Psicologia Final2

1.897 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.897
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
123
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia Final2

  1. 1. PSICOLOGIA DA CRIATIVIDADE<br />
  2. 2. Por quê?<br /><ul><li> Presença constante do discurso ‘criatividade’
  3. 3. Busca por pessoas criativas capazes de se submeter </li></ul>a diferentes situações<br /><ul><li>Testes criativos em empresas Brasileiras e Americanas
  4. 4. Por mais que o termo seja citado e procurado, ainda é um </li></ul>conceito abstrato para sociedade em geral<br /><ul><li> Visão de Wittgentein e a nossa busca
  5. 5. Analisaremos a criatividade dentro do processo criativo</li></li></ul><li>Conceito<br /><ul><li> Para conceituar criatividade, é necessário </li></ul>que se entenda o que é o ato criativo<br /><ul><li> Para um ponto de partida na conceituação, </li></ul>algumas definições de criatividade:<br /><ul><li> A criatividade, segundo Czikszentmihalyié o processo que resulta em algo novo e que é visto como útil por um número significativo de pessoas em um determinado tempo
  6. 6. Pierondiz que criador é “aquele que apresenta tendência acentuada à criação imaginativa, que é dotado de poder criador, de “creatividade”, como é o caso, segundo Tramer, da criança pequena”
  7. 7. Stein apresenta a criatividade como a relação entre o indivíduo e o ambiente no qual ele se encontra, como o produto da formulação de algo novo, sejam idéias ou soluções que podem tomar forma no campo material, e que se torna útil no ambiente.
  8. 8. Vervalin justifica a criatividade em uma esfera pessoal, sendo o processo atribuído ao criador para verificar se o ato é conhecido para ele. </li></li></ul><li>Conceito<br />A partir dessas definições, podemos tomar ato criativocomo a formulação de algo novo ou formas inovadorasde se chegar a um mesmo produto<br />
  9. 9. Conceito<br />ALGUMAS TEORIAS E VISÕES DE ACORDO COM CADA AUTOR:<br />DENVEY<br />fruto da experiência <br />do indivíduo<br />KRIS<br />recriação da realidade<br />FREUD<br />resultado da tensão provocada pela percepção do desequilíbrio ou necessidades<br />MASLOW<br />gênese do eu profundo ou primário, comum e universal em crianças e em muitos adultos bloqueada<br />GUILFORD<br />coleção de diferentes habilidades ou traços componentes<br />JUNG<br />resultado do tipo psicológico do individuo<br />SILLANY<br />disposição que existe potencialmente em todos os indivíduos e em todas as idades<br />SEBILLER<br />meio para melhorar <br />a sociedade<br />
  10. 10. <ul><li>Ostrower</li></ul>Potencial humano, inerente à sua condição.<br />Desenvolvimento da potencialidade – cultura<br />Criação de algo novo – novas coerências à mente humana<br />Necessecidade – crescer ordenando, criando e dando forma. <br />
  11. 11. <ul><li>Freud
  12. 12. “Impulso do Id visando solucionar um conflito. O indivíduo criativo sabe afrouxar o ego, fazendo com o que os impulsos cheguem aos umbrais da consciência”.
  13. 13. Proposição de uma solução pelo inconsciente para o conflito criado em seu interior.
  14. 14. Pressão emocional atendendo ao conflito provocado pela repressão</li></li></ul><li>O processo criativo ponte entre o inconsciente e o consciente.<br />Abstração do termo Criatividade<br />Potencialidade<br />Meio: o processo criativo<br />
  15. 15. Fases do processo criativo<br />Motivação<br />Preparação<br />Incubação<br />Iluminação<br />Verificação<br />Implementação<br />
  16. 16. Freud e oprocesso criativo<br />Individuação – meta do desenvolvimento da psique<br />Afrouxando oego<br />Desenvolvendo a aspiração natural ao acessar oinconsciente<br />
  17. 17. Processo e a necessidade humana<br />Realização da potencialidade: ordernar e dar sentido ao mundo<br />O meio: cultura<br />O juiz: cultura<br />“a cultura é o suporte da criatividade e ao mesmo tempo a criatividade é o elemento criador da cultura”<br />
  18. 18. Antiguidade: Pedras lascadas, as Vênus, o fazer fogo, a comunidade, a descoberta da agricultura<br />
  19. 19. Freud e o processo criativo<br />Conflito interior e o meio<br />
  20. 20. Ato criativo pode ser entendido como qualquer ato que possua esse mecanismo, que venha do inconsciente e que se manifeste de forma mais bruta ou com filtros do Superego. <br />A criatividade é a ponte entre o inconsciente e o consciente.<br />
  21. 21. Desenvolvendo a criatividade influências no processo criativo<br />Interação entre os mundos interno e externo. <br />As influências na criatividade decorrem em ambos e devem ser vistas através dessa interação, pois ela é resultante de sistemas sociais (Csikszentmihalyi, 1999).<br />
  22. 22. Essa teoria é reforçada com a idéia de que crianças são criativas em sua natureza e sofrem bloqueio conforme crescem. <br />
  23. 23. Nachmanovitch (1993) fala sobre uma criança de quatro anos que desenhava árvores extraordinárias e imaginativas, próximas ao real de forma vibrante, mas quando ela estava na pré-escola começou a desenhar árvores-palitos assim como todas as outras crianças.<br />
  24. 24. As experiências do indivíduo influenciam no processo criativo <br />A criatividade não se manifesta somente no mundo das idéias, mas é também organizada<br />Quanto mais experiências uma pessoa possui, mais as associações e capacidade de se adaptar e adotar diversos ângulos de visão se expandem<br />
  25. 25. No mundo interno, a criatividade é fomentada por esse afrouxamento, as pessoas criativas costumam ter como características a curiosidade, entusiasmo, motivação intrínseca, abertura a experiências, persistência, fluência de idéias e flexibilidade de pensamento (de Alencar, Fleith, 2003). <br />
  26. 26. Não é possível desenhar sem dominar alguma forma de ver o mundo e recriá-lo através do desenho, a criança de quatro anos de Nachmanovitch somente apresentava uma inclinação mais aflorada para perceber a cultura. <br />
  27. 27. Mudando de ambiente<br />Dominando a técnica.<br /><ul><li>é mais fácil desenvolver a criatividade das pessoas mudando as condições do ambiente, do que tentando fazê-las pensar de modo criativo “Csikszentmihalyi 2009 )</li></li></ul><li>A fantasiada criança se relaciona ao ver o mundo de forma diferente, a essa capacidade de se adaptar ao mundo, o inconsciente se apresenta através desses símbolos criados pela criança a partir da sua interação com o mundo. <br /> A ponte que se desenvolve em sua psique é mais corrente.<br />
  28. 28.
  29. 29.
  30. 30.
  31. 31.
  32. 32.
  33. 33.
  34. 34.
  35. 35.
  36. 36.
  37. 37.
  38. 38.
  39. 39.
  40. 40.
  41. 41.
  42. 42.
  43. 43.
  44. 44.
  45. 45.
  46. 46.
  47. 47.
  48. 48.
  49. 49. PROPAGANDAS <br />PARA TV <br />CRIATIVAS<br />
  50. 50.
  51. 51.
  52. 52.
  53. 53.
  54. 54.
  55. 55.
  56. 56. + PUBLICIDADE <br />CRIATIVA...<br />
  57. 57. Windex – Limpa Vidro<br />
  58. 58. TrueBlod – Seriado sobre Vampiros<br />
  59. 59. ResidentEvil – Camiseta Promocional<br />
  60. 60. Marca de cerveja que criou cornetas em forma de garrafa<br />
  61. 61. Toyota<br />‘’Toyota Prius. Respeita o meio ambiente.’’<br />
  62. 62.
  63. 63. Ong de Defesa do Meio Ambiente<br />“Você gostaria de economizar energia e ajudar a diminuir os efeitos do aquecimento global?”<br />
  64. 64. Smooth-Eez<br />
  65. 65. Smart<br />
  66. 66. Ong de proteção à criança<br />
  67. 67. 1<br />Sanyo<br />
  68. 68. 2<br />Sanyo<br />“Câmera a prova d’água”<br />
  69. 69. 1<br />“A chuva muda tudo. Por favor dirija cuidadosamente.”<br />
  70. 70. 2<br />
  71. 71. “Cigarro mata mais do que acidentes automobilísticos.”<br />
  72. 72. Playboy<br />
  73. 73. Mini Cooper<br />
  74. 74. Pepto-bismol<br />Remédio contra azia e má digestão<br />
  75. 75. Academia<br />
  76. 76. Aquecimento Global<br />
  77. 77. MilkyWay<br />
  78. 78. Match.com<br />
  79. 79. Ong Contra o Tabaco<br />
  80. 80. Dia do não fumante.<br />
  81. 81. Levis<br />
  82. 82. MeisterCamera<br />“Veja em maiores detalhes.”<br />
  83. 83. Marca de Lingerie<br />
  84. 84. Iams<br />
  85. 85. Iams<br />
  86. 86. Jeep<br />
  87. 87. Iams<br />
  88. 88. “Pixe e o seu próximo passo pode ser a cadeia.”<br />
  89. 89. “Te protege do sol”<br />
  90. 90. Frontline<br />“Tire-as (pulgas) do seu cão.”<br />
  91. 91. FischFranke<br />“Poste real com água e peixe de verdade”<br />
  92. 92. Fender<br />
  93. 93. Faber-Castel<br />
  94. 94. Contra o trabalho infantil<br />
  95. 95. Golden Ale<br />“Quando nós dizemos que a cerveja é forte, é verdade.”<br />
  96. 96. Discovery<br />“Semana do tubarão”<br />
  97. 97. OngCrisis<br />“Adorando a neve? Tente dormir nela. – Ajude pessoas sem teto a saírem do chão frio.”<br />
  98. 98. KolestonNaturals<br />
  99. 99. Ong Contra Violênca Doméstica<br />“Por favor não perca o controle ao beber.”<br />
  100. 100. Batman Begins<br />
  101. 101. BloodService<br />“Dinheiro não é tudo.”<br />
  102. 102. Atari<br />
  103. 103. Alerta nos banheiros de bares<br />“Quem está dirigindo?’’<br />
  104. 104.
  105. 105.
  106. 106. Páginas Amarelas<br />
  107. 107. Peugeot<br />
  108. 108. Remédio contra acne<br />“Acne. Não estoure-as, pare-as.”<br />
  109. 109. Duracell<br />
  110. 110. Desenvolvendo a criatividadeinfluências no processo criativo<br />Para desenvolver o seu potencial criativo, o indivíduo deve ser aberto: às suas idéias mesmo que lhe pareçam tolas e valoriza-las, à criatividade como potencialidade inata, ao mundo como multifacetado, à curiosidade e ao domínio do sistema cultural que o cerca, à crítica como observação do produto final e não da criatividade.<br />
  111. 111. Medindo a criatividade<br />A problemática em medir a criatividade dos diferentes testes <br />Fenômeno multidimensional e a influência de diversos aspectos, cognitivos, afetivos, ambientais e sociais . <br />Então, o que medir?<br />
  112. 112. Medindo a criatividade<br />Nos primeiros testes, utilizados até hoje, a criatividade era vista como pensamento divergente, “uma atividade mental inovadora e original que se desvia dos padrões convencionais e resulta em mais de uma solução aceitável para um problemas” (DAVIDOFF, 2001).<br />A observação das habilidades e características de pessoas criativas é utilizada pelo psicólogo para construir os testes.<br />
  113. 113. Medindo a criatividade<br />Os testes de criatividade passaram a contemplar a complexidade da mesma, levando em conta o contexto cultural e suas reflexões em relação à idade, formação, sexo, etc., do indivíduo.<br />
  114. 114. Teste Brasileiro de Criatividade Laboral<br />Formular um desenho a partir de um estímulo pouco definido<br />Finalizar uma série de desenhos <br />Fazer vários desenhos a partir de um mesmo semiquadro<br />
  115. 115.
  116. 116.
  117. 117. Funções dos testes<br />Identificar:<br />Habilidades<br />Bloqueios<br />Oferecer:<br />Direção<br />Valorização da própria criatividade<br />
  118. 118. Práticacriatividade em propaganda e publicidade<br />Matéria Prima<br />
  119. 119. Por quê?<br />Inovação<br /><ul><li>Mostrar serviço ou produto
  120. 120. Tradição do nãotradicional
  121. 121. “Chamar a atenção” do leitor
  122. 122. Redação publicitária, criação imagética do anúncio ou dos conceitos de campanha.</li></li></ul><li>Job<br />Precisamos fazer hoje.<br />Motivação<br />
  123. 123. Brainstorm<br />Vai falando.<br />Preparação<br />
  124. 124. Criatividade<br />Tá. E agora?<br />Incubação<br />
  125. 125. Criatividade<br />Ahá!<br />Iluminação<br />
  126. 126. Criatividade<br />Será que rola?<br />Verificação<br />
  127. 127. Criação<br />Não era bem assim.<br />Implementação<br />
  128. 128. Influenciando<br />Abertura<br />Inconsciente coletivo<br />Referência<br />Domínio técnico<br /><ul><li>Esse materializar dentro do universo publicitário necessita do domínio da técnica, sendo visto com grande importância, talvez até mais do que a das ideais (Barreto, 1982) </li></li></ul><li>Conclusão<br />O profissional<br />O diário<br /><ul><li> Integração
  129. 129. A criatividade é uma potencialidade humana e desenvolve-la é a forma como podemos nos tornar mais integrados. </li>

×