esquecidas
Pablo Neruda
Sherlock Holmes e Dr. Watson foram acampar.
Depois de uma boa refeição e um cálice de vinho,
eles entraram na barraca e fo...
_ Astronomicamente, isto me diz que lá estão
milhões de planetas. Astrologicamente, observo que
Saturno está em Leão. Horo...
O trabalho
com leitura e
escrita na
escola não é
tarefa de uma
disciplina. É o
eixo do
trabalho
escolar.
Duas formas de interpretar
propostas curriculares atuais::

as

Forma fraca: “O conteúdo não
mudou, o que mudou foi a form...
• Desde a antiguidade os homens
constroem narrativas para explicar
suas origens (através dos mitos).
• Os povos se constit...
• Nascer é estar
condenado a ler. A vida é
um processo de leitura.
Não há outra maneira de
viver.
• Na escola o primeiro
o...
AFINAL,
O QUE É LER?
Você sabia?
Em um mesmo intervalo de tempo, os olhos
captam:

• aproximadamente 5 letras, em uma sequência
apresentada ao ...
Efeitos de diferentes verticais para
T e S sobre os modelos tempo
dependentes da circulação termohalina.

Título de uma pa...
Informação

Informação
visual

Não-visual

Leitura
RUA MARIO, 2IO
JKLOMNPRADESGHILUOMBAXCRE
LIMPAR COLA CAVALO NOITE ALGUM
A CHUVA É IMPORTANTE PARA A VIDA
Cabo-de-gerra

Número de participantes: Indeter __ na __.
Local adequado: Ao ar li ___ .
Material necessária: ____ da .
Re...
Muitas vezes o trabalho empreendido em
interpretação textual se apresenta assim:

Leia o texto abaixo e responda as questõ...
SIGNIFICADOS
SENTIDOS

CONTEXTO DE
PRODUÇÃO
BAIGON NELES,
PARASITAS!
SIGNIFICADOS
SENTIDOS

CONTEXTO DE
PRODUÇÃO
“As rosas não nadaram nas
sobrancelhas do chocolate
incolor”
A frase acima faz tanto sentido
quanto o preconceito racial.
...
Ensinar a ler, portanto...
deve supor a tematização
das CAPACIDADES DE
LEITURA requeridas para
tanto, possibilitando aos
a...
Mais do que um
processo individual,
a leitura é uma
prática social.
Em cada circunstância, se
lê por motivos diferentes,
que determinam
procedimentos também
diferentes para se lidar
com o ma...
POR QUE É
IMPORTANTE
LER?
“não são palavras o que
pronunciamos ou escutamos, mas
verdades ou mentiras, coisas boas
ou más, importantes ou triviais,
...
PARA QUÊ
LER NA
ESCOLA?
“As pesquisas comprovam que
nenhum fato - nem a origem
social e econômica, nem a
raça, nem as escolas que
frequentou – é t...
O QUE LER
– E COMO APRENDER
A LER –
NA ESCOLA?
TODOS OS CONHECIMENTOS
COM OS QUAIS UM LEITOR /
ESCRITOR / FALANTE /
OUVINTE
OPERA NAS PRÁTICAS DE
LINGUAGEM
PROCEDIMENTOS DE
LEITURA E DE ESCUTA DE
TEXTOS
COMPORTAMENTOS
LEITORES
CAPACIDADES DE LEITURA
Rafael Sanzio (1483-1520), “O
Casamento da Virgem", século
XV, Pinacoteca de Brera.
Um dos últimos quadros que o
jovem Raf...
LEVANTAMENTO DO REPERTÓRIO
ARTÍSTICO - ESTÉTICO
O tema “nascimento” tem sido
representado
por
diversas
pessoas, e de diver...
LEVANTAMENTO DO
REPERTÓRIO
ARTÍSTICO - ESTÉTICO
•Leitura de uma obra de arte

•Leitura Casual / Formal /
Interpretativa
LEITURA DE OBRA DE ARTE
• Leitura Casual  O que chamou
a atenção ?O que você viu ?

Leitura Formal 
•Quais cores mais ap...
LEITURA DE OBRA DE ARTE
•Leitura Formal 

•Existe sombra? Onde ?
• Textura?
•As Linhas  finas ou grossas ?
•Mais linhas ...
LEITURA DE OBRA DE ARTE

• Leitura Formal 
•Existem linhas paralelas ? Onde ?
• Linhas convergentes? Divergentes?
•Há for...
LEITURA DE OBRA DE ARTE

• Leitura Interpretativa

•Cada um interpreta a obra
como a vê  Sente de acordo
com sua visão d...
LEITURA DE OBRA DE ARTE
• Leitura Interpretativa
•Quais sensações lhe despertam
esta
obra?
Paz?
Saudade?
Repulsa? Medo? T...
LEITURA DE OBRA DE ARTE

• Leitura Interpretativa
•Qual a sua profissão?
•É casada? Viúva? Solteira?
•Tem filhos?

•Onde ...
LEITURA DE OBRA DE ARTE
• Leitura Interpretativa

•Mora com quem?

•Como ela chegou até aí?
•É uma pessoa alegre?

•E as ...
LEITURA DE OBRA DE ARTE

• Como serão suas roupas?

• Usa que tipo de perfume? Jóias?
Maquiagem?
•Verificar se o aluno:
• ...
Segundo certos relatos, Vênus
surgiu em Pafos, na Ilha de
Chipre. Outras narrativas dizem
que ela pousou em Citera,
próxim...
O NASCIMENTO DA BELEZA

Vênus é uma das deusas mais importantes da
Antiguidade, mas a lenda do seu nascimento no
mar é trá...
O NASCIMENTO DE VÊNUS

(Sandro Botticelli - Alessandro di
Mariano di Vanni Filipepi)
1ª - Pintura Renascentista com tema
e...
Sandro Botticelli
(1444 – 1510)

Natural de Florença
1481 – 1482 (Pintou a Capela Sistina)
A Vênus: Ideal de beleza
clássica muito apreciado no
início da Renascença

1484 – 172,5 x 278,5 cm.
Têmpera sobre tela
Gal...
JUNCOS

Os longos e esguios juncos reproduzem a pose e o
cabelo dourado da deusa
Referências Clássicas

Vênus parece feita de
puro mármore, e não de
carne. Ela imita a pose
de uma famosa estátua
da Roma ...
O recato
Botticelli escolheu uma
pose chamada “Vênus
Pudica”, em que a
deusa esconde
castamente o corpo
com as mãos.
Os pés e mãos

É característico da arte
de Botticelli o uso de
contornos nítidos e
precisos, cheios de
energia e tensão, e...
O vento oeste
Zéfiro, o vento oeste, é
filho de Aurora. É a brisa
suave da primavera que
impele Vênus até a praia,
e aqui ...
Botticelli não faz nenhum esforço para imitar as
ondas verdadeiras, mas usa o mar como uma
oportunidade de criar um padrão...
Uma elegante ninfa avança para receber Vênus. É
uma das quatro Horas, espíritos que personificam
as estações do ano. Ela r...
A Hora traz em
torno da cintura
um ramo de rosas
cor-de-rosa. Em
torno dos ombros
uma
elegante
guirlanda de mirta
verde, s...
LARANJEIRAS
Estas árvores estão carregadas de flores
brancas com pontas douradas. As fôlhas têm
nervuras douradas e também...
Anêmona
Uma única anêmona azul está em flor aos pés
da ninfa. Sua presença reforça a idéia da
chegada da primavera.
Rosas Sagradas
Segundo a antiga mitologia, a rosa, que é a flor
sagrada de Vênus, foi criada ao mesmo tempo
que o nascimen...
Revista
Época
Edição
174
17/09/
2001
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Ensino da leitura marília   elianeth dias kanthack hernandes
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ensino da leitura marília elianeth dias kanthack hernandes

1.853 visualizações

Publicada em

Pacto pela Alfabetização na Idade certa - Secretaria Municipal da Educação de Marília - SP
2013
Palestra da Professora Doutora Elianeth Hernandes

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.853
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
931
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ensino da leitura marília elianeth dias kanthack hernandes

  1. 1. ENCONTRO DE EDUCADORES SME DE MARÍLIA outubro de 2013 Dra. Elianeth Dias Kanthack Hernandes
  2. 2. Só tem um projeto de escola quem tem um projeto de vida!
  3. 3. SABOR ENCONTRO SABER
  4. 4. “Um antropólogo fez uma brincadeira com crianças de uma tribo africana. Ele colocou um cesto cheio de frutas junto a uma árvore e disse para as crianças que o primeiro que chegasse junto a árvore ganharia todas as frutas. Dado o sinal, todas as crianças saíram ao mesmo tempo e de mãos dadas! Então sentaram-se juntas para aproveitar da recompensa. Quando o antropólogo perguntou porquê elas haviam agido dessa forma, sabendo que um entre eles poderia ter todos os frutos para si, eles responderam: Ubuntu, como um de nós pode ser feliz se todos os outros estiverem tristes? UBUNTU na cultura Xhosa significa: “Eu Kátia Lomba Bräkling - jan2010 sou porque nós somos’””
  5. 5. Existem coisas que são sabidas e por serem sabidas não são ditas e por não serem ditas são esquecidas Pablo Neruda
  6. 6. Sherlock Holmes e Dr. Watson foram acampar. Depois de uma boa refeição e um cálice de vinho, eles entraram na barraca e foram dormir. Holmes acordou e cutucou seu amigo fiel. _ Watson, olhe para o céu e diga-me: o que você vê? Watson respondeu: _ Eu vejo milhões e milhões de estrelas. Pergunta Sherlock: _ O que elas dizem a você? Watson ponderou por um minuto, então disse:
  7. 7. _ Astronomicamente, isto me diz que lá estão milhões de planetas. Astrologicamente, observo que Saturno está em Leão. Horologicamente, deduzo que agora, são aproximadamente três horas e quinze minutos. Teologicamente, posso ver e ter certeza que Deus é o Todo Poderoso e perante Ele todos nós somos pequenos e insignificantes. Meteorologicamente, suspeito que vamos ter um lindo dia amanhã. O que elas dizem a você? Holmes silenciou-se por um minuto e disse: _ Watson ... Você esqueceu-se do óbvio. Alguém levou a nossa barraca.
  8. 8. O trabalho com leitura e escrita na escola não é tarefa de uma disciplina. É o eixo do trabalho escolar.
  9. 9. Duas formas de interpretar propostas curriculares atuais:: as Forma fraca: “O conteúdo não mudou, o que mudou foi a forma de trabalhar”. Forma forte: “A norma culta não é mais o centro das atenções, este lugar é do ensino da leitura e a escrita”.
  10. 10. • Desde a antiguidade os homens constroem narrativas para explicar suas origens (através dos mitos). • Os povos se constituíam em um conjunto de narrativas que davam sentido à vida e ao mundo. •A raiz da escrita/literatura é a necessidade de organizar o caos.
  11. 11. • Nascer é estar condenado a ler. A vida é um processo de leitura. Não há outra maneira de viver. • Na escola o primeiro objeto de leitura do aluno é o olhar do professor.
  12. 12. AFINAL, O QUE É LER?
  13. 13. Você sabia? Em um mesmo intervalo de tempo, os olhos captam: • aproximadamente 5 letras, em uma sequência apresentada ao acaso; • cerca de 10 a 12 letras em palavras avulsas conhecidas; • cerca de 25 letras (mais ou menos cinco palavras), quando se trata de um texto significativo.
  14. 14. Efeitos de diferentes verticais para T e S sobre os modelos tempo dependentes da circulação termohalina. Título de uma palestra apresentada em um seminário sobre as densidades da água do mar
  15. 15. Informação Informação visual Não-visual Leitura
  16. 16. RUA MARIO, 2IO
  17. 17. JKLOMNPRADESGHILUOMBAXCRE
  18. 18. LIMPAR COLA CAVALO NOITE ALGUM
  19. 19. A CHUVA É IMPORTANTE PARA A VIDA
  20. 20. Cabo-de-gerra Número de participantes: Indeter __ na __. Local adequado: Ao ar li ___ . Material necessária: ____ da . Regra do jo __ As ___anças, em duas colu___ frente a ___te, seguram uma cor___. No ponto em que as __lunas se tocam será tra__ da uma linha perpendicular aos jo__do___ . A uma dis___cia de 4 me____ do últi__ jogador de __da colu__ risca-se a li___ da vitória. Dado o __nal de i__cio, os jogadores puxam a ___da esforçando-se em arras___ os _____sários até a li___ de vitó___. Se__ considerado ___cedor o partido que atingir essa li___.
  21. 21. Muitas vezes o trabalho empreendido em interpretação textual se apresenta assim: Leia o texto abaixo e responda as questões a seguir: Carmem esticurava um po e artemunia à Laia. Pedro arteava pas ni tenes. 1. Que Carmem esticurava? 2. A quem artemunia? 3. O que Pedro arteava? Isso explica bem o que não é compreensão! Profª Ms Walquiria Rigolon
  22. 22. SIGNIFICADOS SENTIDOS CONTEXTO DE PRODUÇÃO
  23. 23. BAIGON NELES, PARASITAS!
  24. 24. SIGNIFICADOS SENTIDOS CONTEXTO DE PRODUÇÃO
  25. 25. “As rosas não nadaram nas sobrancelhas do chocolate incolor” A frase acima faz tanto sentido quanto o preconceito racial. Programa de prevenção ao preconceito étnico-racial. Secretaria da Educação. Cidade de Barra Mansa.
  26. 26. Ensinar a ler, portanto... deve supor a tematização das CAPACIDADES DE LEITURA requeridas para tanto, possibilitando aos alunos constituí-las ou ampliá-las.
  27. 27. Mais do que um processo individual, a leitura é uma prática social.
  28. 28. Em cada circunstância, se lê por motivos diferentes, que determinam procedimentos também diferentes para se lidar com o material de leitura.
  29. 29. POR QUE É IMPORTANTE LER?
  30. 30. “não são palavras o que pronunciamos ou escutamos, mas verdades ou mentiras, coisas boas ou más, importantes ou triviais, agradáveis ou desagradáveis, etc. A palavra está, sempre, carregada de um conteúdo ou de um sentido ideológico vivencial.” (Bakhtin, 1988. )
  31. 31. PARA QUÊ LER NA ESCOLA?
  32. 32. “As pesquisas comprovam que nenhum fato - nem a origem social e econômica, nem a raça, nem as escolas que frequentou – é tão determinante para o sucesso do americano como o hábito de ler.” (Bellinghini. A galáxia de Gutemberg. O Estado de São Paulo; 28mar99.) Kátia Lomba Bräkling - jan2010
  33. 33. O QUE LER – E COMO APRENDER A LER – NA ESCOLA?
  34. 34. TODOS OS CONHECIMENTOS COM OS QUAIS UM LEITOR / ESCRITOR / FALANTE / OUVINTE OPERA NAS PRÁTICAS DE LINGUAGEM
  35. 35. PROCEDIMENTOS DE LEITURA E DE ESCUTA DE TEXTOS COMPORTAMENTOS LEITORES CAPACIDADES DE LEITURA
  36. 36. Rafael Sanzio (1483-1520), “O Casamento da Virgem", século XV, Pinacoteca de Brera. Um dos últimos quadros que o jovem Rafael pinta em Florença antes de ser convocado pelo papa para ir à Roma é “O Casamento da Virgem” de 1504. Nele Rafael representa o casamento da Virgem Maria com São José. O estilo do mestre Perugino influenciou o jovem Rafael, como se pode observar em “O Casamento da Virgem”. A obra foi claramente inspirada no afresco São Pedro recebendo as Chaves pintado por Perugino em 1482 para a Capela Sistina.
  37. 37. LEVANTAMENTO DO REPERTÓRIO ARTÍSTICO - ESTÉTICO O tema “nascimento” tem sido representado por diversas pessoas, e de diversas maneiras desde a antiguidade. • Pintura - Cinema - Novela • Teatro - Música - Dança
  38. 38. LEVANTAMENTO DO REPERTÓRIO ARTÍSTICO - ESTÉTICO •Leitura de uma obra de arte •Leitura Casual / Formal / Interpretativa
  39. 39. LEITURA DE OBRA DE ARTE • Leitura Casual  O que chamou a atenção ?O que você viu ? Leitura Formal  •Quais cores mais aparecem? •Quais as outras cores ? •São cores quentes ou frias ? •São cores neutras ? Suaves ? •São cores puras ? Misturadas ?
  40. 40. LEITURA DE OBRA DE ARTE •Leitura Formal  •Existe sombra? Onde ? • Textura? •As Linhas  finas ou grossas ? •Mais linhas curvas ou retas ? •As curvas são abertas ou fechadas? •Maior quantidade de retas horizontais, verticais ou inclinadas?
  41. 41. LEITURA DE OBRA DE ARTE • Leitura Formal  •Existem linhas paralelas ? Onde ? • Linhas convergentes? Divergentes? •Há formação de ângulos ? •O que está no 1º plano? 2º plano? 3º plano ? •Qual o formato do quadro ? •Qual a técnica de pintura utilizada ? •Perspectiva?
  42. 42. LEITURA DE OBRA DE ARTE • Leitura Interpretativa •Cada um interpreta a obra como a vê  Sente de acordo com sua visão de mundo  Pensa com base em sua história de vida Não existe o certo ou o errado  Momento de aprendizagem muito rico.
  43. 43. LEITURA DE OBRA DE ARTE • Leitura Interpretativa •Quais sensações lhe despertam esta obra? Paz? Saudade? Repulsa? Medo? Tranquilidade? •A figura central da obra  •Quem é esta pessoa? •Que idade tem?
  44. 44. LEITURA DE OBRA DE ARTE • Leitura Interpretativa •Qual a sua profissão? •É casada? Viúva? Solteira? •Tem filhos? •Onde ela está? •Ela mora nesta praia? •Como é sua casa?
  45. 45. LEITURA DE OBRA DE ARTE • Leitura Interpretativa •Mora com quem? •Como ela chegou até aí? •É uma pessoa alegre? •E as outras pessoas? Quem são? •Faz frio? Tem neblina? •Quais sons podemos associar a esse lugar? •O que teria do lado esquerdo do quadro?
  46. 46. LEITURA DE OBRA DE ARTE • Como serão suas roupas? • Usa que tipo de perfume? Jóias? Maquiagem? •Verificar se o aluno: • realiza uma leitura interpretativa; • quais as suas dificuldades; • percebe a obra enquanto representação simbólica; • reconhece a possibilidade de diferentes formas de leitura, significados, sentidos e valores comunicativos
  47. 47. Segundo certos relatos, Vênus surgiu em Pafos, na Ilha de Chipre. Outras narrativas dizem que ela pousou em Citera, próximo à Costa Sul da Grécia. Ambas as ilhas foram dedicadas ao culto de Vênus.
  48. 48. O NASCIMENTO DA BELEZA Vênus é uma das deusas mais importantes da Antiguidade, mas a lenda do seu nascimento no mar é trágica. Urano (o céu) e Gaia (a terra) haviam se unido para produzir os primeiros seres humanos (Titãs). Mas um dos seus filhos (Cronos, também chamado Saturno) castrou seu pai com uma foice. Jogou então seus genitais no mar, e da espuma que daí resultou, nasceu Vênus. Vênus é o nome romano, os gregos a chamam Afrodite. É a deusa do amor, da beleza, do riso e do nascimento.
  49. 49. O NASCIMENTO DE VÊNUS (Sandro Botticelli - Alessandro di Mariano di Vanni Filipepi) 1ª - Pintura Renascentista com tema exclusivamente leigo e mitológico Característica básica da Renascença : Admiração pela Antiguidade Clássica (Grécia e Roma)
  50. 50. Sandro Botticelli (1444 – 1510) Natural de Florença 1481 – 1482 (Pintou a Capela Sistina)
  51. 51. A Vênus: Ideal de beleza clássica muito apreciado no início da Renascença 1484 – 172,5 x 278,5 cm. Têmpera sobre tela Galleria degli Uffizi, Florença
  52. 52. JUNCOS Os longos e esguios juncos reproduzem a pose e o cabelo dourado da deusa
  53. 53. Referências Clássicas Vênus parece feita de puro mármore, e não de carne. Ela imita a pose de uma famosa estátua da Roma antiga. Botticelli faz assim uma referência erudita que com certeza seria reconhecida.
  54. 54. O recato Botticelli escolheu uma pose chamada “Vênus Pudica”, em que a deusa esconde castamente o corpo com as mãos.
  55. 55. Os pés e mãos É característico da arte de Botticelli o uso de contornos nítidos e precisos, cheios de energia e tensão, e de mãos e pés bem cuidados, com longos dedos.
  56. 56. O vento oeste Zéfiro, o vento oeste, é filho de Aurora. É a brisa suave da primavera que impele Vênus até a praia, e aqui aparece abraçado com sua esposa, Clóris O rapto de Clóris A ninfa Clóris foi raptada por Zéfiro do Jardim das Hespérides. Mas Zéfiro apaixonou-se por sua vítima e ela consentiu em ser sua esposa. Assim, a ninfa elevou-se o nível de deusa e tornou-se a Flora, que tinha “perpétuo poder sobre as flores”.
  57. 57. Botticelli não faz nenhum esforço para imitar as ondas verdadeiras, mas usa o mar como uma oportunidade de criar um padrão decorativo. As formas estilizadas em V diminuem à medida em que se afastam, mas se modificam ao pé da concha.
  58. 58. Uma elegante ninfa avança para receber Vênus. É uma das quatro Horas, espíritos que personificam as estações do ano. Ela representa a primavera, a estação do renascimento e da renovação.
  59. 59. A Hora traz em torno da cintura um ramo de rosas cor-de-rosa. Em torno dos ombros uma elegante guirlanda de mirta verde, símbolo do amor eterno.
  60. 60. LARANJEIRAS Estas árvores estão carregadas de flores brancas com pontas douradas. As fôlhas têm nervuras douradas e também os troncos têm toques dourados., de modo que o bosque parece imbuído da divina presença da Vênus.
  61. 61. Anêmona Uma única anêmona azul está em flor aos pés da ninfa. Sua presença reforça a idéia da chegada da primavera.
  62. 62. Rosas Sagradas Segundo a antiga mitologia, a rosa, que é a flor sagrada de Vênus, foi criada ao mesmo tempo que o nascimento da deusa do amor. A rosa é o símbolo do amor. Seus espinhos nos lembram que o amor pode ferir.
  63. 63. Revista Época Edição 174 17/09/ 2001

×