J. HERCULANO PIRES "O metro que melhor mediu Kardec"

2.893 visualizações

Publicada em

Palestra espírita "J. Herculano Pires O metro que melhor mediu Kardec", elaborada por Jorge Luiz - Fortaleza - Ceará - Brasil.
email: jorge.grauca@gmail.com

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.893
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.590
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

J. HERCULANO PIRES "O metro que melhor mediu Kardec"

  1. 1. “O metro que melhor mediu Kardec”
  2. 2. DADOS BIOGRÁFICOS NASCIMENTO: 25/09/1914 LOCALIDADE: Avaré (SP) PAIS: José Pires Corrêa Bonina Amaral Simonetti Pires CASAMENTO: 11/12/1938 Mª Virgínia de Anhaia Ferraz FILHOS: 4 (Helena, Heloísa,Herculano e Helenilda)
  3. 3. “(...) com nove anos deidade (...) ele serevelou poeta. (...) omenino redigiu emversos decassílabos umsoneto, que é, aocontrário do que ovulgo pensa, a formapoética mais difícil deser dominada.(...)”(RIZZINI, Jorge in J. HerculanoPires “O Apóstolo de Kardec”
  4. 4. OCARÁTER “Herculano não teorizou sobre a Doutrina Espírita, ele a viveu”(PIRES, Heloisa, in Herculano Pires, O Homem no Mundo) CORAGEM SERENIDADE HUMILDADE TOLERÂNCIA SENSO DE HUMOR GENEROSIDADE
  5. 5. A INICIAÇÃO ESPÍRITA“E foi, então, numa fase de incerteza, quando eu já estava aceitando praticamente o materialismo, que me caiu nas mãos “O Livro dos Espíritos”. E nesse livro eu encontrei, realmente, aquilo que procurava.” (...) Tornei-me espírita pelo raciocínio. Isso ocorreu em 1936; eu tinha, então, 22 anos.” (RIZZINI, Jorge in J. Herculano Pires – “O Apóstolo de Kardec”
  6. 6. “Nunca houve, aliás, um diálogo comoeste. Jamais um homem se debruçou, com toda segurança do homem moderno, nas bordas do abismo do incognoscível, para interrogá-lo, ouvir as suas vozesmisteriosas, contradizê-lo, discutir com ele e afinal arrancar-lhe os mais íntimos segredos. E nunca, também, o abismo se mostrou tão dócil, e até mesmo desejosode se revelar ao homem em todos os seus aspectos.”(J. Herculano Pires – Introdução “O Livro dosEspíritos” – Edições LAKE
  7. 7. “O IRMÃO SAULO” “(...) Passei a fazer a crônica quando o (...), considerou inútil a coluna que aFederação mantinha e resolveu suprimi- la.” (...) Foi então que inventei opseudônimo coletivo de Irmão Saulo, em homenagem a Saulo de Tarso, (...)”.(RIZZINI, Jorge in J. Herculano Pires “O Apóstolo de Kardec”
  8. 8. A IMPRENSA ESPÍRITA “ÉCO DE ALÉM TÚMULO” (1869) CLUBE DOS JORNALISTAS ESPÍRITAS OS LIVROS DE RAMATIS OS ERROS DA FEB A EPIDEMIA DE FRAUDES A POLÍTICA DEFESA DA ESCOLA PÚBLICA A CULTURA ESPÍRITA 2º CONG. B. JORNALISTAS ESPÍRITAS EDITORA PAIDÉIA
  9. 9. O FIEL TRADUTOR DE KARDEC“(...) A razão dessas exigências é a seguinte: as obras doutrinárias, particularmente as de Kardec, são documentos da Doutrinas. São básicas. A mudança de uma palavra pode modificar o sentido original e dar-lhe a possibilidade de nova interpretação. Estamos lutando para repor Kardec em sua legitimidade, a mais absoluta.”(RIZZINI, Jorge in J. Herculano Pires “O Apóstolo de Kardec)
  10. 10. A HORA DOTESTEMUNHO “Ser fiel à Verdade, saber respeitá-la e fazer-sehumilde perante ela são as três pedras de tropeço do homem na Terra. Podemos conhecer a Verdade e proclamá-la, procurar vivê-la e comunicá-la aos outros, mas ter a coragem de sustentá-la nosmomentos de crise é quase um privilégio no mundo de vaidades e mentiras terrenas.” (J. Herculano Pires)(PIRES, J. Herculano, XAVIER, F. Cândido in Na Hora do Testemunho)
  11. 11. “O METRO DE KARDEC”ESPIRITISMO: OBRA DE EDUCAÇÃO “O Livro dos Espíritos é, pois, um manual de Educação Integraloferecido à Humanidade para a sua formação moral e espiritual na Escola da Terra.”(PIRES, J. Herculano in Pedagogia Espírita
  12. 12. “O METRO DE KARDEC” A PEDAGOGIA ESPÍRITA “Existe a Pedagogia Espírita na própria estrutura da Doutrina, masqualquer sistematização que fizermos não será “a”, mas “uma” Pedagogia Espírita, sujeita a revisões futuras.” (PIRES, J. Herculano in Pedagogia Espírita)
  13. 13. “O METRO DE KARDEC” O CENTRO ESPÍRITA“O Centro Espírita não é templo nem laboratório – é, para usarmos a expressão espírita de Victor Hugo: point d’optique do movimento doutrinário, ou seja, o seu ponto de convergência.” (PIRES, J. Herculano in O Centro Espírita)
  14. 14. “O METRO DE KARDEC” SER ESPÍRITA“(...) temos o ponto neutro é o que chamamos ESPÍRITA. Liberto, no ponto neutro, da poderosa reação da Terra, o espírita está emcondições de se elevar ao plano angélico. (...). Isso depende do grau de sua compreensãodoutrinária e da sua vontade real e profunda, que afeta toda a sua estrutura individual.” (PIRES, J. Herculano in O Centro Espírita)
  15. 15. “O METRO DE KARDEC” O TRÍPLICE ASPECTO “(...). O homem descrente exige a demonstraçãopositiva da existência da alma para reconstruir a sua unidade espiritual. A ciência espírita lheoferece essa demonstração; a filosofia examina e comprova a sua validade; a religião espírita a confirma na prática.” (PIRES, J. Herculano in Os 3 caminhos de Hécate)
  16. 16. “O METRO DE KARDEC”SÍNTESE DO CONHECIMENTO“O Espiritismo, como síntese de todo o progresso espiritual da Humanidade, repete, em seu desenvolvimento, o processo filogenético do conhecer.”(PIRES, J. Herculano in Introdução à Filosofia Espírita)
  17. 17. LEMBRANÇA DA ÚLTIMA ENCARNAÇÃO “Meu pai é a reencarnação de Alexandre Herculano. O pai certa vez comentou isso” (Heloisa Pires)
  18. 18. O REGRESSO À ESPIRITUALIDADE“Alguns acreditam que a morte súbita é perigosa.Kardec morreu assim, em pleno trabalho. Quando acriatura viveu bem a morte súbita é boa, é umalibertação imediata do espírito. Quando a criatura nãosoube viver a morte é sempre difícil.” (...) Dir-se-ia queHerculano Pires ao publica essa crônica no “Diário deSão Paulo” (edição de 07.10.1968) previra sua própriadesencarnação na noite de 09.03.1979.” (RIZZINI, Jorge in J. Herculano Pires “O Apóstolo de Kardec”)
  19. 19. “Família querida Vivendo contigo Dias felizes e amenos Na experiência do lar prossegue a vida Coragem e otimismo Não quero “pompas nem velas”Apenas a simplicidade do professor do interior em metrópole de céus e estrelas!...Sustente em apoio vibratório a casa!
  20. 20. “Ampare o livro da codificaçãoE eu, em espírito ou memória, ao lados dos amigos espirituais convosco sempre estarei, no apostolado depregar e servir a Doutrina dos Espíritos com o mestre de LionVirgínia querida esposa do que esposo que fui. Já não tem falar nem riso, nem seu poeta, mas que semblante triste o seu...
  21. 21. “...volte ao que era, como o tempo na casa velha, tudo é vida, das noites de rima, doutrina e cozinha, lar; amigos, não é confusão é nova sensação deviver, sentir que já não sou corpo, mas alma! Até que enfim, desculpe, Espírito de Verdade, amparado em novas lutas, aminha, a nossa luzinha, que ajudaste a construir, no momento adeus, menos choro e mais café!!
  22. 22. “Se há dificuldade de captar a escrita, imagine a de despertar aqui, para dizer aos daí: Sobrevivência d’alma! Muita Paz em Jesus.”(RIZZINI, Jorge in J. Herculano Pires “O Apóstolo de Kardec”

×