SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
Escola Básica 2,3/S de Vale de Cambra
                              Português – 11ºano
                                                                    Profª Dina Baptista
                                                                www.sebentadigital.com




                          Características / Estrutura de
                          Artigo de Apreciação Crítica


Um artigo de apreciação crítica é um texto crítico, onde o emissor exprime a sua
opinião (favorável ou desfavorável) propósito de determinado facto narrado, ideia
apresentada ou objecto descrito. Pode-se elaborar um artigo de apreciação crítica a
partir de um livro, de um jogo, de um filme, de uma peça de teatro, etc.
O texto crítico

1. ESTRTURA
. Introdução: Breve apresentação do facto, ideia, objecto que está na origem do texto
crítico.
. Desenvolvimento: Processa-se a apreciação crítica do texto:
         -síntese de opiniões/apreciações pessoais (Gosto/não gosto...);
         -momentos argumentativos: fundamentação das opiniões formuladas através
de argumentos objectivos;
         -Possíveis citações do texto-fonte.

. Conclusão: Referência às ideias mais relevantes.


2. LINGUAGEM
- Utilização de frases predominantemente declarativas e exclamativas.
- Recurso a uma linguagem valorativa ou depreciativa conforme se queira manifestar
agrado ou desagrado.
- Selecção de um título sugestivo.
- Uso de figuras de estilo que estejam de acordo com as intenções da crítica
(hipérbole, metáfora, comparação, ironia, etc).


3. Exemplo de um artigo de apreciação crítica de âmbito Cultural: Concerto
musical do grupo GNR

                       Chamem a polícia e os GNR também

                                Nem sempre a idade mais avançada é sinal de
                                menor vitalidade ou falta de energia em palco. Dois
                                veteranos, Sting e os GNR souberam perceber que
                                num festival como o Rock in Rio seria necessário
                                oferecer aos espectadores presentes (65 mil, no
                                domingo) um sortido de êxitos... mexidos.



Sting optou por recorrer ao seu passado com os Police, ao invés da carreira individual
de onde extraiu apenas o crème de la crème. Evitaram-se as sessões de misticismo,


                              www.Sebentadigital.com                                 1
os devaneios místicos e a letargia de algumas das suas canções mais recentes.
Solução? Procurar na pop descendente da new wave a solução para os males do
tédio. O arranque fez-se com Message in a Bottle como que a anunciar o que se
seguiria. Spirits in the Material World, Roxanne ou Every Breath You Take recordaram
vivências da época para muitos dos que olhavam o gigante britânico de um metro e
noventa. Afinal, aqueles eram temas do imaginário de qualquer um, interpretados
como se o tempo tivesse recuado 25 anos. Desert Rose foi a pérola recente que
contrariou toda a lógica nostálgica.


"O que é que se canta numa festa de anos?", pergunta Jorge Romão. "25 anos não se
fazem todos os dias", responde o convidado NBC mais tarde. O concerto dos GNR era
especial por várias razões. Seria uma grande oportunidade para a única banda
portuguesa a encher um estádio de se reencontrar com o público, depois de um tributo
que voltou a colocar o Grupo Novo Rock no mapa. Depois, o próprio aniversário e
finalmente o regresso a um palco de grandes dimensões, mais de uma década
passada sobre as aventuras em Alvalade ou na Alameda.

A resposta nunca chegou a ser completamente afirmativa. Apesar da disponibilidade
comunicativa do baixista Jorge Romão, a fazer as vezes de um contido Rui Reininho,
estes GNR nunca demonstraram estar à altura de canções como Piloto Automático,
Dunas ou Ana Lee. A voz nem sempre colocada não ajudou, mas foi a brevidade do
alinhamento (nem uma hora) que disparou os assobios. Uma passagem fugaz que
nem uma brilhante versão de Quero que vá tudo para o Inferno, de Roberto Carlos
conseguiu apagar.

                                http://dn.sapo.pt/2006/06/06/artes/chamem_a_policia_e_gnr_tambem.html




Nota: Veja-se também artigo de apreciação crítica sobre o programa “Morangos com Açúcar”
in Sebentadigital.



Fonte bibliográfica do material: Escola virtual: Porto Editora e Netprof.




                                      www.Sebentadigital.com                                       2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Intertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e MensagemIntertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e MensagemPaulo Vitorino
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoRaffaella Ergün
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textualgracacruz
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoDina Baptista
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumocolegiomb
 
Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Resumos Exame Nacional Português 12º ano Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Resumos Exame Nacional Português 12º ano Paula Pereira
 
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106nanasimao
 
A "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaA "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaDina Baptista
 
Predicativo do complemento direto
Predicativo do complemento diretoPredicativo do complemento direto
Predicativo do complemento diretoquintaldasletras
 
O artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaO artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaFernanda Monteiro
 
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando PessoaFilipaFonseca
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaDina Baptista
 
Cantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizerCantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizerHelena Coutinho
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana SofiaJoana Azevedo
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particularHelena Coutinho
 

Mais procurados (20)

Intertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e MensagemIntertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
Intertextualidade entre Os Lusíadas e Mensagem
 
Resumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões líricoResumos de Português: Camões lírico
Resumos de Português: Camões lírico
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textual
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-Sistematização
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Valor aspetual
Valor aspetualValor aspetual
Valor aspetual
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumo
 
Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Resumos Exame Nacional Português 12º ano Resumos Exame Nacional Português 12º ano
Resumos Exame Nacional Português 12º ano
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
 
As cantigas de amigo
As cantigas de amigoAs cantigas de amigo
As cantigas de amigo
 
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
Os lusíadas - Canto I Estâncias 105 e 106
 
A "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaA "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. Pessoa
 
Predicativo do complemento direto
Predicativo do complemento diretoPredicativo do complemento direto
Predicativo do complemento direto
 
O artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaO artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação crítica
 
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
"Quinto Império" - Mensagem de Fernando Pessoa
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
 
Cantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizerCantigas de escárnio e maldizer
Cantigas de escárnio e maldizer
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
 

Destaque

Texto de Apreciação Crítica
Texto de Apreciação CríticaTexto de Apreciação Crítica
Texto de Apreciação CríticaVanda Sousa
 
Análise de Imagem
Análise de ImagemAnálise de Imagem
Análise de Imagemmarianarits
 
Texto de Apreciação Crítica
Texto de Apreciação CríticaTexto de Apreciação Crítica
Texto de Apreciação CríticaVanda Sousa
 
RESENHA CRÍTICA-12 ANOS DE ESCRAVIDÃO
RESENHA CRÍTICA-12 ANOS DE ESCRAVIDÃORESENHA CRÍTICA-12 ANOS DE ESCRAVIDÃO
RESENHA CRÍTICA-12 ANOS DE ESCRAVIDÃOLeticia Costa
 
Ficha de Leitura - Crónica do Rei Pasmado
Ficha de Leitura - Crónica do Rei PasmadoFicha de Leitura - Crónica do Rei Pasmado
Ficha de Leitura - Crónica do Rei Pasmado12anogolega
 
Sequencia didática sobre texto publicitário interface de arte com língua po...
Sequencia didática sobre texto publicitário   interface de arte com língua po...Sequencia didática sobre texto publicitário   interface de arte com língua po...
Sequencia didática sobre texto publicitário interface de arte com língua po...Fabiola Oliveira
 
A IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NOS DIAS ATUAIS
A IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NOS DIAS ATUAIS A IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NOS DIAS ATUAIS
A IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NOS DIAS ATUAIS Sheila Campos
 
Diário cruzado de joão e joana ppt
Diário cruzado de joão e joana pptDiário cruzado de joão e joana ppt
Diário cruzado de joão e joana pptPk Pks
 
Como fazer comentario ou apreciaçao critica
Como fazer comentario ou apreciaçao criticaComo fazer comentario ou apreciaçao critica
Como fazer comentario ou apreciaçao criticaLiliana Rui Vieira Conde
 
Normas e forma do relatório/ reflexão crítica
Normas e forma do relatório/ reflexão críticaNormas e forma do relatório/ reflexão crítica
Normas e forma do relatório/ reflexão críticaCristina Couto Varela
 
A lua de joana joana gonçalves
A lua de joana   joana gonçalvesA lua de joana   joana gonçalves
A lua de joana joana gonçalvesfantas45
 
Texto expositivo
Texto expositivoTexto expositivo
Texto expositivoFJDOliveira
 
Texto expositivo explicativo
Texto expositivo explicativoTexto expositivo explicativo
Texto expositivo explicativoFabianAlcivar
 

Destaque (20)

Texto de Apreciação Crítica
Texto de Apreciação CríticaTexto de Apreciação Crítica
Texto de Apreciação Crítica
 
Análise de Imagem
Análise de ImagemAnálise de Imagem
Análise de Imagem
 
Texto de Apreciação Crítica
Texto de Apreciação CríticaTexto de Apreciação Crítica
Texto de Apreciação Crítica
 
alfabeto da reta
alfabeto da retaalfabeto da reta
alfabeto da reta
 
RESENHA CRÍTICA-12 ANOS DE ESCRAVIDÃO
RESENHA CRÍTICA-12 ANOS DE ESCRAVIDÃORESENHA CRÍTICA-12 ANOS DE ESCRAVIDÃO
RESENHA CRÍTICA-12 ANOS DE ESCRAVIDÃO
 
Ficha de Leitura - Crónica do Rei Pasmado
Ficha de Leitura - Crónica do Rei PasmadoFicha de Leitura - Crónica do Rei Pasmado
Ficha de Leitura - Crónica do Rei Pasmado
 
Sequencia didática sobre texto publicitário interface de arte com língua po...
Sequencia didática sobre texto publicitário   interface de arte com língua po...Sequencia didática sobre texto publicitário   interface de arte com língua po...
Sequencia didática sobre texto publicitário interface de arte com língua po...
 
A IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NOS DIAS ATUAIS
A IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NOS DIAS ATUAIS A IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NOS DIAS ATUAIS
A IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NOS DIAS ATUAIS
 
Diário secreto
Diário secretoDiário secreto
Diário secreto
 
Diário cruzado de joão e joana ppt
Diário cruzado de joão e joana pptDiário cruzado de joão e joana ppt
Diário cruzado de joão e joana ppt
 
Como fazer comentario ou apreciaçao critica
Como fazer comentario ou apreciaçao criticaComo fazer comentario ou apreciaçao critica
Como fazer comentario ou apreciaçao critica
 
Anne Frank
Anne FrankAnne Frank
Anne Frank
 
Normas e forma do relatório/ reflexão crítica
Normas e forma do relatório/ reflexão críticaNormas e forma do relatório/ reflexão crítica
Normas e forma do relatório/ reflexão crítica
 
Anne Frank
Anne FrankAnne Frank
Anne Frank
 
A lua de joana joana gonçalves
A lua de joana   joana gonçalvesA lua de joana   joana gonçalves
A lua de joana joana gonçalves
 
Guião apresentação oral de livro
Guião apresentação oral de livroGuião apresentação oral de livro
Guião apresentação oral de livro
 
TEXTO EXPOSITIVO
TEXTO EXPOSITIVOTEXTO EXPOSITIVO
TEXTO EXPOSITIVO
 
Texto expositivo
Texto expositivoTexto expositivo
Texto expositivo
 
Texto expositivo
Texto expositivoTexto expositivo
Texto expositivo
 
Texto expositivo explicativo
Texto expositivo explicativoTexto expositivo explicativo
Texto expositivo explicativo
 

Semelhante a Artigo de Apreciação Crítica: Estrutura e Linguagem

Semelhante a Artigo de Apreciação Crítica: Estrutura e Linguagem (20)

Montreux jazz festival
Montreux jazz festivalMontreux jazz festival
Montreux jazz festival
 
Rio de Janeiro-Rotas & Destinos Feb 2008
Rio de Janeiro-Rotas & Destinos Feb 2008Rio de Janeiro-Rotas & Destinos Feb 2008
Rio de Janeiro-Rotas & Destinos Feb 2008
 
Jornal da letras entrevista ondjaki
Jornal da letras entrevista ondjakiJornal da letras entrevista ondjaki
Jornal da letras entrevista ondjaki
 
Diz95
Diz95Diz95
Diz95
 
Camargo emerson zíngaro - conheça a história da era dos festivais
Camargo emerson zíngaro - conheça a história da era dos festivais Camargo emerson zíngaro - conheça a história da era dos festivais
Camargo emerson zíngaro - conheça a história da era dos festivais
 
dif_112
dif_112dif_112
dif_112
 
Programação setembro 2012
Programação setembro 2012Programação setembro 2012
Programação setembro 2012
 
Caraguá Verão 03/16 de dezembro de 2010
Caraguá Verão 03/16 de dezembro de 2010Caraguá Verão 03/16 de dezembro de 2010
Caraguá Verão 03/16 de dezembro de 2010
 
205447
205447205447
205447
 
Portfólio allegro rouanet
Portfólio allegro rouanetPortfólio allegro rouanet
Portfólio allegro rouanet
 
Diz102
Diz102Diz102
Diz102
 
Lp9 1 bim_aluno_2014
Lp9 1 bim_aluno_2014Lp9 1 bim_aluno_2014
Lp9 1 bim_aluno_2014
 
Lp9 1 bim_aluno_2014
Lp9 1 bim_aluno_2014Lp9 1 bim_aluno_2014
Lp9 1 bim_aluno_2014
 
Lp9 1 bim_aluno_2014
Lp9 1 bim_aluno_2014Lp9 1 bim_aluno_2014
Lp9 1 bim_aluno_2014
 
Agenda julho 2010
Agenda julho 2010Agenda julho 2010
Agenda julho 2010
 
Pag.crianças25 junho
Pag.crianças25 junhoPag.crianças25 junho
Pag.crianças25 junho
 
02 rocinha
02 rocinha02 rocinha
02 rocinha
 
ROTEIRO DO DESFILE - ACADÊMICOS DA ROCINHA
ROTEIRO DO DESFILE - ACADÊMICOS DA ROCINHAROTEIRO DO DESFILE - ACADÊMICOS DA ROCINHA
ROTEIRO DO DESFILE - ACADÊMICOS DA ROCINHA
 
Cinema ao luar 2012
Cinema ao luar 2012Cinema ao luar 2012
Cinema ao luar 2012
 
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis ReachersRenato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
Renato Cascão e Sammy Maluco - Uma dupla do balacobaco - Sammis Reachers
 

Mais de Vanda Sousa

Leitura de Imagens/Texto Icónico
Leitura de Imagens/Texto IcónicoLeitura de Imagens/Texto Icónico
Leitura de Imagens/Texto IcónicoVanda Sousa
 
Teste Conto de Autor (séc XX) 3º Período
Teste Conto de Autor (séc XX)  3º PeríodoTeste Conto de Autor (séc XX)  3º Período
Teste Conto de Autor (séc XX) 3º PeríodoVanda Sousa
 
Teste Conto de Autor (séc XX) 3º Período
Teste Conto de Autor (séc XX)  3º PeríodoTeste Conto de Autor (séc XX)  3º Período
Teste Conto de Autor (séc XX) 3º PeríodoVanda Sousa
 
Sugestões de Leitura de Contos
Sugestões de Leitura de ContosSugestões de Leitura de Contos
Sugestões de Leitura de ContosVanda Sousa
 
Guião da Apresentação do Conto Oral Reflectido 2º Período
Guião da Apresentação do Conto                  Oral Reflectido  2º PeríodoGuião da Apresentação do Conto                  Oral Reflectido  2º Período
Guião da Apresentação do Conto Oral Reflectido 2º PeríodoVanda Sousa
 
Categorias da Narrativa
Categorias da NarrativaCategorias da Narrativa
Categorias da NarrativaVanda Sousa
 
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos MediaGuia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos MediaVanda Sousa
 
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos MediaGuia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos MediaVanda Sousa
 
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos MediaGuia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos MediaVanda Sousa
 
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos MediaGuia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos MediaVanda Sousa
 
Teste nº 2 /Março/Textos dos Media
Teste nº 2 /Março/Textos dos MediaTeste nº 2 /Março/Textos dos Media
Teste nº 2 /Março/Textos dos MediaVanda Sousa
 
Teste nº 2 /Março/Textos dos Media
Teste nº 2 /Março/Textos dos MediaTeste nº 2 /Março/Textos dos Media
Teste nº 2 /Março/Textos dos MediaVanda Sousa
 
Resumo e Síntese
Resumo e SínteseResumo e Síntese
Resumo e SínteseVanda Sousa
 
Resumo e Síntese
Resumo e SínteseResumo e Síntese
Resumo e SínteseVanda Sousa
 
Resumo e Síntese
Resumo e SínteseResumo e Síntese
Resumo e SínteseVanda Sousa
 
Avaliação do Oral Reflectido
Avaliação do Oral ReflectidoAvaliação do Oral Reflectido
Avaliação do Oral ReflectidoVanda Sousa
 
Avaliação do Oral Reflectido
Avaliação do Oral ReflectidoAvaliação do Oral Reflectido
Avaliação do Oral ReflectidoVanda Sousa
 
Guia de Correcção do Teste 2 Fevereiro 2011
Guia de Correcção do Teste 2  Fevereiro 2011  Guia de Correcção do Teste 2  Fevereiro 2011
Guia de Correcção do Teste 2 Fevereiro 2011 Vanda Sousa
 
Guia de Correcção do Teste 2 Fevereiro 2011
Guia de Correcção do Teste 2  Fevereiro 2011Guia de Correcção do Teste 2  Fevereiro 2011
Guia de Correcção do Teste 2 Fevereiro 2011Vanda Sousa
 
Guia de Correcção do Teste 2 Fevereiro 2011
Guia de Correcção do Teste 2  Fevereiro 2011Guia de Correcção do Teste 2  Fevereiro 2011
Guia de Correcção do Teste 2 Fevereiro 2011Vanda Sousa
 

Mais de Vanda Sousa (20)

Leitura de Imagens/Texto Icónico
Leitura de Imagens/Texto IcónicoLeitura de Imagens/Texto Icónico
Leitura de Imagens/Texto Icónico
 
Teste Conto de Autor (séc XX) 3º Período
Teste Conto de Autor (séc XX)  3º PeríodoTeste Conto de Autor (séc XX)  3º Período
Teste Conto de Autor (séc XX) 3º Período
 
Teste Conto de Autor (séc XX) 3º Período
Teste Conto de Autor (séc XX)  3º PeríodoTeste Conto de Autor (séc XX)  3º Período
Teste Conto de Autor (séc XX) 3º Período
 
Sugestões de Leitura de Contos
Sugestões de Leitura de ContosSugestões de Leitura de Contos
Sugestões de Leitura de Contos
 
Guião da Apresentação do Conto Oral Reflectido 2º Período
Guião da Apresentação do Conto                  Oral Reflectido  2º PeríodoGuião da Apresentação do Conto                  Oral Reflectido  2º Período
Guião da Apresentação do Conto Oral Reflectido 2º Período
 
Categorias da Narrativa
Categorias da NarrativaCategorias da Narrativa
Categorias da Narrativa
 
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos MediaGuia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
 
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos MediaGuia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
 
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos MediaGuia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
 
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos MediaGuia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
Guia de Correcção do Teste/Março 2011/Textos dos Media
 
Teste nº 2 /Março/Textos dos Media
Teste nº 2 /Março/Textos dos MediaTeste nº 2 /Março/Textos dos Media
Teste nº 2 /Março/Textos dos Media
 
Teste nº 2 /Março/Textos dos Media
Teste nº 2 /Março/Textos dos MediaTeste nº 2 /Março/Textos dos Media
Teste nº 2 /Março/Textos dos Media
 
Resumo e Síntese
Resumo e SínteseResumo e Síntese
Resumo e Síntese
 
Resumo e Síntese
Resumo e SínteseResumo e Síntese
Resumo e Síntese
 
Resumo e Síntese
Resumo e SínteseResumo e Síntese
Resumo e Síntese
 
Avaliação do Oral Reflectido
Avaliação do Oral ReflectidoAvaliação do Oral Reflectido
Avaliação do Oral Reflectido
 
Avaliação do Oral Reflectido
Avaliação do Oral ReflectidoAvaliação do Oral Reflectido
Avaliação do Oral Reflectido
 
Guia de Correcção do Teste 2 Fevereiro 2011
Guia de Correcção do Teste 2  Fevereiro 2011  Guia de Correcção do Teste 2  Fevereiro 2011
Guia de Correcção do Teste 2 Fevereiro 2011
 
Guia de Correcção do Teste 2 Fevereiro 2011
Guia de Correcção do Teste 2  Fevereiro 2011Guia de Correcção do Teste 2  Fevereiro 2011
Guia de Correcção do Teste 2 Fevereiro 2011
 
Guia de Correcção do Teste 2 Fevereiro 2011
Guia de Correcção do Teste 2  Fevereiro 2011Guia de Correcção do Teste 2  Fevereiro 2011
Guia de Correcção do Teste 2 Fevereiro 2011
 

Último

Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Slides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfProva uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfArthurRomanof1
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Mary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptxSlides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptxSilvana Silva
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 BrasilGoverno Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasillucasp132400
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptxAD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptxkarinedarozabatista
 
Bullying - Atividade com caça- palavras
Bullying   - Atividade com  caça- palavrasBullying   - Atividade com  caça- palavras
Bullying - Atividade com caça- palavrasMary Alvarenga
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 

Último (20)

Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Slides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfProva uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, Betel, Ordenança quanto à contribuição financeira, 2Tr24.pptx
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptxSlides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
Slides 1 - O gênero textual entrevista.pptx
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 BrasilGoverno Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptxAD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
AD2 DIDÁTICA.KARINEROZA.SHAYANNE.BINC.ROBERTA.pptx
 
Bullying - Atividade com caça- palavras
Bullying   - Atividade com  caça- palavrasBullying   - Atividade com  caça- palavras
Bullying - Atividade com caça- palavras
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 

Artigo de Apreciação Crítica: Estrutura e Linguagem

  • 1. Escola Básica 2,3/S de Vale de Cambra Português – 11ºano Profª Dina Baptista www.sebentadigital.com Características / Estrutura de Artigo de Apreciação Crítica Um artigo de apreciação crítica é um texto crítico, onde o emissor exprime a sua opinião (favorável ou desfavorável) propósito de determinado facto narrado, ideia apresentada ou objecto descrito. Pode-se elaborar um artigo de apreciação crítica a partir de um livro, de um jogo, de um filme, de uma peça de teatro, etc. O texto crítico 1. ESTRTURA . Introdução: Breve apresentação do facto, ideia, objecto que está na origem do texto crítico. . Desenvolvimento: Processa-se a apreciação crítica do texto: -síntese de opiniões/apreciações pessoais (Gosto/não gosto...); -momentos argumentativos: fundamentação das opiniões formuladas através de argumentos objectivos; -Possíveis citações do texto-fonte. . Conclusão: Referência às ideias mais relevantes. 2. LINGUAGEM - Utilização de frases predominantemente declarativas e exclamativas. - Recurso a uma linguagem valorativa ou depreciativa conforme se queira manifestar agrado ou desagrado. - Selecção de um título sugestivo. - Uso de figuras de estilo que estejam de acordo com as intenções da crítica (hipérbole, metáfora, comparação, ironia, etc). 3. Exemplo de um artigo de apreciação crítica de âmbito Cultural: Concerto musical do grupo GNR Chamem a polícia e os GNR também Nem sempre a idade mais avançada é sinal de menor vitalidade ou falta de energia em palco. Dois veteranos, Sting e os GNR souberam perceber que num festival como o Rock in Rio seria necessário oferecer aos espectadores presentes (65 mil, no domingo) um sortido de êxitos... mexidos. Sting optou por recorrer ao seu passado com os Police, ao invés da carreira individual de onde extraiu apenas o crème de la crème. Evitaram-se as sessões de misticismo, www.Sebentadigital.com 1
  • 2. os devaneios místicos e a letargia de algumas das suas canções mais recentes. Solução? Procurar na pop descendente da new wave a solução para os males do tédio. O arranque fez-se com Message in a Bottle como que a anunciar o que se seguiria. Spirits in the Material World, Roxanne ou Every Breath You Take recordaram vivências da época para muitos dos que olhavam o gigante britânico de um metro e noventa. Afinal, aqueles eram temas do imaginário de qualquer um, interpretados como se o tempo tivesse recuado 25 anos. Desert Rose foi a pérola recente que contrariou toda a lógica nostálgica. "O que é que se canta numa festa de anos?", pergunta Jorge Romão. "25 anos não se fazem todos os dias", responde o convidado NBC mais tarde. O concerto dos GNR era especial por várias razões. Seria uma grande oportunidade para a única banda portuguesa a encher um estádio de se reencontrar com o público, depois de um tributo que voltou a colocar o Grupo Novo Rock no mapa. Depois, o próprio aniversário e finalmente o regresso a um palco de grandes dimensões, mais de uma década passada sobre as aventuras em Alvalade ou na Alameda. A resposta nunca chegou a ser completamente afirmativa. Apesar da disponibilidade comunicativa do baixista Jorge Romão, a fazer as vezes de um contido Rui Reininho, estes GNR nunca demonstraram estar à altura de canções como Piloto Automático, Dunas ou Ana Lee. A voz nem sempre colocada não ajudou, mas foi a brevidade do alinhamento (nem uma hora) que disparou os assobios. Uma passagem fugaz que nem uma brilhante versão de Quero que vá tudo para o Inferno, de Roberto Carlos conseguiu apagar. http://dn.sapo.pt/2006/06/06/artes/chamem_a_policia_e_gnr_tambem.html Nota: Veja-se também artigo de apreciação crítica sobre o programa “Morangos com Açúcar” in Sebentadigital. Fonte bibliográfica do material: Escola virtual: Porto Editora e Netprof. www.Sebentadigital.com 2