SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
Escola Secundária c/ 3º ciclo de Vendas Novas
               Disciplina: Geografia C
             Professora: Manuela Santos
                Ano letivo: 2011/2012




Um Mundo de Contrastes
   Um Mundo Superpovoado?




                                                    Kátia Pirata Nº10
                                                                 12ºD
4.1.1
        A Evolução da População Mundial
          O Crescimento Demográfico no Mundo
Apesar da taxa de crescimento natural da
  população ter diminuído ligeiramente nos
  últimos 30 anos, o acréscimo anual verificado
  no total da população mundial traduziu-se
  num crescimento explosivo da população.
Os Diferentes Ritmos de
 Crescimento Populacional
Nos países desenvolvidos, existem alguns que já
 atingiram ou estão prestes a atingir uma taxa
 de crescimento natural nula ou até negativa.
Nos países em desenvolvimento a taxa de
 crescimento é cerca de 1,4%, estes países
 representam 82% da população mundial.
Os aumentos da população dependem
 fundamentalmente do comportamento de
 alguns indicadores demográficos, tais
 como as taxas de natalidade e
 mortalidade, e influenciam a evolução da
 esperança média de vida.

Muitos demógrafos consideram a evolução
 da população incluída numa lógica de
 causa-efeito conhecida como teoria da
 transição demográfica.
Teoria da Transição Demográfica
Os países apresentam
ritmos diferentes de
crescimento
populacional. Para
distinguir as diferentes
fases em que cada país
se encontra, foi
elaborado um modelo
de leitura das grandes
transformações
demográficas que
ocorreram ou que estão
a ocorrer.
A totalidade dos países desenvolvidos encontra-se na
  última fase da transição demográfica e em alguns
  países desenvolvidos até já se entrou numa fase a
  que se começou a chamar de pós-transição devido
  ao facto de o seu nível de fecundidade não garantir a
  substituição das gerações e de o número de óbitos
  ser superior ao de nascimentos. Todos os países do
  mundo já passaram pela segunda fase (declínio da
  mortalidade) e quase todos já chegaram à terceira
  fase (declínio da fecundidade).
Grande parte dos países do continente, bem
  como outros do mundo desenvolvido,
  apresenta uma redução acentuada do peso do
  grupo etário dos jovens, em resultado da
  quebra registada na taxa de fecundidade.
As pirâmides etárias, apresentam uma estrutura,
  em traços gerais, muito idêntica, com bases a
  diminuírem e os topos progressivamente a
  alargar-se.
4.1.2
Nos países desenvolvidos, os                  Assim:
progressos alcançados tiveram       •Taxa de mortalidade muito
       como resultado:                       reduzida
     •Redução da taxa de        •Taxa de natalidade muito reduzida
     mortalidade infantil
   •Diminuição da taxa de
      mortalidade geral          Índice sintético de fecundidade
                                incapaz de assegurar a renovação
                                           de gerações
Aumento da esperança média
         de vida                   Crescimento natural nulo ou
                                            negativo


Envelhecimento demográfico nos países desenvolvidos
Diferenças nos vários países
              desenvolvidos
           Europa                                 EUA
•Estabilização da população graças   •TCN positiva
ao saldo migratório positivo         •Saldo migratório positivo
•Índice sintético de fecundidade     •Índice sintético de fecundidade
inferior a 2,1 filhos por mulher     com valores muito próximos do
                                     índice de renovação de gerações
•Diminuição da fecundidade
•Aumento da esperança média de
vida                                  Envelhecimento da população
                                       processa-se a um ritmo mais
  Envelhecimento da população                     lento
Redução do crescimento natural
Causas das Mudanças Demográficas
• Revolução dos
  costumes;
• Transformação das
  estruturas familiares;
• Melhoria do nível de
  vida;
• Mudanças sociais;
• Processo de
  urbanização;
• Emancipação da
  mulher.
Implicações Demográficas e
        Económicas
Perturbação do normal funcionamento da economia porque:
- desequilíbrio na relação entre ativos e inativos, pondo em causa o
    sistema de segurança social, obrigando à realização de sucessivas
    reformas
- diminuição do espírito inovador e de iniciativa, diminuindo a
    produtividade
• Aumento das despesas com a saúde;
• Agravamento da carga fiscal sobre a população ativa;
• Recurso à pré-reforma têm contribuído para agravar as despesas do
    sistema de Segurança Social;
• População mais idosa possui menor mobilidade geográfica e
    profissional;
• Aumento do número de pessoas solitárias com mais de 60 anos;
• Aumento da população dependente;
• Degradação da situação económica e social dos idosos.
Aspetos Positivos
do Envelhecimento
   Demográfico
• Solidariedade familiar – ajudas económicas,
  participação na educação dos netos;
• Participação em ações de solidariedade ou de
  defesa do ambiente, que acabam por
  dinamizar as atividades económicas;
• Contributo para o dinamismo de alguns
  setores da economia, como o turismo, os
  seguros e a banca.
As Políticas Natalistas
• Aumento do abono de família a partir do 2º ou 3º filho ou
  no caso de famílias numerosas ou de rendimentos baixos;
• Prolongamento das licenças de parto e possibilidade de ser
  partilhada com o pai;
• Remuneração dos períodos de licença com base nos
  vencimentos auferidos pela mulher na altura do parto;
• Desenvolvimento de sistemas de proteção social dos mais
  jovens – creches e jardins de infância - comparticipados
  pelo Estado;
• Restrição de práticas anticoncecionais, nomeadamente o
  aborto;
• Horários de trabalho reduzidos e flexíveis;
• Atribuição de crédito à habitação com juros mais baixos e
  perdão parcial da dívida por cada nascimento.
Resultados
• Eficácia da aplicação destas medidas ainda se
  encontra em estudo;
• Permitiram inverter tendências verificadas em
  muitos países desenvolvidos:
- Taxas de natalidade registaram um pequeno
  aumento;
- Índice sintético de fecundidade aumentou para
  valores próximos da renovação de gerações;
• Permitiram melhorias em termos de trabalho da
  mulher na medida em que se traduziu num maior
  respeito pelos seus direitos.
4.1.3
Elevadas taxas de natalidade

    Elevado índice sintético de fecundidade

       Reduzida esperança media de vida

Diminuição da taxa de mortalidade (em especial a
           taxa de mortalidade infantil)



 Estrutura etária muito jovem
Consequências Socioeconómicas
• Redução da percentagem da população ativa;
• Elevados custos com a educação e formação de um
  elevado número de jovens;
• Necessidade de aumentar a oferta de emprego para
  absorver a crescente mão-de-obra disponível;
• Reduzida dinâmica produtiva devido ao reduzido nível
  de formação dos trabalhadores;
• Necessidade de satisfazer as exigências de consumo da
  elevada população obrigam a aumentar as importações
  de uma economia já muito débil;
• Intenso êxodo rural devido aos reduzidos rendimentos
  obtidos na agricultura, que exerce uma forte pressão
  nas cidades;
• Dificuldade de aplicação de medidas antinatalistas
  devido ao elevado número de jovens.
Mais recentemente tem-se assistido a um esforço
  para a diminuição da taxa de fecundidade nos
  países em desenvolvimento que tem
  permitido:
• Diminuir os encargos com a educação e saúde
  das crianças;
• Aumentar a escolaridade obrigatória e o
  número de crianças por ela abrangida;
• Diminuir a pressão sobre o mercado de
  trabalho.
Introdução de Políticas
     Antinatalistas
• Autorização de práticas de esterilização e
  aborto;
• Aumento da idade média do casamento;
• Incentivo à política do filho único;
• Divulgação do planeamento familiar e dos
  métodos contracetivos;
• Distribuição gratuita de métodos
  contracetivos;
• Recurso à ajuda internacional para
  financiar programas de planeamento
  familiar.
Resultados
• A incapacidade financeira de muitos países põe em causa a
  implementação eficaz destas medidas;
• Muitas vezes assumem um carater repressivo, limitando a sua
  aplicação;
• Sucesso da sua aplicação depende da conjunção com políticas
  de desenvolvimento económico e social;
• Peso da religião impede a generalização do uso de métodos
  contracetivos e também de práticas de aborto;


Fundamental uma articulação entre medidas de controlo da
        natalidade com medidas de promoção do
                    desenvolvimento

               Essencial a ajuda internacional
As Doenças Contagiosas e o Impacto nas
  Estruturas Demográficas e Produtivas das
              Regiões Afetadas
Um dos problemas que mais afeta as
 sociedades atuais é alastramento de
 doenças infecto-contagiosas (em particular
 VIH/SIDA):
          Problema que afeta:
  Países Desenvolvidos:    Países em
  Uma das principais       Desenvolvimento:
  causas de morte em       •Faz-se sentir em particular
  adultos com menos de     nos paises africanos
  45 anos                  •Elevada transmissão
                           vertical (mães para filhos)
Consequências
      Demográficas                Económicas
•Abruta redução da         •Aumento à
esperança média de vida;   necessidade de
•Diminuição da             cuidados médicos
fecundidade;               (aumento das despesas
•Aumento da taxa de        com o sistema de
mortalidade infantil;      saúde);
•Abrandamento do           •Diminui a população
crescimento natural.       ativa.
Soluções
• Investir em programas de prevenção e
  esclarecimento sobre a doença;
• Diminuir o clima de discriminação e
  ignorância em relação a doença;
• Diminuição do peso das tradições religiosas
  e culturais que limitam a utilização de
  práticas que evitem a propagação da
  doença.
4.1.4 A   População e os Recursos Globais




 Os Impactos Ambientais do
   Crescimento Demográfico
Ritmo acelerado do crescimento populacional

Países                                     Países em
Desenvolvidos:                             Desenvolvimento:
Pequena                                    Elevada taxa de
diminuição da taxa                         crescimento
de crescimento                             natural
natural


             Elevado crescimento demográfico

    Aumento do consumo de recursos naturais para satisfazer as
               necessidades básicas da população
Aumento populacional

           Aumento do consumo de recursos

              Impactos nos ecossistemas


• Aumento da produção alimentar, o uso de recursos
  naturais e o produto global para satisfazer as
  necessidades de consumo de alimentos energias e
  outros bens de uma população cada vez mais
  numerosa;
• Tem aumentado ao mesmo ritmo a população e o
  desperdício devido a elevadas quantidades de
  materiais movimentadas e à energia consumida pelas
  atividades humanas.
Crescimento populacional

Principais desafios do mundo na atualidade

  Esta dificultada a sustentabilidade do
  planeta porque a este ritmo os recursos
        esgotar-se-ão rapidamente
Surgem problemas relacionados com:

• Alojamento;
• Cuidados de saúde;
• Subsistência
  familiar;
• Fornecimento de
  energia.
Bibliografia
• DOMINGOS Cristina, LEMOS Jorge e outros,
  Geografia C 12º ano, Plátano Editora 4ª Edição
  Abril 2011
• https://sites.google.com/site/geografiaemcon
  strucao/12o-ano/apoios-para-as-aulas/um-
  mundo-de-contrastes
Questões
1 – Nos países desenvolvidos, existem alguns que já atingiram ou estão prestes a atingir uma taxa de
    crescimento natural nula ou até negativa. V ou F.
2 – Os aumentos da população dependem fundamentalmente do comportamento de alguns
    indicadores demográficos, tais como as taxas de natalidade e mortalidade, e influenciam a
    evolução da esperança média de vida. V ou F.
3 – A totalidade dos países desenvolvidos encontra-se na primeira fase da transição demográfica e
    em alguns países em desenvolvimento até já se entrou numa fase a que se começou a chamar de
    pós-transição devido ao facto de o seu nível de fecundidade não garantir a substituição das
    gerações e de o número de óbitos ser superior ao de nascimentos. V ou F.
4 – Nos países desenvolvidos, a luta contra a elevada taxa de mortalidade, levada a cabo durante dois
    séculos, tem registado algum insucesso não só pelo aumento da mortalidade infantil, mas
    também pelo aumento da mortalidade em idade adulta. V ou F.
5 – Refira as causas das mudanças demográficas.
6 – Refira os aspetos positivos do envelhecimento demográfico.
7 – Uma das medidas antinatalistas adotadas é a autorização de práticas de esterilização e de aborto.
    V ou F.
8 – O efeito mais claro do VIH/SIDA faz-se sentir na abrupta redução da esperança média de vida,
    esta drástica diminuição está a refletir-se no declínio dos índices de desenvolvimento humano de
    muitos países em desenvolvimento. V ou F.
9 – Refira algumas soluções para atenuar a doença (VIH/SIDA).
10 – Refira alguns dos problemas que surgem, nos países em desenvolvimento, relacionados com os
    recursos ambientais.
1 – Verdadeiro.
2 – Verdadeiro.
3 – Falso. A totalidade dos países desenvolvidos encontra-se na última fase da transição demográfica e
em alguns países desenvolvidos até já se entrou numa fase a que se começou a chamar de pós-
transição devido ao facto de o seu nível de fecundidade não garantir a substituição das gerações e de o
número de óbitos ser superior ao de nascimentos.
4 – Falso. Nos países desenvolvidos, a luta contra a elevada taxa de mortalidade, levada a cabo durante
dois séculos, tem registado grandes sucessos não só pela redução da mortalidade infantil, mas também
pela diminuição da mortalidade em idade adulta.
5 – As causas das mudanças demográficas são a revolução dos costumes, transformação das estruturas
familiares, melhoria do nível de vida, mudanças sociais, processo de urbanização e emancipação da
mulher.
6 – Os aspetos positivos do envelhecimento demográfico são a solidariedade familiar (ajudas
económicas, participação na educação dos netos), a participação em ações de solidariedade ou de
defesa do ambiente, que acabam por dinamizar as atividades económicas e o contributo para o
dinamismo de alguns setores da economia, como o turismo, os seguros e a banca.
7 – Verdadeiro
8 – Verdadeiro.
9 – Algumas soluções para atenuar a doença são investir em programas de prevenção e esclarecimento
sobre a doença, diminuir o clima de discriminação e ignorância em relação à doença e diminuição do
peso das tradições religiosas e culturais que limitam a utilização de práticas que evitem a propagação da
doença.
10 – Alguns dos problemas que surgem, nos países em desenvolvimento, relacionados com os recursos
ambientais são o alojamento, os cuidados de saúde, a subsistência alimentar e o fornecimento de
energia.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
Escoladocs
 
Bloqueio de Berlim e Guerra da Coreia
Bloqueio de Berlim e Guerra da CoreiaBloqueio de Berlim e Guerra da Coreia
Bloqueio de Berlim e Guerra da Coreia
Aulas de História
 
Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)
Rosária Zamith
 
Ajuda Publica ao Desenvolvimento
Ajuda Publica ao DesenvolvimentoAjuda Publica ao Desenvolvimento
Ajuda Publica ao Desenvolvimento
Joana Melo
 
As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IA
Carlos Vieira
 

Mais procurados (20)

Japao
JapaoJapao
Japao
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
 
Bloqueio de Berlim e Guerra da Coreia
Bloqueio de Berlim e Guerra da CoreiaBloqueio de Berlim e Guerra da Coreia
Bloqueio de Berlim e Guerra da Coreia
 
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºanoModulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
 
Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)
 
Mundo capitalista
Mundo capitalistaMundo capitalista
Mundo capitalista
 
1 globalização
1 globalização1 globalização
1 globalização
 
Contrastes de desenvolvimento
Contrastes de desenvolvimentoContrastes de desenvolvimento
Contrastes de desenvolvimento
 
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na RússiaImplantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
 
Ajuda Publica ao Desenvolvimento
Ajuda Publica ao DesenvolvimentoAjuda Publica ao Desenvolvimento
Ajuda Publica ao Desenvolvimento
 
Conflitos Regionais
Conflitos RegionaisConflitos Regionais
Conflitos Regionais
 
7 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 307 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 30
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
 
1 guerra
1 guerra1 guerra
1 guerra
 
Evolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesaEvolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesa
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
 
As opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IAAs opções totalitárias - IA
As opções totalitárias - IA
 
Um mundo policêntrico
Um mundo policêntricoUm mundo policêntrico
Um mundo policêntrico
 
As Novas Dinâmicas Espaciais: O Aumento das Interdependências entre Lugares e...
As Novas Dinâmicas Espaciais: O Aumento das Interdependências entre Lugares e...As Novas Dinâmicas Espaciais: O Aumento das Interdependências entre Lugares e...
As Novas Dinâmicas Espaciais: O Aumento das Interdependências entre Lugares e...
 

Destaque

Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...
Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...
Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...
GeografiaC
 
Evolução da população mundial
Evolução da população mundialEvolução da população mundial
Evolução da população mundial
abarros
 
Os contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimento
Os contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimentoOs contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimento
Os contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimento
Gabriel Cristiano
 
mundo contrastes - desenvolvimento
mundo contrastes - desenvolvimentomundo contrastes - desenvolvimento
mundo contrastes - desenvolvimento
Geografia Só
 
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
inessalgado
 
Análise da População Portuguesa em Relação à Europa
Análise  da População Portuguesa em Relação à EuropaAnálise  da População Portuguesa em Relação à Europa
Análise da População Portuguesa em Relação à Europa
Ana Vale Costa
 
Projecto mobilidade sustentavel
Projecto mobilidade sustentavelProjecto mobilidade sustentavel
Projecto mobilidade sustentavel
girasolcontente
 
Problema urbano
Problema urbanoProblema urbano
Problema urbano
xanapratas
 
AReasurbanas 120302180125-phpapp02
AReasurbanas 120302180125-phpapp02AReasurbanas 120302180125-phpapp02
AReasurbanas 120302180125-phpapp02
Tiago Ramos
 

Destaque (20)

Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...
Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...
Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...
 
Evolução da população mundial
Evolução da população mundialEvolução da população mundial
Evolução da população mundial
 
Os contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimento
Os contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimentoOs contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimento
Os contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimento
 
mundo contrastes - desenvolvimento
mundo contrastes - desenvolvimentomundo contrastes - desenvolvimento
mundo contrastes - desenvolvimento
 
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
 
Refugiados - Aula de Geografia
Refugiados - Aula de Geografia Refugiados - Aula de Geografia
Refugiados - Aula de Geografia
 
Evolução da população
Evolução da populaçãoEvolução da população
Evolução da população
 
TEORIAS DEMOGRÁFICAS (DE MALTHUS A TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA)
TEORIAS DEMOGRÁFICAS (DE MALTHUS A TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA)TEORIAS DEMOGRÁFICAS (DE MALTHUS A TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA)
TEORIAS DEMOGRÁFICAS (DE MALTHUS A TRANSIÇÃO DEMOGRÁFICA)
 
12ª classe aula4
12ª classe aula412ª classe aula4
12ª classe aula4
 
Informação exames provas 2017
Informação exames provas 2017Informação exames provas 2017
Informação exames provas 2017
 
Regulamento dos exames_2017_desp normativo nº 1-a-2017
Regulamento dos exames_2017_desp normativo nº 1-a-2017Regulamento dos exames_2017_desp normativo nº 1-a-2017
Regulamento dos exames_2017_desp normativo nº 1-a-2017
 
Guia Geral de Exames 2017
Guia Geral de Exames 2017Guia Geral de Exames 2017
Guia Geral de Exames 2017
 
Norma 1 jne-2017
Norma 1  jne-2017Norma 1  jne-2017
Norma 1 jne-2017
 
Juri nacional 2017 2017 alunos condições especiais
Juri  nacional 2017 2017 alunos condições especiaisJuri  nacional 2017 2017 alunos condições especiais
Juri nacional 2017 2017 alunos condições especiais
 
Geografia11ºano
Geografia11ºanoGeografia11ºano
Geografia11ºano
 
Análise da População Portuguesa em Relação à Europa
Análise  da População Portuguesa em Relação à EuropaAnálise  da População Portuguesa em Relação à Europa
Análise da População Portuguesa em Relação à Europa
 
Projecto mobilidade sustentavel
Projecto mobilidade sustentavelProjecto mobilidade sustentavel
Projecto mobilidade sustentavel
 
Problema urbano
Problema urbanoProblema urbano
Problema urbano
 
Production Process of Radio Trailer
Production Process of Radio TrailerProduction Process of Radio Trailer
Production Process of Radio Trailer
 
AReasurbanas 120302180125-phpapp02
AReasurbanas 120302180125-phpapp02AReasurbanas 120302180125-phpapp02
AReasurbanas 120302180125-phpapp02
 

Semelhante a Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um Mundo Superpovoado? - Apresentação Intermédia

Um mundo superpovoado
Um mundo superpovoadoUm mundo superpovoado
Um mundo superpovoado
Joana Melo
 
Constrates na estrutura etária
Constrates na estrutura etáriaConstrates na estrutura etária
Constrates na estrutura etária
8ºC
 
Ficha de estudo para o teste de geografia 8º ano
Ficha de estudo para o teste de geografia 8º anoFicha de estudo para o teste de geografia 8º ano
Ficha de estudo para o teste de geografia 8º ano
anacristinaccc
 
A população mundial
A população mundialA população mundial
A população mundial
viagem1
 
Pirâmides etárias
Pirâmides etáriasPirâmides etárias
Pirâmides etárias
colegiomb
 
Gb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratorios
Gb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratoriosGb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratorios
Gb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratorios
Fernando Machniewicz Knapik
 
Estrututas etárias
Estrututas etáriasEstrututas etárias
Estrututas etárias
Pocarolas
 

Semelhante a Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um Mundo Superpovoado? - Apresentação Intermédia (20)

Geografia8ano
Geografia8anoGeografia8ano
Geografia8ano
 
Um mundo superpovoado
Um mundo superpovoadoUm mundo superpovoado
Um mundo superpovoado
 
Geografia_B4.1 A Evolução Numérica.pptx
Geografia_B4.1 A Evolução Numérica.pptxGeografia_B4.1 A Evolução Numérica.pptx
Geografia_B4.1 A Evolução Numérica.pptx
 
comportamento dos indicadores demográficos
comportamento dos indicadores demográficoscomportamento dos indicadores demográficos
comportamento dos indicadores demográficos
 
Constrates na estrutura etária
Constrates na estrutura etáriaConstrates na estrutura etária
Constrates na estrutura etária
 
Ficha de estudo para o teste de geografia 8º ano
Ficha de estudo para o teste de geografia 8º anoFicha de estudo para o teste de geografia 8º ano
Ficha de estudo para o teste de geografia 8º ano
 
Evolução população mundial
Evolução população mundialEvolução população mundial
Evolução população mundial
 
População_(desenvolvidos_em_desenvolvimento).pptx
População_(desenvolvidos_em_desenvolvimento).pptxPopulação_(desenvolvidos_em_desenvolvimento).pptx
População_(desenvolvidos_em_desenvolvimento).pptx
 
geom8_populacao.pptx
geom8_populacao.pptxgeom8_populacao.pptx
geom8_populacao.pptx
 
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºanoCrescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
 
A população mundial
A população mundialA população mundial
A população mundial
 
Pirâmides etárias
Pirâmides etáriasPirâmides etárias
Pirâmides etárias
 
Terceira Idade
Terceira IdadeTerceira Idade
Terceira Idade
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
 
Evolução da população mundial
Evolução da população mundialEvolução da população mundial
Evolução da população mundial
 
Matéria lecionada
Matéria lecionadaMatéria lecionada
Matéria lecionada
 
Gb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratorios
Gb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratoriosGb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratorios
Gb.16.indicadores.demograficos.fluxos.migratorios
 
Estrututas etárias
Estrututas etáriasEstrututas etárias
Estrututas etárias
 
Trabalho escrito crescimento da população humana e sustentabilidade
Trabalho escrito crescimento da população humana e sustentabilidadeTrabalho escrito crescimento da população humana e sustentabilidade
Trabalho escrito crescimento da população humana e sustentabilidade
 
Geografia das populações
Geografia das populaçõesGeografia das populações
Geografia das populações
 

Mais de GeografiaC

Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)
Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)
Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)
GeografiaC
 
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
GeografiaC
 
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
GeografiaC
 
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
GeografiaC
 
Geografia final
Geografia finalGeografia final
Geografia final
GeografiaC
 
UE apresentaçao
UE apresentaçaoUE apresentaçao
UE apresentaçao
GeografiaC
 

Mais de GeografiaC (12)

Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)
Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)
Organização Formal (UNICEF) e Informal (ANEM)
 
Ami e pam
Ami e pamAmi e pam
Ami e pam
 
AMI E PAM
AMI E PAMAMI E PAM
AMI E PAM
 
Os probl..
 Os probl.. Os probl..
Os probl..
 
Os probl..
 Os probl.. Os probl..
Os probl..
 
Os probl..
 Os probl.. Os probl..
Os probl..
 
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
 
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
 
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
A Política Externa e de Segurança Comum (PESC)
 
Os Dragões
Os DragõesOs Dragões
Os Dragões
 
Geografia final
Geografia finalGeografia final
Geografia final
 
UE apresentaçao
UE apresentaçaoUE apresentaçao
UE apresentaçao
 

Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um Mundo Superpovoado? - Apresentação Intermédia

  • 1. Escola Secundária c/ 3º ciclo de Vendas Novas Disciplina: Geografia C Professora: Manuela Santos Ano letivo: 2011/2012 Um Mundo de Contrastes Um Mundo Superpovoado? Kátia Pirata Nº10 12ºD
  • 2. 4.1.1 A Evolução da População Mundial O Crescimento Demográfico no Mundo
  • 3. Apesar da taxa de crescimento natural da população ter diminuído ligeiramente nos últimos 30 anos, o acréscimo anual verificado no total da população mundial traduziu-se num crescimento explosivo da população.
  • 4. Os Diferentes Ritmos de Crescimento Populacional Nos países desenvolvidos, existem alguns que já atingiram ou estão prestes a atingir uma taxa de crescimento natural nula ou até negativa. Nos países em desenvolvimento a taxa de crescimento é cerca de 1,4%, estes países representam 82% da população mundial.
  • 5. Os aumentos da população dependem fundamentalmente do comportamento de alguns indicadores demográficos, tais como as taxas de natalidade e mortalidade, e influenciam a evolução da esperança média de vida. Muitos demógrafos consideram a evolução da população incluída numa lógica de causa-efeito conhecida como teoria da transição demográfica.
  • 6. Teoria da Transição Demográfica Os países apresentam ritmos diferentes de crescimento populacional. Para distinguir as diferentes fases em que cada país se encontra, foi elaborado um modelo de leitura das grandes transformações demográficas que ocorreram ou que estão a ocorrer.
  • 7. A totalidade dos países desenvolvidos encontra-se na última fase da transição demográfica e em alguns países desenvolvidos até já se entrou numa fase a que se começou a chamar de pós-transição devido ao facto de o seu nível de fecundidade não garantir a substituição das gerações e de o número de óbitos ser superior ao de nascimentos. Todos os países do mundo já passaram pela segunda fase (declínio da mortalidade) e quase todos já chegaram à terceira fase (declínio da fecundidade).
  • 8. Grande parte dos países do continente, bem como outros do mundo desenvolvido, apresenta uma redução acentuada do peso do grupo etário dos jovens, em resultado da quebra registada na taxa de fecundidade. As pirâmides etárias, apresentam uma estrutura, em traços gerais, muito idêntica, com bases a diminuírem e os topos progressivamente a alargar-se.
  • 10. Nos países desenvolvidos, os Assim: progressos alcançados tiveram •Taxa de mortalidade muito como resultado: reduzida •Redução da taxa de •Taxa de natalidade muito reduzida mortalidade infantil •Diminuição da taxa de mortalidade geral Índice sintético de fecundidade incapaz de assegurar a renovação de gerações Aumento da esperança média de vida Crescimento natural nulo ou negativo Envelhecimento demográfico nos países desenvolvidos
  • 11. Diferenças nos vários países desenvolvidos Europa EUA •Estabilização da população graças •TCN positiva ao saldo migratório positivo •Saldo migratório positivo •Índice sintético de fecundidade •Índice sintético de fecundidade inferior a 2,1 filhos por mulher com valores muito próximos do índice de renovação de gerações •Diminuição da fecundidade •Aumento da esperança média de vida Envelhecimento da população processa-se a um ritmo mais Envelhecimento da população lento Redução do crescimento natural
  • 12. Causas das Mudanças Demográficas • Revolução dos costumes; • Transformação das estruturas familiares; • Melhoria do nível de vida; • Mudanças sociais; • Processo de urbanização; • Emancipação da mulher.
  • 13. Implicações Demográficas e Económicas Perturbação do normal funcionamento da economia porque: - desequilíbrio na relação entre ativos e inativos, pondo em causa o sistema de segurança social, obrigando à realização de sucessivas reformas - diminuição do espírito inovador e de iniciativa, diminuindo a produtividade • Aumento das despesas com a saúde; • Agravamento da carga fiscal sobre a população ativa; • Recurso à pré-reforma têm contribuído para agravar as despesas do sistema de Segurança Social; • População mais idosa possui menor mobilidade geográfica e profissional; • Aumento do número de pessoas solitárias com mais de 60 anos; • Aumento da população dependente; • Degradação da situação económica e social dos idosos.
  • 14. Aspetos Positivos do Envelhecimento Demográfico • Solidariedade familiar – ajudas económicas, participação na educação dos netos; • Participação em ações de solidariedade ou de defesa do ambiente, que acabam por dinamizar as atividades económicas; • Contributo para o dinamismo de alguns setores da economia, como o turismo, os seguros e a banca.
  • 15. As Políticas Natalistas • Aumento do abono de família a partir do 2º ou 3º filho ou no caso de famílias numerosas ou de rendimentos baixos; • Prolongamento das licenças de parto e possibilidade de ser partilhada com o pai; • Remuneração dos períodos de licença com base nos vencimentos auferidos pela mulher na altura do parto; • Desenvolvimento de sistemas de proteção social dos mais jovens – creches e jardins de infância - comparticipados pelo Estado; • Restrição de práticas anticoncecionais, nomeadamente o aborto; • Horários de trabalho reduzidos e flexíveis; • Atribuição de crédito à habitação com juros mais baixos e perdão parcial da dívida por cada nascimento.
  • 16. Resultados • Eficácia da aplicação destas medidas ainda se encontra em estudo; • Permitiram inverter tendências verificadas em muitos países desenvolvidos: - Taxas de natalidade registaram um pequeno aumento; - Índice sintético de fecundidade aumentou para valores próximos da renovação de gerações; • Permitiram melhorias em termos de trabalho da mulher na medida em que se traduziu num maior respeito pelos seus direitos.
  • 17. 4.1.3
  • 18. Elevadas taxas de natalidade Elevado índice sintético de fecundidade Reduzida esperança media de vida Diminuição da taxa de mortalidade (em especial a taxa de mortalidade infantil) Estrutura etária muito jovem
  • 19. Consequências Socioeconómicas • Redução da percentagem da população ativa; • Elevados custos com a educação e formação de um elevado número de jovens; • Necessidade de aumentar a oferta de emprego para absorver a crescente mão-de-obra disponível; • Reduzida dinâmica produtiva devido ao reduzido nível de formação dos trabalhadores; • Necessidade de satisfazer as exigências de consumo da elevada população obrigam a aumentar as importações de uma economia já muito débil; • Intenso êxodo rural devido aos reduzidos rendimentos obtidos na agricultura, que exerce uma forte pressão nas cidades; • Dificuldade de aplicação de medidas antinatalistas devido ao elevado número de jovens.
  • 20. Mais recentemente tem-se assistido a um esforço para a diminuição da taxa de fecundidade nos países em desenvolvimento que tem permitido: • Diminuir os encargos com a educação e saúde das crianças; • Aumentar a escolaridade obrigatória e o número de crianças por ela abrangida; • Diminuir a pressão sobre o mercado de trabalho.
  • 21. Introdução de Políticas Antinatalistas • Autorização de práticas de esterilização e aborto; • Aumento da idade média do casamento; • Incentivo à política do filho único; • Divulgação do planeamento familiar e dos métodos contracetivos; • Distribuição gratuita de métodos contracetivos; • Recurso à ajuda internacional para financiar programas de planeamento familiar.
  • 22. Resultados • A incapacidade financeira de muitos países põe em causa a implementação eficaz destas medidas; • Muitas vezes assumem um carater repressivo, limitando a sua aplicação; • Sucesso da sua aplicação depende da conjunção com políticas de desenvolvimento económico e social; • Peso da religião impede a generalização do uso de métodos contracetivos e também de práticas de aborto; Fundamental uma articulação entre medidas de controlo da natalidade com medidas de promoção do desenvolvimento Essencial a ajuda internacional
  • 23. As Doenças Contagiosas e o Impacto nas Estruturas Demográficas e Produtivas das Regiões Afetadas Um dos problemas que mais afeta as sociedades atuais é alastramento de doenças infecto-contagiosas (em particular VIH/SIDA): Problema que afeta: Países Desenvolvidos: Países em Uma das principais Desenvolvimento: causas de morte em •Faz-se sentir em particular adultos com menos de nos paises africanos 45 anos •Elevada transmissão vertical (mães para filhos)
  • 24. Consequências Demográficas Económicas •Abruta redução da •Aumento à esperança média de vida; necessidade de •Diminuição da cuidados médicos fecundidade; (aumento das despesas •Aumento da taxa de com o sistema de mortalidade infantil; saúde); •Abrandamento do •Diminui a população crescimento natural. ativa.
  • 25. Soluções • Investir em programas de prevenção e esclarecimento sobre a doença; • Diminuir o clima de discriminação e ignorância em relação a doença; • Diminuição do peso das tradições religiosas e culturais que limitam a utilização de práticas que evitem a propagação da doença.
  • 26. 4.1.4 A População e os Recursos Globais Os Impactos Ambientais do Crescimento Demográfico
  • 27. Ritmo acelerado do crescimento populacional Países Países em Desenvolvidos: Desenvolvimento: Pequena Elevada taxa de diminuição da taxa crescimento de crescimento natural natural Elevado crescimento demográfico Aumento do consumo de recursos naturais para satisfazer as necessidades básicas da população
  • 28. Aumento populacional Aumento do consumo de recursos Impactos nos ecossistemas • Aumento da produção alimentar, o uso de recursos naturais e o produto global para satisfazer as necessidades de consumo de alimentos energias e outros bens de uma população cada vez mais numerosa; • Tem aumentado ao mesmo ritmo a população e o desperdício devido a elevadas quantidades de materiais movimentadas e à energia consumida pelas atividades humanas.
  • 29. Crescimento populacional Principais desafios do mundo na atualidade Esta dificultada a sustentabilidade do planeta porque a este ritmo os recursos esgotar-se-ão rapidamente
  • 30. Surgem problemas relacionados com: • Alojamento; • Cuidados de saúde; • Subsistência familiar; • Fornecimento de energia.
  • 31. Bibliografia • DOMINGOS Cristina, LEMOS Jorge e outros, Geografia C 12º ano, Plátano Editora 4ª Edição Abril 2011 • https://sites.google.com/site/geografiaemcon strucao/12o-ano/apoios-para-as-aulas/um- mundo-de-contrastes
  • 32. Questões 1 – Nos países desenvolvidos, existem alguns que já atingiram ou estão prestes a atingir uma taxa de crescimento natural nula ou até negativa. V ou F. 2 – Os aumentos da população dependem fundamentalmente do comportamento de alguns indicadores demográficos, tais como as taxas de natalidade e mortalidade, e influenciam a evolução da esperança média de vida. V ou F. 3 – A totalidade dos países desenvolvidos encontra-se na primeira fase da transição demográfica e em alguns países em desenvolvimento até já se entrou numa fase a que se começou a chamar de pós-transição devido ao facto de o seu nível de fecundidade não garantir a substituição das gerações e de o número de óbitos ser superior ao de nascimentos. V ou F. 4 – Nos países desenvolvidos, a luta contra a elevada taxa de mortalidade, levada a cabo durante dois séculos, tem registado algum insucesso não só pelo aumento da mortalidade infantil, mas também pelo aumento da mortalidade em idade adulta. V ou F. 5 – Refira as causas das mudanças demográficas. 6 – Refira os aspetos positivos do envelhecimento demográfico. 7 – Uma das medidas antinatalistas adotadas é a autorização de práticas de esterilização e de aborto. V ou F. 8 – O efeito mais claro do VIH/SIDA faz-se sentir na abrupta redução da esperança média de vida, esta drástica diminuição está a refletir-se no declínio dos índices de desenvolvimento humano de muitos países em desenvolvimento. V ou F. 9 – Refira algumas soluções para atenuar a doença (VIH/SIDA). 10 – Refira alguns dos problemas que surgem, nos países em desenvolvimento, relacionados com os recursos ambientais.
  • 33. 1 – Verdadeiro. 2 – Verdadeiro. 3 – Falso. A totalidade dos países desenvolvidos encontra-se na última fase da transição demográfica e em alguns países desenvolvidos até já se entrou numa fase a que se começou a chamar de pós- transição devido ao facto de o seu nível de fecundidade não garantir a substituição das gerações e de o número de óbitos ser superior ao de nascimentos. 4 – Falso. Nos países desenvolvidos, a luta contra a elevada taxa de mortalidade, levada a cabo durante dois séculos, tem registado grandes sucessos não só pela redução da mortalidade infantil, mas também pela diminuição da mortalidade em idade adulta. 5 – As causas das mudanças demográficas são a revolução dos costumes, transformação das estruturas familiares, melhoria do nível de vida, mudanças sociais, processo de urbanização e emancipação da mulher. 6 – Os aspetos positivos do envelhecimento demográfico são a solidariedade familiar (ajudas económicas, participação na educação dos netos), a participação em ações de solidariedade ou de defesa do ambiente, que acabam por dinamizar as atividades económicas e o contributo para o dinamismo de alguns setores da economia, como o turismo, os seguros e a banca. 7 – Verdadeiro 8 – Verdadeiro. 9 – Algumas soluções para atenuar a doença são investir em programas de prevenção e esclarecimento sobre a doença, diminuir o clima de discriminação e ignorância em relação à doença e diminuição do peso das tradições religiosas e culturais que limitam a utilização de práticas que evitem a propagação da doença. 10 – Alguns dos problemas que surgem, nos países em desenvolvimento, relacionados com os recursos ambientais são o alojamento, os cuidados de saúde, a subsistência alimentar e o fornecimento de energia.