EXAME FÍSICO CARDIOVASCULAR
DAVYSON SAMPAIO
BRAGA
Ciclo Cardíaco
P.S: Ciclo cardíaco é a seqüência de fatos que
acontece a cada batimento cardíaco
CD
CE
SAD
SAE
FT
FM
AP
Aao
Período de Ejeção
Período de
contração
Isovolumétrico
FP
Fao
Período de
relaxamento
Isovolumétr...
Exame Físico
EXAME FÍSICO
• PULSO ARTERIAL E EXTREMIDADES:
• PULSO VENOSO
• INSPEÇÃO E PALPAÇÃO DO PRÉCORDIO
• AUSCULTA: bulhas, estali...
PULSO ARTERIAL E
EXTREMIDADES
PULSO ARTERIAL E EXTREMIDADES
• Avalia coração esquerdo. Sentir os pulsos
arteriais: radial, braquial, carotídeo, femural,...
1)Frequência cardíaca:
<60bpm = bradicárdico
entre 60 e 100bpm = normal
>100bpm = taquicárdico
2)ritmo: regular (normal) o...
4)Ondas de pulso: - normal
- Martelo d´água(corregans): insuficiência
aórtica
- Parvus tardus(filiforme): estenose aórtica...
• Forma da onda:
Pulso em Martelo D água
Corregans
Pulso Filiforme
Parvos-Tardos
Alternante
5)simetria: simétrico ou assimétrico
- direito-esquerda: assimétrico causado
por obstrução vascular(arterosclerose)
- crân...
PULSO ARTERIAL E EXTREMIDADES
• EXTREMIDADES:
- Dor:
- cor: pálida, avermelhada(flebite), coloração
escura(necrose ou gang...
PULSO VENOSO
PULSO VENOSO
• Colocar o paciente a 45° e identificar:
- estase de jugular (pode ser por insuficiência
ventricular direita...
ONDAS DE PULSO VENOSO
• Onda A: Sístole atrial
• Onda A aumentada: hipertensão pulmonar,
estenose tricúspide e dilatação d...
INSPEÇÃO E PALPAÇÃO DO
PRÉCORDIO
INPEÇÃO E PALPAÇÃO DO PRÉCORDIO
• INSPEÇÃO FRONTAL E TANGENCIAL:
• TIPO DE TÓRAX: chato, tonel, cariniforme,
infundibilifo...
FORMA DE TÓRAX
Chato Tonel Cifótico CariniformeInfundibuliforme
ESCOLIÓTICO
INSPEÇÃO E PALPAÇÃO DO PRÉCORDIO
• ICTUS CORDIS(batimento do ventrículo
esquerdo na parede torácica): dizer se é
visível o...
CLASSIFICAÇÃO DO ICTUS
EXAME FÍSICO
CARDIOVASCULAR
NORMAL HIPERTROFIA
VENTRICULAR
ESQUERDA
DILATAÇÃO
VENTRICULAR
ESQUERDA
...
INSPEÇÃO E PALPAÇÃO DO PRÉCORDIO
• IMPULSÃO SISTÓLICA DO MESOCÁRDIO: coloca-
se três dedos no 3°, 4° e 5° espaços intercos...
INSPEÇÃO E PALPAÇÃO DO PRECÓRDIO
• BULHAS E FRÊMITOS PALPÁVEIS:
- b1 palpável: estenose mitral
- b2 palpável: secundária à...
AUSCULTA
AUSCULTA: bulhas, sopros e estalidos
• 5 FOCOS:
1)MITRAL: 5 espaço intercostal esquerdo e linha
hemiclavicular
2)TRICÚSPID...
AUSCULTA
• BULHAS: som produzido pelo fechamento das
válvulas. B1 e B2 são fisiológicas, já B3 e B4 são
patológicas.
- B1:...
- B2: fechamento das válvulas semilunares
(aórtica e pulmonar). Ver intensidade (hiper,
normo ou hipofonéticas) e ver se t...
DESDOBRAMENTE DE BULHAS
• B1: só existe um desdobramento em b1 que é
causado por um bloqueio de ramo direito
(foco tricúsp...
• Desdobramento de B2
– Fisiológico ou Inspiratório: no final da inspiração
– Constante e Fixo: comunicação inter-atrial
–...
ESTALIDO
• PROTOSISTÓLICO: ABERTURA DA VÁLVULA
AÓRTICA, ESTENOSE AÓRTICA E MITRAL OU
ANEURISMA DE AORTA
• MESOTELESISTÓLIC...
SOPROS
SISTÓLICO: ENTRE B1 E B2 DIASTÓLICO: ENTRE B2 E B1
- EJEÇÃO: ESTENOSE AÓRTICA OU
PULMONAR
- ENCHIMENTO: ESTENOSE MI...
ASPECTOS QUE DEVEM SER
OBSERVADOS EM UM SOPRO
1) Posição no ciclo: sistólico ou diastólico
2) Localização: foco (mitral, t...
MANOBRA DE RIVIERO CARVALHO
• Essa manobra serve para diferenciar quando
no paciente observa-se um sopro em foco
mitral e ...
Sopros
• Intensidade:
+ Deixa dúvida
++
+++
++++
+++++ Frêmitos
++++++
• Irradiação:
IM: Axila e dorso
EM: Sem irradiação
...
OBRIGADO!!!
Exame Físico Cardiologia (Davyson Sampaio Braga)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Exame Físico Cardiologia (Davyson Sampaio Braga)

2.028 visualizações

Publicada em

Exame Físico Cardiologia (semiologia)

Publicada em: Saúde e medicina

Exame Físico Cardiologia (Davyson Sampaio Braga)

  1. 1. EXAME FÍSICO CARDIOVASCULAR DAVYSON SAMPAIO BRAGA
  2. 2. Ciclo Cardíaco P.S: Ciclo cardíaco é a seqüência de fatos que acontece a cada batimento cardíaco
  3. 3. CD CE SAD SAE FT FM AP Aao Período de Ejeção Período de contração Isovolumétrico FP Fao Período de relaxamento Isovolumétrico AT AM PER PEL SAD SAE Ciclo Cardíaco
  4. 4. Exame Físico
  5. 5. EXAME FÍSICO • PULSO ARTERIAL E EXTREMIDADES: • PULSO VENOSO • INSPEÇÃO E PALPAÇÃO DO PRÉCORDIO • AUSCULTA: bulhas, estalidos e sopros
  6. 6. PULSO ARTERIAL E EXTREMIDADES
  7. 7. PULSO ARTERIAL E EXTREMIDADES • Avalia coração esquerdo. Sentir os pulsos arteriais: radial, braquial, carotídeo, femural, poplíteo, tibial posterior e pedioso, vendo: 1)Freqûencia cardíaca 2)Ritmo: regular ou irregular 3)Intensidade (amplitude): normal, aumentada ou diminuída 4)Ondas de pulso 5)Simetria: direita esquerda e crânio caudal
  8. 8. 1)Frequência cardíaca: <60bpm = bradicárdico entre 60 e 100bpm = normal >100bpm = taquicárdico 2)ritmo: regular (normal) ou irregular que pode ser causado por uma fibrilação atrial (bem irregular), arritmia sinusal (FC aumenta na inspiração) e extra-sístole (pausa compensatória) 3)intensidade: diminuído, normal ou aumentado - Diminuído (peq. Amplitude): obstrução vascular, estenose aórtica e pulmonar. - aumentado(grande amplit.): insuficiência aórtica, ansiedade, hipertermia, gravidez, anemia, beri beri e hipertireoidismo
  9. 9. 4)Ondas de pulso: - normal - Martelo d´água(corregans): insuficiência aórtica - Parvus tardus(filiforme): estenose aórtica - Pulso alternante: def. ventricular esquerda - Pulso paradoxal(kussmaul):tamponamento cardíaco, asma, DPOC, enfisema e pericardite constrictiva TRÍADE DE BECKER: tamponamento cardíaco 1- Bulhas Hipofonéticas (abafamento) 2- Hipotensão Arterial 3- turgência de jugular (aumento da PV)
  10. 10. • Forma da onda: Pulso em Martelo D água Corregans Pulso Filiforme Parvos-Tardos Alternante
  11. 11. 5)simetria: simétrico ou assimétrico - direito-esquerda: assimétrico causado por obstrução vascular(arterosclerose) - crânio-caudal: assimétrico causado por coarctação da aorta (causa secundária de HAS em pacientes jovens P.S: Nunca palpar os 2 pulsos carotídeos ao mesmo tempo. Em pacientes idosos deve-se auscultar o pulso carotídeo inicialmente antes da palpação (verificar presença ou não de sopro)
  12. 12. PULSO ARTERIAL E EXTREMIDADES • EXTREMIDADES: - Dor: - cor: pálida, avermelhada(flebite), coloração escura(necrose ou gangrena) - Temperatura: normal, quente ou fria - Cianose: periférica - Edema: uni ou bilateral, concistência, cacifo e sinais flogístico - Varicosidade - Holmans: dorso flexão dos pés, sugere TVP - Palpação da Panturrilha: fazer palpação à procura de zonas endurecidas quentes ou dolorosas
  13. 13. PULSO VENOSO
  14. 14. PULSO VENOSO • Colocar o paciente a 45° e identificar: - estase de jugular (pode ser por insuficiência ventricular direita, trombose na cava superior ou tumor na cava superior) - Pulso mais visível do que palpável (visto entre a inserção esternal e clavicular do esternocleidomastóideo)
  15. 15. ONDAS DE PULSO VENOSO • Onda A: Sístole atrial • Onda A aumentada: hipertensão pulmonar, estenose tricúspide e dilatação do VD • Onda A em canhão: Taquicarda ventricular ou bloqueio A-V total • Onda A desaparecida: fibrilação atrial a c x` v y
  16. 16. INSPEÇÃO E PALPAÇÃO DO PRÉCORDIO
  17. 17. INPEÇÃO E PALPAÇÃO DO PRÉCORDIO • INSPEÇÃO FRONTAL E TANGENCIAL: • TIPO DE TÓRAX: chato, tonel, cariniforme, infundibiliforme, piriforme, sino, sifótico, escoliótico, lordótico, sifoescoliótico, sifolordótico e cleidoaplásico • BATIMENTO DE FÚRCULA: Paciente em crise hipertensiva dá para ver o batimento na região da fúrcula. • ABAULAMENTOS: aneurisma de aorta, cardiomegalia, derrame pericárdico e alteração da caixa torácica • RETRAÇÕES: sínfise pericárdica e pericardite constrictiva
  18. 18. FORMA DE TÓRAX Chato Tonel Cifótico CariniformeInfundibuliforme
  19. 19. ESCOLIÓTICO
  20. 20. INSPEÇÃO E PALPAÇÃO DO PRÉCORDIO • ICTUS CORDIS(batimento do ventrículo esquerdo na parede torácica): dizer se é visível ou não e se é palpável e identificar o tipo de ictus, vendo a localização, extensão, intensidade, velocidade(celeridade) e mobilidade. Pode ser classificado como sendo do tipo normal, hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação ventricular esquerda
  21. 21. CLASSIFICAÇÃO DO ICTUS EXAME FÍSICO CARDIOVASCULAR NORMAL HIPERTROFIA VENTRICULAR ESQUERDA DILATAÇÃO VENTRICULAR ESQUERDA LOCALIZAÇÃO 5° E.I.E. COM LINHA HEMI CLAVICULAR NORMAL OU UM POUCO DESVIADO PARA ESQUERDA BASTANTE DESVIADO P/ ESQUER E P/ BAIXO EXTENÇÃO Menos de 2,5cm 2,5cm A 3,5cm 3,5cm A 4,5 cm INTENSIDADE NORMAL BASTANTE AUMENTADA NORMAL OU UM POUCO AUMENTADA CELERIDADE NORMAL TARDUS CÉLERE MOBILIDAE -- -- --
  22. 22. INSPEÇÃO E PALPAÇÃO DO PRÉCORDIO • IMPULSÃO SISTÓLICA DO MESOCÁRDIO: coloca- se três dedos no 3°, 4° e 5° espaços intercostais esquerdos ou a região hipotenar da mão no foco tricúspide, se sentir uma impulsão quer dizer dilatação ventricular direita • IMPULSÃO DO SEGUNDO ESPAÇO INTERCOSTAL ESQUERDO: coloca-se os dois dedos no 2EIE, se tiver impulsão quer dizer dilatação da artéria pulmonar
  23. 23. INSPEÇÃO E PALPAÇÃO DO PRECÓRDIO • BULHAS E FRÊMITOS PALPÁVEIS: - b1 palpável: estenose mitral - b2 palpável: secundária à hipertensão - Frêmitos palpáveis: expressão palpatória de um sopro (sistólico ou diastólico), coceira na palma da mão
  24. 24. AUSCULTA
  25. 25. AUSCULTA: bulhas, sopros e estalidos • 5 FOCOS: 1)MITRAL: 5 espaço intercostal esquerdo e linha hemiclavicular 2)TRICÚSPIDE: 3)PULMONAR: 2 ESPAÇO INTERCOSTAL ESQUERDO AO LADO DO ESTERNO 4)AÓRTICO ACESSÓRIO: 3 ESPAÇO INTERCOSTAL ESQUERDO AO LADO DO ESTERNO 5)AÓRTICO: 2 ESPAÇO INTERCOSTAL DIREITO AO LADO DO ESTERNO
  26. 26. AUSCULTA • BULHAS: som produzido pelo fechamento das válvulas. B1 e B2 são fisiológicas, já B3 e B4 são patológicas. - B1: início da sístole ventricular, fechamento das válvulas mitral e tricúspide. Tem como marcadores O PULSO CAROTÍDEO E O ICTUS CORDIS. Ver intensidade (hiperfonética, normofonética ou hipofonética) e se tem ou não desdobramento.
  27. 27. - B2: fechamento das válvulas semilunares (aórtica e pulmonar). Ver intensidade (hiper, normo ou hipofonéticas) e ver se tem desdobramento e se tiver dizer o tipo (fisiológico, constante fixo, constante variável, e paradoxal) - B3: “bulha dos corações moles” (dilatação) e/ou aumento > complacência - ICC - B4: “bulha dos corações duros” (hipertrofia) com diminuição da irrigação
  28. 28. DESDOBRAMENTE DE BULHAS • B1: só existe um desdobramento em b1 que é causado por um bloqueio de ramo direito (foco tricúspide) • B2: fisiológico, constante fixo, constante variável, paradoxal ou invertido (foco pulmonar)
  29. 29. • Desdobramento de B2 – Fisiológico ou Inspiratório: no final da inspiração – Constante e Fixo: comunicação inter-atrial – Constante e Variável: Bloqueio de Ramo Direito – Paradoxal ou invertido: Bloqueio de Ramo Esquerdo EXP INS EXP INS EXP INS EXP INS
  30. 30. ESTALIDO • PROTOSISTÓLICO: ABERTURA DA VÁLVULA AÓRTICA, ESTENOSE AÓRTICA E MITRAL OU ANEURISMA DE AORTA • MESOTELESISTÓLICO: “TIK” ENTRE B1 E B2 = PROLAPSO DA MITRAL • PROTODIASTÓLICO: ESTENOSE MITRAL
  31. 31. SOPROS SISTÓLICO: ENTRE B1 E B2 DIASTÓLICO: ENTRE B2 E B1 - EJEÇÃO: ESTENOSE AÓRTICA OU PULMONAR - ENCHIMENTO: ESTENOSE MITRAL OU TRICÚSPIDE - REGURGITAÇÃO: INSUFICIÊNCIA MITRAL OU TRICÚSPIDE - REFLUXO: INSUFICIÊNCIA AÓRTICA E PULMONAR B1 B2 B1 B2 B2 B1 B2 B1 DIAMANTE RUFLAR EM BARRA ASPIRATIVO
  32. 32. ASPECTOS QUE DEVEM SER OBSERVADOS EM UM SOPRO 1) Posição no ciclo: sistólico ou diastólico 2) Localização: foco (mitral, tricúspide, pulmonar, aórtico e aórtico acessório) 3) Caráter: diamante, ruflar, em barra ou aspirativo 4) Intensidade: (+/6+), em sopros intensos palpamos frêmitos (4+,5+ e 6+) 5) Irradiação: axila para dorso ou do foco aórtico para carótida externa ou do foco tricúspide para foco mitral 6) Fatores agravantes e atenuantes: agachado – aumenta PA –
  33. 33. MANOBRA DE RIVIERO CARVALHO • Essa manobra serve para diferenciar quando no paciente observa-se um sopro em foco mitral e tricúspide ao mesmo tempo, então esse sopro pode estar sendo produzido em qualquer um desses dois focos e irradiar para o outro. Então coloca-se o estetoscópio em foco tricúspide e pede para o paciente inspirar fundo e segurar o ar, se a intensidade do sopro aumentou nesse foco então o sopro é tricúspide mas se o sopro continuou com a mesma intensidade ou diminuiu, então o sopro é mitral.
  34. 34. Sopros • Intensidade: + Deixa dúvida ++ +++ ++++ +++++ Frêmitos ++++++ • Irradiação: IM: Axila e dorso EM: Sem irradiação IAo: Ponta do Coração EAo: Pescoço IT: Foco Mitral *Manobra de Rivero- Carvallo Fraco mas não deixa dúvida
  35. 35. OBRIGADO!!!

×