Distúrbio hidroeletrolítico (Davyson Sampaio Braga)

353 visualizações

Publicada em

DISTÚRBIO DO SÓDIO

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
353
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Distúrbio hidroeletrolítico (Davyson Sampaio Braga)

  1. 1. HIPONATREMIA HIPERNATREMIA DAVYSON SAMPAIO BRAGA
  2. 2.  O QUE É OSMOLARIDADE PLASMÁTICA? OSMpl= 2 x Na + Gli/18 + U/6 = 285-295mOsm/L OsmplEFETIVA= 2 x Na + Gli/18 mEq = mmol x valência
  3. 3.  QUEM CONTROLA A OSMOLARIDADE?  QUAL A CÉLULA QUE + SOFRE COM ∆Na⁺? ADH E CENTRO DA SEDE NEURÔNIO
  4. 4.  Perda de sódio = Hipovolemia (↓ Na + H2O)  Acúmulo de sódio = Hipervolemia (↑ Na +H2O)  Hiponatremia= excesso de água  Hipernatremia = déficit de água  HIPONATREMIA HIPOOSMOLAR  HIPONATREMIA HIPEROSMOLAR
  5. 5. GRADUAL
  6. 6. HIPONATREMIA HIPOOSMOLAR HIPONATREMIA HIPOVOLÊMICA HIPONATRMIA EUVOLÊMICA HIPONATREMIA HIPERVOLÊMICA
  7. 7. 1) Hiponatremia Hipovolêmica (+ COMUM) 2) Hiponatremia hipervolêmica (ICC/CIRROSE) 3) Hiponatremia euvolêmica (SIAD) Soro Fisiológico 0,9% Restrição Hídrica + Furosemida (ação medular) Restrição Hídrica + Furosemida + DEMECLOCICLINA Restrição Hídrica + Furosemida + CONIVAPTAN IV
  8. 8. Hiponatremia AGUDA SINTOMÁTICA (Na < 120 mEq/L) REPOR SEMPRE C/ SALINA A 3% ELEVAR A NATREMIA EM 3 mEq/L em 3h ELEVAR A NATREMIA EM 12 mEq/L em 24 h REGRA PRÁTICA: Homem – 3,5ml/kg (3h) e 14 ml/kg (21h) REGRA PRÁTICA: Mulher – 3,0 ml/kg (3h) e 12 ml/kg (21h) Déficit de Na (mEq) = 0,6 x P x (∆ Na)
  9. 9.  Definição:  Na > 145 mEq/L  Osmpl efetiva > 300 mOsm/L TODA HIPERNATREMIA É HIPERTÔNICA = SEMPRE CURSA COM AUMENTO DA OSMOLARIDADE EFETIVA PLASMÁTICA A HIPERNATREMIA É A DEFINIÇÃO MAIS PRECISA DO ESTADO DE DESIDRATAÇÃO (PERDA DE ÁGUA) Hipernatremia = desidratação hipertônica
  10. 10.  DUAS CONDIÇÕES SÃO NECESSÁRIAS: (1) Perda de água livre ou de fluidos hipotônicos (2) incapacidade de ingerir ou ter acesso à líquidos  Podemos dividir didaticamente em quatro grupos:  Perda isolada de água livre  Perda de fluidos hipotônicos (H2O + eletrólitos)  Redução patológica da ingestão de H2O (hipodipsia)  Ingestão excessiva de sal ou soluções eletrolíticas hipertônicas
  11. 11.  Perda de água livre:  Aumento das perdas cutâneas (suor,exercícios físico, febre alta, queimaduras)  Perda respiratória (taquipnéia)  Diabetes Insipidus (insuficiência ADH)  Perda de fluidos hipotônicos:  Diarréia osmótica (gastroenterites, laxantes)  Diuréticos de alça  Poliúria osmótica (DM, Manitol)
  12. 12.  Redução patológia da ingesta de água:  Hipodipsia hipotalâmica  Ganho de sal ou soluções hipertônicas:  Ingestão de sal ou infusão hipertônica  Hipoaldosteronismo primário (↑ aldosterona, cushing)
  13. 13.  Manifestações clínicas:  Na > 160 mEq/L  Sintomas igual a HIPONATREMIA (cefaléia, náuseas/vômitos, sonolência, letargia, torpor, convulsão, coma, hemorragia subaracnóide)
  14. 14.  TRATAMENTO:  Via oral:  Reposição de água livre (de preferência VO, pelo cateter enteral)  Parenteral:  Soro glicosado a 5%  Salina hipotônica (0,2% ou 0,45%)  Não pode usar água destilada

×