Urbanização e população

543 visualizações

Publicada em

Urbanização e população

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
543
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Urbanização e população

  1. 1. URBANIZAÇÃO E POPULAÇÃO A urbanização Prof. Paulo V. M. Tavares
  2. 2. Migração Migração é o deslocamento de indivíduos dentro de um espaço geográfico, de forma temporária ou permanente. Esses fluxos migratórios podem ser desencadeados por vários motivos: econômicos, culturais, religiosos, políticos e naturais (secas, terremotos, enchentes etc.). A migração econômica é a que exerce maior influência na população. É entendida como o deslocamento de contingentes humanos para áreas onde o sistema produtivo concentra uma maior ou uma melhor oportunidade de trabalho.
  3. 3. Tipos de migrações Migrações internacionais – as que ocorrem de um país para outro: Imigração – é caracterizada pela entrada de indivíduos ou grupos, em outro país. O imigrante é visto do ponto de vista do país que o acolheu O termo se aplica só às pessoas que pretendem fixar residência permanente no país adotivo, participando da sua vida social. Emigração – é caracterizada pela saída de indivíduos ou grupos, de seu país de origem, para se estabelecer em outro. Emigrante é aquele que mudou de seu país para residir em outro, visto do ponto de vista do país de origem. Migrações internas – são aquelas que ocorrem dentro do próprio país: Êxodo rural ou rural urbana – é o deslocamento da população rural para a cidade. Migração urbano-rural – é o deslocamento das pessoas da cidade para o campo. Migração urbano-urbana – é a mudança de indivíduos de uma cidade para outra. Migração pendular – típica das grandes cidades, onde centenas de pessoas saem de sua cidade para trabalhar em outra, retornando no final do dia. Migração sazonal – ligada às estações do ano, onde o migrante sai de sua cidade, em determinado período do ano, retornando posteriormente. Um exemplo são os trabalhadores que saem das regiões secas do Nordeste em busca de trabalho em outras regiões.
  4. 4. Fatores Repulsivos Fatores Atrativos Êxodo rural Urbanização Urbanização
  5. 5. Urbanização Urbanização é um processo de agrupamento das características rurais de uma localidade ou região, para características urbanas. Usualmente, esse fenômeno está associado ao desenvolvimento da civilização e da tecnologia. Demograficamente, o termo denota a redistribuição das populações das zonas rurais para assentamentos urbanos.
  6. 6. O drama da seca
  7. 7. Grandes latifúndios
  8. 8. Resultado da urbanização mal planejada
  9. 9. URBANIZAÇÃO E POPULAÇÃO População
  10. 10. A vida na cidade nem sempre é melhor… • Um dos reflexos do intenso processo de exclusão social é a população em situação de rua que, em decorrência da ocupação do solo urbano estar baseada na lógica capitalista de apropriação privada do espaço mediante o pagamento do valor da terra, não dispõe de renda suficiente para conseguir espaços adequados para a habitação e, sem alternativas, utiliza as ruas da cidade como moradia. • Entre os principais fatores que podem levar as pessoas a irem morar nas ruas estão: ausência de vínculos familiares, perda de algum ente querido, falta de escolaridade, desemprego, violência, perda da autoestima, alcoolismo, uso de drogas e doença mental.
  11. 11. Mesmo para aqueles que conseguem emprego
  12. 12. Gente demais, serviços de menos… E a população nas grandes cidades não para de crescer.
  13. 13. Renda Mínima O salário mínimo está longe de ser o suficiente para arcar plenamente com a despesa de um lar e garantir ao trabalhador o pelno sustento de sua família. O valor do Salário mínimo 2015 nacional é de R$ 788.00.
  14. 14. • Valores da Cesta Básica Localidade Variação Anual (em %) Valor da Cesta (em R$) Brasília 13,79 329,66 Aracaju 13,34 245,7 Florianópolis 10,58 353,1 Goiânia 9,66 301,21 São Paulo 8,24 354,19 Rio de Janeiro 7,13 338,03 Porto Alegre 5,89 348,56 João Pessoa 5,1 272,02 Curitiba 4,82 315,84 Recife 4,26 286,39 Manaus 4,22 320,7 Belém 3,81 307,63 Vitória 3,66 333,15 Fortaleza 2,53 280,39 Campo Grande 2,36 308,32 Belo Horizonte 1,22 316,06 Salvador 1,01 267,82 Natal -1,7 268,71 Itens da cesta básica: O DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), no Brasil, propõe que a Cesta Básica Nacional, ou Ração Essencial Mínima, possua treze gêneros alimentícios. No entanto a quantidade dos gêneros na cesta pode variar de acordo com cada região. Os produtos presentes na cesta são: Leite Feijão Arroz Farinha Batata Tomate Pão Francês ou de Forma Café em Pó Açúcar Óleo ou banha Manteiga Frutas/Banana / Maçã
  15. 15. Bolsa Família “O Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda que beneficia famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o país. O Bolsa Família integra o Plano Brasil Sem Miséria, que tem como foco de atuação os milhões de brasileiros com renda familiar per capita inferior a R$ 77 mensais e está baseado na garantia de renda, inclusão produtiva e no acesso aos serviços públicos”. (Governo Federal)
  16. 16. • Na área de saúde, as famílias devem acompanhar o cartão de vacinação e o crescimento e desenvolvimento das crianças menores de 7 anos. As mulheres na faixa de 14 a 44 anos também devem fazer o acompanhamento médico. Quando gestantes ou lactantes devem realizar o pré-natal e o acompanhamento de sua saúde e do bebê. • No que diz respeito a educação, todas as crianças e adolescentes entre 6 e 15 anos devem estar matriculados e ter frequência escolar mensal mínima de 85% da carga horária. Já os estudantes entre 16 e 17 anos devem ter frequência de, no mínimo, 75%. • Entre os titulares responsáveis pelas famílias que recebem, 93% são mulheres. Do total de pessoas que são beneficiadas pelo programa, 56% são mulheres e 44% são homens. O programa oferece às famílias quatro tipos de benefícios: o Básico, o Variável, o Variável para Jovem e o para Superação da Extrema Pobreza. O Básico, concedido às famílias em situação de extrema pobreza, é de 77 reais mensais, independentemente da composição familiar. Já o Variável, no valor de 35 reais, é concedido às famílias pobres e extremamente pobres que tenham crianças e adolescentes entre 0 e 15 anos, gestantes ou nutrizes, e pode chegar ao teto de cinco benefícios por família, ou seja 160 reais. As famílias em situação de extrema pobreza podem acumular o benefício Básico e o Variável, até o máximo de 230 reais por mês. O benefício Variável para Jovem, de 42 reais, é concedido às famílias pobres e extremamente pobres que tenham adolescentes entre 16 e 17 anos, matriculados na escola. A família pode acumular até dois benefícios, ou seja, 84 reais. Já o para Superação da Extrema Pobreza é concedido às famílias em situação de pobreza extrema. Cada família pode ter direito a um benefício. O valor varia em razão do cálculo realizado a partir da renda per capita da família e do benefício já recebido no programa. As famílias em situação de extrema pobreza podem acumular o benefício Básico, o Variável e o Variável para Jovem, até o máximo de 306 reais por mês, como também podem acumular um benefício para Superação da Extrema Pobreza.
  17. 17. Paternidade responsável - Planejamento Familiar
  18. 18. Segundo pesquisa do Instituto Brasileira de Geografia e Estatística (IBGE), a maternidade entre adolescentes no Brasil reduziu entre os anos 2000 e 2010, saindo de 14,8% para 11,8%, na faixa etária dos 15 aos 19 anos. Entre as capitais do país, o índice teve a menor média em Belo Horizonte (MG), com 6,5%, e maior em Boa Vista (RR), com 16,9%. Entre os Estados, Roraima e Acre têm os maiores índices (20,1% e 19,9%, respectivamente); Distrito Federal e São Paulo, os menores (8% e 9,1%). Ginecologista e obstetra da rede Hapvida Saúde, Adriana Maciel não percebe a diminuição dos índices levantados pelo estudo do IBGE na rotina dos consultórios em que atende. “Ainda existem muitas meninas gestantes. E isso é muito grave, pois, essas garotas, que ainda não completaram o crescimento, têm dificuldade de satisfazer as demandas nutricionais do feto, prejudicando o seu estado nutricional. Se o corpo da garota for pequeno, pode haver dificuldade na passagem do feto durante o parto normal”, citando apenas algumas das complicações. Além dos riscos das doenças sexualmente transmissíveis (DST’s), a gravidez pode trazer não somente complicações à saúde da mãe e do bebê, mas ainda riscos sociais, com a perda do projeto de vida, da educação e de inserção no mercado de trabalho. O Ministério da Saúde considera de risco toda gravidez em que a mãe tem idade inferior (ou igual) a 17 anos, quando, como um fator dependente dessa faixa etária, pode ocorrer aumento nos índices de toxemia (distúrbios metabólicos como eclampsia, perda de albumina pela urina, vômitos incontroláveis). (http://www.tribunahoje.com/noticia/122973/saude/2014/11/12/mesmo-com-reduco-gravidez- na-adolescencia-preocupa-especialistas.html).
  19. 19. Planejamento Métodos Anticoncepcionais Aborto Pense!
  20. 20. E aí? Podemos negar o direito a uma pessoa de ter quantos filhos quiser?
  21. 21. Já reparou que no geral, quanto menor é o nível de escolaridade maior é o percentual de filhos em uma família? Então, isso é um problema estritamente familiar ou é uma questão maior, de caráter social e, claro, de interesse do Estado?
  22. 22. A educação é um produto de luxo. $
  23. 23. Os dois lados de uma mesma cidade

×