SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ
CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
CURSO: LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
DISCIPLINA: BIOQUÍMICA
PROF. DRA.: ROSEMARIE BRANDIM MARQUES
DIETAS DA MODA
ARAÚJO, Joselly
ARAÚJO, Maria Tawany
RAMOS, Kelson Felipe
RODRIGUES, Luis Felipe
SOUSA, Jéssica Lorena
TERESINA-PI
2019
DIETAS DA MODA
RESUMO
INTRODUÇÃO: A busca do corpo perfeito para encaixar-se nos padrões de
beleza dos dias atuais influenciada principalmente pelas mídias sociais, tem feito
com que muitas pessoas procurem formas para obter resultados rápidos, como
as chamadas dietas da moda na maioria das vezes praticadas sem supervisão
de um profissional qualificado, levando em alguns casos a complicações na
saúde. OBJETIVO:O presente artigo tem como objetivo principal a partir do
levantamento bibliográfico, descrever as dietas da moda aqui abordadas,
ressaltar seus benefícios e malefícios, e citar pesquisas relacionadas e
resultados relevantes. METODOLOGIA: O artigo consiste em uma revisão de
literatura realizada a partir do levantamento bibliográfico, onde a ferramenta de
pesquisa utilizada foi: google acadêmico, onde se considerou citações a partir
do ano de 2003 e artigos a partir do ano de 2014. LEVANTAMENTO
BIBLIOGRÁFICO: As dietas da moda de maneira geral, como constituem uma
alternativa fácil e rápida para alcançar o objetivo de um corpo dentro do padrão
estético, porém as mesmas muitas vezes não tem embasamento científico o que
pode gerar diversas complicações futuras. A dieta de desintoxicação, mais
conhecida como “dieta detox” tem o objetivo de eliminar as toxinas do organismo
assim contribuindo para a perda de peso. A clássica dieta cetogênica é calculada
em uma proporção de gramas de gordura para gramas de carboidrato mais
proteína. O que significa que 90% da energia vem de gordura e 10% de
carboidrato e proteína combinados e seu principal benefício está na diminuição
da gordura corporal, a pressão arterial e a resistência à insulina com uma
melhora nos níveis sanguíneos de glicose e podem ainda aumentar a
desempenho em esportes aeróbios. A dieta do Dr. Atkins é uma dieta rica em
proteínas e gorduras e pobre na ingestão de carboidratos altamente cetogênica
com finalidade de perca de peso em um menor tempo e mantê-lo. O objetivo é
restringir carboidratos até o ponto em que a adiposidade corporal seja consumida
como combustível energético. O jejum intermitente é uma estratégia na qual os
indivíduos alternam dias de jejum com dias de alimentação e pode trazer
diversos benefícios, como redução e controle de peso, perda de gordura
corporal, diminuição dos níveis de LDL colesterol e consequente atenuação do
risco de doença cardiovascular. CONCLUSÃO: Conclui-se que a maior
motivação para adoção de dietas da moda é alcançar o corpo esteticamente
perfeito sem levar em consideração as suas próprias características biológicas,
e a mídia tem um papel fundamental nesse processo, pois é por meio dela que
o padrão imposto é divulgado. As dietas da moda são, portanto, reflexo do
quanto os conhecimentos não científicos podem determinar o comportamento
alimentar dos indivíduos.
Palavras-Chave: Dietas da moda, efeitos maléficos, resultados rápidos, meios
de comunicação.
ABSTRACT
INTRODUCTION: The search for the perfect body to fit today's beauty patterns
influenced mainly by social media has led many people to look for ways to
achieve rapid results, such as the so-called fad diets most often practiced without
supervision of a qualified professional, leading in some cases to complications in
health. OBJECTIVE: The main objective of this article is to describe the diet of
the present study, to highlight its benefits and harms, and to cite related research
and relevant results. METHODOLOGY: The article consists of a review of
literature based on the bibliographical survey, where the research tool used was:
google academic, where citations were considered from the year 2003 and
articles from the year 2014. BIBLIOGRAPHICAL SURVEY: The diets of fashion
in general, as they constitute an easy and quick alternative to reach the objective
of a body within the aesthetic pattern, however the same often has no scientific
basis which can generate several future complications. The detox diet, better
known as "detox diet" aims to eliminate toxins from the body thus contributing to
weight loss. The classic ketogenic diet is calculated in a ratio of grams of fat to
grams of carbohydrate plus protein. This means that 90% of the energy comes
from fat and 10% of carbohydrate and protein combined and its main benefit is in
decreasing body fat, blood pressure and insulin resistance with an improvement
in blood glucose levels and may even increase performance in aerobic sports.
The Dr. Atkins diet is a diet rich in protein and fats and poor in the intake of highly
ketogenic carbohydrates with the purpose of losing weight in a shorter time and
keeping it off. The goal is to restrict carbohydrates to the point where body
adiposity is consumed as an energy fuel. Intermittent fasting is a strategy in which
individuals alternate fasting days with feeding days and can bring several
benefits, such as weight reduction and control, loss of body fat, decrease of LDL
cholesterol levels and consequent attenuation of the risk of cardiovascular
disease . CONCLUSION: It is concluded that the greatest motivation for the
adoption of fad diets is to achieve the aesthetically perfect body without taking
into account its own biological characteristics, and the media plays a fundamental
role in this process, because it is through it that the imposed pattern is disclosed.
Fad diets are thus a reflection of how much unscientific knowledge can determine
the eating behavior of individuals.
Key words: Fad diets, malicious effects, fast results, media.
INTRODUÇÃO
O aumento da preocupação com um corpo dentro do padrão estético
imposto pela sociedade é uma tendência mundial. Observa-se que o modelo de
beleza corresponde a um corpo aparentemente magro ou musculoso, porém em
muitas vezes não são considerados aspectos relacionados à saúde dos
indivíduos ou a uma alimentação verdadeiramente saudável (COSTA, 2014).
Diante disso, o relacionamento entre as pessoas e a alimentação existe desde a
vida embrionária, então deve ser trabalhado a fim de que as pessoas não
enxerguem os alimentos como um inimigo ou algo que serve apenas para nutrir
o corpo, porque se alimentar é muito mais do que isso (DERAM, 2015).
A idealização da magreza pode influenciar o comportamento das
pessoas a utilizarem as dietas da moda que desconsideram a diversidade de
corpos e a saúde. Essas dietas são práticas alimentares populares, temporárias,
não usuais, que promovem resultados rápidos e atraentes, mas que estão a
exigir maior fundamento científico para sua adoção (BETONI; ZANARDO; CENI,
2010).
No contexto atual, as mídias em geral tendem a transmitir de forma
rápida e constante, informações às pessoas. Nesse sentido, principalmente nas
redes sociais é visto a divulgação de informação sem embasamento científico, o
que pode se tornar um problema grave, pois as pessoas leigas tendem a torna-
la como certa. Diante disso, a facilidade de comunicação que o mundo atual
proporciona favorece a disseminação de informações cada vez mais rápidas e
com isso, o surgimento de dietas e alimentos milagrosos que prometem demais
e cumprem de menos (NUNES; AMEMIYA; SILVA, 2014).
As dietas com restrição calórica acentuada podem ocasionar
sintomas como: queda de cabelo, fadiga, constipação, diarreia, pele seca,
anemia, irregularidade no ciclo menstrual, além de distúrbios alimentares como
anorexia e bulimia nervosa. Tais sintomas estão relacionados à oferta
inadequada de micronutrientes (BETONI, ZANARDO, CENI, 2010). Uma das
maiores complicações em relação às dietas com restrição calórica é o ganho de
peso subsequente envolvido para os indivíduos com intervenções (LOWEI,
2015; BOSY-WESTPHAL et al, 2015).
O termo dieta de acordo com Alvarenga et al (2015) diz que, em nosso
contexto social aparece as dietas de emagrecimento, que seguem a linha de
privação parcial ou até total de certos grupos alimentares, como por exemplo,
carboidratos.
A dieta Low Carb destaca-se como uma das mais atuais estratégias
dietéticas utilizadas para perda de peso (XAVIER, 2017). Dietas com baixo teor
de carboidratos ou Low Carb diet (LCD) são definidas como ingestão inferior de
200g de carboidrato por dia, usualmente entre 50 e 150g por dia ou abaixo de
40% da energia advinda do carboidrato (PERRONI, 2017). De acordo com Xavier
(2017), a dieta Low Carb vem ganhando força pelo seu potencial efeito na perda
de peso corporal, apesar de também serem aconselhadas para doenças como
Epilepsia, Diabetes e Ovário policístico.
A dieta Cetogênica (DC, KD ou VLCD) é um tipo de dieta Low Carb,
mas com maior restrição de carboidratos, tendo máximo de 50g de
carboidratos/dia (usualmente 30g carboidratos dia) ou 10% do valor energético
provenientes dos carboidratos. As principais fontes de combustíveis são os
ácidos graxos, sendo que cerca de 70% do valor energético é obtido por meio
de gorduras e proteínas da dieta, além do tecido adiposo (PHINNEY, 2004). Uma
dieta cetogênica bem elaborada com ingestão de carboidratos extremamente
baixa ajuda a atingir cetose, um processo no qual cetonas e gordura tornam-se
a fonte principal de energia para o corpo e o cérebro (ZUGLIANI, 2017).
A dieta do Dr. Atkins é uma dieta rica em proteínas e gorduras e pobre
em carboidratos, altamente cetogênica. O objetivo é restringir carboidratos até o
ponto em que a adiposidade corporal seja consumida como combustível
energético. No decorrer do tempo, dos níveis séricos de colesterol, triglicérides,
ácido úrico, ureia e creatinina (BETONI; ZANARDO; CENI, 2010; VIGGIANO,
2007).
O Jejum Intermitente é uma estratégia na qual os indivíduos alternam
dias de jejum com dias de alimentação (Azevedo, Ikeoka e Caramelli, 2013).
Pode trazer diversos benefícios, como redução e controle de peso, perda de
gordura corporal, diminuição dos níveis de LDL colesterol e consequente
atenuação do risco de doença cardiovascular (DCV) (VARADY E
COLABORADORES, 2016).
A dieta Detox é composta por vários tipos de preparações, sucos,
chás, alimentos que eliminam toxinas e reduzem a produção de radicais livres
que são extremamente prejudiciais ao organismo (GAIOLLA, 2015). Dieta
“desintoxicante” promove eliminação de gorduras, é fonte de vitaminas,
antioxidantes e minerais, limpar o organismo de toxinas, devido ao baixo valor
energético, baixo teor de lipídios, baixo teor de sal, ser fonte de vitaminas e
minerais. Poderão constituir um bom veículo para a ingestão de legumes, fruta
e água. (SANTOS, 2016.)
As dietas apresentadas nesse artigo são desequilibradas
nutricionalmente prejudicando as funções fisiológicas no organismo podendo
desenvolver transtorno alimentar. O comportamento alimentar não influencia
somente o estado de saúde atual, mas também o futuro desencadeando
doenças como Diabetes Mellitus, câncer e doenças cardiovasculares
(FIGUEIREDO, JAIME e MENTEIRO 2008).
O objetivo deste artigo é descrever as Dietas da Moda da Atualidade,
frisando seus benefícios e malefícios, através de revisão de literatura científica,
e estudos já realizados sobre o tema. Este artigo propõe reflexões acerca das
circunstâncias e consequências das dietas da moda e da educação nutricional,
como opções para o emagrecimento.
METODOLOGIA
Revisão da literatura científica, onde houve um levantamento
bibliográfico na base de dados: Google Acadêmico. As buscas pelos artigos
foram realizadas utilizando termos como “dieta Low Carb”,” dietas detox”, “dieta
cetogênica”, “dietas ricas em proteínas” “dieta do jejum intermitente” e “dietas da
moda”. O levantamento realizado levou em consideração citações a partir do ano
de 2003 e artigos publicados a partir do ano 2014.
LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO
Uma das dietas mais famosas é a do Dr. Atkins, criada em 1970, com
o objetivo inicial de total restrição de carboidratos para que o corpo mobilize a
gordura corporal como substrato energético, liberando o consumo de proteínas
(Betoni, Zanardo e Ceni, 2010). Essa dieta é dividida em três fases: dieta de
indução com perda de peso excessiva podendo ingerir apenas de 15 a 20g de
carboidratos diário; dieta de permante que depois de atingir a perda máxima de
peso, o indivíduo entra em uma perda continua e permanente de peso; dieta de
manutenção onde o indivíduo estabelecerá, conforme sua resistência a perda
de peso e a quantidade de carboidratos que irá consumir por toda a
vida(ATKINS, 2004), o benefício buscado, ou seja, a perda de peso que é
ocasionada devido a queima de gordura, pois a restrição de carboidratos faz
com que o organismo transforme a gordura em glicose fornecendo energia para
o músculos e células, após o decorrer do tempo a energia que é utilizada é o
glicogênio armazenado no fígado, para ser degradado e ser utilizado como fonte
de energia são mobilizados algumas gramas de água ocorrendo uma perca a
mais de peso (SILVA & POTTIER, 2004).
Mas o uso restrito de carboidratos e alta ingestão de gorduras e
proteínas podem ocasionar alguns malefícios a saúde como por exemplo: a
cirrose hepática decorrente ao acúmulo de gordura e a excessiva metabolização
das proteínas, trazendo disfunções graves e irreversíveis, além de ocasionar a
elevação dos níveis séricos de colesterol, triglicérides, ácido úrico, ureia e
creatinina (BETONI, ZANARDO; CENI 201; VIGGIANO, 2007).
A clássica dieta cetogênica é calculada em uma proporção de
gramas de gordura para gramas de carboidrato mais proteína. A relação mais
comum é 3: 1 ou 4: 1, o que significa que 90% da energia vem de gordura e 10%
de carboidrato e proteína combinados. As calorias são normalmente restritas a
80-90% das recomendações diárias e recomendações para a idade (SAMPAIO,
2016). O princípio da aplicação da dieta pobre em carboidrato fundamenta-se no
fato de que havendo uma grande restrição de carboidratos, haverá início de
Cetose e oxidação lipídica, causando um efeito de saciedade e um aumento do
gasto energético, fatores que devem promover um balanço energético negativo
e consequente perda de peso (ATKINS, 1992 apud BREHM et al, 2003).
Segundo GUEDES(2002) APUDE GOMES, A dieta cetogênica tem
baixo teor calórico e seu principal benefício está na diminuição da gordura
corporal. Estudos tem demonstrado que essas dietas parecem ser uma boa
estratégia no processo de emagrecimento e redução da massa corporal,
GOMES (2016) contribui positivamente para um perfil lipídico não aterogênico
diminui a pressão arterial e a resistência à insulina com uma melhora nos níveis
sanguíneos de glicose e insulina em jejum, e podem ainda aumentar a
performance em esportes aeróbios (PÉREZ- GUISADO, 2008) APUDE GOMES
(2016).
A DC não é uma dieta equilibrada por implicar limitações na
alimentação. Os grandes fornecedores de vitaminas e minerais, como a fruta, os
hortícolas e os cereais, bem como os alimentos ricos em cálcio, são exemplos
de alimentos com menor representação nesta dieta. Por essa razão, é essencial
a suplementação de vitaminas do complexo B e cálcio, bem como de vitamina
D, não só pela alimentação, mas também pela tendência a valores baixos de
vitamina D que crianças com epilepsia apresentam. Todos os suplementos
vitamínicos e minerais têm de ser isentos de hidratos de carbono, com o objetivo
de manter o estado de Cetose (1). Na prática, recorre-se geralmente a um
suplemento polivitamínico com minerais, de fora a cobrir todas as necessidades
em micronutrientes. ROLA, VASCONCELLOS (2014).
O jejum intermitente é uma estratégia na qual os indivíduos alternam
dias de jejum com dias de alimentação (AZEVEDO, IKEOKA e CARAMELLI,
2013). Este conceito surgiu após um estudo feito com muçulmanos que
praticavam o Jejum do Ramadã, com o intuito de explorar seus efeitos
(RADHAKISHUN e COLABORADORES, 2014). Pode trazer diversos benefícios,
como redução e controle de peso, perda de gordura corporal, diminuição dos
níveis de LDL colesterol e consequente atenuação do risco de doença
cardiovascular (DCV) (Varady e colaboradores, 2016).
Atualmente, a prática do JI (nos seus variados protocolos), tem sido
utilizada com o intuito de promover a alteração da utilização de substratos
energéticos, estimando que com a redução do glicogênio hepático induzido pelo
jejum prolongado, o organismo potencializaria outras vias de geração de energia
incluindo gliconeogênese, lipólise, oxidação de gorduras e cetogênese.
(BAPTISTELLA, DOS SANTOS, 2017) dentre outros benefícios “Redução da
gordura abdominal; Redução dos níveis de leptina e resistina; Aumento dos
níveis de adiponectina; Redução do tamanho do adipócito, da proliferação
celular e dos níveis de IGF1” (BAPTISTELLA, p.16, 2017).
Em um estudo feito por Aloui A (2016), analisou em atletas
mulçumanos de judô no período pré-competitivo que praticavam o ritual religioso
do Ramadã, que os atletas reduziram 25% para mais a ingestão calórica nesse
período e como resultado verificou-se a perda de peso e diminuição do
percentual de gordura, entretanto, o desempenho dos atletas foi comprometida,
uma vez que os atletas estavam com grandes indicies de desidratação, níveis
glicêmicos baixos, resposta cognitivas diminuídas e privação de sono.
Dentre as dietas da moda a dieta de detoxificação, mais conhecida
como “dieta detox”, tem tido destaque. Esta é composta de intervenções de
curto prazo como objetivo de eliminar as toxinas do organismo assim
contribuindo para a perda de peso. É baseada no consumo de alimentos
funcionais que são ricos em nutrientes, isentos de toxinas, glúten, leites e
derivados, contendo um baixo teor de gorduras e alto teor de fibras, como:
hortaliças, frutas, águas aromatizadas, sucos e chás, assim chamando mais
atenção das pessoas (FREIRE; ARAÚJO, 2017; KLEIN; KIAT, 2014).
A mídia, assim como os livros, revistas e outros meios de
comunicação estão divulgando cada vez mais sobre estas preparações. Estas
são rápidas e de baixo custo, anunciadas como desintoxicante que promovem a
perda de peso em um curto período de tempo. E muitos indivíduos fazem o uso
dessas preparações como substitutas de refeições importantes do dia, sem
orientação de um profissional, apenas com o conhecimento popular (SANTOS
et al., 2016). Diante disso, essa dieta tem a promessa de desintoxicar o
organismo de possíveis substâncias lesivas, promovendo saúde e bem estar,
sendo um processo biológico que o corpo humano com a finalidade de reduzir o
impacto das toxinas no metabolismo (NASSER, 2015).
Nesse contexto, torna-se perigoso o consumo dessa dieta, visto que
é essencial obter a participação de um nutricionista na escolha de um plano
alimentar que tragam benefícios a saúde levando em consideração o
metabolismo e a carência nutricional de cada pessoa, assim não se deixando
influenciar por informações vagas passadas pela mídia, fazendo o uso de forma
correta e segura (BATISTA, 2017).
Por sua vez a dieta Low Carb é baseada em limites de ingestão diária
de 30 a 130g de carboidrato (Hite e colaboradores, 2011), sendo que estudos
apontam que esta prática também favorece a perda de peso e gordura corporal,
assim como diminui o risco de DCV (Mansoor, 2015). A dieta Low Carb revelou
ser eficaz na perda de peso e redução da massa gorda, contribui para melhora
do perfil lipídico, aumento significativo do HDL, diminuição dos triglicerídeos e
controle glicêmico, além de melhoria de alguns parâmetros de risco
cardiovascular (Xavier, 2017).
No que diz respeito aos efeitos adversos resultantes deste modelo de
dieta, tem sido mencionada alguma propensão para o aparecimento de algumas
dores de cabeça, diarreias, estados de fraqueza e câimbras musculares. Os
indivíduos que adotam esta dieta e que tomam simultaneamente medicação
devem ter supervisão clínica para que sejam evitados episódios de hipoglicemia,
hipotensão e outras complicações (XAVIER, 2017).
Ovos, carne de vaca, cordeiro, frango, carne de porco, bacon, peixes
e frutos do mar, salmão, truta, sardinha, crustáceos, brócolis, tomates, couve de
Bruxelas, couve – flor, couve, berinjela, pepino, pimentões, aspargo, abacate,
azeitona, morango, damascos, limão, kiwi, laranja, framboesa, Nozes,
amêndoas, azeite extra virgem, óleo de coco, água, café, chá, ervas, especiarias
e condimentos são os principais alimentos utilizados na dieta Low Carb
(PIMENTEL, 2017).
PESQUISAS RELACIONADAS
Uma pesquisa feita e publicada na Revista Brasileira de Nutrição
Esportiva em 2017, analisou o perfil socioeconômico, as dietas adotadas, as
motivações e fonte de informação de 60 frequentadores de uma academia de
ginástica em São Paulo com idades entre 18 e 30 anos. O resultado mostra que
68,3% dos indivíduos, seguiam alguma dieta, sendo que a internet (24,5%) e
instrutor de academia (23,4%) eram as principais fontes de informações. As
dietas mais adotadas foram as dietas hipocalóricas (17,3%) e a hiperprotéica
(10,7%), sendo a saúde (36,0%), o emagrecimento (20%) e a definição do corpo
(20%), as principais motivações para sua adesão. Cerca de 38,3% tomam
suplementos. As atividades mais praticadas foram musculação (54,8%) e
aeróbica (23,1%). Conclui-se que os frequentadores de academia adotam dietas
hipocalóricas e outras indicadas pelo instrutor e/ou obtidas em internet, tendo a
saúde e a estética como as principais motivações para a adoção de tais planos
alimentares LOPES (2017.)
Outra pesquisa realizada de agosto a setembro de 2018 com 36
pessoas de uma academia de Birigui – SP onde o resultado mostra que 16
pessoas já realizaram dietas da moda ou restritivas e 20 não. Em relação às
dietas, 7 pessoas adotaram a Low carb e o jejum intermitente, 3 à Detox, 2 à
dieta da sopa e a dieta sem gordura e 6 realizaram outros métodos. Nessa
pesquisa, 37,50% consideraram o resultado muito bom; 37,5% bom; 18,75%
ruim e 6,25% muito ruim.
Nogueira et al. fez um estudo com alunos de um clube de academia
de São Paulo, e obteve como resultado de dietas mais frequentes: dieta Detox
(25%), dieta sem gordura (23%), dieta Dukan (17,3) e dietas de revistas (13,5%).
Nesse estudo, 29% consideraram o resultado muito bom, 56% bom, 11% ruim e
3,85% muito ruim.
CONCLUSÃO
Em virtude dos fatos mencionados, chegou-se à conclusão que as
dietas da moda adotadas na atualidade tem um propósito específico de alcançar
o corpo esteticamente perfeito que se encaixe nos padrões impostos pela
sociedade. Porém, muitas vezes, as dietas não levam ao resultado esperado, o
que pode gerar complicações como: compulsão alimentar e frustação por não
conseguir alcançar o padrão proposto. Em contra partida, a reeducação
alimentar, desde que orientada pelo profissional adequado, pode trazer
benefícios que possibilitam resultados duradouros de forma saudável e
sustentável.
Com a pesquisa sobre o tema, nota-se o quanto o assunto exerce
influência sobre a população, principalmente nos meios de comunicação,
especialmente na internet. Os meios contribuem para a disseminação tanto do
que seria o corpo ideal, quanto caminhos rápidos para tentar se chegar até ele.
As dietas da moda são, portanto, reflexo do quanto os conhecimentos não
científicos podem determinar o comportamento alimentar dos indivíduos.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
A Aloui; H Chtourou; W Briki; M Tabben; A Chaouachi; N Souissi; RJ Shephard;
K. Chamari. Rapid weight loss in the context of Ramadan observance:
recommendations for judocas. Biol Sport. 2016; V.4: 407–413.
ATKINS, R.C. A nova dieta revolucionária do Dr. Atkins. 14. ed. Rio de janeiro:
Records, 2004, 429p.
AZEVEDO, F.R.; IKEOKA, D.; CARAMELLI, B. Effects of intermittent fasting on
metabolism in men. Rev Assoc Med Bra. Vol. 2. Num. 59. 2013. p. 167-173.
BATISTA, J. R. A importância da atuação do nutricionista em relação às dietas
da moda. CONIC- Congresso Nacional de Iniciação Científica. 17ª ed, 2017.
BETONI, F.; ZANARDO, V. P. S.; CENI, G. C. Avaliação de utilização de dietas
da moda por pacientes de um ambulatório de especialidades em nutrição e suas
implicações no metabolismo. ConScientiae Saúde. Vol. 9. Nº 3. 2010. P. 430-
440.
BETONI, F.; ZANARDO, V. P. S.; CENI, G. C. Avaliação de utilização de dietas
da moda por pacientes de um ambulatório de especialidades em nutrição e suas
implicações no metabolismo. ConScientiae Saúde, São Paulo, n.9, v.3,17 jun.,
p. 430-440, 2010.
BOSY-WESTPHAL, A. et al. Deep body composition phenotyping during weight
cycling: relevance to metabolic efficiency and metabolic risk. Obes Rev., p. 36-
44, 2015.
BREHM, B. J. et al. A Randomized Trial Comparing a Very Low Carbohydrate
Diet and a Calorie Restricted Low Fat Diet on Body and Cardiovascular Risk
Factors in Healthy Women. J Clin Endocrinol Metab, v. 88, n. 4, p. 1617-23, 2003.
COSTA, Bruno, Efeitos do Jejum Intermitente no Desempenho Físico, 2018.
COSTA, M.F. Dietas da moda e transtornos alimentares: a construção de
sentidos na busca do corpo perfeito e da vida saudável. Demetra. Vol.9.Num. 3.
P. 857-858. 2014. da obesidade. In: Obesidade. Rio de Janeiro: Medsi, cap. 24.
p. 377-384; 2004.
DERAM, S. O peso das dietas. São Paulo, Sensus, 2015.
FIGUEIREDO, I, C. R.; JAIME, P. C.; MONTEIRO, C. A. Fatores associados ao
consumo de frutas, legumes e verduras em adultos da cidade de São Paulo,
Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 42, n. 5, p. 777-785, 2008.
FREIRE, A. C. S. A.; ARAÚJO, L. B. Composição nutricional de dietas de
detoxificação divulgadas em revistas e em mídia digital não científicas. Revista
Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo, v.11, n.65, p.536-543, Set./Out
2017.
GAIOLLA, P. S. A. A ciência e as dietas Detox. Informativo: Sociedade Brasileira
de Alimentação e Nutrição. Acesso em: 05 de julho de 2019.
GOMES, Laís Polyane A., Dieta Cetogênica para o emagrecimento: uma revisão
da literatura, 2016.
KA, Martins, Freire MCM. Guias alimentares para populações: aspectos
históricos e conceituais. Brasília Méd 2008; 45:291-302.
LOWIE, M. R. Dieting: proxy or cause of future weight again? Obes Rev., v.16,
p. 19-24, 2015.
NASSER, P.T.A; Princípios bioquímicos da dieta de desintoxicação e atuação do
nutricionista na prática clínica. In: CONCCEPAR, 2015. Campo Mourão.
Faculdade Integrada de Campo Mourão. Revista Eletrônica.
NUNES, M.J.C; AMEMIYA, D.A; SILVA, V.C.A. As consequências das dietas da
moda para a saúde. Goiânia: Coordenação de vigilância nutricional
GVEDNT/SUVISA/SES-GO, 2014.
PHINNEY, S. D. Ketogenic diets and physical performance. Nutrition and
Metabolism, v. 1, n. 2, 2004.
RADHAKISHUN, N; BLOKHUIS, C.; VAN VLIET, M.; VON ROSENSITIEL, I.;
Weijer, O.; HEYMANS, M.; BEIJNEN, J.; BRANDJES, D.; DIAMANT, M.
Intermittent fasting during Ramadan causes a transient increase in total, LDL,
and HDL cholesterols and hs-CRP in ethnic obese adolescents. European
Journal of Pediatrics. 2014. p. 1103-1106.
ROLA, Marta; VASCONCELOS, Carla, Dieta Cetogénica - Abordagem
Nutriciona, 2014.
SAMPAIO, L. P. de B. Ketogenic diet for epilepsy treatment. Arquivos de Neuro-
Psiquiatria, São Paulo, v. 74, n. 10, p. 842-848, 2016.
SANTOS, I. C. et al. Perspetiva do consumidor relativa aos efeitos na saúde
associados ao consumo de sumos detox. Disponível em: 2016_artigo pdf Acesso
em: 04 abr 2018.
SANTOS, Kellyane Marim dos, SILVA, Edivânia Santana da, VIANA, Sabrina
Daniela SANTOS, Inês Carvalho, benefícios nutricionais nos sumos detox: sim
ou não, 2016.
SILVA, M. H. G. G.; POTTIER, M. S. Dietas milagrosas aplicadas ao tratamento.
STRINGHINI, M. L. F.; SILVA, J. M. C.; OLIVEIRA, F. G. Vantagens e
desvantagens da dieta Atkins no tratamento da obesidade. Salusvita, Bauru, v.
26, n. 2, p. 257-268, 2007.
STRINGHINI, Maria Luiza, Ferreira, et al. Vantagens e desvantagens da dieta
Atkins no tratamento da obesidade. Salusvita, Bauru, v. 26, n. 2, p. 257-268,
2007LOPES, Perfil socioeconômico, dietas adotadas e motivações de
frequentadores de uma academia em itapecerica da serra-sp Revista Brasileira
de Nutrição Esportiva, São Paulo. v. 11. n. 68. Suplementar 2. p.986-994.
Jan./Dez. 2017.
VARADY, K.A.; BHUTANI, S.; CHURCH, E.C.; KLEMPEL, M.C. Short-term
modified alternateday fasting: a novel dietary strategy for weight loss and
cardioprotection in obese adults. The American of Clinical Nutrition. 2016. p.
1138- 1143.
VARGAS, Ana Júlia, PESSOA, Letícia de Souza, ROSA, Roseane Leandra da.
Jejum intermitente e dieta low carb na composição corporal e no comportamento
alimentar de mulheres praticantes de atividade física. Revista Brasileira de
Nutrição Esportiva, São Paulo. v. 12. n. 72. p.483-490. Jul./Ago. 2018.
VIGGIANO, C. E. Dietas da moda. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, n.
12, ano III, abr/jun., p. 55-56, 2007.
XAVIER, S. C. Dietas pobres em hidratos de carbono na perda de peso corporal.
Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto,
2017.
ZUGLIANI, G. (2017). Diferenças entre dieta low carb e dietas cetogênica.
Disponível em: www.gabrielazugliani.com.br. Acesso em: 11 out. 2017.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida Mudado
A Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida MudadoA Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida Mudado
A Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida MudadoVan Der Häägen Brazil
 
Nutrição desequilibrada
Nutrição desequilibrada Nutrição desequilibrada
Nutrição desequilibrada KamilaSargs
 
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009Dr. Benevenuto
 
Atividade física x obesidade
Atividade física x obesidadeAtividade física x obesidade
Atividade física x obesidadeKetlin Stringhini
 
Atividade física e obesidade
Atividade física e obesidadeAtividade física e obesidade
Atividade física e obesidadeJoemille Leal
 
Atividade física na prevenção e tratamento da obesidade
Atividade física na prevenção e tratamento da obesidade Atividade física na prevenção e tratamento da obesidade
Atividade física na prevenção e tratamento da obesidade André Goes
 
Atividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescênciaAtividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescênciaSilvia Arrelaro
 
Os efeitos negativos do consumo alimentar
Os efeitos negativos do consumo alimentarOs efeitos negativos do consumo alimentar
Os efeitos negativos do consumo alimentarTiago Teixeira
 
Quais os efeitos do Jejum a seco em nossa saúde
Quais os efeitos do Jejum a seco em nossa saúdeQuais os efeitos do Jejum a seco em nossa saúde
Quais os efeitos do Jejum a seco em nossa saúdeTookmed
 
Atividade física para melhor idade
Atividade física para melhor idadeAtividade física para melhor idade
Atividade física para melhor idadeMatheus Oliveira
 
Obesidade fatores que minimizam a obesidade dormir mais comer menos fora de h...
Obesidade fatores que minimizam a obesidade dormir mais comer menos fora de h...Obesidade fatores que minimizam a obesidade dormir mais comer menos fora de h...
Obesidade fatores que minimizam a obesidade dormir mais comer menos fora de h...Van Der Häägen Brazil
 
efeitos do exercício físico sobre Diabetes
efeitos do exercício físico sobre Diabetesefeitos do exercício físico sobre Diabetes
efeitos do exercício físico sobre DiabetesRenan Malaquias
 
Tratamento Da Obesidade VersãO Completa
Tratamento Da Obesidade VersãO CompletaTratamento Da Obesidade VersãO Completa
Tratamento Da Obesidade VersãO CompletaFernanda Melo
 
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida SaudávelEducação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida SaudávelLuisa Figueira
 

Mais procurados (20)

ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTOATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
ATIVIDADE FÍSICA E ENVELHECIMENTO
 
A Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida Mudado
A Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida MudadoA Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida Mudado
A Obesidade devem ser Evitada e Tratada e o Estilo de Vida Mudado
 
Nutrição desequilibrada
Nutrição desequilibrada Nutrição desequilibrada
Nutrição desequilibrada
 
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
Nutrição e Atividade Física, Consenso SBME, 2009
 
Atividade física x obesidade
Atividade física x obesidadeAtividade física x obesidade
Atividade física x obesidade
 
Atividade física e obesidade
Atividade física e obesidadeAtividade física e obesidade
Atividade física e obesidade
 
Atividade física na prevenção e tratamento da obesidade
Atividade física na prevenção e tratamento da obesidade Atividade física na prevenção e tratamento da obesidade
Atividade física na prevenção e tratamento da obesidade
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
ASPECTOS NUTRICIONAIS NO ENVELHECIMENTO
ASPECTOS NUTRICIONAIS NO ENVELHECIMENTOASPECTOS NUTRICIONAIS NO ENVELHECIMENTO
ASPECTOS NUTRICIONAIS NO ENVELHECIMENTO
 
Atividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescênciaAtividade física e saúde na infância e adolescência
Atividade física e saúde na infância e adolescência
 
Joana_Abordagem_nutricional_HAS
Joana_Abordagem_nutricional_HASJoana_Abordagem_nutricional_HAS
Joana_Abordagem_nutricional_HAS
 
Os efeitos negativos do consumo alimentar
Os efeitos negativos do consumo alimentarOs efeitos negativos do consumo alimentar
Os efeitos negativos do consumo alimentar
 
Joana_Sedentarismo
Joana_SedentarismoJoana_Sedentarismo
Joana_Sedentarismo
 
Quais os efeitos do Jejum a seco em nossa saúde
Quais os efeitos do Jejum a seco em nossa saúdeQuais os efeitos do Jejum a seco em nossa saúde
Quais os efeitos do Jejum a seco em nossa saúde
 
Atividade física para melhor idade
Atividade física para melhor idadeAtividade física para melhor idade
Atividade física para melhor idade
 
Obesidade fatores que minimizam a obesidade dormir mais comer menos fora de h...
Obesidade fatores que minimizam a obesidade dormir mais comer menos fora de h...Obesidade fatores que minimizam a obesidade dormir mais comer menos fora de h...
Obesidade fatores que minimizam a obesidade dormir mais comer menos fora de h...
 
efeitos do exercício físico sobre Diabetes
efeitos do exercício físico sobre Diabetesefeitos do exercício físico sobre Diabetes
efeitos do exercício físico sobre Diabetes
 
Tratamento Da Obesidade VersãO Completa
Tratamento Da Obesidade VersãO CompletaTratamento Da Obesidade VersãO Completa
Tratamento Da Obesidade VersãO Completa
 
Dieta Low Carb
Dieta Low CarbDieta Low Carb
Dieta Low Carb
 
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida SaudávelEducação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
Educação física, Factores de aptidão física e Estilos de Vida Saudável
 

Semelhante a Dietas da moda artigo 2019

Fatores nutricionais e sua correlação com a proeminência abdominal em mulhere...
Fatores nutricionais e sua correlação com a proeminência abdominal em mulhere...Fatores nutricionais e sua correlação com a proeminência abdominal em mulhere...
Fatores nutricionais e sua correlação com a proeminência abdominal em mulhere...KedsonFreitas
 
Obesidade é uma Doença Multifatorial e exige Tratamento Multidisciplinar
Obesidade é uma Doença Multifatorial e exige Tratamento MultidisciplinarObesidade é uma Doença Multifatorial e exige Tratamento Multidisciplinar
Obesidade é uma Doença Multifatorial e exige Tratamento MultidisciplinarVan Der Häägen Brazil
 
Manual alimentacao saudavel
Manual alimentacao saudavelManual alimentacao saudavel
Manual alimentacao saudavelIvone Reges
 
Manual alimentacao saudavel
Manual alimentacao saudavelManual alimentacao saudavel
Manual alimentacao saudavelosvaldo64gomes
 
Aqui veremos o que é obesidade, quais os tipos que existem e suas consequênci...
Aqui veremos o que é obesidade, quais os tipos que existem e suas consequênci...Aqui veremos o que é obesidade, quais os tipos que existem e suas consequênci...
Aqui veremos o que é obesidade, quais os tipos que existem e suas consequênci...Van Der Häägen Brazil
 
NOS DIAS ATUAIS O SOBREPESO E A OBESIDADE É UM PROBLEMA DE ÂMBITO MUNDIAL.
NOS DIAS ATUAIS O SOBREPESO E A OBESIDADE É UM PROBLEMA DE ÂMBITO MUNDIAL.NOS DIAS ATUAIS O SOBREPESO E A OBESIDADE É UM PROBLEMA DE ÂMBITO MUNDIAL.
NOS DIAS ATUAIS O SOBREPESO E A OBESIDADE É UM PROBLEMA DE ÂMBITO MUNDIAL.Van Der Häägen Brazil
 
Aula sobre obesidade infanto juvenil e atividade física
Aula sobre obesidade infanto juvenil e atividade físicaAula sobre obesidade infanto juvenil e atividade física
Aula sobre obesidade infanto juvenil e atividade físicaNilceia Sc
 
Dieta Para Emagrecer Rápido – Toda a Verdade Revelada
Dieta Para Emagrecer Rápido – Toda a Verdade ReveladaDieta Para Emagrecer Rápido – Toda a Verdade Revelada
Dieta Para Emagrecer Rápido – Toda a Verdade ReveladaWillian Ricardo Oliveira
 

Semelhante a Dietas da moda artigo 2019 (20)

Eliminando a obesidade visceral
Eliminando a obesidade visceralEliminando a obesidade visceral
Eliminando a obesidade visceral
 
Dieta
DietaDieta
Dieta
 
Fatores nutricionais e sua correlação com a proeminência abdominal em mulhere...
Fatores nutricionais e sua correlação com a proeminência abdominal em mulhere...Fatores nutricionais e sua correlação com a proeminência abdominal em mulhere...
Fatores nutricionais e sua correlação com a proeminência abdominal em mulhere...
 
Obesidade é uma Doença Multifatorial e exige Tratamento Multidisciplinar
Obesidade é uma Doença Multifatorial e exige Tratamento MultidisciplinarObesidade é uma Doença Multifatorial e exige Tratamento Multidisciplinar
Obesidade é uma Doença Multifatorial e exige Tratamento Multidisciplinar
 
A Obesidade
A ObesidadeA Obesidade
A Obesidade
 
Dietas da Moda: Uma Análise Qualitativa
Dietas da Moda: Uma Análise QualitativaDietas da Moda: Uma Análise Qualitativa
Dietas da Moda: Uma Análise Qualitativa
 
Emagrecimento
EmagrecimentoEmagrecimento
Emagrecimento
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 
Ebook obesidade
Ebook obesidadeEbook obesidade
Ebook obesidade
 
Ebook obesidade
Ebook obesidadeEbook obesidade
Ebook obesidade
 
Manual alimentacao saudavel
Manual alimentacao saudavelManual alimentacao saudavel
Manual alimentacao saudavel
 
Manual alimentacao saudavel
Manual alimentacao saudavelManual alimentacao saudavel
Manual alimentacao saudavel
 
Aqui veremos o que é obesidade, quais os tipos que existem e suas consequênci...
Aqui veremos o que é obesidade, quais os tipos que existem e suas consequênci...Aqui veremos o que é obesidade, quais os tipos que existem e suas consequênci...
Aqui veremos o que é obesidade, quais os tipos que existem e suas consequênci...
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
NOS DIAS ATUAIS O SOBREPESO E A OBESIDADE É UM PROBLEMA DE ÂMBITO MUNDIAL.
NOS DIAS ATUAIS O SOBREPESO E A OBESIDADE É UM PROBLEMA DE ÂMBITO MUNDIAL.NOS DIAS ATUAIS O SOBREPESO E A OBESIDADE É UM PROBLEMA DE ÂMBITO MUNDIAL.
NOS DIAS ATUAIS O SOBREPESO E A OBESIDADE É UM PROBLEMA DE ÂMBITO MUNDIAL.
 
Obessidade
ObessidadeObessidade
Obessidade
 
Aula sobre obesidade infanto juvenil e atividade física
Aula sobre obesidade infanto juvenil e atividade físicaAula sobre obesidade infanto juvenil e atividade física
Aula sobre obesidade infanto juvenil e atividade física
 
Obesidade 2014
Obesidade 2014Obesidade 2014
Obesidade 2014
 
Dieta Para Emagrecer Rápido – Toda a Verdade Revelada
Dieta Para Emagrecer Rápido – Toda a Verdade ReveladaDieta Para Emagrecer Rápido – Toda a Verdade Revelada
Dieta Para Emagrecer Rápido – Toda a Verdade Revelada
 
Obesidade
Obesidade Obesidade
Obesidade
 

Último

AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdfHELLEN CRISTINA
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAndersonMoreira538200
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOvilcielepazebem
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfThiagoAlmeida458596
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfMarceloMonteiro213738
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obrasosnikobus1
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdfHELLEN CRISTINA
 

Último (12)

AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdf
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
 

Dietas da moda artigo 2019

  • 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO: LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA: BIOQUÍMICA PROF. DRA.: ROSEMARIE BRANDIM MARQUES DIETAS DA MODA ARAÚJO, Joselly ARAÚJO, Maria Tawany RAMOS, Kelson Felipe RODRIGUES, Luis Felipe SOUSA, Jéssica Lorena TERESINA-PI 2019
  • 2. DIETAS DA MODA RESUMO INTRODUÇÃO: A busca do corpo perfeito para encaixar-se nos padrões de beleza dos dias atuais influenciada principalmente pelas mídias sociais, tem feito com que muitas pessoas procurem formas para obter resultados rápidos, como as chamadas dietas da moda na maioria das vezes praticadas sem supervisão de um profissional qualificado, levando em alguns casos a complicações na saúde. OBJETIVO:O presente artigo tem como objetivo principal a partir do levantamento bibliográfico, descrever as dietas da moda aqui abordadas, ressaltar seus benefícios e malefícios, e citar pesquisas relacionadas e resultados relevantes. METODOLOGIA: O artigo consiste em uma revisão de literatura realizada a partir do levantamento bibliográfico, onde a ferramenta de pesquisa utilizada foi: google acadêmico, onde se considerou citações a partir do ano de 2003 e artigos a partir do ano de 2014. LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO: As dietas da moda de maneira geral, como constituem uma alternativa fácil e rápida para alcançar o objetivo de um corpo dentro do padrão estético, porém as mesmas muitas vezes não tem embasamento científico o que pode gerar diversas complicações futuras. A dieta de desintoxicação, mais conhecida como “dieta detox” tem o objetivo de eliminar as toxinas do organismo assim contribuindo para a perda de peso. A clássica dieta cetogênica é calculada em uma proporção de gramas de gordura para gramas de carboidrato mais proteína. O que significa que 90% da energia vem de gordura e 10% de carboidrato e proteína combinados e seu principal benefício está na diminuição da gordura corporal, a pressão arterial e a resistência à insulina com uma melhora nos níveis sanguíneos de glicose e podem ainda aumentar a desempenho em esportes aeróbios. A dieta do Dr. Atkins é uma dieta rica em proteínas e gorduras e pobre na ingestão de carboidratos altamente cetogênica com finalidade de perca de peso em um menor tempo e mantê-lo. O objetivo é restringir carboidratos até o ponto em que a adiposidade corporal seja consumida como combustível energético. O jejum intermitente é uma estratégia na qual os
  • 3. indivíduos alternam dias de jejum com dias de alimentação e pode trazer diversos benefícios, como redução e controle de peso, perda de gordura corporal, diminuição dos níveis de LDL colesterol e consequente atenuação do risco de doença cardiovascular. CONCLUSÃO: Conclui-se que a maior motivação para adoção de dietas da moda é alcançar o corpo esteticamente perfeito sem levar em consideração as suas próprias características biológicas, e a mídia tem um papel fundamental nesse processo, pois é por meio dela que o padrão imposto é divulgado. As dietas da moda são, portanto, reflexo do quanto os conhecimentos não científicos podem determinar o comportamento alimentar dos indivíduos. Palavras-Chave: Dietas da moda, efeitos maléficos, resultados rápidos, meios de comunicação. ABSTRACT INTRODUCTION: The search for the perfect body to fit today's beauty patterns influenced mainly by social media has led many people to look for ways to achieve rapid results, such as the so-called fad diets most often practiced without supervision of a qualified professional, leading in some cases to complications in health. OBJECTIVE: The main objective of this article is to describe the diet of the present study, to highlight its benefits and harms, and to cite related research and relevant results. METHODOLOGY: The article consists of a review of literature based on the bibliographical survey, where the research tool used was: google academic, where citations were considered from the year 2003 and articles from the year 2014. BIBLIOGRAPHICAL SURVEY: The diets of fashion in general, as they constitute an easy and quick alternative to reach the objective of a body within the aesthetic pattern, however the same often has no scientific basis which can generate several future complications. The detox diet, better known as "detox diet" aims to eliminate toxins from the body thus contributing to weight loss. The classic ketogenic diet is calculated in a ratio of grams of fat to grams of carbohydrate plus protein. This means that 90% of the energy comes
  • 4. from fat and 10% of carbohydrate and protein combined and its main benefit is in decreasing body fat, blood pressure and insulin resistance with an improvement in blood glucose levels and may even increase performance in aerobic sports. The Dr. Atkins diet is a diet rich in protein and fats and poor in the intake of highly ketogenic carbohydrates with the purpose of losing weight in a shorter time and keeping it off. The goal is to restrict carbohydrates to the point where body adiposity is consumed as an energy fuel. Intermittent fasting is a strategy in which individuals alternate fasting days with feeding days and can bring several benefits, such as weight reduction and control, loss of body fat, decrease of LDL cholesterol levels and consequent attenuation of the risk of cardiovascular disease . CONCLUSION: It is concluded that the greatest motivation for the adoption of fad diets is to achieve the aesthetically perfect body without taking into account its own biological characteristics, and the media plays a fundamental role in this process, because it is through it that the imposed pattern is disclosed. Fad diets are thus a reflection of how much unscientific knowledge can determine the eating behavior of individuals. Key words: Fad diets, malicious effects, fast results, media.
  • 5. INTRODUÇÃO O aumento da preocupação com um corpo dentro do padrão estético imposto pela sociedade é uma tendência mundial. Observa-se que o modelo de beleza corresponde a um corpo aparentemente magro ou musculoso, porém em muitas vezes não são considerados aspectos relacionados à saúde dos indivíduos ou a uma alimentação verdadeiramente saudável (COSTA, 2014). Diante disso, o relacionamento entre as pessoas e a alimentação existe desde a vida embrionária, então deve ser trabalhado a fim de que as pessoas não enxerguem os alimentos como um inimigo ou algo que serve apenas para nutrir o corpo, porque se alimentar é muito mais do que isso (DERAM, 2015). A idealização da magreza pode influenciar o comportamento das pessoas a utilizarem as dietas da moda que desconsideram a diversidade de corpos e a saúde. Essas dietas são práticas alimentares populares, temporárias, não usuais, que promovem resultados rápidos e atraentes, mas que estão a exigir maior fundamento científico para sua adoção (BETONI; ZANARDO; CENI, 2010). No contexto atual, as mídias em geral tendem a transmitir de forma rápida e constante, informações às pessoas. Nesse sentido, principalmente nas redes sociais é visto a divulgação de informação sem embasamento científico, o que pode se tornar um problema grave, pois as pessoas leigas tendem a torna- la como certa. Diante disso, a facilidade de comunicação que o mundo atual proporciona favorece a disseminação de informações cada vez mais rápidas e com isso, o surgimento de dietas e alimentos milagrosos que prometem demais e cumprem de menos (NUNES; AMEMIYA; SILVA, 2014). As dietas com restrição calórica acentuada podem ocasionar sintomas como: queda de cabelo, fadiga, constipação, diarreia, pele seca, anemia, irregularidade no ciclo menstrual, além de distúrbios alimentares como anorexia e bulimia nervosa. Tais sintomas estão relacionados à oferta inadequada de micronutrientes (BETONI, ZANARDO, CENI, 2010). Uma das maiores complicações em relação às dietas com restrição calórica é o ganho de
  • 6. peso subsequente envolvido para os indivíduos com intervenções (LOWEI, 2015; BOSY-WESTPHAL et al, 2015). O termo dieta de acordo com Alvarenga et al (2015) diz que, em nosso contexto social aparece as dietas de emagrecimento, que seguem a linha de privação parcial ou até total de certos grupos alimentares, como por exemplo, carboidratos. A dieta Low Carb destaca-se como uma das mais atuais estratégias dietéticas utilizadas para perda de peso (XAVIER, 2017). Dietas com baixo teor de carboidratos ou Low Carb diet (LCD) são definidas como ingestão inferior de 200g de carboidrato por dia, usualmente entre 50 e 150g por dia ou abaixo de 40% da energia advinda do carboidrato (PERRONI, 2017). De acordo com Xavier (2017), a dieta Low Carb vem ganhando força pelo seu potencial efeito na perda de peso corporal, apesar de também serem aconselhadas para doenças como Epilepsia, Diabetes e Ovário policístico. A dieta Cetogênica (DC, KD ou VLCD) é um tipo de dieta Low Carb, mas com maior restrição de carboidratos, tendo máximo de 50g de carboidratos/dia (usualmente 30g carboidratos dia) ou 10% do valor energético provenientes dos carboidratos. As principais fontes de combustíveis são os ácidos graxos, sendo que cerca de 70% do valor energético é obtido por meio de gorduras e proteínas da dieta, além do tecido adiposo (PHINNEY, 2004). Uma dieta cetogênica bem elaborada com ingestão de carboidratos extremamente baixa ajuda a atingir cetose, um processo no qual cetonas e gordura tornam-se a fonte principal de energia para o corpo e o cérebro (ZUGLIANI, 2017). A dieta do Dr. Atkins é uma dieta rica em proteínas e gorduras e pobre em carboidratos, altamente cetogênica. O objetivo é restringir carboidratos até o ponto em que a adiposidade corporal seja consumida como combustível energético. No decorrer do tempo, dos níveis séricos de colesterol, triglicérides, ácido úrico, ureia e creatinina (BETONI; ZANARDO; CENI, 2010; VIGGIANO, 2007). O Jejum Intermitente é uma estratégia na qual os indivíduos alternam dias de jejum com dias de alimentação (Azevedo, Ikeoka e Caramelli, 2013). Pode trazer diversos benefícios, como redução e controle de peso, perda de
  • 7. gordura corporal, diminuição dos níveis de LDL colesterol e consequente atenuação do risco de doença cardiovascular (DCV) (VARADY E COLABORADORES, 2016). A dieta Detox é composta por vários tipos de preparações, sucos, chás, alimentos que eliminam toxinas e reduzem a produção de radicais livres que são extremamente prejudiciais ao organismo (GAIOLLA, 2015). Dieta “desintoxicante” promove eliminação de gorduras, é fonte de vitaminas, antioxidantes e minerais, limpar o organismo de toxinas, devido ao baixo valor energético, baixo teor de lipídios, baixo teor de sal, ser fonte de vitaminas e minerais. Poderão constituir um bom veículo para a ingestão de legumes, fruta e água. (SANTOS, 2016.) As dietas apresentadas nesse artigo são desequilibradas nutricionalmente prejudicando as funções fisiológicas no organismo podendo desenvolver transtorno alimentar. O comportamento alimentar não influencia somente o estado de saúde atual, mas também o futuro desencadeando doenças como Diabetes Mellitus, câncer e doenças cardiovasculares (FIGUEIREDO, JAIME e MENTEIRO 2008). O objetivo deste artigo é descrever as Dietas da Moda da Atualidade, frisando seus benefícios e malefícios, através de revisão de literatura científica, e estudos já realizados sobre o tema. Este artigo propõe reflexões acerca das circunstâncias e consequências das dietas da moda e da educação nutricional, como opções para o emagrecimento. METODOLOGIA Revisão da literatura científica, onde houve um levantamento bibliográfico na base de dados: Google Acadêmico. As buscas pelos artigos foram realizadas utilizando termos como “dieta Low Carb”,” dietas detox”, “dieta cetogênica”, “dietas ricas em proteínas” “dieta do jejum intermitente” e “dietas da moda”. O levantamento realizado levou em consideração citações a partir do ano de 2003 e artigos publicados a partir do ano 2014.
  • 8. LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO Uma das dietas mais famosas é a do Dr. Atkins, criada em 1970, com o objetivo inicial de total restrição de carboidratos para que o corpo mobilize a gordura corporal como substrato energético, liberando o consumo de proteínas (Betoni, Zanardo e Ceni, 2010). Essa dieta é dividida em três fases: dieta de indução com perda de peso excessiva podendo ingerir apenas de 15 a 20g de carboidratos diário; dieta de permante que depois de atingir a perda máxima de peso, o indivíduo entra em uma perda continua e permanente de peso; dieta de manutenção onde o indivíduo estabelecerá, conforme sua resistência a perda de peso e a quantidade de carboidratos que irá consumir por toda a vida(ATKINS, 2004), o benefício buscado, ou seja, a perda de peso que é ocasionada devido a queima de gordura, pois a restrição de carboidratos faz com que o organismo transforme a gordura em glicose fornecendo energia para o músculos e células, após o decorrer do tempo a energia que é utilizada é o glicogênio armazenado no fígado, para ser degradado e ser utilizado como fonte de energia são mobilizados algumas gramas de água ocorrendo uma perca a mais de peso (SILVA & POTTIER, 2004). Mas o uso restrito de carboidratos e alta ingestão de gorduras e proteínas podem ocasionar alguns malefícios a saúde como por exemplo: a cirrose hepática decorrente ao acúmulo de gordura e a excessiva metabolização das proteínas, trazendo disfunções graves e irreversíveis, além de ocasionar a elevação dos níveis séricos de colesterol, triglicérides, ácido úrico, ureia e creatinina (BETONI, ZANARDO; CENI 201; VIGGIANO, 2007). A clássica dieta cetogênica é calculada em uma proporção de gramas de gordura para gramas de carboidrato mais proteína. A relação mais comum é 3: 1 ou 4: 1, o que significa que 90% da energia vem de gordura e 10% de carboidrato e proteína combinados. As calorias são normalmente restritas a 80-90% das recomendações diárias e recomendações para a idade (SAMPAIO, 2016). O princípio da aplicação da dieta pobre em carboidrato fundamenta-se no fato de que havendo uma grande restrição de carboidratos, haverá início de Cetose e oxidação lipídica, causando um efeito de saciedade e um aumento do
  • 9. gasto energético, fatores que devem promover um balanço energético negativo e consequente perda de peso (ATKINS, 1992 apud BREHM et al, 2003). Segundo GUEDES(2002) APUDE GOMES, A dieta cetogênica tem baixo teor calórico e seu principal benefício está na diminuição da gordura corporal. Estudos tem demonstrado que essas dietas parecem ser uma boa estratégia no processo de emagrecimento e redução da massa corporal, GOMES (2016) contribui positivamente para um perfil lipídico não aterogênico diminui a pressão arterial e a resistência à insulina com uma melhora nos níveis sanguíneos de glicose e insulina em jejum, e podem ainda aumentar a performance em esportes aeróbios (PÉREZ- GUISADO, 2008) APUDE GOMES (2016). A DC não é uma dieta equilibrada por implicar limitações na alimentação. Os grandes fornecedores de vitaminas e minerais, como a fruta, os hortícolas e os cereais, bem como os alimentos ricos em cálcio, são exemplos de alimentos com menor representação nesta dieta. Por essa razão, é essencial a suplementação de vitaminas do complexo B e cálcio, bem como de vitamina D, não só pela alimentação, mas também pela tendência a valores baixos de vitamina D que crianças com epilepsia apresentam. Todos os suplementos vitamínicos e minerais têm de ser isentos de hidratos de carbono, com o objetivo de manter o estado de Cetose (1). Na prática, recorre-se geralmente a um suplemento polivitamínico com minerais, de fora a cobrir todas as necessidades em micronutrientes. ROLA, VASCONCELLOS (2014). O jejum intermitente é uma estratégia na qual os indivíduos alternam dias de jejum com dias de alimentação (AZEVEDO, IKEOKA e CARAMELLI, 2013). Este conceito surgiu após um estudo feito com muçulmanos que praticavam o Jejum do Ramadã, com o intuito de explorar seus efeitos (RADHAKISHUN e COLABORADORES, 2014). Pode trazer diversos benefícios, como redução e controle de peso, perda de gordura corporal, diminuição dos níveis de LDL colesterol e consequente atenuação do risco de doença cardiovascular (DCV) (Varady e colaboradores, 2016). Atualmente, a prática do JI (nos seus variados protocolos), tem sido utilizada com o intuito de promover a alteração da utilização de substratos
  • 10. energéticos, estimando que com a redução do glicogênio hepático induzido pelo jejum prolongado, o organismo potencializaria outras vias de geração de energia incluindo gliconeogênese, lipólise, oxidação de gorduras e cetogênese. (BAPTISTELLA, DOS SANTOS, 2017) dentre outros benefícios “Redução da gordura abdominal; Redução dos níveis de leptina e resistina; Aumento dos níveis de adiponectina; Redução do tamanho do adipócito, da proliferação celular e dos níveis de IGF1” (BAPTISTELLA, p.16, 2017). Em um estudo feito por Aloui A (2016), analisou em atletas mulçumanos de judô no período pré-competitivo que praticavam o ritual religioso do Ramadã, que os atletas reduziram 25% para mais a ingestão calórica nesse período e como resultado verificou-se a perda de peso e diminuição do percentual de gordura, entretanto, o desempenho dos atletas foi comprometida, uma vez que os atletas estavam com grandes indicies de desidratação, níveis glicêmicos baixos, resposta cognitivas diminuídas e privação de sono. Dentre as dietas da moda a dieta de detoxificação, mais conhecida como “dieta detox”, tem tido destaque. Esta é composta de intervenções de curto prazo como objetivo de eliminar as toxinas do organismo assim contribuindo para a perda de peso. É baseada no consumo de alimentos funcionais que são ricos em nutrientes, isentos de toxinas, glúten, leites e derivados, contendo um baixo teor de gorduras e alto teor de fibras, como: hortaliças, frutas, águas aromatizadas, sucos e chás, assim chamando mais atenção das pessoas (FREIRE; ARAÚJO, 2017; KLEIN; KIAT, 2014). A mídia, assim como os livros, revistas e outros meios de comunicação estão divulgando cada vez mais sobre estas preparações. Estas são rápidas e de baixo custo, anunciadas como desintoxicante que promovem a perda de peso em um curto período de tempo. E muitos indivíduos fazem o uso dessas preparações como substitutas de refeições importantes do dia, sem orientação de um profissional, apenas com o conhecimento popular (SANTOS et al., 2016). Diante disso, essa dieta tem a promessa de desintoxicar o organismo de possíveis substâncias lesivas, promovendo saúde e bem estar, sendo um processo biológico que o corpo humano com a finalidade de reduzir o impacto das toxinas no metabolismo (NASSER, 2015).
  • 11. Nesse contexto, torna-se perigoso o consumo dessa dieta, visto que é essencial obter a participação de um nutricionista na escolha de um plano alimentar que tragam benefícios a saúde levando em consideração o metabolismo e a carência nutricional de cada pessoa, assim não se deixando influenciar por informações vagas passadas pela mídia, fazendo o uso de forma correta e segura (BATISTA, 2017). Por sua vez a dieta Low Carb é baseada em limites de ingestão diária de 30 a 130g de carboidrato (Hite e colaboradores, 2011), sendo que estudos apontam que esta prática também favorece a perda de peso e gordura corporal, assim como diminui o risco de DCV (Mansoor, 2015). A dieta Low Carb revelou ser eficaz na perda de peso e redução da massa gorda, contribui para melhora do perfil lipídico, aumento significativo do HDL, diminuição dos triglicerídeos e controle glicêmico, além de melhoria de alguns parâmetros de risco cardiovascular (Xavier, 2017). No que diz respeito aos efeitos adversos resultantes deste modelo de dieta, tem sido mencionada alguma propensão para o aparecimento de algumas dores de cabeça, diarreias, estados de fraqueza e câimbras musculares. Os indivíduos que adotam esta dieta e que tomam simultaneamente medicação devem ter supervisão clínica para que sejam evitados episódios de hipoglicemia, hipotensão e outras complicações (XAVIER, 2017). Ovos, carne de vaca, cordeiro, frango, carne de porco, bacon, peixes e frutos do mar, salmão, truta, sardinha, crustáceos, brócolis, tomates, couve de Bruxelas, couve – flor, couve, berinjela, pepino, pimentões, aspargo, abacate, azeitona, morango, damascos, limão, kiwi, laranja, framboesa, Nozes, amêndoas, azeite extra virgem, óleo de coco, água, café, chá, ervas, especiarias e condimentos são os principais alimentos utilizados na dieta Low Carb (PIMENTEL, 2017).
  • 12. PESQUISAS RELACIONADAS Uma pesquisa feita e publicada na Revista Brasileira de Nutrição Esportiva em 2017, analisou o perfil socioeconômico, as dietas adotadas, as motivações e fonte de informação de 60 frequentadores de uma academia de ginástica em São Paulo com idades entre 18 e 30 anos. O resultado mostra que 68,3% dos indivíduos, seguiam alguma dieta, sendo que a internet (24,5%) e instrutor de academia (23,4%) eram as principais fontes de informações. As dietas mais adotadas foram as dietas hipocalóricas (17,3%) e a hiperprotéica (10,7%), sendo a saúde (36,0%), o emagrecimento (20%) e a definição do corpo (20%), as principais motivações para sua adesão. Cerca de 38,3% tomam suplementos. As atividades mais praticadas foram musculação (54,8%) e aeróbica (23,1%). Conclui-se que os frequentadores de academia adotam dietas hipocalóricas e outras indicadas pelo instrutor e/ou obtidas em internet, tendo a saúde e a estética como as principais motivações para a adoção de tais planos alimentares LOPES (2017.) Outra pesquisa realizada de agosto a setembro de 2018 com 36 pessoas de uma academia de Birigui – SP onde o resultado mostra que 16 pessoas já realizaram dietas da moda ou restritivas e 20 não. Em relação às dietas, 7 pessoas adotaram a Low carb e o jejum intermitente, 3 à Detox, 2 à dieta da sopa e a dieta sem gordura e 6 realizaram outros métodos. Nessa pesquisa, 37,50% consideraram o resultado muito bom; 37,5% bom; 18,75% ruim e 6,25% muito ruim. Nogueira et al. fez um estudo com alunos de um clube de academia de São Paulo, e obteve como resultado de dietas mais frequentes: dieta Detox (25%), dieta sem gordura (23%), dieta Dukan (17,3) e dietas de revistas (13,5%). Nesse estudo, 29% consideraram o resultado muito bom, 56% bom, 11% ruim e 3,85% muito ruim.
  • 13. CONCLUSÃO Em virtude dos fatos mencionados, chegou-se à conclusão que as dietas da moda adotadas na atualidade tem um propósito específico de alcançar o corpo esteticamente perfeito que se encaixe nos padrões impostos pela sociedade. Porém, muitas vezes, as dietas não levam ao resultado esperado, o que pode gerar complicações como: compulsão alimentar e frustação por não conseguir alcançar o padrão proposto. Em contra partida, a reeducação alimentar, desde que orientada pelo profissional adequado, pode trazer benefícios que possibilitam resultados duradouros de forma saudável e sustentável. Com a pesquisa sobre o tema, nota-se o quanto o assunto exerce influência sobre a população, principalmente nos meios de comunicação, especialmente na internet. Os meios contribuem para a disseminação tanto do que seria o corpo ideal, quanto caminhos rápidos para tentar se chegar até ele. As dietas da moda são, portanto, reflexo do quanto os conhecimentos não científicos podem determinar o comportamento alimentar dos indivíduos. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS A Aloui; H Chtourou; W Briki; M Tabben; A Chaouachi; N Souissi; RJ Shephard; K. Chamari. Rapid weight loss in the context of Ramadan observance: recommendations for judocas. Biol Sport. 2016; V.4: 407–413. ATKINS, R.C. A nova dieta revolucionária do Dr. Atkins. 14. ed. Rio de janeiro: Records, 2004, 429p. AZEVEDO, F.R.; IKEOKA, D.; CARAMELLI, B. Effects of intermittent fasting on metabolism in men. Rev Assoc Med Bra. Vol. 2. Num. 59. 2013. p. 167-173. BATISTA, J. R. A importância da atuação do nutricionista em relação às dietas da moda. CONIC- Congresso Nacional de Iniciação Científica. 17ª ed, 2017.
  • 14. BETONI, F.; ZANARDO, V. P. S.; CENI, G. C. Avaliação de utilização de dietas da moda por pacientes de um ambulatório de especialidades em nutrição e suas implicações no metabolismo. ConScientiae Saúde. Vol. 9. Nº 3. 2010. P. 430- 440. BETONI, F.; ZANARDO, V. P. S.; CENI, G. C. Avaliação de utilização de dietas da moda por pacientes de um ambulatório de especialidades em nutrição e suas implicações no metabolismo. ConScientiae Saúde, São Paulo, n.9, v.3,17 jun., p. 430-440, 2010. BOSY-WESTPHAL, A. et al. Deep body composition phenotyping during weight cycling: relevance to metabolic efficiency and metabolic risk. Obes Rev., p. 36- 44, 2015. BREHM, B. J. et al. A Randomized Trial Comparing a Very Low Carbohydrate Diet and a Calorie Restricted Low Fat Diet on Body and Cardiovascular Risk Factors in Healthy Women. J Clin Endocrinol Metab, v. 88, n. 4, p. 1617-23, 2003. COSTA, Bruno, Efeitos do Jejum Intermitente no Desempenho Físico, 2018. COSTA, M.F. Dietas da moda e transtornos alimentares: a construção de sentidos na busca do corpo perfeito e da vida saudável. Demetra. Vol.9.Num. 3. P. 857-858. 2014. da obesidade. In: Obesidade. Rio de Janeiro: Medsi, cap. 24. p. 377-384; 2004. DERAM, S. O peso das dietas. São Paulo, Sensus, 2015. FIGUEIREDO, I, C. R.; JAIME, P. C.; MONTEIRO, C. A. Fatores associados ao consumo de frutas, legumes e verduras em adultos da cidade de São Paulo, Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 42, n. 5, p. 777-785, 2008. FREIRE, A. C. S. A.; ARAÚJO, L. B. Composição nutricional de dietas de detoxificação divulgadas em revistas e em mídia digital não científicas. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo, v.11, n.65, p.536-543, Set./Out 2017. GAIOLLA, P. S. A. A ciência e as dietas Detox. Informativo: Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição. Acesso em: 05 de julho de 2019.
  • 15. GOMES, Laís Polyane A., Dieta Cetogênica para o emagrecimento: uma revisão da literatura, 2016. KA, Martins, Freire MCM. Guias alimentares para populações: aspectos históricos e conceituais. Brasília Méd 2008; 45:291-302. LOWIE, M. R. Dieting: proxy or cause of future weight again? Obes Rev., v.16, p. 19-24, 2015. NASSER, P.T.A; Princípios bioquímicos da dieta de desintoxicação e atuação do nutricionista na prática clínica. In: CONCCEPAR, 2015. Campo Mourão. Faculdade Integrada de Campo Mourão. Revista Eletrônica. NUNES, M.J.C; AMEMIYA, D.A; SILVA, V.C.A. As consequências das dietas da moda para a saúde. Goiânia: Coordenação de vigilância nutricional GVEDNT/SUVISA/SES-GO, 2014. PHINNEY, S. D. Ketogenic diets and physical performance. Nutrition and Metabolism, v. 1, n. 2, 2004. RADHAKISHUN, N; BLOKHUIS, C.; VAN VLIET, M.; VON ROSENSITIEL, I.; Weijer, O.; HEYMANS, M.; BEIJNEN, J.; BRANDJES, D.; DIAMANT, M. Intermittent fasting during Ramadan causes a transient increase in total, LDL, and HDL cholesterols and hs-CRP in ethnic obese adolescents. European Journal of Pediatrics. 2014. p. 1103-1106. ROLA, Marta; VASCONCELOS, Carla, Dieta Cetogénica - Abordagem Nutriciona, 2014. SAMPAIO, L. P. de B. Ketogenic diet for epilepsy treatment. Arquivos de Neuro- Psiquiatria, São Paulo, v. 74, n. 10, p. 842-848, 2016. SANTOS, I. C. et al. Perspetiva do consumidor relativa aos efeitos na saúde associados ao consumo de sumos detox. Disponível em: 2016_artigo pdf Acesso em: 04 abr 2018. SANTOS, Kellyane Marim dos, SILVA, Edivânia Santana da, VIANA, Sabrina Daniela SANTOS, Inês Carvalho, benefícios nutricionais nos sumos detox: sim ou não, 2016. SILVA, M. H. G. G.; POTTIER, M. S. Dietas milagrosas aplicadas ao tratamento.
  • 16. STRINGHINI, M. L. F.; SILVA, J. M. C.; OLIVEIRA, F. G. Vantagens e desvantagens da dieta Atkins no tratamento da obesidade. Salusvita, Bauru, v. 26, n. 2, p. 257-268, 2007. STRINGHINI, Maria Luiza, Ferreira, et al. Vantagens e desvantagens da dieta Atkins no tratamento da obesidade. Salusvita, Bauru, v. 26, n. 2, p. 257-268, 2007LOPES, Perfil socioeconômico, dietas adotadas e motivações de frequentadores de uma academia em itapecerica da serra-sp Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo. v. 11. n. 68. Suplementar 2. p.986-994. Jan./Dez. 2017. VARADY, K.A.; BHUTANI, S.; CHURCH, E.C.; KLEMPEL, M.C. Short-term modified alternateday fasting: a novel dietary strategy for weight loss and cardioprotection in obese adults. The American of Clinical Nutrition. 2016. p. 1138- 1143. VARGAS, Ana Júlia, PESSOA, Letícia de Souza, ROSA, Roseane Leandra da. Jejum intermitente e dieta low carb na composição corporal e no comportamento alimentar de mulheres praticantes de atividade física. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo. v. 12. n. 72. p.483-490. Jul./Ago. 2018. VIGGIANO, C. E. Dietas da moda. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, n. 12, ano III, abr/jun., p. 55-56, 2007. XAVIER, S. C. Dietas pobres em hidratos de carbono na perda de peso corporal. Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, 2017. ZUGLIANI, G. (2017). Diferenças entre dieta low carb e dietas cetogênica. Disponível em: www.gabrielazugliani.com.br. Acesso em: 11 out. 2017.