SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
Baixar para ler offline
ESCOLA BRASILEIRA DE MEDICINA CHINESA – EBRAMEC
CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ACUPUNTURA
CARLA MAYUMI MATSUE
ESTUDO DE CASO:
TRATAMENTO DA DIABETES TIPO 2 ATRAVÉS DA
AURICULOTERAPIA SEGUNDO PROFESSOR MARCELO
PEREIRA DE SOUZA
SÃO PAULO
2013
CARLA MAYUMI MATSUE
ESTUDO DE CASO:
TRATAMENTO DA DIABETES TIPO 2 ATRAVÉS DA
AURICULOTERAPIA
SEGUNDO PROFESSOR MARCELO PEREIRA DE SOUZA
BANCA EXAMINADORA:
ORIENTADOR: Prof. Francisco Marcos
Vorcaro De Souza
Aluna: Carla Mayumi Matsue
São Paulo, 19 de abril de 2013.
CARLA MAYUMI MATSUE
ESTUDO DE CASO:
TRATAMENTO DA DIABETES TIPO 2 ATRAVÉS DA
AURICULOTERAPIA SEGUNDO PROFESSOR MARCELO
PEREIRA DE SOUZA
Trabalho de Conclusão de Curso de Pós
Graduação Lato Sensu de Acupuntura
apresentado a EBRAMEC – Escola
Brasileira de Medicina Chinesa, sob
orientação da Prof. Francisco Marcos
Vorcaro De Souza e co-orientador o Prof.
Reginaldo de Carvalho Silva Filho.
SÃO PAULO
2013
RESUMO
A acupuntura é uma técnica oriental que estuda a energia vital distribuída pelo
organismo, caso ocorra algum desequilíbrio deste fluxo poderá ocorrer um distúrbio físico ou
emocional. Atualmente, é discutida como uma ciência autônoma e de comprovada utilidade
dentro de critérios científicos ocidentais.
Este estudo de caso teve a expectativa de proporcionar melhoria na qualidade de vida e
diminuição das taxas glicêmicas capilares de alguns participantes da Associação dos
Diabéticos do Paraná - APAD. A escolha da utilização da auriculoterapia segundo a técnica
do Professor Marcelo Pereira de Souza, do livro Tratado de Auriculoterapia, com o uso do
Programa de Auriculoterapia sugerido para o tratamento de Diabetes Mellitus. Pois é um
tratamento seguro, rápido, de baixo custo e de fácil aplicação.
A amostra foi composta por 5 indivíduos, que após 5 sessões de auriculoterapia pode
ser observada as mudanças ocorridas, tais como: a melhora da qualidade de sono, diminuição
da irritação e estresse, melhora da auto-estima e a melhora significativa do quadro clínico dos
participantes. Considera-se a necessidade de mais estudos com este procedimento integrando
com outras especialidades que promovam a saúde de forma multidisciplinar.
Palavras chaves: Medicina Tradicional Chinesa, Auriculoterapia, Terapias complementares,
Acupuntura, Diabetes Mellitus tipo 2, Saúde.
ABSTRACT
Acupuncture is an eastern technique that studies the vital energy distributed
throughout the body. If there is any imbalance in this flow, it may result in physical or
emotional disorders. Currently, it is discussed as an autonomous science and it has proven
utility in Western scientific criteria.
This case study was the expectation of providing better quality of life, and reduction of
capillary blood glucose levels of some participants of the Diabetic Association of Paraná -
APAD. The choice of using auriculotherapy according to the technique of Professor Marcelo
Pereira de Souza, the book Treaty of Auriculotherapy, using the program Auriculotherapy
suggested for the treatment of Diabetes mellitus. The treatment is safe, fast, inexpensive and
easy to apply.
The study consisted of five individuals, who after 5 sessions of auriculotherapy were
observed to have the following changes: improved sleep quality, decrease in irritation and
stress, improved self-esteem and significant improvement of the clinical participants. We
consider the need for further studies with this procedure, integrating it with other specialties
that promote health in a multidisciplinary way.
Keywords: Tradicional Chinese Medicine, Auriculotherapy, Complementary therapie,
Acupuncture, Diabetes mellitus type 2, Health.
SUMÁRIO
Resumo
Abstract
Introdução ...................................................................................................... 1
Objetivo .......................................................................................................... 2
Desenvolvimento ........................................................................................... 2
Materiais e Método....................................................................................... 6
Resultados ...................................................................................................... 9
Discussão ....................................................................................................... 11
Conclusão ....................................................................................................... 12
Referências ..................................................................................................... 13
Anexos
- Termo de consentimento livre e esclarecido ................................................ 16
INTRODUÇÃO
A vida agitada com os compromissos profissionais e familiares dificulta a prática
regular de atividade física e uma alimentação saudável. Estes fatores são umas das maiores
causas de morte através de doenças crônicas e cardiovasculares. O desafio da medicina
moderna é atuar de forma preventiva, antecipando-se com tratamentos ou ações que não
permitam a instalação dessas doenças, diminuam a taxa de morbidade e os custos da saúde
pública para administrar os efeitos dessas doenças.
O termo Diabetes Mellitus descreve um grupo de doenças metabólicas de múltipla
etiologia, denominado de Síndrome Metabólica ou Processo Inflamatório da Medicina
Ocidental Moderna. É caracterizado por hiperglicemia crônica, com alterações do
metabolismo dos hidratos de carbono, gorduras e proteínas, devido a deficiência da ação da
insulina nos tecidos alvos, conseqüência de defeitos na secreção e/ou ação da insulina. A
doença pode apresentar com sintomas característicos de poliúria, polidispsia, visão turva,
polifagia, e emagrecimento. Nas suas formas mais agudas pode surgir um estado de
cetoacidose ou hiperosmolaridade não cetósica, quando não detectado precocemente ou
tratado inadequadamente, pode evoluir para as complicações crônicas que levam a perda de
qualidade de vida, conduzindo ao estupor, coma e, na ausência de tratamento eficaz, à morte.
Geralmente, ocorre em indivíduos adultos que apresentam níveis insulínicos normais
ou aumentados. Um dos principais fatores para desencadear a Diabetes mellitus Tipo 2 são os
problemas alimentares ligados à obesidade, por comer em demasia ou incorretamente, estão
constantemente com a glicemia elevada e conseqüentemente com níveis altos de insulina
circulante na corrente sanguínea.
Segundo o Ministério da Saúde a Diabetes Mellitus Tipo 2 está entre as ascendentes
causas de morbidade e mortalidade no Brasil. A Organização Mundial de Saúde (OMS)
considera a Diabetes Mellitus Tipo 2 uma epidemia mundial, e, junto com a hipertensão, é a
doença que mais provoca a morte no Brasil. É a principal causa de internações, por
complicações como doença cardiovascular (hipertensão, infarto agudo do miocárdio, Acidente
Vascular Cerebral), diálise por insuficiência renal crônica, cegueira, impotência sexual e
amputações de membros inferiores. A estimativa da Organização Mundial de Saúde é que em
2025, haja 350 milhões de diabéticos no Brasil.
2
OBJETIVO
É demonstrar a atuação da acupuntura auricular no controle glicêmico da Diabetes
Mellitus Tipo 2, segundo a escola do Professor Marcelo Pereira De Souza, para proporcionar
uma opção de tratamento de controle adequado, simples e eficiente.
DESENVOLVIMENTO
O estudo de caso foi classificado como sendo não probabilística (é aquela em que a
seleção dos elementos da população para compor a amostra depende ao menos em parte do
julgamento do pesquisador (MATTAR, 1996). E por conveniência (a pesquisadora selecionou
os membros da população mais acessíveis) e por julgamento (a pesquisadora usou o seu
julgamento para selecionar os membros da população que são boas fontes de informação
(SCHIFFMAN, 2000).
Todos os pacientes participaram de forma voluntária e assinaram o Termo de
Consentimento Livre e Esclarecido, após a orientação e explanação do desenvolvimento do
estudo de caso.
Em Julho de 1997, uma comissão internacional de peritos, Expert Committee on the
Dianosis and Classification of Diabetes Mellitus, patrocinada pela American Diabetes
Association, apresentou novas recomendações para a classificação e diagnóstico da Diabetes
mellitus. As novas recomendações incluem o uso preferencial dos termos: Tipo 1 e Tipo 2
para designar os dois maiores tipos de diabetes, abandonando-se as expressões diabetes
mellitus insulinodependente e diabetes não insulinodependentes. Há duas classes principais de
doença: a Diabetes mellitus dependente de insulina e a Diabetes mellitus não dependente de
insulina. Na primeira, a doença começa no início da vida e torna-se severa. A última é de
aparecimento lento, moderado, e pode passar despercebida.
O termo Diabetes Mellitus significa excessiva excreção de urina doce. Na visão da
medicina ocidental a Diabetes Mellitus é uma doença causada pela deficiência na secreção ou
ação da insulina. E também sofre a influência de vários hormônios no metabolismo da
glicose. Outra alteração metabólica é resultante do defeito da ação da insulina é a excessiva e
incompleta oxidação dos ácidos graxos no fígado, resultando na super produção de corpos
cetônicos e cetonas dando ao hálito de um diabético não tratado um odor característico,
algumas vezes confundido com o etanol.
3
Carboidratos da dieta Proteínas da dieta
Glicose Aminoácidos
Acetil-CoA    Corpos cetônicos
Ácidos graxos
Triacilgliceróis
A insulina estimula a conversão em gordura dos carboidratos e das proteínas da
alimentação. Nos indivíduos com Diabetes Mellitus não tratado, devido a falta de insulina, a
substância proveniente do catabolismo dos carboidratos e proteínas é derivado para a
produção dos corpos cetônicos no sangue e na urina. Como conseqüência ocorre uma perda de
peso acentuada, diminuição do ph sanguíneo, provocando uma situação conhecida como
acidose, que pode provocar o coma e até a morte.
Os principais sintomas que mostram que o nível de glicose está elevado são:
- Sede e fome excessiva,
- Câimbras e tremores,
- Micção freqüente (poliúria),
- Ingestão de grande volume de água (polidipsia),
- Cansaço ou desânimo,
- Cicatrização difícil,
- Infecções de pele e coceira,
- Pressão alta e palpitações,
- Impotência sexual,
- Rápida alteração de peso e
- Visão turva.
A Diabetes Mellitus é um dos principais fatores de risco para várias complicações:
- Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) no qual se produz a obstrução das artérias coronárias
com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco;
Aumentado
no Diabetes
Ação da
insulina
Ação da
insulina
Gordura para o fornecimento de energia e capacita o organismo a suportar longos
períodos de jejum.
4
- Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma doença de início súbito, caracterizada pela falta de
irrigação sangüínea em um determinado território cerebral. Pode ser secundário à oclusão de
alguma artéria ou a um sangramento, no último caso é denominado Acidente Vascular
Cerebral Hemorrágico;
- Gangrena ou Necrose é a morte de um tecido ou órgão, em conseqüência de aporte
sangüíneo insuficiente. Pode abrigar infecções e recebe nomes diferentes, dependendo de suas
características (gangrena úmida, gangrena gasosa, etc.). Em membros inferiores que é
responsável por 80% das mortes dos portadores de Diabetes Mellitus tipo 2;
- Nefropatia é responsável por porcentagem significativa de pacientes em regime de diálise
renal crônica;
- Cegueira pode ser ocasionada dentro de cinco anos após a instalação de Diabetes Mellitus
tipo 2;
- Neuropatia são parestesias (dormência, formigamento e queimação) em membros inferiores
em aproximadamente 7 ou 8% dos diabéticos tipo 2 apresentam no momento do diagnóstico;
- Disfunção sexual masculina causando a ejaculação retrógrada ou impotência sexual;
- Bexiga neurogênica é o número de intervalos crescentes entre duas micções;
- Gastroparesia diabética que retarda o esvaziamento gástrico e prejudica a secreção gástrica
de ácido clorídrico causando empachamento pós-prandial, náuseas e vômitos, perda das
contrações intestinais permitindo o crescimento bacteriano nestas regiões;
- Constipação ocorre em cerca de 2/3 dos diabéticos. É geralmente intermitente e pode
alternar-se com diarréia. A incontinência fecal por disfunção do esfíncter anal pode ser
desencadeada pelo ato de alimentar-se, ocorre com maior freqüência a diarréia pela
enteropatia glúten-induzida e por insuficiência pancreática exócrina;
- Taquicardia crônica que é a freqüência cardíaca se mantém elevada, mesmo ao repouso;
resulta de disfunção parassimpática, que geralmente precede a simpática;
- Emagrecimento pela falta de aproveitamento da glicose sanguínea é o casionada pelo
seguinte mecanismo é a degradação de suas reservas, ou seja, um individuo diabético tem
apetite maior que o de um individuo normal nas mesmas condições de gasto de energia, no
entanto, apresenta queda de peso. Além disso, a hiperglicemia causa aumento da pressão
osmótica dentro do vaso sanguíneo que faz com que líquido de outros compartimentos (como
o das células) se direcione ao sangue, o que leva à desidratação celular;
- Glicosúria ocorre quando há uma alta concentração de glicose, o rim não consegue mais
reabsorvê-la e então o organismo passa a perder açúcar pela urina. A urina com açúcar causa
5
aumento na sua pressão osmótica impedindo a reabsorção tubular de água nos rins e com isso
levando à desidratação extracelular.
Segundo a Medicina Tradicional Chinesa o tratamento para qualquer desequilíbrio
orgânico pode variar de acordo com cada paciente, mesmo que os sintomas sejam similares,
pois as técnicas possíveis de serem utilizadas são diversas, como a combinação de pontos de
acupuntura é imensa. Assim como no tratamento alopático alguns pacientes não respondem de
forma eficaz, nos tratamentos segundo a Medicina Tradicional Chinesa pode ocorrer o
mesmo, nesta situação é necessário que o profissional revise o protocolo escolhido.
Na visão da Medicina Tradicional Chinesa a Diabetes Mellitus é chamada de Xiaoke,
que significa emagrecimento e sede. Os fatores desta patologia são características congênitas
ou adquiridas. Os fatores adquiridos incluem dieta inadequada, principalmente a ingestão de
alimentos doces, traumas emocionais, estresse e fatores exógenos. Qualquer um desses fatores
pode conduzir à produção de calor que consome o Yin, deste modo a secura-calor impede a
função do Pulmão (Fei), Estômago (Wei) e Rim (Shen). Portanto, as mudanças patológicas
principais são deficiência de Yin e Secura-Calor.
Entre as mudanças patológicas aparecem diferentes síndromes, que podem ser:
A. Secura-Calor no Pulmão: sede e fome intensa, poliúria, perda de peso, língua
avermelhada com saburra seca e amarela e pulso deslizante e rápido.
B. Secura-Calor no Estômago: sede e fome intensa, constipação, língua seca e
avermelhada e pulso vigoroso.
C. Deficiência de Yin dos Pulmões e dos Rins: poliúria com fome intensa,
emagrecimento, episódios de tontura e visão turva, língua avermelhada com pouca
saburra e pulso filiforme e rápido.
D. Deficiência de Yin e Yang: poliúria com urina cremosa e turva, compleição escura,
secura na boca e na garganta, dor e debilidade nas costas e joelhos, aversão ao Frio,
língua pálida com saburra seca e pulso profundo, filiforme e fraco.
E. Deficiência de Qi com estase de Sangue (Xue): sede sem desejo de ingerir líquidos,
parestesias dos membros com alteração da sensibilidade, lassidão, ausência de força,
língua escura com pontos púrpura ou veias sublinguais congestionadas e pulso
profundo e hesitante.
Foi escolhido para este estudo de caso a técnica de auriculoacupuntura do Professor
Marcelo Pereira De Souza, que desenvolveu um sistema de tratamento que associa os
conhecimentos da Medicina Tradicional Chinesa e da medicina ocidental moderna, tem
construído sua teoria própria, por ter na atualidade métodos independentes para o diagnóstico
6
e tratamento de enfermidades, como neste caso o tratamento da Diabetes Mellitus tipo 2. O
que difere das outras técnicas de auriculoacupuntura é quanto a localização de pontos, na
técnica de estímulo que usa aplicação de agulhas no pavilhão auricular.
MATERIAIS E MÉTODO
- Agulha descartável de Acupuntura esterilizada da marca Qizhou, no tamanho 20x13,
- Placa de sementes para auriculoacupuntura da marca DUX,
- Semente de mostarda amarela,
- Esparadrapo da marca 3M,
- Estilete,
- Algodão hidrófilo da marca Cremer,
- Pinça de aço inox,
- Álcool à 70%,
- Luvas de procedimento descartáveis,
- Lençol de papel descartável para a maca,
- Coletor para perfurocortante da marca Descarpack,
- Lixo Hospitalar,
- Sabonete líquido neutro e
- Papel toalha descartável.
O grupo de pessoas estudada nesta pesquisa foi de 5 pessoas, com idades entre 60 a 80
anos, sendo do sexo masculino e feminino, que possuem o mesmo padrão de Diabetes
Mellitus tipo 2.
Foram realizadas cinco sessões de acupuntura auricular, feitas uma vez por semana,
com uma duração de quarenta minutos por sessão, foram utilizadas agulhas descartáveis,
diretamente na orelha em pontos específicos, onde permanecerão por 30 minutos. Após a
retirada das agulhas, foi fixada uma semente de mostarda amarela com esparadrapo nos
mesmos pontos selecionados.
O paciente foi para casa com a incumbência de pressionar estas sementes de mostarda
várias vezes ao dia, no quarto dia deveriam ser retiradas. Quando pressionada, as sementes de
mostarda amarela geram um impulso elétrico conduzido pelo sistema nervoso periférico até o
cérebro. Deve-se evitar friccionar ou esfregar, pois podem mover as sementes ou produzir
lesões na pele. Se houver infecção ou irritabilidade o paciente pode auto-retirar as sementes.
7
Deve-se evitar molhar os esparadrapos, uma vez colocados na orelha, ao ser umedecido, a
força do estímulo diminui, além disso, podem ser criadas condições propícias para as
infecções cutâneas. Quando for secar o pavilhão auricular não esfregar a toalha sobre os
pontos colocados, secá-la levemente. Orientados que se houver dor ao colocar a cabeça sobre
o travesseiro, ou ao atender ao telefone, procurar não utilizar a orelha escolhida no tratamento.
Pode ocorrer reação alérgica ao esparadrapo, que se manifesta com papúlas, prurido, edemas e
eritema, em tais casos, recomenda-se retirar imediatamente, limpar com álcool e comunicar ao
acupunturista.
O protocolo apresentado no livro Tratado de Auriculoterapia, segundo Professor
Marcelo Pereira de Souza, para Diabetes Mellitus é:
 Shenmen – bilateral e tonificar;
 Simpático – tonificar;
 Rim – sedar;
 Pâncreas – pavilhão esquerdo e tonificar;
 Hipófise – biliteral e tonificar;
 Endócrino – bilateral e tonificar.
Para a avaliação da eficácia deste tratamento os participantes realizaram testes de
glicemia capilar ao longo das cinco semanas, nos período da manhã em jejum, antes e após o
almoço e jantar, priorizando ao menos dois testes ao dia.
Todas as sessões de acupuntura seguiram-se as normas de biosegurança. Antes de
iniciar a sessão de acupuntura o local de apoio do material a ser utilizado e a maca foram
limpos com papel toalha e álcool 70%, em seguida o acupuntor realizou o procedimento de
higienização das mãos com sabonete neutro, secou com papel toalha descartável e aplicou
uma quantidade de álcool 70% nas mãos, e no término da sessão todas as agulhas foram
descartadas no coletor para perfurocortante e o algodão e luvas foram descartados no lixo
hospitalar. O usuário de acupuntura foi orientado sobre os fundamentos da acupuntura e como
se deveria proceder durante o estudo de caso. Durante as sessões, foi salientado sobre os
benefícios dos bons hábitos alimentares e físicos para uma melhor qualidade de vida, desta
forma o usuário se torna parte importante do tratamento e consciente de sua necessidade.
Assim, todos os participantes foram orientados para rever seu estilo de vida, seus hábitos
alimentares, a retomada à prática de exercícios físicos.
Quadro comparativo dos de localização dos pontos auriculares selecionados para o
estudo de caso:
8
Pontos Marcelo Pereira De
Souza
Escola da Medicina
Tradicional Chinesa
Tom Sintan Wen Ernesto Garcia
Escola Huang Li Chun
Shenmen Ângulo superior
formado pelo raiz
inferior e a superior do
anti-hélix.
O ponto está numerado
como 53. Porém não há
uma descrição.
Encontra-se traçando
uma linha entre o ponto
hipotensor e o ponto
pelve no primeiro terço
da mesma.
Simpático No meio da raiz
inferior abaixo da
membrana do Hélix.
Na região de transição
entre a borda superior da
Anti-hélix e a borda
interna da Hélice.
Terço interno da cruz
inferior do anti-hélix
onde esta se insere no
lado interno do hélix.
Rim Situado na concha
cimba, próximo a
junção desta com a raiz
inferior do anti-hélix,
na mesma linha do
Shenmen.
Na parte média superior
da parte inferior da
Concha.
Localiza-se na pequena
cavidade que se forma
por baixo da cruz
inferior do anti-hélix, ao
mesmo nível do ponto
pelve.
Pâncreas Aurícula esquerda,
situado a 1mm da
junção do anti-hélix
com a concha cimba,
ao nível do
prolongamento da
borda superior da raiz
do hélix.
Na orelha esquerda, parte
inferior lateral da parte
inferior da Concha.
Encontra-se entre os
pontos fígado e rim, no
bordo externo da concha
cimba na orelha
esquerda.
Hipófise Ponto abaixo da borda
do antitrago, a 1mm do
ápice do mesmo, na
parede descendente
abaixo da projeção do
Anti-trago.
Parede interna do
antitrago, face interna da
zona do subcortex.
Bordo superior do
antítrago, próximo a
fossa superior do
antítrago.
Endócrino No meio da incisura
inter-tragica, quase na
inserção da parede
desta com a Concha
Cava.
O ponto está numerado
como 100. Porém não há
uma descrição.
Localiza-se na parte
mais baixa da incisura
do intertrago, a 0,5mm
para dentro.
9
RESULTADO
O número de total (n) de pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2 acompanhados foi 5
(cinco). O tempo médio de diagnóstico relatado pelos pacientes foi de oito anos e quatro
meses, onde apresentavam grandes oscilações da taxa glicêmica até episódio de hipoglicemia
e nenhum monitoramento da taxa glicêmica.
As médias das taxas glicêmicas apresentadas foram:
 Jejum: 110 mg/dl;
 Antes do almoço: 115 mg/dl;
 Após o almoço: 165 mg/dl;
 Antes do jantar: 125 mg/dl;
 Após o jantar: 171 mg/dl;
 Ao deitar: 163 mg/dl.
As variáveis complementares analisadas foram:
- Glicemia capilar em jejum (GCJ): foi verificada com diversos aparelhos de glicemia capilar,
pois cada paciente possuía uma marca diferente.
- Diagnóstico de hipertensão arterial: apenas dois participantes não apresentavam.
- Índice de massa corpórea (IMC): é uma medida para medir a obesidade. O cálculo é feito
pela divisão da massa corporal (em quilogramas) pela estatura (em metros) ao quadrado.
Embora não seja perfeito, é considerado o melhor indicador do peso relativo à estatura e é
fortemente associado à proporção de gordura corporal em diferentes idades, gêneros e grupos
raciais (GALLAGUER et al., 2000). Desta forma a Organização Mundial da Saúde criou uma
classificação para popularizar, a faixa entre 25 e 30 kg/m2
é denominada de sobrepeso. Todos
os participantes estão na faixa de sobrepeso, a média apresentada é de vinte e nove e setenta e
dois kg/m2
. Não foi utilizado como único fator na classificação da obesidade, pois a
quantidade de gordura corporal também deve ser levada em conta para saber se o peso é
gordura ou músculo. O IMC é apenas um indicador inicial, que para ser confirmado é
necessário a avaliação de um médico ou nutricionista.
- Circunferência abdominal (CA): é o deposito de gordura visceral e se associa à gordura
corporal total. Ocasionado tanto por fatores genéticos quanto os de estresse ambiental são
considerados um dos indicativos de Síndrome Metabólica, esta alteração é um preditor de
insulinorresistência com aumento de risco cardiovascular e de desenvolvimento de Diabetes
mellitus Tipo 2. (TAVI, 2011). Segundo a Organização Mundial da Saúde estabelece como
10
ponto de corte para risco cardiovascular aumentado medida de circunferência abdominal igual
ou superior a 94 a 102 cm em homens e 80 a 88 cm em mulheres. (Diretrizes Brasileiras de
Obesidade, 2010). A média foi de cento e cinco e dois centímetros.
Além de responder a um questionário para a coleta de dados e estilo de vida,
principalmente em relação à prática de exercícios físicos e ao controle alimentar. A Tabela 1
traz uma descrição dos pacientes participantes do estudo de caso.
TABELA 1 – PERFIL MÉDIO DOS PACIENTES PARTICIPANTES (N=5)
Variável*
Mulheres Três
Homens Dois
Idade Sessenta e sete anos e dois meses
Tempo de diagnóstico da Diabetes mellitus
tipo 2
Oito anos e quatro meses
Atividade física Todos sedentários
Controle alimentar Todos realizam
IMC 29,72
CA 104cm
GCJ 113mg/dl
Medicamentos em uso (geral) Antidiabeticos, antihipertensivos e estatinas.
Antidiabético mais citado Metformina
Hipertensão Três
Depressão Todos apresentavam sinais iniciais
* Dados apresentados como n (%) e média (desvio padrão). IMC, Índice de Massa Corporal; CA, Circunferência
abdominal; GJ, Glicemia em jejum.
Aproximadamente metade (48,5%) dos pacientes não apresentava um controle
glicêmico adequado ao longo do tratamento sugerido. O peso e altura foram avaliados em
uma balança antropométrica mecânica (Filizolla®
) com os participantes em posição ereta,
descalços e com os calcanhares juntos. A circunferência abdominal (CA) foi ajustada ao nível
do menor perímetro entre o rebordo costal e as cristas ilíacas ântero superiores. A média foi
noventa e oito centímetros para homens e cento e dez centímetros para mulheres. As
mulheres apresentavam CA acima da faixa limítrofe para a caracterização de obesidade
11
abdominal. A terapia medicamentosa mais citada, era composta por medicamentos
antidiábeticos (Metformina), anti-hipertensivos (Atenolol) e agente redutor de colesterol
(Sinvastatina).
Após as 5 sessões de acupuntura auricular foi possível verificar que as taxas
glicêmicas estavam mais estáveis, não ocorreu nenhum episódio de hipoglicemia, todos os
usuários relataram a melhora no estado emocional, diminuição do estresse e irritabilidade e
melhora na qualidade de sono.
DISCUSSÃO
Verificou-se que o Índice de Massa Corpórea não diferencia a gordura corporal da
massa muscular e, por isso, podem ocorrer erros de má classificação de indivíduos com
grande massa muscular como obesos. Adultos idosos com excesso de gordura e massa
muscular reduzida podem ter uma classificação de um IMC saudável.
Verificando o contexto geral dos pacientes com diabetes constatou-se que:
 Melhor controle glicêmico;
 Aumento da disposição geral;
 Melhor qualidade de sono;
 Consciência da causas e problemas relacionados a DM2;
 Melhora na circulação sanguínea dos membros inferiores;
 Diminuição da quantidade de medicamentos;
 Aumento do bem estar;
 Aumento da sociabilização.
A Tabela 1 nos mostra que a população analisada foi predominantemente feminina,
isso demonstra uma maior preocupação com a saúde por parte das mulheres em relação ao
gênero masculino.
A World Health Organization (2003), afirmou que a dieta e o exercício físico durante
todo o curso da vida podem reduzir a ameaça de uma epidemia global de doenças crônicas,
portanto estes hábitos devem ser estimulados nos serviços de saúde, e neste contexto o
profissional acupunturista, por atuar na área da saúde, tem muito a contribuir. Pois, através da
acupuntura é possível tratar inúmeras doenças, deve se enfatizar que é um tratamento
preventivo, ou seja, a acupuntura pode ser aplicada em um indivíduos sadios, para estimular
12
seu sistema endócrino e suas energias vitais permitindo a livre circulação do Qi nos
meridianos energéticos pelo corpo impedindo o aparecimento de doenças.
CONCLUSÃO
Através deste estudo de caso pode-se concluir que foi possível realizar o controle
glicêmico através de um método de acupuntura auricular e da técnica com agulhas associadas
a semente de mostarda amarela do professor Marcelo Pereira De Souza.
Os resultados comprovam a eficiência e eficácia de um tratamento medicamentoso
alopático associado a tratamento da Medicina Tradicional Chinesa. Pois, há um entrosamento
e participação efetiva do usuário de acupuntura, onde ele é mola propulsora do tratamento.
O uso da acupuntura por ser um tratamento individualizado é uma das melhores ações
para mudar de modo efetivo a vida das pessoas e um modelo de saúde. Pois o profissional
acupunturista estará acompanhando de forma contínua para que possa detectar alterações que
indiquem a probabilidade de doenças futuras e o consumo exagerado de medicamentos.
13
REFERÊNCIAS
American Diabetes Association: Report of the Expert Committee on the Diagnosis and
Classification of Diabetes Mellitus. Diabetes Care 1997; 20:1183-1197.
Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Diretrizes
Brasileiras de Obesidade. 3.º edição. SP: AC Farmacêutica, 2009.
BAZOTTE, R.B. O diabetes mellitus (DM) na farmácia comunitária. In: ZUBIOLI, A.; org. A
farmácia clínica na farmácia comunitária. Salvador: Ethosfarma, 2001. p.149-54.
B. AUTEROCHE – P. NAVAIH. O diagnóstico na Medicina Chinesa. Editora LTDA. São
Paulo – 1992.
BREVES, RAUL. Terapia do Bem – A missão dos Cristais Radiônicos. São Paulo: Holista,
2010.
CASADO, Heitor e SÁ, Fernando Cavalcanti. Atlas de Ouro de Acupuntura. São Paulo: Ícone
Editora, 2008.
FOCKS, CLAUDIA. Atlas da Acupuntura: com sequencia de fotos e ilustrações, textos
didáticos e indicações clínicas. Barueri. SP: Manole, 2005.
GALLAGHER, D.; Heymsfield, S.B.; Moonseong, H.; Jebb, S.A.; Mergatroyd, P.R.;
Sakamoto, Y. Healthy percentege body fat ranges: na apprach for developing guidelines based
on body mass índex. AM J Clin Nutr, 2000.
GARCIA, Ernesto G. Auriculoterapia. São Paulo: Roca, 2003.
GONZALEZ, Garcia, Ernesto. Auriculoterapia, Escola Huang Li Chun, Editora Roca, São
Paulo, 1999.
GUYTON E HALL. Tratado de fisiologia médica. Nona Ed. Editora Guanabara Koogan.
LEHNINGER, Albert Lester. Princípios de Bioquímica. 2° edição. São Paulo: Sarver, 1995.
LOWENFELS, I. B. Diabetes associado à obesidade: todos os pacientes recentemente
diagnosticados devem ser submetidos à cirurgia bariátrica? JAMA. 2008;299:316-323.
Disponível em:
http://www.medcenter.com/Medscape/content.aspx?LangType=1046&menu_id=49&id=1387
6. Acesso em: 28 / 03 / 2010.
MATTAR, F. Pesquisa de marketing. Ed. Atlas. 1996.
ORTIZ, MCA; Zanetti M. L. Levantamento dos fatores de risco para diabetes mellitus tipo 2
em uma instituição de ensino superior. Rev Latino-am Enfermagem 2001 maio; 9(3)58-63.
Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-
11692001000300009&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 23 / 03 / 2010.
14
REICHMANN, Brunilda T. Auriculoterapia- Fundamentos de acupuntura auricular; Ed.
Tecnodata, Curitiba/PR, 2002.
SCILIPOTI, Domenico. Filosofia e Acupuntura Ryodoraku. São Paulo: Roca, 2006.
SCHIFFMAN, L. & KANUK, L. Comportamento do consumidor. LTC Editora. 6a
ed. 2000.
SILVA, G.E.C.; BAZOTE, R. B.; CURI, R.; SILVA, M.A.R.C.P. Investigation of risk factors
to coronary heart diseases in two countryside paranaense village, Brazil. Brazillian. Braz.
Arch. Biol. Technol., v.47, p.387-90, 2004.
SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diretrizes da Sociedade Brasileira de
Diabetes: Tratamento e Acompanhamento do Diabetes mellitus. Rio de Janeiro: Diagraphic,
2007.
SOUZA, Marcelo Pereira de. Tratado de Auriculoterapia. Brasília: Novo Horizonte, 2007.
V DIRETRIZES BRASILEIRAS DE HIPERTENSÃO ARTERIAL. SOCIEDADE
BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. SOCIEDADE BRASILEIRA DE HIPERTENSÃO.
SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA. Arquivo Brasileiro de Cardiologia, v.89,
p.24-9,2007.
TAVI, M. I. C.; Bastos, P. R. H. de; Pontes, E. R., J. C. Prevalência de sobrepeso, obesidade e
circunferência abdominal alterada em escolares de 6 a 11 anos de idade em Campo Grande.
Ver. Brás. Prom. Saúde, 2011.
YSAO, Yamamura. Acupuntura Tradicional. A Arte de Inserir. São Paulo : Roca, 2001.
ZHUFAN, Xie. Pratica da medicina tradicional chinesa; tradução Luciane M. D. Farber. São
Paulo: Ícone, 2009.
WORLD HEALTH ORGANIZATION. Diet, nutrition and prevention of chronic diseases.
World Health Organ Tech Rep Ser, v.916, p.1-149, 2003.
WORLD HEALTH ORGANIZATION. Obesity: Prevention and managigng the global
epidemic. Reporto f a WHO Consulation on Obesity. Geneva: World Health Organization,
1997.
Ministério da Saúde. Pratique Saúde contra a Diabetes Melittus. Disponível
em:http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=23617&janela=1Acesso
em: 28 / 03 / 2010.
Comunidade de Diabetes. Diabetes tipo II. Disponível em:
http://www.mudandoodiabetes.com.br/website/content/diabetes_2.aspx. Acesso em: 30 / 03 /
2010.
Diabetes e Saúde. Complicações do Diabetes. Disponível em: http://www.diabetes.etc.br/.
Acesso em: 28 / 03 / 2010.
15
Diabetenet. Sobre o Diabetes. Disponível em:
http://www.diabetenet.com.br/conteudocompleto.asp?idconteudo=2625.
Acesso em: 28 /03 / 2010.
Isaúde.net. Exame de sangue simples pode detectar diabetes tipo 2, revelam cientistas.
Disponível em: http://www.isaude.net/pt-BR/noticia/4041/ciencia-e-tecnologia/exame-de-
sangue-simples-pode-detectar-diabetes-tipo-2-revelam-cientistas. Acesso em: 28 / 03 / 2010.
Acupuntura chew. Diabetes. Disponível em:
http://acupuntura.net63.net/index.php?p=1_10. Acesso em: 28 / 03 / 2010.
http://www.xn--dicionriomdico-0gb6k.com/infarto.html. Acessado em 14/122011;
http://www.xn--dicionriomdico-0gb6k.com/Acidente_vascular_cerebral.html Acessado em 14
de dezembro de 2011;
http://www.xn--dicionriomdico-0gb6k.com/gangrena.html. Acessado em 14 de dezembro de
2011
16
ANEXOS
EBRAMEC - ESCOLA BRASILEIRA DE ACUPUNTURA E MEDICINA CHINESA
COMISSÃO DE ÉTICA EM PESQUISA - COEP
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO (T.C.L.E)
Eu,___________________________________________________________________,
residente no endereço:__________________________________________________, RG n.º:
______________estou sendo convidado a participar de um estudo de caso denominado:
ESTUDO DE CASO: TRATAMENTO DA DIABETES TIPO 2 ATRAVÉS DA
AURICULOTERAPIA SEGUNDO PROFESSOR MARCELO PEREIRA DE SOUZA, cujo
objetivo é avaliar o nível de influência do tratamento de auriculoterapia no controle glicêmico
dos diabéticos.
A minha participação no referido estudo será de comparecer em 05 (cinco) sessões de
acupuntura com 30 minutos de duração, com a freqüência de 1 (uma) vez por semana. Após o
término do estudo estarei recebendo um retorno do resultado da pesquisa com possíveis
sugestões sobre o assunto.
Estou ciente de que minha privacidade será respeitada, assim como, meu nome ou qualquer
outro dado ou elemento que possa, de qualquer forma, me identificar, será mantido em sigilo
nas conclusões ou publicações.
É assegurada a assistência durante toda pesquisa, bem como me é garantido o livre acesso a
todas as informações e esclarecimentos adicionais sobre o estudo e suas conseqüências,
enfim, tudo o que eu queira saber antes, durante e depois da minha participação.
Também fui informado de que posso me recusar a participar do estudo, ou retirar meu
consentimento a qualquer momento, sem precisar justificar, sem prejuízo do atendimento,
cuidado e tratamento.
A pesquisadora envolvida com o referido estudo é Carla Mayumi Matsue orientada pelo
professor Francisco Marcos Vorcaro De Souza.
Enfim, tendo sido orientado quanto ao teor de todo o aqui mencionado e compreendido a
natureza e o objetivo do já referido estudo, manifesto meu livre consentimento em participar,
estando totalmente ciente.
Curitiba, ________ de __________________ de 2012.
__________________________________ __________________________________
Assinatura do participante Carla Mayumi Matsue
Este documento foi elaborado pelo pesquisador responsável, preenchido em duas vias,
ficando uma de posse do paciente e outra no prontuário da pesquisa.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idosoJose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idosocomunidadedepraticas
 
Exercícios físicos para diabéticos
Exercícios físicos para diabéticosExercícios físicos para diabéticos
Exercícios físicos para diabéticosilanaseixasladeia
 
Diabetes ApresentaçãO
Diabetes ApresentaçãODiabetes ApresentaçãO
Diabetes ApresentaçãOJose Eduardo
 
Ginastica E Diabetes
Ginastica E DiabetesGinastica E Diabetes
Ginastica E Diabetesguest4290779
 
1118 1324 manual_enfermagem
1118 1324 manual_enfermagem1118 1324 manual_enfermagem
1118 1324 manual_enfermagemInês Cachaço
 
183 dietoterapia dm___2
183 dietoterapia dm___2183 dietoterapia dm___2
183 dietoterapia dm___2Fernanda Sloto
 
efeitos do exercício físico sobre Diabetes
efeitos do exercício físico sobre Diabetesefeitos do exercício físico sobre Diabetes
efeitos do exercício físico sobre DiabetesRenan Malaquias
 
Samuel_Complicações_microvasculares
Samuel_Complicações_microvascularesSamuel_Complicações_microvasculares
Samuel_Complicações_microvascularescomunidadedepraticas
 
Diabetes mellitus tipo 2 e exercício físico
Diabetes mellitus tipo 2 e exercício físicoDiabetes mellitus tipo 2 e exercício físico
Diabetes mellitus tipo 2 e exercício físicoAbinef
 
Avalliação do-estado-nutricional-de-idosos
Avalliação do-estado-nutricional-de-idososAvalliação do-estado-nutricional-de-idosos
Avalliação do-estado-nutricional-de-idososNara Barros
 

Mais procurados (20)

Pdf dalila de sousa rodrigues
Pdf   dalila de sousa rodriguesPdf   dalila de sousa rodrigues
Pdf dalila de sousa rodrigues
 
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idosoJose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
Jose_Clemente_Aspectos_importantes_HAS_idoso
 
Vera_Obesidade
Vera_ObesidadeVera_Obesidade
Vera_Obesidade
 
Joana_Sedentarismo
Joana_SedentarismoJoana_Sedentarismo
Joana_Sedentarismo
 
Exercícios físicos para diabéticos
Exercícios físicos para diabéticosExercícios físicos para diabéticos
Exercícios físicos para diabéticos
 
Diabetes ApresentaçãO
Diabetes ApresentaçãODiabetes ApresentaçãO
Diabetes ApresentaçãO
 
Ginastica E Diabetes
Ginastica E DiabetesGinastica E Diabetes
Ginastica E Diabetes
 
1118 1324 manual_enfermagem
1118 1324 manual_enfermagem1118 1324 manual_enfermagem
1118 1324 manual_enfermagem
 
Obesidade em pauta
Obesidade em pautaObesidade em pauta
Obesidade em pauta
 
ASPECTOS NUTRICIONAIS NO ENVELHECIMENTO
ASPECTOS NUTRICIONAIS NO ENVELHECIMENTOASPECTOS NUTRICIONAIS NO ENVELHECIMENTO
ASPECTOS NUTRICIONAIS NO ENVELHECIMENTO
 
183 dietoterapia dm___2
183 dietoterapia dm___2183 dietoterapia dm___2
183 dietoterapia dm___2
 
efeitos do exercício físico sobre Diabetes
efeitos do exercício físico sobre Diabetesefeitos do exercício físico sobre Diabetes
efeitos do exercício físico sobre Diabetes
 
Slide Diabetes
Slide DiabetesSlide Diabetes
Slide Diabetes
 
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTOATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
 
Samuel_Complicações_microvasculares
Samuel_Complicações_microvascularesSamuel_Complicações_microvasculares
Samuel_Complicações_microvasculares
 
Diabetes mellitus tipo 2 e exercício físico
Diabetes mellitus tipo 2 e exercício físicoDiabetes mellitus tipo 2 e exercício físico
Diabetes mellitus tipo 2 e exercício físico
 
Vera_Atualizacao_terapeutica_DM
Vera_Atualizacao_terapeutica_DMVera_Atualizacao_terapeutica_DM
Vera_Atualizacao_terapeutica_DM
 
Avalliação do-estado-nutricional-de-idosos
Avalliação do-estado-nutricional-de-idososAvalliação do-estado-nutricional-de-idosos
Avalliação do-estado-nutricional-de-idosos
 
Samuel_Diario_alimentar
Samuel_Diario_alimentarSamuel_Diario_alimentar
Samuel_Diario_alimentar
 
Samuel_Complicações_agudas
Samuel_Complicações_agudasSamuel_Complicações_agudas
Samuel_Complicações_agudas
 

Semelhante a TRATAMENTO DE DIABETES TIPO 2 NA MTC

Obesidade um comprometimento orgânico muito mais complexo do que sempre se pe...
Obesidade um comprometimento orgânico muito mais complexo do que sempre se pe...Obesidade um comprometimento orgânico muito mais complexo do que sempre se pe...
Obesidade um comprometimento orgânico muito mais complexo do que sempre se pe...Van Der Häägen Brazil
 
SLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptx
SLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptxSLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptx
SLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptxDiegoSousa419733
 
Diabetes e hipertensao
Diabetes e hipertensaoDiabetes e hipertensao
Diabetes e hipertensaoLiryLima
 
E-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdf
E-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdfE-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdf
E-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdfsuziemartins
 
Dietas da moda artigo 2019
Dietas da moda artigo 2019Dietas da moda artigo 2019
Dietas da moda artigo 2019MariaTawany
 
intro Diabetes e Obesidade.pptx
intro Diabetes e Obesidade.pptxintro Diabetes e Obesidade.pptx
intro Diabetes e Obesidade.pptxGustavoWallace10
 
Diabetes mellitus bioquimica e fisiopatologia Cuidados de enfermagem
Diabetes mellitus bioquimica e fisiopatologia Cuidados de enfermagemDiabetes mellitus bioquimica e fisiopatologia Cuidados de enfermagem
Diabetes mellitus bioquimica e fisiopatologia Cuidados de enfermagemMayza De Jesus Milhomem
 
Estudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....ppt
Estudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....pptEstudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....ppt
Estudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....pptWilliam Damasceno
 
Anorexia e bulimia
Anorexia e bulimiaAnorexia e bulimia
Anorexia e bulimiaap3bmachado
 
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.Van Der Häägen Brazil
 
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...Van Der Häägen Brazil
 

Semelhante a TRATAMENTO DE DIABETES TIPO 2 NA MTC (16)

Obesidade um comprometimento orgânico muito mais complexo do que sempre se pe...
Obesidade um comprometimento orgânico muito mais complexo do que sempre se pe...Obesidade um comprometimento orgânico muito mais complexo do que sempre se pe...
Obesidade um comprometimento orgânico muito mais complexo do que sempre se pe...
 
SLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptx
SLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptxSLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptx
SLIDES - DIABETES CAPACITAÇÃO.pptx
 
Diabetes e hipertensao
Diabetes e hipertensaoDiabetes e hipertensao
Diabetes e hipertensao
 
E-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdf
E-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdfE-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdf
E-book Diabetes mellitus tipo 2 no ambulatório.pdf
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Jornada 2012
Jornada 2012Jornada 2012
Jornada 2012
 
Dietas da moda artigo 2019
Dietas da moda artigo 2019Dietas da moda artigo 2019
Dietas da moda artigo 2019
 
intro Diabetes e Obesidade.pptx
intro Diabetes e Obesidade.pptxintro Diabetes e Obesidade.pptx
intro Diabetes e Obesidade.pptx
 
Diabetes mellitus bioquimica e fisiopatologia Cuidados de enfermagem
Diabetes mellitus bioquimica e fisiopatologia Cuidados de enfermagemDiabetes mellitus bioquimica e fisiopatologia Cuidados de enfermagem
Diabetes mellitus bioquimica e fisiopatologia Cuidados de enfermagem
 
Diabetes mellitus ok!
Diabetes mellitus ok!Diabetes mellitus ok!
Diabetes mellitus ok!
 
Estudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....ppt
Estudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....pptEstudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....ppt
Estudo de caso da disciplina de saúde da mulher (diabetes gestacional).....ppt
 
Anorexia e bulimia
Anorexia e bulimiaAnorexia e bulimia
Anorexia e bulimia
 
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
Obesidade se torna um fator complexo em pacientes diabeticos e vice versa.
 
369
369369
369
 
Nutricao e avc_artigo
Nutricao e avc_artigoNutricao e avc_artigo
Nutricao e avc_artigo
 
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
Diabetes mellitus associado à obesidade abdominal,obesidade periférica e doen...
 

TRATAMENTO DE DIABETES TIPO 2 NA MTC

  • 1. ESCOLA BRASILEIRA DE MEDICINA CHINESA – EBRAMEC CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ACUPUNTURA CARLA MAYUMI MATSUE ESTUDO DE CASO: TRATAMENTO DA DIABETES TIPO 2 ATRAVÉS DA AURICULOTERAPIA SEGUNDO PROFESSOR MARCELO PEREIRA DE SOUZA SÃO PAULO 2013
  • 2. CARLA MAYUMI MATSUE ESTUDO DE CASO: TRATAMENTO DA DIABETES TIPO 2 ATRAVÉS DA AURICULOTERAPIA SEGUNDO PROFESSOR MARCELO PEREIRA DE SOUZA BANCA EXAMINADORA: ORIENTADOR: Prof. Francisco Marcos Vorcaro De Souza Aluna: Carla Mayumi Matsue São Paulo, 19 de abril de 2013.
  • 3. CARLA MAYUMI MATSUE ESTUDO DE CASO: TRATAMENTO DA DIABETES TIPO 2 ATRAVÉS DA AURICULOTERAPIA SEGUNDO PROFESSOR MARCELO PEREIRA DE SOUZA Trabalho de Conclusão de Curso de Pós Graduação Lato Sensu de Acupuntura apresentado a EBRAMEC – Escola Brasileira de Medicina Chinesa, sob orientação da Prof. Francisco Marcos Vorcaro De Souza e co-orientador o Prof. Reginaldo de Carvalho Silva Filho. SÃO PAULO 2013
  • 4. RESUMO A acupuntura é uma técnica oriental que estuda a energia vital distribuída pelo organismo, caso ocorra algum desequilíbrio deste fluxo poderá ocorrer um distúrbio físico ou emocional. Atualmente, é discutida como uma ciência autônoma e de comprovada utilidade dentro de critérios científicos ocidentais. Este estudo de caso teve a expectativa de proporcionar melhoria na qualidade de vida e diminuição das taxas glicêmicas capilares de alguns participantes da Associação dos Diabéticos do Paraná - APAD. A escolha da utilização da auriculoterapia segundo a técnica do Professor Marcelo Pereira de Souza, do livro Tratado de Auriculoterapia, com o uso do Programa de Auriculoterapia sugerido para o tratamento de Diabetes Mellitus. Pois é um tratamento seguro, rápido, de baixo custo e de fácil aplicação. A amostra foi composta por 5 indivíduos, que após 5 sessões de auriculoterapia pode ser observada as mudanças ocorridas, tais como: a melhora da qualidade de sono, diminuição da irritação e estresse, melhora da auto-estima e a melhora significativa do quadro clínico dos participantes. Considera-se a necessidade de mais estudos com este procedimento integrando com outras especialidades que promovam a saúde de forma multidisciplinar. Palavras chaves: Medicina Tradicional Chinesa, Auriculoterapia, Terapias complementares, Acupuntura, Diabetes Mellitus tipo 2, Saúde.
  • 5. ABSTRACT Acupuncture is an eastern technique that studies the vital energy distributed throughout the body. If there is any imbalance in this flow, it may result in physical or emotional disorders. Currently, it is discussed as an autonomous science and it has proven utility in Western scientific criteria. This case study was the expectation of providing better quality of life, and reduction of capillary blood glucose levels of some participants of the Diabetic Association of Paraná - APAD. The choice of using auriculotherapy according to the technique of Professor Marcelo Pereira de Souza, the book Treaty of Auriculotherapy, using the program Auriculotherapy suggested for the treatment of Diabetes mellitus. The treatment is safe, fast, inexpensive and easy to apply. The study consisted of five individuals, who after 5 sessions of auriculotherapy were observed to have the following changes: improved sleep quality, decrease in irritation and stress, improved self-esteem and significant improvement of the clinical participants. We consider the need for further studies with this procedure, integrating it with other specialties that promote health in a multidisciplinary way. Keywords: Tradicional Chinese Medicine, Auriculotherapy, Complementary therapie, Acupuncture, Diabetes mellitus type 2, Health.
  • 6. SUMÁRIO Resumo Abstract Introdução ...................................................................................................... 1 Objetivo .......................................................................................................... 2 Desenvolvimento ........................................................................................... 2 Materiais e Método....................................................................................... 6 Resultados ...................................................................................................... 9 Discussão ....................................................................................................... 11 Conclusão ....................................................................................................... 12 Referências ..................................................................................................... 13 Anexos - Termo de consentimento livre e esclarecido ................................................ 16
  • 7. INTRODUÇÃO A vida agitada com os compromissos profissionais e familiares dificulta a prática regular de atividade física e uma alimentação saudável. Estes fatores são umas das maiores causas de morte através de doenças crônicas e cardiovasculares. O desafio da medicina moderna é atuar de forma preventiva, antecipando-se com tratamentos ou ações que não permitam a instalação dessas doenças, diminuam a taxa de morbidade e os custos da saúde pública para administrar os efeitos dessas doenças. O termo Diabetes Mellitus descreve um grupo de doenças metabólicas de múltipla etiologia, denominado de Síndrome Metabólica ou Processo Inflamatório da Medicina Ocidental Moderna. É caracterizado por hiperglicemia crônica, com alterações do metabolismo dos hidratos de carbono, gorduras e proteínas, devido a deficiência da ação da insulina nos tecidos alvos, conseqüência de defeitos na secreção e/ou ação da insulina. A doença pode apresentar com sintomas característicos de poliúria, polidispsia, visão turva, polifagia, e emagrecimento. Nas suas formas mais agudas pode surgir um estado de cetoacidose ou hiperosmolaridade não cetósica, quando não detectado precocemente ou tratado inadequadamente, pode evoluir para as complicações crônicas que levam a perda de qualidade de vida, conduzindo ao estupor, coma e, na ausência de tratamento eficaz, à morte. Geralmente, ocorre em indivíduos adultos que apresentam níveis insulínicos normais ou aumentados. Um dos principais fatores para desencadear a Diabetes mellitus Tipo 2 são os problemas alimentares ligados à obesidade, por comer em demasia ou incorretamente, estão constantemente com a glicemia elevada e conseqüentemente com níveis altos de insulina circulante na corrente sanguínea. Segundo o Ministério da Saúde a Diabetes Mellitus Tipo 2 está entre as ascendentes causas de morbidade e mortalidade no Brasil. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera a Diabetes Mellitus Tipo 2 uma epidemia mundial, e, junto com a hipertensão, é a doença que mais provoca a morte no Brasil. É a principal causa de internações, por complicações como doença cardiovascular (hipertensão, infarto agudo do miocárdio, Acidente Vascular Cerebral), diálise por insuficiência renal crônica, cegueira, impotência sexual e amputações de membros inferiores. A estimativa da Organização Mundial de Saúde é que em 2025, haja 350 milhões de diabéticos no Brasil.
  • 8. 2 OBJETIVO É demonstrar a atuação da acupuntura auricular no controle glicêmico da Diabetes Mellitus Tipo 2, segundo a escola do Professor Marcelo Pereira De Souza, para proporcionar uma opção de tratamento de controle adequado, simples e eficiente. DESENVOLVIMENTO O estudo de caso foi classificado como sendo não probabilística (é aquela em que a seleção dos elementos da população para compor a amostra depende ao menos em parte do julgamento do pesquisador (MATTAR, 1996). E por conveniência (a pesquisadora selecionou os membros da população mais acessíveis) e por julgamento (a pesquisadora usou o seu julgamento para selecionar os membros da população que são boas fontes de informação (SCHIFFMAN, 2000). Todos os pacientes participaram de forma voluntária e assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, após a orientação e explanação do desenvolvimento do estudo de caso. Em Julho de 1997, uma comissão internacional de peritos, Expert Committee on the Dianosis and Classification of Diabetes Mellitus, patrocinada pela American Diabetes Association, apresentou novas recomendações para a classificação e diagnóstico da Diabetes mellitus. As novas recomendações incluem o uso preferencial dos termos: Tipo 1 e Tipo 2 para designar os dois maiores tipos de diabetes, abandonando-se as expressões diabetes mellitus insulinodependente e diabetes não insulinodependentes. Há duas classes principais de doença: a Diabetes mellitus dependente de insulina e a Diabetes mellitus não dependente de insulina. Na primeira, a doença começa no início da vida e torna-se severa. A última é de aparecimento lento, moderado, e pode passar despercebida. O termo Diabetes Mellitus significa excessiva excreção de urina doce. Na visão da medicina ocidental a Diabetes Mellitus é uma doença causada pela deficiência na secreção ou ação da insulina. E também sofre a influência de vários hormônios no metabolismo da glicose. Outra alteração metabólica é resultante do defeito da ação da insulina é a excessiva e incompleta oxidação dos ácidos graxos no fígado, resultando na super produção de corpos cetônicos e cetonas dando ao hálito de um diabético não tratado um odor característico, algumas vezes confundido com o etanol.
  • 9. 3 Carboidratos da dieta Proteínas da dieta Glicose Aminoácidos Acetil-CoA    Corpos cetônicos Ácidos graxos Triacilgliceróis A insulina estimula a conversão em gordura dos carboidratos e das proteínas da alimentação. Nos indivíduos com Diabetes Mellitus não tratado, devido a falta de insulina, a substância proveniente do catabolismo dos carboidratos e proteínas é derivado para a produção dos corpos cetônicos no sangue e na urina. Como conseqüência ocorre uma perda de peso acentuada, diminuição do ph sanguíneo, provocando uma situação conhecida como acidose, que pode provocar o coma e até a morte. Os principais sintomas que mostram que o nível de glicose está elevado são: - Sede e fome excessiva, - Câimbras e tremores, - Micção freqüente (poliúria), - Ingestão de grande volume de água (polidipsia), - Cansaço ou desânimo, - Cicatrização difícil, - Infecções de pele e coceira, - Pressão alta e palpitações, - Impotência sexual, - Rápida alteração de peso e - Visão turva. A Diabetes Mellitus é um dos principais fatores de risco para várias complicações: - Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco; Aumentado no Diabetes Ação da insulina Ação da insulina Gordura para o fornecimento de energia e capacita o organismo a suportar longos períodos de jejum.
  • 10. 4 - Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma doença de início súbito, caracterizada pela falta de irrigação sangüínea em um determinado território cerebral. Pode ser secundário à oclusão de alguma artéria ou a um sangramento, no último caso é denominado Acidente Vascular Cerebral Hemorrágico; - Gangrena ou Necrose é a morte de um tecido ou órgão, em conseqüência de aporte sangüíneo insuficiente. Pode abrigar infecções e recebe nomes diferentes, dependendo de suas características (gangrena úmida, gangrena gasosa, etc.). Em membros inferiores que é responsável por 80% das mortes dos portadores de Diabetes Mellitus tipo 2; - Nefropatia é responsável por porcentagem significativa de pacientes em regime de diálise renal crônica; - Cegueira pode ser ocasionada dentro de cinco anos após a instalação de Diabetes Mellitus tipo 2; - Neuropatia são parestesias (dormência, formigamento e queimação) em membros inferiores em aproximadamente 7 ou 8% dos diabéticos tipo 2 apresentam no momento do diagnóstico; - Disfunção sexual masculina causando a ejaculação retrógrada ou impotência sexual; - Bexiga neurogênica é o número de intervalos crescentes entre duas micções; - Gastroparesia diabética que retarda o esvaziamento gástrico e prejudica a secreção gástrica de ácido clorídrico causando empachamento pós-prandial, náuseas e vômitos, perda das contrações intestinais permitindo o crescimento bacteriano nestas regiões; - Constipação ocorre em cerca de 2/3 dos diabéticos. É geralmente intermitente e pode alternar-se com diarréia. A incontinência fecal por disfunção do esfíncter anal pode ser desencadeada pelo ato de alimentar-se, ocorre com maior freqüência a diarréia pela enteropatia glúten-induzida e por insuficiência pancreática exócrina; - Taquicardia crônica que é a freqüência cardíaca se mantém elevada, mesmo ao repouso; resulta de disfunção parassimpática, que geralmente precede a simpática; - Emagrecimento pela falta de aproveitamento da glicose sanguínea é o casionada pelo seguinte mecanismo é a degradação de suas reservas, ou seja, um individuo diabético tem apetite maior que o de um individuo normal nas mesmas condições de gasto de energia, no entanto, apresenta queda de peso. Além disso, a hiperglicemia causa aumento da pressão osmótica dentro do vaso sanguíneo que faz com que líquido de outros compartimentos (como o das células) se direcione ao sangue, o que leva à desidratação celular; - Glicosúria ocorre quando há uma alta concentração de glicose, o rim não consegue mais reabsorvê-la e então o organismo passa a perder açúcar pela urina. A urina com açúcar causa
  • 11. 5 aumento na sua pressão osmótica impedindo a reabsorção tubular de água nos rins e com isso levando à desidratação extracelular. Segundo a Medicina Tradicional Chinesa o tratamento para qualquer desequilíbrio orgânico pode variar de acordo com cada paciente, mesmo que os sintomas sejam similares, pois as técnicas possíveis de serem utilizadas são diversas, como a combinação de pontos de acupuntura é imensa. Assim como no tratamento alopático alguns pacientes não respondem de forma eficaz, nos tratamentos segundo a Medicina Tradicional Chinesa pode ocorrer o mesmo, nesta situação é necessário que o profissional revise o protocolo escolhido. Na visão da Medicina Tradicional Chinesa a Diabetes Mellitus é chamada de Xiaoke, que significa emagrecimento e sede. Os fatores desta patologia são características congênitas ou adquiridas. Os fatores adquiridos incluem dieta inadequada, principalmente a ingestão de alimentos doces, traumas emocionais, estresse e fatores exógenos. Qualquer um desses fatores pode conduzir à produção de calor que consome o Yin, deste modo a secura-calor impede a função do Pulmão (Fei), Estômago (Wei) e Rim (Shen). Portanto, as mudanças patológicas principais são deficiência de Yin e Secura-Calor. Entre as mudanças patológicas aparecem diferentes síndromes, que podem ser: A. Secura-Calor no Pulmão: sede e fome intensa, poliúria, perda de peso, língua avermelhada com saburra seca e amarela e pulso deslizante e rápido. B. Secura-Calor no Estômago: sede e fome intensa, constipação, língua seca e avermelhada e pulso vigoroso. C. Deficiência de Yin dos Pulmões e dos Rins: poliúria com fome intensa, emagrecimento, episódios de tontura e visão turva, língua avermelhada com pouca saburra e pulso filiforme e rápido. D. Deficiência de Yin e Yang: poliúria com urina cremosa e turva, compleição escura, secura na boca e na garganta, dor e debilidade nas costas e joelhos, aversão ao Frio, língua pálida com saburra seca e pulso profundo, filiforme e fraco. E. Deficiência de Qi com estase de Sangue (Xue): sede sem desejo de ingerir líquidos, parestesias dos membros com alteração da sensibilidade, lassidão, ausência de força, língua escura com pontos púrpura ou veias sublinguais congestionadas e pulso profundo e hesitante. Foi escolhido para este estudo de caso a técnica de auriculoacupuntura do Professor Marcelo Pereira De Souza, que desenvolveu um sistema de tratamento que associa os conhecimentos da Medicina Tradicional Chinesa e da medicina ocidental moderna, tem construído sua teoria própria, por ter na atualidade métodos independentes para o diagnóstico
  • 12. 6 e tratamento de enfermidades, como neste caso o tratamento da Diabetes Mellitus tipo 2. O que difere das outras técnicas de auriculoacupuntura é quanto a localização de pontos, na técnica de estímulo que usa aplicação de agulhas no pavilhão auricular. MATERIAIS E MÉTODO - Agulha descartável de Acupuntura esterilizada da marca Qizhou, no tamanho 20x13, - Placa de sementes para auriculoacupuntura da marca DUX, - Semente de mostarda amarela, - Esparadrapo da marca 3M, - Estilete, - Algodão hidrófilo da marca Cremer, - Pinça de aço inox, - Álcool à 70%, - Luvas de procedimento descartáveis, - Lençol de papel descartável para a maca, - Coletor para perfurocortante da marca Descarpack, - Lixo Hospitalar, - Sabonete líquido neutro e - Papel toalha descartável. O grupo de pessoas estudada nesta pesquisa foi de 5 pessoas, com idades entre 60 a 80 anos, sendo do sexo masculino e feminino, que possuem o mesmo padrão de Diabetes Mellitus tipo 2. Foram realizadas cinco sessões de acupuntura auricular, feitas uma vez por semana, com uma duração de quarenta minutos por sessão, foram utilizadas agulhas descartáveis, diretamente na orelha em pontos específicos, onde permanecerão por 30 minutos. Após a retirada das agulhas, foi fixada uma semente de mostarda amarela com esparadrapo nos mesmos pontos selecionados. O paciente foi para casa com a incumbência de pressionar estas sementes de mostarda várias vezes ao dia, no quarto dia deveriam ser retiradas. Quando pressionada, as sementes de mostarda amarela geram um impulso elétrico conduzido pelo sistema nervoso periférico até o cérebro. Deve-se evitar friccionar ou esfregar, pois podem mover as sementes ou produzir lesões na pele. Se houver infecção ou irritabilidade o paciente pode auto-retirar as sementes.
  • 13. 7 Deve-se evitar molhar os esparadrapos, uma vez colocados na orelha, ao ser umedecido, a força do estímulo diminui, além disso, podem ser criadas condições propícias para as infecções cutâneas. Quando for secar o pavilhão auricular não esfregar a toalha sobre os pontos colocados, secá-la levemente. Orientados que se houver dor ao colocar a cabeça sobre o travesseiro, ou ao atender ao telefone, procurar não utilizar a orelha escolhida no tratamento. Pode ocorrer reação alérgica ao esparadrapo, que se manifesta com papúlas, prurido, edemas e eritema, em tais casos, recomenda-se retirar imediatamente, limpar com álcool e comunicar ao acupunturista. O protocolo apresentado no livro Tratado de Auriculoterapia, segundo Professor Marcelo Pereira de Souza, para Diabetes Mellitus é:  Shenmen – bilateral e tonificar;  Simpático – tonificar;  Rim – sedar;  Pâncreas – pavilhão esquerdo e tonificar;  Hipófise – biliteral e tonificar;  Endócrino – bilateral e tonificar. Para a avaliação da eficácia deste tratamento os participantes realizaram testes de glicemia capilar ao longo das cinco semanas, nos período da manhã em jejum, antes e após o almoço e jantar, priorizando ao menos dois testes ao dia. Todas as sessões de acupuntura seguiram-se as normas de biosegurança. Antes de iniciar a sessão de acupuntura o local de apoio do material a ser utilizado e a maca foram limpos com papel toalha e álcool 70%, em seguida o acupuntor realizou o procedimento de higienização das mãos com sabonete neutro, secou com papel toalha descartável e aplicou uma quantidade de álcool 70% nas mãos, e no término da sessão todas as agulhas foram descartadas no coletor para perfurocortante e o algodão e luvas foram descartados no lixo hospitalar. O usuário de acupuntura foi orientado sobre os fundamentos da acupuntura e como se deveria proceder durante o estudo de caso. Durante as sessões, foi salientado sobre os benefícios dos bons hábitos alimentares e físicos para uma melhor qualidade de vida, desta forma o usuário se torna parte importante do tratamento e consciente de sua necessidade. Assim, todos os participantes foram orientados para rever seu estilo de vida, seus hábitos alimentares, a retomada à prática de exercícios físicos. Quadro comparativo dos de localização dos pontos auriculares selecionados para o estudo de caso:
  • 14. 8 Pontos Marcelo Pereira De Souza Escola da Medicina Tradicional Chinesa Tom Sintan Wen Ernesto Garcia Escola Huang Li Chun Shenmen Ângulo superior formado pelo raiz inferior e a superior do anti-hélix. O ponto está numerado como 53. Porém não há uma descrição. Encontra-se traçando uma linha entre o ponto hipotensor e o ponto pelve no primeiro terço da mesma. Simpático No meio da raiz inferior abaixo da membrana do Hélix. Na região de transição entre a borda superior da Anti-hélix e a borda interna da Hélice. Terço interno da cruz inferior do anti-hélix onde esta se insere no lado interno do hélix. Rim Situado na concha cimba, próximo a junção desta com a raiz inferior do anti-hélix, na mesma linha do Shenmen. Na parte média superior da parte inferior da Concha. Localiza-se na pequena cavidade que se forma por baixo da cruz inferior do anti-hélix, ao mesmo nível do ponto pelve. Pâncreas Aurícula esquerda, situado a 1mm da junção do anti-hélix com a concha cimba, ao nível do prolongamento da borda superior da raiz do hélix. Na orelha esquerda, parte inferior lateral da parte inferior da Concha. Encontra-se entre os pontos fígado e rim, no bordo externo da concha cimba na orelha esquerda. Hipófise Ponto abaixo da borda do antitrago, a 1mm do ápice do mesmo, na parede descendente abaixo da projeção do Anti-trago. Parede interna do antitrago, face interna da zona do subcortex. Bordo superior do antítrago, próximo a fossa superior do antítrago. Endócrino No meio da incisura inter-tragica, quase na inserção da parede desta com a Concha Cava. O ponto está numerado como 100. Porém não há uma descrição. Localiza-se na parte mais baixa da incisura do intertrago, a 0,5mm para dentro.
  • 15. 9 RESULTADO O número de total (n) de pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2 acompanhados foi 5 (cinco). O tempo médio de diagnóstico relatado pelos pacientes foi de oito anos e quatro meses, onde apresentavam grandes oscilações da taxa glicêmica até episódio de hipoglicemia e nenhum monitoramento da taxa glicêmica. As médias das taxas glicêmicas apresentadas foram:  Jejum: 110 mg/dl;  Antes do almoço: 115 mg/dl;  Após o almoço: 165 mg/dl;  Antes do jantar: 125 mg/dl;  Após o jantar: 171 mg/dl;  Ao deitar: 163 mg/dl. As variáveis complementares analisadas foram: - Glicemia capilar em jejum (GCJ): foi verificada com diversos aparelhos de glicemia capilar, pois cada paciente possuía uma marca diferente. - Diagnóstico de hipertensão arterial: apenas dois participantes não apresentavam. - Índice de massa corpórea (IMC): é uma medida para medir a obesidade. O cálculo é feito pela divisão da massa corporal (em quilogramas) pela estatura (em metros) ao quadrado. Embora não seja perfeito, é considerado o melhor indicador do peso relativo à estatura e é fortemente associado à proporção de gordura corporal em diferentes idades, gêneros e grupos raciais (GALLAGUER et al., 2000). Desta forma a Organização Mundial da Saúde criou uma classificação para popularizar, a faixa entre 25 e 30 kg/m2 é denominada de sobrepeso. Todos os participantes estão na faixa de sobrepeso, a média apresentada é de vinte e nove e setenta e dois kg/m2 . Não foi utilizado como único fator na classificação da obesidade, pois a quantidade de gordura corporal também deve ser levada em conta para saber se o peso é gordura ou músculo. O IMC é apenas um indicador inicial, que para ser confirmado é necessário a avaliação de um médico ou nutricionista. - Circunferência abdominal (CA): é o deposito de gordura visceral e se associa à gordura corporal total. Ocasionado tanto por fatores genéticos quanto os de estresse ambiental são considerados um dos indicativos de Síndrome Metabólica, esta alteração é um preditor de insulinorresistência com aumento de risco cardiovascular e de desenvolvimento de Diabetes mellitus Tipo 2. (TAVI, 2011). Segundo a Organização Mundial da Saúde estabelece como
  • 16. 10 ponto de corte para risco cardiovascular aumentado medida de circunferência abdominal igual ou superior a 94 a 102 cm em homens e 80 a 88 cm em mulheres. (Diretrizes Brasileiras de Obesidade, 2010). A média foi de cento e cinco e dois centímetros. Além de responder a um questionário para a coleta de dados e estilo de vida, principalmente em relação à prática de exercícios físicos e ao controle alimentar. A Tabela 1 traz uma descrição dos pacientes participantes do estudo de caso. TABELA 1 – PERFIL MÉDIO DOS PACIENTES PARTICIPANTES (N=5) Variável* Mulheres Três Homens Dois Idade Sessenta e sete anos e dois meses Tempo de diagnóstico da Diabetes mellitus tipo 2 Oito anos e quatro meses Atividade física Todos sedentários Controle alimentar Todos realizam IMC 29,72 CA 104cm GCJ 113mg/dl Medicamentos em uso (geral) Antidiabeticos, antihipertensivos e estatinas. Antidiabético mais citado Metformina Hipertensão Três Depressão Todos apresentavam sinais iniciais * Dados apresentados como n (%) e média (desvio padrão). IMC, Índice de Massa Corporal; CA, Circunferência abdominal; GJ, Glicemia em jejum. Aproximadamente metade (48,5%) dos pacientes não apresentava um controle glicêmico adequado ao longo do tratamento sugerido. O peso e altura foram avaliados em uma balança antropométrica mecânica (Filizolla® ) com os participantes em posição ereta, descalços e com os calcanhares juntos. A circunferência abdominal (CA) foi ajustada ao nível do menor perímetro entre o rebordo costal e as cristas ilíacas ântero superiores. A média foi noventa e oito centímetros para homens e cento e dez centímetros para mulheres. As mulheres apresentavam CA acima da faixa limítrofe para a caracterização de obesidade
  • 17. 11 abdominal. A terapia medicamentosa mais citada, era composta por medicamentos antidiábeticos (Metformina), anti-hipertensivos (Atenolol) e agente redutor de colesterol (Sinvastatina). Após as 5 sessões de acupuntura auricular foi possível verificar que as taxas glicêmicas estavam mais estáveis, não ocorreu nenhum episódio de hipoglicemia, todos os usuários relataram a melhora no estado emocional, diminuição do estresse e irritabilidade e melhora na qualidade de sono. DISCUSSÃO Verificou-se que o Índice de Massa Corpórea não diferencia a gordura corporal da massa muscular e, por isso, podem ocorrer erros de má classificação de indivíduos com grande massa muscular como obesos. Adultos idosos com excesso de gordura e massa muscular reduzida podem ter uma classificação de um IMC saudável. Verificando o contexto geral dos pacientes com diabetes constatou-se que:  Melhor controle glicêmico;  Aumento da disposição geral;  Melhor qualidade de sono;  Consciência da causas e problemas relacionados a DM2;  Melhora na circulação sanguínea dos membros inferiores;  Diminuição da quantidade de medicamentos;  Aumento do bem estar;  Aumento da sociabilização. A Tabela 1 nos mostra que a população analisada foi predominantemente feminina, isso demonstra uma maior preocupação com a saúde por parte das mulheres em relação ao gênero masculino. A World Health Organization (2003), afirmou que a dieta e o exercício físico durante todo o curso da vida podem reduzir a ameaça de uma epidemia global de doenças crônicas, portanto estes hábitos devem ser estimulados nos serviços de saúde, e neste contexto o profissional acupunturista, por atuar na área da saúde, tem muito a contribuir. Pois, através da acupuntura é possível tratar inúmeras doenças, deve se enfatizar que é um tratamento preventivo, ou seja, a acupuntura pode ser aplicada em um indivíduos sadios, para estimular
  • 18. 12 seu sistema endócrino e suas energias vitais permitindo a livre circulação do Qi nos meridianos energéticos pelo corpo impedindo o aparecimento de doenças. CONCLUSÃO Através deste estudo de caso pode-se concluir que foi possível realizar o controle glicêmico através de um método de acupuntura auricular e da técnica com agulhas associadas a semente de mostarda amarela do professor Marcelo Pereira De Souza. Os resultados comprovam a eficiência e eficácia de um tratamento medicamentoso alopático associado a tratamento da Medicina Tradicional Chinesa. Pois, há um entrosamento e participação efetiva do usuário de acupuntura, onde ele é mola propulsora do tratamento. O uso da acupuntura por ser um tratamento individualizado é uma das melhores ações para mudar de modo efetivo a vida das pessoas e um modelo de saúde. Pois o profissional acupunturista estará acompanhando de forma contínua para que possa detectar alterações que indiquem a probabilidade de doenças futuras e o consumo exagerado de medicamentos.
  • 19. 13 REFERÊNCIAS American Diabetes Association: Report of the Expert Committee on the Diagnosis and Classification of Diabetes Mellitus. Diabetes Care 1997; 20:1183-1197. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Diretrizes Brasileiras de Obesidade. 3.º edição. SP: AC Farmacêutica, 2009. BAZOTTE, R.B. O diabetes mellitus (DM) na farmácia comunitária. In: ZUBIOLI, A.; org. A farmácia clínica na farmácia comunitária. Salvador: Ethosfarma, 2001. p.149-54. B. AUTEROCHE – P. NAVAIH. O diagnóstico na Medicina Chinesa. Editora LTDA. São Paulo – 1992. BREVES, RAUL. Terapia do Bem – A missão dos Cristais Radiônicos. São Paulo: Holista, 2010. CASADO, Heitor e SÁ, Fernando Cavalcanti. Atlas de Ouro de Acupuntura. São Paulo: Ícone Editora, 2008. FOCKS, CLAUDIA. Atlas da Acupuntura: com sequencia de fotos e ilustrações, textos didáticos e indicações clínicas. Barueri. SP: Manole, 2005. GALLAGHER, D.; Heymsfield, S.B.; Moonseong, H.; Jebb, S.A.; Mergatroyd, P.R.; Sakamoto, Y. Healthy percentege body fat ranges: na apprach for developing guidelines based on body mass índex. AM J Clin Nutr, 2000. GARCIA, Ernesto G. Auriculoterapia. São Paulo: Roca, 2003. GONZALEZ, Garcia, Ernesto. Auriculoterapia, Escola Huang Li Chun, Editora Roca, São Paulo, 1999. GUYTON E HALL. Tratado de fisiologia médica. Nona Ed. Editora Guanabara Koogan. LEHNINGER, Albert Lester. Princípios de Bioquímica. 2° edição. São Paulo: Sarver, 1995. LOWENFELS, I. B. Diabetes associado à obesidade: todos os pacientes recentemente diagnosticados devem ser submetidos à cirurgia bariátrica? JAMA. 2008;299:316-323. Disponível em: http://www.medcenter.com/Medscape/content.aspx?LangType=1046&menu_id=49&id=1387 6. Acesso em: 28 / 03 / 2010. MATTAR, F. Pesquisa de marketing. Ed. Atlas. 1996. ORTIZ, MCA; Zanetti M. L. Levantamento dos fatores de risco para diabetes mellitus tipo 2 em uma instituição de ensino superior. Rev Latino-am Enfermagem 2001 maio; 9(3)58-63. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104- 11692001000300009&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 23 / 03 / 2010.
  • 20. 14 REICHMANN, Brunilda T. Auriculoterapia- Fundamentos de acupuntura auricular; Ed. Tecnodata, Curitiba/PR, 2002. SCILIPOTI, Domenico. Filosofia e Acupuntura Ryodoraku. São Paulo: Roca, 2006. SCHIFFMAN, L. & KANUK, L. Comportamento do consumidor. LTC Editora. 6a ed. 2000. SILVA, G.E.C.; BAZOTE, R. B.; CURI, R.; SILVA, M.A.R.C.P. Investigation of risk factors to coronary heart diseases in two countryside paranaense village, Brazil. Brazillian. Braz. Arch. Biol. Technol., v.47, p.387-90, 2004. SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes: Tratamento e Acompanhamento do Diabetes mellitus. Rio de Janeiro: Diagraphic, 2007. SOUZA, Marcelo Pereira de. Tratado de Auriculoterapia. Brasília: Novo Horizonte, 2007. V DIRETRIZES BRASILEIRAS DE HIPERTENSÃO ARTERIAL. SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. SOCIEDADE BRASILEIRA DE HIPERTENSÃO. SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA. Arquivo Brasileiro de Cardiologia, v.89, p.24-9,2007. TAVI, M. I. C.; Bastos, P. R. H. de; Pontes, E. R., J. C. Prevalência de sobrepeso, obesidade e circunferência abdominal alterada em escolares de 6 a 11 anos de idade em Campo Grande. Ver. Brás. Prom. Saúde, 2011. YSAO, Yamamura. Acupuntura Tradicional. A Arte de Inserir. São Paulo : Roca, 2001. ZHUFAN, Xie. Pratica da medicina tradicional chinesa; tradução Luciane M. D. Farber. São Paulo: Ícone, 2009. WORLD HEALTH ORGANIZATION. Diet, nutrition and prevention of chronic diseases. World Health Organ Tech Rep Ser, v.916, p.1-149, 2003. WORLD HEALTH ORGANIZATION. Obesity: Prevention and managigng the global epidemic. Reporto f a WHO Consulation on Obesity. Geneva: World Health Organization, 1997. Ministério da Saúde. Pratique Saúde contra a Diabetes Melittus. Disponível em:http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=23617&janela=1Acesso em: 28 / 03 / 2010. Comunidade de Diabetes. Diabetes tipo II. Disponível em: http://www.mudandoodiabetes.com.br/website/content/diabetes_2.aspx. Acesso em: 30 / 03 / 2010. Diabetes e Saúde. Complicações do Diabetes. Disponível em: http://www.diabetes.etc.br/. Acesso em: 28 / 03 / 2010.
  • 21. 15 Diabetenet. Sobre o Diabetes. Disponível em: http://www.diabetenet.com.br/conteudocompleto.asp?idconteudo=2625. Acesso em: 28 /03 / 2010. Isaúde.net. Exame de sangue simples pode detectar diabetes tipo 2, revelam cientistas. Disponível em: http://www.isaude.net/pt-BR/noticia/4041/ciencia-e-tecnologia/exame-de- sangue-simples-pode-detectar-diabetes-tipo-2-revelam-cientistas. Acesso em: 28 / 03 / 2010. Acupuntura chew. Diabetes. Disponível em: http://acupuntura.net63.net/index.php?p=1_10. Acesso em: 28 / 03 / 2010. http://www.xn--dicionriomdico-0gb6k.com/infarto.html. Acessado em 14/122011; http://www.xn--dicionriomdico-0gb6k.com/Acidente_vascular_cerebral.html Acessado em 14 de dezembro de 2011; http://www.xn--dicionriomdico-0gb6k.com/gangrena.html. Acessado em 14 de dezembro de 2011
  • 22. 16 ANEXOS EBRAMEC - ESCOLA BRASILEIRA DE ACUPUNTURA E MEDICINA CHINESA COMISSÃO DE ÉTICA EM PESQUISA - COEP TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO (T.C.L.E) Eu,___________________________________________________________________, residente no endereço:__________________________________________________, RG n.º: ______________estou sendo convidado a participar de um estudo de caso denominado: ESTUDO DE CASO: TRATAMENTO DA DIABETES TIPO 2 ATRAVÉS DA AURICULOTERAPIA SEGUNDO PROFESSOR MARCELO PEREIRA DE SOUZA, cujo objetivo é avaliar o nível de influência do tratamento de auriculoterapia no controle glicêmico dos diabéticos. A minha participação no referido estudo será de comparecer em 05 (cinco) sessões de acupuntura com 30 minutos de duração, com a freqüência de 1 (uma) vez por semana. Após o término do estudo estarei recebendo um retorno do resultado da pesquisa com possíveis sugestões sobre o assunto. Estou ciente de que minha privacidade será respeitada, assim como, meu nome ou qualquer outro dado ou elemento que possa, de qualquer forma, me identificar, será mantido em sigilo nas conclusões ou publicações. É assegurada a assistência durante toda pesquisa, bem como me é garantido o livre acesso a todas as informações e esclarecimentos adicionais sobre o estudo e suas conseqüências, enfim, tudo o que eu queira saber antes, durante e depois da minha participação. Também fui informado de que posso me recusar a participar do estudo, ou retirar meu consentimento a qualquer momento, sem precisar justificar, sem prejuízo do atendimento, cuidado e tratamento. A pesquisadora envolvida com o referido estudo é Carla Mayumi Matsue orientada pelo professor Francisco Marcos Vorcaro De Souza. Enfim, tendo sido orientado quanto ao teor de todo o aqui mencionado e compreendido a natureza e o objetivo do já referido estudo, manifesto meu livre consentimento em participar, estando totalmente ciente. Curitiba, ________ de __________________ de 2012. __________________________________ __________________________________ Assinatura do participante Carla Mayumi Matsue Este documento foi elaborado pelo pesquisador responsável, preenchido em duas vias, ficando uma de posse do paciente e outra no prontuário da pesquisa.