M1 fev

230 visualizações

Publicada em

Cardio

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
230
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

M1 fev

  1. 1. DESCOBRIR + Pacemaker
  2. 2. Batimento cardíaco ... o sinal para um batimento cardíaco começa no nódulo sinusal do coração, localizado na porção superior da aurícula direita. Numa pessoa saudável...Numa pessoa saudável... A partir do nódulo sinusal, o sinal normalmente viaja para o nódulo auriculoventricular e, em seguida, para os ventrículos, onde desencadeia uma contração do miocárdio e produz um batimento cardíaco. Aurícula direita NÓDULO SINUSAL NÓDULO AURICULOVENTRICULAR
  3. 3. Batimento cardíaco anormal Batimento cardíaco normal Taquicardia Bradicardia Batimento cardíaco irregular Se o nódulo sinusal não estiver a gerar sinais naturais de forma apropriada ou se existir uma interferência ao longo da via normal até aos ventrículos, existirão alterações no batimento cardíaco. Nestes casos o médico poderecomendar a colocação deum pacemaker! Nestes casos o médico poderecomendar a colocação deum pacemaker!
  4. 4. O pacemaker Um pacemaker é um dispositivo que regula electronicamente os batimentos cardíacos, monitoriza o ritmo cardíaco e, quando necessário, gera impulsos eléctricos indolores que desencadeiam um batimento cardíaco regular. É composto por um gerador de impulsos revestido por titânio e 1/2 fios que ligam o pacemaker ao coração. Tem uma bateria de iodeto de lítio com duração média de 8 anos. Pesa menos de 30 gramas. Em Portugal são implantados por ano cerca de 7000 pacemakers! Em Portugal são implantados por ano cerca de 7000 pacemakers!
  5. 5. O pacemaker É colocado sob a peleabaixo da clavícula. É colocado sob a peleabaixo da clavícula. Captar os batimentos cardíacos naturais. Gerar um impulso elétrico. Registar eletronicamente a atividade do pacemaker.  Os seus componentes eletrónicos permitem:
  6. 6. O pacemaker O nódulo sinusal funciona muito lentamente ou não aumenta a frequência em resposta ao exercício. SINTOMAS: tonturas, desmaios e falta de ar... É comum a implantação de um pacemaker em caso de:É comum a implantação de um pacemaker em caso de: DOENÇA DO NÓDULO SINUSAL BLOQUEIO CARDÍACO Os sinais provenientes do nódulo sinusal são completamente bloqueados ou sofrem um atraso significativo. SINTOMAS: tonturas, desmaios e falta de ar... X
  7. 7. Colocação do pacemaker • Análise da história clínica do paciente. • Realização de exames. • Deteção de alergias. • Listagem da medicação administrada. PRÉ-OPERATÓRIO • Anestesia local. • Pequena incisão (de 5 a 7,5 cm) na pele, abaixo da clavícula. • Introdução do(s) fio(s) condutor(es) através de uma veia, até ao coração. • Fixação das extremidades dos eléctrodos à parede cardíaca (monitorização através de raios X). • Ligação dos fios condutores ao gerador do pacemaker. • Criação de uma pequena bolsa na pele, sob a incisão, e alojamento do gerador. • Fecho da incisão com uma sutura. CIRURGIA (cerca de 1 h)
  8. 8. Colocação do pacemaker • Utilização de um instrumento magnético portátil para ajustar a programação do pacemaker. • Possibilidade de alta no próprio dia. PÓS-OPERATÓRIO • 6 SEMANAS DEPOIS: exame à cicatriz, análise do registo eletrónico do pacemaker e programação deste para as atividades da vida diária. • DE 6 EM 6 MESES: consultas de seguimento SEGUIMENTO A colocação de pacemakers é geralmente segura, embora possam ocorrer complicações (ex: infeções, perfuração do músculo cardíaco). A colocação de pacemakers é geralmente segura, embora possam ocorrer complicações (ex: infeções, perfuração do músculo cardíaco).
  9. 9. Precauções a ter Os portadores de pacemaker devem ter atenção à possibilidade de: Os portadores de pacemaker devem ter atenção à possibilidade de: DESLOCAMENTO DO MESMO INTERFERÊNCIAS ELETROMAGNÉTICAS EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS (ex: secador, microondas, TV): Sem restrições de utilização. TELEMÓVEL: Colocar no ouvido do lado oposto; não guardar no bolso da camisa em cima do pacemaker. AEROPORTOS E AVIÕES: Passar rapidamente nas portas de segurança; mostrar cartão de identificação de portador. OS RISCOS SÃO MÍNIMOS TÉCNICAS MÉDICAS (ex: TAC, radioterapia): Alertar antecipadamente os profissionais de saúde.
  10. 10. Cardiodesfibrilhadores implantáveis (CDI) Em Portugal sãoimplantados por anocerca de 720 CDI. Em Portugal sãoimplantados por anocerca de 720 CDI. Um CDI é um equipamento muito semelhante ao pacemaker, com a vantagem adicional de ser capaz de tratar adequadamente as arritmias cardíacas rápidas, particularmente a fibrilhação ventricular. É a única terapêutica eficaz para evitar a morte súbita em doentes com risco elevado de ter este tipo de arritmias (ex: doentes que já entraram em paragem cardíaca). Em casos de taquicardia, o CDI emite impulsos de estimulação: em 90% dos casos o coração regressa à normalidade. Quando a taquicardia de mantém, o CDI emite um impulso elétrico intenso (choque elétrico) com vista a retomar o ritmo cardíaco normal.

×