O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Epistemologia da Organização do Conhecimento

Palestra proferida para a turma da disciplina Tópicos em Organização do Conhecimento do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Epistemologia da Organização do Conhecimento

  1. 1. Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br Disciplina: Tópicos em Organização do Conhecimento Epistemologia da organização do conhecimento
  2. 2. Organização do Conhecimento Conceito A organização do conhecimento é tanto uma atividade de ordenar e representar a informação, quanto um campo de estudo preocupado com a natureza e a qualidade dos processos e sistemas de organização do conhecimento (HJØRLAND, 2003, 2008, 2013a; TENNIS, 2008).
  3. 3. Epistemologia Conceito “Discurso (logos) sobre a sobre ciência (episteme)” (JAPIASSU, 1988, p. 24) O pensamento epistemológico moderno se originou na filosofia durante o século XX. Foi o mesmo período que a sociedade industrial se consolidou e a ciência e o desenvolvimento técnico se tornaram uma realidade (SANTOS, 1989, p. 17).
  4. 4. Epistemologia Conceito Abordagem tradicional: estudo do conhecimento, gêneses, limites, valores e por meio dessa visão, é o mesmo que teoria do conhecimento (ARAÚJO, 2012). Abordagem específica: o estudo crítico dos princípios, hipóteses e produção do conhecimenot das várias ciências, olhando de perto a estrutura cognitiva do conhecimento científico, valor e objetivos. Mais do que isso, a epistemologia se preocupa com as características, delimitações e processos metodológicos do conhecimento científico em cada domínio (ARAÚJO, 2012). Sentido restrito: estudo do conhecimento e das crenças justificadas (STEUP, 2018). Sentido amplo: é sobre questões relacionadas à criação e disseminação do conhecimento em áreas de pesquisa particulares.
  5. 5. Conceito Teoria do conhecimento (gnosiologia): estudo sobre o conhecimento, suas possibilidades com foco no sujeito e no objeto. Epistemologia: estudo do conhecimento científico. Teoria do conhecimento # Epistemologia Epistemologia
  6. 6. Epistemologia da OC Estudos críticos e epistemológicos – Abordagem da análise de domínio de Hjørland (2002b). Propósito dos estudos epistemológicos: Reconhecer como diferentes epistemologias influenciam a prática de organização do conhecimento (OC); Melhor compreender os fundamentos, teorias e métodos que influenciam a pesquisa no domínio. Conceito Como nós sabemos. As posturas epistêmicas determinam qual conhecimento é criado. (TENNIS, 2008).
  7. 7. Epistemologia da OC Estudos críticos e epistemológicos – Abordagem da análise de domínio de Hjørland (2002b). Propósito dos estudos epistemológicos: Reconhecer como diferentes epistemologias influenciam a prática de organização do conhecimento (OC); Melhor compreender os fundamentos, teorias e métodos que influenciam a pesquisa no domínio. Conceito Como nós sabemos. As posturas epistêmicas determinam qual conhecimento é criado. (TENNIS, 2008).
  8. 8. Perguntas Norteadoras Qual é a concepção de epistemologia no domínio da OC? Quais os conceitos e propósitos da epistemologia na OC? Quais epistemologias influenciam a pesquisa no domínio de OC?
  9. 9. Objetivos Objetivo Geral Descrever a concepção de epistemologia no periódico Knowledge Organization por meio da metateoria.
  10. 10. Objetivos Objetivos Específicos: a) analisar a comunicação científica de epistemologia da OC publicada no periódico Knowledge Organization; b) Discutir o conceito de epistemologia no domínio da OC; c) Identificar os propósitos da epistemologia no domínio da OC; d) Apresentar um entendimento mais profundo das principais influências epistemológicas no domínio da OC.
  11. 11. Justificativa Científica Estudos epistemológicos têm como um de seus propósitos compreender os fundamentos, teorias e métodos que influenciam a pesquisa em um domínio. Portanto, nós entendemos que “mesmo um olhar casual sob a literatura mostra que as preocupações epistêmicas, teóricas e metodológicas constituem a força motriz por trás dos argumentos e descobertas na maioria do trabalho conceitual de OC”, (TENNIS, 2008, p. 102). Mas, “epistemologia não tem resposta final, não há consenso sobre o método científico”, (HJØRLAND, 1998, p. 613).
  12. 12. Justificativa Pessoal Interesse pessoal da autora na pesquisa da comunicação científica e como o a produção do conhecimento influencia um domínio. Institucional Epistemologia da OC é um dos eixos de pesquisa do grupo de pesquisa Formação e Atuação Profissional em Organização da Informação (FAPOI) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP).
  13. 13. Referencial Teórico CONCEITO REFERÊNCIAS Organização do conhecimento Barité (2001); Bliss (1929); Bräscher e Café (2008); Dahlberg (1993; 1995; 2006); Esteban Navarro e Garcia Marco (1995); Guimarães (2008; 2014); Hjørland (2002b; 2003; 2008); Hjørland e Albrechtsen (1995); Jaenecke (1994); Sales (2015a; 2015b; 2016). Epistemologia Benton e Craib (2001); Bruyne, Heman e Schoutheete (1977); Hessen (2012); Japiassu (1988); Lloyd (1995); Nagel (2014); Rosenberg (2016); Santos (1989); Steup (2016). Epistemologia da organização do conhecimento Arboit (2014); Bufrem (2009; 2012); Dousa (2008; 2010); Freitas (2012); Gnoli (2008); Hjørland (1998; 2002a; 2002b; 2003; 2005; 2008; 2013); Hjørland e Hartel (2003); López-Huertas (2015); Mai (1999); Saldanha (2014); Svenonius (2004); Smiraglia (2001; 2015); Tennis (2008). Metateoria Castanha e Grácio (2014); Colomy (1991); Dousa (2010); Hjørland (1998); Ritzer (1991a; 1991b; 2001); Sevenonius (1992); Tennis (2005; 2008; 2015); Vakkari e Kuokkanem (1997); Vickery (1998). Quadro 1: Referencial teórico da tese Fonte: Araújo (2019)
  14. 14. Trajetória Metodológica Pesquisa Descritiva Analisar e descrever os dados buscando um conhecimento mais profundo da epistemologia da OC. Metateoria de Ritzer Análise da teoria. (RITZER, 1991b, 237). Alcançar um melhor entendimento do domínio (Mu). Teoria Fundamentada em Dados (Grounded Theory) Codificação e Memorando.
  15. 15. Trajetória Metodológica Estudo exploratório e coleta de dados Análise Síntese Partes do Estudo
  16. 16. 31 artigos Agosto de 2018. Estudo Exploratório e Coleta de Dados [(epistemol* OR “theory of knowledge”) AND (“information organization” OR “knowledge organization”)]
  17. 17. Figura 1: Rede de autoria do corpus da tese Fonte: Araújo (2019)
  18. 18. Teoria fundamentada em dados (Grounded Theory) Descoberta da teoria a partir de dados sistematicamente obtidos em pesquisa social Glaser e Strauss (1965; 1967). Codificação e Memorando Codificação “Codificação significa elevar dados brutos a um nível conceitual”. (STRAUSS; CORBIN, 1990, p. 66). Análise Codificação Aberta Codificação Axial Codificação Seletiva
  19. 19. Análise Figura 2: Exemplo de codificação Fonte: Tela do Atlas.ti Codificação Codificação aberta Artigo 1 Artigo 2 Filosofia Influência Filosófica Epistemologia Posição epistêmica Codificação axial Posição epistêmica  Influência filosófica Codificação seletiva Posição epistêmica
  20. 20. Memorando “Enquanto codifica, o pesquisador externaliza questões teóricas, hipóteses, resumos dos códigos, ideias, etc”. (STRAUSS, 1987, p. 22). Um memorando para cada artigo. (1) Conceitos chave; (2) Ideias e dúvidas; (3) Conexões entre categorias; (4) Possíveis citações. Análise
  21. 21. Análise Figura 3: Memorandos no Atlas.ti Fonte: Tela do Atlas.ti
  22. 22. Síntese Figura 4: Abordagens de Mu (Ritzer 1991a) Fonte: Ritzer (1991b, p. 18) Interno-intelectual: “engloba escolas de pensamento, paradigmas e teorias em uma domínio e sua influência.” (RITZER, 1991b, 19–20). Interno-social: “foca em grupos relativamente pequenos de teóricos que têm diferentes relações entre si.” (RITZER, 1991b, 19–20). Externo-intelectual: preocupa-se com ideias, ferramentas, conceitos e teorias de outras disciplinas acadêmicas.” (RITZER, 1991b, 20). Externo-social: “olha para a sociedade e a natureza do seu impacto na teorização social.” (RITZER, 1991b, 21).
  23. 23. Conceitos de Epistemologia na OC; Os propósitos da Epistemologia da OC; Posições epistêmicas que influenciam o domínio da OC. Famílias de atributos
  24. 24. Conceitos de Epistemologia na OC Famílias de atributos Figura 5: Os conceitos de epistemologia da OC Fonte: Araújo (2019).
  25. 25. Conceito Abordagem tradicional: o estudo do conhecimento, gênese, limites, valores e, por meio desta visão, é o mesmo que teoria do conhecimento ou gnosiologia. Abordagem específica: estudo crítico das questões relacionadas à criação e disseminação do conhecimento em áreas de pesquisa específicas. Conceito de Epistemologia na OC
  26. 26. Conceito de Epistemologia na OC Figura 6: Conceitos de epistemologia da OC Fonte: Araújo (2019).
  27. 27. Nesta pesquisa Abordagem específica: estudo crítico das questões relacionadas à criação e disseminação do conhecimento em áreas de pesquisa específicas. Conceito de Epistemologia na OC
  28. 28. “Epistemologia é a ciência do conhecimento. Organização do conhecimento é a ciência de ordenar o conhecimento. O domínio da organização do conhecimento é uma comunidade discursiva na qual ocorre a investigação sobre o conhecimento e suas várias ordens ou sequências. Os produtos do domínio são segmentos ordenados de conhecimento e regras tanto para descoberta da sua ordem natural, quanto para impor uma sequência lógica” (SMIRAGLIA, 2013, p. 2). Epistemologia da OC
  29. 29. Os propósitos da epistemologia da OC Famílias de atributos Figura 7: Os propósitos da epistemologia da OC Fonte: Araújo (2019).
  30. 30. Posições Epistêmicas A forma como as pessoas interpretam os textos para serem organizados, como elas pesquisam por informação que elas precisam, por exemplo, são conectadas a teorias de interpretação que são epistemologias ou ideias que são historicamente, culturalmente, socialmente e cientificamente desenvolvidas.
  31. 31. Os sistema de organização do conhecimento e os processos de organização do conhecimento são neutros ou políticos por natureza e é um ideal frutífero eles serem neutros?
  32. 32. Posições epistêmicas que influenciam o domínio da OC Famílias de atributos Figura 8: Posições epistêmicas que influenciam o domínio da OC Fonte: Araújo (2019).
  33. 33. Classificação de Hjørland da principais influências epistêmicas Empirismo Racionalismo Historicismo Pragmatismo Posições Epistêmicas
  34. 34. Empirismo “Todos os conceitos, mesmo os mais universais e abstratos, vêm da experiência”. (HESSEN, 2012, p. 55). Busca neutralidade, ignora a perspectiva histórica e o contexto, etc. Influência: recuperação da informação (HJØRLAND, 2003), processo de indexação (MARTÍNEZ-ÁVILA; BEAK, 2016), classificação (ZINZ, 2004), estudos de usuário (HJØRLAND, 2003), taxonomia numérica (HJØRLAND, 2013a) e estudos bibliométricos (HJØRLAND, 2013a). Posições epistêmicas
  35. 35. Racionalismo Rationalismo (ratio = razão) é o ponto de vista epistemológico que compreende o pensamento e a razão como as principais fontes para o conhecimento humano. (HESSEN, 2012). Validade universal, conhecimento a priori, neutralidade, objetividade. Influência: classificação facetada, teoria da classificação. Posições epistêmicas
  36. 36. Historicismo Todo evento é explicado sistematicamente pela história, pelas circunstâncias da evolução da ideias e hábitos ou pela transformação das estruturas econômicas. (JAPIASSU; SOUZA FILHO, 1990). Contexto, processo histórico, paradigma, subjetivismo. Influência: Bibliometria, análise de domínio, classificação, indexação. Posições epistêmicas
  37. 37. Pragmatismo Acredita que o indivíduo não é um ser teórico, mas, um ser prático. Verdade do conhecimento = Pensamento + Objetivos Práticos Principal perspectiva metateórica para a Organização do Conhecimento. Influências: teoria do conceito, abordagem experiencialista da classificação, processo de indexação, análise de domínio, classificação, os pensamentos de Ranganathan e big data. Posições epistêmicas
  38. 38. Epistemologia da OC Síntese Metateórica Figura 9: Autores e relações com as epistemologias Fonte: Araújo (2019).
  39. 39. Epistemologia da OC Pragmatismo é a posição epistêmica mais influente no domínio da OC. Pragmatismo e Historicismo são posições epistêmicas relacionadas. Há presença expressiva das teorias críticas. Síntese Metateórica
  40. 40. Concepção de Epistemologia da OC Conceito de epistemologia na OC; Propósitos da epistemologia na OC; Posições epistêmicas que influenciam o domínio de OC. Considerações Finais
  41. 41. Os autores e as pesquisas são influenciados por diferentes epistemologias em diferentes momentos e dependendo dos métodos e do conhecimento empregado. Há uma predominância da influência do pragmatismo, seguida das teorias críticas e do historicismo no domínio da OC. Relação com a presença marcante do paradigma sociocognitivo. Considerações Finais Epistemologia Pesquisa em OC Processos da OC Figura 10: Epistemologia na OC Fonte: Araújo (2019).
  42. 42. Principais abordagens dos autores: conexão entre as abordagens epistemológica, teórica, metodológica, sociológica e histórica para a construção do domínio; concepção, implementação e atualização de Sistemas de Organização do Conhecimento; forte crítica aos sistemas universais (neutralidade, objetivismo X subjetivismo); análise de domínio é um paradigma expressivo do domínio da OC e tem forte influência do pragmatismo e do historicismo; as teorias críticas são expressivas no corpus da pesquisa, o que demonstra o reflexo das necessidades da sociedade relacionadas à representação da informação. Considerações Finais
  43. 43. Concepção de Epistemologia no domínio da OC A concepção de epistemologia no domínio da OC é o estudo crítico dos princípios, hipóteses e produção do conhecimento no domínio. A epistemologia preocupa-se com a produção do conhecimento científico pelo domínio da OC, bem como a aplicação do conhecimento para desenvolver Sistemas de Organização do Conhecimento e para dar suporte ao processo de OC como um todo. Considerações Finais
  44. 44. Referências DOUSA, T. M. Classical pragmatism and its varieties: on a pluriform metatheoretical perspective for knowledge organization. Knowledge Organization, v. 37, n. 1, p. 65–71, 2010. GLASER, B. G. Theoretical sensitivity. Mill Valley, CA: The sociology Press, 1978. GLASER, B. G.; STRAUSS, A. L. Awareness of dying. Chicago, Il: Aldine Publishing Company, 1965. GLASER, B. G.; STRAUSS, A. L. The discovery of grounded theory: strategies for qualitative research. New Brunswick: Aldine, 1967. HESSEN, J. Teoria do conhecimento. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2012. HJØRLAND, B. Epistemology and the socio-cognitive perspective in information science. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 53, n. 4, p. 257–270, 1 jan. 2002a. HJØRLAND, B. Theory and metatheory of information science: a new interpretation. Journal of Documentation, v. 54, n. 5, p. 606–621, dez. 1998. HJØRLAND, B. Fundamentals of knowledge organization. Knowledge Organization, v. 30, n. 2, p. 87–111, 2003.
  45. 45. Referências MARTÍNEZ-ÁVILA, D.; BEAK, J. Methods, theoretical frameworks and hope for knowledge organization. Knowledge Organization, v. 43, n. 5, p. 358–366, 2016. RITZER, G. Reflections on the rise of metatheorizing in sociology. Sociological Perspectives, v. 34, n. 3, p. 237–248, 1991a. RITZER, G. Metatheorizing in sociology. Lexington, Mass.: Lexington Books, 1991b. RITZER, G. Explorations in social theory from metatheorizing to rationalization. London: SAGE Publications, 2001. STRAUSS, A. L. Qualitative analysis for social scientists. Cambridge; New York: Cambridge University Press, 1987. STRAUSS, A. L.; CORBIN, J. M. Basics of qualitative research: grounded theory procedures and techniques. 3. ed. Newbury Park, Calif.: Sage, 1990. TENNIS, J. T. Epistemology, theory, and methodology in knowledge organization: toward a classification, metatheory, and research framework. Knowledge Organization, v. 35, n. 2–3, p. 102–112, 2008. THORNTON, S. Karl Popper. In: ZALTA, E. N. (ed.). The Stanford Encyclopedia of Philosophy. Fall 2018 ed. Stanford, CA: Metaphysics Research Lab, Stanford University, 2018. ZINS, C. Knowledge organization: an epistemological perspective. Knowledge Organization, v. 31, n. 1, p. 49–63, 2004.
  46. 46. ARAÚJO, PAULA Carina de. Epistemologia da organização do conhecimento, 2020. 47 slides. Como referenciar Licença de uso Epistemologia da organização do conhecimento por Paula Carina de Araújo está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
  47. 47. Paula Carina de Araújo paulacarina@gmail.com Suzzallo Library – University of Washington Seattle, WA.

×