Lombalgia por Fabio Mazzola

12.908 visualizações

Publicada em

Aula ministrada por Fabio Mazzola em 2012 no Mercomovimento Santa Maria sobre Lombalgia. Enjoy......

Publicada em: Educação
0 comentários
12 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.908
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
429
Comentários
0
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Françoise Mézières observou que todas as dores, traumas, doenças, conduzem a compensações que são devidas ao reflexo antálgico, em lordose, em bloqueio respiratório em inspiração e em rotação interna dos membros. Isto porque a musculatura posterior é sempre mais forte, muito curta e ainda porque a musculatura posterior se comporta como um só músculo.Estas leis fisiológicas são observáveis, constantes e repetitivas:  uma deformação pode originar uma dor, que por sua vez pode provocar uma outra deformação e depois uma outra dor e assim sucessivamente.
  • O REFLEXO ANTÁLGICO À PRIORI É um reflexo fisiológico conhecido : na presença de uma dor, o corpo, para se proteger, deforma-se : compensa. As deformações do corpo são interpretadas como compensações, atitudes antálgicas mais ou menos fixas, antigas mas reversíveis. «As patologias que encontramos são formas mórbidas do “reflexo antálgico a priori ”. Pensamos que têm origem num traumatismo, frequentemente muito antigo e que provocou uma dor, a qual (aparentemente) desapareceu, ao ponto da pessoa ter esquecido como ocorreu. Na realidade, esta dor está sempre presente mas o paciente ocultou-a inconscientemente, pois um reflexo fê-lo tomar uma atitude para evitar sentir a dor. A região dolorosa imobiliza-se sempre em (hiper) lordose. Ao longo do tempo esta atitude acentua-se aparecendo, com o dismorfismo, quer seja o disfuncionamento de um sistema, quer seja um bloqueio articular (que pode provocar ao fim de um certo tempo artrose), quer seja uma atrofia ou uma paralisia (aparente) ou uma impotência, e em que os tratamentos específicos (locais, segmentares) destas entidades mórbidas não poderão senão agravá-las.» (F.Mézières)
  • Lombalgia por Fabio Mazzola

    1. 1. Fabio Mazzola
    2. 2. Fabio Mazzola
    3. 3. Lombalgia Lombalgia é dor, de duração variável, sensação de desconforto, tensão muscular ou rigidez localizada pela margem dorsal e acima da prega glútea inferior, com ou sem dor isquiática. (Van Tulder, 2002; Quittan, 2002; Ehrilch, 2003b; Verrilis, 2004) Fabio Mazzola
    4. 4. Lombalgia Classificação quanto à duração: • aguda (duração menor que 2-4 semanas); • subaguda (duração próxima de 12 semanas); e • crônica (duração maior que 12 semanas). (Atlas, Nardin, 2002; Quittan, 2002; Indahl, 2004) Fabio Mazzola
    5. 5. Lombalgia Fabio Mazzola
    6. 6. LombalgiaClassificação quanto à origem: Articular Discal Ligamentar Dor Muscular Neural Angio ou Linfoespasmo Fabio Mazzola
    7. 7. Exame Ortopédico Lombar Lombalgia LombalgiaAusência de dor nos MMII História Com dor nos MMII Induzida por Trauma Induzida/Não Induzida por Trauma Ausência de dor nas pernas Teste de Elevação da Perna Reta; Palpação Teste de Lasègue; Palpação Sinal de Retorsão; Teste de Tração do Nervo Femoral; (+) Teste de Braggard; ADM Teste de Goldthwaith; ADM (Ativo) Teste de Flexão Suportada para a Frente; (Ativo) Espondilose Teste de Sicard; Teste de Turyn; (Passivo) Teste de Nachlas; (Passivo) Espondilolistese Teste de Fajersztajn; Teste do Sinal da Nádega. (+) (+) (+) Teste de Bechterew; Radiologia Sinal de Minor; Sinal da Corda de Arco;Teste de Percussão Teste de Tensão do Ciático; Espinhal (-) Manobra de Valsava; Teste do Piriforme; Tríade de Dejerine; Teste do Horizonte Glúteo; (+) Teste de Milgram; Teste de Kemp; (-) Exame Radiologia Teste de Naffziger. (+) Sinal de Lindner. Sacroilíaco Lesão Ocupadora (+) (+) de Espaço Diagnóstico Testes Neurológicos Fratura Distensão (+) por Imagem Entorse Compressão de (+) Raízes Nervosas Fabio Mazzola
    8. 8. Exame Ortopédico Lombar LombalgiaAusência de dor nos MMII História Induzida por Trauma Palpação (+) ADM Teste de Goldthwaith; (Ativo) Teste de Flexão Suportada para a Frente; (Passivo) Teste de Nachlas; Teste do Sinal da Nádega. (+)Teste de Percussão Espinhal (+) Radiologia (-) Exame Sacroilíaco Fratura Distensão Entorse Fabio Mazzola
    9. 9. Exame Ortopédico Lombar História Ausência de dor nas pernas Palpação Teste de Goldthwaith; ADMTeste de Flexão Suportada para a Frente; (Ativo) Espondilose Teste de Nachlas; (Passivo) Espondilolistese Teste do Sinal da Nádega. (+) (+) Radiologia (-) Distensão Entorse Fabio Mazzola
    10. 10. Exame Ortopédico Lombar Lombalgia História Com dor nos MMII Induzida/Não Induzida por Trauma Teste de Elevação da Perna Reta; Teste de Lasègue; Sinal de Retorsão; Teste de Tração do Nervo Femoral; Teste de Braggard; Teste de Sicard; Teste de Turyn; Teste de Fajersztajn; Teste de Bechterew; Sinal de Minor; Sinal da Corda de Arco; Teste de Tensão do Ciático; Manobra de Valsava; Teste do Piriforme; Tríade de Dejerine; Teste do Horizonte Glúteo; Teste de Milgram; Teste de Kemp; Teste de Naffziger. (+) Sinal de Lindner. Lesão Ocupadora (+) (+) de Espaço Diagnóstico Testes Neurológicos (+) por Imagem Compressão de (+) Raízes Nervosas Fabio Mazzola
    11. 11. DIAGNÓSTICO FISIOTERÁPICO Dor; Inspeção e Palpação; Exame físico;  Estático, dinâmico, segmentar; Exame muscular;  Força, resistência, extensibilidade; Capacidades funcionais do paciente; Testes Especiais;  Testes Sensitivos e Reflexos; Exames Radiológicos; Diagnóstico Diferencial; Estado psicológico; Situação profissional. Fabio Mazzola
    12. 12. Dor articular Precisa, Agravada por central, sobre a Contínua vértebra com a lesão movimentos Fabio Mazzola
    13. 13. Dor discal Agravada Aguda Imediata pela flexão Fabio Mazzola
    14. 14. Dor ligamentar ApareceSensação de Quando se mantém no final Queimação prolongada da amplitude uma posição articular Fabio Mazzola
    15. 15. Dor muscular Difusa, Reproduzida pela Quandodor referida contração dos movimentosTrigger point isométrica Fabio Mazzola
    16. 16. Dor neural Reproduzido Sobre o pela colocação Aumentadatrajeto do nervo em tensão por « elétrico » do certos nervo movimentos Fabio Mazzola
    17. 17. Dor Angioou Linfoespasmo Sobre o Reproduzida pela Aumentada trajeto dos colocação em pela vasos tensão dos pressão direta vasos Fabio Mazzola
    18. 18. DIAGNÓSTICO FISIOTERÁPICO Dor; Inspeção e Palpação; Exame físico;  Estático, dinâmico, segmentar; Exame muscular;  Força, resistência, extensibilidade; Capacidades funcionais do paciente; Testes Especiais;  Testes Sensitivos e Reflexos; Exames Radiológicos; Diagnóstico Diferencial; Estado psicológico; Situação profissional. Fabio Mazzola
    19. 19. InspeçãoO paciente deve ser examinado na posição em pé e depois sentado; O paciente deve ser observado nas vistas anterior, posterior e lateral; Observar marcas cutâneas ou presença de lesões na pele. Fabio Mazzola
    20. 20. PalpaçãoDurante a palpação o fisioterapeuta deve observar qualquer dor, alteração de temperatura, espasmo muscular ou outros sinais e sintomas. Fabio Mazzola
    21. 21. Fabio Mazzola
    22. 22. Fabio Mazzola
    23. 23. DIAGNÓSTICO FISIOTERÁPICO Dor; Inspeção e Palpação; Exame físico;  Estático, dinâmico, segmentar; Exame muscular;  Força, resistência, extensibilidade; Capacidades funcionais do paciente; Testes Especiais;  Testes Sensitivos e Reflexos; Exames Radiológicos; Diagnóstico Diferencial; Estado psicológico; Situação profissional. Fabio Mazzola
    24. 24. Exame físico Fabio Mazzola
    25. 25. Exame físicoMovimento AtivoO fisioterapeuta deve observar: Quando e onde, durante cada um dos movimentos, ocorre o início de dor; Se o movimento aumenta a intensidade e a qualidade da dor; A quantidade de restrição observável; O padrão de movimento; O rítmo e a qualidade do movimento; O movimento das articulações associadas; Qualquer limitação e sua natureza. Fabio Mazzola
    26. 26. Exame físicoMovimento PassivoO fisioterapeuta deve observar: Quando e onde, durante cada um dos movimentos, ocorre o início da dor; Se o movimento aumenta a intensidade e a qualidade da dor; O padrão de limitação do movimento; A sensação final do movimento; O movimento das articulações associadas; A amplitude de movimento disponível. Fabio Mazzola
    27. 27. DIAGNÓSTICO FISIOTERÁPICO Dor; Inspeção e Palpação; Exame físico;  Estático, dinâmico, segmentar; Exame muscular;  Força, resistência, extensibilidade; Capacidades funcionais do paciente; Testes Especiais;  Testes Sensitivos e Reflexos; Exames Radiológicos; Diagnóstico Diferencial; Estado psicológico; Situação profissional. Fabio Mazzola
    28. 28. Exame muscular Fabio Mazzola
    29. 29. Testes Musculares ManuaisA avaliação da força muscular manual deve ocorrer quando forem descartadas outras limitações articulares ou musculares (encurtamentos/retrações) impedindo ou dificultando o movimento. Flexão: Psoas Maior, Reto do abdomen, Oblíquo externo do abdomen, Oblíquo interno do abdomen, Transverso do abdomen; Extensão: Grande Dorsal, Eretor da espinha, Tranverso-espinal, interespinais, Quadrado do lombo; Flexão Lateral: Grande Dorsal, Eretor da espinha, Tranverso- espinal, Intertransversários, Quadrado do lombo, Psoas Maior, Oblíquo externo do abdomen. Fabio Mazzola
    30. 30. DIAGNÓSTICO FISIOTERÁPICO Dor; Inspeção e Palpação; Exame físico;  Estático, dinâmico, segmentar; Exame muscular;  Força, resistência, extensibilidade; Capacidades funcionais do paciente; Testes Especiais;  Testes Sensitivos e Reflexos; Exames Radiológicos; Diagnóstico Diferencial; Estado psicológico; Situação profissional. Fabio Mazzola
    31. 31. Capacidades Funcionais doPaciente• Escala qualitativa de Dor; • Quase insuportável; • Dor muito forte; • Dor forte; • Dor moderada; • Dor leve; • Sem dor;• Questionário Roland-Morris;• Índice de Incapacidade deOswestry. Fabio Mazzola
    32. 32. DIAGNÓSTICO FISIOTERÁPICO Dor; Inspeção e Palpação; Exame físico;  Estático, dinâmico, segmentar; Exame muscular;  Força, resistência, extensibilidade; Capacidades funcionais do paciente; Testes Especiais;  Testes Sensitivos e Reflexos; Exames Radiológicos; Diagnóstico Diferencial; Estado psicológico; Situação profissional. Fabio Mazzola
    33. 33. Testes de Disfunção Articular Teste de Pheasant; Teste de Instabilidade Segmentar. Fabio Mazzola
    34. 34. Fraturas Lombares Teste de Percussão Espinhal. Fabio Mazzola
    35. 35. Testes de Compressão deRaízes Nervosas Lombares edo Nervo Ciático Teste de Elevação da Perna Reta; Teste de Lasègue; Sinal de Retorsão; Teste de Tração do Nervo Femoral; Teste de Braggard; Teste de Sicard; Teste de Turyn; Teste de Fajersztajn; Teste de Bechterew; Sinal de Minor; Sinal da Corda de Arco; Teste de Tensão do Ciático; Teste do Piriforme; Teste do Horizonte Glúteo; Teste de Kemp; Sinal de Lindner. Fabio Mazzola
    36. 36. Lesões Ocupadoras de Espaço Manobra de Valsava; Tríade de Dejerine; Teste de Milgram; Teste de Naffziger. Fabio Mazzola
    37. 37. Testes Sensitivos e Reflexos Fabio Mazzola
    38. 38. T12, L1, L2, L3 Motora:  Iliopsoas; Reflexa:  - Sensitiva: Fabio Mazzola
    39. 39. L2, L3, L4 Motora:  Quadríceps; Reflexa:  Patelar; Sensitiva: Fabio Mazzola
    40. 40. L4 Motora:  Tibial Anterior; Reflexa:  Patelar; Sensitiva: Fabio Mazzola
    41. 41. L5 Motora:  Extensor Longo do Hálux;  Glúteo Médio;  Extensor Longo e Curto dos Dedos do Pé; Reflexa:  Isquiotibiais Mediais; Sensitiva: Fabio Mazzola
    42. 42. S1 Motora:  Fibular Longo e Curto; Reflexa:  Calcâneo; Sensitiva: Fabio Mazzola
    43. 43. DIAGNÓSTICO FISIOTERÁPICO Dor; Inspeção e Palpação; Exame físico;  Estático, dinâmico, segmentar; Exame muscular;  Força, resistência, extensibilidade; Capacidades funcionais do paciente; Testes Especiais;  Testes Sensitivos e Reflexos; Exames Radiológicos; Diagnóstico Diferencial Estado psicológico; Situação profissional. Fabio Mazzola
    44. 44. Exames Radiológicos Fabio Mazzola
    45. 45. DIAGNÓSTICO FISIOTERÁPICO Dor; Inspeção e Palpação; Exame físico;  Estático, dinâmico, segmentar; Exame muscular;  Força, resistência, extensibilidade; Capacidades funcionais do paciente; Testes Especiais;  Testes Sensitivos e Reflexos; Exames Radiológicos; Diagnóstico Diferencial; Estado psicológico; Situação profissional. Fabio Mazzola
    46. 46. Diagnóstico DiferencialComprometimento Lombar X Sacroilíaco• Teste de Goldthwaith;• Teste de Flexão Suportada para a Frente;• Teste de Nachlas;• Teste do Sinal da Nádega. Fabio Mazzola
    47. 47. DIAGNÓSTICO FISIOTERÁPICO Dor; Inspeção e Palpação; Exame físico;  Estático, dinâmico, segmentar; Exame muscular;  Força, resistência, extensibilidade; Capacidades funcionais do paciente; Testes Especiais;  Testes Sensitivos e Reflexos; Exames Radiológicos; Diagnóstico Diferencial; Estado psicológico; Situação profissional. Fabio Mazzola
    48. 48. Tratamentos fisioterapia ortopedia cirurgia Fabio Mazzola
    49. 49. Objetivos Antálgico:  Contrato com o paciente; Solucionar  Mobilidade raquidiana; a  Capacidade muscular; causa.  Qualidade gestual;  Economia de energia;  Auto-reeducação;  Autonomia. Fabio Mazzola
    50. 50. Metódo Mézières
    51. 51. F. Mézières Em 1947, F. Mézières constatou numa paciente que apresentava dor lombar:  Que a sua musculatura paravertebral posterior não era fraca e insuficiente, mas pelo contrário estava retraída, demasiado curta e extremamente resistente.  Que esta musculatura posterior se comportava como um único músculo, como uma cadeia muscular da cabeça aos pés.
    52. 52. Cadeias MuscularesA abordagem das Cadeias Musculares é a identificação de um padrão existente no sistema musculoesquelético como unidade.
    53. 53. Cadeia Posterior(Pawlina, Olson, 1997 baseado em Souchard, 1998; Marques, 2000; Santos, 2002; Paiva, 2003)
    54. 54. Reflexo Antálgico É um evento fisiológico onde em presença de dor ou desequilíbrio, o corpo, para se defender, deforma-se e compensa (Cadeia Posterior- Lordose);  O corpo memoriza (mantém) a atitude que lhe permite não sentir a dor;
    55. 55. O Corpo Deforma-se eCompensa Em Lordose; Em Bloqueio diafragmático em inspiração; Em rotação interna dos membros.
    56. 56. Abordagem daTridimensionalidadeA Individualidade  Todo ser é único e indivisível e manifestará sua patologia de maneira única e individual.A Causalidade  Observar as alterações posturais partindo do efeito até a causa.A Globalidade  Corrigir ao mesmo tempo a sintomatologia, as fixações e a causa de uma patologia.
    57. 57. Intervencão Diminuiro tônus da musculatura posterior e ou lordosante: tensionar excentricamente uma cadeia muscular para impedir ou anular a contração compensadora, o tensionamento é duradouro, além de sua eslasticidade, afim de de gerar deformação plástica do músculo e dos materiais semi-fluidos (fáscia).
    58. 58. Respiração
    59. 59. Reeducação Postural Global(Pawlina, Olson, 1997 baseado em Souchard, 1998; Marques, 2000; Santos, 2002; Paiva, 2003)
    60. 60. Reeducação Postural Global ÂNGULO ABERTO ÂNGULO FECHADO1. D.D. 1. D.D.2. EM PÉ, COM APOIO 2. SENTADA3. EM PÉ, SEM APOIO 3. EM PÉ, INCLINADO
    61. 61. Reeducação Postural Global Diferentes Cadeias; Diferentes Posturas; Trabalho em Simetria; Ativo-Assistido; Respiração Paradoxal; Pelve em Posição Neutra.
    62. 62. RPG Contemporâneo AvaliaçãoBiomecânica; Manobras Preparatórias:  Exercícios Terapêuticos;  Manobras Neuromusculares;  Manobras Miofasciais;  Manobras Viscerais  Manobras Articulares;  Manobras Respiratórias; Sistema Reto; Sistema Cruzado Fabio Mazzola
    63. 63. Sistema Cruzado do Tronco Cadeia Cruzada Anterior Direita; Cadeia Cruzada Posterior Direita; Cadeia Cruzada Anterior Esquerda; Cadeia Cruzada Posterior Esquerda.
    64. 64. Sistema Cruzado
    65. 65. RPG Contemporâneo
    66. 66. Fisioterapia Exercícios Terapêuticos; Técnicas Neuromusculares / Estabilzação Segmentar; Liberação Miofascial; Mobilização Neural; Mobilizações Articulares; Reeducação Postural Global. Fabio Mazzola
    67. 67. Exercícios Terapêuticos Fabio Mazzola
    68. 68. Exercícios Terapêuticos Fabio Mazzola
    69. 69. Exercícios Terapêuticos Mostrar a virilha para o chão; Retro e Anteversão sentado; Treino para deitar; Treino para sentar; Postura lateral ativa; Prece Maometana; Tonificação em pé. Fabio Mazzola
    70. 70. Liberação Miofascial Fabio Mazzola
    71. 71. Liberação Miofascial Fabio Mazzola
    72. 72. Liberação Miofascial Pompage Global; Pompage de Sacro; Pompage Latíssimo do Dorso; Pompage Quadrado Lombar; Pompage de Iliopsoas; Pompage de Piriforme. Fabio Mazzola
    73. 73. Sacro Fabio Mazzola
    74. 74. Grande DorsalLatíssimo do Dorso Fabio Mazzola
    75. 75. Quadrado Lombar Fabio Mazzola
    76. 76. Iliopsoas Fabio Mazzola
    77. 77. Piriforme Fabio Mazzola
    78. 78. Mobilzação Neural Fabio Mazzola
    79. 79. Manipulações / MobilizaçõesArticulares; Conceito Sohier; Osteopatia. Fabio Mazzola
    80. 80. Teste de T8 à L5 Fabio Mazzola
    81. 81. Correção de T8 à L5 Fabio Mazzola
    82. 82. Teste L5-S1 Fabio Mazzola
    83. 83. Correção de L5 à S1 Fabio Mazzola
    84. 84. Teste de Barreira emAnteversão e Retroversão Fabio Mazzola
    85. 85. Correção Sacro Ilíaca Fabio Mazzola
    86. 86. RPG 1ª postura em ângulo aberto• Coluna apoiada perto de uma posição fisiológica;• Rotação externa de coxa e ligeira flexão de coxa e de perna;• Planta dos pés unidas. Fabio Mazzola
    87. 87. RPG 1ª postura em ângulo aberto• Coluna apoiada perto de uma posição fisiológica;• Coxas em posição neutra e pernas estendidas;• Dorsiflexão. Fabio Mazzola
    88. 88. RPG Fabio Mazzola
    89. 89. RPG1ª postura em ângulo fechado • Coluna apoiada perto de uma posição fisiológica; • Rotação externa e flexão (≈90°) de coxa; • Ligeira flexão de perna; • Dorsiflexão (calcanhar- calcanhar). Fabio Mazzola
    90. 90. RPG1ª postura em ângulo fechado • Coluna apoiada perto de uma posição fisiológica; • Coxa em 90° de flexão e pernas estendidas; • Pés unidos e dorsiflexão. Fabio Mazzola
    91. 91. RPG Fabio Mazzola
    92. 92. Artigo Evolução da média da EAV no decorrer das sessões.3,53,02,52,01,51,00,50,0 Ses. 1 Ses. 2 Ses. 3 Ses. 4 Ses. 5 Ses. 6 Ses. 7 Ses. 8 Fabio Mazzola
    93. 93. Artigo Comparação de respostas afirmativas do questionário Roland-Morris antes e após o tratamento.RM Qtde % var p-valorAntes 46 63,9% 5,0% <0,001Após 21 29,2% Abreviaturas: RM = Questionário Roland-Morris; Qtde = Quantidade de respostas afirmativas. Fabio Mazzola
    94. 94. www.mazzolaezaparoli.com.br f.mazzola@uol.com.br Facebook: RPG Mazzola e Zaparoli Fabio Mazzola

    ×