Anatomia do bulbo ocular

1.607 visualizações

Publicada em

ANATOMIA DO BULBO OCULAR E MEIOS DIÓPTRICOS

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.607
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • - O olho é uma esfenóide irregular, medindo cerca de 24mm em seus 3 eixos, ocupando 1/3 ou menos da cavidade orbitária. Responde pelo início do processo visual necessitando que a luz ultrapasse os meios transparentes e alcance a retina.
    - Pacientes míopes tendem a ter o olho maior (que pode até dispor um descolamento de retina) e pacientes hipermétropes tendem a ter um olho menor
  • CÓRNEA: 1/6 da camada fibrosa; (avascular, transparente e viscoelástica) – extensão transparente da esclera
    Principal funçao é a refração
    Formada por 5 camadas (epitélio, mem de bowman, estroma, descemet e endotélio)
    Tecido mais inervado do corpo humano
    Nutrição se dá por difusão (filme lacrimal e HA)
    A córnea é transparente pois é avascular, hidrofóbica, pela estratificação e disposição(arranjo regular) das fibras de colágeno e porque os nervos não possui mielina
  • CÓRNEA: 1/6 da camada fibrosa; (avascular, transparente e viscoelástica)
    Principal funçao é a refração
    Formada por 5 camadas (epitélio, mem de bowman, estroma, descemet e endotélio)
    Tecido mais inervado do corpo humano
    Nutrição o metabolismo se dá pela lágrima e principalmente pelo humor aquoso
    A córnea é transparente pois é avascular, hidrofóbica, pela estratificação e disposição(arranjo regular) das fibras de colágeno e porque os nervos não possui mielina
  • ESCLERA: estrutura mais resistente do globo ocular (principal invólocro de revestimento do olho)
    Na inserção do nervo óptico torna-se uma membrana fina e pontilhada como se fosse uma peneira chamada LÂMINA CRIVOSA (ponto mais fraco da esclera
    Sua opacidade assegura que a dispersão interna da luz não afete a imagem da retina

    CONJUNTIVA: – é uma membrana mucosa transparente e elástica que reveste a esclera externamente; a face interna das pálpebras e os fundos de sacos superior e inferior e termina onde inicia a córnea. É a primeira estrutura do olho a apresentar reação ao meio ambiente.
    Inervação:é inervada pelo n. trigêmio (V par) é menos sensível que a córnea
  • CAMADA MÉDIA: Também chamada de ÚVEA. É um leito vascular que facilmente sofre reação inflamatória (UVEÍTES) ocasionando turvação no vítreo com consequente diminuição da visão. Chamamos de UVEÍTE ANTERIOR quando temos uma irite; ciclite ou iridociclite; e UVEÍTE POSTERIOR quando temos uma coroidite; retinite ou retinocoroidite.
    - Camada vascular rica em pigmentos
  • ÍRIS: disco que dar cor ao olho
    - Delimita um orifício central que é a pupila (que é importante em diversas doenças) nos dá importantes dados semiológicos :neurooftalmológico
    Possui músculos responsáveis pelo movimento da pupila (músculos radiais: responsáveis pela midríase - simpático/ e músculos “circulares” responsáveis pela miose – III par parassimpático)
    coloração determinada pelo acúmulo de pigmento que ela possui
  • CORPO CILIAR: Local onde a íris se insere,
    - Tem 2 funções primordiais responsável pela produção do HÁ e participar do mecanismo de acomodação
    É formado pelo músculo ciliar responsável pela acomodação visual e pelos processos ciliares que são pequenas massas arredondados de tecido conjuntivo frouxo, rico em vasos sanguíneos que produzem o humor aquoso
  • CORÓIDE: é a porção posterior do trato uveal e camada média do olho
    - Camada ricamente vascularizada. É o orgão no corpo humano mais vascularizado que existe e possui uma alta taxa de metabolismo
    Localiza-se entre a retina e a esclera. Está firmemente presa à borda do n. óptico, posteriormente e, anteriormente, estende-se até a ORA SERRATA, onde une-se ao corpo ciliar
    É principalmente formada de vasos sanguíneos
  • RETINA:
    - Tecido nervoso responsável de transformar a imagem(luz) em um impulso nervoso que vai ao SNC
    Mácula: que é a região mais importante da retina para formação da imagem, sua região central é a fóvea (depressão), para formarmos a imagem necessitamos de 2 células (fotorreceptores: cones e bastonetes). Cones (localizados predominantemente na região macular) tem a capacidade de perceber visão de cores; os bastonetes: percebe a visão acromática (de contraste). Os fotorreceptores fazem conexão com as células ganglionares que os prolongamentos dos axônios dessas células dão origem ao nervo optico.
    FO: RETINA, CABEÇA (DISCO,PAPILA) DO NO, MÁCULA E VASOS
    é formada por 10 camadas altamente organizadas
    é uma fina e delicada membrana que reveste os 2/3 internos posterioes da parede do globo ocular.O 1/3 anterior passa a ser chamado de ORA SERRATA

    1- Células fotossensíveis:Cones (5 a 7 milhões,situam-se mais na mácula e fóvea) nos dão a visão de detalhes; percepção das cores.Bastonetes (115 a 120 milhões, situam-se nas ouras partes da retina) nos dão a visão sob iluminação fraca e periférica.
    2 – Células bipolares – unem os cones e os bastonetes às células ganglionares.
    3 – Células ganglionares – seus longos axônios seguem através da camada de fibras nervosas da retina para o n. óptico.
    A retina é responsável pela recepção e transdução do estímulo luminoso e transmissão destes sinais na forma de impulsos nervosos para as regiões apropriadas do cérebroA retina é responsável pela recepção e transdução do estímulo luminoso e transmissão destes sinais na forma de impulsos nervosos para as regiões apropriadas do cérebro
  • RETINA: é uma fina e delicada membrana que reveste os 2/3 internos posterioes da parede do globo ocular.O 1/3 anterior passa a ser chamado de ORA SERRATA
    Tecido nervoso responsável de transformar a imagem(luz) em um impulso nervoso que vai ao SNC
    Mácula: que é a região mais importante da retina para formação da imagem, sua região central é a fóvea (depressão), para formarmos a imagem necessitamos de 2 células (fotorreceptores: cones e bastonetes). Cones (localizados predominantemente na região macular) tem a capacidade de perceber visão de cores; os bastonetes: percebe a visão acromática (de contraste). Os fotorreceptores fazem conexão com as células ganglionares que os prolongamentos dos axônios dessas células dão origem ao nervo optico.
    FO: RETINA, CABEÇA (DISCO,PAPILA) DO NO, MÁCULA E VASOS
    é formada por 10 camadas altamente organizadas
    1- Células fotossensíveis:Cones (5 a 7 milhões,situam-se mais na mácula e fóvea) nos dão a visão de detalhes; percepção das cores.Bastonetes (115 a 120 milhões, situam-se nas ouras partes da retina) nos dão a visão sob iluminação fraca e periférica.
    2 – Células bipolares – unem os cones e os bastonetes às células ganglionares.
    3 – Células ganglionares – seus longos axônios seguem através da camada de fibras nervosas da retina para o n. óptico.
    A retina é responsável pela recepção e transdução do estímulo luminoso e transmissão destes sinais na forma de impulsos nervosos para as regiões apropriadas do cérebroA retina é responsável pela recepção e transdução do estímulo luminoso e transmissão destes sinais na forma de impulsos nervosos para as regiões apropriadas do cérebro
  • CÂMARA ANTERIOR: estrutura situada entre a face posterior da córnea (endotélio) e a região anterior da íris e do cristalino.
    Câmara anterior é totalmente preenchida pelo humor aquoso
    Importante principalmente para entender a crise aguda de glaucoma, pesença de celularidades (que pode diferenciar uma uveíte de uma conjuntivita)

    HUMOR VÍTREO: ESTRUTURA TRANSPARENTE, CONSTITUÍDO 99% de água e fica em contato com a retina a maior parte de nossa vida, mas com o envelhecimente e principalmente decorrente de algumas doenças (DM, uveítes) o vítreo pode sofre um processo de colapso (descola e encolhe), causando moscas volantes. Que pode provocar uma rasgão(rotura em ferradura)/buraco o que predispõe um descolamento de retina
    4ml, água + ácido hialurônico +
  • CÓRNEA: sua principal função é de refração, é a estrutura mais importante para o poder refrativo do olho responsável por 2/3 da refração do olho
    Seu índice de refração é de IR= 1,33, é tem o poder refrativo em torno de 40 dioptrias
    Funciona como uma lente convexa que focaliza o feixe luminoso em direção a pupila
    Situada na porção anterior do olho, e é o primeiro contato dos raios luminosos que passam pelas estruturas anatômicas até chegarem a retina

  • CRISTALINO: uma lente biconvexa que tem a função de complementar o poder refrativo da córnea
    Quando se opacifica: catarata (que promove uma baixa visual que depende da intensidade e do local da opacificação)
    Acomodação: propriedade que nós temos de fazer foco da imagem para perto
    Embora possua um IR(1,40) mais alto que o da córnea ele refrata os raios de luz com menor poder que a córnea, pois a diferença entre o índice de refração entre a córnea e o ar é maior do que a diferença do complexo córnea-humor aquoso e cristalino
    No estado de repouso do olho o cristalino contribui com cerca de 20 dioptrias (1/3 do poder refrativo do olho)
    um cristalino do adulto possui em média 9mm de diametro e 4mm de espessura. Esta espessura pode aumentar cerca de 1mm com o reflexo de acomodação, aumentando o seu poder refrativo de 20 dioptrias(reposo) para 30 dioptrias (acomodação)
    Objetos distantes - o músculo ciliar relaxa-se esticando as fibras zonulares e reduzindo o diâmetro ântero-posterior do cristalino.
    Objetos próximos - há contração do músculo ciliar que relaxa a zônula deixando o cristalino mais abaulado


    LEMBRA TAMBÉM DO HUMOR AQUOSO E VÍTREO
  • Anatomia do bulbo ocular

    1. 1. ESCOLA CEARENSE DE OFTALMOLOGIA DAVYSON SAMPAIO BRAGA Fortaleza; 11 de março de 2015
    2. 2. BULBO OCULAR  Esfenóide irregular (24mm) – 1/3 órbita  Início do processo visual  Tamanho X Ametropias
    3. 3. TÚNICAS OU CAMADAS TÚNICA MÉDIA OU VASCULAR TÚNICA EXTERNA OU FIBROSA TÚNICA INTERNA CÓRNEA ESCLERA ÍRIS CORPO CILIAR CORÓIDE RETINA
    4. 4. TÚNICA EXTERNA  CÓRNEA:  1/6 da túnica  Avascular  Transparente  Inervação  Principal função  Nutrição: difusão OBS: MOTIVOS DA CÓRNEA SER TRANSPARENTE
    5. 5. TÚNICA EXTERNA  CÓRNEA:  5 camadas
    6. 6. TÚNICA EXTERNA  ESCLERA: 5/6  Estrutura mais resistente do olho  Opaca (dispersão interna)
    7. 7. TÚNICA MÉDIA ÚVEA ÍRIS CORPO CILIAR CORÓIDE UVEÍTES
    8. 8. TÚNICA MÉDIA  ÍRIS:  Cor ao olho  Delimita orifício central  Possui músculos: radiais e circulares (SNA)
    9. 9. TÚNICA MÉDIA  CORPO CILIAR:  Local onde a íris se insere  2 funções primordiais  .
    10. 10. TÚNICA MÉDIA  CORÓIDE:  Ant: ora serrata  Post: nervo óptico  Ricamente vascularizada  Metabolismo
    11. 11. TÚNICA INTERNA  RETINA:  Tecido nervoso  Função: IMAGEM IMPULSO NERVOSO
    12. 12. TÚNICA INTERNA  RETINA:  Formada por 10 camadas
    13. 13. CÂMARA ANTERIOR E VÍTREO
    14. 14. MEIOS DIÓPTRICOS  CÓRNEA  CRISTALINO  HUMOR AQUOSO  HUMOR VÍTREO
    15. 15. MEIOS DIÓPTRICOS  CÓRNEA:  2/3 do poder refrativo  40 dioptrias; IR=1,33  Lente convexa – focaliza o feixe luminoso
    16. 16. MEIOS DIÓPTRICOS  CRISTALINO:  Lente biconvexa; IR=1,40  20 dioptrias (repouso)  9mm diâmetro/4mm espessura  ACOMODAÇÃO
    17. 17. OBRIGADO!

    ×