UNIVERSIDADE ESTADUAL DA BAHIA - CAMPUS XIV
Curso de Letras com Habilitação em Língua Inglesa

Simone da Silva Costa
Marci...
1. A QUE SE PROPÕE
Este trabalho vem relatar as experiências vividas no período de Estágio do
curso de Letras com habilita...
indivíduo se torna profissional. É, sobretudo, comprometendo-se profundamente
como construtor de uma práxis que o profissi...
liberassem para participar das atividades e assim os fizeram. A turma no primeiro dia
de aula foi composta por um número d...
4. PLANEJAMENTO

Na atividade docente o planejamento é uma atividade viva e contínua, uma
atividade constante permeada por...
5. LOCAL E COORDENAÇÃO

O Colégio Estadual Rubem Nogueira - CERN é o colégio mais antigo da
cidade, destaque não só pela s...
REFERÊNCIAS
BIANCHI, A. C. M., et al. Orientações para o Estágio em Licenciatura. São Paulo:
Pioneira Thomson Learning, 20...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Portfólio de estágio supervisionado

528 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
528
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Portfólio de estágio supervisionado

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DA BAHIA - CAMPUS XIV Curso de Letras com Habilitação em Língua Inglesa Simone da Silva Costa Marcia Oliveira O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE LETRAS COM INGLÊS: CONTRIBUIÇÕES DA MODALIDADE MINICURSO PARA A FORMAÇÃO DOCENTE Portfolio Acadêmico apresentado ao Núcleo de Atividades Integradas como Requisito paraaprovação na disciplina. Conceição Do Coité 2013
  2. 2. 1. A QUE SE PROPÕE Este trabalho vem relatar as experiências vividas no período de Estágio do curso de Letras com habilitação em Língua Inglesa, sob a orientação da Profa. Letícia Telis, que teve início em 2013.1 com a fase de observação de aulas e culminou com a realização de um minicurso em 2013.2, cujo tema foi Trabalhando as Quatro Habilidade Através da Ludicidade, oferecido para Simone Costa e Marcia Oliveira, realizado na Colégio Estadual Rubem Nogueira, localizada em Serrinha – Bahia, durante o período de 07 a 11 de outubro. 2. IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO O Estágio Supervisionado trabalha as habilidades profissionais do professor em sala de aula visando os aspectos práticos e teóricos que permitem a formação integral. Tendo em vista estes aspectos, o estudante tem a oportunidade de vivenciar situações reais de ensino no sistema público. Segundo Bianchi (2005) o Estágio Supervisionado é uma experimento em que o aluno mostra sua capacidade criadora, independência e atitude. Dentro desta experiência, o estudante também encontra-se diante de circunstancias que o mostrarão se o campo de atuação em que ele está inserido é realmente o que é aspirado para o crescimento de sua vida profissional e pessoal. A formação docente necessidade de atividades práticas para o desenvolvimento do professor e o Estágio Supervisionado é uma exigência da LDB – Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 9394/96 nos cursos de formação de docentes. A Estádio se configura como sendo o primeiro contato do professor em formação no campo de atuação e permite que este ele venha a ter experiência e conhecimento dos mecanismos que existem dentro de uma sala de aula. Um dos grandes desafios do aluno é lidar com o campo prático, aplicando seus conhecimentos teóricos e absorvendo conhecimentos de natureza real tanto em espaço e tempo. “Não é só frequentando um curso de graduação que um
  3. 3. indivíduo se torna profissional. É, sobretudo, comprometendo-se profundamente como construtor de uma práxis que o profissional se forma” (FÁVERO, 1992, p.65). O estágio é o meio pelo qual o aprendiz de professor encontrará desafios dentro da sua área de atuação que o levará a compreender determinados mecanismos como postura, abordagens, soluções e problemas, reflexões a respeito do si e de suas ações como professor, absorção de estratégias dentro de sala de aula, profissionalização, identificar novas variáveis e, por fim, vivenciar os conteúdos estudados ao longo de sua graduação. 3. OBSERVAÇÕES O estágio supervisionado vai muito além de um simples cumprimento de exigências acadêmicas. Ele é uma oportunidade de crescimento pessoal e profissional. Além de ser um importante instrumento de integração entre universidade, escola e comunidade (FILHO, 2010). Nesta concepção se prosseguiu a semana do minicurso revelando os mais diferenciados fatores, dentre eles o conhecimento prévio trazido para a sala de aula por estudantes de diferentes etnias, posição social e cultural, sendo que parte dos estudantes representavam diferentes regiões ao redor da cidade onde é sediada a instituição que abrigou as práticas do estágio supervisionado. Cada individuo apresentava determinada característica singular referente a sua personalidade ao longo de determinadas atividades, apresentando timidez ou completo envolvimento durante a realização de exercícios os quais os traziam para a frente da sala de aula. As atividades de speaking foram as que mais puderam manifestar os comportamentos em questão, apresentando diferentes graus de envolvimento entre os alunos. As aulas de estágio devem possuir uma razão que prenda a atenção dos indivíduos e que os façam querer estar presente às atividades propostas, principalmente se estes comporem uma classe de jovens adultos com idade entre 15/18 anos. Os estudantes foram convidados para participarem das aulas de estágios com antecedência de uma semana. Preencheram um documento de inscrição onde constavam dados para a comprovação de sua presença, porém, não todos se apresentaram às aulas no primeiro dia. Como solução, novos alunos foram convidados no primeiro dia de atividade. Foi proposto que os professores os
  4. 4. liberassem para participar das atividades e assim os fizeram. A turma no primeiro dia de aula foi composta por um número de alunos em torno de 20 indivíduos, faixa etária de 13/20 anos de idade, diferentes etnias e background sociais. Durante a primeira aula realizada, os alunos se mostraram bastante interessados, participaram das atividades propostas e permaneceram em sala de aula até o final da sessão. No segundo dia de aula, outros alunos foram convidados. Estes também compuseram uma classe heterogênica e com as mesmas características observadas no primeiro dia de atividade. Alunos novos criaram um ar desafiador, pois estes se envolviam e questionavam mais do que a turma do dia anterior. Todos os alunos participaram das atividades de forma ativa e estavam presentes até o fim da sessão. O terceiro dia de atividade, poucos alunos diferentes se apresentaram, o número de indivíduos giravam em torno de 10/11 pessoas e estes já eram alunos que se apresentaram nos dias de aula anterior. Os alunos já tinha expectativa do que trabalhariam e dos mecanismos que giravam em torno da proposta do mini curso. Portanto, o ritmo da aula seguiu um rumo tranquilo, os alunos que apresentaram timidez nos dias anteriores já se envolviam mais nas atividades, a ansiedade já não alta e poderia notar que o filtro afetivo dos alunos diminuiu ao longo da relação professor estagiário/aluno, onde o professor assume tanto postura rígida, quando necessário, quanto a postura amigável para que a relação abra espaço para melhor desempenho dos estudantes. Durante o quarto dia e último de aula, o número de estudantes passou do número esperado ao longo do desenvolvimento da aula, pois tanto alunos convidados quanto alunos movidos pela curiosidade pelas atividades, estiveram presentes e compuseram uma turma de, aproximadamente, 17 anos. As atividades foram realizadas e encerradas antes do tempo prévio, porém, ocorreram de forma pacífica e todos os alunos participaram, exceto alguns novos indivíduos que, por estarem se apresentando pela primeira vez, ainda estavam introvertidos e ansiosos em relação as atividades.
  5. 5. 4. PLANEJAMENTO Na atividade docente o planejamento é uma atividade viva e contínua, uma atividade constante permeada por um processo de subjetividades, uma vez que põe em questão ideias valores, crenças e projetos que alimentam a prática, a prática para atingir objetivos. Concordantemente, FONSECA & SILVA (1995) definem planejamento como: (...) pensar antes de agir, organizar a ação, adequar a meios e fins e valores, considerando-o como uma técnica, uma ferramenta para a ação. Ele é global, integrado, contínuo, realista, flexível, interdisciplinar e multiprofissional. Dessa forma o docente com planejamento prever ações e condições para fugir do improviso e da rotina e dar continuidade ao trabalho. É de suma importância saber que o planejamento não se inicia nem se esgota na tarefa de elaboração de planos, docentes estão sempre replanejando as suas práticas, e esta é uma compreensão fundamental para pensarmos no ato de educar como um todo. Conscientes desses princípios, o planejamento deste estágio procurou agir, intervir, e acima de tudo, ser flexível. Tendo como fator principal a ludicidade, procurou-se ter uma postura aberta à avaliação, ao replanejamento do percurso e a flexibilidade, características estas que devem ser inerentes a prática docente. A ludicidade foi o horizonte deste estágio, fundamentada pelo trabalho com as quatro habilidades do inglês. Como explicitado por GOH (2008) “cada habilidade possui caminhos diferentes para serem alcançados” ela destaca que para além da necessidade haverá naturalmente maior possibilidade de motivação ou outra habilidade. Muitos professores pensam que ensinar uma língua estrangeira significa apenas ensinar sua gramática e seu vocabulário, e consequentemente alguns acabam por se reduzir a atividades voltadas mais para a tradução e memorização, como afirma LIMA (2009). Portanto, a tarefa de planejar envolve além de saber o como fazer, deve se refletir também sobre estas práticas, os valores educativos como um todo e não apenas tecnicista, para que assim seja possível reverter, minizar ou maximizar as mais diversas situações que incessantemente se apresentam em sala de aula.
  6. 6. 5. LOCAL E COORDENAÇÃO O Colégio Estadual Rubem Nogueira - CERN é o colégio mais antigo da cidade, destaque não só pela sua história como pelo trabalhado executado pela escola, vencedora de alguns prêmios, recentemente recebeu o 13º Prêmio Escola Voluntária, da Fundação Itaú Social e Rádio Bandeirantes. A instituição atendeu prontamente o estágio, disponibilizando salas, solicitando lista de materiais que seriam utilizados, dando “carta-branca” para compra-los de acordo a necessidade e preferência. A preocupação burocrática de se fazer cumprir o cronograma da disciplina foi aos poucos sendo minimizada pelas ações da coordenação que nos trouxe mais acomodação e adaptação ao espaço, a sala de aula que nos foi disponibilizada como local do estágio. Isto revela o quanto o apoio da escola faz diferença na prática docente, assegurando ainda mais os projetos de ensino. HORA (2004) postula que: Através do mecanismo de ação coletiva é que efetivamente serão canalizados os esforços da comunidade escolar em direção à renovação da escola. (...) por meio dessa administração participativa, o corre a extinção do autoritarismo. A sala de aula contemplou os requisitos para a realização do minicurso, possuía os requisitos básicos de uma sala de aula, mas a escola disponibilizou outros materiais e o material armazenado na sala não foi empecilho.
  7. 7. REFERÊNCIAS BIANCHI, A. C. M., et al. Orientações para o Estágio em Licenciatura. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

×