SlideShare uma empresa Scribd logo
Aulão de Revisão de
Conteúdo
Professora Conceição A.
Fontolan
TEMA: DEMOGRAFIA
Vídeo : inverno demográfico.O declínio da família
Denomina-se demografia o estudo estatístico das
coletividades humanas. As informações para esse estudo
são obtidas, principalmente, por meio dos recenseadores
oficiais, daí “estatística” derivar da palavra “Estado”.
Os diferentes aspectos demográficos, tais como
população absoluta, densidade demográfica, crescimento
populacional , superpovoamento, distribuição geográfica
da população, estrutura etária , profissional e migrações,
costumam ser alvo de estudo e preocupação por parte dos
diversos especialistas (geógrafos, demográfos, economistas,
etc.) e também dos detentores dos poderes : político,
econômico e militar.
Mais de 200 milhões , 2050 :
228milhões
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
A população mundial atual
totaliza 7 bilhões de pessoas e
pode chegar a 9 bilhões em
2050, de acordo com relatório
da ONU. O documento,
elaborado pelo ex- secretário-
geral, Kofi Annan, alerta para o
fato de que existe uma grande
diversidade nas tendências
demográficas de cada país.
Conforme o relatório, o maior aumento
de população nas próximas décadas
acontecerá em países da África e da
Ásia, liderado pela Índia, China,
Paquistão e Nigéria, seguidos dos
Estados Unidos.
Vídeo :
http://br.truveo.com/f%C3%A1brica-de-beb%C3%AAs/id/346302160
PAÍSES MAIS POPULOSOS
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
BRASIL : 21,60 hab/quilômetros quadrados
Mundo : 43,6 China : 135,9
osição Estado
População
(hab.)
Área
(km²)
Dens. demográfi
(hab./km²)
1 Distrito Federal 2.455.903 5.801,937 423,29
2 Rio de Janeiro 15.420.375 43.696,054 352,90
3 São Paulo 39.827.570 248.209,426 160,46
4 Alagoas 3.037.103 27.767,661 109,37
5 Sergipe 1.939.426 21.910,348 88,52
6 Pernambuco 8.485.386 98.311,616 86,31
7 Espírito Santo 3.351.669 46.077,519 72,74
8 Paraíba 3.641.395 56.439,838 64,52
9 Santa Catarina 5.866.252 95.346,181 61,52
10 Rio Grande do Norte 3.013.740 52.796,791 57,08
11 Ceará 8.185.286 148.825,602 55,00
12 Paraná 10.284.503 199.314,850 51,60
13 Rio Grande do Sul 10.582.840 281.748,538 37,56
14 Minas Gerais 19.273.506 586.528,293 32,86
15 Bahia 14.080.654 564.692,669 24,94
16 Maranhão 6.118.995 331.983,293 18,43
17 Goiás 5.647.035 340.086,698 17,31
18 Piauí 3.032.421 251.529,186 12,06
19 Mato Grosso do Sul 2.265.274 357.124,962 6,34
20 Rondônia 1.453.756 237.576,167 6,12
21 Pará 7.065.573 1.247.689,515 5,66
22 Tocantins 1.243.627 277.620,914 4,48
23 Acre 655.385 152.581,388 4,29
24 Amapá 587.311 142.814,585 4,11
25 Mato Grosso 2.854.642 903.357,908 3,16
26 Amazonas 3.221.939 1.570.745,680 2,05
27 Roraima 395.725 224.298,980 1,76
Mapa brasileiro
por densidade
demográfica.
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
A população de um país pode aumentar
através do crescimento vegetativo e do saldo
migratório.
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
•É a relação entre o número de nascimentos
ocorridos em um ano e o número de habitantes.
Obtemos essa taxa tomando os nascimentos
ocorridos durante um ano, multiplicando-os por
1.000 e dividindo o resultado pela população
absoluta, ou seja:
•Número de nascimento X 1.000 dividido por
número de habitantes = taxa natalidade
•Brasil
•15,77 % o(15,77 por 1.000) isso quer dizer que
nasceram quase 16 crianças vivas para cada grupo
de 1.000 habitantes em um ano.
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
•Países desenvolvidos - no último quartel do século XIX.
•Países subdesenvolvidos- no último quartel do século XX.
•Brasil 1974 passou a interessar-se pela adoção de uma política
demográfica - planejamento familiar (posição moderada)
•Rural – Urbano
•Casamentos tardios (taxa de fecundidade)
•Maior escolarização
•Encargo econômico (custo com criação – educação)
•Uso de anticoncepcionais
•Abortos e desnutrição (pode inibir a evolução feminina e provocar
perda fetal)
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
Atualmente : 2,29
TAXAS DE FECUNDIDADES
 2000- 2,3 NASCIMENTOS/MULHER
 2005- 2,1 NASCIMENTOS/MULHER
 2006- 2,0 NASCIMENTOS/MULHER
 2007- 1,95 NASCIMENTO/MULHER
 video
http://br.truveo.com/Casais-brasileiros-est%C3%A3o-tendo-cada-vez-menos/id/2128356660
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
É a relação entre o número de óbitos
ocorridos em um ano e número de
habitantes, também é expressa em %o .
Observação: Taxa de Natalidade,
Mortalidade e Crescimento Demográfico,
Natural ou Vegetativo são expressos por
%o
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
•Crianças que morrem antes de completar um
ano de idade. Para cada grupo de mil habitantes
•Brasil = 20%o 2006 Suécia = 1%o
O Brasil conseguiu reduzir quase pela metade a taxa
de mortalidade infantil entre 1990 e 2006, de 46,9 por
mil para 24,9 por mil nascidos vivos, mas continuam
muito grandes as disparidades entre as diversas
regiões do país e entre diferentes grupos étnicos e
raciais.
No índice de mortalidade inferior a cinco anos, o
avanço foi ainda maior, de 57 por mil nascidos
vivos em 1990 para 20 por mil nascidos vivos em
2006. Com isso, o Brasil passou de 86º para 113º
lugar no ranking da mortalidade na infância (os
primeiros lugares são ocupados pela mortalidade
mais elevada) num total de 194 países.
Posição do Brasil no ranking mundial
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
MORTALIDADE INFANTIL
•Acesso a tratamento médico
•Saneamento básico
•Programas de vacinação
•Revolução médico-sanitária
•Campanhas ex: aleitamento materno
•Assistência médica-hospitalar
•Obs: houve uma alteração nas principais causas das mortes.
De doenças “de pobre” (tuberculose, pneumonia,
gastrenterite, malária, etc) para as chamadas “doenças de
rico”(câncer, cardiovasculares, etc).
ANALICE
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
Cerca de 6%o. Brasil estabilizará por volta de 2020.
http://br.truveo.com/unicef-pa%C3%ADs-reduz-taxa-de-mortalidade-
infantil/id/108086440532969035
Refere-se ao número médio de
filhos que as mulheres têm em seu
período reprodutivo, geralmente dos
15 aos 49 anos.(2007 2 filhos por
mulher)
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
•Duração média em anos da vida humana
•Brasil média 72,34 anos: homens 68,3
anos e mulheres 76,38 anos
•Japão (80,6 anos) Suécia (78,6 anos)
Argentina (73,2 anos)
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
No Brasil, o IBGE classifica as
faixas etárias da população em
três grupos:
• 0 a 14 anos = 31,62%
•15 a 64 anos = 63,01%
•acima de 65 anos = 5,37%
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
O Brasil não foge à regra mundial. A razão de sexo
no país é de 98 homens para cada grupo de 100
mulheres, conforme estimativas de 2008.
Até os 60 anos de idade, há um equilíbrio
quantitativo entre homens e mulheres, acentuando-
se a partir desta faixa etária o predomínio feminino.
Esse fato pode ser explicado por uma longevidade
maior da mulher, devido por outras razões, ao fato
de ela ser menos atingida por moléstias
cardiovasculares, causa freqüente de morte após os
40 anos.
O número de mulheres, na população rural
brasileira, pode-se dizer que no Nordeste,
por ser uma região de repulsão
populacional, há o predomínio da
população feminina. Já nas regiões Norte
e Centro-Oeste predomina a população
masculina, atraída pelas atividades
econômicas primárias, como o
extrativismo vegetal, a pecuária e,
sobretudo, a mineração.
Composição por faixa etária
Considerando os dados de 1995, observa-se que o
número de jovens é proporcionalmente pequeno nos
países desenvolvidos, mas alcança quase a metade da
população total como o Brasil, o Peru e outros do Terceiro
Mundo. Nos países desenvolvidos, o nível sócio-
econômico é muito elevado e, em consequência, a
natalidade é baixa e a expectativa de vida bastante alta, o
que explica o grande número de idosos na população
total. No Brasil, apesar da progressiva redução das taxas
de natalidade e mortalidade verificada nas últimas
décadas, o país continua exibindo elevado número de
jovens na população.
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO
Composição por etnia em 2008
 Índios declarados – 0,4% = 750 mil
 Negros declarados – 6,3% = 11 milhões
 Pardos declarados – 43,2% = 79 milhões
 Amarelos declarados – 0,5% = 1,1 milhão
 *Outros – 49,6% = 92 milhões
* Brancos e não declarados.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Politicas Demográficas em Portugal
Politicas Demográficas em PortugalPoliticas Demográficas em Portugal
Politicas Demográficas em Portugal
Geografia .
 
Geografia - População, Demografia, Migração.
Geografia - População, Demografia, Migração.Geografia - População, Demografia, Migração.
Geografia - População, Demografia, Migração.
Carson Souza
 
Crescimento populacional e Políticas demográficas
Crescimento populacional e Políticas demográficas Crescimento populacional e Políticas demográficas
Crescimento populacional e Políticas demográficas
Idalina Leite
 
Crescimento Populacional - 1EM
Crescimento Populacional - 1EMCrescimento Populacional - 1EM
Crescimento Populacional - 1EM
Ademir Aquino
 
Geografia do brasil populacao
Geografia do brasil populacaoGeografia do brasil populacao
Geografia do brasil populacao
roseni
 
População do Brasil
População do BrasilPopulação do Brasil
População do Brasil
PIBID Geografia UNEAL CAMPUS I
 
Modulo 13 - Ter filhos
Modulo 13 - Ter filhosModulo 13 - Ter filhos
Modulo 13 - Ter filhos
Claudio Henrique Ramos Sales
 
População Mundial
População MundialPopulação Mundial
População Mundial
olatdbm
 
Politicas Populacionais: um grande desafio aos planejadores sociais
Politicas Populacionais: um grande desafio aos planejadores sociaisPoliticas Populacionais: um grande desafio aos planejadores sociais
Politicas Populacionais: um grande desafio aos planejadores sociais
Josimar Nunes
 
Um mundo superpovoado
Um mundo superpovoadoUm mundo superpovoado
Um mundo superpovoado
Joana Melo
 
Modulo 14 - Expectativa de vida e envelhecimento da população (Apostila Siste...
Modulo 14 - Expectativa de vida e envelhecimento da população (Apostila Siste...Modulo 14 - Expectativa de vida e envelhecimento da população (Apostila Siste...
Modulo 14 - Expectativa de vida e envelhecimento da população (Apostila Siste...
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Introdução ao Conteúdo População - Aula 01
Introdução ao Conteúdo População - Aula 01Introdução ao Conteúdo População - Aula 01
Introdução ao Conteúdo População - Aula 01
Ana Paula Silva
 
A população em movimento
A população em movimentoA população em movimento
A população em movimento
Léo Miranda
 
População
PopulaçãoPopulação
População
google
 
Indicadores Sociais Da PopulaçãO
Indicadores Sociais Da PopulaçãOIndicadores Sociais Da PopulaçãO
Indicadores Sociais Da PopulaçãO
Weberlon Braga Verissimo
 
Treinamento - Demografia
Treinamento - DemografiaTreinamento - Demografia
Treinamento - Demografia
Rogério Bartilotti
 
Geografia da População
Geografia da PopulaçãoGeografia da População
Geografia da População
Eduardo Mendes
 
Conceitos demográficos
Conceitos demográficosConceitos demográficos
Conceitos demográficos
Professor
 
Pirâmides etárias
Pirâmides etáriasPirâmides etárias
Pirâmides etárias
Cristina Penha
 
Trabalho sobre população
Trabalho sobre populaçãoTrabalho sobre população
Trabalho sobre população
Taniabastos15
 

Mais procurados (20)

Politicas Demográficas em Portugal
Politicas Demográficas em PortugalPoliticas Demográficas em Portugal
Politicas Demográficas em Portugal
 
Geografia - População, Demografia, Migração.
Geografia - População, Demografia, Migração.Geografia - População, Demografia, Migração.
Geografia - População, Demografia, Migração.
 
Crescimento populacional e Políticas demográficas
Crescimento populacional e Políticas demográficas Crescimento populacional e Políticas demográficas
Crescimento populacional e Políticas demográficas
 
Crescimento Populacional - 1EM
Crescimento Populacional - 1EMCrescimento Populacional - 1EM
Crescimento Populacional - 1EM
 
Geografia do brasil populacao
Geografia do brasil populacaoGeografia do brasil populacao
Geografia do brasil populacao
 
População do Brasil
População do BrasilPopulação do Brasil
População do Brasil
 
Modulo 13 - Ter filhos
Modulo 13 - Ter filhosModulo 13 - Ter filhos
Modulo 13 - Ter filhos
 
População Mundial
População MundialPopulação Mundial
População Mundial
 
Politicas Populacionais: um grande desafio aos planejadores sociais
Politicas Populacionais: um grande desafio aos planejadores sociaisPoliticas Populacionais: um grande desafio aos planejadores sociais
Politicas Populacionais: um grande desafio aos planejadores sociais
 
Um mundo superpovoado
Um mundo superpovoadoUm mundo superpovoado
Um mundo superpovoado
 
Modulo 14 - Expectativa de vida e envelhecimento da população (Apostila Siste...
Modulo 14 - Expectativa de vida e envelhecimento da população (Apostila Siste...Modulo 14 - Expectativa de vida e envelhecimento da população (Apostila Siste...
Modulo 14 - Expectativa de vida e envelhecimento da população (Apostila Siste...
 
Introdução ao Conteúdo População - Aula 01
Introdução ao Conteúdo População - Aula 01Introdução ao Conteúdo População - Aula 01
Introdução ao Conteúdo População - Aula 01
 
A população em movimento
A população em movimentoA população em movimento
A população em movimento
 
População
PopulaçãoPopulação
População
 
Indicadores Sociais Da PopulaçãO
Indicadores Sociais Da PopulaçãOIndicadores Sociais Da PopulaçãO
Indicadores Sociais Da PopulaçãO
 
Treinamento - Demografia
Treinamento - DemografiaTreinamento - Demografia
Treinamento - Demografia
 
Geografia da População
Geografia da PopulaçãoGeografia da População
Geografia da População
 
Conceitos demográficos
Conceitos demográficosConceitos demográficos
Conceitos demográficos
 
Pirâmides etárias
Pirâmides etáriasPirâmides etárias
Pirâmides etárias
 
Trabalho sobre população
Trabalho sobre populaçãoTrabalho sobre população
Trabalho sobre população
 

Destaque

Relevo brasileiro
 Relevo brasileiro Relevo brasileiro
Relevo brasileiro
Conceição Fontolan
 
PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS
PROJEÇÕES CARTOGRÁFICASPROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS
PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS
Conceição Fontolan
 
QUESTÃO DE TERRAS NO BRASIL.
QUESTÃO DE TERRAS NO BRASIL.QUESTÃO DE TERRAS NO BRASIL.
QUESTÃO DE TERRAS NO BRASIL.
Conceição Fontolan
 
MIGRAÇÕES
MIGRAÇÕESMIGRAÇÕES
PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
PRIMEIRA GUERRA MUNDIALPRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
Conceição Fontolan
 
REVOLUÇÃO VERDE
REVOLUÇÃO VERDEREVOLUÇÃO VERDE
REVOLUÇÃO VERDE
Conceição Fontolan
 
REVISÃO DE CONTEÚDOS COM IMAGENS SOBRE : COORDENADAS GEOGRÁFICAS E ESCALAS GE...
REVISÃO DE CONTEÚDOS COM IMAGENS SOBRE : COORDENADAS GEOGRÁFICAS E ESCALAS GE...REVISÃO DE CONTEÚDOS COM IMAGENS SOBRE : COORDENADAS GEOGRÁFICAS E ESCALAS GE...
REVISÃO DE CONTEÚDOS COM IMAGENS SOBRE : COORDENADAS GEOGRÁFICAS E ESCALAS GE...
Conceição Fontolan
 
CONFLITOS ENTRE POVOS E PAÍSES.
CONFLITOS ENTRE POVOS E PAÍSES.CONFLITOS ENTRE POVOS E PAÍSES.
CONFLITOS ENTRE POVOS E PAÍSES.
Conceição Fontolan
 
ESCASSEZ DE ÁGUA E OS CONFLITOS .
ESCASSEZ DE ÁGUA E OS CONFLITOS .ESCASSEZ DE ÁGUA E OS CONFLITOS .
ESCASSEZ DE ÁGUA E OS CONFLITOS .
Conceição Fontolan
 
SANTA CATARINA EM DESTAQUE
SANTA CATARINA EM DESTAQUESANTA CATARINA EM DESTAQUE
SANTA CATARINA EM DESTAQUE
Conceição Fontolan
 
PRODUÇÃO DE ENERGIA : MILHO X CANA DE AÇÚCAR
PRODUÇÃO DE ENERGIA : MILHO X CANA DE AÇÚCARPRODUÇÃO DE ENERGIA : MILHO X CANA DE AÇÚCAR
PRODUÇÃO DE ENERGIA : MILHO X CANA DE AÇÚCAR
Conceição Fontolan
 
AQUECIMENTO GLOBAL
AQUECIMENTO GLOBALAQUECIMENTO GLOBAL
AQUECIMENTO GLOBAL
Conceição Fontolan
 
Biomas , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Biomas  , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADOBiomas  , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Biomas , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Conceição Fontolan
 
BIOMAS BRASILEIROS E A CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017
BIOMAS BRASILEIROS E A CAMPANHA DA FRATERNIDADE   2017BIOMAS BRASILEIROS E A CAMPANHA DA FRATERNIDADE   2017
BIOMAS BRASILEIROS E A CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017
Conceição Fontolan
 
A GRANDE DEPRESSÃO DE 1929
A GRANDE DEPRESSÃO DE 1929A GRANDE DEPRESSÃO DE 1929
A GRANDE DEPRESSÃO DE 1929
Conceição Fontolan
 
Projeto Cidade em Debate - Cidade de Goiânia
Projeto Cidade em Debate - Cidade de GoiâniaProjeto Cidade em Debate - Cidade de Goiânia
Projeto Cidade em Debate - Cidade de Goiânia
Jornalculturanet
 
História de goiânia
História de goiâniaHistória de goiânia
História de goiânia
Rodrigo Cuetiki Ribeiro
 
As vozes de Goiânia (GO) | 2012
As vozes de Goiânia (GO) | 2012As vozes de Goiânia (GO) | 2012
Classificação dos tipos de indústrias
Classificação dos tipos de indústriasClassificação dos tipos de indústrias
Classificação dos tipos de indústrias
magdacostaa
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
Douglas Barraqui
 

Destaque (20)

Relevo brasileiro
 Relevo brasileiro Relevo brasileiro
Relevo brasileiro
 
PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS
PROJEÇÕES CARTOGRÁFICASPROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS
PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS
 
QUESTÃO DE TERRAS NO BRASIL.
QUESTÃO DE TERRAS NO BRASIL.QUESTÃO DE TERRAS NO BRASIL.
QUESTÃO DE TERRAS NO BRASIL.
 
MIGRAÇÕES
MIGRAÇÕESMIGRAÇÕES
MIGRAÇÕES
 
PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
PRIMEIRA GUERRA MUNDIALPRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL
 
REVOLUÇÃO VERDE
REVOLUÇÃO VERDEREVOLUÇÃO VERDE
REVOLUÇÃO VERDE
 
REVISÃO DE CONTEÚDOS COM IMAGENS SOBRE : COORDENADAS GEOGRÁFICAS E ESCALAS GE...
REVISÃO DE CONTEÚDOS COM IMAGENS SOBRE : COORDENADAS GEOGRÁFICAS E ESCALAS GE...REVISÃO DE CONTEÚDOS COM IMAGENS SOBRE : COORDENADAS GEOGRÁFICAS E ESCALAS GE...
REVISÃO DE CONTEÚDOS COM IMAGENS SOBRE : COORDENADAS GEOGRÁFICAS E ESCALAS GE...
 
CONFLITOS ENTRE POVOS E PAÍSES.
CONFLITOS ENTRE POVOS E PAÍSES.CONFLITOS ENTRE POVOS E PAÍSES.
CONFLITOS ENTRE POVOS E PAÍSES.
 
ESCASSEZ DE ÁGUA E OS CONFLITOS .
ESCASSEZ DE ÁGUA E OS CONFLITOS .ESCASSEZ DE ÁGUA E OS CONFLITOS .
ESCASSEZ DE ÁGUA E OS CONFLITOS .
 
SANTA CATARINA EM DESTAQUE
SANTA CATARINA EM DESTAQUESANTA CATARINA EM DESTAQUE
SANTA CATARINA EM DESTAQUE
 
PRODUÇÃO DE ENERGIA : MILHO X CANA DE AÇÚCAR
PRODUÇÃO DE ENERGIA : MILHO X CANA DE AÇÚCARPRODUÇÃO DE ENERGIA : MILHO X CANA DE AÇÚCAR
PRODUÇÃO DE ENERGIA : MILHO X CANA DE AÇÚCAR
 
AQUECIMENTO GLOBAL
AQUECIMENTO GLOBALAQUECIMENTO GLOBAL
AQUECIMENTO GLOBAL
 
Biomas , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Biomas  , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADOBiomas  , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
Biomas , DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS E A GUERRA DO CONTESTADO
 
BIOMAS BRASILEIROS E A CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017
BIOMAS BRASILEIROS E A CAMPANHA DA FRATERNIDADE   2017BIOMAS BRASILEIROS E A CAMPANHA DA FRATERNIDADE   2017
BIOMAS BRASILEIROS E A CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017
 
A GRANDE DEPRESSÃO DE 1929
A GRANDE DEPRESSÃO DE 1929A GRANDE DEPRESSÃO DE 1929
A GRANDE DEPRESSÃO DE 1929
 
Projeto Cidade em Debate - Cidade de Goiânia
Projeto Cidade em Debate - Cidade de GoiâniaProjeto Cidade em Debate - Cidade de Goiânia
Projeto Cidade em Debate - Cidade de Goiânia
 
História de goiânia
História de goiâniaHistória de goiânia
História de goiânia
 
As vozes de Goiânia (GO) | 2012
As vozes de Goiânia (GO) | 2012As vozes de Goiânia (GO) | 2012
As vozes de Goiânia (GO) | 2012
 
Classificação dos tipos de indústrias
Classificação dos tipos de indústriasClassificação dos tipos de indústrias
Classificação dos tipos de indústrias
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 

Semelhante a REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO

Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
profleofonseca
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
profleofonseca
 
Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11
Raquel Avila
 
Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11
Raquel Avila
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
Pedro Neves
 
Geografia cn2
Geografia cn2Geografia cn2
Geografia cn2
2marrow
 
Crescimento Populacionalnomundo
Crescimento PopulacionalnomundoCrescimento Populacionalnomundo
Crescimento Populacionalnomundo
guestbef9ff2
 
Crescimento Populacionalnomundo
Crescimento PopulacionalnomundoCrescimento Populacionalnomundo
Crescimento Populacionalnomundo
debora
 
F:\Crescimento Populacionalnomundo
F:\Crescimento PopulacionalnomundoF:\Crescimento Populacionalnomundo
F:\Crescimento Populacionalnomundo
guestbef9ff2
 
1º Va Grupo 03
1º Va   Grupo 031º Va   Grupo 03
1º Va Grupo 03
ProfMario De Mori
 
1º Va Grupo 03
1º Va   Grupo 031º Va   Grupo 03
1º Va Grupo 03
ProfMario De Mori
 
Geografia 3 ano
Geografia 3 anoGeografia 3 ano
Geografia 3 ano
Junior Oliveira
 
A dinamica populacional brasileira01.ppt
A dinamica populacional brasileira01.pptA dinamica populacional brasileira01.ppt
A dinamica populacional brasileira01.ppt
JaneteMaura1
 
Demografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibularDemografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibular
Artur Lara
 
População Brasileira
População BrasileiraPopulação Brasileira
População Brasileira
Luciano Pessanha
 
POPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕES
POPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕESPOPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕES
POPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕES
Alice Barros
 
CNU BLOCO 8 - REALIDADE BRASILEIRA 2 A 15.pdf
CNU BLOCO 8 - REALIDADE BRASILEIRA 2 A 15.pdfCNU BLOCO 8 - REALIDADE BRASILEIRA 2 A 15.pdf
CNU BLOCO 8 - REALIDADE BRASILEIRA 2 A 15.pdf
LirajOS
 
Aspectos DemográFicos Envelhecimento
Aspectos DemográFicos EnvelhecimentoAspectos DemográFicos Envelhecimento
Aspectos DemográFicos Envelhecimento
tonetto2010
 
A Z GRANITO - PE
A Z GRANITO - PEA Z GRANITO - PE
A Z GRANITO - PE
Antonio Gabriel
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
Antonio Gabriel
 

Semelhante a REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO (20)

Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
 
Demografia
DemografiaDemografia
Demografia
 
Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11
 
Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11Aula 3 u 10.05.11
Aula 3 u 10.05.11
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
 
Geografia cn2
Geografia cn2Geografia cn2
Geografia cn2
 
Crescimento Populacionalnomundo
Crescimento PopulacionalnomundoCrescimento Populacionalnomundo
Crescimento Populacionalnomundo
 
Crescimento Populacionalnomundo
Crescimento PopulacionalnomundoCrescimento Populacionalnomundo
Crescimento Populacionalnomundo
 
F:\Crescimento Populacionalnomundo
F:\Crescimento PopulacionalnomundoF:\Crescimento Populacionalnomundo
F:\Crescimento Populacionalnomundo
 
1º Va Grupo 03
1º Va   Grupo 031º Va   Grupo 03
1º Va Grupo 03
 
1º Va Grupo 03
1º Va   Grupo 031º Va   Grupo 03
1º Va Grupo 03
 
Geografia 3 ano
Geografia 3 anoGeografia 3 ano
Geografia 3 ano
 
A dinamica populacional brasileira01.ppt
A dinamica populacional brasileira01.pptA dinamica populacional brasileira01.ppt
A dinamica populacional brasileira01.ppt
 
Demografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibularDemografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibular
 
População Brasileira
População BrasileiraPopulação Brasileira
População Brasileira
 
POPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕES
POPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕESPOPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕES
POPULAÇÃO BRASILEIRA, DISTRIBUIÇÃO, MIGRAÇÕES E IMIGRAÇÕES
 
CNU BLOCO 8 - REALIDADE BRASILEIRA 2 A 15.pdf
CNU BLOCO 8 - REALIDADE BRASILEIRA 2 A 15.pdfCNU BLOCO 8 - REALIDADE BRASILEIRA 2 A 15.pdf
CNU BLOCO 8 - REALIDADE BRASILEIRA 2 A 15.pdf
 
Aspectos DemográFicos Envelhecimento
Aspectos DemográFicos EnvelhecimentoAspectos DemográFicos Envelhecimento
Aspectos DemográFicos Envelhecimento
 
A Z GRANITO - PE
A Z GRANITO - PEA Z GRANITO - PE
A Z GRANITO - PE
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
 

Mais de Conceição Fontolan

DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
Conceição Fontolan
 
ÁFRICA
ÁFRICAÁFRICA
ÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTALÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTAL
Conceição Fontolan
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
Conceição Fontolan
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
Conceição Fontolan
 
PAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTESPAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTES
Conceição Fontolan
 
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEAFLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
Conceição Fontolan
 
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHASVEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
Conceição Fontolan
 
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANASFLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
Conceição Fontolan
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
Conceição Fontolan
 
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAISSAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
Conceição Fontolan
 
FLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAISFLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAIS
Conceição Fontolan
 
RELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTALRELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTAL
Conceição Fontolan
 
INDICADORES SOCIAIS
INDICADORES SOCIAISINDICADORES SOCIAIS
INDICADORES SOCIAIS
Conceição Fontolan
 
SUDESTE ASIÁTICO
SUDESTE ASIÁTICOSUDESTE ASIÁTICO
SUDESTE ASIÁTICO
Conceição Fontolan
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
Conceição Fontolan
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
Conceição Fontolan
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
Conceição Fontolan
 
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHASVEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
Conceição Fontolan
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
Conceição Fontolan
 

Mais de Conceição Fontolan (20)

DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
DESIGUALDADES SOCIECONÔMICAS.
 
ÁFRICA
ÁFRICAÁFRICA
ÁFRICA
 
ÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTALÁSIA ORIENTAL
ÁSIA ORIENTAL
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
 
PAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTESPAÍSES EMERGENTES
PAÍSES EMERGENTES
 
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEAFLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
FLORESTAS TEMPERADAS E VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA
 
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHASVEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
 
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANASFLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
FLORESTAS SUBTROPICAIS E SAVANAS
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
 
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAISSAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
SAVANAS E FLORESTAS SUBTROPICAIS
 
FLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAISFLORESTAS TROPICAIS
FLORESTAS TROPICAIS
 
RELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTALRELEVO CONTINENTAL
RELEVO CONTINENTAL
 
INDICADORES SOCIAIS
INDICADORES SOCIAISINDICADORES SOCIAIS
INDICADORES SOCIAIS
 
SUDESTE ASIÁTICO
SUDESTE ASIÁTICOSUDESTE ASIÁTICO
SUDESTE ASIÁTICO
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
 
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTEÁSIA : EXTREMO ORIENTE
ÁSIA : EXTREMO ORIENTE
 
CONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANOCONTINENTE AFRICANO
CONTINENTE AFRICANO
 
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHASVEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
VEGETAÇÃO : ALTAS MONTANHAS
 
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃOSOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
SOLO, ORIGEM E FORMAÇÃO
 

Último

Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 

Último (20)

Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 

REVISÃO DE CONTEÚDO SOBRE POPULAÇÃO

  • 1. Aulão de Revisão de Conteúdo Professora Conceição A. Fontolan TEMA: DEMOGRAFIA
  • 2. Vídeo : inverno demográfico.O declínio da família
  • 3. Denomina-se demografia o estudo estatístico das coletividades humanas. As informações para esse estudo são obtidas, principalmente, por meio dos recenseadores oficiais, daí “estatística” derivar da palavra “Estado”. Os diferentes aspectos demográficos, tais como população absoluta, densidade demográfica, crescimento populacional , superpovoamento, distribuição geográfica da população, estrutura etária , profissional e migrações, costumam ser alvo de estudo e preocupação por parte dos diversos especialistas (geógrafos, demográfos, economistas, etc.) e também dos detentores dos poderes : político, econômico e militar.
  • 4. Mais de 200 milhões , 2050 : 228milhões
  • 8. A população mundial atual totaliza 7 bilhões de pessoas e pode chegar a 9 bilhões em 2050, de acordo com relatório da ONU. O documento, elaborado pelo ex- secretário- geral, Kofi Annan, alerta para o fato de que existe uma grande diversidade nas tendências demográficas de cada país.
  • 9. Conforme o relatório, o maior aumento de população nas próximas décadas acontecerá em países da África e da Ásia, liderado pela Índia, China, Paquistão e Nigéria, seguidos dos Estados Unidos. Vídeo : http://br.truveo.com/f%C3%A1brica-de-beb%C3%AAs/id/346302160
  • 14. BRASIL : 21,60 hab/quilômetros quadrados Mundo : 43,6 China : 135,9
  • 15. osição Estado População (hab.) Área (km²) Dens. demográfi (hab./km²) 1 Distrito Federal 2.455.903 5.801,937 423,29 2 Rio de Janeiro 15.420.375 43.696,054 352,90 3 São Paulo 39.827.570 248.209,426 160,46 4 Alagoas 3.037.103 27.767,661 109,37 5 Sergipe 1.939.426 21.910,348 88,52 6 Pernambuco 8.485.386 98.311,616 86,31 7 Espírito Santo 3.351.669 46.077,519 72,74 8 Paraíba 3.641.395 56.439,838 64,52 9 Santa Catarina 5.866.252 95.346,181 61,52
  • 16. 10 Rio Grande do Norte 3.013.740 52.796,791 57,08 11 Ceará 8.185.286 148.825,602 55,00 12 Paraná 10.284.503 199.314,850 51,60 13 Rio Grande do Sul 10.582.840 281.748,538 37,56 14 Minas Gerais 19.273.506 586.528,293 32,86 15 Bahia 14.080.654 564.692,669 24,94 16 Maranhão 6.118.995 331.983,293 18,43 17 Goiás 5.647.035 340.086,698 17,31 18 Piauí 3.032.421 251.529,186 12,06 19 Mato Grosso do Sul 2.265.274 357.124,962 6,34
  • 17. 20 Rondônia 1.453.756 237.576,167 6,12 21 Pará 7.065.573 1.247.689,515 5,66 22 Tocantins 1.243.627 277.620,914 4,48 23 Acre 655.385 152.581,388 4,29 24 Amapá 587.311 142.814,585 4,11 25 Mato Grosso 2.854.642 903.357,908 3,16 26 Amazonas 3.221.939 1.570.745,680 2,05 27 Roraima 395.725 224.298,980 1,76
  • 22. A população de um país pode aumentar através do crescimento vegetativo e do saldo migratório.
  • 24. •É a relação entre o número de nascimentos ocorridos em um ano e o número de habitantes. Obtemos essa taxa tomando os nascimentos ocorridos durante um ano, multiplicando-os por 1.000 e dividindo o resultado pela população absoluta, ou seja: •Número de nascimento X 1.000 dividido por número de habitantes = taxa natalidade •Brasil •15,77 % o(15,77 por 1.000) isso quer dizer que nasceram quase 16 crianças vivas para cada grupo de 1.000 habitantes em um ano.
  • 26. •Países desenvolvidos - no último quartel do século XIX. •Países subdesenvolvidos- no último quartel do século XX. •Brasil 1974 passou a interessar-se pela adoção de uma política demográfica - planejamento familiar (posição moderada) •Rural – Urbano •Casamentos tardios (taxa de fecundidade) •Maior escolarização •Encargo econômico (custo com criação – educação) •Uso de anticoncepcionais •Abortos e desnutrição (pode inibir a evolução feminina e provocar perda fetal)
  • 31. TAXAS DE FECUNDIDADES  2000- 2,3 NASCIMENTOS/MULHER  2005- 2,1 NASCIMENTOS/MULHER  2006- 2,0 NASCIMENTOS/MULHER  2007- 1,95 NASCIMENTO/MULHER  video http://br.truveo.com/Casais-brasileiros-est%C3%A3o-tendo-cada-vez-menos/id/2128356660
  • 33. É a relação entre o número de óbitos ocorridos em um ano e número de habitantes, também é expressa em %o . Observação: Taxa de Natalidade, Mortalidade e Crescimento Demográfico, Natural ou Vegetativo são expressos por %o
  • 35. •Crianças que morrem antes de completar um ano de idade. Para cada grupo de mil habitantes •Brasil = 20%o 2006 Suécia = 1%o
  • 36. O Brasil conseguiu reduzir quase pela metade a taxa de mortalidade infantil entre 1990 e 2006, de 46,9 por mil para 24,9 por mil nascidos vivos, mas continuam muito grandes as disparidades entre as diversas regiões do país e entre diferentes grupos étnicos e raciais.
  • 37. No índice de mortalidade inferior a cinco anos, o avanço foi ainda maior, de 57 por mil nascidos vivos em 1990 para 20 por mil nascidos vivos em 2006. Com isso, o Brasil passou de 86º para 113º lugar no ranking da mortalidade na infância (os primeiros lugares são ocupados pela mortalidade mais elevada) num total de 194 países.
  • 38. Posição do Brasil no ranking mundial
  • 41. •Acesso a tratamento médico •Saneamento básico •Programas de vacinação •Revolução médico-sanitária •Campanhas ex: aleitamento materno •Assistência médica-hospitalar •Obs: houve uma alteração nas principais causas das mortes. De doenças “de pobre” (tuberculose, pneumonia, gastrenterite, malária, etc) para as chamadas “doenças de rico”(câncer, cardiovasculares, etc).
  • 47. Cerca de 6%o. Brasil estabilizará por volta de 2020. http://br.truveo.com/unicef-pa%C3%ADs-reduz-taxa-de-mortalidade- infantil/id/108086440532969035
  • 48. Refere-se ao número médio de filhos que as mulheres têm em seu período reprodutivo, geralmente dos 15 aos 49 anos.(2007 2 filhos por mulher)
  • 50. •Duração média em anos da vida humana •Brasil média 72,34 anos: homens 68,3 anos e mulheres 76,38 anos •Japão (80,6 anos) Suécia (78,6 anos) Argentina (73,2 anos)
  • 53. No Brasil, o IBGE classifica as faixas etárias da população em três grupos: • 0 a 14 anos = 31,62% •15 a 64 anos = 63,01% •acima de 65 anos = 5,37%
  • 57. O Brasil não foge à regra mundial. A razão de sexo no país é de 98 homens para cada grupo de 100 mulheres, conforme estimativas de 2008. Até os 60 anos de idade, há um equilíbrio quantitativo entre homens e mulheres, acentuando- se a partir desta faixa etária o predomínio feminino. Esse fato pode ser explicado por uma longevidade maior da mulher, devido por outras razões, ao fato de ela ser menos atingida por moléstias cardiovasculares, causa freqüente de morte após os 40 anos.
  • 58. O número de mulheres, na população rural brasileira, pode-se dizer que no Nordeste, por ser uma região de repulsão populacional, há o predomínio da população feminina. Já nas regiões Norte e Centro-Oeste predomina a população masculina, atraída pelas atividades econômicas primárias, como o extrativismo vegetal, a pecuária e, sobretudo, a mineração.
  • 59. Composição por faixa etária Considerando os dados de 1995, observa-se que o número de jovens é proporcionalmente pequeno nos países desenvolvidos, mas alcança quase a metade da população total como o Brasil, o Peru e outros do Terceiro Mundo. Nos países desenvolvidos, o nível sócio- econômico é muito elevado e, em consequência, a natalidade é baixa e a expectativa de vida bastante alta, o que explica o grande número de idosos na população total. No Brasil, apesar da progressiva redução das taxas de natalidade e mortalidade verificada nas últimas décadas, o país continua exibindo elevado número de jovens na população.
  • 74. Composição por etnia em 2008  Índios declarados – 0,4% = 750 mil  Negros declarados – 6,3% = 11 milhões  Pardos declarados – 43,2% = 79 milhões  Amarelos declarados – 0,5% = 1,1 milhão  *Outros – 49,6% = 92 milhões * Brancos e não declarados.