O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

LBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoração

10.007 visualizações

Publicada em

Subsídios para lições bíblicas da CPAD elaborados pelo Pastor Natalino das Neves (IEADC-Sede).
Assista aos demais vídeos com estudos bíblicos e baixe os arquivos de slides referentes aos vídeos no blog:
http://goo.gl/PPDRnr

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

LBJ LIÇÃO 7 - Quando o legalismo substitui a adoração

  1. 1. TEXTO DO DIA "Porque o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim e, com a boca e com os seus lábios, me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim [...]." (Is 29.13)
  2. 2. SÍNTESE adoração nasce de um coração que ama a Deus e não de uma relação jurídica (legal) com o Criador.
  3. 3. TEXTO BÍBLICO Atos 5.1-6; 8-10
  4. 4. 1. Mas um certo varão chamado Ananias, com Safira, sua mulher, vendeu uma propriedade 2. e reteve parte do preço, sabendo-o também sua mulher; e, levando uma parte, a depositou aos pés dos apóstolos. 3. Disse, então, Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço da herdade? 4. Guardando-a, não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus. 5. E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E um grande temor veio sobre todos os que isto ouviram. 6. E, levantando-se os jovens, cobriram o morto e, transportando-o para fora, o sepultaram. 8. E disse-lhe Pedro: Dize-me, vendestes por tanto aquela herdade? E ela disse: Sim, por tanto. 9. Então, Pedro lhe disse: Por que é que entre vós vos concertastes para tentar o Espírito do Senhor? Eis aí à porta os pés dos que sepultaram o teu marido, e também te levarão a ti. 10. E logo caiu aos seus pés e expirou. E, entrando os jovens, acharam-na morta e a sepultaram junto de seu marido.
  5. 5. INTRODUÇÃO
  6. 6. INTRODUÇÃO • Legalismo é uma postura religiosa que privilegia o cumprimento de regras e normas como caminho para a obtenção de bênçãos divina, inclusive a salvação. • Dentre os perigos de uma religiosidade legalista está a ilusão de ser alguém superior aos outros pelo simples fato de obedecer rigidamente um determinado conjunto de ordenamentos religiosos. • Nesta lição, a partir de alguns exemplos bíblicos, vamos analisar os perigos e as consequências de uma fé genuína se tornar legalista.
  7. 7. I - O SURGIMENTO DO LEGALISMO NO ANTIGO TESTAMENTO
  8. 8. 1. Da institucionalização ao legalismo • Como estudamos na última aula, com o enorme crescimento do povo de Israel foi iniciado um processo de organização para controle e gestão pública (Êx 19.3- 6). • Todavia, rapidamente propagou-se a prática legalista, ou seja, em vez de uma adoração sincera por amor e obediência, uma adoração mecânica e vazia de intencionalidade (Nm 14.1-37). • Nem toda institucionalização causa legalismo, mas todo legalismo é destruidor em qualquer tipo de relacionamento, especialmente entre os adoradores e Deus.
  9. 9. 2. O legalismo como causa da tragédia na família de Eli • Exemplo bíblico da destruição familiar (Eli) pelo legalismo (1 Sm 2-4): • Os filhos de Eli não respeitavam as ofertas e espaços sagrados (1 Sm 2.12-17; 22-25); • Os filhos de Eli transportaram a arca da aliança para o meio do campo de batalhas para vencerem a guerra (4.3-5). Resultado foi o extermínio do povo, pois Deus não iria interferir por simples gestos mecânicos e interesseiros (1 Sm 4.3-22); • Eli, um sacerdote conivente com o comportamento reprovável dos filhos, precisou de intermediários para receber a mensagem de Deus: um profeta anônimo (1 Sm 2.27-36) e o adolescente Samuel (1 Sm 3.15-18).
  10. 10. 3. A denúncia do legalismo nos discursos dos profetas • O Antigo Testamento está repleto de discursos denunciando esta prática de uma religiosidade de fachada: • Isaías denuncia a hipocrisia religiosa daquele povo (Is 1.11-23). • Deus revela a Ezequiel a decadência espiritual do povo por meio de uma visão cheia de símbolos (Ez 8.1-18). • Amós denuncia a classe opressora ("vacas de Basã“) que procurava “maquear” a opressão sobre os pobres e oprimidos por meio de cerimônias religiosas de fachada (Am 5.21-23) • Religião que declara servir a Deus, mas é incapaz de servir ao próximo, é puro legalismo.
  11. 11. APLICAÇAO PRÁTICA O legalismo tem lugar em sua família? Você é um(a) verdadeiro(a) adorador(a) ou também vive de aparências?
  12. 12. PENSE O excesso de cuidado no conhecimento e cumprimento de determinadas normas e regras religiosas pode nos levar a esquecer qual deve ser a finalidade maior destas: auxiliar-nos a diariamente tornarmo-nos a imagem e semelhança do Pai.
  13. 13. PONTO IMPORTANTE Se sua fé tem se reduzido a mera observância de regras, de tal forma que sua relação com Deus já abandonou um caráter filial, por meio de seu amor integral e desinteressado ao Pai, e tem se tornado algo legal - onde você exige dEle as recompensas de sua suposta obediência - você tornou-se legalista.
  14. 14. II - A LUTA CONTRA O LEGALISMO NA IGREJA PRIMITIVA
  15. 15. 1. O legalismo como herança do farisaísmo na Igreja Primitiva • O cristianismo surgiu e foi fortemente influenciado pelo judaísmo. • Uma das influências foi a dos fariseus, que buscavam cumprir a lei com rigidez (Mt 23.23; Lc 18.12). • Nas viagens missionários e nas cartas de Paulo fica evidente a influência das práticas farisaicas entre os primeiros cristãos.
  16. 16. 2. A rejeição do legalismo entre os primeiros cristãos • A imposição dos cristãos judeus de costumes judaicos aos gentios, como a circuncisão, era uma prática comum na igreja primitiva. • Paulo defende a liberdade cristã, ou seja, a não imposição de costumes judaicos sobre os gentios no primeiro Concílio de Jerusalém (At 15). • Paulo, em vários momentos de seu ministério, denunciou a inutilidade do legalismo dos judaizantes (Gl 2.14-17; Fp 3.1-3; Cl 2.16-23; Tt 1.10-16). • Paulo apresenta a salvação exclusiva por meio da fé na obra vicária de Cristo em Rm 4 (NEVES, 2015)
  17. 17. 3. As distorções teológicas do legalismo • O legalismo cria sérios problemas doutrinários como condicionar a justificação por meio de sacrifícios e rituais, obediência a normas humanas e boas obras (Mt 15.1-9; Gl 5.1-6; Ef 2.8-10). • O legalista se acha no direito de julgar a espiritualidade dos outros (Tg 4.12). • Enquanto a orientação bíblica é que o cristão: • Não deve ser juíz de ninguém (Lc 6.37), pois o único juiz de Deus (Is 33.22; Jr 11.20); • Deve suportar os mais fracos (Rm 14.1-23). • O legalista busca cumprir um conjunto vazio de regras que para nada serve (Mc 7.7-9).
  18. 18. APLICAÇAO PRÁTICA Você se considera um legalista? Você tem o hábito de julgar as pessoas?
  19. 19. PENSE Você é um legalista? O legalista, arrogantemente, entende-se como alguém apto para julgar a espiritualidade dos outros.
  20. 20. PONTO IMPORTANTE Misericórdia para com os doentes espiritualmente não significa conivência com seus atos.
  21. 21. III - COMO SUPERAR O LEGALISMO
  22. 22. 1. Retornando a centralidade de Cristo em nossa fé. • Não existem amuletos mágicos (sal, copo com água, arca da aliança) ou rituais de invocação da divindade (sete vigílias, sete salmos, sete hinos de sangue). • O centro da fé cristã é Jesus (Cl 1.27). • O legalismo somente será superado com pregação e vida de acordo com o verdadeiro Evangelho: • Morte e ressurreição de Cristo = garantia de salvação (Rm 8.31-39). • O salvo vive para Cristo (Fp 1.21) e congrega para para aperfeiçoamento do "corpo" de Cristo (Ef 4.12,13); • Prática de boas obras para glorificar a Cristo (1 Pe 2.11,12). • Não devemos temer supostas maldições criadas por legalista como forma de opressão e controle.
  23. 23. 2. Amando mais as pessoas que a religião • Não tem como ser cristão simplesmente por ser cumpridor de regras e não amar as pessoas. Ver a parábola dos bom samaritano. • Jesus colocou o ser humano acima de regras religiosas (Jo 5.1-15; 8.1-11); • O cerne do cristianismo não é cumprir regras, mas amar a Deus, a si mesmo e as pessoas ao nosso redor; • Algumas religiões fazem guerra e matam pessoas, enquanto Jesus veio para dar a sua vida em abundância (Jo 10.17,18).
  24. 24. 3. Vivenciando a liberdade proporcionada pelo Espírito de Deus • A Bíblia é clara: onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade (2 Co 3.17). • Existem pessoas que congregam em nossas igrejas há anos e ainda não conhecem a verdade do Evangelho. • Pessoas que se justificam a si próprios pela quantidade do tempo de oração, de leitura bíblica, obediência aos costumes, mas vivem julgando as demais pessoas. • A liberdade proporcionada pelo Espírito de Deus conduz as pessoas a uma vida plena, com foco em Cristo e para o bem do corpo de Cristo.
  25. 25. APLICAÇAO PRÁTICA Você se utiliza de amuletos mágicos e rituais em sua adoração ou busca de compensação com Deus? Você tem colocado as práticas religiosas acima do valor do ser humano?
  26. 26. PENSE Adoração não é reprodução mecânica de palavras ou ações.
  27. 27. PONTO IMPORTANTE dio. Alguém por ignorância pode não gostar de nossa fé ou até mesmo de nós, todavia, nosso louvor a Deus nunca pode ser fonte de discriminação ou maldade.
  28. 28. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  29. 29. CONSIDERAÇÕES FINAIS Nesta lição nos aprendemos que: 1. O legalismo surge no AT por meio do chamado “povo de Deus”, que exigiam práticas que não haviam sido recomendadas por Deus. Os profetas denunciaram a prática religiosa de fachada. 2. No início da igreja primitiva o legalismo ainda imperava, mas o apóstolo Paulo foi um grande defensor da liberdade cristã. 3. O legalismo somente pode ser superado com a pregação cristocêntrica e uma vida de amor ao próximo, com base na liberdade cristã.
  30. 30. REFERÊNCIAS CABRAL, Elienai. Abraão: As experiências de nosso pai na fé. Rio de Janeiro: CPAD, 2002. COLSON, Charles & PEARCEY, Nancy. E Agora Como Viveremos? Rio de Janeiro: CPAD, 2000. DEVER, M. A Mensagem do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. KESSLER, Nemuel. Deus não desistiu de você. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. LIÇÕES BÍBLICAS JOVENS. XXXX. Comentarista: xxx . 4º Trim, Edição Professor, Rio de Janeiro, 2016. NEVES, Natalino das. Justiça e Graça: um estudo da doutrina da salvação na Epístola aos Romanos. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. PALMER, Michael D. (Ed.). Panorama do Pensamento Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2001. SILVA. E. R. Adoração sem limite: Um coração aos pés de Cristo. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. VINE, W. E.; UNGER, Merril F.; WHITE JR., William. Dicionário Vine. 7ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
  31. 31. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: www.facebook.com/natalino.neves Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 8409 8094 (TIM)

×