SlideShare uma empresa Scribd logo

Como não ferrar com a user experience - Campus Party 2012

Este documento fornece orientações sobre como projetar uma boa experiência do usuário (UX). Em três frases ou menos: O documento discute como projetar uma experiência do usuário (UX) que seja fluida e envolvente para o usuário, enfatizando a importância de testes com usuários, prototipação visual e iterativa, e focar nos objetivos e fluxos principais do produto. Também fornece conselhos sobre como envolver equipes multidisciplinares e manter um mindset focado no usuário.

1 de 89
Como não ferrar
com a user
experience
    Área Inovação | Desenvolvimento
    10/02/2012

    Juliana Gaiba
Agenda
• Apresentação
• O que é UX?
• UX: antes, agora e depois
• Nosso problema
• Um ponto de vista
Oi,
• Trabalho na “grande área de UX” há ~8 anos
• Sou formada em design, mas comecei trabalhando
com usabilidade
• Já fui agência, cliente e consultoria
• Continuo aprendendo
• E me apaixonando pelo que faço 
Cristina, 27 anos. Viciada no
                                               Antonio, 57 anos. Fica o dia
     Facebook. Apesar da
                                              todo comprando peças de bike
pãodurice, comprou um iPhone
                                              no eBay, pagando com Paypal
     e não desgruda dele.




                      Paola, 55 anos. Fã do Dance
                        Central, no Kinect. Adora
                              Katylene.com
Hoje eu trabalho na Telefonica | Vivo. Não, eu não sou
atendente de telemarketing.


A área de UX da TEF tem hoje 7 meses. E nosso desafio, claro, é
fazer coisas legais. Lançar produtos que as pessoas curtam.
E isso é difícil pra caramba.
Afinal,
o que é User
eXperience?

Recomendados

apresentação 21212 Aceleradora — Lean UX Workshop
apresentação 21212 Aceleradora — Lean UX Workshopapresentação 21212 Aceleradora — Lean UX Workshop
apresentação 21212 Aceleradora — Lean UX WorkshopPaulo Floriano
 
Empreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design SprintEmpreendedorismo UFMG - Design Sprint
Empreendedorismo UFMG - Design SprintAna Paula Batista
 
Lean Startup - Como Validar Ideias de Negocios
Lean Startup - Como Validar Ideias de NegociosLean Startup - Como Validar Ideias de Negocios
Lean Startup - Como Validar Ideias de NegociosUFPA
 
Palestra: Por que é importante fazer testes de usabilidade - e como começar já!
Palestra: Por que é importante fazer testes de usabilidade - e como começar já!Palestra: Por que é importante fazer testes de usabilidade - e como começar já!
Palestra: Por que é importante fazer testes de usabilidade - e como começar já!Elisa Volpato
 
UX: Desenhando soluções
UX: Desenhando soluçõesUX: Desenhando soluções
UX: Desenhando soluçõesLuiz Felipe Jr.
 
Como o Design pode mudar a estratégia e o desenvolvimento de produtos
Como o Design pode mudar a estratégia e o desenvolvimento de produtosComo o Design pode mudar a estratégia e o desenvolvimento de produtos
Como o Design pode mudar a estratégia e o desenvolvimento de produtosDEXCONF
 
Pesquisa de Guerrilha - Entendendo seu usuário com agilidade e baixo custo
Pesquisa de Guerrilha - Entendendo seu usuário com agilidade e baixo custoPesquisa de Guerrilha - Entendendo seu usuário com agilidade e baixo custo
Pesquisa de Guerrilha - Entendendo seu usuário com agilidade e baixo custoAna Paula Batista
 
Prototipagem e MVP para startups
Prototipagem e MVP para startupsPrototipagem e MVP para startups
Prototipagem e MVP para startupsJennifer Payne
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

interaction South America 2011 — Workshop
interaction South America 2011  — Workshopinteraction South America 2011  — Workshop
interaction South America 2011 — WorkshopPaulo Floriano
 
Launchpad Build-BH - Migrando para um mundo material
Launchpad Build-BH - Migrando para um mundo materialLaunchpad Build-BH - Migrando para um mundo material
Launchpad Build-BH - Migrando para um mundo materialAna Paula Batista
 
Startups + UX = ♥
Startups + UX = ♥Startups + UX = ♥
Startups + UX = ♥Neue Labs
 
Palestra: Pesquisa com Usuários para Startups
Palestra: Pesquisa com Usuários para StartupsPalestra: Pesquisa com Usuários para Startups
Palestra: Pesquisa com Usuários para StartupsElisa Volpato
 
Design Sprint: seu MLP em até 5 dias.
Design Sprint: seu MLP em até 5 dias.Design Sprint: seu MLP em até 5 dias.
Design Sprint: seu MLP em até 5 dias.Ana Paula Batista
 
LEAN UX - Campus Party 2014
LEAN UX - Campus Party 2014LEAN UX - Campus Party 2014
LEAN UX - Campus Party 2014Horácio Soares
 
A agência Nuve e o processo de projetos
A agência Nuve e o processo de projetosA agência Nuve e o processo de projetos
A agência Nuve e o processo de projetosAgência Nuve
 
Hackathon Inmetrics e Fiap: Construindo um MVP (Minimum Viable Product)
Hackathon Inmetrics e Fiap: Construindo um MVP (Minimum Viable Product)Hackathon Inmetrics e Fiap: Construindo um MVP (Minimum Viable Product)
Hackathon Inmetrics e Fiap: Construindo um MVP (Minimum Viable Product)inmetrics
 
Trabalho lpo steve jobs
Trabalho lpo steve jobsTrabalho lpo steve jobs
Trabalho lpo steve jobsAndre Costa
 
Palestra o que aprendi de ux para cpo
Palestra   o que aprendi de ux para cpoPalestra   o que aprendi de ux para cpo
Palestra o que aprendi de ux para cpoElisa Volpato
 
UX Design: desenvolver experiências positivas - #8 Industry Sessions by EDIT....
UX Design: desenvolver experiências positivas - #8 Industry Sessions by EDIT....UX Design: desenvolver experiências positivas - #8 Industry Sessions by EDIT....
UX Design: desenvolver experiências positivas - #8 Industry Sessions by EDIT....EDIT. - Disruptive Digital Education
 
De Arquiteto a Detetive da Informação
De Arquiteto a Detetive da InformaçãoDe Arquiteto a Detetive da Informação
De Arquiteto a Detetive da InformaçãoAna Paula Batista
 
Testes de usabilidade em protótipo - quando fazer e o que você descobre em ca...
Testes de usabilidade em protótipo - quando fazer e o que você descobre em ca...Testes de usabilidade em protótipo - quando fazer e o que você descobre em ca...
Testes de usabilidade em protótipo - quando fazer e o que você descobre em ca...Elisa Volpato
 
UX como estratégia para conquistar clientes e impactar negócios
UX como estratégia para conquistar clientes e impactar negóciosUX como estratégia para conquistar clientes e impactar negócios
UX como estratégia para conquistar clientes e impactar negóciosPriscilla Albuquerque
 
Palestra tdc negócios - bianca luttenschlager
Palestra tdc   negócios - bianca luttenschlagerPalestra tdc   negócios - bianca luttenschlager
Palestra tdc negócios - bianca luttenschlagerBianca Luttenschlager
 
Product Development - Founder Institute São Paulo
Product Development - Founder Institute São PauloProduct Development - Founder Institute São Paulo
Product Development - Founder Institute São PauloPaulo Floriano
 

Mais procurados (20)

interaction South America 2011 — Workshop
interaction South America 2011  — Workshopinteraction South America 2011  — Workshop
interaction South America 2011 — Workshop
 
UX para Startups
UX para StartupsUX para Startups
UX para Startups
 
Launchpad Build-BH - Migrando para um mundo material
Launchpad Build-BH - Migrando para um mundo materialLaunchpad Build-BH - Migrando para um mundo material
Launchpad Build-BH - Migrando para um mundo material
 
Startups + UX = ♥
Startups + UX = ♥Startups + UX = ♥
Startups + UX = ♥
 
Palestra: Pesquisa com Usuários para Startups
Palestra: Pesquisa com Usuários para StartupsPalestra: Pesquisa com Usuários para Startups
Palestra: Pesquisa com Usuários para Startups
 
Material Design
Material DesignMaterial Design
Material Design
 
Design Sprint: seu MLP em até 5 dias.
Design Sprint: seu MLP em até 5 dias.Design Sprint: seu MLP em até 5 dias.
Design Sprint: seu MLP em até 5 dias.
 
LEAN UX - Campus Party 2014
LEAN UX - Campus Party 2014LEAN UX - Campus Party 2014
LEAN UX - Campus Party 2014
 
Teste de usabilidade
Teste de usabilidadeTeste de usabilidade
Teste de usabilidade
 
A agência Nuve e o processo de projetos
A agência Nuve e o processo de projetosA agência Nuve e o processo de projetos
A agência Nuve e o processo de projetos
 
Hackathon Inmetrics e Fiap: Construindo um MVP (Minimum Viable Product)
Hackathon Inmetrics e Fiap: Construindo um MVP (Minimum Viable Product)Hackathon Inmetrics e Fiap: Construindo um MVP (Minimum Viable Product)
Hackathon Inmetrics e Fiap: Construindo um MVP (Minimum Viable Product)
 
Trabalho lpo steve jobs
Trabalho lpo steve jobsTrabalho lpo steve jobs
Trabalho lpo steve jobs
 
Palestra o que aprendi de ux para cpo
Palestra   o que aprendi de ux para cpoPalestra   o que aprendi de ux para cpo
Palestra o que aprendi de ux para cpo
 
UX Design: desenvolver experiências positivas - #8 Industry Sessions by EDIT....
UX Design: desenvolver experiências positivas - #8 Industry Sessions by EDIT....UX Design: desenvolver experiências positivas - #8 Industry Sessions by EDIT....
UX Design: desenvolver experiências positivas - #8 Industry Sessions by EDIT....
 
De Arquiteto a Detetive da Informação
De Arquiteto a Detetive da InformaçãoDe Arquiteto a Detetive da Informação
De Arquiteto a Detetive da Informação
 
Testes de usabilidade em protótipo - quando fazer e o que você descobre em ca...
Testes de usabilidade em protótipo - quando fazer e o que você descobre em ca...Testes de usabilidade em protótipo - quando fazer e o que você descobre em ca...
Testes de usabilidade em protótipo - quando fazer e o que você descobre em ca...
 
UX como estratégia para conquistar clientes e impactar negócios
UX como estratégia para conquistar clientes e impactar negóciosUX como estratégia para conquistar clientes e impactar negócios
UX como estratégia para conquistar clientes e impactar negócios
 
Palestra tdc negócios - bianca luttenschlager
Palestra tdc   negócios - bianca luttenschlagerPalestra tdc   negócios - bianca luttenschlager
Palestra tdc negócios - bianca luttenschlager
 
Product Development - Founder Institute São Paulo
Product Development - Founder Institute São PauloProduct Development - Founder Institute São Paulo
Product Development - Founder Institute São Paulo
 
Hack2B Startups - UX?
Hack2B Startups - UX?Hack2B Startups - UX?
Hack2B Startups - UX?
 

Destaque

Barucnet Sucesso Absoluto
Barucnet Sucesso AbsolutoBarucnet Sucesso Absoluto
Barucnet Sucesso AbsolutoCleia Sanches
 
SaúDe Da CriançA NutriçãO Infantil Aleitamento Materno E AlimentaçãO Comple...
SaúDe Da CriançA NutriçãO Infantil   Aleitamento Materno E AlimentaçãO Comple...SaúDe Da CriançA NutriçãO Infantil   Aleitamento Materno E AlimentaçãO Comple...
SaúDe Da CriançA NutriçãO Infantil Aleitamento Materno E AlimentaçãO Comple...Biblioteca Virtual
 
Polímeros (biodegradáveis, oxibiodegradáveis, biopolímeros e polímeros verdes)
Polímeros (biodegradáveis, oxibiodegradáveis, biopolímeros e polímeros verdes)Polímeros (biodegradáveis, oxibiodegradáveis, biopolímeros e polímeros verdes)
Polímeros (biodegradáveis, oxibiodegradáveis, biopolímeros e polímeros verdes)qsustentavel
 
Transacciones y seguridad
Transacciones y seguridadTransacciones y seguridad
Transacciones y seguridadLuis Jherry
 
Transacciones y seguridad
Transacciones y seguridadTransacciones y seguridad
Transacciones y seguridadLuis Jherry
 
Beyoncé - slide presentation
Beyoncé - slide presentationBeyoncé - slide presentation
Beyoncé - slide presentationThamys
 
32 ways to make your blog suck less
32 ways to make your blog suck less32 ways to make your blog suck less
32 ways to make your blog suck lessScott Hanselman
 

Destaque (8)

Barucnet Sucesso Absoluto
Barucnet Sucesso AbsolutoBarucnet Sucesso Absoluto
Barucnet Sucesso Absoluto
 
SaúDe Da CriançA NutriçãO Infantil Aleitamento Materno E AlimentaçãO Comple...
SaúDe Da CriançA NutriçãO Infantil   Aleitamento Materno E AlimentaçãO Comple...SaúDe Da CriançA NutriçãO Infantil   Aleitamento Materno E AlimentaçãO Comple...
SaúDe Da CriançA NutriçãO Infantil Aleitamento Materno E AlimentaçãO Comple...
 
Polímeros (biodegradáveis, oxibiodegradáveis, biopolímeros e polímeros verdes)
Polímeros (biodegradáveis, oxibiodegradáveis, biopolímeros e polímeros verdes)Polímeros (biodegradáveis, oxibiodegradáveis, biopolímeros e polímeros verdes)
Polímeros (biodegradáveis, oxibiodegradáveis, biopolímeros e polímeros verdes)
 
Transacciones y seguridad
Transacciones y seguridadTransacciones y seguridad
Transacciones y seguridad
 
Transacciones y seguridad
Transacciones y seguridadTransacciones y seguridad
Transacciones y seguridad
 
Beyoncé - slide presentation
Beyoncé - slide presentationBeyoncé - slide presentation
Beyoncé - slide presentation
 
Makers of the Web
Makers of the WebMakers of the Web
Makers of the Web
 
32 ways to make your blog suck less
32 ways to make your blog suck less32 ways to make your blog suck less
32 ways to make your blog suck less
 

Semelhante a Como não ferrar com a user experience - Campus Party 2012

Principles and best practices of Product Design
Principles and best practices of Product DesignPrinciples and best practices of Product Design
Principles and best practices of Product DesignProduct School
 
User Experience Boot Camp
User Experience Boot CampUser Experience Boot Camp
User Experience Boot CampUTFPR
 
Lean UX + Lean Startup = S2
Lean UX + Lean Startup = S2Lean UX + Lean Startup = S2
Lean UX + Lean Startup = S2Neue Labs
 
Meetup: Cultura de UX – Ladies That UX Florianópolis
Meetup: Cultura de UX – Ladies That UX FlorianópolisMeetup: Cultura de UX – Ladies That UX Florianópolis
Meetup: Cultura de UX – Ladies That UX FlorianópolisLadies That UX Florianópolis
 
Design thinking - Prototipando melhores experiências web
Design thinking - Prototipando melhores experiências webDesign thinking - Prototipando melhores experiências web
Design thinking - Prototipando melhores experiências webLuanna Eroles
 
Oficina de Teste de Usabilidade
Oficina de Teste de UsabilidadeOficina de Teste de Usabilidade
Oficina de Teste de UsabilidadeUTFPR
 
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.Jane Vita
 
UX para desenvolvedores - Procempa 2016
UX para desenvolvedores - Procempa 2016UX para desenvolvedores - Procempa 2016
UX para desenvolvedores - Procempa 2016Samantha Rosa
 
Prototipagem em Papel - Oficina
Prototipagem em Papel - OficinaPrototipagem em Papel - Oficina
Prototipagem em Papel - OficinaLtia Unesp
 
Introdução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para Android
Introdução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para AndroidIntrodução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para Android
Introdução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para AndroidNelson Vasconcelos
 
Experiência do Usuário e Jornada do Usuário
Experiência do Usuário e Jornada do Usuário Experiência do Usuário e Jornada do Usuário
Experiência do Usuário e Jornada do Usuário Raiana Comiran
 
UI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design Sprint
UI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design SprintUI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design Sprint
UI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design SprintUI Lab
 
Google Design Sprint
Google Design SprintGoogle Design Sprint
Google Design SprintPedro Prá
 
Transformational Design Thinking - Aula 9
Transformational Design Thinking - Aula 9Transformational Design Thinking - Aula 9
Transformational Design Thinking - Aula 9Lu Terceiro
 
Design Centrado no Usuário
Design Centrado no UsuárioDesign Centrado no Usuário
Design Centrado no UsuárioDavi Busanello
 
Modelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MG
Modelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MGModelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MG
Modelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MGNeubio Ferreira
 

Semelhante a Como não ferrar com a user experience - Campus Party 2012 (20)

Principles and best practices of Product Design
Principles and best practices of Product DesignPrinciples and best practices of Product Design
Principles and best practices of Product Design
 
User Experience Boot Camp
User Experience Boot CampUser Experience Boot Camp
User Experience Boot Camp
 
Lean UX + Lean Startup = S2
Lean UX + Lean Startup = S2Lean UX + Lean Startup = S2
Lean UX + Lean Startup = S2
 
Meetup: Cultura de UX – Ladies That UX Florianópolis
Meetup: Cultura de UX – Ladies That UX FlorianópolisMeetup: Cultura de UX – Ladies That UX Florianópolis
Meetup: Cultura de UX – Ladies That UX Florianópolis
 
Design thinking - Prototipando melhores experiências web
Design thinking - Prototipando melhores experiências webDesign thinking - Prototipando melhores experiências web
Design thinking - Prototipando melhores experiências web
 
Oficina de Teste de Usabilidade
Oficina de Teste de UsabilidadeOficina de Teste de Usabilidade
Oficina de Teste de Usabilidade
 
O que é user experience
O que é user experienceO que é user experience
O que é user experience
 
UX Dos and Dont's
UX  Dos and Dont's UX  Dos and Dont's
UX Dos and Dont's
 
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
 
UX para desenvolvedores - Procempa 2016
UX para desenvolvedores - Procempa 2016UX para desenvolvedores - Procempa 2016
UX para desenvolvedores - Procempa 2016
 
Prototipagem em Papel - Oficina
Prototipagem em Papel - OficinaPrototipagem em Papel - Oficina
Prototipagem em Papel - Oficina
 
Introdução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para Android
Introdução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para AndroidIntrodução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para Android
Introdução ao Design Sprint - Hackaprothon Aplicativos Cívicos para Android
 
Experiência do Usuário e Jornada do Usuário
Experiência do Usuário e Jornada do Usuário Experiência do Usuário e Jornada do Usuário
Experiência do Usuário e Jornada do Usuário
 
UI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design Sprint
UI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design SprintUI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design Sprint
UI Lab Experience - Como Utilizar a Metodologia Google Design Sprint
 
Teste de usabilidade
Teste de usabilidadeTeste de usabilidade
Teste de usabilidade
 
Google Design Sprint
Google Design SprintGoogle Design Sprint
Google Design Sprint
 
Agile User Experience
Agile User ExperienceAgile User Experience
Agile User Experience
 
Transformational Design Thinking - Aula 9
Transformational Design Thinking - Aula 9Transformational Design Thinking - Aula 9
Transformational Design Thinking - Aula 9
 
Design Centrado no Usuário
Design Centrado no UsuárioDesign Centrado no Usuário
Design Centrado no Usuário
 
Modelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MG
Modelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MGModelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MG
Modelagem Ágil - UaiJug TechDays 2013 - Uberlândia MG
 

Último

MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024DL assessoria 26
 
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...assessoria dl 10
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024Assessoria DL s2
 
01) Descreva como a profissional deve proceder para garantir o respeito aos p...
01) Descreva como a profissional deve proceder para garantir o respeito aos p...01) Descreva como a profissional deve proceder para garantir o respeito aos p...
01) Descreva como a profissional deve proceder para garantir o respeito aos p...Prime Assessoria
 
Em um protocolo de avaliação física, a avaliação da composição corporal é fun...
Em um protocolo de avaliação física, a avaliação da composição corporal é fun...Em um protocolo de avaliação física, a avaliação da composição corporal é fun...
Em um protocolo de avaliação física, a avaliação da composição corporal é fun...assessoria dl 10
 
Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...
Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...
Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...DassessoriaAa
 
MAPA - IFPC - PERÍCIA TOXICOLÓGICA - 51/2024
MAPA - IFPC - PERÍCIA TOXICOLÓGICA - 51/2024MAPA - IFPC - PERÍCIA TOXICOLÓGICA - 51/2024
MAPA - IFPC - PERÍCIA TOXICOLÓGICA - 51/2024DL assessoria 30
 
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...DL assessoria 31
 
CurriculoPortifolio.pptx - meu curriculo com trabalhos realizados
CurriculoPortifolio.pptx -  meu curriculo com trabalhos realizadosCurriculoPortifolio.pptx -  meu curriculo com trabalhos realizados
CurriculoPortifolio.pptx - meu curriculo com trabalhos realizadosfeyre79
 
Leia um trecho da reportagem sobre o coronavírus, publicada no site do Instit...
Leia um trecho da reportagem sobre o coronavírus, publicada no site do Instit...Leia um trecho da reportagem sobre o coronavírus, publicada no site do Instit...
Leia um trecho da reportagem sobre o coronavírus, publicada no site do Instit...DL assessoria 29
 
ATIVIDADE 1 - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024ATIVIDADE 1 - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024DL assessoria 27
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - MUSCULAÇÃO E EXERCÍCIOS RESISTIDOS - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - MUSCULAÇÃO E EXERCÍCIOS RESISTIDOS - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - MUSCULAÇÃO E EXERCÍCIOS RESISTIDOS - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - MUSCULAÇÃO E EXERCÍCIOS RESISTIDOS - 51/2024dl assessoria
 
Análise de Cadeia de Suprimentos - Estudo de Caso O objetivo desta atividade ...
Análise de Cadeia de Suprimentos - Estudo de Caso O objetivo desta atividade ...Análise de Cadeia de Suprimentos - Estudo de Caso O objetivo desta atividade ...
Análise de Cadeia de Suprimentos - Estudo de Caso O objetivo desta atividade ...DL assessoria 29
 
Uma organização de grande porte, fabricante de autopeças, apresenta um Sistem...
Uma organização de grande porte, fabricante de autopeças, apresenta um Sistem...Uma organização de grande porte, fabricante de autopeças, apresenta um Sistem...
Uma organização de grande porte, fabricante de autopeças, apresenta um Sistem...DL assessoria 29
 
MAPA - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024
MAPA - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024MAPA - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024
MAPA - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024dl assessoria
 
MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024
MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024
MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024DL assessoria 26
 
Quero que você LEIA atentamente a situação abaixo: LHT, sexo masculino, 33 an...
Quero que você LEIA atentamente a situação abaixo: LHT, sexo masculino, 33 an...Quero que você LEIA atentamente a situação abaixo: LHT, sexo masculino, 33 an...
Quero que você LEIA atentamente a situação abaixo: LHT, sexo masculino, 33 an...Dl assessoria 20
 
CONTEXTUALIZAÇÃO A química analítica desempenha um papel crucial nos campos d...
CONTEXTUALIZAÇÃO A química analítica desempenha um papel crucial nos campos d...CONTEXTUALIZAÇÃO A química analítica desempenha um papel crucial nos campos d...
CONTEXTUALIZAÇÃO A química analítica desempenha um papel crucial nos campos d...dl assessoria9
 
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024AaAssessoriadll
 
Não percam tempo. Teste para verificar.pdf
Não percam tempo. Teste para verificar.pdfNão percam tempo. Teste para verificar.pdf
Não percam tempo. Teste para verificar.pdfsmaria01964
 

Último (20)

MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
 
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
Quando submetemos um indivíduo a um programa de exercícios resistidos, a depe...
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
01) Descreva como a profissional deve proceder para garantir o respeito aos p...
01) Descreva como a profissional deve proceder para garantir o respeito aos p...01) Descreva como a profissional deve proceder para garantir o respeito aos p...
01) Descreva como a profissional deve proceder para garantir o respeito aos p...
 
Em um protocolo de avaliação física, a avaliação da composição corporal é fun...
Em um protocolo de avaliação física, a avaliação da composição corporal é fun...Em um protocolo de avaliação física, a avaliação da composição corporal é fun...
Em um protocolo de avaliação física, a avaliação da composição corporal é fun...
 
Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...
Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...
Seu aluno de personal trainer chegou até você e solicitou que prescrevesse um...
 
MAPA - IFPC - PERÍCIA TOXICOLÓGICA - 51/2024
MAPA - IFPC - PERÍCIA TOXICOLÓGICA - 51/2024MAPA - IFPC - PERÍCIA TOXICOLÓGICA - 51/2024
MAPA - IFPC - PERÍCIA TOXICOLÓGICA - 51/2024
 
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
Entender e compreender as teorias que embasaram e ainda embasam as tendências...
 
CurriculoPortifolio.pptx - meu curriculo com trabalhos realizados
CurriculoPortifolio.pptx -  meu curriculo com trabalhos realizadosCurriculoPortifolio.pptx -  meu curriculo com trabalhos realizados
CurriculoPortifolio.pptx - meu curriculo com trabalhos realizados
 
Leia um trecho da reportagem sobre o coronavírus, publicada no site do Instit...
Leia um trecho da reportagem sobre o coronavírus, publicada no site do Instit...Leia um trecho da reportagem sobre o coronavírus, publicada no site do Instit...
Leia um trecho da reportagem sobre o coronavírus, publicada no site do Instit...
 
ATIVIDADE 1 - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024ATIVIDADE 1 - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - MUSCULAÇÃO E EXERCÍCIOS RESISTIDOS - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - MUSCULAÇÃO E EXERCÍCIOS RESISTIDOS - 51/2024ATIVIDADE 1 - BEDU - MUSCULAÇÃO E EXERCÍCIOS RESISTIDOS - 51/2024
ATIVIDADE 1 - BEDU - MUSCULAÇÃO E EXERCÍCIOS RESISTIDOS - 51/2024
 
Análise de Cadeia de Suprimentos - Estudo de Caso O objetivo desta atividade ...
Análise de Cadeia de Suprimentos - Estudo de Caso O objetivo desta atividade ...Análise de Cadeia de Suprimentos - Estudo de Caso O objetivo desta atividade ...
Análise de Cadeia de Suprimentos - Estudo de Caso O objetivo desta atividade ...
 
Uma organização de grande porte, fabricante de autopeças, apresenta um Sistem...
Uma organização de grande porte, fabricante de autopeças, apresenta um Sistem...Uma organização de grande porte, fabricante de autopeças, apresenta um Sistem...
Uma organização de grande porte, fabricante de autopeças, apresenta um Sistem...
 
MAPA - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024
MAPA - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024MAPA - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024
MAPA - TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024
 
MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024
MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024
MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024MAPA - ADM - CIÊNCIAS SOCIAIS- 51/2024
 
Quero que você LEIA atentamente a situação abaixo: LHT, sexo masculino, 33 an...
Quero que você LEIA atentamente a situação abaixo: LHT, sexo masculino, 33 an...Quero que você LEIA atentamente a situação abaixo: LHT, sexo masculino, 33 an...
Quero que você LEIA atentamente a situação abaixo: LHT, sexo masculino, 33 an...
 
CONTEXTUALIZAÇÃO A química analítica desempenha um papel crucial nos campos d...
CONTEXTUALIZAÇÃO A química analítica desempenha um papel crucial nos campos d...CONTEXTUALIZAÇÃO A química analítica desempenha um papel crucial nos campos d...
CONTEXTUALIZAÇÃO A química analítica desempenha um papel crucial nos campos d...
 
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
MAPA - ENF - FUNDAMENTOS BÁSICOS DA PRÁTICA ASSISTENCIAL - 51/2024
 
Não percam tempo. Teste para verificar.pdf
Não percam tempo. Teste para verificar.pdfNão percam tempo. Teste para verificar.pdf
Não percam tempo. Teste para verificar.pdf
 

Como não ferrar com a user experience - Campus Party 2012

  • 1. Como não ferrar com a user experience Área Inovação | Desenvolvimento 10/02/2012 Juliana Gaiba
  • 2. Agenda • Apresentação • O que é UX? • UX: antes, agora e depois • Nosso problema • Um ponto de vista
  • 3. Oi, • Trabalho na “grande área de UX” há ~8 anos • Sou formada em design, mas comecei trabalhando com usabilidade • Já fui agência, cliente e consultoria • Continuo aprendendo • E me apaixonando pelo que faço 
  • 4. Cristina, 27 anos. Viciada no Antonio, 57 anos. Fica o dia Facebook. Apesar da todo comprando peças de bike pãodurice, comprou um iPhone no eBay, pagando com Paypal e não desgruda dele. Paola, 55 anos. Fã do Dance Central, no Kinect. Adora Katylene.com
  • 5. Hoje eu trabalho na Telefonica | Vivo. Não, eu não sou atendente de telemarketing. A área de UX da TEF tem hoje 7 meses. E nosso desafio, claro, é fazer coisas legais. Lançar produtos que as pessoas curtam. E isso é difícil pra caramba.
  • 6. Afinal, o que é User eXperience?
  • 19. Como a área era no “passado”...
  • 20. aço wireframe, aplico teste de usabilidade, crio matriz de conteúdo, faço vocabulário controlado, modero card sorting, monto protótipo em papel, crio animações no power point, arraso nos painéis dinâmicos do axure
  • 22. Amadurece ndo • Antes, eramos todos iguais e tentávamos fazer tudo. • Como qualquer coisa que é muito nova, estamos amadurecendo, nos profissionalizando e especializando – apesar da área naturalmente generalista. • De uma forma bem simplista, hoje posso falar que os meus colegas de profissão se dividiram em “categorias”.
  • 27. Desgarrados da UX.br • Visual Designer: geralmente está na equipe de criação, na agência. É difícil encontrar nas consultorias. • Redator: apesar de importante, nunca é exclusivo para UX. Geralmente fica na publicidade. • Prototyper: cria as animações e transições. Bem raro. http://www.userfocus.co.uk/articles/how-to-design-like-Leonardo-da-Vinci.html
  • 28. Somos multidisciplinares http://www.slideshare.net/upasaopaulo/perfil-do-profissional-de-ux-no-brasil
  • 29. E continuamos “tudistas” http://www.slideshare.net/upasaopaulo/perfil-do-profissional-de-ux-no-brasil
  • 31. Como o trabalho era no “passado”...
  • 32. Arquiteto - Aprovou o escopo e o conteúdo com o cliente. - Definiu a estrutura. - Aprovou a estrutura com o cliente.
  • 33. Criação - O cliente achou a primeira proposta careta e pediu uma coisa mais diferente e ousada. - Entre 21 idas e vindas, chegaram nessa versão. O wireframe caiu no esquecimento.
  • 34. Desenvolvi- mento - Implementou o que deu pra fazer. -O prazo estourou e tiveram 1 semana pra desenvolver tudo. - A navegação mudou, não deu tempo de seguir. - Wireframe? Tinha isso?! - Não vai dar tempo de fazer essas animações todas no código, vamos botar um flash. - Vai demorar uns 68 segundos pra abrir o site, beleza? - Ninguém teve tempo de testar.
  • 36. A maioria dos lugares (agência, cliente e continua consultoria) assim
  • 37. Ainda “compartimentamos” a criação Putz, a equipe de UX tá lotada. Precisamos arranjar um fornecedor de wireframes.
  • 40. Nossa área amadurece, mas seguimos a mesma estrutura de trabalho de antes
  • 41. Apesar disso, as coisas que gostamos de usar evoluem
  • 43. Há alguns anos as coisas não são mais tela a tela
  • 44. Nem acontecem numa tela só
  • 48. Tenha os objetivos claros. Antes de começar a pensar na tela: Conheça as necessidades do seu usuário, mesmo que seja pesquisando mais sobre ele no Google. Conheça a sua concorrência! Tente elaborar um modelo de negócios “express”, é um excelente exercício. Saiba quais são as possibilidades técnicas da(s) plataforma(s) que você está projetando.
  • 49. Identifique o que deve ser incrível. E seja incrível nisso. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes: todos devem contribuir.
  • 50. a b c Timeline Timeline Timeline Facebook Gowalla Path
  • 54. Edite. Corte. Diminua. Valide. Faça planos de lançamento. Foque no que realmente importa. Pareto is king.
  • 56. Seja visual. Exemplifique. Pesquise um painel de referências. Participe do processo de criação como um todo. Comunique-se visualmente: nada pior que tentar explicar uma imagem com mil palavras. Use referências, contribua.
  • 57. Seja ainda mais visual. Pesquise! Não se limite ao seu “nicho”. Dificilmente dá pra contar com um motion designer. Leve contribuições de animações e transições de tela: esses também são elementos chave da experiência, principalmente mobile.
  • 58. Tente não comprometer seu tempo com documentações complexas. Sabe aquele documento complicado, cheio de detalhes e legendas? Pois é, (quase) ninguém vai ler aquilo. E, mesmo se ler, não vai sair exatamente o que você quer. Gaste seu tempo orientando e validando.
  • 59. Desenhe, desenhe, desenhe, desenhe. Antes de partir para o wireframe, desenhe com o time todo. Junte ideias, referências, tudo o que puder. Exemplifique!
  • 60. Experimente. Tem algum serviço novo? Cadastre-se. Baixe todos os aplicativos de graça – e os pagos, se forem muito legais. Use o celular velho da sua vó.
  • 62. Teste (menos com a sua mãe, que é coruja). Testar nem sempre é complicado e caro. Nielsen já dizia: com 5 usuários dá pra produzir bons resultados. Aliando isso a índices como Net Promoted Score, sua análise fica ainda mais rica.
  • 64. Você está disputando por tempo. Seja obssessivo com velocidade.
  • 65. A interação deve fluir, sem engasgos. Faça com que o usuário percorra fluxos de maneira fluida e a experiência trará felicidade.
  • 66. Mire algo viciante, como um jogo Ok, gamification é buzzword, mas de site de banco a fazendinha, sua interface tem que “prender” o usuário e dar a experiência que ele precisa: lúdica ou informativa.
  • 67. Sempre reduza o esforço Se pergunte: o que o usuário vai ganhar em troca? Vale a pena?
  • 68. Pense no modelo mental Nem sempre o usuário vai navegar usando a forma mais lógica. http://www.cred.columbia.edu/guide/images/illo_mental_model.gif
  • 70. Acostume-se: você vai ser o chato. Mas nunca o c*ga- regra. Você vai colaborar com o trabalho dos outros.
  • 71. A primeira solução nunca é a melhor solução. Seja incansável. Respire o seu produto.
  • 72. A inspiração pode vir de uma calculadora Acredite.
  • 73. Envolva o desenvolvedor. Ele é geek e cheio de referências. Tenha um advogado ao seu lado, não um crítico.
  • 75. Briefing UX: AI / DI Criação Desenvolvimento Look and Briefing Conteúdo feel Implementação Uxs + Devs + Usuários
  • 78. O que é? • Um método para detectar problemas na interação do usuário com um produto
  • 79. Como é? • Barato • Rápido • Fácil • Eficiente
  • 80. Preparar • Escolha 5 pessoas que não tem nada a ver com o seu produto. Considere: • Nível de experiência (heavy, light ou ambos) • Pense no tipo de público que usa o seu produto • Elabore um roteiro de tarefas com os pontos que você quer explorar • O enunciado não pode induzir • O teste não pode ser longo demais • Tente inserir tarefas em um contexto: “Você quer pagar essa conta. Como faria pra ter uma cópia dela em papel?”
  • 81. Preparar • Use uma métrica de satisfação (como “dado bônus”) Sugestão: net promoter score
  • 82. Organizar • Escolha um local tranquilo (uma sala de reunião, a área do café) • De preferência o usuário deve utilizar seu próprio computador ou celular (a não ser em caso de protótipos) • Evite muitas pessoas no local, pode inibir • Use alguma coisa pra gravar o que o usuário diz. O trial do Morae dura 30 dias, experimente • Imprima o seu roteiro e o use pra tomar notas • Faça um “pré-teste”
  • 83. Moderar • Seja neutro, não diga que é seu produto • Deixe claro que a única coisa que está sendo testada é a interface • Explique que você vai passar tarefas e que o objetivo é demonstrar como o participante faria, simulando uma situação real • Peça para o participante “pensar em voz alta” • Peça para sinalizar quando finalizou a tarefa ou quando desiste • Não ensine como fazer (só no final da sessão) • Não colocar respostas na boca do usuário: “Foi difícil, né?”
  • 85. Observar • Caminho que o usuário percorre para realizar tarefas • Tempo de execução • Reclamações (espontâneas ou expressões faciais) • Avaliação final e exploração de pontos que não ficaram claros durante a execução das tarefas
  • 87. Analisar • Tabular os dados, mas informalmente • Definir pontos de melhora • Repetir a dose depois que aplicar as melhorias

Notas do Editor

  1. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  2. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  3. Sim, o meu pai, que mal ligava o computador há 1 ano, hoje compra no Ebay. Em inglês. E paga com Paypal.A minha mãe lê Katylene, usa o Facebook e adora ver videos no Youtube.E a minha irmã, que é uma das pessoas mais pão duras que eu conheço, gastou seu suado dinheirinho num iPhone e hoje não desgruda dele.
  4. DISCLAIMEREssa apresentação leva em conta a experiência que tenho na área de UX. Nada aqui está escrito em pedraSe você discorda, a ideia é essa mesmo: promover o debateNão, eu juro que não vai ser polêmica
  5. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  6. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  7. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  8. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  9. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  10. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  11. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  12. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  13. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  14. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  15. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  16. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  17. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  18. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  19. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  20. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  21. Jonathan Ive
  22. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  23. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  24. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  25. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  26. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  27. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  28. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  29. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  30. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  31. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  32. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  33. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  34. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  35. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  36. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  37. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  38. Identifique a tela principal –acredite, na maioria das vezes não é a home. Ela tem que ser melhor do que todos os seus concorrentes. Tente envolver a equipe toda nesse processo: desenvolvedores, stakeholders, gerentes. Todos devem contribuir.
  39. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.
  40. Comecei meio que por acaso: estava fazendo design, fiz uma iniciação científica que envolvia ergonomia e design de informação –mais especificamente, sinalização de ambientes publicos. Aí, um amigo da faculdade comentou que uma consultoria precisava de alguém pra diagramar uns relatórios. Fui lá conhecer. E assim comecei a trabalhar na Try, quando a empresa era bem pequena e quase ninguém falava de usabilidade no Brasil.Depois, virei arquiteta de informação. Já trabalhei em agência, já trabalhei em portal, já trabalhei em instituto de tecnologia, já trabalhei em fabricante de celular. Acho que já vi bastante coisa por aí, e tenho ficado cada vez mais maravilhada com as possibilidades do nosso trabalho.