SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
Escola Básica e Secundária da Povoação
               Ano letivo: 2011/2012
                     3º Período


A Evolução da População
       Mundial



                                       Docente: Nelson Fontes
                                         Discente: Joana Melo

        Povoação, 30 de Maio de 2012
“Sete bilhões de pessoas estarão habitando a Terra em 31 de outubro. Durante toda
minha vida vi a população mundial quase triplicar, e daqui a 13 anos verei outro bilhão
acrescentado a esses números. Quando meus netos viverem, é possível que existam
10 bilhões de pessoas em nosso mundo.”
                                                                     Babatunde Osotimehin
Evolução da População Mundial
                                                         • 1800 – mil milhões

                                                         • 1927 – 2 mil milhões

                                                         • 1960 – 3 mil milhões

                                                         • 1974 – 4 mil milhões

                                                         • 1987 – 5 mil milhões

                                                         • 1999 – 6 mil milhões

                                                         • 2011 – 7 mil milhões
   Fig.1- A evolução da População mundial (1800 -2050)

                                                         • 2050 – 9 191 milhões

Apesar da taxa de crescimento natural ter diminuído ligeiramente nos
  últimos anos, o acréscimo anual verificado no total da População
   traduziu-se num crescimento explosivo da população Mundial
Diferentes Ritmos de Crescimento Populacional

                                           Alguns países já atingiram e
Países desenvolvidos                       outros estão prestes a atingir
                                           uma taxa de crescimento
                                           natural nula ou até negativa


                                           Os PED albergam 5523,4
Países em desenvolvimento                  milhões de pessoas, o que
                                           representa 82% da população
                                           mundial




   Estes diferentes ritmos de crescimento da população constituem um
                         GRANDE PROBLEMA
Os aumentos da população dependem fundamentalmente



                               INDICADORES DEMOGRÁFICOS:

                                            •Taxa de natalidade;

                                            •Taxa de mortalidade.




                                            Efluência a esperança média de vida




                                                                       Recordando…
Fig.2- Aumento da esperança média de vida
                                                                       TCN= TN- TM
Teoria de Transição Demográfica




       Fig.3- Modelo de transição demográfico
Países desenvolvidos:
            1ª fase- Comportamento demográfico até ao século XVIII
                           Elevada taxa de fecundidade;

                           Elevada taxa de natalidade;

                           Elevada taxa de mortalidade (com
                           oscilações);

                           Esperança média de vida curta (25-
                           30 anos);

                           Crescimento natural reduzido e
                           irregular




                             Regime Demográfico Primitivo
2ª fase- Comportamento Demográfico desde o Sec. XVIII até XIX.

                    Elevada taxa de fecundidade;

                    Elevada taxa de natalidade;

                    Declínio da taxa de mortalidade;

                    Aumento da esperança média de vida;

                     Aumento rápido do crescimento.




                           Revolução Demográfica
3ª fase- Comportamento Demográfico dos finais do Sec. XIX
                 até à 2ª Guerra Mundial


                    Taxa de fecundidade em declínio;

                    Taxa de natalidade em declínio;

                    Taxa de mortalidade continua a diminuir;

                    Aumento da esperança média de vida;

                     Crescimento natural em regressão.
4ª fase- Comportamento Demográfico após a 2ª Guerra
            Mundial até aos dias de hoje


              Taxa de fecundidade muito baixa;

              Taxa de natalidade baixa com oscilações
              (sucessão das crises económicas);

              Taxa de mortalidade em decréscimo mas
              com tendência para aumentar;

              Aumento da esperança média de vida

               População envelhecida.
Países em vias de desenvolvimento:

                                         Este grupo de países, de um modo
                                         geral, ainda se encontra na 2ª fase .


                                         Só deveremos ter em conta as
                                         características das 1ª e 2ª fases.




Fig.4- Modelo de transição demográfico
A Estabilização da
População no Norte
A Estabilização da População no Norte


Diminuição da mortalidade em idade adulta        Aumento considerável
                                                 na esperança média de
Redução da mortalidade infantil                  vida



As taxas de mortalidade registam valores          Crescimento Natural
baixos e muito próximos dos das taxas de          negativo em alguns
natalidade                                        casos



Diminuição do índice sintético de                 Envelhecimento
fecundidade nos últimos 40 anos                   Demográfico


 A Estabilização da População observada nos últimos anos, é assegurada
                  pelo Saldo Migratório Positivo
O Envelhecimento Demográfico resulta:

Mudanças socias;

Melhoria das condições de vida;                            Fig.5- cartoon ilustrativo à
                                                           contraceção
Revolução dos costumes e da transformação das estruturas
familiares;
Emancipação da mulher através do prolongamento da sua
escolaridade;

Participação no processo produtivo e do desenvolvimento
dos métodos contracetivos ;

Processo de Urbanização e as expectativas de melhoria da
qualidade de vida não permitem a manutenção de famílias
numerosas.                                                     Fig.6- Cartaz elucidativo
                                                               á emancipação feminina




         REDUÇÃO DOS NUMEROS DE NASCIMENTOS
Em suma:

O Índice sintético de fecundidade, na Europa, apresenta valores inferiores
ao índice de renovação de gerações ;

O peso do grupo etário dos idosos começa a ser significativo
particularmente na europa;

Aumento da esperança média de vida;

Crescimento Natural negativo em alguns países;

Envelhecimento Demográfico;




  A Estabilização da População observada nos últimos anos, é
    assegurada pelo    Saldo Migratório Positivo
As implicações demográficas e Económicas do
envelhecimento da população dos países do Norte

Envelhecimento Demográfico       leva   Perturbação do normal
                                        funcionamento da economia

 A diminuição da fecundidade:


Contração da população em idade
ativa e ao consequente desequilíbrio
da relação entre ativos e inativos;

Envelhecimento da população
ativa, o que no futuro colocará em
                                        Fig.7- Evolução da taxa de Natalidade em Portugal
causa a organização do trabalho e
valorização dos recursos Humanos.
As consequências socias e económicas do envelhecimento da população da
população são diversas:
   As despesas com a saúde têm aumentado

   Aumento de pessoas solitárias com mais de 60 anos

   Aumento do número de pessoas idosas dependentes

   Degradação da situação económica e social dos idosos       Fig.8- Cartoon ilustrativo
                                                              das despesas com a saúde

   A menor mobilidade geográfica por parte dos ativos
   mais idosos

   A carga fiscal sobre a população ativa tem sofrido um
   agravamento
                                                               Fig.9- Carga tributária
   A pré- reforma tem contribuído para agravar as
   despesas dos sistemas de proteção social

   O espírito inovador e de iniciativa enfraquece a produtividade económica poderá
   diminuir
A população idosa não pode ser encarada como um peso a suportar pela
sociedade, pois o seu contributo positivo faz-se sentir:


     Solidariedade familiar descendente;


     Ações de solidariedade na comunidade ou de defesa do ambiente

     Elevam o nível de vida de algumas famílias o que acaba por dinamizar
     as atividades económicas


     Os idosos possuem uma taxa de poupança superior à média da população, que
     têm contribuído para dinamizar alguns sectores económicos como o turismo,
     os seguros e os bancos




 Fig.10- imagem ilustrativa á solidariedade familiar   Fig.11- imagem ilustrativa á defesa do ambiente
As medidas natalistas dos países desenvolvidos

Os países desenvolvidos foram os primeiros a sentir a necessidade de
adotar medidas de incentivo á natalidade:


   Prolongamento das licenças de parto;


   Horários de trabalho reduzidos e flexíveis;
                                                            Fig.12- Campanha contra ao aborto

   Desenvolvimento de sistemas de proteção social dos mais jovens


   Restrição de praticas anticoncecionais com recurso ao aborto


   Quantitativo do abono de família mais elevado a partir do 2º ou 3º filho
   ou no caso de famílias numerosas ou de baixos rendimentos;
Atribuição de crédito à aquisição de habitação com juros baixos e perdão
parcial da divida por cada nascimento;

Renumeração dos períodos de licença com base nos vencimentos auferidos
pela mulher na altura do parto ou através de um valor fixado, cuja
durabilidade é variável




De forma geral permitirem:

     As taxas de natalidade sofreram um ligeiro aumento


     Inverter as tendências verificadas em muitos países desenvolvidos


     O índice sintético de fecundidade aproximou-se de valores considerados
     necessários á substituição de gerações
O crescimento acelerado
da população nos países
 em desenvolvimento
O crescimento demográfico nos países sul

Os países menos desenvolvidos presentam uma estrutura etária
muito jovem, devido:

                    Elevadas taxas de natalidade

                    Esperança média de vida reduzida




O continente africano, a Ásia Ocidental, central
e alguns países do sudoeste asiático apresentam
   os índices de fecundidade mais elevados do
                     planeta



                                                   Fig.13- Cartoon ilustrativo do crescimento
                                                                 demográfico
Nestes países, a estrutura etária muito desequilibrada tem implicações
socioeconómicas que se refletem negativamente, sobretudo:


                                Mercado de trabalho;

                                Estrutura profissional;

                                Nos níveis de consumo;

                                Nas politicas de controlo de natalidade;

                                Nas necessidades sociais dos grupos etários;
As políticas antinatalistas nos países em
                    desenvolvimento
Nos países em desenvolvimento, os esforços concentram-se essencialmente:


      Diminuição das elevadas taxas de fecundidade e natalidade, responsáveis
      pelo ritmo acelerado do crescimento populacional.



           No entanto:

      A incapacidade financeira tem constituído um problema á implementação
      das medidas definidas com eficácia

      Caracter repressivo das medidas antinatalistas




                                                        Fig.14- Pilula contracetiva
Os países onde a pressão demográfica é mais forte foram os primeiros
 a adotar medidas antinatalistas, tais como:


                                          O incentivo á politica do filho único;

                                          Distribuição gratuita de contracetivos;

                                          O incentivo à elevação da idade do casamento;
Fig15- Consulta de Planeamento familiar
                                          A autorização da prática da esterilização e do
                                          aborto;
                                          Recurso à ajuda internacional, nomeadamente
                                          das ONG, para financiar programas de
                                          planeamento familiar.


    Fig16- Uso de contraceção

                       Contudo, o sucesso destas medidas depende da
                                  sua conjugação com politicas de
                                desenvolvimento económico e social.
A ineficácia de muitas medidas de controlo da natalidade postas em
prática nos países em desenvolvimento resulta de modo repressivo como
as mesmas foram implementadas, por exemplo:


      O peso de certas religiões na sociedade;

      A repressão exercida sobre os casais incentiva à prática do infanticídio;

      Em algumas províncias da china, a esterilização é quase imposta depois
      do 2º filho;

      Um programa que incentivava a administração local a aumentar a prática
      de esterilização, concedendo prémios aos funcionários de acordo com o
      numero de casos.




                                            Fig16- Esterilização feminina e masculina
As doenças contagiosas e o impacto nas estruturas
   demográficas e produtivas das regiões afetadas

Um dos problemas mais graves do inicio do Sec. XXI é o alastramento de
doenças infecto-contagiosas, nomeadamente o VHI/SIDA que tem um
forte impacto a longo prazo nas estruturas demográficas.


  As suas consequências, sobretudo em áfrica ,são preocupantes:

                              Redução da fecundidade;

                              Aumento da taxa de mortalidade infantil;

                              Abrupta redução da esperança média de vida;

                              Declínio no índice de desenvolvimento humano;
Fig.17- Símbolo da VHI/SIDA
O impacto do VHI/SIDA é igualmente elevado na estrutura
socioeconómica, dado que:

                              Diminui o numero de população ativa;


                              Reduz a probabilidade de escolarização;

                              Aumenta a necessidade de cuidados médicos.




    Fig.18- cartaz de uma
 campanha de sensibilização

 Em suma:

 É essencial investir em programas de prevenção e esclarecimento sobre a
 doença, que possam integrar seropositivos e, através de um dialogo
 aberto, criar um clima favorável à limitação da propagação da epidemia.
A população e os
recursos globais
Os impactos ambientais do crescimento demográfico
O crescimento da população mundial aumentou o consumo dos recursos do
                                                        planeta



    O crescimento exponencial da população aumentou a pressão
    sobre os cursos e os impactos nos ecossistemas:

                                            Aumento do consumo de energia;

                                            A poluição e os desperdícios aumentaram;

                                            A produção alimentar e o uso dos recursos naturais
                                            aumentaram;

Fig.19- cartoon ilustrativo ao aumento da
         necessidade de recursos
O crescimento explosivo da população constitui
   então um dos principais desafios globais

       Em alguns países em desenvolvimento, a população cresce a
       ritmos incompatíveis com os recursos ambientais, impedindo:

                                 Cuidados de saúde;

                                 Subsistência alimentar;

                                 Fornecimento de energia;

                                 A melhoria do alojamento;


   Fig.20- Energias renováveis
Obrigada pela
Atenção…..

   FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)
Rosária Zamith
 
Alterações na estrutura social e nos comportamentos.
Alterações na estrutura social e nos comportamentos.Alterações na estrutura social e nos comportamentos.
Alterações na estrutura social e nos comportamentos.
nanasimao
 
Ajuda Publica ao Desenvolvimento
Ajuda Publica ao DesenvolvimentoAjuda Publica ao Desenvolvimento
Ajuda Publica ao Desenvolvimento
Joana Melo
 
Resumos De Indicadores DemográFicos (2)
Resumos De Indicadores DemográFicos (2)Resumos De Indicadores DemográFicos (2)
Resumos De Indicadores DemográFicos (2)
guest3d1814
 

Mais procurados (20)

Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)Contrastes de desenvolvimento (...)
Contrastes de desenvolvimento (...)
 
Evolução da população mundial
Evolução da população mundialEvolução da população mundial
Evolução da população mundial
 
12º o reforço da globalização
12º o reforço da globalização12º o reforço da globalização
12º o reforço da globalização
 
Alterações na estrutura social e nos comportamentos.
Alterações na estrutura social e nos comportamentos.Alterações na estrutura social e nos comportamentos.
Alterações na estrutura social e nos comportamentos.
 
Japao
JapaoJapao
Japao
 
Ajuda Publica ao Desenvolvimento
Ajuda Publica ao DesenvolvimentoAjuda Publica ao Desenvolvimento
Ajuda Publica ao Desenvolvimento
 
7 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 307 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 30
 
Politicas Demográficas em Portugal
Politicas Demográficas em PortugalPoliticas Demográficas em Portugal
Politicas Demográficas em Portugal
 
Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.
 
Evolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesaEvolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesa
 
9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era9 02 a viragem para uma nova era
9 02 a viragem para uma nova era
 
Principais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficosPrincipais problemas e soluções sociodemográficos
Principais problemas e soluções sociodemográficos
 
Geografia c 12
Geografia c 12Geografia c 12
Geografia c 12
 
As estruturas e os comportamentos demográficos
As estruturas e os comportamentos demográficosAs estruturas e os comportamentos demográficos
As estruturas e os comportamentos demográficos
 
Obstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimentoObstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimento
 
Migraçõesesrp
MigraçõesesrpMigraçõesesrp
Migraçõesesrp
 
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).pptAs estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
 
Resumos De Indicadores DemográFicos (2)
Resumos De Indicadores DemográFicos (2)Resumos De Indicadores DemográFicos (2)
Resumos De Indicadores DemográFicos (2)
 
Evolução da População Portuguesa
Evolução da População PortuguesaEvolução da População Portuguesa
Evolução da População Portuguesa
 
Fim do modelo sovietico
Fim do modelo sovieticoFim do modelo sovietico
Fim do modelo sovietico
 

Destaque

Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...
Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...
Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...
GeografiaC
 
Os contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimento
Os contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimentoOs contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimento
Os contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimento
Gabriel Cristiano
 
Evolução da população mundial
Evolução da população mundialEvolução da população mundial
Evolução da população mundial
abarros
 
Crescimento e desigualdades
Crescimento e desigualdadesCrescimento e desigualdades
Crescimento e desigualdades
Elaine Costa
 
Distribuição mundial da população
Distribuição mundial da população Distribuição mundial da população
Distribuição mundial da população
Paula Melo
 
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
inessalgado
 
Relações internacionais e Macroregiões europeias
Relações internacionais e Macroregiões europeiasRelações internacionais e Macroregiões europeias
Relações internacionais e Macroregiões europeias
Idalina Leite
 
Distribuição dos indicadores demográficos no mundo
Distribuição dos indicadores demográficos no mundoDistribuição dos indicadores demográficos no mundo
Distribuição dos indicadores demográficos no mundo
8ºC
 
Modelo DemográFico Dos PaíSes Em Desenvolvidos E Em Desenvolvimento
Modelo DemográFico Dos PaíSes Em Desenvolvidos E Em DesenvolvimentoModelo DemográFico Dos PaíSes Em Desenvolvidos E Em Desenvolvimento
Modelo DemográFico Dos PaíSes Em Desenvolvidos E Em Desenvolvimento
8ºC
 
Envelhecimento populacional em Portugal
Envelhecimento populacional em PortugalEnvelhecimento populacional em Portugal
Envelhecimento populacional em Portugal
Inês Espojeira
 
Slides população (1)
Slides população (1)Slides população (1)
Slides população (1)
terceirob
 

Destaque (20)

Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...
Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...
Trabalho Projeto Individual sobre o tema 4 - Um Mundo de Contrastes; 4.1 - Um...
 
Os contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimento
Os contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimentoOs contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimento
Os contrastes demográficos entre paises desenvolvidos em desenvolvimento
 
População mundial
População mundialPopulação mundial
População mundial
 
Evolução da população mundial
Evolução da população mundialEvolução da população mundial
Evolução da população mundial
 
Crescimento e desigualdades
Crescimento e desigualdadesCrescimento e desigualdades
Crescimento e desigualdades
 
Modelo Demográfico - GEOGRAFIA
Modelo Demográfico - GEOGRAFIAModelo Demográfico - GEOGRAFIA
Modelo Demográfico - GEOGRAFIA
 
Distribuição mundial da população
Distribuição mundial da população Distribuição mundial da população
Distribuição mundial da população
 
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
Evolução das populações: indicadores demográficos; estrutura etária das popul...
 
Populaçao mundial
Populaçao mundialPopulaçao mundial
Populaçao mundial
 
Populaçao brasileira
Populaçao brasileiraPopulaçao brasileira
Populaçao brasileira
 
12ª classe aula4
12ª classe aula412ª classe aula4
12ª classe aula4
 
Relações internacionais e Macroregiões europeias
Relações internacionais e Macroregiões europeiasRelações internacionais e Macroregiões europeias
Relações internacionais e Macroregiões europeias
 
Envelhecimento em Portugal
Envelhecimento em PortugalEnvelhecimento em Portugal
Envelhecimento em Portugal
 
Distribuição dos indicadores demográficos no mundo
Distribuição dos indicadores demográficos no mundoDistribuição dos indicadores demográficos no mundo
Distribuição dos indicadores demográficos no mundo
 
Modelo DemográFico Dos PaíSes Em Desenvolvidos E Em Desenvolvimento
Modelo DemográFico Dos PaíSes Em Desenvolvidos E Em DesenvolvimentoModelo DemográFico Dos PaíSes Em Desenvolvidos E Em Desenvolvimento
Modelo DemográFico Dos PaíSes Em Desenvolvidos E Em Desenvolvimento
 
Envelhecimento populacional em Portugal
Envelhecimento populacional em PortugalEnvelhecimento populacional em Portugal
Envelhecimento populacional em Portugal
 
Slides população (1)
Slides população (1)Slides população (1)
Slides população (1)
 
Informação exames provas 2017
Informação exames provas 2017Informação exames provas 2017
Informação exames provas 2017
 
Regulamento dos exames_2017_desp normativo nº 1-a-2017
Regulamento dos exames_2017_desp normativo nº 1-a-2017Regulamento dos exames_2017_desp normativo nº 1-a-2017
Regulamento dos exames_2017_desp normativo nº 1-a-2017
 
Guia Geral de Exames 2017
Guia Geral de Exames 2017Guia Geral de Exames 2017
Guia Geral de Exames 2017
 

Semelhante a Um mundo superpovoado

Pirâmides etárias
Pirâmides etáriasPirâmides etárias
Pirâmides etárias
colegiomb
 
Biologia crescimento demográfico rita e andreia
Biologia crescimento demográfico rita e andreiaBiologia crescimento demográfico rita e andreia
Biologia crescimento demográfico rita e andreia
becresforte
 
Apresentação do trabalho de biologia e geologia
Apresentação do trabalho de biologia e geologiaApresentação do trabalho de biologia e geologia
Apresentação do trabalho de biologia e geologia
alcobaca
 
3º Teste Nov Pop
3º Teste   Nov   Pop3º Teste   Nov   Pop
3º Teste Nov Pop
Mayjö .
 
Aspectos da população mundial e do brasil 1º ma
Aspectos da população mundial e do brasil 1º maAspectos da população mundial e do brasil 1º ma
Aspectos da população mundial e do brasil 1º ma
ProfMario De Mori
 
Crescimento populacional
Crescimento populacionalCrescimento populacional
Crescimento populacional
Débora Sales
 
Evolução da populaçãp
Evolução da populaçãpEvolução da populaçãp
Evolução da populaçãp
Luz Campos
 
Populacao mundial
Populacao mundialPopulacao mundial
Populacao mundial
Virgilio Nt
 

Semelhante a Um mundo superpovoado (20)

Pirâmides etárias
Pirâmides etáriasPirâmides etárias
Pirâmides etárias
 
Biologia crescimento demográfico rita e andreia
Biologia crescimento demográfico rita e andreiaBiologia crescimento demográfico rita e andreia
Biologia crescimento demográfico rita e andreia
 
Apresentação do trabalho de biologia e geologia
Apresentação do trabalho de biologia e geologiaApresentação do trabalho de biologia e geologia
Apresentação do trabalho de biologia e geologia
 
3º Teste Nov Pop
3º Teste   Nov   Pop3º Teste   Nov   Pop
3º Teste Nov Pop
 
Evolução da população mundial
Evolução da população mundialEvolução da população mundial
Evolução da população mundial
 
População e Povoamento: evolução e distribuição espacial
População e Povoamento: evolução e distribuição espacialPopulação e Povoamento: evolução e distribuição espacial
População e Povoamento: evolução e distribuição espacial
 
Geografia_B4.1 A Evolução Numérica.pptx
Geografia_B4.1 A Evolução Numérica.pptxGeografia_B4.1 A Evolução Numérica.pptx
Geografia_B4.1 A Evolução Numérica.pptx
 
Geografia 3 ano
Geografia 3 anoGeografia 3 ano
Geografia 3 ano
 
Aspectos da população mundial e do brasil 1º ma
Aspectos da população mundial e do brasil 1º maAspectos da população mundial e do brasil 1º ma
Aspectos da população mundial e do brasil 1º ma
 
Matéria lecionada
Matéria lecionadaMatéria lecionada
Matéria lecionada
 
1º Mc Grupo 04
1º Mc   Grupo 041º Mc   Grupo 04
1º Mc Grupo 04
 
Crescimento populacional
Crescimento populacionalCrescimento populacional
Crescimento populacional
 
Evolução da populaçãp
Evolução da populaçãpEvolução da populaçãp
Evolução da populaçãp
 
Populacao mundial
Populacao mundialPopulacao mundial
Populacao mundial
 
1º Va Grupo 04
1º Va   Grupo 041º Va   Grupo 04
1º Va Grupo 04
 
1º Va Grupo 04
1º Va   Grupo 041º Va   Grupo 04
1º Va Grupo 04
 
Apresentação 2 revisão provão 2 ano
Apresentação 2 revisão provão 2 anoApresentação 2 revisão provão 2 ano
Apresentação 2 revisão provão 2 ano
 
Crescimento Populacionalnomundo
Crescimento PopulacionalnomundoCrescimento Populacionalnomundo
Crescimento Populacionalnomundo
 
F:\Crescimento Populacionalnomundo
F:\Crescimento PopulacionalnomundoF:\Crescimento Populacionalnomundo
F:\Crescimento Populacionalnomundo
 
Crescimento Populacionalnomundo
Crescimento PopulacionalnomundoCrescimento Populacionalnomundo
Crescimento Populacionalnomundo
 

Um mundo superpovoado

  • 1. Escola Básica e Secundária da Povoação Ano letivo: 2011/2012 3º Período A Evolução da População Mundial Docente: Nelson Fontes Discente: Joana Melo Povoação, 30 de Maio de 2012
  • 2. “Sete bilhões de pessoas estarão habitando a Terra em 31 de outubro. Durante toda minha vida vi a população mundial quase triplicar, e daqui a 13 anos verei outro bilhão acrescentado a esses números. Quando meus netos viverem, é possível que existam 10 bilhões de pessoas em nosso mundo.” Babatunde Osotimehin
  • 3. Evolução da População Mundial • 1800 – mil milhões • 1927 – 2 mil milhões • 1960 – 3 mil milhões • 1974 – 4 mil milhões • 1987 – 5 mil milhões • 1999 – 6 mil milhões • 2011 – 7 mil milhões Fig.1- A evolução da População mundial (1800 -2050) • 2050 – 9 191 milhões Apesar da taxa de crescimento natural ter diminuído ligeiramente nos últimos anos, o acréscimo anual verificado no total da População traduziu-se num crescimento explosivo da população Mundial
  • 4. Diferentes Ritmos de Crescimento Populacional Alguns países já atingiram e Países desenvolvidos outros estão prestes a atingir uma taxa de crescimento natural nula ou até negativa Os PED albergam 5523,4 Países em desenvolvimento milhões de pessoas, o que representa 82% da população mundial Estes diferentes ritmos de crescimento da população constituem um GRANDE PROBLEMA
  • 5. Os aumentos da população dependem fundamentalmente INDICADORES DEMOGRÁFICOS: •Taxa de natalidade; •Taxa de mortalidade. Efluência a esperança média de vida Recordando… Fig.2- Aumento da esperança média de vida TCN= TN- TM
  • 6. Teoria de Transição Demográfica Fig.3- Modelo de transição demográfico
  • 7. Países desenvolvidos: 1ª fase- Comportamento demográfico até ao século XVIII Elevada taxa de fecundidade; Elevada taxa de natalidade; Elevada taxa de mortalidade (com oscilações); Esperança média de vida curta (25- 30 anos); Crescimento natural reduzido e irregular Regime Demográfico Primitivo
  • 8. 2ª fase- Comportamento Demográfico desde o Sec. XVIII até XIX. Elevada taxa de fecundidade; Elevada taxa de natalidade; Declínio da taxa de mortalidade; Aumento da esperança média de vida;  Aumento rápido do crescimento. Revolução Demográfica
  • 9. 3ª fase- Comportamento Demográfico dos finais do Sec. XIX até à 2ª Guerra Mundial Taxa de fecundidade em declínio; Taxa de natalidade em declínio; Taxa de mortalidade continua a diminuir; Aumento da esperança média de vida;  Crescimento natural em regressão.
  • 10. 4ª fase- Comportamento Demográfico após a 2ª Guerra Mundial até aos dias de hoje Taxa de fecundidade muito baixa; Taxa de natalidade baixa com oscilações (sucessão das crises económicas); Taxa de mortalidade em decréscimo mas com tendência para aumentar; Aumento da esperança média de vida  População envelhecida.
  • 11. Países em vias de desenvolvimento: Este grupo de países, de um modo geral, ainda se encontra na 2ª fase . Só deveremos ter em conta as características das 1ª e 2ª fases. Fig.4- Modelo de transição demográfico
  • 13. A Estabilização da População no Norte Diminuição da mortalidade em idade adulta Aumento considerável na esperança média de Redução da mortalidade infantil vida As taxas de mortalidade registam valores Crescimento Natural baixos e muito próximos dos das taxas de negativo em alguns natalidade casos Diminuição do índice sintético de Envelhecimento fecundidade nos últimos 40 anos Demográfico A Estabilização da População observada nos últimos anos, é assegurada pelo Saldo Migratório Positivo
  • 14. O Envelhecimento Demográfico resulta: Mudanças socias; Melhoria das condições de vida; Fig.5- cartoon ilustrativo à contraceção Revolução dos costumes e da transformação das estruturas familiares; Emancipação da mulher através do prolongamento da sua escolaridade; Participação no processo produtivo e do desenvolvimento dos métodos contracetivos ; Processo de Urbanização e as expectativas de melhoria da qualidade de vida não permitem a manutenção de famílias numerosas. Fig.6- Cartaz elucidativo á emancipação feminina REDUÇÃO DOS NUMEROS DE NASCIMENTOS
  • 15. Em suma: O Índice sintético de fecundidade, na Europa, apresenta valores inferiores ao índice de renovação de gerações ; O peso do grupo etário dos idosos começa a ser significativo particularmente na europa; Aumento da esperança média de vida; Crescimento Natural negativo em alguns países; Envelhecimento Demográfico; A Estabilização da População observada nos últimos anos, é assegurada pelo Saldo Migratório Positivo
  • 16. As implicações demográficas e Económicas do envelhecimento da população dos países do Norte Envelhecimento Demográfico leva Perturbação do normal funcionamento da economia A diminuição da fecundidade: Contração da população em idade ativa e ao consequente desequilíbrio da relação entre ativos e inativos; Envelhecimento da população ativa, o que no futuro colocará em Fig.7- Evolução da taxa de Natalidade em Portugal causa a organização do trabalho e valorização dos recursos Humanos.
  • 17. As consequências socias e económicas do envelhecimento da população da população são diversas: As despesas com a saúde têm aumentado Aumento de pessoas solitárias com mais de 60 anos Aumento do número de pessoas idosas dependentes Degradação da situação económica e social dos idosos Fig.8- Cartoon ilustrativo das despesas com a saúde A menor mobilidade geográfica por parte dos ativos mais idosos A carga fiscal sobre a população ativa tem sofrido um agravamento Fig.9- Carga tributária A pré- reforma tem contribuído para agravar as despesas dos sistemas de proteção social O espírito inovador e de iniciativa enfraquece a produtividade económica poderá diminuir
  • 18. A população idosa não pode ser encarada como um peso a suportar pela sociedade, pois o seu contributo positivo faz-se sentir: Solidariedade familiar descendente; Ações de solidariedade na comunidade ou de defesa do ambiente Elevam o nível de vida de algumas famílias o que acaba por dinamizar as atividades económicas Os idosos possuem uma taxa de poupança superior à média da população, que têm contribuído para dinamizar alguns sectores económicos como o turismo, os seguros e os bancos Fig.10- imagem ilustrativa á solidariedade familiar Fig.11- imagem ilustrativa á defesa do ambiente
  • 19. As medidas natalistas dos países desenvolvidos Os países desenvolvidos foram os primeiros a sentir a necessidade de adotar medidas de incentivo á natalidade: Prolongamento das licenças de parto; Horários de trabalho reduzidos e flexíveis; Fig.12- Campanha contra ao aborto Desenvolvimento de sistemas de proteção social dos mais jovens Restrição de praticas anticoncecionais com recurso ao aborto Quantitativo do abono de família mais elevado a partir do 2º ou 3º filho ou no caso de famílias numerosas ou de baixos rendimentos;
  • 20. Atribuição de crédito à aquisição de habitação com juros baixos e perdão parcial da divida por cada nascimento; Renumeração dos períodos de licença com base nos vencimentos auferidos pela mulher na altura do parto ou através de um valor fixado, cuja durabilidade é variável De forma geral permitirem: As taxas de natalidade sofreram um ligeiro aumento Inverter as tendências verificadas em muitos países desenvolvidos O índice sintético de fecundidade aproximou-se de valores considerados necessários á substituição de gerações
  • 21. O crescimento acelerado da população nos países em desenvolvimento
  • 22. O crescimento demográfico nos países sul Os países menos desenvolvidos presentam uma estrutura etária muito jovem, devido: Elevadas taxas de natalidade Esperança média de vida reduzida O continente africano, a Ásia Ocidental, central e alguns países do sudoeste asiático apresentam os índices de fecundidade mais elevados do planeta Fig.13- Cartoon ilustrativo do crescimento demográfico
  • 23. Nestes países, a estrutura etária muito desequilibrada tem implicações socioeconómicas que se refletem negativamente, sobretudo: Mercado de trabalho; Estrutura profissional; Nos níveis de consumo; Nas politicas de controlo de natalidade; Nas necessidades sociais dos grupos etários;
  • 24. As políticas antinatalistas nos países em desenvolvimento Nos países em desenvolvimento, os esforços concentram-se essencialmente: Diminuição das elevadas taxas de fecundidade e natalidade, responsáveis pelo ritmo acelerado do crescimento populacional. No entanto: A incapacidade financeira tem constituído um problema á implementação das medidas definidas com eficácia Caracter repressivo das medidas antinatalistas Fig.14- Pilula contracetiva
  • 25. Os países onde a pressão demográfica é mais forte foram os primeiros a adotar medidas antinatalistas, tais como: O incentivo á politica do filho único; Distribuição gratuita de contracetivos; O incentivo à elevação da idade do casamento; Fig15- Consulta de Planeamento familiar A autorização da prática da esterilização e do aborto; Recurso à ajuda internacional, nomeadamente das ONG, para financiar programas de planeamento familiar. Fig16- Uso de contraceção Contudo, o sucesso destas medidas depende da sua conjugação com politicas de desenvolvimento económico e social.
  • 26. A ineficácia de muitas medidas de controlo da natalidade postas em prática nos países em desenvolvimento resulta de modo repressivo como as mesmas foram implementadas, por exemplo: O peso de certas religiões na sociedade; A repressão exercida sobre os casais incentiva à prática do infanticídio; Em algumas províncias da china, a esterilização é quase imposta depois do 2º filho; Um programa que incentivava a administração local a aumentar a prática de esterilização, concedendo prémios aos funcionários de acordo com o numero de casos. Fig16- Esterilização feminina e masculina
  • 27. As doenças contagiosas e o impacto nas estruturas demográficas e produtivas das regiões afetadas Um dos problemas mais graves do inicio do Sec. XXI é o alastramento de doenças infecto-contagiosas, nomeadamente o VHI/SIDA que tem um forte impacto a longo prazo nas estruturas demográficas. As suas consequências, sobretudo em áfrica ,são preocupantes: Redução da fecundidade; Aumento da taxa de mortalidade infantil; Abrupta redução da esperança média de vida; Declínio no índice de desenvolvimento humano; Fig.17- Símbolo da VHI/SIDA
  • 28. O impacto do VHI/SIDA é igualmente elevado na estrutura socioeconómica, dado que: Diminui o numero de população ativa; Reduz a probabilidade de escolarização; Aumenta a necessidade de cuidados médicos. Fig.18- cartaz de uma campanha de sensibilização Em suma: É essencial investir em programas de prevenção e esclarecimento sobre a doença, que possam integrar seropositivos e, através de um dialogo aberto, criar um clima favorável à limitação da propagação da epidemia.
  • 29. A população e os recursos globais
  • 30. Os impactos ambientais do crescimento demográfico O crescimento da população mundial aumentou o consumo dos recursos do planeta O crescimento exponencial da população aumentou a pressão sobre os cursos e os impactos nos ecossistemas: Aumento do consumo de energia; A poluição e os desperdícios aumentaram; A produção alimentar e o uso dos recursos naturais aumentaram; Fig.19- cartoon ilustrativo ao aumento da necessidade de recursos
  • 31. O crescimento explosivo da população constitui então um dos principais desafios globais Em alguns países em desenvolvimento, a população cresce a ritmos incompatíveis com os recursos ambientais, impedindo: Cuidados de saúde; Subsistência alimentar; Fornecimento de energia; A melhoria do alojamento; Fig.20- Energias renováveis