SlideShare uma empresa Scribd logo
Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel

Esse treinamento é composto de 10 questões tente responder em no
máximo    30 minutos.          Lembre que no ENEM a questão de controle do
tempo é imprescindível para a realização de uma prova tranqüila.
                                                                       Bom treinamento.
                                                                                    Emanuel

1. A bactéria Escherichia coli é comumente encontrada no corpo humano, no nosso aparelho
digestivo. São apenas alguns genes que separam a variedade inofensiva daquela que causa
preocupa a Alemanha, após causar mortes no país nos últimos dias, chamada de Escherichia
coli enterohemorrágica.
 Segundo o professor Wanderley Dias da Silveira, professor do Instituto de Biologia da
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), esses poucos genes dão as características
perigosas à variedade - como a capacidade de se prender às células intestinais. Além disso, a
bactéria produz uma toxina que pode causar trombos (coágulos no sangue) e, ao chegarem
aos rins, esses trombos podem causar insuficiência renal aguda, o que pode causar a morte do
paciente.
 A enterohemorrágica possui uma dose infectante baixa (apenas 100 bactérias são suficientes
para deixar uma pessoa doente), com tempo de incubação de entre três e quatro dias.
Segundo o professor, existem outros tipos de E. coli que podem levar à morte, e outros não tão
perigosos. A E. coli é responsável, por exemplo, por entre 80% e 90% dos casos de infecção
do trato urinário, mas sem causar risco à vida do paciente.
Outra variedade, mais grave, pode causar meningite em crianças com até 5 anos - mas Silveira
destaca que, atualmente, esse tipo é bem raro. Outro tipo perigoso para crianças é a
enteropatogênica, bem mais comum, inclusive no Brasil.
Mas como saber a diferença entre as variedades? Silveira explica que o sintoma mais comum
das variedades perigosas, com exceção da meningite, é diarreia com presença de sangue nas
fezes. Os demais sintomas são dor abdominal e febre baixa (que nem sempre é presente nos
pacientes).

A Escherichia coli é um organismo que tem como marca organizacional
a) ser parasita obrigatório.
b) não apresentar ribossomos.
c) não apresentar núcleo individualizado.
d) não apresentar DNA como material genético.
e) Serem todas geneticamente iguais


2. O uso prolongado de lentes de contato, sobretudo durante a noite, aliado a condições
precárias de higiene representam fatores de risco para o aparecimento de uma infecção
denominada ceratite microbiana, que causa ulceração inflamatória da córnea. Para interromper
o processo da doença, é necessário tratamento antibiótico.
De modo geral, os fatores de risco provocam a diminuição da oxigenação corneana e
determinam mudanças no seu metabolismo, de um estado aeróbico para anaeróbico.
Como decorrência, observa-se a diminuição no número e na velocidade de mitoses do epitélio,
o que predispõe ao aparecimento de defeitos epiteliais e à invasão bacteriana.

  CRESTA. F. Lente de contato e infecção ocular. Revista Sinopse de Oftalmologia. São Paulo:
                                                    Moreira Jr., v, n.04, 04. 2002 (adaptado).

A instalação das bactérias e o avanço do processo infeccioso na córnea estão relacionados a
algumas características gerais desses microrganismos, tais como:
Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel
a) A grande capacidade de adaptação, considerando as constantes mudanças no ambiente em
   que se reproduzem e o processo aeróbico como a melhor opção desses microrganismos
   para a obtenção de energia.
b) A grande capacidade de sofrer mutações, aumentando a probabilidade do aparecimento de
   formas resistentes e o processo anaeróbico da fermentação como a principal via de
   obtenção de energia.
c) A diversidade morfológica entre as bactérias, aumentando a variedade de tipos de agentes
   infecciosos e a nutrição heterotrófica, como forma de esses microrganismos obterem
   matéria-prima e energia.
d) O alto poder de reprodução, aumentando a variabilidade genética dos milhares de indivíduos
   e a nutrição heterotrófica, como única forma de obtenção de matéria-prima e energia desses
   microrganismos.
e) O alto poder de reprodução, originando milhares de descendentes geneticamente idênticos
   entre si e a diversidade metabólica, considerando processos aeróbicos e anaeróbicos para a
   obtenção de energia.

3. A utilização de células-tronco do próprio indivíduo (autotransplante) tem apresentado
sucesso como terapia medicinal para a regeneração de tecidos e órgãos cujas células perdidas
não têm capacidade de reprodução, principalmente em substituição aos transplantes, que
causam muitos problemas devido à rejeição pelos receptores.

O autotransplante pode causar menos problemas de rejeição quando comparado aos
transplantes tradicionais, realizados entre diferentes indivíduos. Isso porque as

a) células-tronco se mantém indiferenciadas após sua introdução no organismo do receptor.
b) células provenientes de transplantes entre diferentes indivíduos envelhecem e morrem
   rapidamente.
c) células-tronco, por serem doadas pelo próprio indivíduo receptor, apresentam material
   genético semelhante.
d) células transplantadas entre diferentes indivíduos se diferenciam em tecidos tumorais no
   receptor.
e) células provenientes de transplantes convencionais não se reproduzem dentro do corpo do
   receptor.

4. Atualmente, os pacientes suspeitos de serem portadores de câncer contam com aparelhos
precisos para o diagnóstico da doença.
Um deles é o PET-CT, uma fusão da medicina nuclear com a radiologia. “Esse equipamento é
capaz de rastrear o metabolismo da glicose e, consequentemente, as células tumorais”, afirma
um dos médicos especialistas.
O exame consiste na injeção de um radiofármaco (glicose marcada pelo material radioativo
Flúor 18) que se distribui pelo organismo, gerando imagens precisas que, registradas pelo
equipamento, permitem associar anatomia interna e funcionamento.

Dentre as características das células tumorais que favorecem o emprego do PET-CT, pode-se
dizer que apresentam
a) alto metabolismo e, consequentemente, consumo excessivo de glicose. Além disso,
   apresentam alto índice mitótico, falta de inibição por contato e capacidade para se instalarem
   em diferentes tecidos.
b) alto metabolismo e, consequentemente, consumo excessivo de glicose. Além disso,
   apresentam inibição por contato, o que favorece o desenvolvimento de tumores localizados.
c) alto metabolismo, o que favorece o acúmulo de glicose no hialoplasma. Além disso,
   apresentam alto índice mitótico, o que favorece a distribuição da glicose marcada por todo o
   tecido.
d) baixo metabolismo e, consequentemente, consumo excessivo de glicose. Além disso,
   apresentam baixo índice mitótico e inibição por contato, o que leva à instalação das células
   cancerosas em diferentes tecidos.
e) baixo metabolismo, o que favorece o acúmulo de glicose na área vascularizada ao redor do
   tecido tumoral. Além disso, apresentam intensa morte celular, o que provoca a migração de
   macrófagos marcados para a área do tecido doente.
Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel

5. Câncer é o termo genérico para descrever uma coleção de cerca de 150 doenças
diferentes, caracterizadas por uma rápida e anormal divisão celular do tecido e pela migração
de células cancerígenas para partes do corpo distantes da origem. Com a rápida e
desnecessária divisão celular, logo se forma um excesso de tecido, conhecido como tumor.

                                                   Adaptado de http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb

A primeira observação de que alguns medicamentos ou produtos químicos poderiam atuar em
tumores aconteceu na Segunda Guerra Mundial. Após vazamento de gás mostarda, pessoas
com tumores que ficaram expostas ao gás, tiveram redução nesses tumores. Sendo assim, a
quimioterapia é um tratamento que utiliza medicações específicas, as quais têm propriedade de
atuar “inativando” ou “destruindo” as células tumorais.

                                                               http://www.saudenainternet.co.br

O agente quimioterápico ideal mataria as células cancerígeras e seria inofensivo às células
sadias. Nenhum agente quimioterápico, por enquanto, atende a estes critérios, e os efetivos
são também os mais tóxicos para os humanos e, portanto, precisam ser cuidadosamente
controlados quando ministrados aos pacientes.

                                                                http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb

Uma pessoa com câncer foi submetida a um tratamento quimioterápico, após o qual não houve
formação de novas células tumorais.
A partir das informações contidas nos textos apresentados, é possível considerar que os
agentes quimioterápicos atuam sobre
a) a membrana plasmática, criando o encapsulamento do tumor.
b) a circulação sanguínea, destruindo vasos do organismo e evitando a metástase.
c) a células tornando-as novamente diferenciadas.
d) o material genético corrigindo eventuais danos.
e) algum ponto do ciclo celular, fazendo cessar as mitoses.

6. Enquanto ainda se discutia a hipótese da célula como constituinte fundamental de todos os
seres vivos, passou-se também a especular sobre a sua origem: as células formavam-se
espontaneamente ou teriam origem a partir de células preexistentes? A resposta veio com os
estudos de Walther Flemming, que descreveu, detalhadamente, o processo de divisão mitótica.
Esse e outros estudos levaram ao estabelecimento da Teoria Celular, uma das mais
importantes generalizações da história da Biologia, que é assim sintetizada: "Todos os seres
vivos são constituídos por células e por estruturas que elas produzem. As atividades essenciais
que caracterizam a vida ocorrem no interior das células, e novas células se formam pela
divisão de células já existentes". Assim, a compreensão do fenômeno da vida passa,
necessariamente, pelo conhecimento da célula.
        Adaptado de AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R. "Biologia das células". 2. ed. São Paulo:
Moderna, 2004.

De acordo com o texto, é correto afirmar:
a) Os seres vivos são semelhantes em sua constituição fundamental, uma vez que são
   capazes de se reproduzir sexuadamente.
b) Os seres vivos são semelhantes em muitos aspectos de sua constituição, uma vez que são
   formados por células iguais.
c) A célula, como unidade do ser vivo, possui núcleo individualizado e divide-se por mitose.
d) A célula, como unidade do ser vivo, forma-se espontaneamente a partir dos constituintes
   disponíveis no meio ambiente.
e) A célula é a unidade morfológica e fisiológica do ser vivo, e a continuidade da vida depende
   da reprodução celular.

7 . Alguns tecidos do organismo humano adulto se regeneram constantemente por meio de
Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel
um processo complexo e finamente regulado. Isso acontece com a pele, com os epitélios
intestinais e especialmente com o sangue, que tem suas células destruídas e renovadas
constantemente, como mostra o esquema a seguir:




Baseado nas informações anteriores e nos conhecimentos sobre o tema, considere as
afirmativas a seguir.

I. Células tronco hematopoéticas apresentam potencial para diferenciar-se em qualquer célula
do sangue e também gerar outras células tronco.
II. A hematopoese resulta da diferenciação e da proliferação simultânea de células tronco que,
à medida que se diferenciam, vão reduzindo sua potencialidade.
III. As diferentes linhagens hematopoéticas geradas no sistema apresentam altas taxas de
proliferação.
IV. Existe um aumento gradual da capacidade de auto-renovação das células durante este
processo.

A alternativa que contém todas as afirmativas corretas é:
a) I e II
b) I e IV
c) III e IV
d) I, II, e III
e) II, III, IV

8. Experimentos recentes indicam que células-tronco retiradas da medula óssea de um
indivíduo adulto, portador de lesão no miocárdio, puderam formar tecido normal quando
implantadas na região lesada do coração. As células-tronco podem ser retiradas, também, de
embriões em sua fase inicial de desenvolvimento.
A tabela a seguir informa as características de algumas variáveis analisadas em células-tronco
embrionárias e adultas.
Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel




Considerando o uso terapêutico das células-tronco, a alternativa que indica o tipo de célula que
possui a característica mais vantajosa para as variáveis I, II e III, respectivamente, é:
a) embrionária - adulta - adulta
b) adulta - embrionária - adulta
c) embrionária - adulta - embrionária
d) embrionária - embrionária – embrionária
e) adulta – adulta - adulta

09. A água é um dos componentes mais importantes das células. A tabela a seguir mostra
como a quantidade de água varia em seres humanos, dependendo do tipo de célula. Em
média, a água corresponde a 70% da composição química de um indivíduo normal.

                                         Quantidade
            Tipo de célula
                                          de água
 Tecido nervoso – substância cinzenta       85%
  Tecido nervoso – substância branca        70%
            Medula óssea                    75%
           Tecido conjuntivo                60%
            Tecido adiposo                  15%
              Hemácias                      65%
          Ossos sem medula                  20%

Durante uma biópsia, foi isolada uma amostra de tecido para análise em um laboratório.
Enquanto intacta, essa amostra pesava 200 mg. Após secagem em estufa, quando se retirou
toda a água do tecido, a amostra passou a pesar 80 mg. Baseado na tabela, pode-se afirmar
que essa é uma amostra de
a) tecido nervoso - substância cinzenta.
b) tecido nervoso - substância branca.
c) hemácias.
d) tecido conjuntivo.
e) tecido adiposo.

10. Com base na figura, assinale a alternativa correta sobre células
Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel




a) Devido a diversidade celular, a maior parte dos tipos celulares de um mesmo organismo são
   geneticamente diferentes.
b) A forma de uma célula relaciona-se diretamente com seu tempo de vida.
c) A única célula flagelada no corpo humano são as do epitélio traqueal.
d) As formas celulares apresentadas acima possuem grande capacidade de divisão celular.
e) Todas as células esquematizadas possuem sistema de endomembranas e citoesqueleto.


Gabarito:

Resposta da questão 1:
[C]
Por ser uma célula procariótica a E. coli não possui carioteca,sedo dotade de núcleo difuso.

Resposta da questão 2:
[E]
Bactérias reproduzem-se assexuadamente por bipartição (cissiparidade) e podem realizar tanto
a respiração aeróbia, quanto a anaeróbia.

Resposta da questão 3:
 [C]
O autotransplante de células tronco diminui a possibilidade de rejeição, pois elas são
semelhantes geneticamente às células do receptor.

Resposta da questão 4:
 [A]
As células cancerosas têm como características marcantes: a grande capacidade de divisão
celular, a falta de inibição por contato devido ao não reconhecimento das células vizinhas e o
alto metabolismo, levando a um consumo excessivo de glicose.

Resposta da questão 5:
[E]
Os quimioterápicos anticâncer efetivos conseguem impedir a multiplicação de células tumorais,
bloqueando o ciclo celular em algum ponto. Existem medicamentos que impedem a síntese do
DNA durante a interfase; outros não permitem a formação de microtúbulos do fuso mitótico e
ainda há aqueles que contêm anticorpos que destroem as células cancerígenas, entre outras
abordagens quimioterapêuticas.

Resposta da questão 6:
[E]
Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel
Segundo a teoria celular a célula é a unidade formadora da vida e dotada de capacidade
reprodutiva.

Resposta da questão 7:
 [A]
III. Hemácias não se dividem
IV. A medida que a diferenciação aumenta a capcidade de auto renovação diminui

Resposta da questão 8:
[C]
A CTE tem maior potencial de proliferação em tecidos
A CTA possibilita mais tipos de transplantes
A CTE é mais facilmente cultivada em laboratório

Resposta da questão 9:
[D]
Após a secagem, a amostra de tecido passou de 200 mg para 80 mg, revelando que o teor
hídrico do tecido analisado era de 120 mg. Percebe-se que 120 mg correspondem a 60% de
água. Logo, a amostra é de tecido conjuntivo.

Resposta da questão 10:
[E]
Todas as células citadas são eucarióticas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Treinamento aberto II - Bahiana de medicina
Treinamento aberto II - Bahiana de medicinaTreinamento aberto II - Bahiana de medicina
Treinamento aberto II - Bahiana de medicina
emanuel
 
Treinamento origem da vida
Treinamento origem da vidaTreinamento origem da vida
Treinamento origem da vida
emanuel
 
1° simulado 2014 / Curso Popular / UEPA Salvaterra
1° simulado 2014 / Curso Popular  / UEPA Salvaterra1° simulado 2014 / Curso Popular  / UEPA Salvaterra
1° simulado 2014 / Curso Popular / UEPA Salvaterra
Wender Gomes
 
Treinamento para a AV1 - II bimestre
Treinamento para a AV1 - II  bimestreTreinamento para a AV1 - II  bimestre
Treinamento para a AV1 - II bimestre
emanuel
 
AV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COC
AV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COCAV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COC
AV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COC
emanuel
 
Questoes da bahiana com gabarito
Questoes da bahiana com gabarito Questoes da bahiana com gabarito
Questoes da bahiana com gabarito
brandaobio
 
Treinamento proteína e vitaminas
Treinamento proteína e vitaminasTreinamento proteína e vitaminas
Treinamento proteína e vitaminas
emanuel
 
Areal teste 11 bg_outubro 2021
Areal teste 11 bg_outubro 2021Areal teste 11 bg_outubro 2021
Areal teste 11 bg_outubro 2021
Vanda Sirgado
 
AV1 - ciências humanas e naturais- II bimestre
AV1  - ciências humanas e naturais- II bimestreAV1  - ciências humanas e naturais- II bimestre
AV1 - ciências humanas e naturais- II bimestre
emanuel
 
Treinamento Bahiana - 2ª etapa
Treinamento Bahiana -  2ª etapaTreinamento Bahiana -  2ª etapa
Treinamento Bahiana - 2ª etapa
emanuel
 
Treinamento cariologia
Treinamento cariologiaTreinamento cariologia
Treinamento cariologia
emanuel
 
Treinamento prova - 3. ano
Treinamento prova - 3. anoTreinamento prova - 3. ano
Treinamento prova - 3. ano
emanuel
 
Revisão bahiana 2
Revisão bahiana 2Revisão bahiana 2
Revisão bahiana 2
bioemanuel
 
Teste de Biologia (3º Teste) - Global
Teste de Biologia (3º Teste) - GlobalTeste de Biologia (3º Teste) - Global
Teste de Biologia (3º Teste) - Global
Isaura Mourão
 
Laboratorio de Genética Molecular Bacteriana - UFRJ
Laboratorio de Genética Molecular Bacteriana  - UFRJLaboratorio de Genética Molecular Bacteriana  - UFRJ
Laboratorio de Genética Molecular Bacteriana - UFRJ
Hebert H. Soto Gonzales, Ph. D
 
Treinamento Sangue
Treinamento SangueTreinamento Sangue
Treinamento Sangue
emanuel
 
Teste 1 versão ii
Teste 1 versão iiTeste 1 versão ii
Teste 1 versão ii
joseeira
 
3 ano atividade 1 respostas
3 ano atividade 1 respostas3 ano atividade 1 respostas
3 ano atividade 1 respostas
Gustavo Pessoa
 
Treinamento para AV2 - Biologia
Treinamento para AV2 - BiologiaTreinamento para AV2 - Biologia
Treinamento para AV2 - Biologia
emanuel
 
EXERCÍCIOS DOS TESTES INTERMÉDIOS
EXERCÍCIOS DOS TESTES INTERMÉDIOSEXERCÍCIOS DOS TESTES INTERMÉDIOS
EXERCÍCIOS DOS TESTES INTERMÉDIOS
sandranascimento
 

Mais procurados (20)

Treinamento aberto II - Bahiana de medicina
Treinamento aberto II - Bahiana de medicinaTreinamento aberto II - Bahiana de medicina
Treinamento aberto II - Bahiana de medicina
 
Treinamento origem da vida
Treinamento origem da vidaTreinamento origem da vida
Treinamento origem da vida
 
1° simulado 2014 / Curso Popular / UEPA Salvaterra
1° simulado 2014 / Curso Popular  / UEPA Salvaterra1° simulado 2014 / Curso Popular  / UEPA Salvaterra
1° simulado 2014 / Curso Popular / UEPA Salvaterra
 
Treinamento para a AV1 - II bimestre
Treinamento para a AV1 - II  bimestreTreinamento para a AV1 - II  bimestre
Treinamento para a AV1 - II bimestre
 
AV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COC
AV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COCAV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COC
AV1 de ciências humanas e naturais - Colégio Sartre COC
 
Questoes da bahiana com gabarito
Questoes da bahiana com gabarito Questoes da bahiana com gabarito
Questoes da bahiana com gabarito
 
Treinamento proteína e vitaminas
Treinamento proteína e vitaminasTreinamento proteína e vitaminas
Treinamento proteína e vitaminas
 
Areal teste 11 bg_outubro 2021
Areal teste 11 bg_outubro 2021Areal teste 11 bg_outubro 2021
Areal teste 11 bg_outubro 2021
 
AV1 - ciências humanas e naturais- II bimestre
AV1  - ciências humanas e naturais- II bimestreAV1  - ciências humanas e naturais- II bimestre
AV1 - ciências humanas e naturais- II bimestre
 
Treinamento Bahiana - 2ª etapa
Treinamento Bahiana -  2ª etapaTreinamento Bahiana -  2ª etapa
Treinamento Bahiana - 2ª etapa
 
Treinamento cariologia
Treinamento cariologiaTreinamento cariologia
Treinamento cariologia
 
Treinamento prova - 3. ano
Treinamento prova - 3. anoTreinamento prova - 3. ano
Treinamento prova - 3. ano
 
Revisão bahiana 2
Revisão bahiana 2Revisão bahiana 2
Revisão bahiana 2
 
Teste de Biologia (3º Teste) - Global
Teste de Biologia (3º Teste) - GlobalTeste de Biologia (3º Teste) - Global
Teste de Biologia (3º Teste) - Global
 
Laboratorio de Genética Molecular Bacteriana - UFRJ
Laboratorio de Genética Molecular Bacteriana  - UFRJLaboratorio de Genética Molecular Bacteriana  - UFRJ
Laboratorio de Genética Molecular Bacteriana - UFRJ
 
Treinamento Sangue
Treinamento SangueTreinamento Sangue
Treinamento Sangue
 
Teste 1 versão ii
Teste 1 versão iiTeste 1 versão ii
Teste 1 versão ii
 
3 ano atividade 1 respostas
3 ano atividade 1 respostas3 ano atividade 1 respostas
3 ano atividade 1 respostas
 
Treinamento para AV2 - Biologia
Treinamento para AV2 - BiologiaTreinamento para AV2 - Biologia
Treinamento para AV2 - Biologia
 
EXERCÍCIOS DOS TESTES INTERMÉDIOS
EXERCÍCIOS DOS TESTES INTERMÉDIOSEXERCÍCIOS DOS TESTES INTERMÉDIOS
EXERCÍCIOS DOS TESTES INTERMÉDIOS
 

Destaque

Citologia aula 01de lúzia
Citologia aula 01de lúziaCitologia aula 01de lúzia
Citologia aula 01de lúzia
luziabiologa2010
 
Biologia citologia divisao_celular_mitose_meiose_gabarito (1)
Biologia citologia divisao_celular_mitose_meiose_gabarito (1)Biologia citologia divisao_celular_mitose_meiose_gabarito (1)
Biologia citologia divisao_celular_mitose_meiose_gabarito (1)
Maria Marinho
 
Apresentação sobre células citologia
Apresentação sobre células    citologiaApresentação sobre células    citologia
Apresentação sobre células citologia
Teus_matt
 
Biologia citologia exercicios
Biologia citologia exerciciosBiologia citologia exercicios
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
Bellaprd
 
Citologia I
Citologia ICitologia I
Citologia I
Glayson Sombra
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
patyecologica
 
Citologia 2012.ppt 2
Citologia  2012.ppt 2Citologia  2012.ppt 2
Citologia 2012.ppt 2
brandaobio
 
Vitaminas Hidrossolúveis B1, B2, B3, B5, e B6
Vitaminas Hidrossolúveis  B1, B2, B3, B5, e B6Vitaminas Hidrossolúveis  B1, B2, B3, B5, e B6
Vitaminas Hidrossolúveis B1, B2, B3, B5, e B6
nenhuma
 
Vitaminas hidrossolúveis
Vitaminas hidrossolúveisVitaminas hidrossolúveis
Vitaminas hidrossolúveis
rafael
 
The cell - Introdução a citologia
The cell - Introdução a citologiaThe cell - Introdução a citologia
The cell - Introdução a citologia
emanuel
 
Treinamento consultec introdução citologia
Treinamento consultec   introdução citologiaTreinamento consultec   introdução citologia
Treinamento consultec introdução citologia
emanuel
 
Biomoleculas
BiomoleculasBiomoleculas
Biomoleculas
emanuel
 
Diferenciação celular das linhagens somática e germinativa
Diferenciação celular das linhagens somática e germinativaDiferenciação celular das linhagens somática e germinativa
Diferenciação celular das linhagens somática e germinativa
emanuel
 
Leitura complementar de imunologia II
Leitura complementar de imunologia IILeitura complementar de imunologia II
Leitura complementar de imunologia II
emanuel
 
2º simulado do Super Super MED
2º simulado do Super Super MED2º simulado do Super Super MED
2º simulado do Super Super MED
emanuel
 
Treinamento aberto III - Bahiana de Medicina
Treinamento aberto III -  Bahiana de MedicinaTreinamento aberto III -  Bahiana de Medicina
Treinamento aberto III - Bahiana de Medicina
emanuel
 
Leitura de Introdução a fisiologia Humana
Leitura de Introdução a fisiologia HumanaLeitura de Introdução a fisiologia Humana
Leitura de Introdução a fisiologia Humana
emanuel
 
Av2 de biologia,química e física
Av2 de biologia,química e físicaAv2 de biologia,química e física
Av2 de biologia,química e física
emanuel
 
15 joias da evolucao
15 joias da evolucao15 joias da evolucao
15 joias da evolucao
emanuel
 

Destaque (20)

Citologia aula 01de lúzia
Citologia aula 01de lúziaCitologia aula 01de lúzia
Citologia aula 01de lúzia
 
Biologia citologia divisao_celular_mitose_meiose_gabarito (1)
Biologia citologia divisao_celular_mitose_meiose_gabarito (1)Biologia citologia divisao_celular_mitose_meiose_gabarito (1)
Biologia citologia divisao_celular_mitose_meiose_gabarito (1)
 
Apresentação sobre células citologia
Apresentação sobre células    citologiaApresentação sobre células    citologia
Apresentação sobre células citologia
 
Biologia citologia exercicios
Biologia citologia exerciciosBiologia citologia exercicios
Biologia citologia exercicios
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Citologia I
Citologia ICitologia I
Citologia I
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Citologia 2012.ppt 2
Citologia  2012.ppt 2Citologia  2012.ppt 2
Citologia 2012.ppt 2
 
Vitaminas Hidrossolúveis B1, B2, B3, B5, e B6
Vitaminas Hidrossolúveis  B1, B2, B3, B5, e B6Vitaminas Hidrossolúveis  B1, B2, B3, B5, e B6
Vitaminas Hidrossolúveis B1, B2, B3, B5, e B6
 
Vitaminas hidrossolúveis
Vitaminas hidrossolúveisVitaminas hidrossolúveis
Vitaminas hidrossolúveis
 
The cell - Introdução a citologia
The cell - Introdução a citologiaThe cell - Introdução a citologia
The cell - Introdução a citologia
 
Treinamento consultec introdução citologia
Treinamento consultec   introdução citologiaTreinamento consultec   introdução citologia
Treinamento consultec introdução citologia
 
Biomoleculas
BiomoleculasBiomoleculas
Biomoleculas
 
Diferenciação celular das linhagens somática e germinativa
Diferenciação celular das linhagens somática e germinativaDiferenciação celular das linhagens somática e germinativa
Diferenciação celular das linhagens somática e germinativa
 
Leitura complementar de imunologia II
Leitura complementar de imunologia IILeitura complementar de imunologia II
Leitura complementar de imunologia II
 
2º simulado do Super Super MED
2º simulado do Super Super MED2º simulado do Super Super MED
2º simulado do Super Super MED
 
Treinamento aberto III - Bahiana de Medicina
Treinamento aberto III -  Bahiana de MedicinaTreinamento aberto III -  Bahiana de Medicina
Treinamento aberto III - Bahiana de Medicina
 
Leitura de Introdução a fisiologia Humana
Leitura de Introdução a fisiologia HumanaLeitura de Introdução a fisiologia Humana
Leitura de Introdução a fisiologia Humana
 
Av2 de biologia,química e física
Av2 de biologia,química e físicaAv2 de biologia,química e física
Av2 de biologia,química e física
 
15 joias da evolucao
15 joias da evolucao15 joias da evolucao
15 joias da evolucao
 

Semelhante a Treinamento enem introdução a citologia

Cancer biosseguranca
Cancer biossegurancaCancer biosseguranca
Cancer biosseguranca
Fabiana Souto
 
câncer
 câncer câncer
câncer
Alison Regis
 
C+óncer
C+óncerC+óncer
C+óncer
Glauco Duarte
 
Micobactérias Atípicas, de Crescimento Rápido, Não tuberculosa
Micobactérias Atípicas, de Crescimento Rápido, Não tuberculosaMicobactérias Atípicas, de Crescimento Rápido, Não tuberculosa
Micobactérias Atípicas, de Crescimento Rápido, Não tuberculosa
Euripedes A Barbosa
 
Artigo câncer causas, prevenção e tratamento
Artigo câncer   causas, prevenção e tratamentoArtigo câncer   causas, prevenção e tratamento
Artigo câncer causas, prevenção e tratamento
Aline Silva
 
Introdução metodologia- pibic-joyce 30-08
Introdução   metodologia- pibic-joyce 30-08Introdução   metodologia- pibic-joyce 30-08
Introdução metodologia- pibic-joyce 30-08
Fabiano Muniz
 
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célulaRevisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
emanuel
 
Prv b 1 ta 1bim_2012_respondida
Prv b 1 ta 1bim_2012_respondidaPrv b 1 ta 1bim_2012_respondida
Prv b 1 ta 1bim_2012_respondida
CotucaAmbiental
 
Biologia-ENEM-Questoes-por-assunto.pdf
Biologia-ENEM-Questoes-por-assunto.pdfBiologia-ENEM-Questoes-por-assunto.pdf
Biologia-ENEM-Questoes-por-assunto.pdf
TulioAugustoCavalhae
 
Animais tramsgênicos e clonagem, importancia para a
Animais tramsgênicos e clonagem, importancia para aAnimais tramsgênicos e clonagem, importancia para a
Animais tramsgênicos e clonagem, importancia para a
JULIO BUSIGNANI, MÉDICO VETERINÁRIO
 
Exercícios de genética projeto medicina
Exercícios de genética projeto medicinaExercícios de genética projeto medicina
Exercícios de genética projeto medicina
Caio Augusto
 
AULA 3 MICROBIOLOGIA DA AREA DA ENFERMAGEM
AULA 3 MICROBIOLOGIA DA AREA DA ENFERMAGEMAULA 3 MICROBIOLOGIA DA AREA DA ENFERMAGEM
AULA 3 MICROBIOLOGIA DA AREA DA ENFERMAGEM
izabellinurse
 
Neoplasia trabalho pronto
Neoplasia trabalho prontoNeoplasia trabalho pronto
Neoplasia trabalho pronto
Fernanda Kokol
 
Inflamaçãoeo cancer
Inflamaçãoeo cancerInflamaçãoeo cancer
Inflamaçãoeo cancer
Ligia Amaral
 
Citometria de fluxo
Citometria de fluxoCitometria de fluxo
Citometria de fluxo
Nati Yassunaka
 
Conhecimentos básicos em enfermagem
Conhecimentos básicos em enfermagemConhecimentos básicos em enfermagem
Conhecimentos básicos em enfermagem
Virginia Scalia
 
UNEB
UNEBUNEB
Curso antibióticos e resistência bacteriana prof ana claudia
Curso antibióticos e resistência bacteriana prof ana claudiaCurso antibióticos e resistência bacteriana prof ana claudia
Curso antibióticos e resistência bacteriana prof ana claudia
Douglas Lício
 
câncer
câncercâncer
Manipulação genética
Manipulação  genéticaManipulação  genética
Manipulação genética
Sandra Figueiredo
 

Semelhante a Treinamento enem introdução a citologia (20)

Cancer biosseguranca
Cancer biossegurancaCancer biosseguranca
Cancer biosseguranca
 
câncer
 câncer câncer
câncer
 
C+óncer
C+óncerC+óncer
C+óncer
 
Micobactérias Atípicas, de Crescimento Rápido, Não tuberculosa
Micobactérias Atípicas, de Crescimento Rápido, Não tuberculosaMicobactérias Atípicas, de Crescimento Rápido, Não tuberculosa
Micobactérias Atípicas, de Crescimento Rápido, Não tuberculosa
 
Artigo câncer causas, prevenção e tratamento
Artigo câncer   causas, prevenção e tratamentoArtigo câncer   causas, prevenção e tratamento
Artigo câncer causas, prevenção e tratamento
 
Introdução metodologia- pibic-joyce 30-08
Introdução   metodologia- pibic-joyce 30-08Introdução   metodologia- pibic-joyce 30-08
Introdução metodologia- pibic-joyce 30-08
 
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célulaRevisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
Revisão ENEM III - Aspectos gerais da célula
 
Prv b 1 ta 1bim_2012_respondida
Prv b 1 ta 1bim_2012_respondidaPrv b 1 ta 1bim_2012_respondida
Prv b 1 ta 1bim_2012_respondida
 
Biologia-ENEM-Questoes-por-assunto.pdf
Biologia-ENEM-Questoes-por-assunto.pdfBiologia-ENEM-Questoes-por-assunto.pdf
Biologia-ENEM-Questoes-por-assunto.pdf
 
Animais tramsgênicos e clonagem, importancia para a
Animais tramsgênicos e clonagem, importancia para aAnimais tramsgênicos e clonagem, importancia para a
Animais tramsgênicos e clonagem, importancia para a
 
Exercícios de genética projeto medicina
Exercícios de genética projeto medicinaExercícios de genética projeto medicina
Exercícios de genética projeto medicina
 
AULA 3 MICROBIOLOGIA DA AREA DA ENFERMAGEM
AULA 3 MICROBIOLOGIA DA AREA DA ENFERMAGEMAULA 3 MICROBIOLOGIA DA AREA DA ENFERMAGEM
AULA 3 MICROBIOLOGIA DA AREA DA ENFERMAGEM
 
Neoplasia trabalho pronto
Neoplasia trabalho prontoNeoplasia trabalho pronto
Neoplasia trabalho pronto
 
Inflamaçãoeo cancer
Inflamaçãoeo cancerInflamaçãoeo cancer
Inflamaçãoeo cancer
 
Citometria de fluxo
Citometria de fluxoCitometria de fluxo
Citometria de fluxo
 
Conhecimentos básicos em enfermagem
Conhecimentos básicos em enfermagemConhecimentos básicos em enfermagem
Conhecimentos básicos em enfermagem
 
UNEB
UNEBUNEB
UNEB
 
Curso antibióticos e resistência bacteriana prof ana claudia
Curso antibióticos e resistência bacteriana prof ana claudiaCurso antibióticos e resistência bacteriana prof ana claudia
Curso antibióticos e resistência bacteriana prof ana claudia
 
câncer
câncercâncer
câncer
 
Manipulação genética
Manipulação  genéticaManipulação  genética
Manipulação genética
 

Mais de emanuel

Revisão bahiana 2ª etapa
Revisão bahiana 2ª etapaRevisão bahiana 2ª etapa
Revisão bahiana 2ª etapa
emanuel
 
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃORevisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
emanuel
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
emanuel
 
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
3° simulado ENEM -  matematica e linguagens3° simulado ENEM -  matematica e linguagens
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
emanuel
 
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
emanuel
 
Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologia
emanuel
 
Noções de Cladistica
Noções de CladisticaNoções de Cladistica
Noções de Cladistica
emanuel
 
Sistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatórioSistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatório
emanuel
 
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
emanuel
 
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
emanuel
 
1º simulado Enem Compacto
1º simulado   Enem Compacto 1º simulado   Enem Compacto
1º simulado Enem Compacto
emanuel
 
Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1
emanuel
 
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
emanuel
 
Ecologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organizaçãoEcologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organização
emanuel
 
Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)
emanuel
 
Lista de Histologia Animal
Lista de Histologia AnimalLista de Histologia Animal
Lista de Histologia Animal
emanuel
 
Reino Monera 2015
Reino Monera 2015Reino Monera 2015
Reino Monera 2015
emanuel
 
Aula dica 2014
Aula dica 2014Aula dica 2014
Aula dica 2014
emanuel
 
Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas
emanuel
 
Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014
emanuel
 

Mais de emanuel (20)

Revisão bahiana 2ª etapa
Revisão bahiana 2ª etapaRevisão bahiana 2ª etapa
Revisão bahiana 2ª etapa
 
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃORevisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
 
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
3° simulado ENEM -  matematica e linguagens3° simulado ENEM -  matematica e linguagens
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
 
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
 
Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologia
 
Noções de Cladistica
Noções de CladisticaNoções de Cladistica
Noções de Cladistica
 
Sistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatórioSistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatório
 
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
 
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
 
1º simulado Enem Compacto
1º simulado   Enem Compacto 1º simulado   Enem Compacto
1º simulado Enem Compacto
 
Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1
 
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
 
Ecologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organizaçãoEcologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organização
 
Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)
 
Lista de Histologia Animal
Lista de Histologia AnimalLista de Histologia Animal
Lista de Histologia Animal
 
Reino Monera 2015
Reino Monera 2015Reino Monera 2015
Reino Monera 2015
 
Aula dica 2014
Aula dica 2014Aula dica 2014
Aula dica 2014
 
Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas
 
Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014
 

Treinamento enem introdução a citologia

  • 1. Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel Esse treinamento é composto de 10 questões tente responder em no máximo 30 minutos. Lembre que no ENEM a questão de controle do tempo é imprescindível para a realização de uma prova tranqüila. Bom treinamento. Emanuel 1. A bactéria Escherichia coli é comumente encontrada no corpo humano, no nosso aparelho digestivo. São apenas alguns genes que separam a variedade inofensiva daquela que causa preocupa a Alemanha, após causar mortes no país nos últimos dias, chamada de Escherichia coli enterohemorrágica. Segundo o professor Wanderley Dias da Silveira, professor do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), esses poucos genes dão as características perigosas à variedade - como a capacidade de se prender às células intestinais. Além disso, a bactéria produz uma toxina que pode causar trombos (coágulos no sangue) e, ao chegarem aos rins, esses trombos podem causar insuficiência renal aguda, o que pode causar a morte do paciente. A enterohemorrágica possui uma dose infectante baixa (apenas 100 bactérias são suficientes para deixar uma pessoa doente), com tempo de incubação de entre três e quatro dias. Segundo o professor, existem outros tipos de E. coli que podem levar à morte, e outros não tão perigosos. A E. coli é responsável, por exemplo, por entre 80% e 90% dos casos de infecção do trato urinário, mas sem causar risco à vida do paciente. Outra variedade, mais grave, pode causar meningite em crianças com até 5 anos - mas Silveira destaca que, atualmente, esse tipo é bem raro. Outro tipo perigoso para crianças é a enteropatogênica, bem mais comum, inclusive no Brasil. Mas como saber a diferença entre as variedades? Silveira explica que o sintoma mais comum das variedades perigosas, com exceção da meningite, é diarreia com presença de sangue nas fezes. Os demais sintomas são dor abdominal e febre baixa (que nem sempre é presente nos pacientes). A Escherichia coli é um organismo que tem como marca organizacional a) ser parasita obrigatório. b) não apresentar ribossomos. c) não apresentar núcleo individualizado. d) não apresentar DNA como material genético. e) Serem todas geneticamente iguais 2. O uso prolongado de lentes de contato, sobretudo durante a noite, aliado a condições precárias de higiene representam fatores de risco para o aparecimento de uma infecção denominada ceratite microbiana, que causa ulceração inflamatória da córnea. Para interromper o processo da doença, é necessário tratamento antibiótico. De modo geral, os fatores de risco provocam a diminuição da oxigenação corneana e determinam mudanças no seu metabolismo, de um estado aeróbico para anaeróbico. Como decorrência, observa-se a diminuição no número e na velocidade de mitoses do epitélio, o que predispõe ao aparecimento de defeitos epiteliais e à invasão bacteriana. CRESTA. F. Lente de contato e infecção ocular. Revista Sinopse de Oftalmologia. São Paulo: Moreira Jr., v, n.04, 04. 2002 (adaptado). A instalação das bactérias e o avanço do processo infeccioso na córnea estão relacionados a algumas características gerais desses microrganismos, tais como:
  • 2. Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel a) A grande capacidade de adaptação, considerando as constantes mudanças no ambiente em que se reproduzem e o processo aeróbico como a melhor opção desses microrganismos para a obtenção de energia. b) A grande capacidade de sofrer mutações, aumentando a probabilidade do aparecimento de formas resistentes e o processo anaeróbico da fermentação como a principal via de obtenção de energia. c) A diversidade morfológica entre as bactérias, aumentando a variedade de tipos de agentes infecciosos e a nutrição heterotrófica, como forma de esses microrganismos obterem matéria-prima e energia. d) O alto poder de reprodução, aumentando a variabilidade genética dos milhares de indivíduos e a nutrição heterotrófica, como única forma de obtenção de matéria-prima e energia desses microrganismos. e) O alto poder de reprodução, originando milhares de descendentes geneticamente idênticos entre si e a diversidade metabólica, considerando processos aeróbicos e anaeróbicos para a obtenção de energia. 3. A utilização de células-tronco do próprio indivíduo (autotransplante) tem apresentado sucesso como terapia medicinal para a regeneração de tecidos e órgãos cujas células perdidas não têm capacidade de reprodução, principalmente em substituição aos transplantes, que causam muitos problemas devido à rejeição pelos receptores. O autotransplante pode causar menos problemas de rejeição quando comparado aos transplantes tradicionais, realizados entre diferentes indivíduos. Isso porque as a) células-tronco se mantém indiferenciadas após sua introdução no organismo do receptor. b) células provenientes de transplantes entre diferentes indivíduos envelhecem e morrem rapidamente. c) células-tronco, por serem doadas pelo próprio indivíduo receptor, apresentam material genético semelhante. d) células transplantadas entre diferentes indivíduos se diferenciam em tecidos tumorais no receptor. e) células provenientes de transplantes convencionais não se reproduzem dentro do corpo do receptor. 4. Atualmente, os pacientes suspeitos de serem portadores de câncer contam com aparelhos precisos para o diagnóstico da doença. Um deles é o PET-CT, uma fusão da medicina nuclear com a radiologia. “Esse equipamento é capaz de rastrear o metabolismo da glicose e, consequentemente, as células tumorais”, afirma um dos médicos especialistas. O exame consiste na injeção de um radiofármaco (glicose marcada pelo material radioativo Flúor 18) que se distribui pelo organismo, gerando imagens precisas que, registradas pelo equipamento, permitem associar anatomia interna e funcionamento. Dentre as características das células tumorais que favorecem o emprego do PET-CT, pode-se dizer que apresentam a) alto metabolismo e, consequentemente, consumo excessivo de glicose. Além disso, apresentam alto índice mitótico, falta de inibição por contato e capacidade para se instalarem em diferentes tecidos. b) alto metabolismo e, consequentemente, consumo excessivo de glicose. Além disso, apresentam inibição por contato, o que favorece o desenvolvimento de tumores localizados. c) alto metabolismo, o que favorece o acúmulo de glicose no hialoplasma. Além disso, apresentam alto índice mitótico, o que favorece a distribuição da glicose marcada por todo o tecido. d) baixo metabolismo e, consequentemente, consumo excessivo de glicose. Além disso, apresentam baixo índice mitótico e inibição por contato, o que leva à instalação das células cancerosas em diferentes tecidos. e) baixo metabolismo, o que favorece o acúmulo de glicose na área vascularizada ao redor do tecido tumoral. Além disso, apresentam intensa morte celular, o que provoca a migração de macrófagos marcados para a área do tecido doente.
  • 3. Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel 5. Câncer é o termo genérico para descrever uma coleção de cerca de 150 doenças diferentes, caracterizadas por uma rápida e anormal divisão celular do tecido e pela migração de células cancerígenas para partes do corpo distantes da origem. Com a rápida e desnecessária divisão celular, logo se forma um excesso de tecido, conhecido como tumor. Adaptado de http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb A primeira observação de que alguns medicamentos ou produtos químicos poderiam atuar em tumores aconteceu na Segunda Guerra Mundial. Após vazamento de gás mostarda, pessoas com tumores que ficaram expostas ao gás, tiveram redução nesses tumores. Sendo assim, a quimioterapia é um tratamento que utiliza medicações específicas, as quais têm propriedade de atuar “inativando” ou “destruindo” as células tumorais. http://www.saudenainternet.co.br O agente quimioterápico ideal mataria as células cancerígeras e seria inofensivo às células sadias. Nenhum agente quimioterápico, por enquanto, atende a estes critérios, e os efetivos são também os mais tóxicos para os humanos e, portanto, precisam ser cuidadosamente controlados quando ministrados aos pacientes. http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb Uma pessoa com câncer foi submetida a um tratamento quimioterápico, após o qual não houve formação de novas células tumorais. A partir das informações contidas nos textos apresentados, é possível considerar que os agentes quimioterápicos atuam sobre a) a membrana plasmática, criando o encapsulamento do tumor. b) a circulação sanguínea, destruindo vasos do organismo e evitando a metástase. c) a células tornando-as novamente diferenciadas. d) o material genético corrigindo eventuais danos. e) algum ponto do ciclo celular, fazendo cessar as mitoses. 6. Enquanto ainda se discutia a hipótese da célula como constituinte fundamental de todos os seres vivos, passou-se também a especular sobre a sua origem: as células formavam-se espontaneamente ou teriam origem a partir de células preexistentes? A resposta veio com os estudos de Walther Flemming, que descreveu, detalhadamente, o processo de divisão mitótica. Esse e outros estudos levaram ao estabelecimento da Teoria Celular, uma das mais importantes generalizações da história da Biologia, que é assim sintetizada: "Todos os seres vivos são constituídos por células e por estruturas que elas produzem. As atividades essenciais que caracterizam a vida ocorrem no interior das células, e novas células se formam pela divisão de células já existentes". Assim, a compreensão do fenômeno da vida passa, necessariamente, pelo conhecimento da célula. Adaptado de AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R. "Biologia das células". 2. ed. São Paulo: Moderna, 2004. De acordo com o texto, é correto afirmar: a) Os seres vivos são semelhantes em sua constituição fundamental, uma vez que são capazes de se reproduzir sexuadamente. b) Os seres vivos são semelhantes em muitos aspectos de sua constituição, uma vez que são formados por células iguais. c) A célula, como unidade do ser vivo, possui núcleo individualizado e divide-se por mitose. d) A célula, como unidade do ser vivo, forma-se espontaneamente a partir dos constituintes disponíveis no meio ambiente. e) A célula é a unidade morfológica e fisiológica do ser vivo, e a continuidade da vida depende da reprodução celular. 7 . Alguns tecidos do organismo humano adulto se regeneram constantemente por meio de
  • 4. Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel um processo complexo e finamente regulado. Isso acontece com a pele, com os epitélios intestinais e especialmente com o sangue, que tem suas células destruídas e renovadas constantemente, como mostra o esquema a seguir: Baseado nas informações anteriores e nos conhecimentos sobre o tema, considere as afirmativas a seguir. I. Células tronco hematopoéticas apresentam potencial para diferenciar-se em qualquer célula do sangue e também gerar outras células tronco. II. A hematopoese resulta da diferenciação e da proliferação simultânea de células tronco que, à medida que se diferenciam, vão reduzindo sua potencialidade. III. As diferentes linhagens hematopoéticas geradas no sistema apresentam altas taxas de proliferação. IV. Existe um aumento gradual da capacidade de auto-renovação das células durante este processo. A alternativa que contém todas as afirmativas corretas é: a) I e II b) I e IV c) III e IV d) I, II, e III e) II, III, IV 8. Experimentos recentes indicam que células-tronco retiradas da medula óssea de um indivíduo adulto, portador de lesão no miocárdio, puderam formar tecido normal quando implantadas na região lesada do coração. As células-tronco podem ser retiradas, também, de embriões em sua fase inicial de desenvolvimento. A tabela a seguir informa as características de algumas variáveis analisadas em células-tronco embrionárias e adultas.
  • 5. Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel Considerando o uso terapêutico das células-tronco, a alternativa que indica o tipo de célula que possui a característica mais vantajosa para as variáveis I, II e III, respectivamente, é: a) embrionária - adulta - adulta b) adulta - embrionária - adulta c) embrionária - adulta - embrionária d) embrionária - embrionária – embrionária e) adulta – adulta - adulta 09. A água é um dos componentes mais importantes das células. A tabela a seguir mostra como a quantidade de água varia em seres humanos, dependendo do tipo de célula. Em média, a água corresponde a 70% da composição química de um indivíduo normal. Quantidade Tipo de célula de água Tecido nervoso – substância cinzenta 85% Tecido nervoso – substância branca 70% Medula óssea 75% Tecido conjuntivo 60% Tecido adiposo 15% Hemácias 65% Ossos sem medula 20% Durante uma biópsia, foi isolada uma amostra de tecido para análise em um laboratório. Enquanto intacta, essa amostra pesava 200 mg. Após secagem em estufa, quando se retirou toda a água do tecido, a amostra passou a pesar 80 mg. Baseado na tabela, pode-se afirmar que essa é uma amostra de a) tecido nervoso - substância cinzenta. b) tecido nervoso - substância branca. c) hemácias. d) tecido conjuntivo. e) tecido adiposo. 10. Com base na figura, assinale a alternativa correta sobre células
  • 6. Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel a) Devido a diversidade celular, a maior parte dos tipos celulares de um mesmo organismo são geneticamente diferentes. b) A forma de uma célula relaciona-se diretamente com seu tempo de vida. c) A única célula flagelada no corpo humano são as do epitélio traqueal. d) As formas celulares apresentadas acima possuem grande capacidade de divisão celular. e) Todas as células esquematizadas possuem sistema de endomembranas e citoesqueleto. Gabarito: Resposta da questão 1: [C] Por ser uma célula procariótica a E. coli não possui carioteca,sedo dotade de núcleo difuso. Resposta da questão 2: [E] Bactérias reproduzem-se assexuadamente por bipartição (cissiparidade) e podem realizar tanto a respiração aeróbia, quanto a anaeróbia. Resposta da questão 3: [C] O autotransplante de células tronco diminui a possibilidade de rejeição, pois elas são semelhantes geneticamente às células do receptor. Resposta da questão 4: [A] As células cancerosas têm como características marcantes: a grande capacidade de divisão celular, a falta de inibição por contato devido ao não reconhecimento das células vizinhas e o alto metabolismo, levando a um consumo excessivo de glicose. Resposta da questão 5: [E] Os quimioterápicos anticâncer efetivos conseguem impedir a multiplicação de células tumorais, bloqueando o ciclo celular em algum ponto. Existem medicamentos que impedem a síntese do DNA durante a interfase; outros não permitem a formação de microtúbulos do fuso mitótico e ainda há aqueles que contêm anticorpos que destroem as células cancerígenas, entre outras abordagens quimioterapêuticas. Resposta da questão 6: [E]
  • 7. Treinamento ENEM – Introdução a citologia – Prof. Emanuel Segundo a teoria celular a célula é a unidade formadora da vida e dotada de capacidade reprodutiva. Resposta da questão 7: [A] III. Hemácias não se dividem IV. A medida que a diferenciação aumenta a capcidade de auto renovação diminui Resposta da questão 8: [C] A CTE tem maior potencial de proliferação em tecidos A CTA possibilita mais tipos de transplantes A CTE é mais facilmente cultivada em laboratório Resposta da questão 9: [D] Após a secagem, a amostra de tecido passou de 200 mg para 80 mg, revelando que o teor hídrico do tecido analisado era de 120 mg. Percebe-se que 120 mg correspondem a 60% de água. Logo, a amostra é de tecido conjuntivo. Resposta da questão 10: [E] Todas as células citadas são eucarióticas