Reabilitação Urbana na região da Estação da Luz

2.419 visualizações

Publicada em

Apresentação desenvolvida para participação do Concurso Opera Prima 2011.
Trabalho Final de Graduação
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Universidade de São Paulo
orientador: Prof. Artur Simões Rozestraten

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.419
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
121
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reabilitação Urbana na região da Estação da Luz

  1. 1. 1/4 A área central de uma cidade abrange um bairro ou um conjunto de bairros 15/março “Você está tirando essas fotos por causa das desapropriações?” consolidados marcados por possuírem uma infra-estrutura urbana rica Bologna - Itália “Em uma primeira visita realizada no dia 15 de março para re-conhecer o centro de São Paulo, caminhei pela Avenida Ipiranga até alcançar a Ave- e já bem estabelecida, serviços e equipamentos públicos, nida Cásper Líbero. Dali, segui caminhando em direção à Estação da Luz quando um edifício muito degradado me chamou a atenção. O edifício art-dèco muitas oportunidades de trabalho e grande potencial habi- de três andares, ainda exibe um resto de pintura verde, mas apresenta grandes áreas de alvenaria exposta e muitas pichações. (...) Parei para prestar atenção tacional já que é geralmente uma região densamente edificada. Soma-se a isso o no entorno dessa construção e percebi que estava em um local bastante agradável. A larga avenida associada ao baixo gabarito da maioria das edificações seu importante caráter cultural e turístico por ser o local onde a cidade co- dá uma amplitude que possibilita a melhor visualização do conjunto da rua expondo uma rica diversidade arquitetônica e de usos dos edifícios. meçou e, portanto onde se concentra a grande maioria do seu patrimônio histórico edi- Fiz um levantamento dos usos de cada edifício, mas sem dúvida, o mais interessante foi o contato com a população do local. Durante a visita fui ficado. Apesar de todas essas características é muito comum nas grandes cidades um abordada com a seguinte questão: “Você está tirando essas fotos por causa das desapropriações?”. O Sr. Estênio Geraldo dos Santos, morador desde 1989 movimento de abandono dessas áreas devido à formação de novos centros que atraem desse quarteirão achou que eu era funcionária da Prefeitura e queria saber se ele corria risco de ser desapropriado. (...) Observei o seu edifício e constatei o interesse tanto dos investimentos quanto da própria população. E isso se aplica à que ele está em boas condições e plenamente utilizado, composto por atividades comerciais no térreo e 9 andares de uso residencial, o que me fez acreditar cidade de São Paulo. A partir da década de 1950 tem início o declínio da região central que não existem motivos para uma desapropriação. (...) Para ele, essa região da Cásper Líbero não é perigosa, pois ali moram muitas famílias e, apesar de paulistana que só se intensificou nos anos seguintes até que, no final da década de 80 todo o comércio fechar no fim da tarde, os bares ficam abertos até a meia-noite mantendo o movimento da rua. Assim, ele não se preocupa em deixar os e principalmente no início dos anos 90, as idéias sobre o centro da cidade começaram seus 3 filhos passearam a noite na sua rua. Sem saber, esse morador se referia a algumas das reflexões de Jane Jacobs : “devem existir olhos para a rua, os a se modificar dando início à elaboração de planos para a reabilitação dessa área. olhos daqueles que podemos chamar de proprietários naturais da rua. Os edifícios de uma rua preparada para receber estranhos e garantir a segurança tanto deles A partir de então, muito foi desenvolvido para melhorar o centro de São Paulo, quanto dos moradores devem estar voltados para a rua. (...) O requisito básico da vigilância é um número substancial de estabelecimentos e outros locais públicos dis- unindo esforços municipais, estaduais, federais e da população da cidade. O retorno da postos ao longo das calçadas dos distritos; deve haver entre eles, sobretudo estabelecimentos e espaços públicos que sejam utilizados de noite.” (JACOBS,1961, p.35)” preocupação com o centro da cidade pode ser conferido em um trecho da Declaração de São Paulo, escrita em 1989 na capital paulista, que diz o seguinte: “Que populações Madrid - Espanha marginalizadas, ocupantes dos centros históricos urbanos de todas as nações, devem poder 26/abril “Fala pro Kassab que não é pra destruir a cidade toda não, hein!” alcançar melhoria real na qualidade de vida de seu cotidiano, através de projetos de restaura- “A partir da visita anterior, decidi explorar as ruas dentro do perímetro do Programa Nova Luz. Segui pela Rua General Couto de Magalhães e ção e reciclagem que considerem, também, sistemas habitacionais de padrão condizente com encontrei uma situação chocante. Dois quarteirões inteiros demolidos onde restou apenas um edifício muito estreito, que é tombado. Para completar essa a dignidade e cidadania das populações.” (1989, p.2) cena, de vez em quando um guardador de carros gritava: “Fala pro Kassab que não é pra destruir a cidade toda não, hein!”. O que restou dessa rua é com- Principais vias de acesso da região central de São Paulo. É também importante reabilitar e atrair os interesses de volta ao centro das ci- posto por sobrados degradados e muitos estacionamentos. Os veículos, se não estão só de passagem, estão procurando algum local para estacionar. Como dades pois eles são essenciais para marcar a identidade da cidade ali não mora ninguém, não existe nada de comércio local e as calçadas são desagradavelmente quentes pela inexistência de árvores (e de edifícios que façam frente aos visitantes e representar uma importante referência para os seus cidadãos, alguma sombra) a presença de pessoas ali é praticamente nula. Na Rua dos Protestantes a situação não é muito diferente, além de ser um local muito sujo museu de sendo eles o testemunho da cultura e do passado da cidade. O trecho a seguir, retirado e mal-cheiroso, fato que resulta num local morto e subutilizado que é evitado tanto por pedestres quanto por veículos. Durante 15 minutos passou apenas arte sacra das Normas de Quito (1967, p.6) demonstra essa significativa relação entre a popula- um casal com passos apressados e eu que tive medo de ser assaltada em plena luz do dia. estação julio parque da luz ção e o seu centro histórico: “Um monumento restaurado adequadamente, um conjunto prestes Na Rua dos Gusmões encontrei alguns imóveis fechados e outros que abrigam atividades relacionadas à informática. A esquina com a Rua do estação pinacoteca urbano valorizado, constituem não só uma lição viva de história como uma legítima razão Triunfo é marcada por dois sobrados tombados muito bonitos. Infelizmente, um deles é um cortiço e está bastante degradado. Enquanto eu o observava pinacoteca estação de dignidade nacional.” tive a oportunidade de conhecer um de seus moradores, o Sr. Eduardo Santana, trabalhador do Zoológico de São Paulo. Muito interessado na possibilida- da luz Assim, entende-se a importância econômica, habitacional e de de projetos para a região, ele se mostrou disposto a me apresentar o edifício por dentro; apesar da grande curiosidade,não pude aceitar o convite, pois cultural de se intensificar o uso das regiões centrais urbanas. Projetar uma inter- estava sozinha. O quarteirão seguinte, apesar da presença de alguns imóveis interditados pela Prefeitura, se apresenta um pouco mais agradável. Nele são venção urbana em um tecido delicado como o de um centro histórico é uma tarefa encontrados estabelecimentos bem cuidados relacionados ao comércio da Rua Santa Ifigênia e algumas lanchonetes simpáticas e relativamente movimen- complexa e por isso é muito importante observar o que já foi produzido em outros tadas. Os quarteirões seguintes fazem esquina com a Rua Santa Ifigênia e por isso, grande parte do seu comércio é relacionado à informática e eletrônicos. centros urbanos. Casos como o projeto-piloto de Lina Bo Bardi para o Pelourinho em Malecón de Havana - Cuba O aumento do número de pedestres e as músicas das lojas criam uma atmosfera bastante animada e atraente. Segundo Jane Jacobs “os próprios lojistas Salvador, o pioneiro projeto de reabilitação no centro histórico de Bologna e o projeto costumam incentivar a tranqüilidade e a ordem; detestam vidraças quebradas e roubos; detestam que os clientes fiquem preocupados com a segurança”. “ elaborado numa cooperação entre Espanha e Cuba para a região da Avenida Malecón em Havana tiveram a reabilitação do patrimônio edificado e a manutenção da popula- ção local como objetivos principais do projeto. 04/ maio “Você não tem medo de ficar aqui sozinha?” No caso da região da Lapa no Rio de Janeiro, a presença e a valorização dos “Iniciei o levantamento pela Rua do Triunfo onde, logo na primeira esquina encontrei uma atmosfera muito agradável. Na esquina com a Rua edifícios e monumentos históricos na região foi fundamental para que uma “revita- General Osório existe a Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP) e da calçada se ouvia o som daqueles que ali estavam estudando e praça da república mosteiro de lização espontânea” fosse organizada pelos próprios usuários do local. Já no centro aprendendo. Entrei no edifício e encontrei no térreo um espaço de convivência muito aprazível e plenamente utilizado por pessoas de diversas faixas etárias largo do são bento histórico de Madrid, a reabilitação das praças e de seus edifícios históricos, somados e classes sociais. Esse clima agradável contagia as outras esquinas do cruzamento onde se encontram o Largo General Osório, o Hotel Piratininga, e um paissandú ao tratamento dos espaços públicos privilegiando o pedestre, foram as soluções ideais animado bar no térreo de um prédio bem conservado. A existência de um ponto de táxi no Largo promove segurança no local já que os taxistas ficam ali teatro sentados na sombra sempre de olho ao que acontece na rua. Mas, a medida em que me distanciei da escola de música a Rua do Triunfo foi perdendo o bri- para devolver essa importante região da cidade aos seus cidadãos. municipal A maneira como o patrimônio histórico, a população usuária e a dinâmica da lho. Apesar da existência de alguns sobrados antigos bem conservados onde funcionam pequenas pensões, nenhum espaço no térreo está sendo utilizado anhangabaú vida urbana já existente na região são levadas em consideração no desenvolvimento do e as calçadas são muito sujas o que diminuiu sensivelmente o fluxo de pedestres, já que não existem motivos concretos para a utilização dessas calçadas. Perímetro de intervenção da Nova Luz e os principais equipamentos projeto é essencial para o sucesso da intervenção. As calçadas ficaram tão vazias que cheguei a ser questionada por um dos poucos pedestres se eu não tinha medo de ficar ali. No quarteirão seguinte todo culturais e de lazer do seu entorno. o comércio local é ligado às atividades da Rua Santa Ifigênia o que resulta numa preocupação maior de conservar os imóveis. Como sempre, a presença de um edifício residencial com um pequeno bar no térreo desperta um movimento mais interessante e seguro no local. Dali segui para a próxima via paralela, a Rua dos Andradas. Após a revisão do tombamento do bairro Santa Ifigênia realizado em fevereiro desse ano, não existem mais imóveis tombados nessa Pelourinho, Bahia - Brasil rua, mas isso não tira a sua importância, pois essa rua apresenta uma dinâmica viva graças a um rico comércio local (composto não só por estabelecimen- tos ligados às atividades da Rua Santa Ifigênia) associado a alguns barzinhos e edifícios residenciais. “Quanto maior e mais diversificado o leque de interesses legítimos que a cidade e as empresas possam satisfazer, melhor para as ruas, para a segurança e para a civilidade das cidades.” (JACOBS, 1961, p.42)” 10/ maio “Sabe quanto eu gastei nessa obra? 59.000,00!” “Dando continuidade ao reconhecimento das ruas da Nova Luz visitei as Ruas Aurora, Timbiras e General Osório. Grande parte da Rua Aurora exibe uma situação bastante típica dessa região: não possui edifícios residenciais nem comércio local, sendo dominado pelo comércio de eletrônicos carac- terístico da Rua Santa Ifigênia. Essa tipologia de rua é bastante viva durante o período comercial, mas com o fim da tarde todas as atividades cessam e o espaço público, completamente sem luz, sem segurança e sem uso, morre e se torna palco para atividades ilícitas, como o uso e o tráfico de drogas, e ainda para moradores de rua. Me direcionei à Rua General Osório que compartilha com a Rua do Triunfo a agradável atmosfera proporcionada pela escola de música (EMESP) localizada no Largo General Osório. Essa área, tomada pela música e pela saudável movimentação de um comércio local, se abre para o Largo, composto por pequenos mercados e padarias. A influência da música ainda é vista ao longo da primeira quadra da rua, onde se encontram muitas lojas de instrumen- tos musicais e estabelecimentos que oferecem aulas de música. Associados a esse comércio, existem hotéis, edifícios residenciais, duas lanchonetes e uma churrascaria. “Lojas, bares e restaurantes (...) atuam de forma bem variada e complexa para aumentar a segurança nas calçadas”. (JACOBS, 1961). Nessa rua existe um grande imóvel tombado na revisão de tombamentos da Santa Ifigênia em fevereiro de 2010, que exibe uma fachada recém restaurada. Quando Lapa, Rio de Janeiro - Brasil parei para tirar fotos da edificação o proprietário veio falar comigo. Ele me contou que antigamente esse imóvel era um cinema (Cine Astoria), mas que existe muito pouco sobre a história do imóvel. Hoje o local é utilizado como estacionamento no térreo e será alugado para pequenas empresas nos outros dois andares. Segundo ele, foram investidos R$ 59.000,00 na reforma da fachada e parte dos ambientes interiores (por falta de dinheiro, as reformas no in- terior do edifício foram interrompidas) e o valor do último IPTU foi R$ 30.000,00. Ao ouvir o valor do IPTU, comentei sobre a redução desse imposto para Imóveis tombados no entorno próximo à Estação da Luz. imóveis tombados e fiquei perplexa ao saber que um proprietário tão empenhado não sabia que seu imóvel havia sido tombado no começo do ano...” Bens tombados pelo CONPRESP e CONDEPHAAT, julho de 2006 Fonte: Associação Viva o Centro. Reabilitação Urbana na região da Estação da Luz: uma proposta fundamentada no reconhecimento do patrimônio histórico
  2. 2. 2/4 quadra 1 - Rua do Triunfo Tombados pelo Condephaat em 1986. Tombamentos mantidos na revisão de 02/2010. quadra 2 - Rua dos Protestantes 50 200 50 200 m m 10 100 10 100 bares edifícios institucionais postos policiais edifícios vazios terrenos vazios ou utilizados como estacionamento * os ícones representam os pontos de acesso aos transportes públicos (ônibus,metrô e CPTM) Imóvel mantido por possuir 4 pavimentos. O levantamento dos estabelecimentos que possuem horários de funcionamento estendidos, como bares, restaurantes, O levantamento de edifícios vagos e terrenos vazios ou utilizados como estacionamento, foi interessante para postos de polícia e mesmo os pontos de ônibus foi importante para definir os focos de movimento noturno na região. Qualquer analisar como essa importante região do centro da cidade está sendo subutilizada e também para identificar os locais com Imóvel mantido por possuir Imóveis mantidos por possuírem mais de aglomeração de pessoas nessas ruas já significa um pouco de segurança na quase nula vida noturna do local. maior potencial de transformação e de implantação do projeto. características singulares. 4 pavimentos, representando um número significativo de unidades residenciais. quadra 3 - Rua do Triunfo Ru Ru a d a d os rio 2 os Pro ó Os Pro tes l era Ru tes tan n io Ge ad tan tes ór a Imóvel mantido por possuir mais de 4 s Ru oT Ru tes lO riu era pavimentos, representando um número ad n nfo oT a Ge 1 significativo de unidades residenciais. riu Ru nf o es 4 Tombado pelo Condephaat em 1986. Imóvel mantido por Imóvel mantido por Imóvel mantido por possuir 4 Ru õ sm ad Tombamento mantido na revisão de 02/2010. possuir características possuir 4 pavimentos pavimentos e por apresentar Gu os s do singulares. e por se apresentar em características singulares. An a Ru dra bom estado. da s 3 quadra 4 - Rua dos Gusmões s mõe bares Gus tória os a Vi ad Ru Ru estacionamentos 10 50 m Trecho da cidade escolhido para o 20 imóveis tombados projeto da reabilitação urbana Imóvel mantido por possuir 4 pavimentos A proximidade de importantes equipamentos culturais de São Paulo como a Escola de Música do Estado Após a definição exata do perímetro da intervenção, foram analisados todos os imóveis das quatro quadras para e por se apresentar em de São Paulo – Tom Jobim (EMESP) a Sala São Paulo e a Estação Pinacoteca foi muito avaliar a sua importância histórica e arquitetônica, os seus usos e as suas condições físicas, procurando eleger aqueles bom estado. importante para a escolha do local para a minha intervenção. “A valorização de um monumento exerce uma benéfica ação reflexa que deveriam permanecer. Os critérios utilizados para a seleção dos edifícios permanecentes foram: sobre o perímetro urbano em que se encontra implantado e ainda transborda dessa área imediata, estendendo seus efeitos a zonas mais Tombado pelo Condephaat em 1986. Tombado pelo Condephaat em 1986. distantes.” (Normas de Quito, 1967, p.6). Essa decisão foi baseada na intenção de aproveitar e encorajar a vocação 1. edifícios tombados; Tombamento mantido na revisão de 02/2010. Tombamento mantido na revisão de do local como um território cultural desses grandes equipamentos urbanos. É evidente que não houve um 2. edifícios que, apesar de não serem tombados, possuem elementos arquitetôni- 02/2010, com mudança do grau de processo de reabilitação do tecido urbano no entorno desses equipamentos culturais em São Paulo e que hoje eles se encon- cos e/ou paisagísticos preservação de 1 para 2. tram ilhados numa das partes mais degradadas da cidade. Dessa forma, o propósito do meu projeto é singulares de alguma época da urbanização da cidade; estimular essa esperada valorização do perímetro urbano desses monumentos arquite- 3. edifícios que possuem a partir de 4 pavimentos, por não valer a pena demolir tônicos com a implantação de atividades ligadas ao funcionamento dos equipamentos culturais ali presentes. Como um dos grandes estruturas objetivos mais importantes do meu trabalho é desenvolver um projeto de intervenção urbana que lide com a existência de bens que já contribuem com o aumento da densidade do local. patrimoniais, a presença de muitos imóveis tombados em diferentes estados de conservação e de utilização 4. edifícios que possuem um número significativo de unidades residenciais. também foi fundamental. Reabilitação Urbana na região da Estação da Luz: uma proposta fundamentada no reconhecimento do patrimônio histórico
  3. 3. 3/4 quadra 4 quadra 2 Rua General Osório Rua dos Gusmões Rua Vitória Não só os usos, mas também as implantações dos edifícios são muito importantes para proporcionar a segurança e estimular a utilização densidade área da qua- quadra população populacional dos espaços públicos de uma cidade. Dessa forma, os edifícios foram posicionados com a intenção de deixar o piso térreo o mais livre possível dra (m²) (hab/m²) para o passeio dos pedestres. Através de edifícios com pilotis e galerias de comércio foram criadas diversas possibilidades de caminhos que 1 80 6.610,13 0,0121 estimulam uma utilização mais plena de todos os espaços, inclusive dos miolos das quadras que, ao invés de serem apenas os fundos dos lotes 2 438 5.627,97 0,0778 como ocorre atualmente, serão pequenas praças para onde convergem os diversos caminhos. 3 48 6.355,47 0,0076 Essa variedade de caminhos, além de dinamizar a vida da cidade também é importante para a oferta de pontos viáveis para o desenvolvimento do comércio. É 4 196 4.799,55 0,0408 uma relação recíproca: onde passam mais pessoas, desenvolvem-se mais atividades comerciais e onde há mais comércio passam mais pessoas. “(...) ruas freqüen- total 762 23.393,12 0,0326 tes e quadras curtas são valiosas para propiciar uma rede de usos combinados e complexos entre os usuários do bairro” (JACO- BS, p. 2 05) E foi por isso que próximo a todas as praças centrais foram implantadas galerias comerciais. Quem utiliza a praça está visualizando algumas lojas e pode se interessar em comprar algum produto; ao mesmo tempo quem está comprando nas lojas tem a possibilidade de descansar um pouco em uma praça segura e agradável. densidade área da qua- quadra população populacional dra (m²) (hab/m²) novas edificações 1 301 6.610,13 0,0455 10 50 2 582 5.627,97 0,1034 m edificações pré-existentes 20 3 448 6.355,47 0,0705 4 315 4.799,55 0,0658 total 1647 23.393,12 0,0704 % do uso por % do uso por usos quadra área (m²) área total (m²) (%) total usos quadra área (m²) área total (m²) % total quadra quadra 1 1.039,17 8,45% 1 6.530,25 19,97% 2 6.766,82 55,00% 2 10.520,14 32,17% residencial 12.303,08 29,76% residencial 32.704,12 55,18% 3 861,42 7,00% 3 8.316,82 25,43% 4 3.635,67 29,55% 4 7.336,91 22,43% 1 2.032,12 20,78% 1 3.999,95 39,39% 2 2.709,67 27,71% 2 1.199,01 11,81% comercial 9.780,38 23,66% comercial 10.154,18 17,13% 3 3.482,66 35,61% 3 3.109,69 30,62% 4 1.555,93 15,91% 4 1.845,53 18,18% 2 2.904,28 83,42% 2 2.534,28 52,64% hoteleiro 3 244,85 3.481,33 7,03% 8,42% hoteleiro 3 1.602,48 4.814,29 33,29% 8,12% 4 332,20 9,54% 4 677,53 14,07% 1 1.208,98 24,90% 1 726,24 21,49% depósito/função 2 1.317,54 27,14% 4.854,96 11,75% depósito/ função 2 548,12 16,22% administrativa 3 1.123,04 23,13% 3.379,81 5,70% administrativa 3 1.474,22 43,62% 4 1.205,40 24,83% 4 631,23 18,68% 1 233,56 16,32% 1 764,39 47,92% 2 643,61 44,96% restaurante/bar 1.431,52 3,46% 2 319,85 20,05% 3 387,95 27,10% restaurante/ bar 1.595,26 2,69% 4 166,40 11,62% 3 224,24 14,06% 1 870,60 38,89% 4 286,78 17,98% 2 316,98 14,16% 1 1.894,66 43,52% estacionamento 2.238,87 5,42% estacionamento 4.353,33 7,34% 3 177,11 7,91% 2 2.458,67 56,48% 4 874,18 39,05% 1 511,69 29,78% institucional 3 314,02 314,02 100,00% 0,76% institucional 3 342,81 1.717,95 19,95% 2,90% 10 50 m industrial 3 816,21 816,21 100,00% 1,97% 4 863,45 50,26% 20 industrial 3 554,14 554,14 100,00% 0,93% 1 2.113,41 34,56% vazios 3 3.018,56 6.114,73 49,37% 14,79% área construída total 59.273,08 100,00% 4 982,76 16,07% O desenho dos caminhos internos das quadras foi feito de forma a atrair o pedestre para privado semi-público público área disponível total 41.335,10 100,00% dentro da quadra. A visualização de um pedaço de um conjunto de árvores, de algum edifício histórico ou mesmo de uma aglomeração comercial convida as pessoas a caminharam até esses locais, de onde elas po- uso do solo atual uso do solo proposto dem descobrir outros pontos interessantes e assim caminharem até eles, resultando numa combinação A utilização dos miolos das quadras traz a questão sobre espaços públicos e privados. A diferenciação infinita de caminhos e maneiras para se usufruir dos espaços urbanos. desses espaços foi definida a partir da permissividade dos acessos. Aqueles que tem acesso controlado, no caso, A abertura de diferentes visões para os pedestres também foi muito importante para valorizar o todos os edifícios e a áreas dos seus lotes, foram considerados privados. Os que têm acesso livre durante o dia, patrimônio histórico existente na região. A densa ocupação do térreo que acontece na situação atual mas que fecham durante o período da noite/madrugada, foram classificados como semi-públicos, como é o caso ofusca a presença desses edifícios históricos, pois, a não ser que ele esteja localizado em uma esquina, o edifício das galerias comerciais e os espaços que possuem acesso livre durante qualquer horário do dia e da noite, como só é visualizado quando o pedestre está na frente do edifício e de preferência do outro lado da calçada. Isso na- as calçadas, as praças e suas conexões com as calçadas são os espaços públicos. turalmente dificulta que as pessoas notem a existência desses patrimônios que muitas vezes passam desperce- bidos por quem utiliza essas ruas. Poder observar esses edifícios com um pouco mais de distância marca a sua presença no local possibilitando que eles sejam mais bem apreciados. Reabilitação Urbana na região da Estação da Luz: uma proposta fundamentada no reconhecimento do patrimônio histórico
  4. 4. 4/4 quadra 1 - vista a partir do acesso da Rua do Triunfo. quadra 3 - vista a partir do acesso da Rua Vitória. quadra 4 - praça maior vista a partir da Rua do Triunfo. quadra 2 - vista a partir do acesso da Rua dos Gusmões. quadra 3 - vista a partir do acesso da Rua dos Gusmões. quadra 4 - praça menor vista a partir da Rua do Triunfo. A parede de cobogó proposta para um edifício da quadra 4, além de proporcionar luz e ventilação para o hall de entrada desse edifício residencial, também funciona como 1 2 3 um atrativo visual bastante interessante para o espaço público, assim como o jardim verti- Mobiliário urbano. cal proposto para a praça na quadra 3. Iluminação abaixo das copas das árvores para privi- legiar o passeio dos pedestres. Bancos e lixeiras asso- ciam-se aos bancos fixos de concreto propostos para as praças. 4 5 O desenho dos pisos nas calçadas e praças foi desenvolvido com o objetivo de indicar algumas possibilidades de caminhos e os principais acessos às praças in- ternas e galerias. O alargamento das calçadas nas esquinas foi proposto em apenas um dos lados da via devido à pequena largura do leito carroçável. Essa solução é im- portante para valorizar o espaço público através da instalação de mobiliário urbano o que estimula e viabiliza a permanência no local. Os materiais utilizados para os diferentes pisos são: (1). piso intertravado raquete, utilizado somente nas praças e em alguns de seus 10 50 acessos; m (2,3 e 4). ladrilhos hidráulicos nas cores branca e vermelha e do tipo São Paulo; 20 (5). piso intertravado retangular para os acesso de veículos; Reabilitação Urbana na região da Estação da Luz: uma proposta fundamentada no reconhecimento do patrimônio histórico

×