R1 Pensamento Sistemico Cdi 18fev2010

1.276 visualizações

Publicada em

primeira reunião 18.fev.2010.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.276
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
38
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

R1 Pensamento Sistemico Cdi 18fev2010

  1. 1. PLANEJAMENTO SISTÊMICO DO CDI – Reunião 1 Apoio:
  2. 2. Giancarlo Stefanuto <ul><li>Consultor na área de planejamento </li></ul><ul><li>Doutor em Política de Ciência e Tecnologia </li></ul><ul><li>Avaliador de políticas públicas de TI </li></ul><ul><li>Pesquisador da Unicamp - GEOPI </li></ul><ul><li>Pesquisador de dinâmica de redes colaborativas </li></ul><ul><li>Diretor da Aram Cursos e Planejamento ltda </li></ul>
  3. 3. Paula Drummond <ul><li>Bióloga pela Unicamp </li></ul><ul><li>Mestre em Política científica e tecnológica </li></ul><ul><li>Avaliadora de programas de CT&I </li></ul><ul><li>Ênfase em conservação do meio ambiente </li></ul><ul><li>Pesquisadora da Unicamp - GEOPI </li></ul>
  4. 4. Grupo Consultivo <ul><li>André Bordignon </li></ul><ul><li>Marcos Assano </li></ul><ul><li>Márcia Monteiro </li></ul><ul><li>Vanessa Dias </li></ul><ul><li>Cristiane Oliveira </li></ul><ul><li>Jaqueline Cristiane da Silva </li></ul><ul><li>Helena Whyte </li></ul><ul><li>Celso Vergílio </li></ul><ul><li>Patrícia Nobre </li></ul><ul><li>Laysa </li></ul><ul><li>Priscila </li></ul><ul><li>Sueli </li></ul><ul><li>Márcia </li></ul><ul><li>Luiz Mendes </li></ul><ul><li>Débora </li></ul><ul><li>Arnaldo Valentim Silva </li></ul>
  5. 5. Grupo Executivo <ul><li>Giancarlo Stefanuto </li></ul><ul><li>Paula Drummond </li></ul><ul><li>Helena Whyte </li></ul><ul><li>Cristiane </li></ul><ul><li>Marcia ? </li></ul><ul><li>Patrícia </li></ul><ul><li>Priscila ? </li></ul><ul><li>Débora? </li></ul>
  6. 6. Agenda <ul><li>19:00 Abertura/Apresentações </li></ul><ul><li>19:30 Pensamento Sistêmico </li></ul><ul><li>20:00 Desafio Visionário </li></ul><ul><li>20:45 Intervalo </li></ul><ul><li>21:00 Eventos –História da situação de interesse </li></ul><ul><li>21:35 Aprendizagem para Auto-Organização </li></ul><ul><li>22:00 Encerramento </li></ul>
  7. 8. <ul><li>PENSAMENTO SISTÊMICO </li></ul>
  8. 9. Vertentes Sistêmicas Engª Controle Cibernética Dinâmica Sistemas Aprendiz. Orgl. SSM Física Quântica TGS Teoria Ação Comunicativa (Habermas e Esc.Frankf.) Gestalt e linhas sist. psicologia Tradições filos. orientais Ecologia Ciências Cognitivas Biol.Organísmica Autopoiese Estruturas Dissipativas Prigogine Hipótese Gaia Pensamento Complexo (Morin) Teoria do Caos Matemática Complexidade Lógica Paraconsistente (Din.Sist.Dinâmicos) Teoria Orgl. Sistêmicas (Eric, Trist, Katz, Kahn) Sist. Sociais Abertos Pensamento por processos P.S.Crítico Beer e o MSV TOC Transdisciplinaridade Giddens (sociologia) Talcott Parsons (func.sist.social) Simon e IA Luhmann (sist.soc. aupoiéticos) Pensamento Holístico
  9. 10. História de uma Mudança de Paradigma ... ... Séc.XVI Características: • Reducionismo • Mecanicismo • ... Séc.XX Características: • Contextualismo • Organicismo • ... Pensamento Mecanicista Pensamento Sistêmico CRISES Futuro Novas Crises Novos Paradigmas Configuração do movimento
  10. 11. Características do PS
  11. 12. Reflexão e Conversação <ul><li>Metodologicamente: </li></ul><ul><ul><li>O divergente e o convergente </li></ul></ul><ul><ul><li>Diálogo </li></ul></ul>
  12. 13. Eventos Padrões de Comportamento Estrutura Sistêmica Modelos Mentais Mais detalhes desta idéia em ANDRADE, Aurélio L., SELEME, Acyr, RODRIGUES, Luís H., SOUTO, Rodrigo. Pensamento Sistêmico Caderno de Campo . Porto Alegre, Artmed, 2006, p.94.
  13. 14. Aprendendo <ul><li>Case Software Público Brasileiro - SPB </li></ul>
  14. 15. Método Sistêmico <ul><li>1) Definir uma Situação de Interesse </li></ul><ul><li>2) Apresentar a História Através de Eventos </li></ul><ul><li>3) Identificar os Fatores Chave </li></ul><ul><li>4) Traçar os Padrões de Comportamento </li></ul><ul><li>5) Desenhar a Estrutura Sistêmica </li></ul><ul><li>6) Identificar Modelos Mentais </li></ul><ul><li>7) Planejar Cenários </li></ul><ul><li>8) Modelar em Computador </li></ul><ul><li>9) Definir Direcionadores Estratégicos, Planejar Ações e Reprojetar o Sistema </li></ul>
  15. 16. 1. Desafio Visionário do SPB <ul><li>“ Compreender e aprimorar o modelo do Software Público de modo a torná-lo sustentável” </li></ul><ul><li>(horizonte: 5 anos) </li></ul>
  16. 17. 2. História por eventos <ul><li>Décadas de 90 -2000: Crescimento de usuários de SL </li></ul><ul><li>Início dos anos 2000: Crescimento da adoção e-Gov </li></ul><ul><li>2003: Incentivo governamental ao uso de SL </li></ul><ul><li>2006: Abertura do código do CACIC </li></ul><ul><li>2007: criação do Portal do SPB </li></ul><ul><li>2008: aumento do número de usuários e de acessos </li></ul><ul><li>2008: Capacitação de desenvolvedores </li></ul><ul><li>2008: economia de custo identificada no GSAN </li></ul><ul><li>2008: parceria com PNUD _MPV </li></ul><ul><li>2008: participação em eventos internacionais importantes &quot;Open World Forum“ </li></ul><ul><li>2009: conflito em algumas comunidades </li></ul><ul><li>2009: SPI </li></ul><ul><li>2009: pesquisa Impactos do SPB </li></ul><ul><li>2009: IN 04 (obrigatoriedade do uso de SP) </li></ul>
  17. 18. 3. Variáveis Críticas <ul><li>Número de usuários do Portal </li></ul><ul><li>Número de acessos </li></ul><ul><li>Capacitação de desenvolvedores </li></ul><ul><li>Número de parcerias </li></ul><ul><li>Produção científica relacionada ao SPB </li></ul><ul><li>Número de soluções disponíveis </li></ul><ul><li>Taxa de fidelidade ao site </li></ul><ul><li>Taxa de rejeição ao site </li></ul><ul><li>Número de adoções de soluções de software do Portal </li></ul><ul><li>Economia de custo </li></ul><ul><li>Atos do poder público </li></ul><ul><li>Número de países adotando o SPB </li></ul>
  18. 19. Crescimento exponencial do SPB: “O SPB está em franco crescimento.” Limites do crescimento do SPB Dificuldades de monitoramento de dados no SPB. “Existe a necessidade da geração regular de dados sobre o SPB (monitoramento), sobretudo para auxiliar a tomada de decisões.” Pesquisas devem ser periódicas Dificuldades x facilidade de acesso a dados 4.Traçar os Padrões de Comportamento
  19. 20. 5. Desenhar a Estrutura Sistêmica <ul><li>1º ciclo: interação entre infra-estrutura, gestão </li></ul><ul><li>2º ciclo: interação com o mundo </li></ul><ul><li>3º ciclo: padrões que emergem </li></ul><ul><li>Presente e futuro: auto-organização </li></ul>2º ciclo
  20. 21. _ Atendimento Necessidades Sociedade pelo SPB Satisfação Fidelização Otimização de Recursos Qualidade da Interação e dos objetos Num. de Acessos Necessidade de infra-estrutura e RH Parcerias Divulgação Expectativa Não Atendida Nova soluções Num de Oportunidades Qualidade Coordenação Comunidade Num de adoções Num. Prestadores no MPV Capacitação Negócios Entendimento do modelo SPB Interesse do Setor de Sw Qualidade governança Rede SPB Capacidade de infra-estrutura e RH Investimento em infra-estrutura e RH Apoio Político Efeito “carona” Competição Alinhamento Intra-governamental _ _ _ _ R 10 R 11 R 1 R 8 R 6 R 5 R 2 R 4 R 7 R 3 1 1 2 2 R 9 B 2 B 1 B 3
  21. 22. 6. Identificar Modelos Mentais “ Combater monopólios na área de TI e gerar visibilidade para a ação do Governo” Governo “ Sustentabilidade e aumentar o número de colaboradores“ Coordenadores “ Ampliar minhas possibilidades profissionais” Desenvolvedor “ Quero projetos que gerem resultados efetivos e maior interação com outras entidades” Parceiros “ Como ampliar meu negócio?”.. Prestador de Serviços
  22. 23. 7. Cenários ESTRATÉGIAS ROBUSTAS PARA O SPB 1. Divulgação 2. Parcerias 3. Monitoramento 4. Empreendedorismo 5. Institucionalização
  23. 24. 8. Modelar em Computador
  24. 25. 8. Modelagem e Aprendizagens <ul><li>Aprendizagens </li></ul><ul><ul><li>Os principais gargalos são a divulgação das soluções do SPB na sociedade e a sua adoção. Observou-se na simulação que estas variáveis exercem forte influência em todo o sistema </li></ul></ul><ul><ul><li>Parcerias no SPB levam a crescimento, porém de maneira branda </li></ul></ul><ul><ul><li>Institucionalização leva a crescimento influencia todo o ecossistema SPB desde que seja mantido o vínculo com o conceito e modelo de bem público e parceria com o Governo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Empreendedorismo leva a crescimento semelhante a parcerias, pois aumenta a divulgação, porém a uma taxa relativamente pequena 10 a 20% </li></ul></ul><ul><ul><li>Monitoramento, disseminação e proatividade promovem um crescimento mais intenso que empreendedorismo e parcerias, porém menos do que divulgação. </li></ul></ul><ul><ul><li>Nem toda entrada de nova solução representa entrada de novos usuários </li></ul></ul><ul><ul><li>O ecossistema alinhado, aparentemente, proporciona uma sustentabilidade mais eficiente do que um apoio político-institucional pleno. </li></ul></ul>
  25. 26. 9. Definir Direcionadores Estratégicos, Planejar Ações e Reprojetar o Sistema Plano de Desenvolvimento Sistêmico do SPB G ráficos M apa sistêmico M odelos mentais C enários M odelos computacionais M emórias A prendizagens estratégicas
  26. 27. 9. Diretrizes
  27. 28. <ul><li>DESAFIO VISIONÁRIO </li></ul>
  28. 29. 1) Definição do desafio visionário <ul><li>Por que estamos aqui reunidos? Qual é o nosso desafio visionário? (em uma frase) </li></ul><ul><ul><li>... </li></ul></ul>Trabalho 1 Tempo: 45 min
  29. 30. Dinâmica <ul><li>Reunir-se em três grupos </li></ul><ul><li>Definir uma frase para o desafio </li></ul><ul><ul><li>Tempo: 10 min </li></ul></ul><ul><li>Apresentar ao grande grupo </li></ul><ul><ul><li>Tempo: 10 min </li></ul></ul><ul><li>Sintetizar as frases dos grupos em uma só </li></ul><ul><ul><li>Tempo: 25 min </li></ul></ul>
  30. 31. Desafio <ul><li>Trazer uma inovação/reinvenção para forma de trabalho e atuação do CDI na sociedade de modo que a EIC torne-se ponto de referência para a comunidade. </li></ul><ul><li>O CDI precisa se redescobrir e reinventar-se institucionalmente como rede social </li></ul><ul><li>Como ser uma ONG de mobilização social que usa as TICs como ferramentas e não mais uma ONG de inclusão digital? </li></ul>
  31. 32. Desafio <ul><li>Reinventar o uso das TICs para o cumprimento da missão do CDI </li></ul><ul><li>Ser reconhecido pela sociedade como ONG de mobilização social através das TICs </li></ul><ul><li>Fortalecer a imagem do CDI como ONG que incentiva a utilização da informação para mobilização social, através do uso das TICs </li></ul>
  32. 33. Desafio <ul><li>Fortalecer a imagem do CDI como ONG que incentiva a utilização da informação para mobilização social, através do uso das TICs </li></ul>
  33. 34. 2) Eventos – História <ul><li>Contar as histórias relacionadas com o desafio visionário, que o explicam e/ou o contextualizam. </li></ul><ul><ul><li>... </li></ul></ul>Trabalho 2 Tempo: 35 min
  34. 35. Dinâmica <ul><li>Reunir-se em grupos de 2 pessoas </li></ul><ul><li>Escolher até 10 eventos considerando </li></ul><ul><ul><li>Conhecimento e experiência </li></ul></ul><ul><ul><li>Desafio visionário </li></ul></ul><ul><ul><li>definir o horizonte de tempo (Desde quando eu devo retroceder para entender este problema? Não menos de 10 anos, se possível) </li></ul></ul><ul><ul><li>colocar os post-it no período (linha do tempo) </li></ul></ul><ul><ul><li>Tempo: 15 min </li></ul></ul><ul><li>Leitura da história do problema (o que se aprende com isso?) </li></ul><ul><ul><li>Tempo: 5 min </li></ul></ul><ul><li>pequeno debate. Aprendizado coletivo do problema </li></ul><ul><ul><li>Tempo: 15 min </li></ul></ul>
  35. 36. Aprendizados e Auto-organização <ul><li>O que aprendemos de estratégico hoje? </li></ul>
  36. 37. Próximos passos <ul><li>... </li></ul>
  37. 38. Obrigado!

×